Dakar 2022 – Avaliação da categoria Carros

Nasser Al-Attiyah: Um dos melhores pilotos de Rally, o piloto Qatari mostrou que estava mais uma vez disposto a vencer o Dakar. O que se viu foi uma pilotagem precisa, perfeita e com um equipamento confiável nas mãos. Al-Attiyah fez uma bela vantagem sobre seus rivais e passou a administrar a sua confortável vantagem até a última especial. Resultado disso foi o 4ºtítulo para Qatari e o 3ºtítulo da Toyota no Rally Dakar. Por sinal, um merecidíssmo título, Nasser Al-Attiyah conquistou vitória em 2 especiais e 5 resultados entre os 3 primeiros lugares e perdas de tempo muito pequenas. Uma apresentação digna de aplausos.

Sebastien Loeb: O tão sonhado e buscado 1ºtítulo no Rally Dakar vai ter de esperar até 2023. Isso não significa que não houve esforço do piloto francês, piloto da Prodrive. Em termos de resultados, Loeb obteve melhores números, com 2 vitórias em especiais, 3 segundos lugares e 1 terceiro lugar. Porém, os resultados de 2 especiais (3ª e 6ªespeciais) acabaram por comprometer suas chances de campeonato. Loeb tentou tirar a diferença que Nasser Al-Attiyah tinha, mas a diferença era grande demais (chegou a ser mais de 50 minutos) e não pode ser tirada. Ao final, Loeb, o multicampeão do WRC repete o vice-campeonato de 2017, naquela oportunidade foi vice de Stephan Peterhansel . Desta vez, foi vencido por Nasser Al-Attiyah. Quem sabe, Loeb não consiga o seu tão sonhado campeonato do Rally Dakar que persegue a 6 anos (5 participações).

Yazeed Al-Rajhi: O piloto saudita fez um belo Dakar e levou a bandeira de seu país ao pódio, foi o primeiro pódio na soma dos tempos. O piloto da Toyota não chamou a atenção pelos desempenhos. Tanto é que o saudita fez apenas 1 resultado entre os Top 3 (Na 6ªespecial). Porém, ele foi crescendo a cada especial, graças a sua regularidade é que permitiu ao saudita conquistar a terceira posição na classificação final. Posição que chegou a ficar perto a 7 anos atrás (no Dakar de 2015), mas que escapou das suas mãos por causa de uma quebra de equipamento.

Orlando Terranova: Um dos pilotos mais experientes do 1ºpelotão, o Argentino, as vezes temperamental, as vezes desacreditado obteve seu melhor resultado da história dele no Dakar. Terranova teve em mãos um grande equipamento (Equipe Prodrive BRX) e soube usar muito bem esse equipamento, conquistando uma vitória em especial, algo que não vinha a 7 anos e conquistando a 4ªposição na soma dos tempos. Seu melhor resultado tinha sido o 5ºlugar nos anos de 2013 e 2014. Depois desse grande resultado, tenho certeza que Terranova foca um Top 3 na soma dos tempos em 2023.

Giniel De Villiers: O Campeão do Dakar de 2009 só não conseguiu algo melhor que a 5ªposição por causa de uma especial (7ªEspecial) muito ruim, mas de resto, novamente o sul-africano usou de sua enorme experiência para ser um piloto regular. De Villiers conquistou uma vitória em especial e venceu a batalha contra o polonês Jakub Przygoński na reta final do Rally. Giniel de Villiers deve se sentir orgulhoso que existam novos pilotos Sul-africanos e que vão continuar seu respeitável legado quando o piloto pendurar seu capacete e encerrar sua trajetória no esporte.

Jakub Przygoński: Foi sem dúvida o melhor piloto da Mini nesse Dakar, mas tendo em mente que a marca foi a campeã de 2021, acabou sendo frustrante demais o polonês não ter qualquer chance de brigar pelo título do Dakar. Entre as 12 especiais, Jakub só conseguiu chegar por duas vezes entre os 5 primeiros colocados. Chegou até a ficar em 4ºlugar após a 8ªespecial, mas Przygoński não conseguiu se segurar entre os Top 5. O único consolo foi ter sido o melhor piloto da sua marca, o 6ºlugar na soma dos tempos é um bom resultado, mas para quem viu Stephan Peterhansel, campeão em 2021 com o mesmo carro da Mini acaba sendo frustrante o resultado.

Mathieu Serradori: O piloto da SRT Racing conseguiu um estupendo resultado. Evidente que o francês não tinha um carro a altura de vencer o Dakar, mas ele foi a luta e conseguiu resultados muito interessantes, com o 4ºlugar na 5ªespecial e conseguiu em 6 especiais se colocar entre os 10 primeiros colocados. Mathieu levou o carro da Century CR6 ao 7ºlugar, seu melhor resultado no Rally Dakar, sem dúvida vai servir de motivação para o piloto e a equipe vir mais forte para o Dakar de 2023.

Sebastian Halpern: De volta depois de 4 anos de ausência, Eu digo que obteve uma boa participação, sem chamar muita a atenção, apenas com o objeto de ser regular e não ter grandes problemas durante as especiais. Assim foi feito e proporcionou o argentino a conseguir um lugar no Top 10 da soma dos tempos, chegando em 8ºlugar, nada mal para quem voltou depois de um hiato de 4 anos.

Mattias Ekström: O melhor piloto da Audi na classificação final do Dakar, mas a se pensar, os problemas de confiabilidade do carro elétrico da Audi acabaram por complicar demais a vida do piloto sueco, que se mostrou um piloto muito rápido. Resultado de sua rapidez foi a vitória na 8ªespecial e muitos resultados entre os Top 5 (5 ao todo).

A sua complicação veio nos primeiros estágios (principalmente no primeiro e no quarto estágio) é que as chances de título se esvaíram por completo. Porém, sua recuperação foi notável, dia após dia, Ekström subia na classificação até chegar ao final do Dakar em uma digna 9ªposição na soma dos tempos. Pelo menos a Audi salvou um resultado entre os 10 primeiros lugares. Se continuar como piloto da marca alemã, Ekström tem grandes chances de disputar o título no ano que vem.

Vladimir Vasilyev: O Russo que vem de bons resultados chegou ao Dakar com o objetivo de um ótimo resultado, entre os 5 primeiros colocados. Nas primeiras especiais, parecia que a expectativa seria cumprida, mas não foi isso que aconteceu. Na parte final do Dakar, russo começou a perder terreno na soma dos tempos e a situação se agravou na última especial, perdendo um tempo precioso que o fez cair da 7ª para a 10ªposição. Foi um revés desapontador para quem foi o 6ºcolocado na edição passada do Dakar. Pelo menos Vasilyev salvou posição entre os 10 primeiros com sem BMW.

Carlos Sainz: Contratado pela Audi para ser um dos favoritos ao título do Dakar 2022, mas acabou prejudicado pela falta de confiabilidade do carro elétrico da marca das 4 argolas. O Espanhol conseguiu se recuperar muito bem, chegou a ficar na 47ªposição e chegou na 12ªposição, a 37 minutos do 10ºcolocado. “El matador” quando teve carro em ordem acabou sendo bastante competitivo. Talvez sem os problemas, pudesse até ter vencido o Dakar esse ano. Sainz venceu 2 especiais e ficou no Top 3 em 6 especiais. Ou seja, metade das especiais tivemos o piloto da Audi no pódio. Se continuar na Audi ou ir para uma equipe competitiva é sem dúvida favorito ao título na próxima jornada.

Brian Baragwanath: 3ºcolocado nos Quadriciclos em 2016, Baragwanath vem começando a trilhar um belo caminho nos carros, Mesmo com um equipamento ainda não competitivo para vencer o Dakar o sul-africano demonstra talento, prova foi o 4ºlugar na 6ªespecial e o 3ºlugar na última especial. Certamente vai estar disputando o Top 10 em edições futuras do Dakar, seja pelo carro da Century ou por uma equipe mais competitiva.

Shameer Variawa: Outro sul-africano que se destacou, mas bem menos do que Baragwanath e Lategan. De positivo, fez um bom resultado na 6ªEspecial (7ºlugar) e acabou melhorando em 5 posições sua classificação do Dakar de 2021.

Bernhardt Ten Brinke: Entrou de última hora no lugar de Erik van Loon e fez um bonito papel. Apesar de duas desastrosas especiais, devemos ressaltar que por 2 vezes o piloto holandês ficou na 6ªposição em duas especiais seguidas (6ª e 7ªespeciais). Ten Brinke ficou 5 vezes no top 10 em especiais, mostrando competência, mesmo com poucas condições e sem estar totalmente aclimatado com o equipamento.

Lucio Alvarez: O piloto argentino que fez bonito nessa edição do Dakar, com 1 segundo lugar na 11ªespecial e um 3ºlugar logo na primeira especial. Durante a primeira metade do Dakar, disputou as primeiras posições e tinha toda a pinta de repetir ou de até melhorar o seu melhor resultado conquistado no Dakar. Porém, um problema em seu carro derrubou o argentino na soma dos tempos, perdendo quase 4 horas e caindo para a 22ªposição. Uma pena, pois era um dos candidatos a chegar ao pódio em 2022. Que os contratempos não aconteçam no ano que vem.

Cyril Despres: O francês teve uma fraca participação, sem se destacar em nada, sem um carro a altura. Despres não fez nenhuma falta em 2022.

Laia Sanz: Um ano de aprendizado nos carros, Sanz cansou de vencer as suas adversárias entre as mulheres e foi para a categoria dos carros. Não teve nenhum destaque, mas é de destacar a ida a uma nova categoria e a sua intenção de fazer sucesso nos próximos anos.

Martin Prokop: Uma decepção, eu esperava muito que ele pudesse disputar até mesmo lugar entre os Top 10 e até estava conseguindo, mas muito devido a sua regularidade. Porém, teve problemas na 10ªespecial. Com isso, o resultado do piloto tcheco da Ford foi para o espaço, terminou na 25ªposição na classificação geral, longe dos melhores atuações que teve no passado (6ºlugar em 2019 e 7ºlugar em 2018).

Henk Lategan: Foi o piloto que mais me chamou a atenção do Dakar 2022, com brilhantes exibições e grandes resultados. O sul-africano que abandonou no ano passado, impressionou nessa edição do Dakar, com 2 vitorias em especiais (na 5ª e na última especial), 2 vezes em segundo lugar, 1 vez em terceiro lugar e mais uma vez em 5ºlugar. Ou seja, metade das especiais entre os 6 primeiros colocados. Porém, ao mesmo tempo, teve problemas em várias especiais que detonaram qualquer chance de um bom resultado na soma dos tempos. Eu prevejo que ele seja o principal substituto de Giniel de Villiers quando encerrar sua trajetória no Dakar. Não duvido nada que em 2023, Henk Lategan seja ainda mais competitivo e sem exagero, um competidor cotado ao título.

Nani Roma: Poderia ser mais um Dakar muito competitivo, mas acabou tendo um problema muito sério na 4ªespecial, ficando na 78ªposição e algumas outras especiais ruins sacramentaram um Dakar onde o espanhol vai querer esquecer. De positivo foram as vezes que Roma chegou em 4ºlugar nas especiais 3 e 11 e em 5ºlugar nas especiais 2 e 6. Recentemente, Nani Roma teve detectado um tumor maligno detectado na bexiga, mas de possível recuperação e de cura. O Portal Sportszone deseja plena recuperação de Nani Roma e que ele vencer essa batalha.

Stéphane Peterhansel: A Lenda do Dakar que defendia o título em 2021 foi o piloto que mais sofreu com os problemas de confiabilidade do carro Elétrico da Audi. O sonho do 15ºtítulo foi destruído logo na primeira especial, com uma quebra de suspensão. Depois disso, Peterhansel passou a dar assistência para Carlos Sainz que também já tinha ficado de fora da disputa pelo título. A segunda parte foi bem melhor, com todas as especiais entre os Top 10, tanto é que Peterhansel não deixou de conquistar a sua vitória em especial (na 10ªespecial). Com o conceito do carro Elétrico dando certo eu não vejo Peterhansel parando depois do Dakar 2022, pelo contraio, A lenda vai tentar o 15ºcampeonato sem dúvida nenhuma.

Sobre os carros, para o grande público, o trio formado pela Mini Toyota e Audi brigaria pelo título do Dakar de 2022. Assim que começou o Dakar, A Audi com a falta de confiabilidade em seu carro elétrico saiu da disputa. A Mini ficou abaixo das expectativas e nenhum de seus pilotos conseguiu se colocar na luta pelo título.

Já a Toyota se mostrou a melhor das três equipes, mas não foi à equipe soberana do Dakar, isso deve-se muito a BRX Prodrive, com o carro da Hunter e graças ao ótimo trabalho de Sebastien Loeb e o muito bom trabalho do Argentino Orlando Terranova. Em poucos estágios ficou evidente que a batalha estava polarizada entre Nasser Al-Attiyah com seu Toyota Hilux e Sebastien Loeb com seu Hunter durante o restante do Dakar.

Pelo andar da carruagem e pelo passar das corridas, Nasser Al-Attiyah abriu vantagem confortável para conquistar o seu 4ºcampeonato no Dakar e ajudou a marca japonesa a levar seu 2ºcampeonato da sua história. Entre os 5 primeiros colocados, foram 3 pilotos com o carro da Toyota. Além do piloto Catari, tivemos Yazeed al Rajhi em uma inédita 3ªposição e o experiente Giniel de Villiers na 5ªposição. Os outros 2 pilotos foram pilotos da Prodrive, sendo Sebastien Loeb com o seu segundo vice-campeonato e Orlando Terranova com o seu melhor resultado no Dakar, um 4ºlugar muito bem conquistado.

A Toyota tem uma equipe bem maior e mais estrutura do que a Prodrive e conta com muito mais pilotos. Seria um feito da Prodrive ser a campeã do Dakar, mas de fato, mostrou força em ter feito resultados tão bons como fez em 2022.

A Mini foi muito decepcionante, não conseguiu ir além de um modesto 6ºlugar com o polonês Jakub Przygoński e o 8ºlugar do argentino Sebastian Halpern. Pouco para quem teve o título de 2021 com Stephan Peterhansel.

Com o Century CR6, Mathieu Serradori ficou em uma respeitável 7ªposição, outra marca com menor estrutura que incomodou. Já o russo Vladimir Vasilyev levou heroicamente o seu BMW a completar os 10 primeiros colocados.

Para completar as 6 marcas nas 10 primeiras posições, o sueco Mattias Ekström que levou o carro elétrico da Audi ao 9ºlugar, foi pouco para as pretensões da Audi, mas se pensar que é o primeiro ano com um carro elétrico, dá para imaginar um futuro brilhante para os próximos anos.

De resto, faltou um pouco mais de briga pelo título do Dakar nos carros, mas se olharmos por outro olhar acabou sendo um dos mais competitivos Rallys que vimos. Foram 8 vencedores diferentes nas 12 especiais disputadas e novos pilotos se revelando como futuros potenciais de campeonato. Dessa forma, fechamos os trabalhos no Dakar 2022. Os textos serão todos organizados e colocados em um post, com todos os links de todas as especiais e todas as classificações de todos os dias.

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Dakar

Dakar 2022 – Resultado final da categoria SSV

pos No. Piloto/copiloto País Carro/Equipe tempo diferença penalização
1 401 Austin Jones Estados Unidos Can-Am XRS 47H 22′ 50” 00H 06′ 00”
Gustavo Gugelmin Brasil Can-Am Factory South Racing
2 416 Gerard Farres Guell Espanha Can-Am Maverick XRS 47H 25′ 27” + 00H 02′ 37”
Diego Ortega Gil Espanha Can-Am Factory South Racing
3 414 Rokas Baciuska Lituânia Can-Am Maverick XRS 47H 38′ 08” + 00H 15′ 18” 00H 15′ 00”
Oriol Mena Espanha South Racing Can-Am
4 410 Marek Goczal Polônia Can-Am XRS 47H 39′ 11” + 00H 16′ 21”
Lukasz Laskawiec Polônia Cobant-Energylandia Rally Team
5 403 Michal Goczal Polônia Can-Am XRS 47H 51′ 18” + 00H 28′ 28” 00H 32′ 00”
Szymon Gospodarczyk Polônia Cobant-Energylandia Rally Team
6 415 Rodrigo Luppi De Oliveira Brasil Can-Am XRS 48H 18′ 34” + 00H 55′ 44” 00H 06′ 00”
Maykel Justo Brasil South Racing Can-Am
7 444 Luis Portela Morais Portugal Can-Am X3 XRS 50H 43′ 19” + 03H 20′ 29” 00H 17′ 00”
David Megre Portugal BP Ultimate SSv Team
8 420 Eric Abel França Can-Am XRS 52H 45′ 36” + 05H 22′ 46” 00H 17′ 00”
Christian Manez França Team BBR/Pole Position 77
9 447 Joan Lascorz Espanha Can-Am Maverick X3 53H 20′ 49” + 05H 57′ 59” 00H 22′ 00”
Miguel Puertas Herrera Espanha Buggy Masters Team
10 446 David Zille Argentina Can-Am XRS 53H 38′ 45” + 06H 15′ 55”
Sebastian Cesana Argentina South Racing Can-Am
11 442 Rudy Roquesalane França Can-Am X3 54H 25′ 34” + 07H 02′ 44” 00H 32′ 10”
Vincent Ferri França RRC Racing
12 402 Aron Domzala Polônia Can-Am XRS 54H 35′ 43” + 07H 12′ 53” 00H 07′ 00”
Maciej Marton Polônia Can-Am Factory South Racing
13 451 Ievgen Kovalevych Ucrânia Can-Am 54H 36′ 13” + 07H 13′ 23” 00H 15′ 10”
Dmytro Tsyro Ucrânia South Racing Can-Am
14 408 Molly Taylor Austrália Can-Am Maverick XRS 55H 00′ 49” + 07H 37′ 59” 00H 20′ 00”
Dale Moscatt Austrália Can-Am Factory South Racing
15 467 Tomas Jancys Lituânia Can-Am Maverick X3 55H 11′ 33” + 07H 48′ 43” 00H 46′ 00”
Irmantas Braziunas Lituânia Mediafon Team
16 455 Rui Oliveira Portugal Can-Am Maverick 56H 05′ 05” + 08H 42′ 15” 00H 15′ 00”
Fausto Mota Espanha CRN Competition Team
17 422 Fabrice Lardon França Can-Am 2019 56H 50′ 03” + 09H 27′ 13” 00H 21′ 10”
Bruno Bony França Team Casteu
18 437 Pietro Cinotto Itália Polaris RZR Pro XP 56H 52′ 57” + 09H 30′ 07” 00H 02′ 00”
Alberto Bertoldi Itália Xtremeplus Polaris Factory Team
19 426 Paul Spierings Holanda Can-Am Maverick X3 57H 28′ 59” + 10H 06′ 09” 00H 31′ 00”
Jan-Pieter van der Stelt Holanda Dakar Team Spierings
20 418 Nicolas Brabeck-Letmathe Áustria Can-Am X3 58H 03′ 38” + 10H 40′ 48” 00H 30′ 00”
Ezequiel Fernandez Sasso Argentina Team Casteu
21 431 Florent Vayssade França Can-Am BRP 58H 07′ 40” + 10H 44′ 50” 00H 30′ 00”
Nicolas Rey França Team Vayssade Florent
22 433 Frederic Chesneau França Can-Am Maverick X3 58H 35′ 50” + 11H 13′ 00” 01H 02′ 10”
Stephane Chesneau França FS 21
23 468 Josep Rojas Almuzara Espanha Can-Am Maverick X3 58H 47′ 31” + 11H 24′ 41” 01H 01′ 00”
Joan Rubi Montserrat Espanha Buggy Masters Team
24 463 Benoit Fretin França Can-Am X3 61H 05′ 28” + 13H 42′ 38” 00H 15′ 00”
Cedric Duple França Ydeo Competition
25 421 Jerome De Sadeleer Suíça Can-Am 62H 07′ 28” + 14H 44′ 38” 10H 16′ 20”
Michael Metge França Team Galag
26 461 Jan De Wit Holanda Can-Am Maverick X3 62H 32′ 13” + 15H 09′ 23” 00H 02′ 00”
Serge Bruynkens Bélgica Team Roadseal Africa
27 469 Jeffrey Otten Holanda Can-Am Maverick X3 63H 17′ 27” + 15H 54′ 37” 00H 32′ 00”
Nicky Zoontjens Holanda Gaia Motorsports
28 450 Davy Huguet França Can-Am XRS 64H 45′ 12” + 17H 22′ 22” 01H 15′ 00”
Nicolas Falloux França Team BBR/Pole Position 77
29 445 Jean-Claude Pla França Polaris RZR Pro XP 67H 14′ 46” + 19H 51′ 56” 00H 46′ 10”
Jerome Pla França Xtremeplus Polaris Factory Team
30 465 Tatiana Sycheva Rússia BRP Maverick X3 68H 08′ 14” + 20H 45′ 24” 00H 45′ 10”
Aleksandr Alekseev Rússia Xesha Motorsport
31 438 Pablo Macua Argentina Can-Am Sodicars Racing 69H 38′ 57” + 22H 16′ 07” 00H 16′ 00”
Mauro Esteban Lipez Argentina Sodicars Racing
32 464 Bruno Fretin França Can-Am X3 72H 44′ 14” + 25H 21′ 24” 08H 47′ 10”
Valentin Sarreaud França Ydeo Competition
33 453 Shinsuke Umeda Japão Polaris RZR Pro XP 72H 46′ 24” + 25H 23′ 34” 00H 45′ 00”
David Giovannetti Itália Xtremeplus Polaris Factory Team
34 439 Gael Queralt Espanha Can-Am Maverick X3 79H 41′ 46” + 32H 18′ 56” 20H 07′ 10”
Sergi Brugue Espanha FN Speed Team
35 458 Ulrich Caradot França Can-Am Bombardier 81H 39′ 09” + 34H 16′ 19” 18H 30′ 00”
Mathieu Bouchut França Team BBR/Pole Position 77
36 428 Lucas Del Rio Chile Can-Am Maverick XRS 85H 07′ 11” + 37H 44′ 21” 26H 05′ 00”
Americo Aliaga Chile South Racing Can-Am
37 459 André Thewessen Holanda Can-Am Maverick X3 85H 42′ 14” + 38H 19′ 24” 20H 46′ 00”
Stijn Bastings Holanda Team ATS
38 460 Jeremy Poret França Can-Am Maverick X3 86H 10′ 21” + 38H 47′ 31” 19H 40′ 00”
Brice Aloth França Team BTR
39 443 Baptiste Enjolras França Can-Am X3 89H 56′ 47” + 42H 33′ 57” 22H 50′ 00”
Julien Enjolras França Tati Team
40 456 Christophe Cresp França MMP Can-Am 90H 56′ 22” + 43H 33′ 32” 22H 26′ 00”
Serge Henninot França MMP
41 470 Gregory Pichon França Can-Am Maverick X3 113H 04′ 16” + 65H 41′ 26” 34H 34′ 00”
Jean Pichon França Team Pichon Mercier Racing
42 466 Aranzal Gerel Mongólia Can-Am Maverick X3 113H 44′ 41” + 66H 21′ 51” 33H 32′ 00”
Ganzorig Temuujin Mongólia Ayanga
43 423 Michele Cinotto Itália Polaris Pro XP 115H 21′ 29” + 67H 58′ 39” 46H 04′ 00”
Maurizio Dominella Itália Xtremeplus Polaris Factory Team
44 462 Patrice Etienne França Can-Am X3 120H 03′ 09” + 72H 40′ 19” 45H 18′ 00”
Jerome Bos França Ydeo Competition
406 Sergei Kariakin Rússia BRP Can-Am Maverick Etapa 8
Anton Vlasiuk Rússia Snag Racing Team
454 Gert-Jan Van Der Valk Holanda Can-Am XRS Etapa 8
Branco De Lange Holanda South Racing Can-Am
441 Geoff Minnitt África do Sul Can-Am Maverick X3 Etapa 7
Siegfried Rousseau África do Sul South Racing Can-Am

Dakar 2022 – Avaliação da categoria SSV

SSV, boa disputa e final emocionante, essa foi a receita de uma categoria que cresce ano a ano e se torna cada vez mais competitivo, desde de 2016 quando eram somente 8 SSV. Com o decorrer dos anos, o número de competidores foi aumentando até chegar ao número de 47 competidores, todos eles com seus navegadores.

A briga pelo título foi disputada. Muita gente boa esteve nessa disputa. A citar os irmãos Goczal (Com Marek e Michal), Também podemos citar o brasileiro Rodrigo Luppi de Oliveira que não era um dos mais conhecidos pilotos para o público, mas que na primeira metade da disputa, chegou a disputar os 3 primeiros colocados e só acabou ficando mais longe por que teve problemas na segunda metade da disputa.

A grande disputa ficou entre o norte-americano Austin Jones e o espanhol Gerard Farres Guell. Ambos eram pilotos de alto gabarito e em busca do primeiro título do Dakar. Foi uma linda disputa entre os dois, a partir da 7ªetapa, quando a vantagem de Austin Jones vinha sendo de apenas 6 minutos e 33 segundos de vantagem para Farres Guell.

A diferença chegou a aumentar para até 13 minutos e 47 segundos no 9ºestágio. Jones parecia encaminhando a sua vitória, mas na penúltima especial, o norte-americano perde mais de  13 minutos sobre Gerard Farres Guell, que passou a liderar a soma de tempos, com apenas 1 especial para disputar. Sendo que essa era mais curta, o que dificultava bastante uma recuperação de Jones.

Mas como diz uma velha frase, “A corrida só termina no final”, na bandeirada, Farres Guell teve problemas no final da última especial e por um capricho do destino, Austin Jones recuperou a liderança e se tornou campeão do Dakar pela primeira vez. Foi uma incrível decisão entre Jones e Farres Guell, separados por apenas 2 minutos e 37 segundos, após 47 horas de disputa e 12 especiais.

E essa disputa poderia ter um final mais épico, já que o lituânio Rokas Baciuska ficou na 3ªposição, com 15 minutos e 18 segundos atrás do vencedor, sendo que 15 minutos foram por causa de penalização. O que significa que sem a punição, Baciuska ficaria a 18 segundos do título do Dakar nos SSV.

Os irmãos Goczal ficaram com a 4ª e 5ªposições (Marek na frente). Detalhe é que Michal Goczal venceria na soma dos tempos se não fosse as punições sofreu, 32 minutos nessa soma final, o que acabou fazendo Michal ficar a 28 minutos e 28 segundos atrás do vencedor.
Rodrigo Luppi De Oliveira completou os 6 primeiros colocados, a menos de 1 hora atrás de Austin Jones.

Foi uma briga muito disputada entre os principais pilotos da SSV. Infelizmente Aron Donzala e Sergei Kariakin, 2 candidatos a vencer no Dakar acabaram ficando longe dos primeiros lugares, ou por problemas nos veículos ou por acidente. No geral, saldo muito positivo para a categoria SSV, esperamos que 2023 a disputa seja ainda mais apertada e que só tenhamos a definição do vencedor na última especial.

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Dakar

Dakar 2022 – Resultado final da categoria Protótipo Leve

pos No. Piloto/copiloto País Carro/Equipe tempo diferença penalização
1 305 Francisco Lopez Contardo Chile Can-Am XRS 45H 50′ 51”
Juan Pablo Latrach Vinagre Chile EKS – South Racing
2 306 Sebastian Eriksson Suécia Can-Am Maverick X3 46H 42′ 19” + 00H 51′ 28” 00H 02′ 00”
Wouter Rosegaar Holanda EKS – South Racing
3 301 Cristina Gutiérrez Espanha OT3 – 01 50H 25′ 34” + 04H 34′ 43” 00H 17′ 00”
Francois Cazalet França Red Bull Off-Road Team USA
4 314 Santiago Navarro Espanha Can-Am Maverick X3 51H 02′ 26” + 05H 11′ 35” 00H 15′ 00”
Marc Sola Espanha FN Speed Team
5 312 Pavel Lebedev Rússia Can-Am Maverick 51H 43′ 05” + 05H 52′ 14” 00H 30′ 00”
Kirill Shubin Rússia MSK Rally Team
6 311 Camelia Liparoti Itália Yamaha YXZ 1000R Rally Edition 54H 17′ 02” + 08H 26′ 11” 00H 15′ 00”
Xavier Blanco Espanha Yamaha powered by X-Raid Team
7 319 Thomas Bell Inglaterra Can-Am Maverick X3 54H 25′ 52” + 08H 35′ 01” 00H 16′ 00”
Bruno Jacomy Argentina South Racing Middle East
8 310 Dania Akeel Árabia Saudita Can-Am Maverick X3 55H 50′ 58” + 10H 00′ 07” 00H 15′ 00”
Antonia De Roissard França South Racing Middle East
9 334 Serge Gounon França Can-Am XRS 56H 50′ 09” + 10H 59′ 18” 00H 30′ 00”
Pierre-Henri Michel França Team BBR/Pole Position 77
10 316 Lionel Costes França PH-Sport Zephyr 57H 24′ 01” + 11H 33′ 10” 00H 22′ 00”
Christophe Tressens França PH-Sport Dans Les Pas de Léa
11 350 Hans Weijs Holanda Arcane T3 58H 54′ 31” + 13H 03′ 40” 00H 16′ 00”
Tim Rietveld Holanda Arcane Factory Racing
12 329 Geoffrey Moreau França MMP Can-Am 59H 05′ 54” + 13H 15′ 03” 00H 33′ 00”
Pascal Chassant França MMP
13 324 Mario Franco Portugal Yamaha YXZ 1000R 59H 14′ 34” + 13H 23′ 43” 00H 36′ 00”
Rui Franco Portugal Francosport
14 336 Luis Eguiguren Chile Herrator Inzane X3 59H 22′ 09” + 13H 31′ 18” 00H 51′ 00”
Matias Vicuna Chile Herrador Factory Team
15 321 Annett Fischer Alemanha Yamaha YXZ 1000R Rally Edition 60H 27′ 55” + 14H 37′ 04” 00H 16′ 00”
Annie Seel Suécia Yamaha powered by X-Raid Team
16 303 Seth Quintero Estados Unidos OT3 – 02 60H 29′ 12” + 14H 38′ 21” 10H 00′ 00”
Dennis Zenz Alemanha Red Bull Off-Road Junior Team USA
17 332 Khalid Aljafla Kuwait Cam-Am 60H 30′ 43” + 14H 39′ 52” 00H 05′ 00”
Charly Gotlib Bélgica SOUTH RACING MIDDLE EAST
18 343 Jordi Segura Espanha Can-Am Maverick X3 62H 06′ 02” + 16H 15′ 11” 00H 31′ 00”
Pedro Lopez Chaves Espanha FN Speed Team
19 349 Gaspard Destailleur França Can-Am Maverick X3 64H 34′ 02” + 18H 43′ 11” 00H 30′ 00”
Jean-François Destailleur França Renonce Mercier Racing
20 341 Eric Croquelois França Can-Am Maverick 66H 50′ 16” + 20H 59′ 25” 01H 15′ 10”
Hugues Lapouille França Drag’On Rally Team
21 307 Jean-Luc Pisson França PH-Sport Zephyr 68H 11′ 48” + 22H 20′ 57” 00H 45′ 00”
Jean Brucy França JLT Racing
22 309 Fernando Álvarez Espanha Can-Am Maverick X3 69H 03′ 32” + 23H 12′ 41” 11H 45′ 10”
Xavier Panseri França South Racing Can-Am
23 339 Michiel Becx Holanda Arcane T3 69H 40′ 17” + 23H 49′ 26” 01H 42′ 40”
Edwin Kuijpers Holanda Arcane Factory Racing
24 348 Hugues Matringhem França Can-Am Maverick X3 XRS 71H 52′ 52” + 26H 02′ 01” 00H 49′ 00”
Nicolas Tchidemian França Renonce Mercier Racing
25 300 Josef Macháček Rep.Tcheca Buggyra Can-Am DV12 78H 12′ 50” + 32H 21′ 59” 19H 03′ 00”
Pavel Vyoral Rep.Tcheca Buggyra Zero Mileage Racing
26 342 Paolo Sottile Suíça Can-Am X3 79H 22′ 31” + 33H 31′ 40” 11H 00′ 00”
Matteo Sottile Suíça Team Sottile – BTR
27 330 Patrick Becquart França Can-Am Maverick X3 XDS 81H 01′ 51” + 35H 11′ 00” 14H 00′ 00”
Romain Becquart França Mercier
28 326 Javier Herrador Calatrava Espanha Herrator Inzane X3 81H 32′ 00” + 35H 41′ 09” 13H 16′ 00”
José Lus Rosa Olivera Espanha Herrador Factory Racing
29 340 Javier Velez Colômbia Can-Am Maverick X3 84H 58′ 38” + 39H 07′ 47” 19H 05′ 00”
Mateo Moreno Kristiansen Colômbia FN Speed Team
30 335 Sebastian Guayasamin Equador Can-Am X3 114H 28′ 06” + 68H 37′ 15” 46H 45′ 00”
Ricardo Adrian Torlaschi Argentina Sebastian Guayasamin
31 323 Maria Oparina Rússia 125H 09′ 51” + 79H 19′ 00” 44H 15′ 00”
Andrei Rudnitski Bielorrussia TEAM MARIA OPARINA
32 331 Ahmed Alkuwari Fahad Qatar Yamaha YXZ 1000R SS 132H 42′ 15” + 86H 51′ 24” 67H 02′ 00”
Nasser Alkuwari Qatar Yamaha powered by X-Raid Team
33 356 Merce Marti Espanha Can-Am Maverick X3 135H 29′ 20” + 89H 38′ 29” 58H 25′ 17”
Margot Llobera Andorra FN Speed Team
34 344 Pedro Manuel Peñate Muñoz Espanha Can-Am Maverick X3 XRS 173H 52′ 05” + 128H 01′ 14” 96H 14′ 00”
Rosa Romero Font Espanha Valsebike Canarias
35 320 Andrey Novikov Rússia G-Force T3GF 178H 59′ 10” + 133H 08′ 19” 90H 38′ 00”
Dmitrii Kozhukhov Rússia G-Force Motorsport
36 347 Pascale Jaffrennou França Pinch Racing T3RR 195H 48′ 44” + 149H 57′ 53” 102H 05′ 00”
Françoise Hollender França Pinch Racing
37 315 Boris Gadasin Rússia G-Force T3GF 230H 03′ 52” + 184H 13′ 01” 140H 14′ 00”
Dmitry Pavlov Rússia G-Force Motorsport
338 Thierry Porte França ORT Scorpion Etapa 12
Jerome Doudard França MD Rallye Sport
308 Guillaume De Mévius Bélgica OT3 – 04 Etapa 10
Kellon Walch EUA Red Bull Off-Road Team USA
327 Romain Locmane França Can-Am Maverick XRS Etapa 10
Maxime Fourmaux França Quad Bike Evasion
322 Matthieu Margaillan França Can-Am Etapa 8
Axelle Roux-Decima França Rally Raid Comcept
333 Marco Carrara Itália PH-Sport Zephyr Etapa 8
Enrico Gaspari Itália PH-Sport
302 Philippe Pinchedez França Can-Am T3RR Etapa 7
Thomas Gaidella França Pinch Racing
313 Saleh Alsaif Árabia Saudita Can-Am X3 T3 Pro Etapa 5
Oriol Vidal Montijano Espanha Black Horse Team
325 Jean – Pascal Besson França Kinroad XT250GK Etapa 5
Patrice Roissac França Rally Raid Comcept
328 Axel Alletru França BRP Can-Am X3 Etapa 5
Francois Beguin Bélgica Team Allétru’s Mercier Racing Car
304 Andreas Mikkelsen Noruega OT3 – 03 Etapa 4
Ola Floene Noruega Red Bull Off-Road Junior Team USA
337 Xavier Foj Espanha AMS Oryx Etapa 4
Ignacio Santamaria Espanha Foj Motorsport

Dakar 2022 – Avaliação da categoria Protótipo Leve

Seth Quintero foi o nome do Dakar nessa categoria. Piloto norte-americano,  que obteve um domínio avassalador em praticamente todas as especiais, contando com um super projeto de carro e com sua incrível habilidade, Quintero venceu 11 das 12 especiais. Em qualquer campeonato, o piloto da Red Bull seria o campeão sem sombra de dúvidas.

Mas uma especial acabou com o sonho de título de Quintero. O desastre aconteceu logo na segunda especial do Dakar, quando Quintero teve problemas que o levaram a perder quase 17 horas, sendo 10 dessas horas foram por causa de penalização.

O Mais provável é que houvesse um desanimo do piloto da Red Bull, mas aconteceu o contraio, foi uma motivação para Quintero vencer e se recuperar o máximo possível. E foi isso exatamente o que aconteceu. No final, Quintero bateu o recorde de vitórias em especiais, em uma única edição do Dakar e conseguiu ainda ficar na 16ªposição na Soma dos Tempos.

O protótipo OT3 da Red Bull venceu todas as especiais do Dakar. O belga Guillaume de Mevius ficou com a vitória na segunda especial e fez com que todas as vitórias caíssem nas mãos da equipe Red Bull. Infelizmente o protótipo OT3 era um carro falho na confiabilidade. Isso não permitiu que Quintero e Guillaume de Mevius conseguissem grandes resultados na soma dos tempos. O que salvou foi à espanhola Cristina Gutierrez Herrero, na 3ºposição na soma dos tempos, mesmo com um carro com falta de confiabilidade e propenso a quebras.

Já a disputa pelo título do Dakar ficou entre o chileno Francisco Lopez Contardo e o Sueco Sebastian Eriksson, ambos da equipe oficial da CAN-AM. Os dois disputaram a vitória, mas a vantagem esteve praticamente o tempo todo com o Chileno.

Vencedor de 2019 e 2021 pela categoria SSV, Francisco Lopez Contardo conquista o terceiro título no Dakar. No seu currículo, teve 2 vezes a terceira posição na categoria motos (em 2010 e 2013). Usando da regularidade, o chileno obteve 9 vezes posição entre os 3 primeiros colocados nas especiais. Sebastien Eriksson teve 8 resultados entre os 3 primeiros colocados. Em um rally onde resistência e confiabilidade é fundamental a CAN-AM mostrou esses requisitos, mesmo sem ser tão rápido como o OT3.

A categoria vem numa crescente, mas ainda sofre de vários carros com problemas de confiabilidade, mas por ter uma categoria de protótipos, eu acho que é normal que se tenha mais quebras, pois não são carros comuns, são carros construídos para a corrida, totalmente construídos para uma disputa. Nesse caso para um Rally. É possível que ela tenha até um pouco menos de competidores que os SSV, mas pelo menos não vai ser tão esvaziado como a categoria dos quadriciclos.

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP