GP da Itália – MotoGP – Mundial de Motovelocidade 2022

Tudo pronto para a Classificação em Mugello. Porém, a chuva apareceu a partir do 2/3 do 4ºtreino livre, um fator que complicaria muito a situação para a disputa da pole position. Todas as cartas ficaram mais e mais embaralhadas.

Com 26 pilotos, o GP da Itália será a etapa com maior competidora nesse ano na categoria principal. Os pilotos Michele Pirro com a Aprilla e Lorenzo Savadori da Aprilla eram os convidados desse final de semana.

Todo mundo foi para a pista de imediato. Com 4:20 de sessão, começou os primeiros tempos a serem marcados. Os pilotos Miguel Oliveira da KTM e Jack Miller da Ducati saíram na frente, seguido de Fabio di Giannantonio, Joan Mir e Michele Pirro.

Na segunda tentativa, Marc Marquez, o Formiga atômica marcou o 4ºtempo, mas logo foi superado por Joan Mir. A 8:35 do final, Franco Morbidelli faz uma boa volta e passa a ser o terceiro colocado. A pista começaria a melhorar, foi o bastante para Brad Binder marcar o tempo de 1:52.402. O guepardo sul-africano colocou 3 segundos no segundo colocado, mas foi a senha para os demais partirem para novas voltas rápidas.

Jack Miller foi para os boxes e troca de moto e volta a pista. Certamente com uma moto ajustada para uma pista mais seca ou menos molhada. Com menos de 4 minutos do final do Q1, Michele Pirro faz um tempo próximo da marca de Binder e sobe para segundo.

Mas nada estava decidido pois Marc Marquez, Jack Miller e Fabio di Giannantonio lutam na pista pela melhor volta, nessa disputa foi o piloto da Honda que levou a melhor e assumiu a liderança a 2:10 do final (1:48.843). Miller passou para segundo e Di Giannantonio vinha em 3º. Michele Pirro foi para 4º, todos eles tinham uma chance ainda de marcar uma volta rápida. Binder e Remy Gardner completavam os 6 primeiros.

Nos segundos finais, Marc Marquez e Jack Miller disputavam o melhor tempo mais uma vez e mais uma vez foi o piloto da Honda que levou a melhor sobre seu adversário, com 1:48.240 contra 1:48.318 do piloto da Ducati, mas veio um furação chamado Fabio di Giannantonio com sua Ducati de 2021 e colocou os cronômetros abaixo a 20 segundos do final, com 1:47.649.

Ainda havia uma última chance para todos, mas para Brad Binder a classificação acabou, o 3ºlugar marcado o tirava do Q2. Quem tinha alguma esperança de passar era o companheiro de Brad Binder, o português Miguel Oliveira foi para 2º com 1:48.231. Nos momentos finais, Fabio di Giannantonio com 1:47.219 e Marc Marquez com 1:47.294 acabaram com as 2 primeiras posições e terminaram com as vagas na repescagem. Jack Miller e Michele Pirro ficaram pelo caminho, assim como todo o resto do pelotão… Miguel Oliveira, Brad Binder até o italiano Andrea Dovizioso da RNF Racing.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’47.219
2 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 01’47.294
3 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’47.621
4 51 Michele Pirro Aruba.it Racing Ducati 01’48.209
5 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’48.231
6 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’48.255
7 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’48.732
8 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’48.846
9 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’48.907
10 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’49.471
11 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’50.266
12 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia 01’50.270
13 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’55.369
14 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’56.479
15 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’57.106
16 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’57.671

Durante o intervalo entre o Q1 e o Q2, Raios e trovões caíram antes da decisão da pole position, mas esses raios eram o pressagio ruim para um dos pilotos da Honda. Alguns pilotos ficaram esperando o cronometro disparar para entrarem na pista, inclusive Marc Marquez.

Na curva 2, Marquez cai de forma muito estranha e sua moto vazou combustível e ela chegou a pegar fogo por alguns momentos. Todo o combustível acabou vazando naquele local e foi inevitável que a direção de corrida acabou acionando a bandeira vermelha a 13:50 do final da sessão. O Acidente que Marc Marquez teve foi fundamental para a decisão dele mesmo de operar o ombro pela 4ªvez, mas nesse caso seria nos Estados Unidos que iria acontecer essa operação. Só esperamos que Marc Marquez volte a esta em plena forma o mais rápido possível.

Após quase 20 minutos, a sessão recomeçou com os pilotos da VR46 e Fabio Quartararo como os primeiros a partirem para a pista. Marc Marquez saiu com 2 minutos e meio de sessão, mas voltou para os boxes, estava sem confiança nenhuma.

Após a primeira volta, Fabio di Giannantonio marcou 1:49.124 e saiu na frente, seguido do Nipônico Takaagi Nakagami da LCR Honda e de Johann Zarco da Pramac. A tendência era a melhora das voltas a medida que a pista melhorasse.

Fabio di Giannantonio melhora seu tempo para 1:41.163, colocando 1 segundo de Marco Bezzecchi e 1.4 segundos sobre Luca Marini. O piloto da Gresini vinha muito forte como nunca esteve na sessão de classificação. A 6:15 do final, Fabio di Giannantonio coloca o tempo mais para baixo ainda, com 1:46.907. Marco Bezzecchi chegou a se posicionar na 2ªposição, a meio segundo do líder. Porém, Francesco Bagnaia passou o piloto da VR46 ao marcar o tempo de 1:47.305.

A 5 minutos do final, Marc Marquez cria corarem de voltar para a moto para tentar algo mais do que a 12ªposição. Marco Bezzecchi retornou a segunda posição a 4:35 do final, com o tempo de 1:47.220, mas ainda assim longe do tempo de Fabio di Giannantonio.

A liderança só mudou de mãos após uma brilhante volta de Johann Zarco (1:46.875) que o levou para a liderança a menos de 3 minutos do final. Era a primeira vez que di Giannantonio estava atrás de alguém de um pouco na sessão.

A 45 segundos do final, Peppo Bagnaia assumia a primeira posição ao marcar 1:46.471, deixando Zarco para trás. Luca Marini, Fabio Quartararo e Takaagi Nakagami fizeram boas voltas e passaram a 3ª,4ª e 5ªposições. A menos de 30 segundos do final, Fabio di Giannantonio recuperou a pole ao marcar 1:46.410.

Depois do cronometro zerado, Marco Bezzecchi e Luca Marini passaram as duas primeiras posições. A VR46 tinha tudo para levar a pole position, logo em um GP da Itália, na casa de Valentino Rossi. Mais no último momento, Fabio di Giannantonio tomou a liderança e conquistou a primeira pole na categoria principal. Um resultado que nem em nenhuma das 7 primeiras corridas do ano Fabio chegou perto de conseguir isso. Um brilhante resultado do piloto e da equipe Gresini que vem fazendo uma temporada surpreendente.

A primeira fila será completada pelos dois pilotos da VR46, Marco Bezzecchi com a moto Ducati de 2021 superou Luca Marini com a Ducati de 2022. A primeira fila era teoricamente quase impossível de acontecer, mas na MotoGP, uma equipe satélite tem totais condições de brigar por uma vitória.

Johann Zarco vai abrir a segunda fila com sua Ducati Pramac de 2022, o francês vai estar na frente de Francesco Bagnaia da equipe oficial da Ducati. Peppo busca se recuperar da queda do GP da França. Fabio Quartararo completa a segunda fila, em busca da defesa da liderança do Mundial da MotoGP.

Aleix Espargaró, o adversário de Quartararo vai largar na 7ªposição. O representante da Aprilla vai comandar a 3ªfila e terá a companhia de Takaagi Nakagami da LCR Honda e de Pol Espargaró da Honda Repsol.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’46.156
2 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’46.244
3 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’46.327
4 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati 01’46.383
5 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 01’46.471
6 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’46.506
7 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 01’46.507
8 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’46.561
9 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’46.667
10 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 01’46.679
11 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati 01’47.223
12 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 01’47.468
13 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’47.621
14 51 Michele Pirro Aruba.it Racing Ducati 01’48.209
15 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’48.231
16 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’48.255
17 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’48.732
18 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’48.846
19 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’48.907
20 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’49.471
21 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’50.266
22 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia 01’50.270
23 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’55.369
24 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’56.479
25 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’57.106
26 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’57.671

Após um sábado de gloria para Fabio di Giannantonio, no domingo, outro piloto italiano fez a festa da torcida em Mugello. Francesco Bagnaia venceu pela segunda vez na temporada de 2022. A pista estava seca e ideal para a disputa das 23 voltas da etapa de Mugello.

Di Giannantonio tentou manter a liderança após a largada, mas só conseguiu isso por algumas curvas, Luca Marini tomou a liderança na 3ªcurva e na curva 11, Marco Bezzecchi passou o piloto da Gresini e completou a dobradinha da VR46 no complemento da 1 volta em Mugello. Di Gianntonio vinha em 3º, Aleix Espargaró passou Fabio Quartararo e assumiu a 4ªposição. Zarco, Brad Binder, Nakagami, Bagnaia e Marc Marquez completavam os 10 primeiros colocados.

A VR46 vivia seu momento de sonhos na MotoGP, com seus dois pilotos nas 2 primeiras posições. Já Quartararo recuperou o 4ºlugar que tinha perdido para Aleix e passou a lutar pela terceira posição com Fabio di Giannantonio. O piloto francês acabou superado o piloto da Gresini que não desistiu sem lutar, criou alguma resistência, tentou dar o troco, mas em poucas curvas, o francês contornou a situação e assumiu em definitivo a terceira posição. Partindo para cima dos pilotos da VR46. Praticamente na mesma volta, Bagnaia supera Aleix e sobe para a 5ªposição.

Começando a 4ªVolta, Fabio Quartararo vai para cima de Luca Marini, a ultrapassagem foi conseguida no meio da volta, subindo para a segunda posição, Peppo Bagnaia passou Fabio di Giannantonio no final da volta e já vinha na 4ªposição.

Bagnaia passa a atacar Quartararo e Marini, os três disputando a segunda posição. Quem se aproveitava era Marco Bezzecchi, que já abria 7 décimos dos 3. Pol Espargaró caiu na segunda metade da 5ªVolta (curva 9), foi o primeiro a deixar a corrida.

Na 6ªVolta, Peppo Bagnaia passou por Marini e Quartararo, pulando para a segunda posição. Na 7ªVolta, Aleix Espargaró superou Fabio di Giannantonio. Era natural que o novato da Gresini não conseguisse se segurar muito tempo nas primeiras posições.

Na 8ªvolta, Peppo Bagnaia foi para cima de Marco Bezzecchi. A disputa pela liderança durou por uma volta. Até que na 9ªvolta, Bagnaia supera o piloto da VR46 e assume a liderança. Praticamente ao mesmo tempo, Joan Mir (8ªvolta) e Alex Rins (9ªvolta) caíram e abandonaram a corrida. A Suzuki vive uma crise nesse momento da temporada.

Marc Bezzecchi estava na segunda posição, a frente de Fabio Quartararo que ainda tinha esperanças de lutar pela vitória, Luca Marini e Aleix Espargaró. Enea Bastianini partiu para cima de Johann Zarco, era mais uma batalha entre a Ducati de 2022 e a Ducati de 2021 pela 6ªposição.

Ainda com pretensões de vitória, Fabio Quartararo foi para cima de Marco Bezzecchi. Na segunda metade da 11ªvolta, o francês supera Bezzecchi. Porém, o piloto da VR46 não estava disposto a ceder tão facilmente a posição e foi tentar rever sua posição, mas Bezzecchi foi pego no contra pé pelo companheiro de equipe que acabou por superar o companheiro de equipe. Resultado de tudo isso foi que Marini passou a ser o terceiro colocado.

Bezzecchi luta com Marini nas 2 voltas seguintes e consegue recuperar a 3ªposição que estava nas mãos do seu companheiro de equipe. Bezzecchi ainda tentou superar Quartararo na reta, mas o francês manteve a 2ªposição. Aleix Espargaró e Enea Bastianini estavam chegando para a disputa. Mais atrás, os dois melhores pilotos da Honda na corrida, Marc Marquez e Takaagi Nakagami lutavam pela 11ªposição. Uma equipe que já teve várias temporadas dominadoras estava sofrendo no meio do pelotão.

A 10 voltas do final, Enea Bastianini vai para o chão na curva 2 e abandona. Peppo Bagnaia abriu 1 segundo sobre Quartararo e Bezzecchi que lutam pela segunda posição. Já Luca Marini perdeu a 4ªposição para Aleix Espargaró.

Na 17ªVolta, Marini foi superado por Johann Zarco da Pramac. Na mesma volta, na curva 10, Aleix Espargaró supera Marco Bezzecchi e entra no pódio, na terceira posição. As voltas finais, Bagnaia, Quartararo e Aleix Espargaró se consolidaram nas 3 primeiras posições. A única mudança de posição foi Johann Zarco tomando o 4ºlugar de Marco Bezzecchi a 4 voltas do final.

Francesco Bagnaia conquista a vitória no GP da Itália, um brilhante resultado para quem largou da 5ªposição, Peppo vinha de abandono no GP da França. A Moto Ducati de 2022 se mostra definitivamente competitiva para vencer corridas.

Na 2ªposição chegou Fabio Quartararo fez o que era possível ser feito, mesmo sem uma moto potente, o francês mostrou competência e levou mais uma vez a Yamaha as costas enquanto que os demais pilotos da marca não conseguem nenhum resultado significativo. Aleix Espargaró conquistou pela 4ªvez seguida o pódio com a Aprilla. O melhor momento da carreira do piloto e da marca na categoria principal.

Johann Zarco fez uma boa corrida de recuperação após uma largada ruim, o piloto da Pramac foi evoluindo na classificação até fechar o dia em uma boa 4ªposição.

Marco Bezzecchi e Luca Marini fizeram uma bonita corrida, ambos fizeram a alegria da torcida no começo da prova e mostraram que o investimento de Valentino Rossi nos dois pilotos foi acertado. Na reta  final, os dois perderam um pouco de terreno, mas nada que manche o belíssimo final de semana de Bezzecchi que ficou em 5º e de Luca Marini que completou a corrida na 6ªposição, seguido de perto por Brad Binder da KTM.

Takaaki Nakagami se deu melhor que Marc Marquez no duelo entre os dois melhores pilotos da Honda, além disso, chegou na frente de Miguel Oliveira e terminou o dia na 8ªposição. Marc Marquez fechou o Top 10. Agora o formiga atômica vai para a cirurgia e ficava fora das pistas por tempo indeterminado.

Fabio di Giannantonio fez um ótimo sábado, mas o seu domingo acabou não sendo tão bom assim, muito pela sua falta de experiência em correr na parte da frente da corrida. Fabio foi tentando se preservar na zona de pontuação e conseguiu, no final, salvou a 11ªposição, fechando a 1 milésimo de segundo a frente de Marevick Viñales.

Em 13º, Jorge Martin fez mais uma corrida bem abaixo da média, assim como a corrida fraquíssima de Jack Miller, o 15ºcolocado, fechando a zona de pontuação, algo que é inadmissível para um  piloto da equipe Oficial da Ducati. Alex Marquez ficou entre o Martin e Miller, na 14ªposição.

Resultado Final da 8ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Itália – Mugello – Bugatti – 23 Voltas – MotoGP

pos piloto equipe moto tempo
1 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 41’18.9230
2 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 0.635
3 41 Aleix Espargaró Aprilia Racing Aprilia a 1.983
4 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati a 2.590
5 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati a 3.067
6 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati a 3.875
7 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM a 4.067
8 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 10.944
9 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM a 11.256
10 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda a 11.800
11 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati a 12.916
12 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia a 12.917
13 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati a 17.240
14 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda a 17.568
15 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati a 17.687
16 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 20.265
17 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 20.296
18 51 Michele Pirro Aruba.it Racing Ducati a 21.305
19 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM a 30.548
20 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 31.011
21 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM a 42.723
22 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia a 1 volta
23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati a 10 voltas
36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 16 voltas
42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 16 voltas
44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda a 19 voltas

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da França – MotoGP – Mundial de Motovelocidade 2022

A repescagem começa com 14 pilotos buscando as 2 vagas para o Q2, Os primeiros a entrarem na pista são Joan Mir, Alex Marquez e os dois pilotos da VR46. Os pilotos da casa, Fabio Quartararo e Johann Zarco estavam na espera para chegar o Q2, onde ambos se garantiram automaticamente após 3 sessões de treinos livres.

Com 2 minutos de sessão, todo mundo já estava dentro do traçado de Le Mans Bugatti. Com 3:20 de sessão, Joan Mir foi o primeiro a marcar tempo, com 1:31.637 e ficou na frente por 20 segundos, foi quando Jorge Martin marcou 1:31.380. Brad Binder da KTM vinha na terceira posição.

A sessão ainda estava no começo e todo mundo estava disposto a desbancar Martin e Mir dos 2 primeiros lugares. Com 1/3 de sessão percorrida, Joan Mir melhora sua marca e vai para a ponta (1:31.252) seguido de Marco Bezzecchi da VR46 (1:31.287). 15 segundos depois, Jorge Martin voltou a ser o mais rápido e voltou a ponta com 1:31.138.

Metade da sessão percorrida, Martin e Mir vinham classificando para o Q2. O piloto da Suzuki foi para a pista pela segunda vez. Outros pilotos antecipam a volta para a pista. Todos eles cobiçavam as posições dos dois primeiros colocados.

Os tempos lá na frente não abaixam até que Mir acertou uma belíssima volta de 1:30.933 e volta a ficar na liderança, a menos de 3 minutos do final. Marco Bezzecchi chegou a ameaçar a segunda posição, mas perdeu tempo e não conseguiu melhorar sua volta a 50 segundos do final.

A 40 segundos do final, Jorge Martin melhora bastante sua marca. O tempo de 1:39.804 fez o piloto da Pramac voltar em definitivo para a primeira posição. Joan Mir teve de esperar até o final para ter sua vaga garantida. Marco Bezzecchi fez uma última tentativa, foi muito rápido, mas ficou a 7 milésimos do tempo do piloto da Suzuki e vai ter de partir da 13ªposição. Marevick Viñales melhorou no final e ficou em 4º seguido de Luca Marini da VR46.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 89 Jorge Martin Pramac Racing Ducati 01’30.804
2 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’30.933
3 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’30.940
4 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’31.271
5 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’31.363
6 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’31.487
7 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’31.547
8 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’31.610
9 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’31.617
10 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’31.618
11 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’31.763
12 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’31.820
13 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’32.596
14 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’32.767

A hora dos pilotos da casa entrarem em cena finalmente tinha chegado, Quartararo e Zarco tinham a missão de conquistar a vitória em casa, mas nada disso seria fácil diante da velocidade de Francesco Bagnaia e Jack Miller, além do rápido e instável Jorge Martin e do surpreendente Enea Bastianini da Gresini, última das equipes com moto da Ducati.

Aleix Espargaró, Takaagi Nakagami e Joan Mir foram os primeiros a entrarem na pista, sem o favoritismo dos pilotos da Ducati e dos franceses. Com 3 minutos e 20 segundos de sessão, o principal piloto da Aprilla foi o primeiro a marcar tempo, mas logo foi superado por Joan Mir.

A pole do piloto da Suzuki durou pouco, os favoritos detonaram seu tempo, a começar com a marca de 1:30.910 de Francesco Bagnaia e com Quartararo indo para segundo, e Rins passou para terceiro.

Com quase 1/3 de sessão, Aleix Espargaró melhorou sua marca e levou a Aprilla até a segunda posição, mas o fosso entre ele e Francesco Bagnaia aumentou, o piloto da Ducati marcou 1:30.699. Seria difícil arrancar a liderança de Bagnaia, mas não impossível como mostrou Fabio Quartararo, a 9 minutos do final, o piloto da Yamaha marcou 1:30.688 e passou a liderar a sessão. Jorge Martin que marcou o terceiro tempo, já vinha a quase 4 décimos dos 2 primeiros colocados. Assim como em Jerez, Quartararo e Bagnaia polarizavam a briga pela pole position.

Enquanto a maioria dos pilotos foram para os boxes, Enea Bastianini foi para uma terceira tentativa e acabou sendo válida, até porque o piloto da Gresini marcou o 5ºtempo, na segunda fila, entre Aleix Espargaró e Johann Zarco da Pramac.

A 6 minutos do final, os pilotos começaram a sair para a 2ª e última tentativa de tirar Quartararo da pole position. Teoricamente somente os pilotos da Ducati poderiam tirar a pole do piloto da Yamaha e de um dos pilotos da casa. Dispostos a fazer dobradinha, Bagnaia e Miller vão na frente para usarem melhor a potência de suas motos.

Miller que estava na 7ªposição passou Zarco a 3:10 do final, mas 10 segundos depois, Zarco fez uma grande volta e pulou para a 3ªposição. Porém, Enea Bastianini acaba fazendo tempo (1:30.711) muito melhor que o piloto da Pramac e toma a terceira posição, com uma Ducati de 2021 que se mostra muito competitiva, mesmo com 1 ano de defasagem.

A menos de 2 minutos do final, Peppo Bagnaia com 1:30.450 e Jack Miller com 1:30.519 cumpriram sua missão e colocaram a moto oficial da Ducati nas duas primeiras posições. No final da sessão, Aleix Espargaró chegou a ameaçar esse domínio da Ducati, mas acabou perdendo um pouco de tempo, o suficiente para não alcançar algo além do 3º.

Francesco Bagnaia acabou conquistando a pole pela segunda vez na temporada e que se esperava do piloto que conquistasse a sua segunda vitória da temporada para entrar de vez na disputa pelo campeonato. Jack Miller completa a dobradinha da Ducati com a segunda posição. O australiano que deve sair da equipe italiana ao final da temporada. Aleix Espargaró leva a Aprilla mais uma vez a 3ªposição, fechando a primeira fila.

Os franceses Fabio Quartararo e Johann Zarco não conseguiram ir além da 4ª e 6ªposições, ambos largam na 2ªfila com Enea Bastianini separando os 2. O líder do campeonato lutou bravamente com as deficiências da sua moto no quesito potência, mas nos outros quesitos, Fabio vem correspondendo muito bem.

A dupla da Suzuki fez um bom trabalho, Mir veio do Q1 e vai largar em 7º, seguido de Rins e de Jorge Martin que deixou a desejar com o 9ºlugar. Fechando os 12 primeiros colocados, os 3 pilotos da Honda que parece viver uma séria crise de gestão de equipamentos e de pilotos. Marc Marquez fica na frente de Pol Espargaró e Takaagi Nakagami mesmo sem estar em plena forma física. Fica claro que a marca japonesa estava totalmente dependente do formiga atômica.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 01’30.450
2 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’30.519
3 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 01’30.609
4 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’30.688
5 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 01’30.711
6 5 Johann Zarco Pramac Racing Ducati 01’30.863
7 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’30.943
8 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’30.977
9 89 Jorge Martin Pramac Racing Ducati 01’31.068
10 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 01’31.148
11 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’31.526
12 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’31.595
13 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’30.940
14 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’31.271
15 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’31.363
16 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’31.487
17 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’31.547
18 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’31.610
19 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’31.617
20 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’31.618
21 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’31.763
22 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’31.820
23 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’32.596
24 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’32.767

Em Le Mans Bugatti, Enea Bastianini mais uma vez levou a Gresini a vitória, a terceira na temporada, algo impensável para uma equipe que tem dificuldades financeiras como era a equipe do saudoso Fausto Gresini. Uma luta de Davi e Golias e que acabou com o Davi levando a melhor.

A equipe oficial da Ducati tinha seus dois pilotos na 2 primeiras posições. Na largada, Jack Miller foi melhor e assumiu a liderança. Enea Bastianini fez uma belíssima largada, ganhando 3 posições e se posicionando na 2ªposição. Francesco Bagnaia recua para a 3ªposição, seguido dos dois pilotos da Suzuki, com Rins a frente de Mir. Nakagami, Aleix Espargaró que largou mal de novo, Quartararo, Marquez e Martin completando os 10 primeiros colocados. Johann Zarco também foi mal na largada, caindo para a 11ªposição.

No final da primeira volta, Quartararo foi para cima de Nakagami (que foi superado por Aleix curvas depois da largada) passou o piloto japonês que tentou dar o troco, nessa manobra audaciosa, Marc Marquez se aproveitou e passou ambos, assumindo a 7ªposição. Nakagami acabou sendo tocado e foi obrigado a cortar a curva 3 e 4. De forma consciente, os comissários não puniram o piloto japonês que recuou para a 9ªposição.

Lá na frente, Bastianini é superado por Bagnaia e Rins, caindo para a 4ªposição. No começo da 3ªVolta, Alex Rins escapa perto da chicane, atravessa toda a curva 3 e cai de maneira perigosa quando volta ao asfalto. Fim de corrida para o piloto espanhol. Dessa forma, Enea Bastianini volta a terceira posição.

Bagnaia partiu para cima de Miller e acabou voltando a liderança ao passar seu companheiro de equipe na metade da 4ªvolta. Outro que caiu foi o australiano Remy Gardner, criticado sem razão na Tech 3 pelos maus resultados. Acho que a Tech 3 não tem muita moral para reclamar do seu piloto, já que não dá um equipamento minimamente decente para seus dois pilotos.

Bagnaia busca abrir vantagem sobre Miller, Bastianini e Mir. Quem vinha rápido era Fabio Quartararo que estava buscando a posição de Aleix Espargaró, em disputa pela liderança do Mundial. Marc Marquez vinha em 7º e Nakagami era atacado por Johann Zarco em busca da recuperação na corrida. Na 7ªVolta, Raúl Fernández abandona com a outra moto da Tech 3, uma equipe que não esta dando equipamento competitivo aos seus pilotos. Com 9 voltas completadas, Zarco passo Nakagami, subindo para a 8ªposição.

Na 11ªVolta, Enea Bastianini partiu para o ataque sobre Jack Miller. Na volta seguinte, ocorreu a ultrapassagem do piloto principal da Gresini. Brilhante temporada de Enea, andando muitíssimo bem com sua Ducati de 2021.

Os pilotos franceses vinham buscando subir na tabela de classificação. Fabio Quartararo continuava a seguir Aleix Espargaró lutando pela 5ªposição e Johann Zarco se aproximava de Marc Marquez na luta pela 7ªposição. No final da 14ªVolta, Joan Mir cai na curva 13, final de corrida para a Suzuki. Aleix subiu para a 4ªposição, mas tinha Quartararo ainda na sua cola.

Marquez sofreia a pressão de Zarco, depois vinham Nakagami, Oliveira e Binder completando o Top 10. Martin, Pol, Marini, Viñales e di Giannantonio completavam a zona de pontuação. Na volta seguinte, enquanto Zarco conseguia a ultrapassagem sobre Marc Marquez, seu companheiro de equipe, Jorge Martin acabou caindo. Martin vem fazendo uma péssima temporada, essa foi a 5ªcorrida que ele não consegue terminar, seu lugar na Pramac começa a balançar bastante.

Bastianini foi para cima de Peppo Bagnaia a 10 voltas do final, numa batalha entre a equipe de fábrica e a Gresini, a menor equipe das filiais. Uma autentica batalha de Davi contra Golias na MotoGP. Jack Miller já estava longe dos dois primeiros e tentava manter uma certa vantagem para Aleix Espargaró e Fabio Quartararo.

A briga pela liderança teve seu ponto mais culminante a 7 voltas do final, quando chegaram na chicane, Bastianini superou Bagnaia e assumiu a ponta. 3 curvas depois, Peppo deu o troco e retornou a liderança. Parecia que a briga iria durar mais, mas na curva 8, a briga teve seu momento chave, quando Francesco Bagnaia erra a curva e permite a ultrapassagem de Enea Bastianini. Com o psicológico afetado, Bagnaia tentou chegar no piloto da Gresini, mas tudo que ele acabou achando foi o chão no final da 21ªvolta. Agora era caminho livre para Bastianini levar sua moto com cuidado para confirmar a vitória.

Jack Miller vinha em 2º, com uma distancia segura para Aleix Espargaró e Fabio Quartararo que brigam pelo último lugar no pódio nessas voltas finais. Zarco, Marc Marquez, Nakagami, Brad Binder, Miguel Oliveira e Pol Espargaró completavam o Top 10. Miguel Oliveira foi para o chão e perdeu sua decente posição a 3 voltas do final, a queda prejudicou Pol Espargaró que teve que desviar da moto caída e perdeu posições para Marini e Viñales, caindo para a 11ªposição.

Enea Bastianini leva sua Ducati de 2021 da Gresini para a terceira vez na temporada. Inimaginável antes de começar a temporada de 2022, uma equipe que tem dificuldades financeiras e com motos já superadas e com dois pilotos novatos, um tentando se consolidar e um estreante tinha tudo para dar errado. Ainda bem que na prática, a equipe do saudoso Fausto Gresini  esta obtendo sucesso com Bastianini que esta na disputa do título de 2022.

Jack Miller salva o dia da equipe oficial da Ducati com a 2ªposição. O Australiano ganhou a ponta no começo, mas não teve rendimento para lutar pela vitória. E na disputa entre Aleix e Quartararo levou a melhor o piloto da Aprilla. Aleix Espargaró sobe pela 3ªvez seguida no pódio. Algo que não aconteceu na sua carreira e muito menos com a Aprilla que finalmente começava a ter sucesso na categoria rainha do mundial. A liderança do mundial continua nas mãos de Fabio Quartararo, o francês fez uma boa corrida, tentou o pódio, mas o 4ºlugar não chega a ser ruim para o piloto da Yamaha.

Johann Zarco, outro francês do grid se recupera bem e acaba o dia na 5ªposição, se tivesse largado melhor poderia sim almejar até uma disputa de pódio com Aleix e Quartararo, ainda assim, salvou o dia da equipe Pramac, que esta contando bem mais com a contribuição do francês, já que Jorge Martin vem fazendo um ano pífio até agora. Marc Marquez mais uma vez foi o melhor piloto da Honda ao terminar o dia em 6ºlugar, logo a frente de Takaagi Nakagami da LCR Honda. O japonês obteve pela segunda vez um bom resultado.

Brad Binder fez o que era possível com a KTM, ficou em uma honrosa 8ªposição, seguido de Luca Marini da VR46 e Marevick Viñales da Aprilla que fecharam o Top 10. Pol Espargaró teve mais uma lamentável apresentação e não foi capaz de se quer ameaçar ficar a frente do piloto da equipe satélite da Honda. Ou seja, o 11ºlugar no GP da França é só mais uma na conta já pesada dos seus críticos.

Marco Bezzecchi da VR46, Fabio di Giannantonio em 13º, marcando seus 3 primeiros pontos na MotoGP pela Gresini, Alex Marquez da LCR Honda e lamentavelmente Franco Morbidelli fechando a zona de pontuação, com a mesma moto de Fabio Quartararo, o ítalo-brasileiro mal consegue pontuar, ficando a frente apenas de Andrea Dovizioso e Darryn Binder da problemática RNF Racing.

Resultado Final da 7ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da França – Le Mans – Bugatti – 27 Voltas – MotoGP

pos piloto equipe moto tempo
1 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 41’34.6130
2 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati a 2.718
3 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia a 4.182
4 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 4.288
5 5 Johann Zarco Pramac Racing Ducati a 11.139
6 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda a 15.155
7 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 16.680
8 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM a 18.459
9 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati a 20.541
10 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia a 21.486
11 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda a 22.707
12 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati a 23.408
13 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati a 26.432
14 73 Alex Marquez  LCR Honda CASTROL Honda a 28.710
15 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 29.433
16 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 38.149
17 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 59.748
88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM a 3 voltas – acidente
63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati a 7 voltas – acidente
89 Jorge Martin Pramac Racing Ducati a 11 voltas – acidente
36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 14 voltas – acidente
25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM a 21 voltas – acidente
42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 22 voltas – acidente
87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM a 24 voltas – acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da Espanha – MotoGP – Mundial de Motovelocidade 2022

Na MotoGP, Jerez marcou o primeiro e novo capitulo da rivalidade entre Francesco Bagnaia e Fabio Quartararo, a batalha que surgiu na 2ªmetade do campeonato do ano passado, mas em 2022 estavam em situações muito distintas. Enquanto que o francês vinha na liderança do campeonato, o piloto da Ducati não conseguiu se quer um pódio em 2022, mas isso iria mudar nesse final de semana.

Mas antes, ainda seria disputada a repescagem, onde estavam Johann Zarco e Alex Rins como os favoritos a conquistarem as 2 vagas para o Q2. A Suzuki anunciou que vai deixar o Mundial de Motovelocidade, uma notícia que caiu como uma bomba na MotoGP. Principalmente para uma equipe que conseguia o titulo de pilotos em 2020 com Joan Mir. Pior para os pilotos que pareciam que tinham a vida tranquila na equipe de Fábrica, mas que eram pegos de surpresa e que agora teriam que buscar um lugar para correrem em 2023.

Marco Bezzecchi foi o primeiro a entrar na pista e o último foi o espanhol Alex Rins da Suzuki, em um espaço de menos de 2 minutos. Disposto a uma recuperação de imagem na Honda, Pol Espargaró foi o primeiro a marcar uma volta (1:37.737) com 3 minutos e 30 segundos de sessão. Esse tempo só foi superado pelo sul-africano Brad Binder que marcou 1:37.544. Remy Gardner fez um bom terceiro tempo e Marco Bezzecchi na 4ªposição. Com 4 minutos e 40 de sessão, Alex Rins marca o terceiro tempo.

Disposto a tomar conta do Q1, Pol Espargaró melhora sua segunda volta (1:37.500) e passa a liderar novamente. Os outros adversários não conseguiram dobrar o piloto da Honda. Morbidelli e depois Zarco passaram para a 3ªposição a 9 minutos e meio do final.

Rins sentiu que poderia melhorar sua marca e entrar entre os 2 primeiros colocados e acabou conseguindo, a 8:50 do final, Rins marca 1:37.478 e passa a liderar a sessão. Na metade da sessão, todo mundo vai para os boxes. Os classificados eram Rins e Pol Espargaró, seguido de Brad Binder, Johann Zarco, Marco Bezzecchi e Fabio di Giannantonio.

Pol não quis esperar muito, a 7 minutos e 10 segundos do final, ele volta à pista para consolidar a classificação. 40 segundos depois, Miguel Oliveira sai para marcar sua primeira volta e quem sabe entrar na disputa.

Pol Espargaró marcou uma volta incrível, com 1:37.138 o piloto da Honda voltou a liderança e colocou uma boa frente para seus adversários. Porém, Marco Bezzecchi marca o tempo de 1:37.135 e se coloca na frente de Pol por 3 milésimos, a 3 minutos e 3 segundos do final do Q1. O piloto da VR46 acabou indo para o chão na volta seguinte.

Brad Binder acabou com sua volta cancelada por ter passado do limite da pista. Nos últimos momentos de Q1, Alex Rins tentou, mas não conseguiu passar da 3ªposição e acabou ficando de fora da fase final.

No apagar das luzes, Johann Zarco marca 1:37.003 e termina o Q1 na primeira posição, se classificando junto de Marco Bezzecchi da VR46. Os dois deixaram Pol Espargaró de fora do Q2, assim como o espanhol Alex Rins da Suzuki, Brad Binder da KTM e Franco Morbidelli da Yamaha oficial (Em péssima fase, partiria da 16ªposição na prova do domingo).

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 5 Johann Zarco Pramac Racing Ducati 01’37.003
2 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’37.135
3 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’37.138
4 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’37.401
5 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’37.544
6 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha 01’37.668
7 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP™ Ducati 01’37.882
8 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’37.889
9 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’37.910
10 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda 01’37.937
11 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’37.958
12 73 Alex Marquez LCR Honda Castrol Honda 01’38.014
13 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 01’38.064
14 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia 01’38.244
15 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 01’38.405

Seguindo para a fase final da classificação, Marco Bezzecchi foi o primeiro a ir para a pista seguido de Nakagami, Bastianini, Mir, Martin e Miller. A outra metade do postulantes a pole saiu no segundo minuto dos 15 habituais do Q2.

Jorge Martin acabou indo de cara para o chão na curva 1, com 2 minutos e meio de sessão. Esse vem sendo um ano muito ruim para Martin até esse momento. 1 minuto depois, Marco Bezzecchi marcou 1:38.054. o piloto da VR46 foi superado primeiro por Enea Bastianini e depois por Joan Mir (1:37.616). Vários pilotos não fizeram voltas rápidas.

Com 1/3 de sessão, vários pilotos vinham para fazer voltas rápidas. Joan Mir até tentou manter sua pole com 1:37.369, mas acabou sendo superado por Francesco Bagnaia a 8:55 do final, mas o tempo de 1:36.863 do piloto da Ducati e superado 5 segundos depois pelo francês Fabio Quartararo com 1:36.790.

Jack Miller, Marc Marquez e Johann Zarco fizeram boas marcas, mas todos foram superados por Aleix Espargaró que se colocou na 3ªposição. Porém, o piloto da Aprilla ficou a quase meio segundo de Quartararo e a 4 décimos de Bagnaia. Ao chegar até a metade da sessão, A briga pela pole parecia estar polarizada entre Quartararo e Bagnaia.

Jorge Martin teve de ir usar a moto reserva para marcar o 8ºtempo a 6 minutos e 10 segundos do final. Ao mesmo tempo em que os outros pilotos começaram a voltar a pista para os derradeiros minutos do final da Classificação. Fabio Quartararo sai a 5:20 do final, o alvo é o piloto da Yamaha.

Joan Mir tentou melhorar seu tempo e sair da 7ªposição, mas não só não conseguiu como também foi para o chão na curva 1 a 3 minutos do final. Por outro lado, Peppo Bagnaia extrapola na sua volta e marca o tempo de 1:36.140, colocando mais de meio segundo de frente de Quartararo.

O piloto francês tentou reverter à situação, mas o tempo de 1:36.623 não chegou nem perto do tempo do piloto da Ducati. No final a pole position terminaria mesmo nas mãos do vice-campeão de 2021.

Na reta final, Jack Miller chegou a ocupar a terceira posição, mas acabou superado no final por Aleix Espargaró da Aprilla. Marc Marquez teve uma última tentativa cancelada mas ainda assim conseguiu marcar um bom 5ºtempo e Johann Zarco pulou da 9ª para a 6ªposição no último momento.

Peppo Bagnaia conquistou a pole position com um tempo avassalador, o sábado acabou sendo perfeito para o piloto da Ducati e indicava uma reação dele no campeonato. Já Fabio Quartararo larga em 2º e buscava a segunda vitória na temporada. A primeira fila seria completada pelo embalado Aleix Espargaró da embalada Aprilla.

Na segunda fila, largam Jack Miller da Ducati, Marc Marquez da Honda e Johann Zarco da Pramac. A se destacar Jack Miller, que buscava uma recuperação após o erro em Portugal que acabou levando ele e Joan Mir ao chão.

Takaagi Nakagami fez uma boa classificação e vai abrir a 3ªfila, liderando a equipe de Lucio Cecchinello. Marco Bezzecchi em excelente classificação e Joan Mir com a melhor Suzuki completam a fila. Completando os 12 primeiros, Jorge Martin da Pramac, Enea Bastianini da Gresini e Marevick Viñales da Aprilla.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 01’36.170
2 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha 01’36.623
3 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 01’36.933
4 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’37.049
5 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 01’37.145
6 5 Johann Zarco Pramac Racing Ducati 01’37.220
7 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’37.254
8 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’37.285
9 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’37.330
10 89 Jorge Martin Pramac Racing Ducati 01’37.526
11 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP™ Ducati 01’37.618
12 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’37.675
13 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’37.138
14 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’37.401
15 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’37.544
16 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha 01’37.668
17 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP™ Ducati 01’37.882
18 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’37.889
19 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’37.910
20 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda 01’37.937
21 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’37.958
22 73 Alex Marquez LCR Honda Castrol Honda 01’38.014
23 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 01’38.064
24 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia 01’38.244
25 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 01’38.405

O duelo da MotoGP ficou mesmo entre Francesco Bagnaia e Fabio Quartararo. Após várias corridas ruins e finais de semana pra lá de frustrante, Bagnaia, vice-campeão do mundo em 2021 conseguiu fazer uma corrida perfeita e conquistou sua primeira vitória na temporada.

Na largada, Bagnaia larga bem e evita o ataque de Quartararo para manter a liderança. Jack Miller ganha uma posição passando ao 3ºlugar e Takaagi Nakagami ganhou 3 posições. Uma grande largada do japonês que passou a ser o 4ºcolocado. Marc Marquez, Aleix Espargaró que largou mal e perdeu 3 posições na largada, Marco Bezzecchi, Joan Mir, Johann Zarco e Brad Binder.

Ao final da 1ªVolta, Marc Marquez supera Nakagami e sobe para a 4ªposição. Ao final da mesma curva, Jorge Martin e depois Stefan Bradl foram para o chão. Ambos conseguiram voltar a corrida, mas muito longe do pelotão. No meio da segunda volta, Nakagami foi recuado para a 7ªposição (após ter sido superado por Aleix Espargaró e Mir), lugar onde ele largou.

Quartararo já parte para a pressão em cima de Bagnaia e se afastam de Jack Miller e de Marc Marquez que já estava chegando no piloto australiano da Ducati. Aleix e Mir tentavam seguir os dois em 5º e 6º. Nakagami já estava afastado do 2ºgrupo, mas com certa vantagem para Bezzecchi e Zarco.

Após 7 voltas praticamente nada tinha mudado, a não ser a vantagem de Bagnaia e Quartararo que crescia sobre Miller e Marquez. Na volta 9, Alex Rins escapa e vai para fora da pista, perde muito tempo e cai para a 22ªposição. Se é que ele já não vinha nada bem sem a queda, na rabeira da zona de pontuação. Na volta seguinte, Martin caiu pela segunda vez e abandonou a corrida. Na 11ªVolta, foi a vez de Bradl cair pela segunda vez e abandonar a corrida.

Lá na frente, continuava a luta pelo terceiro lugar entre Miller e Marquez. O formiga atômica trazia Aleix Espargaró com ele. Na 14ªVolta, os 3 vinham com mais de 1 segundo a frente de Mir, mas a 4 segundos atrás de Quartararo, a 7 décimos atrás de Francesco Bagnaia.

Marc Marquez tentou durante 7 voltas uma forma de superar Jack Miller. Nas retas seria impossível devido a potência da moto italiana. Foi na 21ªVolta onde Marquez teve uma chance de passar Miller e a aproveitou, foi na curva 5 que o formiga atômica passou para a terceira posição. Tudo indicava que Marquez iria levar o pódio para a casa.

Porém, na curva 13, Marc Marquez espalha, tem um desequilíbrio e por muito pouco não foi ao chão, Miller atrás também espalhou. Nisso se aproveitou Aleix Espargaró para passar da 5ª para a 3ªposição. Miller deu o troco em cima de Marquez e recuperou a posição sobre o piloto da Honda.

Na reta final, Fabio Quartararo tentou um ataque em cima de Bagnaia, mas o piloto da Ducati não deu qualquer possibilidade para o francês se quer fazer um ataque. O vice-campeão de 2021 acaba conquistando a sua primeira vitória na temporada de 2022. Uma vitória de ponta a ponta para Peppo Bagnaia e de forma merecida. Fabio Quartararo chega na segunda posição e acaba ganhando mais vantagem na liderança do campeonato, visto que Alex Rins não conseguiu marcar ponto nenhum (19ºcolocado) e ficando na frente de Alex Espargaró e Enea Bastianini, dois dos mais próximos adversários na luta pela liderança do mundial.

Aleix Espargaró acabou se recuperando da largada ruim e conseguiu recuperar a terceira posição, conquistando o terceiro pódio na temporada e o segundo pódio seguido da Aprilla, um feito inédito para a marca na categoria principal.

Jack Miller e Marc Marquez duelaram pela 4ªposição até a metade da última volta, na curva 8, foi o momento que Marquez superou Miller e acabou levando sua moto até o final na 4ªposição, deixando Miller para trás. Joan Mir completou o Top 6, com uma atuação discreta, mas que foi o bastante para ficar bem colocado.

Takaagi Nakagami largou muito bem, mas não teve condições de se manter mais a frente do lugar onde ele largou, mas pelo menos sustentou a 7ªposição, sua melhor posição na temporada de 2022. Marco Bezzecchi fez uma grande corrida e acabou ficando com o 8ºlugar até que Enea Bastianini o superou a poucas curvas do final da prova e arrancou essa posição. O piloto da Gresini volta a pontuar depois da queda em Algarve, enquanto que Bezzecchi conquistou seu melhor resultado na sua temporada de estreia. Brad Binder fechou os Top 10.

Depois, sem muito destaque na corrida chegaram: Pol Espargaró, Miguel Oliveira, Alex Marquez, Maverick Viñales e Franco Morbidelli. Com destaque negativo para os dois últimos pilotos na zona de pontuação, que ficaram muito longe dos seus companheiros de equipe, ambos no pódio.

Resultado Final da 6ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Espanha – Jerez de la Fronteira – 25 Voltas – MotoGP

pos piloto equipe moto tempo
1 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 41’00.5540
2 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha a 0.285
3 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia a 10.977
4 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda a 12.676
5 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati a 12.957
6 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 13.934
7 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 14.929
8 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP™ Ducati a 18.436
9 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati a 18.830
10 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM a 20.056
11 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda a 20.856
12 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM a 23.131
13 73 Alex Marquez LCR Honda Castrol Honda a 25.306
14 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia a 27.358
15 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha a 27.519
16 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati a 29.278
17 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha a 35.204
18 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP™ Ducati a 35.361
19 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 38.922
20 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM a 43.378
21 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia a 44.299
22 89 Jorge Martin Pramac Racing Ducati a 1:07.681
6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda 10 Voltas – Acidente
5 Johann Zarco Pramac Racing Ducati 9 Voltas – Acidente
40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 5 Voltas –  Acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP de Portugal – MotoGP – Mundial de Motovelocidade 2022

Após o 4ºtreino livre, a pista já estava mais seca, não o ideal, mas bem melhor para os pilotos da categoria rainha de realizar a sua classificação para o grid de largada. A fase de Francesco Bagnaia continuava a ser ruim, o piloto principal da Ducati estava disputando a repescagem, igualmente na briga estava o vencedor da corrida anterior e líder do campeonato Enea Bastianini. Alex Rins vinha em final de semana ruim e precisava mostrar algo para passar para o Q2. Enquanto que Enea entrava na pista (com 2 minutos e meio de sessão), Alex Rins estava abrindo sua primeira volta rápida.

A pista estava com condições dos pilotos usarem os pneus de pista seca, mas ainda havia certos pontos que ainda tinha trechinho de água, Isso fez com que Remy Gardner fosse para o chão na curva 9. O australiano não teve culpa, foi vendido pela situação que estava o asfalto.

Takaagi Nakagami foi para os boxes para pegar a outra moto, certamente ele se sentia mais confiante com essa outra moto. Com quase 4 minutos de sessão, Rins marca o primeiro tempo (1:53.279). Porém, essa marca e pulverizada por Alex Marquez (alguns segundos depois) com 1:50.435, quase 2.3 segundos de frente para o piloto da Suzuki.

Porém, vários pilotos tiveram suas voltas canceladas. No final disso tudo, somente 5 pilotos tinham suas voltas válidas:  Marevick Viñales vinha na frente com 1:51.309, Lorenzo Savadori vinha em 2º com 1:51.457. Franoc Morbidelli, Raul Fernández e Darryn Binder vinham logo atrás. O resto estava sem tempo válido.

Em uma volta bem melhor, Rins vai para 3º com 1:52.300 a 9:20 do final da sessão. 30 segundos depois, Bastianini com 1:50.618 e Andrea Dovizioso com 1:50.779 foram para a ponta. Por outro lado, Francesco Bagnaia foi para o chão na curva 3 e abandonou a sessão. O inferno astral do vice-campeão do ano passado continuava em 2022.

A 7:45 do final, Takaagi Nakagami passa a liderar o Q1 com 1:50.478. Seu companheiro de equipe, Alex Marquez foi para a liderança a 7:10 do final, marcando 1:50.435. A diferença entre os 2 pilotos da LCR era de 43 milésimos. Ambos estavam se classificando e estavam deixando Lucio Cecchinello feliz. Enea Bastianini vinha em 3º perto dessa briga. Muitos pilotos foram para os boxes, o resto ficou na pista para tentar marcar uma boa volta.

Para recuperar sua confiança, Remy Gardner fez uma boa volta que rendeu a 9ªposição. Enquanto isso, Alex Rins foi para a pista, sua classificação era péssima, o espanhol estava na 10ªposição, bem distante de uma briga pelas 2 primeiras posições.

A 2 minutos do final, Dovizioso e Nakagami vinham dispostos a levarem as duas vagas. O japonês não conseguiu melhorar, perdeu tempo na última parcial. Dovizioso conseguiu melhorar bastante, marcou 1:49.695 e colocou 7 décimos de frente para Alex Marquez. A 1 minuto e 15 segundos do final. Raúl Fernández foi para o chão e saiu da disputa da sessão.

Alex Marquez foi para uma nova volta e acabou colocando ordem na casa, com 1:49.004 e 25 segundos do final era praticamente a garantia do irmão de Marc Marquez esta no Q2, mas Jorge Martin derrubou todo mundo, do nada surgindo para marcar 1:48.870, assumindo a liderança.

Com o tempo zerado, Alex, Martin e Marini vinham virando voltas muito rápidas. Enea Bastianini foi para o chão, era fim do dia para o piloto da Gresini. No final, Viñales chega a entrar na brincadeira, mas não passa da 3ªposição e fica de fora do Q2.

Alex Marquez marca 1:46.316 e carimbou de vez seu lugar no Q2. A definição ficou para a outra vaga e acabou ficando nas mãos de Luca Marini que foi bem melhor que Jorge Martin na volta derradeira. Desde da primeira marca a ser feita até o tempo de Alex Marquez a melhora foi de 7 segundos. Viñales com sua Aprilla, Fabio di Giannantonio da Gresini e Dovizioso da RNF Yamaha completaram as 6 primeiras posições.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 73 Alex Marquez LCR Honda Castrol Honda 01’46.316
2 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’47.199
3 89 Jorge Martin Pramac Racing Ducati 01’47.936
4 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’49.332
5 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP™ Ducati 01’49.639
6 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 01’49.695
7 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’49.889
8 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP™ Ducati 01’50.618
9 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha 01’50.702
10 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’50.953
11 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia 01’51.308
12 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 01’51.639
13 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’52.300
14 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’53.603
15 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati Sem Tempo

Marco Bezzecchi, Alex Marquez e Joan Mir foram os primeiros a partirem rumo à disputa da pole position. A expectativa dos torcedores era com o desempenho de Miguel Oliveira, um dos mais rápidos nos treinos livres. Com 1 minuto e meio de sessão, todos os 12 pilotos estavam na pista.

Assim como no Q1, ainda havia lampejos de pista molhada. Nessa quase que Fabio Quartararo não foi para o chão na sua volta de aquecimento. Na primeira volta, se destacaram Alex Marquez com 1:46.569 (com quase 5 minutos de sessão) e Pol Espargaró (uns 30 segundos depois). Os outros pilotos não ameaçaram, não fizeram voltas pra valer. Era a partir da segunda volta rápida que a sessão iria começar pra valer.

Alex Marquez tratou de melhorar seu tempo para 1:45.654 a 9:20 do final da sessão, mas logo Joan Mir superou o piloto da LCR Honda com 1:45.414. A 8:50 do final, Jack Miller faz uma bela volta e subiu para a segunda posição, jogando Alex para terceiro. Bezzecchi, Quartararo, Pol Espargaró, Miguel Oliveira, Aleix Espargaró, Brad Binder e Zarco completavam os 10 primeiros colocados até aquele momento.

Na metade da sessão, Alex Marquez volta a figurar na liderança com 1:43.774, muito a frente de seus adversários. 30 segundos depois, Marc Marquez faz o segundo tempo e faz dobradinha com seu irmão nas 2 primeiras posições. Os dois eram seguidos pelos dois pilotos da VR46, com Bezzecchi na frente de Luca Marini. Fabio Quartararo que subiu da 9ª para a 5ªposição e Joan Mir completavam os 6 primeiros colocados.

O único representante da Suzuki, Joan Mir fez uma bela volta e colocou a Suzuki na 2ªposição, colocando. A 5 minutos do final, Fabio Quartararo foi com tudo para colocar sua Yamaha para a 2ªposição, a 19 milésimos do tempo de Alex Marquez. Joan Mir continuava em 3º, seguido de Jack Miller que tinha feito uma pela volta segundos antes, Marc Marquez e Johann Zarco que chegou a fazer o 4ºtempo.

Alex Marquez foi para uma nova volta rápida e conseguiu uma melhora de meio segundo em relação à volta anterior ( 1:43.211). Alex nunca esteve tão perto de uma pole position, que seria a primeira na categoria principal.

Porém, tudo começa a mudar a partir do momento em que Johann Zarco marcou 1:43.151 a 3:40 do final. O francês passou a liderar a sessão. Fabio Quartararo foi para segundo a 3:25 do final. Alex Marquez, Jack Miller e Marc Marquez completam o Top 5.

2 minutos e 20 segundos do final, Joan Mir baixa seu tempo e volta a liderança com 1:43.055. 25 segundos depois, Zarco pulou para a ponta com 1:42.620 e Miller acabou superando o tempo do francês (1:42.503) e foi para liderança.

A briga pela pole não tinha terminado de forma nenhuma. Marc Marquez foi para uma volta brilhante, diante de seus problemas físicos, o Formiga Atômica fez 1:42.295. Era a volta que lhe dava a pole, mas quem atrapalhou foi Pol Espargaró, justamente seu companheiro de equipe que foi para o chão. Por ter passado rápido no último setor o piloto da Honda teve sua melhor volta dele cancelada.

Com o cronometro zerado, Zarco acabou com o jogo, marcou a volta de 1:42.003 e conquistou a pole position com sua Ducati Pramac. O francês teve uma duríssima batalha para levar a sua 7ªpole na categoria rainha, mas ainda lhe faltava à vitória que tanto almeja na sua carreira. Joan Mir vai largar em uma ótima segunda posição com sua Suzuki que anda muito bem nas curvas, mas que nas retas ainda deve velocidade. Completando a primeira fila, Aleix Espargaró que apareceu na volta final e acabou conquistando a 3ªposição.

Jack Miller que chegou a ficar pela pole, mas no final acabou o dia na 4ªposição e vai abrir a segunda fila. Fabio Quartararo fez o possível com sua Yamaha e até conseguiu um bom 5ºlugar. Fechando a segunda fila, Marco Bezzecchi  fez uma excelente classificação, isso se contamos que o estreante esta com uma Ducati de 2021 e se colocou 2 posições a frente de Luca Marini que esta com a Ducati de 2022.

Alex Marquez acabou caindo no final da classificação e viu sua possível primeira pole position se transformar em uma modesta 7ªposição, seguido de Luca Marini e do Formiga Atômica. Marc Marquez que se tivesse o seu tempo válido iria largar na primeira fila, perder a sua melhor volta e largar na 9ªposição foi um tremendo de um prejuízo para o piloto da Honda, ainda mais que foi o companheiro de equipe que acabou ajudando nesse fracasso.

Pol Espargaró acabou com a 10ªposição e com um peso na sua cabeça por ter involuntariamente atrapalhado Marquez. Miguel Oliveira e Brad Binder acabaram desapontando e acabaram por fechar as 12 primeiras posições.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 5 Johann Zarco Pramac Racing Ducati 01’42.003
2 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’42.198
3 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 01’42.235
4 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’42.503
5 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha 01’42.716
6 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’42.716
7 73 Alex Marquez LCR Honda Castrol Honda 01’42.903
8 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’43.179
9 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 01’43.575
10 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’43.832
11 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’44.066
12 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’44.710
13 89 Jorge Martin Pramac Racing Ducati 01’47.936
14 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’49.332
15 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP™ Ducati 01’49.639
16 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 01’49.695
17 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’49.889
18 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP™ Ducati 01’50.618
19 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha 01’50.702
20 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’50.953
21 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia 01’51.308
22 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 01’51.639
23 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’52.300
24 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’53.603
25 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati Sem Tempo

A principal categoria do Mundial de motovelocidade foi a segunda corrida do dia, tudo para evitar conflito com a Formula 1. Sinceramente, a MotoGP poderia manter sua programação normal, se os dirigentes da categoria tivessem coragem poderiam confrontar com a Formula 1, e com toda a falta de credibilidade que vive a Formula 1, era bem capaz de vemos mais audiência no Mundial de Motovelocidade.

A corrida de Algarve, o campeão da temporada passada ressurge para vencer e entrar em definitivo na luta pelo bicampeonato.

Na Largada, Mir larga bem melhor que todo o resto do pelotão e pula para a liderança. Zarco não foi muito bem na largada e caiu para a 5ªposição. Fabio Qaurtararo pula da 5ª para a segunda posição, seguido por Jack Miller e Alex Marquez que veio da 7ª para a 4ªposição.

Aleix Espargaró, Miguel Oliveira, Pol Espargaró, Jorge Martin e Marc Marquez completavam os 10 primeiros colocados. O dono da casa largou muito bem, partido da 11ªposição para se colocar em boa situação, na 4ªposição. Alex Rins que largou da 23ªposição fez uma largada fantástica, ganhando 12 posições. Ainda por cima, passado Marc Marquez no final da primeira volta e entrando no Top 10.

Após uma largada ruim, Zarco recuperou 2 posições, subindo para a 3ªposição. Enquanto isso, Fabio Quartararo começava a ameaçar a liderança de Mir. Enquanto que Alex Marquez trava um belo duelo com Jack Miller valendo a 4ªposição.

Ao final da 3ªvolta, Quartararo foi pra cima de Mir e usando a potência da sua Yamaha acabou superando o piloto da Suzuki e assumia a liderança da prova no alvorecer da 4ªvolta. Zarco vinha se consolidando na 3ªposição. Em apenas 1 volta, Fabio Quartararo abriu 6 décimos de frente para Joan Mir. Mais atrás, Miguel Oliveira era pressionado por Alex Rins que vinha em uma excelente corrida até aquele momento.

Jorge Martin vai para o chão na 6ªvolta e abandona a corrida. Logo atrás, Marc Marquez e Pol Espargaró brigavam pela 9ªposição. Após idas e vindas, o Formiga Atômica conseguiu se sobressair sobre seu companheiro de equipe no final da 7ªvolta. Bastianini e Brad Binder estavam muito perto dos dois pilotos da Honda Repsol.

Aleix Espargaró foi para cima de Alex Marquez que se defendia com muita garra sobre o piloto da LCR Honda. Apesar disso, Aleix levou a melhor sobre o Little Marquez que perdeu posição para Alex Rins que se aproveitou e subiu para a 6ªposição. Enquanto Alex Marquez ficou para Miguel Oliveira, Aleix Espargaró começava a ver Rins querendo sua 5ªposição.

Lá na frente, Fabio Quartararo já abriu 2 segundos sobre Joan Mir que começaria a sofrer pressão de um rapidíssimo Johann Zarco, a moto da Ducati era bem mais veloz que a Suzuki que se beneficia da ótima ciclística que tem sua moto.

Na metade da 10ªVolta, Enea Bastianini vai ao chão na curva 8 e abandona a prova, que já não vinha tão boa assim para o piloto da Gresini, muito longe das primeiras posições. A liderança teria grandes chances de mudar de mãos. Naquele momento, Quartararo estaria para assumir a liderança.

E por falar no francês, ele vinha arrepiando, fazendo volta mais rápida e abrindo cada vez mais da concorrência. Na parte final da 11ªvolta, Takaagi Nakagami foi para o chão, mas conseguiu voltar a corrida. Porém, teria que suar muito para conseguir algum ponto, com 13 voltas de corrida pela frente.

Ao chegamos a metade da corrida, o pega estava sendo entre Mir e Zarco. O piloto da Suzuki estava se defendendo com muito bem do piloto da Pramac. Depois vinham Jack Miller, Aleix Espargaró, Alex Rins, Miguel Oliveira e Alex Marquez em 8º, logo a frente de Marc Marquez. Francesco Bagnaia que largou da 24ªposição já vinha na 12ªposição, fazendo uma boa prova de recuperação.

A pressão de Zarco era grande, a ultrapassagem iria acontecer a qualquer momento e foi na 16ªvolta que o francês passou Mir, mas o piloto da Pramac errou a curva e permitiu que o piloto da Suzuki voltasse a segunda posição. Com isso, Jack Miller se aproximou dos dois e tornou a disputa mais interessante.

Na volta seguinte, Zarco usou a potência da sua Ducati, passou Mir e dessa vez não deu chances para o troco, Mir ainda tentou reverter o jogo, mas Zarco se estabeleceu na segunda posição. Miller agora teria a chance de buscar seu lugar no pódio se superar Joan Mir. Aleix Espargaró e Alex Rins estavam se aproximando para entrarem na disputa do pódio. A 8 voltas do final, Brad Binder foi para o chão na curva 11.

Na entrava da 19ªVolta, Jack Miller foi decidido para passar Joan Mir, coloca por dentro e tudo indicaria que iria passar a terceira posição, mas o australiano ao fazer a curva 1 acaba caindo e Mir acabou sendo derrubado. Ambos acabaram abandonando a corrida. Sem dúvida Miller foi o culpado, mas não porque Miller provocou, foi um acidente de corrida. Com esse acidente, Zarco se beneficiou e ganhou um folego em segundo, Aleix Espargaró passou a herdar o pódio e Alex Rins (que largou da 23ªposição) já esta em 4ªlugar. O dono da casa, Miguel Oliveira subiu para a 5ªposição.

Depois do acidente de Miller e Mir, a corrida deu uma esfriada, as brigas na frente se escarçaram demais. Quartararo estava com 5.8 segundos de frente para Zarco, o francês segurava o 2ºlugar, praticamente 1 segundo de frente para Aleix Espargaró que vinha 1.3 segundos a frente de Rins.

Nas últimas voltas, Aleix Espargaró foi para cima de Johann Zarco, era o pega do final da corrida. Nessa penúltima volta, Alex e Marc Marquez disputariam a 6ªposição, em um duelo de irmãos que iria até a última volta. Francesco Bagnaia queria tomar o 8ºlugar que estava nas mãos de Pol Espargaró.

Fabio Quartararo, de forma soberana acaba conquistando a primeira vitória em 2022, passando a liderar o mundial e entrando de vez na disputa do título. O piloto da Yamaha mostra cada vez mais ser o líder da Yamaha na MotoGP.

Johann Zarco fez um final de semana excelente, mas mais uma vez a vitória ficou no quase. Pode ser devido a largada ruim? Pode, mas ninguém poderia conseguiria bater Quartararo. Então, o piloto da Pramac consegue um importante 2ºlugar, isso após resistir a pressão de Aleix Espargaró nas voltas finais. Por falar em Aleix, foi o segundo pódio do piloto da Aprilla em 2022. Importante é que a marca esta conseguindo resultados que jamais conseguiu em toda a sua história na categoria principal.

Agora, que corridaça de Alex Rins, vindo de uma terrível classificação no sábado para a brilhante 4ªposição na bandeirada. Diferente de 2021, o ano de 2022 é muito bom para o piloto da Suzuki. O piloto da casa Miguel Oliveira honrou sua torcida com a 5ªposição após largar da 11ªposição, o piloto da KTM obteve uma recuperação muito boa para chegar nessa posição.

Marc Marquez venceu a luta dos irmãos e acabou o dia na 6ªposição, a poucos milésimos a frente de Alex Marquez. O piloto da LCR Honda fez seu melhor final de semana em 2022 longe. Um grande desempenho na classificação onde Alex chegou a ficar perto da primeira pole da carreira e um domingo bom, mas sem ser excepcional.

Francesco Bagnaia também obteve uma grande corrida de recuperação, vindo de último para ficar na 8ªposição, que foi conquistada nas curvas finais sobre o espanhol Pol Espargaró. O companheiro de Marc Marquez definitivamente ainda não se achou na Honda. Longe do brilho de Aleix Espargaró, o espanhol Marevick Viñales fecha o Top 10 com a outra Aprilla.

Em 11º ficou o italiano Andrea Dovizioso, que fez o possível com a moto ruim da RNF. Luca Marini acabou o dia na 12ªposição. Franco Morbidelli teve mais um dia terrível, muito longe de ter um desempenho decente com sua Yamaha da equipe oficial. A 13ªposição é só mais uma munição para os detratores usarem contra a sua permanência na Yamaha para 2023. A zona de pontuação é encerrada com Remy Gardner e Marco Bezzecchi. O japonês Takaagi Nakagami acabou ficando a uma posição da zona de pontuação.

Resultado Final da 5ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP de Portugal – Algarve – 25 Voltas – MotoGP

pos piloto equipe moto tempo
1 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha 41’39.6110
2 5 Johann Zarco Pramac Racing Ducati a 5.409
3 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia a 6.068
4 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 9.633
5 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM a 13.573
6 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda a 16.163
7 73 Alex Marquez LCR Honda Castrol Honda a 16.183
8 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati a 16.511
9 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda a 16.769
10 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia a 18.063
11 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha a 29.029
12 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati a 29.249
13 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha a 33.354
14 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM a 40.205
15 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati a 46.052
16 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 49.569
17 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha a 50.303
18 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia a 24 voltas – Acidente
19 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP™ Ducati a 21 voltas – Mecânico
20 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 18 voltas – Acidente
21 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati a 18 voltas – Acidente
22 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM a 17 voltas – Acidente
23 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP™ Ducati a 9 voltas – Acidente
24 89 Jorge Martin Pramac Racing Ducati a 4 voltas – Acidente
25 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM Não Largou

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP dos Estados Unidos – MotoGP – Mundial de Motovelocidade 2022

No circuito das Américas, palco da 4ªetapa do campeonato Mundial da MotoGP, as atenções estavam todas voltadas para Marc Marquez, que mesmo sem estar em plena forma acabou antecipando a sua volta as pistas (logo após o perigoso acidente que ele sofreu na Indonésia).

Aleix Espargaró após vencer brilhantemente o GP da Argentina acabou não conseguindo entrar no Q2 direto, o piloto da Aprilla iria disputar o Q1 e teria adversários muito fortes como Alex Rins da Suzuki, Jorge Marin da Pramac, Brad Binder e Miguel Oliveira da KTM e até o próprio Marevick Viñales da Aprilla.

Aleix foi para a pista logo de cara, um dos primeiros a fazer isso. Não demoraram 40 segundos para todos os 14 concorrentes a disputarem 2 vagas para o Q2.

Na sua primeira volta, Darryn Binder da RNF foi para o chão na curva 3. O Q1 não começava nada bem para o sul-africano. Com 4 minutos e 20 segundos de sessão, Alex Rins  foi para primeiro com 2:02.723, seguido de Aleix Espargaró e de Franco Morbidelli. 40 segundos depois, Viñales foi para a 4ªposição.

Após uma primeira volta bem fraca, Jorge Martin foi para a volta lançada e acabou marcando o melhor tempo (2:02.487) a 8:15 do final da sessão, deixando Rins e Aleix para trás. Andrea Dovizioso e Marco Bezzecchi fizeram boas voltas e passaram para a 4ª e 5ªposições. Brad Binder subiu para a 6ªposição. Remy Gardner foi outro que foi para o chão, perto da metade da classificação.

Aleix Espargaró foi para a pista. Naquele momento, o piloto da Aprilla estava caindo fora da classificação. Ou seja, precisava melhorar para entrar na zona de classificação e foi isso que Aleix fez, mas seu destino acabou sendo o chão a 3 minutos e 45 segundos do final da sessão. Na curva 8, a sessão terminava para o vencedor do GP da Argentina.

Esperava-se um final emocionante, mas acabou que não ocorreram muitas mudanças na classificação. Só Viñales conseguiu uma melhora significativa, mas não passou da 44ªposição. Tempo encerrado e os classificados são Jorge Martin da Pramac e Alex Rins da Suzuki. A dupla da Aprilla acabou ficando na 3ª e 4ªposições e vão compor a 5ªfila, junto do veterano e regular Andrea Dovizioso da RNF.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 89 Jorge Martin Pramac Racing Ducati 02’02.487
2 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 02’02.723
3 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 02’02.922
4 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 02’03.121
5 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 02’03.133
6 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 02’03.328
7 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 02’03.467
8 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP™ Ducati 02’03.576
9 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha 02’03.579
10 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 02’03.983
11 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 02’04.140
12 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 02’04.185
13 73 Alex Marquez LCR Honda Castrol Honda 02’04.229
14 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 02’04.646

O Q2 começava com 6 pilotos da Ducati entre os 12 postulantes a disputarem a pole position. O primeiro a entrar na pista foi Takaaki Nakagami da LCR Honda. Em 1 minuto de sessão, todo mundo foi para a batalha. Em condições normais, Marquez seria um dos favoritos a pole position, mas ainda sem estar em plena forma, o Formiga Atômica teria que suar muito para lutar por essa pole.

Takaagi Nakagami marca 2:03.796 aos 4 minutos e meio de sessão. Segundos depois, Peppo Bagnaia passa a liderar com 2:02.335, seguido de Jorge Martin da Pramac. Nesse meio tempo, Enea Bastianini foi para o chão. Com um terço de sessão, Jack Miller toma a ponta de Martin por 8 milésimos de frente para Bagnaia. Fabio Quartararo fez o 4ºtempo, Rins e Mir completavam os Top 6 com as motos da Suzuki.

Quartararo foi para a luta, buscando superar o esquadrão da Ducati, mas acaba encontrando o chão na  curva 19. Para piorar, Bastianini, Rins e Marquez superaram o piloto francês, que caiu para a 7ªposição.

Com metade do tempo concluído, a primeira fila era toda de pilotos da Ducati, com Miller, Bagnaia na equipe oficial e Martin da Pramac completando a primeira fila. Enea Bastianini em excelente recuperação, vinha na 4ªposição. Depois vinham, Rins, Marc Marquez, Quartararo, Marini, Pol Espargaró, Zarco, Mir e Nakagami.

Jack Miller e Francesco Bagnaia foi mais cedo para a pista. Os outros partiram para o último terço da sessão a menos de 5 minutos do final do Q2.

Nessa altura do campeonato, Peppo queria era recuperar a liderança. O italiano foi com tudo para tentar recuperar a liderança. O resultado do seu esforço acabou vindo a 2 minutos e 10 segundos do final, Peppo marca 2:02.167 e passa a liderar a sessão, superando a Jack Miller (que estava em sua volta rápida).

Miller vai muito rápido a volta inteira e acaba fazendo 2:02.042 a 1 minuto do final. O australiano recupera a ponta e a dobradinha da Ducati oficial estava teoricamente consolidada… Porém, Jorge Martin fez uma volta brilhante com sua Pramac Ducati e acabou tomando a pole de Miller por 3 milésimos, a 4 segundos do final da sessão.

Jorge Martin vai largar na pole position e vai comandar a troca da Ducati, que vai ter 5 pilotos nas 5 primeiras posições, algo inédito para a marca no Mundial de Motovelocidade. Os dois pilotos da equipe oficial, Jack Miller e Francesco Bagnaia fizeram excelentes classificações e vão completar a primeira fila.

Em 4º, Enea Bastianini levando a modesta Gresini a posições altas no grid de largada e Johann Zarco completou o quinteto da Ducati com sua Pramac Ducati. Fabio Quartararo fez tudo que era possível, mas o 6ºlugar foi o máximo que ele pode fazer em um dia tão inspirado dos pilotos da Ducati.

A terceira fila será formada por dois pilotos da Suzuki, Alex Rins em 7º e Joan Mir que conseguiu pular da penúltima para a 8ªposição e Marc Marquez que não foi além da 9ªposição. Takaagi Nakagami da LCR Honda, Luca Marini da VR46 e Pol Espargaró da Honda Repsol completam os 12 primeiros colocados.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 89 Jorge Martin Pramac Racing Ducati 02’02.039
2 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 02’02.042
3 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 02’02.167
4 5 Johann Zarco Pramac Racing Ducati 02’02.570
5 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP™ Ducati 02’02.578
6 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha 02’02.634
7 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 02’02.694
8 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 02’02.947
9 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 02’03.038
10 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 02’03.054
11 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 02’03.059
12 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 02’03.096
13 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 02’02.922
14 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 02’03.121
15 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 02’03.133
16 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 02’03.328
17 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 02’03.467
18 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP™ Ducati 02’03.576
19 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha 02’03.579
20 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 02’03.983
21 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 02’04.140
22 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 02’04.185
23 73 Alex Marquez LCR Honda Castrol Honda 02’04.229
24 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha 02’04.646

No sábado, domingo das Ducati, com 5 pilotos nas 5 primeiras posições. Será que o domingo seria tão bom como o sábado para os pilotos da Ducati ou teria uma reação. O público norte-americano estava ansioso para saber o que iria acontecer.

Jack Miller larga melhor que Jorge Martin e passa a liderança logo nos primeiros metros da corrida. Martin permaneceu em 2º, Bastianini em 3º, Bagnaia em 4º, Quartararo em 5º, Zarco em 6º e depois, Nakagami, Mir, Rins e Pol Espargaró. Marc Marquez ficou na largada e caiu para a última posição.

Martin vai para o ataque em cima de Miller, e passa o australiano na curva 19, mas Miler recupera a ponta na curva 20 e termina a primeira volta na frente. Lá Atrás, Marquez já vinha na 17ªposição.

Após 2 voltas, Miller, Martin e Bastianini abriram um pouco de frente sobre Bagnaia, Quarataro e Zarco. Ao final da 2ªvolta, Marco Bezzecchi foi ao chão, mas conseguiu voltar para a corrida, na última posição. Porém, os problemas mecânicos impediram do piloto da VR46 de continuar na corrida.

Johann Zarco supera Quartararo e quina da Ducati estava refeita nas 5 primeiras posições. Enquanto isso, Quartararo sofre com a pressão dos dois pilotos da Suzuki, no seu calco. Logo a frente, Zarco e Bagnaia duelam pela 4ªposição, no final da reta oposta o piloto da Pramac passou o vice-campeão de 2021, mas acabou tomando o troco e Bagnaia retornou ao 4ºlugar. Marc Marquez acabou passando reto ao tentar ganhar mais posições. O Formiga Atômica buscava a recuperação na corrida, com mais 17 voltas pela frente.

Começando a 5ªVolta, Zarco toma a frente de Bagnaia e passa para a 4ªposição. Na curva 12 da mesma volta, Rins faz bela ultrapassagem sobre Quartararo e assume a 6ªposição. No começo da volta seguinte, foi a vez de Mir superar o principal piloto da Yamaha que vinha em maus lençóis, na 8ªposição e sem expectativa de melhorar no decorrer da corrida. Alex Marquez foi para o chão e deixou a corrida.

Após 6 voltas, a recuperação de Marc Marquez era impressionante, estava em 11º após cair para a última posição depois da largada e estava logo atrás de Pol Espargaró, seu companheiro de equipe na Honda Repsol.

Continuando na 7ªvolta, Alex Rins faz uma manobra muito arriscada e passa Zarco na curva 11, porém, na reta oposta a Ducati engoliu a Suzuki e Zarco volta a 4ªposição. Marquez passou Pol e entra nas 10 primeiras posições.

Rins continuava no ataque em cima de Zarco, uma ultrapassagem só aconteceria se fosse na curva, pois nas retas a Ducati tem muito mais potência. Na frente, Miller, Martin e Bastianini continuavam inabaláveis nas 3 primeiras posições. Na 9ªVolta, Rins volta a passar Zarco na curva 11, Zarco usou a potência da sua moto, chegou a superar Rins, mas o piloto da Suzuki fez a manobra do troco de imediato e muito bem feita. Rins assume a 4ªposição e começava a mirar Bastianini, Martin e Miller. Zarco começava a ser pressionado por Peppo Bagnaia.

Rins passa Bastianini na curva 11, mas o piloto da Gresini se recupera sem grande dificuldade na reta. Na mesma reta, Marc Marquez toma a 9ªposição das mãos de Aleix Espargaró. Com metade da corrida percorrida, Quartararo e Marquez estavam separados por 1.757 a 10 voltas do final. Ou seja, metade da corrida percorrida.

Bastianini resiste as tentativas de Rins supera-lo. Mesmo com uma moto inferior no ano e pela ciclística, o piloto da Gresini continuava firme e forte. Pelo contraio, Esse foi o sinal para Enea ir para cima de Jorge Martin e para ultrapassagem logo no iniciar da 12ªvolta, partindo para a segunda posição e só com Jack Miller na sua frente. Curvas depois, Rins supera Martin que começa a cair na corrida. Na reta oposta, Zarco tentou o pulo do gato para superar Bagnaia e Mirt, mas ao chegar à curva 12, Zarco perde a curva, resultado é que Bagnaia e Mir superam o francês que cai para a 7ªposição.

Quartararo começou a chegar em Zarco, e o mesmo Marquez começava a tentar. 13ªVolta, Mir passa Bagnaia na parte sinuosa e acabou conseguindo permanecer com a posição na reta. Os pilotos da Suzuki vinham ganhando posições.

Já Quartararo colocava pressão em cima de Zarco e não precisou de muito tempo, na verdade, em poucas curvas, o piloto da Pramac acabou sendo superado por Quartararo e deu uma espalhada, foi nessa espalhada que Marquez se aproveitou e superou o piloto da Pramac, na mesma 14ªvolta, Martin perdeu posições para Mir e Bagnaia na reta oposta. A carruagem da Pramac (Equipe satélite da Ducati) virou abobora.

A 6 voltas do final, Bastianini partiu para o ataque em cima de Jack Miller, valendo a liderança e a vitória. Era impressionante o desempenho do primeiro piloto da Gresini nesse começo de ano, com uma moto da Ducati de 2021, andando em uma equipe pequena, contra equipes maiores e com equipamentos melhores. Na volta seguinte, Bastianini foi para a ultrapassagem na reta oposta e passou a liderança.

Já Marquez passou Quartararo e foi para cima de Jorge Martin, para quem tinha dúvidas que iria correr, está disputando a 6ªposição é uma grande recuperação. Na entrada da 17ªvolta, a 4 voltas do final, o Formiga Atômica toma o 6ºlugar de Jorge Martin. Sem perder muito tempo, Fabio Quartararo passou o piloto da Pramac e partiu para o duelo contra seu grande rival.

Enquanto Bastianini vinha a passos da sua segunda vitória no ano, Quartararo foi para cima de Marquez, o duelo de campeões pela 6ªposição. Na penúltima volta, Quartararo conquista a ultrapassagem sobre Marquez na serpente, mas espalha na curva seguinte e Marquez não dá bobeira, recupera a 6ªposição. Esse duelo iria até o final sem dúvida.

Enea Bastianini conquista a sua segunda vitória na temporada, confirma que é um piloto em plena ascensão e começa a sonhar sim com o título em 2022. Melhor que isso, Bastianini voltou a liderança do Mundial.

Na última volta, Rins chegou em Miller e os dois travaram um belo duelo pela segunda posição, apenas na penúltima curva que tivemos a definição, Miller foi superado por Alex Rins. O piloto da Suzuki conquista a segunda posição, em um ótimo momento dele, após uma temporada muito ruim em 2021. Jack Miller conseguiu ainda salvar o pódio em 3º, mas acabou perdendo a vitória após liderar por quase 70% da prova inteira.

Joan Mir conseguiu outro bom resultado e chegou na 4ªposição. 2 pilotos da Ducati e dois pilotos da Suzuki nas 4 primeiras posições. A potência da Ducati levou a melhor em Austin, mas a ciclística da Suzuki também se mostrou eficiente no Circuito das Américas. Francesco Bagnaia fez uma corrida em que não teve grandes momentos de brilho e acabou o dia na 5ªposição.

Marc Marquez teve uma corrida e um final de semana heroico, porque não esta 100%, ainda se recuperando de lesão, e com uma largada bem ruim o piloto da Honda mostrou que ainda faz a diferença na equipe. Para coroar a sua exibição, Marquez teve um duelo com Quartararo e acabou levando a melhor, conquistando a 6ªposição. Já o piloto da Yamaha também tentou ao máximo, mas não foi o bastante para levar sua moto (campeã em 2021) além da 7ªposição.

Os pilotos da Pramac foram os grandes derrotados do dia, Jorge Martin acabou ficando em 8ºlugar após ter largado da pole position e Johann Zarco logo atrás, mas tomando pressão de Maverick Viñales e de Aleix Espargaró. Ou seja, depois de um ótimo sábado a Pramac teve uma corrida muito ruim.

Após a vitória em Termas de Rio Hondo, Aleix Espargaró não foi bem, acabou ficando longe da disputa pela vitória e terminou o dia na 11ªposição, ficando logo atrás de Marevick Viñales que conseguiu terminar uma corrida na frente do 1ºpiloto da Aprilla.

Em 12º, chega Brad Binder que acabou levando nas costas a KTM nesse final de semana. Pol Espargaró da Honda Repsol não foi nada bem, acabou o dia em uma lamentável 13ªposição. Inteiro ficou muito atrás de Marc Marquez (Sem estar em plenas condições físicas). Takaagi Nakagami salvou dois pontos para a LCR Honda, mas muito pouco para quem se esperava um desempenho melhor. Fechando a zona de pontuação, Andrea Dovizioso que deve estar muito chateado por brigar pelas últimas posições, mas com uma moto difícil e com uma equipe com poucas condições como a RNF não dá para esperar muito mais do que esta fazendo.

Resultado Final da 4ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP dos Estados Unidos – Circuito das Americas – 20 Voltas – MotoGP

pos piloto equipe moto tempo
1 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP™ Ducati 41’23.1110
2 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 2.058
3 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati a 2.312
4 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 3.975
5 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati a 6.045
6 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda a 6.617
7 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha a 6.760
8 89 Jorge Martin Pramac Racing Ducati a 8.441
9 5 Johann Zarco Pramac Racing Ducati a 12.375
10 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia a 12.642
11 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia a 12.947
12 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM a 13.376
13 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda a 17.961
14 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 18.770
15 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha a 29.319
16 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP™ Yamaha a 29.129
17 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati a 29.630
18 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM a 32.002
19 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM a 37.062
20 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM a 42.442
21 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP™ Ducati a 42.887
22 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP™ Team Yamaha a 1:42.171
73 Alex Marquez LCR Honda Castrol Honda a 15 Voltas – Acidente
72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati a 18 Voltas – Acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP