GP da Indonésia – MotoGP – Mundial de Motovelocidade 2022

Um sábado muito difícil para os pilotos da Honda que todos estavam na repescagem, tudo devido às complicadíssimas sessões de sexta-feira que acabaram por desfavorecer a Marquez, Pol Espargaró, Alex Marquez e Takaagi Nakagami. Na sessão da manhã acabou chovendo e isso determinou que não só que os pilotos da Honda fossem todos para a repescagem, como também outros bons pilotos, como Joan Mir, campeão da temporada de 2020 e Francesco Bagnaia que buscava uma recuperação após o fiasco em Losail.

15 minutos para somente 2 desses pilotos passarem. Marc Marquez não queria dar bobeira, já foi para a pista para buscar uma dessas duas vagas e foi para a ponta com 1:31.830, com 3:20 de sessão, mas a volta não foi perfeita, já que o formiga atômica derrapou na volta. Isso foi o suficiente para ser superado pelos pilotos da VR46, Bezzecchi em 1º e Marini em 2º, um bom começo para os jovens pilotos da equipe de Valentino Rossi.

Todos estavam cobiçando as vagas de Bezzecchi e Marini. Foi isso que fez Francesco Bagnaia, ao chegar aos 5 minutos de sessão, marcando o primeiro tempo (1:31.667). Enquanto que Marquez foi para os boxes para pegar sua moto reserva. Na metade da sessão, Bagnaia e Bezzecchi estavam classificando para o Q2. Marini estava em 3º, seguido de Marc Marquez, Fabio di Giannantonio, Alex Marquez, Pol Espargaró e Andrea Dovizioso.

Em sua volta a pista, Marc Marquez foi buscar o prejuízo, mas acabou caindo a 6 minutos e 45 segundos do final, na curva 13. Isso obrigou o piloto da Honda a correr para pegar a moto que ele estava no começo dos 15 minutos do Q1.

A 5 minutos do final, todo mundo começou a partir para a pista, era a hora de decidir quem iria para a fase final da classificação. Já Marquez, saiu dos boxes a 3 minutos e 20 segundos do final, provavelmente para uma ou duas derradeiras voltas rápidas.

Peppo Bagnaia não quis dar qualquer chance para ninguém, marcou 1:31.219 e consolidou sua liderança. Fabio di Giannantonio aproveitou o embalo e levou sua Ducati de 2021 para a segunda posição.

Em desespero, Marquez tentou buscar referência em Takaagi Nakagami para tentar se classificar, mas ao chegar na curva 12, uma nova queda de Marquez. Não era o dia dele e nem mesmo da Honda, já que nenhum dos pilotos conseguiu entrar na zona de classificação. Marquez ficou em 5º, Pol Espargaró em 6º, Alex Marquez em 9º e Nakagami na 14ªposição.
Também não foi o dia de Joan Mir, o piloto da Suzuki foi ao chão na sua última tentativa e ficou com a 8ªposição.

Francesco Bagnaia ficou mesmo com a liderança da repescagem, seguido de Fabio di Giannantonio da Gresini. Menção honrosa para Luca Marini e Marco Bezzecchi, levando as motos da VR46 para a 3ª e 4ªposições, perto de uma classificação ao Q2.

Resultado do Q1:

pos piloto Equipe Moto Tempo
1 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 01’31.219
2 49 Fabio di Giannantonio Gresini Racing MotoGP™ Ducati 01’31.631
3 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’31.666
4 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’31.695
5 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 01’31.830
6 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’31.831
7 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 01’31.870
8 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’31.875
9 73 Alex Marquez LCR Honda Castrol Honda 01’31.987
10 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’32.006
11 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’32.122
12 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’32.140
13 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 01’32.299
14 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’32.330

Tão logo foi disparado o tempo de 15 minutos em contagem regressiva, os pilotos começaram a partir para a pista, em busca da pole position. Os dois pilotos da equipe principal da Yamaha (Fabio Quartararo e Franco Morbidelli eram os favoritos a pole position.

Porém, Francesco Bagnaia mostrou suas cartas e marcou 1:31.615 e ficou na frente até que Fabio Quartararo colocou ordem na casa e marcou o tempo de 1:31.227, com 4 minutos e 15 segundos de Q2. Já Franco Morbidelli foi para o chão, um impressionante acidente, mas sem grandes gravides para o ítalo-brasileiro.

Peppo Bagnaia foi para os boxes com um pouco mais de um terço de sessão. Quem vinha em volta rápida era Enea Bastianini, mas que cometeu um erro na 3ªparcial e acabou comprometendo essa que poderia ter sido uma bela volta.

Após metade da sessão, Quartararo vinha na frente, quase 4 décimos a frente de Bagnaia e a 4 décimos de Jorge Martin da Pramac. Vinham a seguir, Aleix Espargaró da Aprilla em 4º, Fabio di Giannantonio e Enea Bastianini da Gresini, Brad Binder, Miguel Oliveira, Alex Rins, Johann Zarco, Franco Morbidelli e Jack Miller.

A 6:10 do final, Quartararo volta para a pista, seguido de Rins e Aleix Espargaró. Começaria a parte final da sessão. Francesco Bagnaia já estava na pista e foi para melhorar sua marca, mas foi Quartararo que o fez, com 1:31.067. Jorge Martin superou Francesco Bagnaia e assumiu a segunda posição.

Nesses minutos finais, a segunda fila mudou bastante, Miguel Oliveira passou a ser o 4º, seguido de Alex Rins e Jack Miller que passou da última para a 6ªposição. Nos segundos finais, Zarco pulou da 11ª para a 3ªposição, passando para a 1ªfila em uma excelente volta. Brad Binder e Enea Bastianini tiveram belas voltas, mas ficaram abaixo de Zarco, na 4ª e 5ªposições respectivamente.

Fabio Quartararo confirma o favoritismo e conquista a pole position. O Campeão da temporada passada se redimindo da fraca corrida da Yamaha no Qatar e se coloca como favorito a vitória na corrida de domingo. Os dois pilotos da Pramac formariam a primeira fila junto do piloto francês. Jorge Martin na segunda posição e Johann Zarco na 3ªposição.

Na segunda fila, Brad Binder com a KTM, embalado com a segunda posição no GP do Qatar e podendo dar trabalho para os favoritos. Enea Bastianini da Gresini vai largar em uma bela 5ªposição, com chances de fazer mais uma boa corrida. Francesco Bagnaia caiu muito no final e larga na 6ªposição, fechando a fila de número 2.

Miguel Oliveira com a outra KTM vai abrir a terceira fila e terá Alex Rins e Jack Miller como seus companheiros de fila. Aleix Espargaró da Aprilla (Que caiu na classificação na reta final do Q2), Fabio di Giannantonio e Franco Morbidelli fecham as 12 primeiras posições.

Grid de Largada:

pos piloto Equipe Moto Tempo
1 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha 01’31.067
2 89 Jorge Martin Pramac Racing Ducati 01’31.280
3 5 Johann Zarco Pramac Racing Ducati 01’31.378
4 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’31.433
5 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP™ Ducati 01’31.504
6 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 01’31.507
7 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’31.566
8 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’31.582
9 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’31.714
10 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 01’31.723
11 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP™ Ducati 01’31.829
12 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha 01’32.336
13 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’31.666
14 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’31.695
15 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 01’31.830
16 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’31.831
17 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 01’31.870
18 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’31.875
19 73 Alex Marquez LCR Honda Castrol Honda 01’31.987
20 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’32.006
21 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’32.122
22 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’32.140
23 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 01’32.299
24 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’32.330

A poucos momentos depois da etapa da Moto 2 ter acontecido, uma chuva torrencial acabou caindo em Mandalika. Isso fez com que a corrida fosse adiada em mais de 1 hora. No auge da chuva até mesmo raios caíram sobre o traçado.

Mas a grande e triste notícia mais importante era a ausência de Marc Marquez da corrida. O motivo foi as consequências do perigoso acidente que ele teve no Warm Up. A queda do Formiga atômica fez com que ele sofresse mais uma vez de Diplopia. Essa situação poderia ter sido até pior e mostra uma gerencia ruim da Honda com seus pilotos.

Após mais de 1 hora e meia, finalmente os pilotos foram liberados para formarem o Grid de largada. Assim como a moto 2, a corrida acabou sendo reduzida para apenas 20 voltas.

Fabio Quartararo faz uma boa largada e fica na frente, seguido de Miguel Oliveira que largou muito bem e pulou da 7ª para a 2ªposição. Seguido de Bagnaia, Rins, Jorge Martin e Zarco, completando os 6 primeiros colocados. O grande destaque foi a excelente largada de Joan Mir que ganhou várias posições (largou na 17ªposição) e ao final da primeira volta, o piloto da Suzuki estava na 8ºlugar.

Na segunda volta, Miguel Oliveira foi para cima e Fabio Quartararo, sem nenhum conhecimento, o piloto da KTM passou o campeão de 2021 e assumiu a ponta, mas essa liderança trocou de mãos na metade da volta, Jack Miller veio como um raio, passando Quarataro e Oliveira para tomar a liderança.

O começo de corrida de Quartararo não foi muito bom, Na terceira volta, na reta dos boxes, Quartararo dá uma derrapada e perdeu posições para Rins e Zarco, caindo para a 5ªposição.

Miller e Oliveira já vinham 2 segundos a frente de Rins e Zarco. O piloto português tentava recuperar a liderança. Na parte final da 5ªvolta, Miguel Oliveira supera Jack Miller e recupera a liderança. No final da volta anterior, Jorge Martin também quase foi ao chão ao derrapar na reta dos boxes. Francesco Bagnaia, erra acurva e perde posições. O piloto da Ducati vinha mal, na 12ªposição. Era impressionante é que ainda não teve ninguém no chão nas primeiras 6 voltas.

Oliveira abre 1 segundo sobre Jack Miller que vinha consolidado na 2ªposição, com 2 segundos a frente de Rins e Zarco, os dois brigando pelo pódio. Fabio Quartararo vinha em 5º, seguido de Joan Mir, Franco Morbidelli e Jorge Martin. Luca Marini em 9º, já vinha longe do primeiro pelotão e estava liderando um grande segundo pelotão.

No meio da 7ªvolta, Andrea Dovizioso abandona com problemas eletrônicos em sua moto, o italiano vinha bem e com boas possibilidades. No começo da volta seguinte, Jorge Martin vai para o chão na curva 1 e abandona a corrida. O piloto da Pramac não começa bem o ano, com 2 quedas nas primeiras 2 corridas do campeonato. Pol Espargaró também quase escorrega na reta dos boxes e perde posições.

Alex Rins e Johann Zarco se aproximaram de Jack Miller, com a corrida chegando na sua metade. O piloto da Pramac que sobrou supera Alex Rins, voltando para a 3ªposição. A partir dai, o piloto da Suzuki começou a perder rendimento e acabou ficando para Fabio Quartararo. A menos de 8 voltas do final, o piloto francês supera Rins e assume a 4ªposição. Ao contraio do Rins, Quartararo começava a crescer no terço final da corrida.

Na parte intermediaria, Luca Marini os irmãos Binder e Francesco Bagnaia vinham disputando a liderança desse grande pelotão. Enea Bastianini vinha em corrida apagada, no final da zona de pontuação.

A 6 voltas do final, Zarco ataca Miller, chega a passar o piloto da Ducati, mas espalha e Miller se aproveita para voltar a 2ªposição. Foi nessa deixa que Fabio Quartararo chegou nos dois pilotos de Ducati. Na primeira oportunidade, o campeão da temporada passada supera Zarco, no final da 15ªvolta e parte para cima de Miller. Na metade da 16ªVolta, Quartararo passa Miller e sobe para a segunda posição.

No meio do pelotão, por incrível que pareça, Darryn Binder estava se destacando, em uma ótima corrida do novato, liderando o segundo pelotão, em 8ºlugar. Enea Bastianini tentou superar o piloto da RNF Racing, mas acabou não conseguindo, pior para o piloto da Gresini que recuou na classificação.

Zarco foi para o ataque pra cima de Miller. A menos de 3 voltas do final, o piloto da Pramac recupera a 3ªposição, superando o piloto australiano.

Quartararo tentou tirar a diferença que Miguel Oliveira colocou, mas o português estava muito na frente e administrou bem a diferença para vencer o GP da Indonésia. Após um período de resultados bem ruins, desde da metade da temporada passada, essa vitória vai levantar a moral de Oliveira, principalmente na batalha interna que ele vai ter com seu companheiro de equipe, Brad Binder que ficou em 2ºlugar no GP do Qatar.

Fabio Quartararo não teve um bom começo, mas se recuperou na parte final da corrida e acabou ficando com a 2ªposição, um alivio para quem defende o título de campeão da MotoGP. Isso após um fraco desempenho da Yamaha em Losail. Johann Zarco conseguiu uma bela corrida e foi compensado com a 3ªposição, fechando o pódio em Mandalika.

Jack Miller começou muito bem, parecia em determinado momento que o australiano voltaria a vencer na MotoGP, mas com o decorrer da corrida, ele acabou perdendo posições e acabou em 4ºlugar, fora do pódio, mas bem melhor que seu companheiro de equipe, Francesco Bagnaia que fez uma corrida medíocre e chegou na 15ªposição. Foi o último piloto da zona de pontuação.

Alex Rins que flertou com um pódio por bons momentos e Joan Mir que se recuperou de um grid ruim, chegaram em boas 5ª e 6ªposições respectivamente. Não esta muito diferente de 2021, a Suzuki precisa melhorar um pouco mais para poder disputar a vitória. Franco Morbidelli teve uma recuperação muito boa, largando na 15ªposição (punido em 3 posições por ter mudado a linha da trajetória treinando largadas, isso foi considerado uma pilotagem irresponsável) e chegando na 7ªposição. Bom final de semana da equipe oficial da Yamaha.

Já no segundo pelotão, Darryn Binder ficou na frente até o finalzinho, mas acabou perdendo essa 8ªposição para seu irmão Brad Binder que assumiu a vice-liderança do Mundial. Aleix Espargaró levou a Aprilla ao 9ºlugar e Darryn Binder, um piloto que fez uma corrida acima das expectativas chegando na 10ªposição.

Enea Bastianini acabou o dia na 11ªposição. Por incrível que pareça, o piloto da Gresini continuava líder do campeonato mundial, mas sua posição foi mantida muito por causa dos resultados que favoreceram. Pol Espargaró teve uma exibição bem abaixo do Esperado e acabou ficando na 12ªposição. A Honda teve um péssimo final de semana, tanto é que Pol foi o melhor piloto da marca.

Alex Marquez da LCR Honda, Luca Marini da VR46 e Francesco Bagnaia da Ducati oficial completaram a zona de pontuação.

Resultado final do GP da Indonésia – Mundial de Motovelocidade
Mandalika – 2ªEtapa – Moto 3 – 20 Voltas

pos piloto Equipe Moto Tempo/Abandono
1 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 33’27.2230
2 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha a 2.205
3 5 Johann Zarco Pramac Racing Ducati a 3.158
4 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati a 5.663
5 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 7.044
6 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 7.832
7 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha a 21.115
8 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM a 32.413
9 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia a 32.586
10 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha a 32.901
11 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP™ Ducati a 33.116
12 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda a 33.599
13 73 Alex Marquez LCR Honda Castrol Honda a 33.735
14 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati a 34.991
15 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati a 35.763
16 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia a 37.397
17 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM a 41.975
18 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP™ Ducati a 47.915
19 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 49.471
20 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati a 49.473
21 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM a 55.964
89 Jorge Martin Pramac Racing Ducati a 13 Voltas – Acidente
4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha a 14 Voltas – Eletronico
93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda Não largou

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da Indonésia – Moto 2 – Mundial de Motovelocidade 2022

Com a pista de Mandalika um pouco melhor e mais seca, os pilotos foram para a repescagem. Os dois pilotos da IntactGP foram os primeiros pilotos a entrarem na pista. Em 1 minuto, todos os 16 pilotos já tinham entrado no campo de batalha.

O norte-americano Sean Dylan Kelly foi para o chão na primeira tentativa de volta. O novato ainda sofre pelo noviciado em sua carreira. Após as primeiras marcas de tempo marcadas, as 4 vagas estavam nas mãos de Jeremy Alcoba, Zonta van der Goodbergh, Ai Ogura e Marcel Schrotter.

Com 9 minutos e 30 segundos do final, Schrotter assume a liderança com o tempo de 1:38.041, superando seu companheiro Jeremy Alcoba que esta na segunda posição. Filip Salac e Alessandro Zacconi da Gresini completavam os Top 4. 20 segundos depois, Joe Roberts pula para a ponta, entrando na casa do 1 minuto e 37 segundos (1:37.981).

A 9 minutos do final, tudo muda na classificação. Bo Bendsneyder faz uma excelente volta de 1:36.738, passando a liderança e possivelmente colocando o piloto da SAG perto do Q2. Somkiat Chantra, Ai Ogura e Barry Baltus foram muito rápidos e passaram a ocupar as 2ª, 3ª e 4ªposições respectivamente. O antigo líder do Q1, Joe Roberts caiu para 6ªposição, Marcel Schrotter e Jeremy Alcoba vinha logo atrás.

A 8 minutos do final, Zacconi vai para o chão. É outro piloto que paga pelo noviciado na Moto 2. Na metade da sessão, Barry Baltus subiu da 4ª para a segunda posição, superando os dois pilotos da Honda Asia Team. Por causa do trafego, Bendsneyder e Chantra acabaram abortando voltas muito rápidas.

Jeremy Alcoba precisava voltar a zona de classificação e foi para uma nova volta rápida e conseguiu, mas ainda não o bastante para ficar entre os 4. A 4 minutos e 25 segundos do final, Simone Corsi fez uma ótima volta e passou para a segunda posição. Posição que estava com Barry Baltus, mas que acabou tendo sua volta cancelada e caiu para a 8ªposição. O piloto belga da RW Racing foi atrás do prejuízo para recuperar sua posição entre os 4. Foi o que ele conseguiu, marcou o 4ºtempo, mas foi engolido por Jeremy Alcoba que passou a ser o 3ºcolocado.

Ao final da sessão, Somkiat Chantra acabou sendo o mais rápido, com uma bela volta de 1:36.464 dada a 2 minutos e meio do final da sessão. O tailandês vai para o Q2 junto de Bo Bendsneyder da SAG, Jeremy Alcoba da IntactGP e de Simone Corsi da MV Agusta.

Joe Roberts ficou a 23 milésimos de Corsi. Ai Ogura e Marcel Schrotter deixam a desejar e vão ter trabalho para a corrida no domingo.

 

Resultado do Q1:

pos piloto Equipe Moto Tempo
1 35 Somkiat Chantra IDEMITSU Honda Team Asia Kalex 01’36.464
2 64 Bo Bendsneyder Pertamina Mandalika SAG Team Kalex 01’36.738
3 52 Jeremy Alcoba Liqui Moly Intact GP Kalex 01’36.870
4 24 Simone Corsi MV Agusta Forward Team MV Agusta 01’36.882
5 16 Joe Roberts Italtrans Racing Team Kalex 01’36.905
6 7 Barry Baltus RW Racing GP Kalex 01’36.908
7 79 Ai Ogura Idemitsu Honda Team Asia Kalex 01’36.913
8 23 Marcel Schrotter Liqui Moly Intact GP Kalex 01’37.033
9 12 Filip Salac Gresini Racing Moto2 Kalex 01’37.218
10 2 Gabriel Rodrigo Pertamina Mandalika SAG Team Kalex 01’37.436
11 84 Zonta Van Den Goorbergh RW Racing GP Kalex 01’37.582
12 81 Keminth Kubo Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex 01’37.625
13 19 Lorenzo Dalla Porta Italtrans Racing Team Kalex 01’37.843
14 28 Niccolò Antonelli Mooney VR46 Racing Team Kalex 01’38.066
15 61 Alessandro Zaccone Gresini Racing Moto2 Kalex 01’38.609
16 4 Sean Dylan Kelly American Racing Kalex Sem Tempo

Ao contraio do Q1, os pilotos foram bem vagarosos para entrarem na pista. Fermín Aldeguer da Speed UP e Manuel González da Master Camp Team foram os primeiros a saírem para a pista. Um deles teve problemas na sua moto, Manuel González acabou deixando a sessão muito cedo.

Celestino Vietti vai para a pista, com 2 minutos e meio de sessão. Os dois pilotos da KTM Ajo saíram 30 segundos depois. Outro que teve problema na 1ªtentativa de volta foi Jorge Navarro, mas nesse caso foi por causa de uma queda que inviabilizou a participação dele no restante da sessão.

Aldeguer fez a primeira volta da sessão e foi engolido pela concorrência. A liderança foi para as mãos de Somtiak Chantra com 1:36.275, seguido de Albert Arenas e Bo Bendsneyder. A liderança do piloto da Honda Asia Team durou por um bom tempo. Nesse meio tempo, Cameron Beaubier e Albert Arenas tiveram encontro com o chão do circuito Indonésio.

Aron Canet fez uma boa volta a 8:15 do final e subiu para a 3ªposição. Sam Lowes marcou o 5ºtempo e partiu para uma nova volta e foi nessa volta que o piloto britânico passou para a liderança (1:36.124), com 6:50 do final do Q2, mas foi destronado pelo compatriota Jake Dixon a 5 minutos do final, com 1:35.799. Uma ótima marca do piloto recém-chegado da Aspar Martinez. Augusto Fernandez superou Albert Arenas em confronto direto e passou a ser o 3ºcolocado, entrando na 1ªfila. Porém, o piloto da KTM Ajo emplacou uma volta mais rápida e superou Lowes, passando para a segunda posição, com 2 minutos e 35 segundos do final.

Nos minutos finais, pouca coisa muda, a não ser Chantra que subiu para a 4ªposição e Pedro Acosta caindo a 1 minuto e 30 segundos do final. Com o cronometro zerado, o britânico Jake Dixon conquistou a 1ªpole da carreira na moto 2. Uma surpresa, pois Dixon não é um dos cotados a brigar pelas primeiras posições, mas esta querendo mudar essa imagem a partir dessa temporada. Vão compor a primeira fila, o espanhol Augusto Fernandez da KTM Ajo e que me parece que terá de ser o primeiro piloto da equipe até que Pedro Acosta possa se adaptar a Moto 2. Sam Lowes da Marc VDS em 3º, completa a primeira fila.

Somkiat Chantra que não disputou a primeira corrida do ano vai abrir a 2ªfila, em uma impressionante 4ºposição, depois de passar por uma dura repescagem para entrar no Q2 e fazer um bom resultado como aconteceu. Bo Bendsneyder em 5º é outra surpresa, não por ele, mas pela SAG não ser uma das principais equipes e Albert Arenas completou o bom dia da Aspar Martinez, o espanhol vai fechar a 2ªfila.

O líder do campeonato, Celestino Vietti parte da 7ªposição, disposto a manter a ponta do campeonato, seguido do vice-líder, Aron Canet da Pons e de Tony Arbolino da Marc VDS que parece ter tudo para fazer uma boa temporada.  Fechando o Top 12, na quarta fila, os pilotos Simone Corsi da MV Agusta, Pedro Acosta da KTM Ajo e Cameron Beaubier da American Racing.

Grid de Largada:

pos piloto Equipe Moto Tempo
1 96 Jake Dixon Autosolar GASGAS Aspar Team Kalex 01’35.799
2 37 Augusto Fernandez Red Bull KTM Ajo Kalex 01’35.901
3 22 Sam Lowes ELF Marc VDS Racing Team Kalex 01’35.953
4 35 Somkiat Chantra IDEMITSU Honda Team Asia Kalex 01’36.260
5 64 Bo Bendsneyder Pertamina Mandalika SAG Team Kalex 01’36.337
6 75 Albert Arenas Autosolar GASGAS Aspar Team Kalex 01’36.581
7 13 Celestino Vietti Mooney VR46 Racing Team Kalex 01’36.588
8 14 Tony Arbolino ELF Marc VDS Racing Team Kalex 01’36.657
9 24 Simone Corsi MV Agusta Forward Team MV Agusta 01’36.665
10 51 Pedro Acosta Red Bull KTM Ajo Kalex 01’36.751
11 6 Cameron Beaubier American Racing Kalex 01’36.900
12 54 Fermín Aldeguer Lightech Speed Up Boscoscuro 01’37.006
13 40 Aron Canet Flexbox HP40 Kalex 01’37.028
14 42 Marcos Ramirez MV Agusta Forward Team MV Agusta 01’37.034
15 52 Jeremy Alcoba Liqui Moly Intact GP Kalex 01’37.072
16 5 Romano Fenati Lightech Speed Up Boscoscuro 01’37.312
17 18 Manuel Gonzalez Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex Sem Tempo
18 9 Jorge Navarro Flexbox HP40 Kalex Sem Tempo
19 16 Joe Roberts Italtrans Racing Team Kalex 01’36.905
20 7 Barry Baltus RW Racing GP Kalex 01’36.908
21 79 Ai Ogura Idemitsu Honda Team Asia Kalex 01’36.913
22 23 Marcel Schrotter Liqui Moly Intact GP Kalex 01’37.033
23 12 Filip Salac Gresini Racing Moto2 Kalex 01’37.218
24 2 Gabriel Rodrigo Pertamina Mandalika SAG Team Kalex 01’37.436
25 84 Zonta Van Den Goorbergh RW Racing GP Kalex 01’37.582
26 81 Keminth Kubo Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex 01’37.625
27 19 Lorenzo Dalla Porta Italtrans Racing Team Kalex 01’37.843
28 28 Niccolò Antonelli Mooney VR46 Racing Team Kalex 01’38.066
29 61 Alessandro Zaccone Gresini Racing Moto2 Kalex 01’38.609
30 4 Sean Dylan Kelly American Racing Kalex Sem Tempo

O domingo histórico para um piloto tailandês que finalmente teve o seu dia de glória no mundial de Motovelocidade. A etapa da Moto 2 teve que ser reduzida para apenas 16 voltas, por causa dos problemas com o asfalto do circuito Indonésio.

Na largada, Jake Dixon foi pressionado por Augusto Fernandez que queria a ponta da corrida, mas quem assumiu a liderança foi Somkiat Chantra, o tailandês pulou da 4ª para a 1ªposição. Seguido de Sam Lowes, Jake Dixon e de Simone Corsi, levando a MV Agusta da 9ª para a 4ªposição. Augusto Fernandez perdeu muitas posições, caiu para a 8ªposição, logo a frente de Pedro Acosta que teria de pagar uma volta longa.

Celestino Vietti brigou pelo 4ºlugar contra Simone Corsi, mas acaba levando a pior e recuou para a 7ªposição. Aron Canet e Albert Arenas acabaram superando não só o piloto da VR46 como também o principal piloto da MV Agusta no começo da 2ªVolta. A recuperação de Vietti não demorou muito, em meia volta, o líder do campeonato superou Arenas e Corsi, assim, retornando a 5ªposição. Acosta pagou a punição da volta longa na 4ªVolta e caiu para a 15ªposição.

4ªVolta completada, Chantra faz a volta mais rápida e abre vantagem para Sam Lowes, que começava a sofrer pressão de Jake Dixon da Gas Gas. Com mais rendimento e se aproveitando da perda de rendimento do piloto da Marc VDS, Dixon passou Lowes na curva 8 e toma a segunda posição. Porém, 2 curvas depois, o próprio Dixon acaba indo ao chão e abandona a prova. Quem se beneficiou foi Aron Canet, que passou para a segunda posição. Simone Corsi que vinha muito bem acabou indo ao chão, exatamente no mesmo lugar onde Dixon acabou.

No final da 6ªVolta, Celestino Vietti superou Sam Lowes e passou a ser o terceiro colocado. Enquanto isso, Augusto Fernandez da KTM Ajo e Tony Arbolino da Marc VDS disputavam a liderança do segundo pelotão.

Vietti passou a mirar a segunda posição que estava nas mãos de Aron Canet, piloto da Pons que largou da 13ªposição e vinha em excelente corrida. Sam Lowes já vinha mais afastado dos dois, mas com uma vantagem confortável para o segundo pelotão. Liderado por Tony Arbolino e formado por Fermin Aldeguer, Augusto Fernandez, Albert Arenas, Pedro Acosta e Ai Ogura. Quando a corrida chegava na sua metade.

Ao final da 8ªVolta, Celestino Vietti supera Aron Canet passando para a segunda posição. Agora o italiano da VR46 tinha 2 segundos para tirar de Chantra, que estava na ponta desde da 1ªcurva. Porém, Vietti não estava conseguindo tirar essa vantagem, Somkiat Chantra continuava com ritmo muito forte e não dando pintas de que iria dar chance para o piloto da VR46. Canet e Lowes vinham consolidados em 3º e 4ºlugares.

Fermin Aldeguer vinha permanecendo na 5ªposição, mas acabou sendo superado por Augusto Fernandez da KTM Ajo. Ai Ogura vinha em grande corrida de recuperação, largando da 20ªposição e já em 8ºlugar, e já visando à posição de Tony Arbolino. Na 12ªVolta, o piloto japonês da Honda Asia Team passou Arbolino e subiu para a 7ªposição. Logo atrás, Albert Arenas tentava se defender dos ataques de Pedro Acosta.

A 2 voltas do final, Ai Ogura superou Fermin Aldeguer e assumiu a 6ªposição. Lá na frente, Somkiat Chantra abriu 2.6 segundos de frente de Celestino Vietti. Só uma queda ou problema faria o tailandês perder a vitória.

Em uma corrida histórica, Somkiat Chantra conquistou sua primeira vitória na carreira. Uma atuação brilhante e jamais feita pelo piloto tailandês, que leva seu país ao topo do pódio pela primeira vez na história de 73 anos. Só para se ter a ideia do feito de Chantra, seu melhor resultado no Mundial foi uma 5ªposição no GP da Áustria de 2021. Esse é um resultado que vai ajudar muito para Chantra dar o próximo passo na sua trajetória na Moto 2.

Celestino Vietti que largou na 8ªposição fez uma boa corrida e mostrou que esta forte e preparado para lugar pelo título, com uma pilotagem bem regular e confirmando sua evolução com relação à temporada passada. Aron Canet ganhou 10 posições e acabou na 3ªposição, completando o pódio. A Pons parece esta de volta a briga pelas primeiras posições. Sam Lowes acabou o dia na quarta posição, uma corrida em que começou na frente, mas sem ter o rendimento para manter seu lugar no pódio.

Augusto Fernandez mais uma vez comanda a KTM Ajo, mas para uma equipe que dominou o ano passado, o 5ºlugar em Mandalika é até pouco. Precisa melhorar Fernandez para poder brigar por esse título. Ai Ogura (apesar de ver Chantra vencer e ofuscar sua corrida) merece palmas pela belíssima recuperação, partindo da 20ªposição para chegar a 6ªposição. Se a corrida tivesse as voltas totais, o japonês poderia até sonhar com algo a mais na classificação final.

Fermin Aldeguer levou a moto da Boscoscuro a uma boa 7ªposição, após ficar por um tempo na 5ªposição. Tony Arbolino não conseguiu um desempenho convincente e acabou com uma modesta 8ªposição. Na batalha pela 9ªposição, Pedro Acosta levou a melhor e acabou a frente de Albert Arenas.

Os norte-americanos Joe Roberts da Italtrans e Cameron Beaubier da American Racing ficaram na 11ª e 12ªposições respectivamente. Jorge Navarro ficou bem abaixo de Aron Canet, terminou a prova na 13ªposição. Jeremy Alcoba ficou na frente de Marcel Schrotter e levou a IntactGP aos 2 únicos pontos do dia (14ªposição). Enquanto que Schrotter, bem mais experiente ficou na 16ªposição e fora da zona de pontuação. Bo Bendsneyder perdeu muito em relação ao grid de largada, já que largou da 5ªposição. O holandês acabou fechando a zona de pontuação e salvou 1 ponto para a equipe SAG de Eduardo Pelares.

Resultado final do GP da Indonésia – Mundial de Motovelocidade
Mandalika – 2ªEtapa – Moto 3 – 16 Voltas

pos piloto Equipe Moto Tempo
1 35 Somkiat Chantra IDEMITSU Honda Team Asia Kalex 25’40.8760
2 13 Celestino Vietti Mooney VR46 Racing Team Kalex a 3.230
3 40 Aron Canet Flexbox HP40 Kalex a 4.366
4 22 Sam Lowes ELF Marc VDS Racing Team Kalex a 7.918
5 37 Augusto Fernandez Red Bull KTM Ajo Kalex a 12.228
6 79 Ai Ogura Idemitsu Honda Team Asia Kalex a 12.384
7 54 Fermín Aldeguer Lightech Speed Up Boscoscuro a 12.696
8 14 Tony Arbolino ELF Marc VDS Racing Team Kalex a 14.547
9 51 Pedro Acosta Red Bull KTM Ajo Kalex a 17.786
10 75 Albert Arenas Autosolar GASGAS Aspar Team Kalex a 18.327
11 16 Joe Roberts Italtrans Racing Team Kalex a 18.509
12 6 Cameron Beaubier American Racing Kalex a 18.566
13 9 Jorge Navarro Flexbox HP40 Kalex a 19.711
14 52 Jeremy Alcoba Liqui Moly Intact GP Kalex a 19.960
15 64 Bo Bendsneyder Pertamina Mandalika SAG Team Kalex a 20.551
16 23 Marcel Schrotter Liqui Moly Intact GP Kalex a 23.047
17 42 Marcos Ramirez MV Agusta Forward Team MV Agusta a 23.218
18 18 Manuel Gonzalez Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex a 24.179
19 5 Romano Fenati Lightech Speed Up Boscoscuro a 25.133
20 19 Lorenzo Dalla Porta Italtrans Racing Team Kalex a 26.954
21 12 Filip Salac Gresini Racing Moto2 Kalex a 27.678
22 2 Gabriel Rodrigo Pertamina Mandalika SAG Team Kalex a 29.548
23 84 Zonta Van Den Goorbergh RW Racing GP Kalex a 31.773
24 61 Alessandro Zaccone Gresini Racing Moto2 Kalex a 32.436
25 28 Niccolò Antonelli Mooney VR46 Racing Team Kalex a 33.974
4 Sean Dylan Kelly American Racing Kalex a 3 Voltas – Câmbio
96 Jake Dixon Autosolar GASGAS Aspar Team Kalex a 4 Voltas – Danos por acidente
81 Keminth Kubo Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex a 9 voltas – acidente
24 Simone Corsi MV Agusta Forward Team MV Agusta a 12 voltas – acidente
7 Barry Baltus RW Racing GP Kalex Não Largou

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da Indonésia – Moto 3 – Mundial de Motovelocidade 2022

GP da Indonésia – A Volta depois de 26 anos

Após 26 anos, o mundial de motovelocidade voltou para a Indonésia, após a última corrida, no circuito de Sentul em 1996. Agora, as três categorias correram no circuito de Mandalika, que demorou 3 anos para ser construído e entrou em operações em Novembro do ano passado. Localizado na região central de Lombok, em West Nusa Tenggara.

Nos treinos livres, os pilotos tiveram que aprender em um terreno que não conheciam. Isso proporcionou muitas surpresas. Uma foi que vários pilotos da primeira parte do grid foram para a repescagem, entre eles estava Sergio Garcia da Gas Gas, vice-líder do Mundial, Tatsuki Suzuki da Leopard Racing, Xavier Artigas da CF Moto e Kaito Toba, 3ºcolocado do Mundial. 4 pilotos dos 14 iriam do Q1 para o Q2.

Sergio Garcia e Daniel Holgado não se deram bem e abortaram sua primeira. Ao contraio do piloto indonésio Mario Aji, em sua primeira volta acabou passado para a liderança, com 1:42.604. A pista ainda estava molhada e os tempos iriam naturalmente melhorar. Os japonês Tatsuki Suzuki, Kaito Toba e Ryusei Yamanaka completam os 4 primeiros colocados.

Ainda com 10 minutos de sessão pela frente, Aji em nova tentativa de volta, vai para a brita na curva 12, Já Sergio Garcia cai segundos depois. Passa a ser um drama para o piloto da Gas Gas que consegue se levantar e levar a sua moto até os boxes. Enquanto a equipe Aspar Martinez repara a moto do piloto espanhol, Daniel Holgado faz uma bela volta, passa para a segunda posição a 9 minutos e meio do final da sessão.

Na metade da Sessão, Lorenzo Ferron que ainda esta em busca do primeiro ponto na sua carreira chega a ocupar a 2ªposição, mas acaba superado por Tatsuki Suzuki 15 segundos depois. Porém, o tempo do piloto da Leopard Racing (1:43.137) é meio segundo mais lento que o tempo de Aji, o líder do Q1.

Sergio Garcia volta a pista 5 minutos do final. Pouco depois, Kaito Toba caiu e abandonou a sessão. Nesse momento, só ele e Suzuki estavam na pista. O resto se preparava para uma última tentativa nos minutos finais.

Enquanto os pilotos começavam a sair para a pista pela última vez, Suzuki melhorou o seu tempo, 1:43.008. Já Sergio Garcia faz o 7ºtempo, mas não era o bastante para o piloto da Gas Gas que partiu para a nova volta. Dessa vez, Garcia conseguiu o seu objetivo e passou da 7ª para a 2ªposição.

Já com o cronometro zerado, Joel Kelso melhorou seu tempo, mas ficou na 6ªposição. Todo mundo foi para a última volta. O primeiro a melhorar a volta foi Stefano Nepa, passando para a 4ªposição, mas o piloto da MTA foi engolido por Xavier Artigas e Alberto Surra que melhoraram no final, deixando o piloto italiano sem a vaga para o Q2, assim como Tatsuki Suzuki que terminou ficando na 6ªposição.

Sergio Garcia ainda teve tempo para fazer uma última volta para tomar a liderança do Q1, marcando o tempo de 1:42.302. Com o piloto da Gas Gas, também se classificaram Mario Aji da Honda Asia Team em excelente participação durante toda a sessão, Xavier Artigas da CF Moto e Alberto Surra da Snipers.

Resultado do Q1:

pos piloto Equipe Moto Tempo
1 11 Sergio Garcia Valresa GASGAS Aspar Team GasGas 01’42.302
2 64 Mario Suryo Aji Honda Team Asia Honda 01’42.604
3 43 Xavier Artigas CFMOTO Racing PruestelGP CFMoto 01’42.614
4 67 Alberto Surra Rivacold Snipers Team Honda 01’42.637
5 96 Daniel Holgado Red Bull KTM Ajo KTM 01’42.973
6 24 Tatsuki Suzuki Leopard Racing Honda 01’43.008
7 82 Stefano Nepa Angeluss MTA Team KTM 01’43.079
8 66 Joel Kelso CIP Green Power KTM 01’43.163
9 20 Lorenzo Fellon Sic58 Squadra Corse Honda 01’43.192
10 22 Ana Carrasco BOE SKX KTM 01’43.776
11 6 Ryusei Yamanaka MT Helmets – MSI KTM 01’43.831
12 87 Gerard Riu Male BOE SKX KTM 01’44.390
13 70 Joshua Whatley VisionTrack Racing Team Honda 01’44.478
14 27 Kaito Toba CIP Green Power KTM 01’44.658

No Q2, a pista parece melhor e mais seca. Porém, continuava complicada. Era o cenário para a fase final da classificação. Todo mundo foi para a pista assim que o cronometro foi disparado. Assim que os pilotos partiram para a 1 volta rápida, 3 pilotos foram para o chão na curva 2: Primeiro foi o italiano Ricardo Rossi da SIC58, depois caíram Scott Ogden e Matteo Bertelle, os dois que estreiam na categoria.

Embalado com o ótimo Q1, Mario Aji fez o primeiro tempo na sua primeira volta, seguido de Ayumu Sasaki da Husqvarna, Deniz Oncü da Tech 3 e Dennis Foggia da Leopard, com 4 minutos de sessão.

Na volta seguinte, Mario Aji elevou o tempo da pole para perto da casa do 1 minuto e 51 segundos. O tempo de 1 :52.051. Sasaki volta a ser o segundo, Dennis Foggia sobe para terceiro, seguido de Andrea Migno e Carlos Tatay completando os 5 primeiros colocados.

Mario Aji continuou firme e forte na ponta da tabela, até que Carlos Tatay passa a frente a 8 minutos do final, ao marcar 1:42.022. Ayumi Sasaki vinha em grande volta, podendo passar para a ponta, mas acabou indo para os boxes, assim como outros pilotos foram para os boxes na metade da sessão. Dennis Foggia foi para o chão a 7 minutos do final e complicou sua situação no Q2.

Com 7 minutos pela frente: Carlos Tatay da CF Moto, Mario Aji da Honda Asia Team e Izan Guevara da Gas Gas estavam compondo a primeira fila. Sasaki vinha na 4ªposição, seguido de Dennis Foggia, Diogo Moreira, Xavier Artigas, Andrea Migno, Iván Ortolá e Deniz Onçü. Por causa da Queda que sofreu, Ricardo Rossi foi para o hospital fazer check-up e acabou deixando a classificação.

Tatay, Artigas e Bertelle foram os primeiros a irem para a pista para a derradeira tentativa de volta. A 3 minutos do final, todos estavam na pista, com exceção do Rossi (No Hospital) e Scott Ogden que não conseguiu marcar volta no Q2.

Sergio Garcia já estava na pista a algum tempo e acabou melhorando sua posição, a 2:40 do final o piloto da Gas Gas saiu da 13ª para a 6ªposição. A 40 segundos do final, Carlos Tatay e Xavier Artigas passam a ser os dois primeiros colocados. Ótimo dia para os pilotos da CF Moto, mas a classificação poderia mudar.

A 20 segundos do final, Dennis Foggia se recupera da queda e marca o 3ºtempo. Em brilhante volta, Diogo Moreira passou para a segunda posição, a 83 milésimos de Carlos Tatay. A pole acabou indo para as mãos do espanhol pela primeira vez na carreira, com um novo projeto de moto e uma equipe em reconstrução, finalmente Tatay começa a mostrar que não quer mais ser uma promessa para se tornar uma realidade na Moto 3 e no mundial de Motovelocidade.

Diogo Moreira teve uma atuação excelente e leva a MT Helmets para a segunda posição no grid de largada, logo na segunda participação da sua carreira e da equipe na Moto 3. Para completar a diferente primeira fila, o dono da casa, Mario Aji conseguiu voltar a primeira fila no final da sessão, um grande resultado e uma grande posição de largada para um novato.

Xavier Artigas da CF Moto abre a segunda fila, em última quarta posição. Vão compor essa fila 2 pilotos com moto da Honda: O líder do campeonato Andrea Migno da Snipers e o espanhol Dennis Foggia da Leopard Racing. Os dois pilotos da Gas Gas, Sergio Garcia e Izar Guevara larga na 7ª e 8ªposições. Completando os 12 primeiros lugares: O Turco Deniz Oncü da Tech 3, Ayumu Sasaki da Husqvarna, Jaume Masia da KTM Ajo, Alberto Surra da Snipers e Elia Bartolini da Avintia.

Grid de Largada:

pos piloto Equipe Moto Tempo
1 99 Carlos Tatay CFMOTO Racing PrustelGP CFMoto 01’41.232
2 10 Diogo Moreira MT Helmets – MSI KTM 01’41.315
3 64 Mario Suryo Aji Honda Team Asia Honda 01’41.567
4 43 Xavier Artigas CFMOTO Racing PruestelGP CFMoto 01’41.585
5 16 Andrea Migno Rivacold Snipers Team Honda 01’41.594
6 7 Dennis Foggia Leopard Racing Honda 01’41.674
7 11 Sergio Garcia Valresa GASGAS Aspar Team GasGas 01’41.811
8 28 Izan Guevara Valresa GASGAS Aspar Team GasGas 01’41.830
9 53 Deniz Öncü Red Bull KTM Tech 3 KTM 01’42.203
10 71 Ayumu Sasaki Sterilgarda Husqvarna Max Husqvarna 01’42.268
11 5 Jaume Masia Red Bull KTM Ajo KTM 01’42.391
12 67 Alberto Surra Rivacold Snipers Team Honda 01’42.398
13 23 Elia Bartolini QJMOTOR Avintia Racing Team KTM 01’42.838
14 48 Ivan Ortola Angeluss MTA Team KTM 01’42.878
15 54 Riccardo Rossi SIC58 Squadra Corse Honda 01’43.129
16 18 Matteo Bertelle QJMOTOR Avintia Racing Team KTM 01’43.396
17 31 Adrian Fernandez Red Bull KTM Tech 3 KTM 01’43.760
18 19 Scott Ogden VisionTrack Racing Team Honda Sem Tempo
19 96 Daniel Holgado Red Bull KTM Ajo KTM 01’42.973
20 24 Tatsuki Suzuki Leopard Racing Honda 01’43.008
21 82 Stefano Nepa Angeluss MTA Team KTM 01’43.079
22 66 Joel Kelso CIP Green Power KTM 01’43.163
23 20 Lorenzo Fellon Sic58 Squadra Corse Honda 01’43.192
24 22 Ana Carrasco BOE SKX KTM 01’43.776
25 6 Ryusei Yamanaka MT Helmets – MSI KTM 01’43.831
26 87 Gerard Riu Male BOE SKX KTM 01’44.390
27 70 Joshua Whatley VisionTrack Racing Team Honda 01’44.478
28 27 Kaito Toba CIP Green Power KTM 01’44.658

A categoria inicial do Mundial de Motovelocidade foi a única que teve a totalidade das voltas, muito por causa da menor velocidade das motos de 250cc.
Infelizmente, as coisas saíram de rumo para o brasileiro Diogo Moreira, que largaria na segunda posição, mas que perdeu essa posição, por causa de problemas Técnicos que teve na sua moto KTM. Com isso, Moreira foi para o final do Grid.

Na largada, Carlos Tatay não conseguiu manter a ponta. Sergio Garcia assumiu a 1ªposição com sua Gas Gas, seguido de Andrea Migno, Dennis Foggia, Carlos Tatay, Izan Guevara e Xavier Artigas.

Garcia ficou na frente até o final da 1ªvolta, foi quanto Andrea Migno passou Sergio Garcia e assumiu a ponta da prova e Foggia vai junto para não só a segunda posição, mas também para atacar Migno. Na 2ªVolta, Foggia chega a superar o piloto da Snipers, mas perde espalha na curva e recua para a 5ªposição. Nessa mesma volta, Iván Ortolá e Alberto Surra  deixaram a prova por causa de queda.

Após 2 voltas, Izar Guevara vinha na liderança. Enquanto isso, seu companheiro Sergio Garcia tentou a ponta, mas se precipitou da 3ª para a 7ªposição. Na 4ªVolta, Dennis Foggia supera Andrea Migno, volta a ser o segundo colocado e vai a busca da liderança que estava nas mãos do Guevara lá na frente. Já Migno acabou sendo pressionado por Carlos Tatay que tentou a ultrapassagem, mas acabou tomando no contra pé de Sergio Garcia e perdeu a 4ªposição.

Na 5ªVolta, Dennis Foggia assume a liderança após superar Izar Guevara, piloto da Gas Gas que foi superado por Andrea Migno que estava disposto a manter sua liderança no mundial, mas no final da 6ªvolta, os 2 pilotos da Gas Gas superaram Migno que quase foi ao chão.

A partir daquele momento, Foggia começou a abrir vantagem sobre a concorrência. Os dois pilotos da Gas Gas vinham tentando alcançar o piloto da Leopard Racing e se afastando de Migno, o piloto da Snipers estava mais perto de ser pressionado pelo segundo pelotão liderado por Tatay, Masia e Sasaki do que buscando um lugar no pódio.

Na metade da 7ªVolta (Na Curva 9), Tatay sai da pista e cai para a 9ªposição. Nesse momento, Foggia vinha 2.2 segundos de frente para Guevara e Sergio Garcia, os dois lutando pelo 2ºlugar. Essa briga acirrada entre os dois pilotos da Gas Gas fez com que Andrea Migno, Ayumu Sasaki e os demais pilotos começassem a chegar para disputarem a segunda posição.

Carlos Tatay que já vinha em situação difícil, acabou tomando 1 punição de volta longa, o que fez o piloto da CF Moto cair para a 14ªposição. Agora, eu achei a punição injusta, pois Tatay não saiu da pista pra cortar curva, mais sim porque errou e perdeu tempo e posições. Portanto, não se justificava a punição. Diogo Moreira abandonou a prova, sua moto não estava rendendo nada.

Na 9ªVolta, toque entre Migno e Garcia, mas sem grandes consequências para nenhum dos dois. Na volta seguinte, Migno superou o piloto da Gas Gas e subiu para a 3ªposição, Já Garcia acabou recuando na classificação, para a 6ªposição após ser superado por Sasaki e Masia. Outro piloto que deixou a corrida foi o espanhol Adrian Fernández da Tech 3.

Após 11 voltas completadas, Dennis Foggia abria 4 segundos de vantagem para Izar Guevara, que ainda tinha vantagem de 6 décimos do pelotão que lutava pela terceira posição, liderados por Andrea Migno e seguido por Jaume Masia, Sasaki, Garcia, Oncü e Holgado. O líder do 2ªpelotão era Stefano Nepa, na 9ªposição, mas logo foi superado foi o espanhol Xavier Artigas, outro piloto da CF Moto.

Sergio Garcia se recuperou e restabeleceu-se na terceira posição após superar Andrea Migno na 12ªvolta e começou a partir de novo pra cima de Izar Guevara, em uma nova rodada de disputa entre os dois pilotos da Gas Gas. Os dois abriram pequena vantagem sobre os demais do pelotão. Era um belo pega entre Izar Guevara e Sergio Garcia, mas tinha Andrea Migno se aproximando de novo do pelotão, além disso, tinha que se defender dos ataques da esquadrilha da fumaça da KTM, os pilotos Jaume Masia, Deniz Oncü e Daniel Holgado.

A 10 voltas do final, o pelotão chega nos pilotos da Gas Gas. Logo, Sergio Garcia toma o segundo lugar de Izar Guevara que também tomou passada de Masia, caindo para a 4ªposição. Izar Guevara não desistiu, recuperou a 3ªposição e logo depois, na 17ªvolta, Guevara passou Garcia na reta dos boxes e voltou para a segunda posição. Não só Guevara como também Andrea Migno da Snipers.

A posição de Guevara não durou muito, na curva 9, o piloto da Gas Gas erra e permite a Migno assumir a segunda posição. A partir dai, os dois travam duelo pela segunda posição. Essa batalha durou por algumas voltas, mas a 4 voltas do final, o pelotão chegou em cima dos dois.

Sergio Garcia conseguiu recuperar a 3ªposição em cima de Migno. A disputa era pela segunda posição, Já que Foggia estava 5.7 segundos a frente de Guevara, Migno, Garcia, Masia, Oncü e Carlos Tatay que chegou a ficar na 14ªposição após ter tomado a punição da volta longa.

A 3 voltas do final, Migno é tocado e acaba sendo superado por Masia, Oncü e Tatay, perdendo posições na hora errada. Tatay em incrível recuperação passa para a terceira posição a 1 volta e meia do final. No final da penúltima volta, Oncü e Masia se tocaram em briga pelas primeiras posições.

Na última volta, Foggia e Guevara tinham suas posições consolidadas. A briga era pelo 3ºlugar, Entre Tatay e Sergio Garcia. Na metade da volta derradeira, Ayumu Sakaki derrubou Andrea Migno, líder do campeonato que iria ver sua posição no campeonato ficar prejudicada (Sakaki seria punido para o GP da Argentina por essa manobra irresponsável).

Com toda a tranquilidade, Dennis Foggia vence o GP da Indonésia, em uma atuação espetacular do piloto da Leopard Racing. Com isso, Foggia, um dos favoritos ao título passou para a liderança do Mundial após essa vitória.

Izan Guevara da Gas Gas chega na segunda posição após brigar muito pela posição, principalmente contra seu companheiro de equipe onde travou belas disputas com Sergio Garcia. Por falar nele, a briga pelo pódio foi intensa entre Carlos Tatay e o próprio Sergio Garcia e só foi definida nas últimas curvas. Ao final, Tatay chegou em 3º e conquistou seu primeiro pódio na sua carreira, foi também o primeiro pódio da CF Moto e a volta da Pruestel GP ao pelotão da frente deixando Garcia na quarta posição na prova e na vice-liderança na classificação do mundial.

Em 5ºlugar, Deniz Oncü fez uma boa corrida, mas não foi o bastante para levar sua moto da Tech 3 KTM a brigar de fato pelo pódio. A Seguir, Xavier Artigas levou a outra moto da CF Moto para a 6ªposição. Quem deixou um pouco a desejar foi Jaume Masia, que tem uma moto de ponta e tem experiência o suficiente para almejar algo mais que a 7ªposição.

Elia Bartolini da Avintia em uma ótima 8ªposição, sendo um piloto discreto e que soube angariar bons pontos nessa difícil corrida, Daniel Holgado que chegou a flertar com as primeiras posições e Tatsuki Suzuki que ainda deixa a desejar a bordo da moto vencedora da Leopard Racing completaram os 10 primeiros colocados.

Um acidente nos últimos metros entre Stefano Nepa e Iván Ortogá acabou por tirar ambos da zona de pontuação. Isso possibilitou a Mario Aji concluir a corrida na 14ªposição, foram os primeiros pontos do piloto da casa no Mundial.

Resultado final do GP da Indonésia – Mundial de Motovelocidade
Mandalika – 2ªEtapa – Moto 3 – 23 Voltas

pos piloto Equipe Moto Tempo
1 7 Dennis Foggia Leopard Racing Honda 38’51.6680
2 28 Izan Guevara Valresa GASGAS Aspar Team GasGas a 2.612
3 99 Carlos Tatay CFMOTO Racing PrustelGP CFMoto a 3.639
4 11 Sergio Garcia Valresa GASGAS Aspar Team GasGas a 3.759
5 53 Deniz Öncü Red Bull KTM Tech 3 KTM a 3.870
6 43 Xavier Artigas CFMOTO Racing PruestelGP CFMoto a 4.962
7 5 Jaume Masia Red Bull KTM Ajo KTM a 5.289
8 23 Elia Bartolini QJMOTOR Avintia Racing Team KTM a 5.405
9 96 Daniel Holgado Red Bull KTM Ajo KTM a 5.533
10 24 Tatsuki Suzuki Leopard Racing Honda a 5.687
11 6 Ryusei Yamanaka MT Helmets – MSI KTM a 16.286
12 27 Kaito Toba CIP Green Power KTM a 16.921
13 19 Scott Ogden VisionTrack Racing Team Honda a 17.257
14 64 Mario Suryo Aji Honda Team Asia Honda a 24.626
15 18 Matteo Bertelle QJMOTOR Avintia Racing Team KTM a 24.809
16 20 Lorenzo Fellon Sic58 Squadra Corse Honda a 31.522
17 54 Riccardo Rossi SIC58 Squadra Corse Honda a 31.628
18 66 Joel Kelso CIP Green Power KTM a 32.204
19 22 Ana Carrasco BOE SKX KTM a 41.202
20 70 Joshua Whatley VisionTrack Racing Team Honda a 48.013
21 87 Gerard Riu Male BOE SKX KTM a 48.090
71 Ayumu Sasaki Sterilgarda Husqvarna Max Husqvarna a 1 Volta – Acidente
16 Andrea Migno Rivacold Snipers Team Honda a 1 Volta – Acidente
82 Stefano Nepa Angeluss MTA Team KTM a 1 Volta – Acidente
67 Alberto Surra Rivacold Snipers Team Honda a 6 Voltas – Acidente
31 Adrian Fernandez Red Bull KTM Tech 3 KTM a 13 Voltas – Motor
10 Diogo Moreira MT Helmets – MSI KTM a 15 Voltas – Mecânico
48 Ivan Ortola Angeluss MTA Team KTM a 16 Voltas – acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP