GP da Alemanha – MotoGP – Mundial de Motovelocidade 2022

O Grande Prêmio da Alemanha consagrou Fabio Quartararo que conquistou a 3ªvitória na temporada e consolidou o francês na liderança do campeonato. Seus rivais, não conseguiram chegar nem perto do piloto da Yamaha. Após a classificação da Moto 3, a categoria rainha teve um atraso de uns 20 minutos para a realização do 4ºtreino livre. Após os últimos acertos dos pilotos e que foi disputado à repescagem. 13 pilotos disputariam 2 vagas para o Q2. Alex Rins não iria correr, ainda em consequência de dores por causa da queda no GP da Catalunha.

Fabio di Giannantonio e Darryn Binder foram os primeiros a entrarem na pista. Remy Gardner e Franco Morbidelli foram logo atrás. Sachsenring era uma pista curta, principalmente para uma Moto de 1000 cilindradas. Por isso que as primeiras marcas foram marcadas com menos de 3 minutos de sessão. Nessa história, Fabio di Giannantonio começou muito bem com a marca de 1:20.503, seguido de Remy Gardner e Franco Morbidelli. Era um bom começo para o filho de Wayne Gardner com sua KTM da Tech 3.

Fabio di Giannantonio foi para uma segunda volta e melhora em quase 2 décimos sua marca (1:20.307), colocando imensa vantagem de 7 décimos para Franco Morbidelli da Yamaha. O Ítalo-brasileiro foi superado por vários pilotos que fizeram voltas muito rápidas. Pol Espargaró passou a segunda posição com 1:20.703, seguido de Marco Bezzecchi, Alex Marquez, Enea Bastianini e Stefan Bradl. Franco caiu para 7ªposição. A Temporada de 2022 tem sido um inferno astral para o piloto da Yamaha.

Após a segunda volta, todo mundo foi para os boxes a 9 minutos do final. Mesmo com muito tempo pela frente, Fabio di Giannantonio estava sobrando na turma, com muita vantagem sobre os demais pilotos.

Andrea Dovizioso voltou mais cedo para a pista, tentando sair da última posição. Marco Bezzecchi sai para os boxes a menos de 6 minutos do final. Um minuto depois, os dois pilotos da KTM (Brad Binder e Miguel Oliveira) foram para a pista novamente, tentando sair das últimas posições.

Enquanto a pista voltava a ficar cheia de pilotos, Marco Bezzecchi foi buscar o segundo lugar a 3:20 do final, o piloto da VR46 fez 1:20.600. Com vários pilotos voltando a pista e em volta de aquecimento, Bezzecchi foi atrapalhado na volta seguinte e não pode melhorar sua volta.

Ninguém conseguiria mexer na posição de Fabio di Giannantonio, mas ainda dava para tirar Bezzecchi do Q2. Em uma belíssima volta, Miguel Oliveira da um pulo enorme e passa da 10ª para a 3ªposição, a 56 milésimos do piloto da VR46. O Português foi para a última volta, assim como Brad Binder que marcou o 5ºtempo e como todos os outros pilotos.

Na última tentativa, Bezzecchi erra e dá a chance para outros pilotos tomarem seu lugar. No apagar das luzes do Q1, Pol Espargaró marca uma belíssima volta, mas fica a 4 milésimos de Bezzecchi, ficando com o 13ºlugar no Grid de largada. Ao final da repescagem, Fabio di Giannantonio da Gresini passou com facilidade em 1º, seguido de Marco Bezzecchi que suou até o final para ficar com a segunda vaga. Pol, Miguel Oliveira e Brad Binder ficaram pelo caminho, assim como Alex Marquez, Enea Bastianini e o restante da turma que se encerra em Darryn Binder da RNF Racing.

Resultado do Q1:

1 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’20.3070
2 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’20.6000
3 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’20.6040
4 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’20.6560
5 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’20.7570
6 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’20.8880
7 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 01’20.9050
8 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda 01’20.9080
9 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’20.9650
10 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’21.0200
11 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’21.0890
12 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’21.3220
13 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’21.3220

Uma repescagem dominada totalmente por Di Giannantonio. Tivemos 10 minutos de intervalo para a fase final da classificação. 5 dos 12 pilotos partiram para a pista (Aleix, Mir, Marini, Fabio di Giannantonio e Bezzecchi). Os 2 favoritos a pole: Francesco Bagnaia e Fabio Quartararo foram os últimos a saírem para a pista junto de Marevick Viñales.

Com quase 3 minutos de sessão percorrida, Aleix Espargaró marcou 1:20.413 e fincou lugar na primeira posição, seguido de Fabio di Giannantonio que estava embalado com a ótima performance no Q1. Aleix manteve a liderança até que Francesco Bagnaia em uma grande volta tomou a ponta com 1:20.098.

Com 4 minutos e 10 minutos de sessão, Aleix Espargaró melhora um pouco seu tempo (1:20.379). Luca Marini chegou perto de Aleix ao marca 1:20.425.  30 segundos depois, Jack Miller (1:20.154) e Jorge Martin (1:20.277) passaram Aleix Espargaró e passaram a 2ª e 3ªposições. O líder do campeonato, Fabio Quartararo teve a primeira volta cancelada e sua segunda volta não foi animadora levando o francês ao 6ºlugar.

Com 9 minutos pela frente, a Ducati tinha toda a primeira fila nas suas mãos, com Bagnaia na frente, Miller e Martin completando a primeira fila. Aleix vinha em 4ºlugar com sua Aprilla, seguido de Luca Marini da VR46 e Fabio Quartararo com sua Yamaha. Di Giannantonio, Zarco, Nakagami, Mir, Viñales e Bezzecchi completavam a classificação do Q2.

A menos de 9 minutos do final, Bagnaia e Mir saíram para a segunda tentativa. Após a volta de aquecimento, Peppo disposto a consolidar a pole partiu para uma melhor volta e conseguiu a 5:20 do final da sessão, mas foi uma melhora de apenas 34 milésimos (1:20.064). Para Mir, a tentativa não valeu muita coisa, não conseguiu passar da 10ªposição. Nessa altura, alguns pilotos não só já tinham voltado para a pista, mas também já começaram a partir para volta rápida, como era o caso de Aleix Espargaró.

A menos de 4 minutos do final, Peppo Bagnaia baixa seu tempo, dessa vez uma melhora significativa para 1:19.931, deixando a vida de seus concorrentes muito mais difícil. A 3:10 do final, Aleix Espargaró com 1:20.120 e Fabio di Giannantonio (8 milésimos mais lento que Aleix) pularam para a 2ª e 3ªposições.

Fabio Quartararo estava em uma situação difícil, ele partiu para uma nova volta para tentar melhorar a sua precária posição no Grid de largada. A volta se mostrava ser uma volta complicada, mas o francês conseguiu uma grande melhora no último setor e acabou passando para a segunda posição (1:20.093). Mas essa segunda posição foi tomada pelo compatriota Johann Zarco, a 1:55 do final o piloto da Pramac marcou 1:20.038.

Quartararo precisava fazer mais uma volta para reaver a segunda posição. A 1 minuto do final, o piloto da Yamaha marcou 1:20.007 e recuperou a segunda posição, mas a pole position acabou ficando mesmo com Francesco Bagnaia com sua Ducati, o italiano foi o dominador do dia, liderando praticamente todo o Q2.

Fabio Quartararo conseguiu se colocar em uma ótima segunda posição, suas duas últimas voltas foram salvadoras e levaram o piloto da Yamaha a sair de uma posição incomoda de ficar fora da primeira fila. Johann Zarco da Pramac completa a primeira fila, uma boa classificação do piloto francês que ainda buscava a primeira vitória na MotoGP.

Após a falha na Catalunha, Aleix Espargaro buscaria a recuperação largando da 4ªposição.  Depois de excelente repescagem, Fabio di Giannantonio fez um excelente Q2 e vai largar na 5ªposição, sendo a segunda vez que o italiano larga entre os 5 primeiros colocados. Jack Miller, outro representante da Ducati vai fechar a 2ªfila.

Luca Marini, piloto que esta mostrando evolução nesse percorrer de temporada vai largar em 7º, abrindo a 3ªfila. Jorge Martin chegou a aparecer na 3ªposição, mas ficou para trás e teve que se contentar em partir da 8ªposição, muito atrás do companheiro de equipe. Marevick Viñales melhorou um pouco no final e garantiu a última posição da 3ªfila. Completando a classificação do Q2, Takaagi Nakagami da LCR Honda, Marco Bezzecchi da VR46 e Joan Mir, único representante da Suzuki no GP da Alemanha.

Grid de largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 01’19.9310
2 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’20.0070
3 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati 01’20.0300
4 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 01’20.1200
5 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’20.1280
6 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’20.1500
7 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’20.1680
8 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati 01’20.2190
9 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’20.4680
10 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’20.5620
11 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’20.5930
12 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’20.7320
13 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’20.6040
14 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’20.6560
15 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’20.7570
16 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’20.8880
17 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 01’20.9050
18 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda 01’20.9080
19 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’20.9650
20 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’21.0200
21 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’21.0890
22 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’21.3220
23 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’21.3220

Se o sábado foi dominado pelo Francesco Bagnaia, o domingo acabou sendo bem diferente, Fabio Quartararo com uma grande largada e com uma condução impecável levou o piloto da Yamaha a sua terceira vitória na temporada e a consolidação da liderança do campeonato.

Na largada, Quartararo larga melhor que Bagnaia e assume a liderança na entrada da curva 1. Outra ultrapassagem no começo de corrida, Aleix Espargaró passou Johann Zarco e assumiu a terceira posição. Fabio di Giannantonio manteve o 5ºlugar seguido de Jack Miller que precisava pagar uma volta longa, Luca Marini, Marevick Viñales, Takaagi Nakagami e Jorge Martin completando os 10 primeiros colocados.

A partir daquele momento, Peppo Bagnaia foi para cima de Fabio Quartararo, de forma intensa para recuperar a liderança da prova. Na segunda volta, o piloto da Ducati passa, mas Quartararo recuperou a 1ªposição. Na 4ªvolta a disputa terminou com a queda de Peppo, novamente o piloto da Ducati abandonava a corrida, segundos depois, Joan Mir caiu praticamente na mesma curva e terminava ai o final de semana da Suzuki.

A partir dai, começou o domínio de Quartararo na ponta, seguido de Johann Zarco que superou Aleix Espargaró e passou a ser o segundo depois da queda de Peppo. Os dois pilotos da Aprilla vinham na terceira e Quarta posições, com Aleix na frente de Marevick Viñales com um belo começo de corrida, ganhando 5 posições e demonstrando esta já mais adaptado a moto italiana. Jack Miller cumpriu a punição da volta longa e voltou na 7ªposição, atrás de Fabio di Giannantonio e Jorge Martin. Binder, Marini e Nakagami completavam os 10 primeiros colocados.

Enquanto Quartararo abria 1.2 segundos de Zarco, Takaagi Nakagami foi para o chão na metade da 7ªvolta, começaria o dia de terror da Honda em Sachsenring. Na mesma volta, a LCR Honda perderia Alex Marquez com problemas mecânicos e deixaria a corrida alemã.

Lá na frente, Quartararo e Zarco já estavam abrindo vantagem para Aleix Espargaró e Viñales. Um pouco mais atrás, Jack Miller marcava pressão em cima de Fabio di Giannantonio. Era claro que o piloto da Gresini estava segurando o australiano. A batalha pela 5ªposição durou até a 14ªVolta, quando Miller superou di Giannantonio, tomou o 5ºlugar e começou a tirar a diferença de quase 2 segundos para Aleix e Viñales, os dois brigavam pela 3ªposição, com o piloto espanhol parecendo ter mais rendimento que o vice-líder do campeonato.

Enquanto isso, Fabio Quartararo e Johann Zarco estavam bem a frente dos demais pilotos. Na metade da corrida, muito pouca disputa de posição. A 13 voltas do final, Jack Miller chegou nos dois pilotos da Aprilla. Para ganhar o pódio, Miller precisava passar por Viñales, mas não precisou de muita disputa, tudo por causa de problemas mecânicos na moto de Viñales que facilitou a vida do piloto da Ducati, passando a ser o 4ºcolocado. Logo que ganha essa posição, Jack Miller passa a pressionar Aleix Espargaró na luta pelo pódio.

Fabio di Giannatonio voltou a 5ªposição, mas estava muito pressionado por Jorge Martin e Luca Marini. Com melhor desempenho, Martin passou o piloto da Gresini no final da 21ªVolta. Pouco depois, Marini e Brad Binder também superaram Di Giannantonio que caiu para a 8ªposição.

Com Quartararo na liderança, 3 segundos a frente de Zarco, que por sua vez vinha em uma tranquila segunda posição (quase 6 segundos de vantagem para Aleix e Miller). A briga da corrida era pelo pódio entre Aleix Espargaró e Jack Miller nas voltas finais do GP da Alemanha. Enquanto isso, Luca Marini passou Jorge Martin e faturou a 5ªposição, um bom resultado para o piloto da VR46.

Jack Miller por duas vezes passou Aleix Espargaró e tomou o x em ambas as vezes na curva 1. Parecia que o piloto da Aprilla conseguiria resistir a pressão e ficar com o lugar no pódio, mas a no começo da antepenúltima volta, Aleix errou a curva, espalhou na curva 1 e Miller passou para a 3ªposição. Luca Marini se aproximou do piloto da Aprilla com alguma esperança de pegar o 4ºlugar.

Fabio Quartararo não teve qualquer susto para conquistar a vitória, a 3ª na temporada e a garantia de terminar a primeira parte da temporada na liderança do Mundial. O francês abre 34 pontos de frente para Aleix Espargaró. Mesmo com os problemas da Yamaha, Quartararo esta em um grande momento e tem tudo para conquistar o bicampeonato da categoria.

Johann Zarco fez um ótimo final de semana, largando na primeira fila, andando muito bem durante todas as 30 voltas e conquistando pela segunda vez a segunda posição na temporada. Curiosiamente as 2 vezes que Zarco ficou em 2º o vencedor foi Fabio Quartararo e foi também a 2ªdobradinha francesa em 2022.

Jack Miller se redimiu das péssimas atuações na Itália e Catalunha, conquistou uma importante 3ªposição. O australiano que vai rumar para a KTM na temporada de 2023 precisa buscar sair da Ducati pelo menos com uma boa impressão e ajudando o time a ganhar o campeonato de equipes e de fabricantes.

Aleix Espargaró tem outro resultado a lamentar, em 4ºlugar, perdendo o pódio por causa de outro erro dele. Os erros nas corridas da Catalunha e da Alemanha levaram Aleix a perder 12 pontos que podem fazer muita falta no final do campeonato. Fabio Quartararo é que agradece por esses pontos jogados fora pelo piloto da Aprilla.

Luca Marini teve o seu melhor desempenho na temporada ao conquistar a 5ªposição e por ter sido constante na disputa pelas primeiras posições em toda a corrida. Para completar, Luca na reta final superou Jorge Martin da Pramac, o 6ºcolocado na classificação final, muito abaixo do desempenho de Johann Zarco. Em mais uma corrida regular, Brad Binder leva a sua KTM a 7ªposição, é a 9ªcorrida em que o guepardo sul-africano chega na zona de pontuação, com essa regularidade, Binder consegue estar na 5ªposição do Mundial de Pilotos.

Fabio di Giannantonio teve um bom final de semana, sem dúvida esta começando a se adaptar a MotoGP e o final de semana em Sachsenring foi seu melhor final de semana da temporada, com uma ótima classificação e uma boa corrida, guardadas as condições de uma moto Ducati do ano passado e por ser estreante na categoria 8ºlugar é um ótimo resultado. Sem grandes destaques, Miguel Oliveira da KTM e Enea Bastianini com a outra Ducati da Gresini completaram as 10 primeiras posições.

Em 11º chegou Marco Bezzecchi que não teve um dos melhores dias, seguido de Raúl Fernández, esse sim teve uma boa corrida, com uma moto e com uma equipe ruim e sendo novato assim como Remy Gardner, podemos dizer que o vice-campeão da Moto 2 de 2021 fez o que era possível nesse final de semana. Em 13ºlugar, Franco Morbidelli teve mais um desastroso final de semana, muito apagado e bem longe dos melhores dias na MotoGP.

Os últimos pilotos na zona de pontuação foram Andrea Dovizoso da RNF Racing e Remy Gardner com sua Tech 3. Os dois chegaram muito na frente do alemão Stefan Bradl, 16ºcolocado com a única moto da Honda a chegar ao final da corrida. Com esse resultado, a fabrica japonesa não pontua pela primeira vez na categoria principal desde de 1982. Sem dúvida, esse e o auge da crise, sem seu principal piloto e sem uma moto competitiva para os seus outros pilotos, tudo esta se encaminhando para a pior temporada da história recente da Honda.

Resultado Final da 10ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Alemanha – Sachsenring – 30 Voltas – MotoGP

pos piloto equipe moto tempo
1 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 41’12.8160
2 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati a 4.939
3 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati a 8.372
4 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia a 9.113
5 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati a 11.679
6 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati a 13.164
7 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM a 15.405
8 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati a 15.851
9 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM a 19.740
10 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati a 21.611
11 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati a 23.175
12 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM a 26.548
13 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 29.014
14 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 30.680
15 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM a 30.812
16 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda a 52.040
44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda a 8 Voltas – Fisico
12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia a 11 Voltas – Mecânico
73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda a 24 Voltas – Acidente
30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 24 Voltas – Motor
40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 25 Voltas – Acidente
36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 27 Voltas – Acidente
63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati a 27 Voltas – Acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da Alemanha – Moto 3 – Mundial de Motovelocidade 2022

Sachsenring, a pista mais curta e encurvada do Mundial de Motovelocidade, palco de mais uma etapa do campeonato. Esse cenário favorecia muito as motos com menos potência. A prova era que as diferenças entre as motos da MotoGP para a Moto 2 e Moto 3 são as menores do campeonato inteiro.

Para a etapa da Moto 3, tivemos a volta de Diogo Moreira depois de se ausentar da classificação e da corrida do GP da Catalunha e a volta também de Ayumu Sasaki.

Segundos depois de começar a repescagem, os pilotos começaram a partir para a pista, liderados por Ivan Ortolá e Stefano Nepa. Os mais fortes e favoritos a passar para a segunda fase eram sem dúvida Deniz Oncü e Riccardo Rossi. Com 3:30 de sessão, Xavier Artigas faz o primeiro tempo (1:27.137) colocando mais de 4 décimos de frente de Matteo Bertelle da Avintia (1:27.575). Riccardo Rossi vinha em 3º e Taiyo Furusato completava a zona de classificação.

Como a pista é curtinha, dava para os pilotos darem mais voltas rápidas e até algumas táticas diferentes. Artigas queria melhorar seu tempo e se consolidar na liderança, mas não conseguiu e muito pelo contraio, foi superado por Riccardo Rossi, o piloto da SIC58 marcou 1:27.068. Artigas teria sido superado por por Bertelle, mas a volta do piloto da Avintia foi cancelada e o piloto da CF Moto preservou o segundo lugar. Taiyo Furusato e Matteo Bertelle completavam a zona de classificação, com um terço de Repescagem concluido. Diogo Moreira vinha em uma decente 5ªposição, seguido de Fellon, Adrian Fernández e Deniz Oncü.

Com 8:50 para o final da classificação, praticamente todos estavam ou foram para os boxes (com exceção de Ortolá e Nepa). 2 Minutos depois, os pilotos começaram a voltar para a segunda fase do Q1. Os pilotos tinham muito tempo para melhorarem suas marcas, principalmente Deniz Oncü. O turco foi com tudo para marcar a impressionante marca de 1:26.616, passando a ser o primeiro colocado quando faltavam 3:40 para o termino da sessão, colocando 4 décimos em Riccardo Rossi. Adrian Fernández foi muito bem na sua volta e passou para a 3ªposição e Diogo Moreira melhorou a volta, mas ainda não foi o bastante para entrar na zona de classificação.

Na ânsia de melhorar seus tempos, as quedas começavam a acontecer, 4 pilotos foram ao chão: Xavier Artigas, Mario Aji, Riccardo Rossi e Joshua Whatley. A bandeira amarela estava acionada para o setor2 do circuito. Nesse momento a menos de 3 minutos do final já estava difícil a melhora dos tempos.

A 40 segundos do final, Taiyo Furusato conseguiu melhorar sua marca que levaria ao 3ºlugar. Porém, a sua volta foi cancelada. Deniz Oncü já tinha voltado para os boxes, confiante que sua volta seria o suficiente para entrar no Q2. Nós últimos momentos, Matteo Bertelle faz uma boa volta, mas acaba ficando na 5ªposição.

Com o cronometro zerado, Oncü, Fernández, Rossi e Artigas conquistaram a classificação. Mas minutos depois do final do Q1, os comissários cancelaram a melhor volta de Deniz Oncü que foi jogado para a 10ªposição. Adrian Fernández passou a ser o 1ºcolocado da repescagem, seguido de Rossi, Artigas e Matteo Bertelle que herdou a vaga do piloto turco.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 31  Adrian Fernandez Red Bull KTM Tech3 KTM 01’26.806
2 54  Riccardo Rossi SIC58 Squadra Corse Honda 01’27.068
3 43  Xavier Artigas CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO 01’27.137
4 18  Matteo Bertelle QJMotor Avintia Racing Team KTM 01’27.144
5 10  Diogo Moreira MT Helmets – MSI KTM 01’27.192
6 72  Taiyo Furusato Honda Team Asia Honda 01’27.254
7 82  Stefano Nepa Angeluss MTA Team KTM 01’27.418
8 20  Lorenzo Fellon SIC58 Squadra Corse Honda 01’27.462
9 23  Elia Bartolini QJMotor Avintia Racing Team KTM 01’27.693
10 53  Deniz Öncü Red Bull KTM Tech3 KTM 01’28.001
11 67  Alberto Surra Rivacold Snipers Team Honda 01’28.019
12 48  Ivan Ortola Angeluss MTA Team KTM 01’28.101
13 27  Kaito Toba CIP Green Power KTM 01’28.109
14 70  Joshua Whatley VisionTrack Racing Team Honda 01’28.114
15 64  Mario Suryo Aji Honda Team Asia Honda 01’28.186
16 22  Ana Carrasco BOE Motorsports KTM 01’29.017

Após os 10 minutos de intervalo onde aconteceu o cancelamento da volta de Oncü, 6 dos 18 postulantes a pole (Sasaki, Odgen, Yamanaka, McPhee, Kelso e Tatay) entraram imediatamente assim que o cronometro foi disparados. Um segundo grupo saiu após 1 minuto e 30 segundos de sessão percorrida. Guevara, Foggia, Suzuki e Migno saíram com 2 minutos de sessão. Riccardo Rossi foi o único a ficar nos boxes.

Com 3 minutos de sessão, John McPhee da Husqvarna foi o mais rápido com 1:26.751, seguido de Ayumu Sasaki (Companheiro de equipe do escocês), Ryusei Yamanaka, Scott Odgen e Carlos Tatay. A sessão começaria a esquentar a partir desse momento.

Jaume Masia foi para o chão na curva 6. Já lá em cima, Sasaki supera McPhee e pula para a ponta, com 4:30 de sessão. Ryusei Yamanaka passou para segundo, deixando John McPhee na terceira posição. Os favoritos ainda não tinham aparecido na sessão. Os pilotos da Leopard Racing (Suzuki e Foggia) marcaram o 6º e 7ºtempos respectivamente.

A 8:40 do final, Izan Guevara aparece na sessão e marca o 2ºtempo, mas sua volta acabou sendo cancelada. Quem assumiu a segunda posição foi Tatsuki Suzuki. Após metade da sessão completada, A 1ªfila teria a trinca japonesa formada por Sasaki, Suzuki e Yamanaka. Nessa altura da sessão, somente Guevara, Suzuki, Foggia e Migno estavam na pista para marcarem mais uma volta. Após ter sua volta anulada, o piloto da Gas Gas foi para os boxes. Já Suzuki e Foggia melhoraram a suas voltas, sendo que o piloto italiano da Leopard Racing subiu para a 6ªposição, atrás de McPhee e de Daniel Holgado.

Os pilotos começaram a voltar para a pista a 6:30 do final do Q2. Alguns outros pilotos continuavam na pista, como era o caso de Sergio Garcia. Os pilotos da Leopard Racing foram para os boxes 1 minuto depois, mas certamente eles voltariam para a pista.

Ryusei Yamanaka e Scott Odgen queriam colocar os cronômetros para baixo, mas foi o jovem e novato Daniel Holgado que conseguiu o feito a menos de 3 minutos do final, passando para a ponta ao marcar o tempo de 1:26.189.

A 2 minutos do final, a turma que estava os boxes voltou para a pista. Daniel Holgado tinha a pole na mão, mas a 30 segundos do final, em uma volta sensacional, Izan Guevara passou a ser o pole com 1:25.869. Dennis Foggia passou para a terceira posição, mas ainda tinha uma última tentativa e foi o bastante para tomar a segunda posição de Daniel Holgado.

Izan Guevara conquista a pole position, o piloto da Gas Gas vem embalado pelos bons resultados e principalmente pela vitória no GP da Catalunha. O piloto espanhol terá a companhia de Dennis Foggia da Leopard Racing (piloto que precisava se recuperar, pois vinha de 2 corridas sem marcar pontos) e de Daniel Holgado da equipe Ajo, em busca do seu primeiro pódio na carreira. Algo que começava a ser possível para esse promissor piloto espanhol.

A segunda fila será toda japonesa, com Ayumu Sasaki comandando essa fila, em uma volta muito boa após ter ficado de fora do GP da Espanha. Em 5º, Tatsuki Suzuki que vem de 2 pódios seguidos (Itália e na Catalunha) e Ryusei Yamanaka da MT Helmets.

David Muñoz, surpresa e revelação do GP da Catalunha, abre a 3ªfila, em 7ºlugar, na frente do líder do campeonato, Sergio Garcia pouco apareceu na classificação e acabou em uma modesta 8ªposição. Matteo Bertelle fez uma bela classificação, quase que acaba eliminado, mas conseguiu entrar no Q2 pela anulação do tempo de Oncü e aproveitou bem a chance de disputar a parte final da classificação, ficando em uma ótima 9ªcolocação no Grid de largada. Scott Odgen da VisionTrack, Joel Kelso da CIP Green e Andrea Migno da Snipers completam os 12 primeiros colocados.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 28 Izan Guevara GASGAS Aspar Team GASGAS 01’25.869
2 7 Dennis Foggia Leopard Racing Honda 01’26.164
3 96 Daniel Holgado Red Bull KTM Ajo KTM 01’26.189
4 71 Ayumu Sasaki Sterilgarda Husqvarna Max Husqvarna 01’26.299
5 24 Tatsuki Suzuki Leopard Racing Honda 01’26.325
6 6 Ryusei Yamanaka MT Helmets – MSI KTM 01’26.467
7 44 David Muñoz BOE Motorsports KTM 01’26.617
8 11 Sergio Garcia GASGAS Aspar Team GASGAS 01’26.626
9 18 Matteo Bertelle QJMotor Avintia Racing Team KTM 01’26.640
10 19 Scott Ogden VisionTrack Racing Team Honda 01’26.645
11 66 Joel Kelso CIP Green Power KTM 01’26.649
12 16 Andrea Migno Rivacold Snipers Team Honda 01’26.734
13 17 John McPhee Sterilgarda Husqvarna Max Husqvarna 01’26.751
14 31 Adrian Fernandez Red Bull KTM Tech3 KTM 01’26.759
15 54 Riccardo Rossi SIC58 Squadra Corse Honda 01’27.101
16 43 Xavier Artigas CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO 01’27.256
17 99 Carlos Tatay CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO 01’27.474
18 5 Jaume Masia Red Bull KTM Ajo KTM Sem Tempo
19 10  Diogo Moreira MT Helmets – MSI KTM 01’27.192
20 72  Taiyo Furusato Honda Team Asia Honda 01’27.254
21 82  Stefano Nepa Angeluss MTA Team KTM 01’27.418
22 20  Lorenzo Fellon SIC58 Squadra Corse Honda 01’27.462
23 23  Elia Bartolini QJMotor Avintia Racing Team KTM 01’27.693
24 53  Deniz Öncü Red Bull KTM Tech3 KTM 01’28.001
25 67  Alberto Surra Rivacold Snipers Team Honda 01’28.019
26 48  Ivan Ortola Angeluss MTA Team KTM 01’28.101
27 27  Kaito Toba CIP Green Power KTM 01’28.109
28 70  Joshua Whatley VisionTrack Racing Team Honda 01’28.114
29 64  Mario Suryo Aji Honda Team Asia Honda 01’28.186
30 22  Ana Carrasco BOE Motorsports KTM 01’29.017

No domingo, o espanhol Izan Guevara que partiu da pole position não deu chances para seus adversários e conquistou a sua 3ªvitória no ano e se aproximou de Sergio Garcia na disputa pela liderança e pelo título de pilotos da Moto 3.

Guevara largou bem e garantiu a liderança, Suzuki chegou a superar Foggia que quase de imediato recuperou a 2ªposição. Na curva 1, um perigoso acidente que envolveu 5 pilotos, mas foram os pilotos Carlos Tatay, Riccardo Rossi e o escocês John McPhee que acabaram se acidentando. Os dois primeiros abandonaram a corrida, já o 3º, ficou na corrida, mas na última posição, comprometendo a sua corrida.

No final da primeira volta, Guevara, Foggia, Suzuki, Muñoz, Garcia e Holgado ocupavam as 6 primeiras posições. A partir da metade da 2ªVolta, Daniel Holgado começou a sua escalada rumo às primeiras posições. O jovem piloto da Ajo passou Sergio Garcia e David Muñoz passando a 4ªposição. Sergio Garcia também passou por Muñoz que acabaria ficando para trás com o decorrer das voltas. Na 3ªVolta, Holgado passou Suzuki e assumiu a terceira posição e já partiu para cima de Dennis Foggia.

Por parte das punições Ruysei Yamanaka teve de pagar uma volta longa de punição por ter derrubado David Salvador e Daniel Holgado durante o GP da Catalunha e caiu para a 13ªposição quando cumpriu essa penalidade. Pior seria para Deniz Oncü e Kaito Toba, os dois queimaram a largada e teriam de cumprir por duas vezes a punição da volta longa.

Ao iniciar a 4ªVolta, Daniel Holgado passa Dennis Foggia e assume a segunda posição e logo depois, Holgado já foi para cima de Izan Guevara, era um impressionante inicio para esse jovem piloto que faz sua primeira temporada completa. Na metade da 5ªVolta, Scott Odgen e Matteo Bertelle se acidentaram e deixavam a corrida.

Na disputa entre Guevara e Holgado, o piloto da Gas Gas abriu um pouco de vantagem na frente, já o piloto da equipe Ajo errou a curva e perdeu posição para Foggia e Suzuki. No final da 6ªvolta, Garcia e Suzuki passaram por Holgado e passaram para 4ª e 5ªposições respectivamente. Os dois pilotos da Gas Gas e os dois pilotos da Leopard Racing estão nas 4 primeiras posições. Sem dúvida são as duas melhores equipes da Moto 3. Joel Kelso caiu na 7ªvolta e abandona a corrida. O Australiano fez sua estreia na moto 3 exatamente nessa pista no ano passado.

Com o decorrer das voltas, Izan Guevara começava a abrir vantagem para o restante do Grupo (8 décimos na 7ªvolta) que era liderado por Foggia, seguido de Suzuki, Garcia, Sasaki e Holgado. No segundo pelotão vinha sendo liderado por Deniz Oncü, em 7ºlugar, isso mesmo sofrendo uma punição de duas voltas longas. Muñoz, Ortolá, Adrián Fernández, Masia, Migno, Nepa, Bartolini e Artigas.

Na 10ªVolta, Sergio Garcia supera Tatsuki Suzuki, assumindo a terceira posição. Com 10 voltas completadas, Dennis Foggia e Sergio Garcia estavam advertidos e não poderiam passar do limite da pista, se não, seriam penalizados. No segundo bloco, estava movimentada a briga entre Oncü, Masia, Fernández, que eram 3 pilotos das equipe oficiais da KTM (Ajo e Tech 3).

As posições na frente continuavam inalteradas na parte da frente (Guevara, Foggia, Garcia, Suzuki, Sasaki e Holgado). Ao chegar na 14ªVolta, Sergio Garcia partiu para cima de Dennis Foggia. A corrida parecia muito mais um jogo de xadrez, os pilotos estavam calculando bem as suas estratégias. Um movimento errado custaria posições na corrida. Ao contraio das outras corridas, o líder abria cada vez mais do pelotão que o seguia, Izan Guevara vinha a 2 segundos de Foggia.

A classificação só se modificou quando faltava 12 voltas do final, quando Ayumu Sasaki superou seu compatriota Tatsuki Suzuki e assumiu a 4ªposição. Enquantp ossp. Oncü e Fernández buscaram fugir de Masia e Muñoz. Logo a seguir, Andrea Migno e Ivan Ortolá disputavam a 11ªposição.

Izan Guevara estava com a corrida na mão, A briga da corrida no final passou a ser entre Foggia e Garcia pela 2ªposição. Logo atrás, Sasaki e Suzuki estavam na espera, principalmente porque tanto Foggia como Garcia já tinham sido advertidos. Com mais uma saída de pista dos dois da frente, os japoneses poderiam se beneficiar.

Izan Guevara não teve adversários, acabou vencendo de ponta a ponta a sua 3ªcorrida na temporada. O Espanhol vem em grande sequência no campeonato, se aproximando de Sergio Garcia na pontuação e coloca mais fogo na disputa do título. A briga entre Foggia e Garcia se estendeu até o final da corrida, na última curva, quando Sergio Garcia passou Foggia, mas o piloto da Leopard Racing deu o X e assegurou o segundo lugar, um ótimo resultado para quem vinha de dois abandonos seguidos. Sergio Garcia completou o pódio, mas viu a sua liderança no campeonato ficar um pouco mais ameaçada pelo Guevara, seu companheiro de equipe.

De volta após ficar de fora do GP da Catalunha, Ayumu Sasaki fez um grande final de semana e terminou o dia na 4ªposição. Tatsuki Suzuki não repetiu os belíssimos desempenhos das duas últimas corridas e terminou o dia na 5ªposição, bem a frente de Daniel Holgado que perdeu folego na reta final e acabou o dia na 6ªposição, mas pelo menos mostrou disposição para lutar pelos primeiros lugares, certamente dará frutos para a equipe Ajo na segunda metade da temporada.

Deniz Oncü chegou na 7ªposição a menos de 1 segundo de Holgado, apesar de largar muito atrás e de ter sido punido por queima de largada (2 voltas longas) o turco obteve um belo desempenho, mas por erros dele terminou sendo prejudicado. Adrian Fernández terminou o dia em uma boa 8ªposição, 1.2 segundos atrás de Oncü, o companheiro de equipe da Tech 3.

David Muñoz da BOE, Ivan Ortolá da Angeluss, Andrea Migno da Snipers e Jaume Masia da Ajo completaram as 12 primeiras posições. Após uma serie de boas corridas, Masia teve um resultado e um final de semana bem decepcionante, se afastando da luta do campeonato.

Resultado Final da 10ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Alemanha – Sachsenring – 27 Voltas – Moto 3

pos piloto equipe moto tempo
1 28  Izan Guevara GASGAS Aspar Team GASGAS 39’14.9460
2 7  Dennis Foggia Leopard Racing Honda a 4.853
3 11  Sergio Garcia GASGAS Aspar Team GASGAS a 4.964
4 71  Ayumu Sasaki Sterilgarda Husqvarna Max Husqvarna a 5.941
5 24  Tatsuki Suzuki Leopard Racing Honda a 9.081
6 96  Daniel Holgado Red Bull KTM Ajo KTM a 12.826
7 53  Deniz Öncü Red Bull KTM Tech3 KTM a 13.426
8 31  Adrian Fernandez Red Bull KTM Tech3 KTM a 14.664
9 44  David Muñoz BOE Motorsports KTM a 21.055
10 48  Ivan Ortola Angeluss MTA Team KTM a 21.272
11 16  Andrea Migno Rivacold Snipers Team Honda a 21.452
12 5  Jaume Masia Red Bull KTM Ajo KTM a 21.529
13 43  Xavier Artigas CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO a 31.870
14 23  Elia Bartolini QJMotor Avintia Racing Team KTM a 31.792
15 82  Stefano Nepa Angeluss MTA Team KTM a 31.949
16 10  Diogo Moreira MT Helmets – MSI KTM a 32.120
17 72  Taiyo Furusato Honda Team Asia Honda a 32.228
18 20  Lorenzo Fellon SIC58 Squadra Corse Honda a 32.321
19 17  John McPhee Sterilgarda Husqvarna Max Husqvarna a 45.223
20 27  Kaito Toba CIP Green Power KTM a 51.842
21 67  Alberto Surra Rivacold Snipers Team Honda a 55.564
22 22  Ana Carrasco BOE Motorsports KTM a 1:17.865
23 64  Mario Suryo Aji Honda Team Asia Honda a 5 Voltas
99  Carlos Tatay CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO a 10 Voltas – Acidente
6  Ryusei Yamanaka MT Helmets – MSI KTM a 13 Voltas – Fisico (Piloto)
70  Joshua Whatley VisionTrack Racing Team Honda a 13 Voltas – Mecânico
66  Joel Kelso CIP Green Power KTM a 18 Voltas – Acidente
18  Matteo Bertelle QJMotor Avintia Racing Team KTM a 23 Voltas – Acidente
19  Scott Ogden VisionTrack Racing Team Honda a 23 Voltas – Acidente
54  Riccardo Rossi SIC58 Squadra Corse Honda a 27 Voltas – Acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da Catalunha – MotoGP – Mundial de Motovelocidade 2022

Final de semana sem Marc Marquez, o GP da Catalunha seria uma etapa muito difícil para os pilotos da Honda, principalmente para o alemão Stefan Bradl que volta a posição de titular da Honda Repsol.

Enquanto Marco Bezzecchi se encaminhava para a sua moto, Joan Mir foi um dos primeiros a sair para a pista. Dos 15 pilotos, apenas Alex Marquez não foi para a pista e não iria para a pista, pois sofreu um acidente muito grave e era dúvida para a corrida no domingo.

Muitos pilotos desistiram da primeira volta como Joan Mir e Miguel Oliveira. Dos pilotos que marcaram volta pra valer, Marco Bezzecchi (vindo de uma ótima corrida na Itália) marcou 1:39.942 com 3:30 de sessão e assumiu a liderança. Brad Binder fez um belo tempo de 1:40.293, mas acabou sendo superado pelo espanhol Marevick Viñales que ainda esta em busca de um melhor rendimento na Aprilla.

Com 1/3 de sessão superada, Bezzecchi se consolidou na liderança ao marca 1:39.609. Franco Morbidelli marca o segundo tempo, seguido do surpreendente Remy Gardner da Tech 3 e de Brad Binder da KTM. O piloto da VR46 parecia imbatível até que Viñales a 9:25 do final marca 1:39.554 e passa a liderança da repescagem. Nakagami e Bastianini fazem boas marcas e pulam para a 3ª e 4ªposições respectivamente.

Enquanto os pilotos foram para os boxes na metade da sessão, Joan Mir partiu para uma nova volta e conseguiu melhorar 4 posições a sua classificação, da 10ª para a 6ªposição. Viñales e Bezzecchi estavam sendo os classificados para o Q2.

A 6 minutos do final, Franco Morbidelli foi o primeiro a sair para a última tentativa. Não demorou muito para os demais pilotos partirem para a pista, a menos de 5 minutos do final do Q1.

Morbidelli não consegue melhorar sua marca, ao contraio de Brad Binder e Miguel Oliveira, os dois pilotos oficiais da KTM entram nas 2 primeiras posições e jogam Bezzecchi e Viñales para fora da zona de classificação. A 1:30 do final, Viñales com 1:39.216 e Bezzecchi com 1:39.240 destronaram os pilotos da equipe austríaca.

Na tentativa de melhorar sua marca, Miguel Oliveira acabou errando e saindo da disputa. Enea Bastianini fez uma grande volta, andou muito rápido na sua última tentativa, mas não foi o suficiente para superar Bezzecchi, ficando na terceira posição. Apenas no apagar das luzes, Takaagi Nakagami tirou um coelho da cartola, marcou 1:39.223 e tomou a posição de Bezzecchi.

A Sessão terminou com Viñales e Nakagami classificados para o Q2. Bezzecchi extremamente frustrado pela vaga ter escapado das suas mãos ficou com o 3ºlugar e Enea Bastianini na 4ªposição. Brad Binder e Miguel Oliveira, os dois pilotos da equipe oficial da KTM ficaram na 5ª e 6ªposições, seguido de Joan Mir que desapontou com a 7ªposição. Stefan Bradl, substituto de Marc Marquez não foi além da 11ªposição na repescagem.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’39.216
2 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’39.223
3 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’39.240
4 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 01’39.246
5 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’39.249
6 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’39.420
7 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’39.664
8 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’39.884
9 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’40.071
10 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’40.113
11 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda 01’40.298
12 51 Michele Pirro Aruba.it Racing Ducati 01’40.351
13 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’40.373
14 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’40.587
73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda Sem Tempo

Após o intervalo de 10 minutos, chegou a hora do evento principal do dia. O Q2 da MotoGP da Catalunha com a luta entre Fabio Quartararo, Francesco Bagnaia e Aleix Espargaró, que diga-se de passagem o piloto da Aprilla foi o mais rápido dos treinos livres e favorito a pole position.

Alex Rins da Suzuki e Takaagi Nakagami da LCR Honda foram os primeiros a entrarem na pista. Depois de um tempo, Bagnaia e Quartararo saíram para a pista. Aleix foi o último a entrar, com 1:30 de sessão.

Com 3 minutos e 40 segundos de Q2, Nakagami foi o primeiro a fechar uma volta (1:39.785) e foi superado 10 segundos depois por Marevick Viñales (1:39.594). Com 4 minutos e 10 segundos de sessão, Bagnaia foi o primeiro a baixar a volta (1:39.499) e foi engolido pelo  espanhol Jorge Martin da Pramac (1:39.142). Porém, Quartararo acabou com a brincadeira, com 4:30 de sessão colocou os cronômetros abaixo e marcou o tempo de 1:39.055, deixando Martin para a segunda posição e Alex Rins em grande volta passando para a terceira posição.

Nakagami e Viñales foram para os boxes ao invés de fazerem uma melhor marca. O restante da turma tenta tomar a pole de Quartararo. Com 9:10 do final, Peppo Bagnaia fica a 10 milésimos de conseguir tirar a 1ªposição do piloto da Yamaha. Aleix também veio bem rápido, ficando na 3ªposição, mas a apenas 12 milésimos de Quartararo. Ao final da primeira parte da sessão os 5 primeiros colocados (Quartararo, Bagnaia, Aleix, Martin e Rins) estavam separados por apenas 90 milésimos de segundo. Zarco, Fabio di Giannantonio, Viñales, Marini, Miller, Nakagami e Pol Espargaró.

A 6 minutos do final, Viñales volta para a pista. Os outros 11 pilotos saíram 1 minuto e meio depois aproximadamente sendo que Quartararo foi o último a sair para os boxes para a pista. Todos estavam a caça do francês em busca da pole position.

Francesco Bagnaia foi com tudo para uma brilhante volta, baixando os cronômetros, com a marca de 1:38.787 o piloto da Ducati assume a liderança, sendo o primeiro a entrar na casa do 1 minuto e 38 segundos. Quartararo e Aleix Espargaró teriam de lutar para tirar a pole de Bagnaia.

Aleix Espargaró não estava satisfeito com o terceiro lugar, queria bem mais, queria a pole position e foi isso que ele buscou e conseguiu a 1:20 do final do Q2, marcando 1:38.742, passando a liderança da sessão. Johann Zarco melhorou e passou a ser o 4ªcolocado a 1 minuto do final. 10 segundos depois, Fabio Quartararo foi buscar a pole novamente, mas por questão de 2 décimos, acabou ficando com o terceiro lugar.

Peppo ainda tentou uma última volta, mas só conseguiu melhorar alguns milésimos, insuficiente para tirar de Aleix Espargaró a pole position. O piloto mais rápido dos treinos livres confirmou o favoritismo para a classificação, levando a Aprilla a segunda pole na temporada de 2022. Peppo Bagnaia da Ducati e Fabio Quartararo da Yamaha, os dois mais temíveis adversários vão completara a primeira fila.

A segunda fila vai ser aberta pelo francês Johann Zarco da Pramac, Após o belo final de semana em Mugello, Fabio di Giannantonio fez mais uma boa classificação e levou a Ducati de 2021 da Gresini a uma ótima 5ªposição e fechando a segunda fila, o espanhol Jorge Martin da Pramac.

Na terceira fila largam o espanhol Alex Rins com sua Suzuki, Marevick Viñales com a Aprilla e Luca Marini da VR46 e na 4ªfila largam Pol Espargaró da Honda Repsol, Jack Miller que desapontou mais uma vez e vai largar na 11ªposição com a Ducati e Takaagi Nakagami da LCR Honda.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 01’38.742
2 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 01’38.773
3 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’38.959
4 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati 01’39.027
5 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’39.099
6 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati 01’39.1420
7 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’39.145
8 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’39.397
9 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’39.451
10 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’39.477
11 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’39.523
12 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’39.611
13 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’39.240
14 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 01’39.246
15 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’39.249
16 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’39.420
17 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’39.664
18 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’39.884
19 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’40.071
20 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’40.113
21 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda 01’40.298
22 51 Michele Pirro Aruba.it Racing Ducati 01’40.351
23 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’40.373
24 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’40.587
25 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda Sem Tempo

A principal corrida do dia, a MotoGP teve uma corrida não tão emocionante assim, isso porque o francês Fabio Quartararo acabou passeando no circuito da Catalunha, conquistando a 2ªvitória na temporada e consolidando a liderança do campeonato.

Uma corrida que começou a dar muito certo para Quartararo na largada, com uma bela manobra em cima de Aleix Espargaró para assumir a liderança da corrida. Logo atrás, Takaagi Nakagami fez uma brilhante largada, mas acabou caindo na entrada da curva 1, se chocando na roda de Peppo Bagnaia com a cabeça, que fez o piloto da Ducati cair. O Japonês também derrubou Alex Rins da Suzuki. 3 pilotos abandonaram na primeira curva, tudo por causa do desequilíbrio da moto de Nakagami que nem achei imprudência dele, foi mais uma queda do que uma pilotagem imprudente do piloto japonês.

Ao completar a primeira volta, Quartararo, Aleix Espargaró, Jorge Martin e Johann Zarco abriram dos demais pilotos que vinham sendo liderados por Pol Espargaró, a corrida começava muito bem para o piloto da Honda, mas foi só o começo que foi bom, pois o restante da corrida, você vai ver como foi. Joan Mir teve uma estupenda recuperação, largando na 17ªposição e já conseguindo estar na 6ªposição.

Stefan Bradl abandona a corrida ainda na primeira volta, não durou muito a reestreia do substituto de Marc Marquez. Lá na frente, Jorge Martin pressionou Aleix Espargaró até conseguir a ultrapassagem na entrada da terceira volta. O piloto da Pramac passou para a segunda posição. Joan Mir teve que ceder uma posição por ignorar bandeira amarela (certamente pelo acidente de Stefan Bradl), punição que foi comprida na volta seguinte. Mas Mir não baixa a guarda, foi pra cima do italiano Luca Marini que estava fazendo um bom final de semana com a Ducati de 22 da VR46.

Na 4ªVolta, Fabio di Giannantonio comete um erro em uma curva e perde 3 posições, caindo para a 12ªposição. Enquanto isso, Joan Mir supera Marini e ganha a 5ªposição. Após 5 voltas de corrida, Quartararo já vinha 1.5 segundos a frente de Martin, Aleix e Zarco. Marco Bezzecchi acaba indo ao chão na curva 10, mais um piloto a deixar a corrida.

Na 7ªVolta, Enea Bastianini vinha sendo pressionado por Marevick Viñales que ainda buscava se encontrar na Aprilla. Essa briga só durou por uma volta apenas, ela termina com a queda de Enea na curva 5, mais um abandono que acaba por afastar o piloto da Gresini da luta pelo campeonato. No final da 8ªVolta, Fabio di Giannantonio foi para o chão, fazendo com que a Gresini perdesse seus dois pilotos em questão de apenas meia volta.

Na 10ªVolta, Aleix Espargaró recupera a 2ªposição, ultrapassando Jorge Martin da Pramac. Porém, o piloto da Aprilla já vinha 3.3 segundos atrás de Fabio Quartararo, que vinha passeando com sua Yamaha pelo traçado do circuito da Catalunha sobre seus adversários. A luta da corrida era entre Aleix e Martin pela segunda posição. Johann Zarco que vinha em 4º não ameaçava Aleix e Martin. Já bem longe, vinham Joan Mir, Luca Marini e Marevick Viñales na 5ª, 6ª e 7ªposições.

Mais atrás, disputando o 8ºlugar, os dois pilotos da KTM. Miguel Oliveira partia para o ataque em cima de Brad Binder. Na volta 12, o piloto português foi para a manobra de ultrapassagem sobre seu companheiro de equipe, mas acabou passando muito pra fora do traçado das curvas 1 e 2, com isso, o guepardo sul-africano levou vantagem sobre o seu companheiro de equipe.

Com metade da corrida percorrida, Johann Zarco tenta uma aproximação sobre Aleix Espargaró e Jorge Martin. Lá na frente, Quartararo tinha praticamente a corrida ganha, nas suas mãos. Apesar do principal piloto da Aprilla esta na frente, Jorge Martin nunca ficou afastado de Aleix Espargaró. O piloto da Pramac queria de qualquer maneira voltar à segunda posição e foi com tudo para tomar posição de Aleix, essa ultrapassagem acabou se concretizando a 9 voltas do final, quando Martin passou Aleix para voltar a segunda posição.

A 8 voltas do final, Quartararo já estava a 5 segundos de Marin, Aleix e Zarco. Era impressionante o domínio do piloto francês. A disputa da corrida era mesmo pela segunda posição entre Jorge Martin e Aleix Espargaró.

Aleix voltou a atacar Martin, a batalha pelo 2ºlugar valia muito para os dois. Enquanto para o piloto da Pramac era a recuperação após várias corridas ruins ou por abandonos, para o piloto da Aprilla, a 2ªposição significa a minimização de prejuízos em relação ao Quartararo na disputa pelo título.

A disputa foi prosseguindo por algumas voltas, até que a 4 voltas do final, Aleix Espargaró utiliza o vácuo do piloto da Pramac para ultrapassar na entrada da curva 1. O piloto da Aprilla recuperou a segunda posição. A partir dai, Aleix começou a abrir vantagem para Jorge Martin e praticamente consolidou a segunda posição.

Tudo indicava que o pódio já estava definido com Quartararo, Aleix Espargaró e Martin, mas a começar a última volta, Aleix Espargaró cruzou a linha de chegada e tirou a mão do acelerador, com a mente de que a corrida tinha terminado, porém, ele percebeu que a corrida ainda tinha uma volta para ser percorrida. Nesse meio tempo e nessa bobeada do piloto da Aprilla, Martin, Zarco, Mir e Marini acabaram por ultrapassar Aleix que pelo menos conseguiu recuperar a 5ªposição.

Fabio Quartararo teve um domingo soberbo, liderou desde da primeira curva, abriu uma vantagem enorme sobre os adversários e conquistou a 2ªvitória na temporada. Ainda que a Yamaha não seja uma moto tão competitiva, Quartararo, mais líder do que nunca do campeonato leva a moto e a equipe nas costas, enquanto os outros pilotos da marca não fazem nem sombras.

Jorge Martin após vários insucessos acabou fazendo um ótimo final de semana e levou pela segunda vez na temporada a segunda posição. O pódio foi completado por Johann Zarco, companheiro de equipe de Jorge Martin acabou mais uma vez obtendo um bom resultado.

Joan Mir fez uma das maiores corridas da sua carreira, chegando na 4ªposição após ter largado em uma péssima 17ªposição. Mir se redime de 2 quedas nas últimas duas etapas nesse inferno astral desde de que foi dado o anuncio da Saída da Suzuki do Mundial de Motovelocidade.

Aleix Espargaró ficou arrasado após a corrida, o peso de ter perdido uma segunda posição praticamente certa. Ao chegar aos boxes, todos da equipe deram forças e aplaudiram seu principal piloto. E nessas horas que uma equipe não se resume ao piloto, que por trás de quem comanda a maquina, existe um batalhão de mecânicos, projetistas comandados por chefe de equipe e por diretores nas suas determinadas áreas. Ou seja, uma surra de realidade para quem acha que o piloto precisa ser egoísta para vencer, ele precisa sim batalhar contra o resto do grid para ser campeão, mas um campeão egoísta não é um campeão de verdade, um campeão divide as vitórias e as derrotas com a sua equipe.

Luca Marini conseguiu mais um 6ºlugar na temporada, aos poucos, parece que o meio irmão de Valentino Rossi mostra que pode comandar a equipe VR46 a uma boa temporada. Na 7ªposição, Marevick Viñales fez uma corrida correta, ainda longe de desempenhar o papel de Aleix Espargaró. Sem uma moto tão competitiva, Brad Binder e Miguel Oliveira levaram as motos oficiais da KTM a 8ª e 9ªposições respectivamente.

Outro piloto que teve uma formidável recuperação foi Alex Marquez da LCR Honda, não pelo 10ºlugar que não chega a ser lá essas coisas com uma moto da Honda, mas por nem ter treinado e por ter ficado em dúvida a sua participação da corrida de domingo, além da pressão de ser irmão de Marc Marquez.

Remy Gardner da Tech 3 e Darryn Binder da RNF Racing tiveram boas participações com a 11ª e a 12ªposições respectivamente. Ao contraio de Franco Morbidelli da Yamaha e de Jack Miller da Ducati, em 13º e 14ºlugares, os dois fizeram corridas horríveis, principalmente para o Ítalo-brasileiro, praticamente demitido e sem grandes perspectiva para o futuro na MotoGP. Já Miller já tem praticamente certo seu futuro na equipe de fábrica da KTM para 2023. Raúl Fernández da Tech 3 completou a zona de pontuação, conquistando seu primeiro ponto na MotoGP.

Pol Espargaró teve uma péssima corrida, começou muito bem, na 5ªposição, mas foi caindo, caindo e caindo até terminar a corrida na 17ªposição. Foi o último colocado dos pilotos que completaram as 24 voltas do GP da Catalunha.

Resultado Final da 9ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Catalunha – Mugello – Bugatti – 24 Voltas – MotoGP

pos piloto equipe moto tempo
1 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 40’29.3600
2 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati a 6.473
3 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati a 8.385
4 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 11.481
5 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia a 14.395
6 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati a 15.430
7 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia a 15.975
8 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM a 21.436
9 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM a 26.800
10 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda a 30.460
11 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM a 32.443
12 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 32.881
13 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 33.168
14 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati a 34.693
15 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM a 37.844
16 51 Michele Pirro Aruba.it Racing Ducati a 44.533
17 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda a 46.199
4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 7 voltas – Pneu dianteiro
49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati a 16 voltas – acidente
23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati a 17 voltas – acidente
72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati a 19 voltas – acidente
63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati a 23 voltas – acidente
30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 24 voltas – acidente
6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda a 24 voltas – acidente
42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 24 voltas – acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da Catalunha – Moto 3 – Mundial de Motovelocidade 2022

Mais um final de semana de sucesso da Gas Gas na Moto 3, A vitória de Izan Guevara no GP da Catalunha é mostra que a equipe Aspar Martinez junto da Gas Gas (Que é uma satélite da KTM) é o melhor conjunto do campeonato e que a Dupla Garcia/Guevara é a melhor dupla do campeonato.

Começando os trabalhos, David Muñoz da BOE foi o primeiro a entrar na pista, em sua segunda participação no Mundial de Motovelocidade. Junto dele, outros 8 pilotos partiram para a pista (Toba, Ortolá, Aji, Adrian Fernández, Furusato, Bartolini, Carrasco e Uriarte). Os outros ficaram esperando por 4 minutos para saírem para a primeira tentativa.

Com quase 4 minutos de sessão, Toba foi o primeiro a marcar uma volta. Segundos depois, Aji com 1:49.873, Bartolini com 1:50.196, Furusato e Adrian Fernández superaram o piloto da CIP Green. Na segunda volta, Taiyo Furusato melhora seu tempo e pula para a segunda posição apor superar em mais de 1 décimos a marca de Elia Bartolini que recuou para a terceira posição, com 9 minutos de sessão para percorrer.

Kaito Toba foi para uma volta mais rápida, suficiente para ganhar 1 posição, passando da 8ª para a 7ªposição, muito pouco para quem era um dos cotados a vaga para o Q2.

A 7 minutos do final, Riccardo Rossi marca 1:49.519 e passa para a liderança, superando Mario Aji. Xavier Artigas da CF Moto marcou o 3ºtempo, ficando entre Aji e Furusato. A 5:15 do final, Scott Odgen acabou fazendo uma brilhante volta de 1:49.389. O piloto da VisionTrack assumiu a liderança da sessão. Ao mesmo tempo em que Ryusei Yamanaka marcou o terceiro tempo, deixando Aji na bolha e tirando Artigas da zona de classificação.

Nos minutos finais de sessão, o britânico Joshua Whatley da VisionTrack acabou perdendo o controle da sua moto, saiu da pista e acabou caindo na brita da curva 5. A 2:30 do final, Scott Odgen foi para o chão, mas sua situação era bem tranquila. A 1:15 do final, Ryusei Yamanaka vai para os boxes. A situação do Japonês não era de garantia de classificação com a marca que tinha marcado.

O piloto da MS Helmets confiou muito que a sua marca seria o suficiente para a classificação. A aposta acabou dando certo, somente Kaito Toba conseguiu melhorar sua posição, passando a ser o segundo colocado, deixando Riccardo Rossi e Ryusei Yamanaka para 3º e 4ºlugares. A sessão chegou ao final e Scott Odgen foi o mais rápido, seguido de Toba, Rossi e Yamanaka que passaram para o Q2. Mario Aji e David Muñoz começaram bem, mas não resistiram a concorrência e terminaram o Q1 na 5ª e 6ªposições.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 19 Scott Ogden VisionTrack Racing Team Honda 01’49.389
2 27 Kaito Toba CIP Green Power KTM 01’49.416
3 54 Riccardo Rossi SIC58 Squadra Corse Honda 01’49.495
4 6 Ryusei Yamanaka MT Helmets – MSI KTM 01’49.776
5 64 Mario Suryo Aji Honda Team Asia Honda 01’49.873
6 44 David Muñoz BOE Motorsports KTM 01’49.957
7 43 Xavier Artigas CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO 01’49.971
8 72 Taiyo Furusato Honda Team Asia Honda 01’49.986
9 23 Elia Bartolini QJMotor Avintia Racing Team KTM 01’50.137
10 31 Adrian Fernandez Red Bull KTM Tech3 KTM 01’50.230
11 82 Stefano Nepa Angeluss MTA Team KTM 01’50.277
12 63 Syarifuddin Azman VisionTrack Racing Team Honda 01’50.448
13 89 Marcos Uriarte Rivacold Snipers Team Honda 01’50.823
14 48 Ivan Ortola Angeluss MTA Team KTM 01’51.642
15 22 Ana Carrasco BOE Motorsports KTM 01’51.812
16 70 Joshua Whatley VisionTrack Racing Team Honda Sem Tempo

Assim que o cronometro foi disparado, todos os pilotos entraram na pista, com exceção de Scott Odgen que precisou esperar 2 minutos para a VisionTrack reparar sua moto, consequências ainda da queda no final do Q1. Com exceção de Izan Guevara e Joel Kelso, todos os outros pilotos foram para a primeira volta rápida.

Com 3:45 de sessão, Dennis Foggia marcou 1:48.292, um tempo forte que não foi ameaçado por ninguém na primeira volta (Esse tempo já seria o suficiente para Foggia conquistar a pole position). Riccardo Rossi, John McPhee, Tatsuki Suzuki e Andrea Migno completavam as 5 primeiras posições. Enquanto que Scott Odgen volta aos boxes, a moto não estava 100% ainda.

A 9:30 do termino do Q2, Tatsuki Suzuki marca 1:40.858 e ganha a posição de McPhee passando a 3ªposição. 8:55 do final, Jaume Masia e Andrea Migno marcaram razoáveis 6ª e 7ªmarcas. Os dois foram superados por Izan Guevara que fez uma bela primeira volta, marcando o segundo melhor tempo com a marca de 1:48.858. Porém, estava a 361 milésimos de Foggia, ainda longe do líder.

A 6 minutos e 30 segundos do final da sessão, a primeira fila seria formada por Dennis Foggia, Izan Guevara e Riccardo Rossi. Seguidos de Tatsuki Suzuki, John McPhee, Lorenzo Fellon, Jaume Masia, Andrea Migno, Kaito Toba e Sergio Garcia, o líder do campeonato estava em uma nada favorável 10ªposição.

Todo mundo estava nos boxes ao faltarem 5 minutos do final da sessão. Os primeiros pilotos voltaram para a pista a 3 minutos e meio do final da classificação. A meta era tirar Dennis Foggia na pole position.

Porém, a pole não saiu das mãos de Foggia, o piloto da Leopard Racing ainda melhorou um pouco mais seu tempo para 1:48.290, o que nem era necessário, o tempo anterior já daria a pole para Foggia. Com o cronometro zerado, Deniz Oncü marcou 1:48.428 e acabou a sessão na segunda posição e a primeira fila foi completada por Izan Guevara da Gas Gas que acabou no último momento conquistando a 3ªposição que estava nas mãos do francês Lorenzo Fellon da SIC58.

Fellon vai abrir a segunda fila que terá a composição de Ryusei Yamanaka da MT Helmets, o companheiro de Diogo Moreira (Que não teve condições de disputar o GP da Catalunha por causa do acidente no final do GP da Itália) e pelo italiano Riccardo Rossi da SIC58, uma equipe que teve um bom dia, colocando seus dois pilotos nas 6 primeiras posições.

Sergio Garcia melhorou sua volta no final e terminou o dia na 7ªposição. O líder do campeonato terá na 3ªfila a companhia dos dois pilotos da CIP Green, Kaito Toba ficou em 8º a 52 milésimos a frente de Kelso. Tatsuki Suzuki perdeu terreno na parte final de sessão e vai largar na 10ªposição, a mesma coisa aconteceu com o escocês John McPhee da Husqvarna na 11ªposição. Matteo Bertelle da Avintia completa a 4ªfila, na 12ªposição.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 7 Dennis Foggia Leopard Racing Honda 01’48.290
2 53 Deniz Öncü Red Bull KTM Tech3 KTM 01’48.428
3 28 Izan Guevara Valresa GASGAS Aspar Team GASGAS 01’48.537
4 20 Lorenzo Fellon SIC58 Squadra Corse Honda 01’48.574
5 6 Ryusei Yamanaka MT Helmets – MSI KTM 01’48.693
6 54 Riccardo Rossi SIC58 Squadra Corse Honda 01’48.726
7 11 Sergio Garcia Valresa GASGAS Aspar Team GASGAS 01’48.729
8 27 Kaito Toba CIP Green Power KTM 01’48.744
9 66 Joel Kelso CIP Green Power KTM 01’48.806
10 24 Tatsuki Suzuki Leopard Racing Honda 01’48.858
11 17 John McPhee Sterilgarda Husqvarna Max Husqvarna 01’48.925
12 18 Matteo Bertelle QJMotor Avintia Racing Team KTM 01’48.965
13 19 Scott Ogden VisionTrack Racing Team Honda 01’49.258
14 5 Jaume Masia Red Bull KTM Ajo KTM 01’49.288
15 16 Andrea Migno Rivacold Snipers Team Honda 01’49.314
16 38 David Salvador Sterilgarda Husqvarna Max Husqvarna 01’49.394
17 96 Daniel Holgado Red Bull KTM Ajo KTM 01’49.407
18 99 Carlos Tatay CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO 01’49.832
19 64 Mario Suryo Aji Honda Team Asia Honda 01’49.873
20 44 David Muñoz BOE Motorsports KTM 01’49.957
21 43 Xavier Artigas CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO 01’49.971
22 72 Taiyo Furusato Honda Team Asia Honda 01’49.986
23 23 Elia Bartolini QJMotor Avintia Racing Team KTM 01’50.137
24 31 Adrian Fernandez Red Bull KTM Tech3 KTM 01’50.230
25 82 Stefano Nepa Angeluss MTA Team KTM 01’50.277
26 63 Syarifuddin Azman VisionTrack Racing Team Honda 01’50.448
27 89 Marcos Uriarte Rivacold Snipers Team Honda 01’50.823
28 48 Ivan Ortola Angeluss MTA Team KTM 01’51.642
29 22 Ana Carrasco BOE Motorsports KTM 01’51.812
30 70 Joshua Whatley VisionTrack Racing Team Honda Sem Tempo

Começando o dia de domingo mais uma disputa acirrada na moto 3. A segunda corrida em solo espanhol de 4 que todas as categorias vão fazer nessa temporada. Apesar da pole de Dennis Foggia, a corrida acabou sendo conquistada por Izan Guevara, pela terceira vez na temporada. A surpresa foi David Muñoz, piloto da BOE na sua segunda corrida conseguindo um lugar no pódio após uma brilhante corrida.

Deniz Oncü que continuava na sua batalha pela primeira vitória no Mundial larga bem e tenta pegar a liderança, mas Dennis Foggia consegue segurar a 1ªposição. Apesar da boa largada, Oncü caiu para a 5ªposição, foi superado por Izan Guevara, Riccardo Rossi e Sergio Garcia. Antes do final da primeira volta, Garcia e Oncü superaram Rossi e passaram a 3ª e 4ªposição.

Foggia resiste ao ataque de Guevara e fica na frente ao abrir a segunda volta. Os dois primeiros abriram vantagem sobre Garcia, Rossi e Tatsuki Suzuki. Ao abrirem a volta seguinte, Guevara ataca de novo Foggia, mas o piloto da Leopard segue firme e forte na frente, mas a turma toda chegou em Izan Guevara. Os pilotos Tatsuki Suzuki, Sergio Garcia e Deniz Oncü.

Ao final da terceira volta, inicio da 4ªvolta, Suzuki passou Guevara e curvas depois, o japonês passou Foggia e assumiu a liderança da corrida. Um belo começo de corrida para Suzuki que largou na 10ªposição. Enquanto que Foggia perdeu posições para os dois pilotos da Gas Gas e caiu para a 4ªposição.

Suzuki se defende bem na liderança, mas não por muito tempo já que os dois pilotos da Gas Gas superaram o japonês e formaram a dobradinha da equipe, com Guevara na frente de Garcia. Os pilotos da Leopard Racing, Tatsuki Suzuki e Dennis Foggia ocupavam a 3ª e 4ªposições respectivamente. Quem vinha em grande corrida era o espanhol David Salvador na 5ªposição. Salvador estava substituindo Ayumu Sasaki na equipe Husqvarna.

Guevara e Garcia travavam mais um belo duelo pela liderança na 6ªvolta. Sergio Garcia chegou a assumir a liderança por algumas curvas, mas eis que Izan Guevara recuperou a liderança antes do final da volta. Na reta dos boxes, Tatsuki Suzuki usa o vácuo dos dois primeiros e pula para a liderança da corrida. Izan Guevara tentou recuperar a ponta, mas o japonês segura a liderança muito bem.

Ao final da 7ªVolta, Dennis Foggia tem problemas mecânicos em sua moto e foi obrigado a deixar a corrida. E a segunda corrida em sequência que o italiano abandona o que dificulta demais a sua briga pelo título da temporada.

Sergio Garcia passou Tatsuki Suzuki e assumiu a liderança. O japonês estava sozinho contra a legião de motos da KTM e das suas subsidiárias. Mesmo assim, Suzuki conseguiu voltar a liderança no começo da 9ªvolta, com Oncü, Garcia, Guevara, Salvador e David Muñoz da BOE, que largou na 20ªposição e já vinha em uma ótima 6ªposição.

Na curva 10, ainda na 9ªvolta, Ryusei Yamanaka acabou indo ao chão e derrubou junto Daniel Holgado e David Salvador. Fim de corrida para os três e o que deu mais pena foi o caso de David Salvador que estava fazendo uma grande corrida. Izan Guevara chega a passar Tatsuki Suzuki no começo da 10ªvolta, mas o japonês mais uma vez consegue reaver a liderança. Na curva 5, Taiyo Fusurato foi para o chão e se juntou a lista dos pilotos que abandonaram a corrida.

Deniz Oncü assume a liderança na 11ªvolta e fica na frente até o final da volta, foi quando o espanhol David Muñoz da BOE assumiu a liderança, mas logo a ponta foi retomada por Izan Guevara da Gas Gas. Não satisfeito, Muñoz recuperou a liderança no começar da 13ªvolta, mas foi surpreendido algumas curvas depois por Adrían Fernández da Tech 3, o novo líder da corrida. Nessa disputa, os 7 primeiros colocados tinham alguma vantagem para Kaito Toba, John McPhee, Riccardo Rossi e Joel Kelso, mas essa vantagem acabou evaporando e esses 4 chegaram no primeiro pelotão. Enquanto isso, Andrea Migno que estava na 13ªposição tomou punição da volta longa. Essa punição só foi o estopim para tudo dar errado para o piloto da Snipers: Ao cumprir a punição, Migno erra a entrada da volta longa e depois acaba indo para os boxes e abandona a corrida. Certamente já tinha algum problema maior em sua moto.

Jaume Masia chegou a liderar a corrida, mas logo Tatsuki Suzuki recuperou a ponta. Até que na 15ªposição, Izan Guevara voltou à ponta e começou a tentar uma fuga sobre Oncü, Muñoz e Masia. Suzuki ficou para trás nesse momento. Lorenzo Fellon foi punido com a volta longa e Marcos Uriarte vai para o chão e abandona. Não era o dia da equipe Snipers definitivamente.

A 5 voltas do final, Guevara abriu vantagem para Garcia e Muñoz que abriram vantagem para Oncü, Masia, Suzuki e Toba. Na curva 10, Toba foi para o chão e deixou a luta pelas primeiras posições.

A 3 voltas do final, Sergio Garcia e David Muñoz tentaram um último esforço para se aproximar de Guevara, mas esse esforço não surtiu muito efeito não, Guevara abriu vantagem na penúltima volta e praticamente sacramentou a vitória nesse momento. O pega no final passou a ser pelo segundo lugar entre Garcia, Muñoz e Suzuki que conseguiu chegar nessa disputa.

No começo da volta final na segunda posição, Garcia é engolido por Muñoz e Suzuki, caindo para a 4ªposição. Algumas curvas depois, Suzuki e Garcia passaram pelo Muñoz e tomaram a segunda e terceira posições, mas o jovem piloto da Boe não se entregou, foi para cima de Garcia e passou pelo piloto da Gas Gas na curva 4 e logo depois, se aproveitou da brecha que Suzuki deu na frente para tomar a segunda posição do piloto da Leopard Racing. A poucas curvas do final, Muñoz estava em uma sensacional segunda posição, na frente de Garcia e Suzuki.

Sem ter nada a ver com a confusão, Izan Guevara conquista a vitória e se aproxima mais de Sergio Garcia na disputa do Mundial da Moto 3. Foi Uma belíssima corrida do piloto da Gas Gas.

A disputa da segunda posição acabou com David Muñoz como o ganhador dessa disputa. Em sua segunda corrida na carreira, Muñoz leva a BOE ao pódio, na segunda posição após largar em 20º. Sem dúvida o jovem de 16 anos é o nome desse final de semana na Catalunha. O pódio foi completado por Tatsuki Suzuki que passou Sergio Garcia na última curva, ficando com a terceira posição e levando a única moto da Honda entre os 10 primeiros colocados.

Deniz Oncü lutou como nunca, mas acabou de novo vendo a vitória ficar longe das suas mãos, o piloto da Tech 3 ficou com a 5ªposição, chegando a frente de Carlos Tatay da CF Moto que não teve nenhum destaque na corrida, sendo um 6ºcolocado bem discreto. John McPhee salvou a 7ªposição para a equipe Husqvarna, seguido de Jaume Masia que perdeu rendimento na parte final da corrida, de Adrian Fernández da Tech 3 que correu bem nesse final de semana e Xavier Artigas da CF Moto completando os 10 primeiros colocados. Kaito Toba que tinha ido ao chão a menos de 5 voltas do final ainda conseguiu salvar a 15ªposição no final da corrida.

Resultado Final da 9ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Catalunha – Mugello – Bugatti – 21 Voltas – Moto 3

pos piloto equipe moto tempo
1 28 Izan Guevara Valresa GASGAS Aspar Team GASGAS 38’22.3510
2 44 David Muñoz BOE Motorsports KTM a 1.975
3 24 Tatsuki Suzuki Leopard Racing Honda a 1.985
4 11 Sergio Garcia Valresa GASGAS Aspar Team GASGAS a 2.036
5 53 Deniz Öncü Red Bull KTM Tech3 KTM a 2.752
6 99 Carlos Tatay CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO a 3.134
7 17 John McPhee Sterilgarda Husqvarna Max Husqvarna a 3.341
8 5 Jaume Masia Red Bull KTM Ajo KTM a 3.633
9 31 Adrian Fernandez Red Bull KTM Tech3 KTM a 5.285
10 43 Xavier Artigas CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO a 5.555
11 54 Riccardo Rossi SIC58 Squadra Corse Honda a 7.626
12 66 Joel Kelso CIP Green Power KTM a 9.215
13 18 Matteo Bertelle QJMotor Avintia Racing Team KTM a 11.325
14 19 Scott Ogden VisionTrack Racing Team Honda a 11.379
15 27 Kaito Toba CIP Green Power KTM a 24.644
16 82 Stefano Nepa Angeluss MTA Team KTM a 25.007
17 23 Elia Bartolini QJMotor Avintia Racing Team KTM a 25.036
18 48 Ivan Ortola Angeluss MTA Team KTM a 25.165
19 63 Syarifuddin Azman VisionTrack Racing Team Honda a 25.210
20 20 Lorenzo Fellon SIC58 Squadra Corse Honda a 25.239
21 6 Ryusei Yamanaka MT Helmets – MSI KTM a 40.387
22 22 Ana Carrasco BOE Motorsports KTM a 58.048
89 Marcos Uriarte Rivacold Snipers Team Honda a 6 Voltas – Acidente
16 Andrea Migno Rivacold Snipers Team Honda a 7 Voltas – Mecânico
70 Joshua Whatley VisionTrack Racing Team Honda a 9 voltas – Mecânico
72 Taiyo Furusato Honda Team Asia Honda a 12 voltas – Acidente
64 Mario Suryo Aji Honda Team Asia Honda a 13 voltas – Acidente
96 Daniel Holgado Red Bull KTM Ajo KTM a 13 voltas – Acidente
38 David Salvador Sterilgarda Husqvarna Max Husqvarna a 13 voltas – Acidente
7 Dennis Foggia Leopard Racing Honda a 15 voltas – Câmbio

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da Itália – MotoGP – Mundial de Motovelocidade 2022

Tudo pronto para a Classificação em Mugello. Porém, a chuva apareceu a partir do 2/3 do 4ºtreino livre, um fator que complicaria muito a situação para a disputa da pole position. Todas as cartas ficaram mais e mais embaralhadas.

Com 26 pilotos, o GP da Itália será a etapa com maior competidora nesse ano na categoria principal. Os pilotos Michele Pirro com a Aprilla e Lorenzo Savadori da Aprilla eram os convidados desse final de semana.

Todo mundo foi para a pista de imediato. Com 4:20 de sessão, começou os primeiros tempos a serem marcados. Os pilotos Miguel Oliveira da KTM e Jack Miller da Ducati saíram na frente, seguido de Fabio di Giannantonio, Joan Mir e Michele Pirro.

Na segunda tentativa, Marc Marquez, o Formiga atômica marcou o 4ºtempo, mas logo foi superado por Joan Mir. A 8:35 do final, Franco Morbidelli faz uma boa volta e passa a ser o terceiro colocado. A pista começaria a melhorar, foi o bastante para Brad Binder marcar o tempo de 1:52.402. O guepardo sul-africano colocou 3 segundos no segundo colocado, mas foi a senha para os demais partirem para novas voltas rápidas.

Jack Miller foi para os boxes e troca de moto e volta a pista. Certamente com uma moto ajustada para uma pista mais seca ou menos molhada. Com menos de 4 minutos do final do Q1, Michele Pirro faz um tempo próximo da marca de Binder e sobe para segundo.

Mas nada estava decidido pois Marc Marquez, Jack Miller e Fabio di Giannantonio lutam na pista pela melhor volta, nessa disputa foi o piloto da Honda que levou a melhor e assumiu a liderança a 2:10 do final (1:48.843). Miller passou para segundo e Di Giannantonio vinha em 3º. Michele Pirro foi para 4º, todos eles tinham uma chance ainda de marcar uma volta rápida. Binder e Remy Gardner completavam os 6 primeiros.

Nos segundos finais, Marc Marquez e Jack Miller disputavam o melhor tempo mais uma vez e mais uma vez foi o piloto da Honda que levou a melhor sobre seu adversário, com 1:48.240 contra 1:48.318 do piloto da Ducati, mas veio um furação chamado Fabio di Giannantonio com sua Ducati de 2021 e colocou os cronômetros abaixo a 20 segundos do final, com 1:47.649.

Ainda havia uma última chance para todos, mas para Brad Binder a classificação acabou, o 3ºlugar marcado o tirava do Q2. Quem tinha alguma esperança de passar era o companheiro de Brad Binder, o português Miguel Oliveira foi para 2º com 1:48.231. Nos momentos finais, Fabio di Giannantonio com 1:47.219 e Marc Marquez com 1:47.294 acabaram com as 2 primeiras posições e terminaram com as vagas na repescagem. Jack Miller e Michele Pirro ficaram pelo caminho, assim como todo o resto do pelotão… Miguel Oliveira, Brad Binder até o italiano Andrea Dovizioso da RNF Racing.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’47.219
2 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 01’47.294
3 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’47.621
4 51 Michele Pirro Aruba.it Racing Ducati 01’48.209
5 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’48.231
6 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’48.255
7 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’48.732
8 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’48.846
9 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’48.907
10 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’49.471
11 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’50.266
12 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia 01’50.270
13 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’55.369
14 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’56.479
15 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’57.106
16 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’57.671

Durante o intervalo entre o Q1 e o Q2, Raios e trovões caíram antes da decisão da pole position, mas esses raios eram o pressagio ruim para um dos pilotos da Honda. Alguns pilotos ficaram esperando o cronometro disparar para entrarem na pista, inclusive Marc Marquez.

Na curva 2, Marquez cai de forma muito estranha e sua moto vazou combustível e ela chegou a pegar fogo por alguns momentos. Todo o combustível acabou vazando naquele local e foi inevitável que a direção de corrida acabou acionando a bandeira vermelha a 13:50 do final da sessão. O Acidente que Marc Marquez teve foi fundamental para a decisão dele mesmo de operar o ombro pela 4ªvez, mas nesse caso seria nos Estados Unidos que iria acontecer essa operação. Só esperamos que Marc Marquez volte a esta em plena forma o mais rápido possível.

Após quase 20 minutos, a sessão recomeçou com os pilotos da VR46 e Fabio Quartararo como os primeiros a partirem para a pista. Marc Marquez saiu com 2 minutos e meio de sessão, mas voltou para os boxes, estava sem confiança nenhuma.

Após a primeira volta, Fabio di Giannantonio marcou 1:49.124 e saiu na frente, seguido do Nipônico Takaagi Nakagami da LCR Honda e de Johann Zarco da Pramac. A tendência era a melhora das voltas a medida que a pista melhorasse.

Fabio di Giannantonio melhora seu tempo para 1:41.163, colocando 1 segundo de Marco Bezzecchi e 1.4 segundos sobre Luca Marini. O piloto da Gresini vinha muito forte como nunca esteve na sessão de classificação. A 6:15 do final, Fabio di Giannantonio coloca o tempo mais para baixo ainda, com 1:46.907. Marco Bezzecchi chegou a se posicionar na 2ªposição, a meio segundo do líder. Porém, Francesco Bagnaia passou o piloto da VR46 ao marcar o tempo de 1:47.305.

A 5 minutos do final, Marc Marquez cria corarem de voltar para a moto para tentar algo mais do que a 12ªposição. Marco Bezzecchi retornou a segunda posição a 4:35 do final, com o tempo de 1:47.220, mas ainda assim longe do tempo de Fabio di Giannantonio.

A liderança só mudou de mãos após uma brilhante volta de Johann Zarco (1:46.875) que o levou para a liderança a menos de 3 minutos do final. Era a primeira vez que di Giannantonio estava atrás de alguém de um pouco na sessão.

A 45 segundos do final, Peppo Bagnaia assumia a primeira posição ao marcar 1:46.471, deixando Zarco para trás. Luca Marini, Fabio Quartararo e Takaagi Nakagami fizeram boas voltas e passaram a 3ª,4ª e 5ªposições. A menos de 30 segundos do final, Fabio di Giannantonio recuperou a pole ao marcar 1:46.410.

Depois do cronometro zerado, Marco Bezzecchi e Luca Marini passaram as duas primeiras posições. A VR46 tinha tudo para levar a pole position, logo em um GP da Itália, na casa de Valentino Rossi. Mais no último momento, Fabio di Giannantonio tomou a liderança e conquistou a primeira pole na categoria principal. Um resultado que nem em nenhuma das 7 primeiras corridas do ano Fabio chegou perto de conseguir isso. Um brilhante resultado do piloto e da equipe Gresini que vem fazendo uma temporada surpreendente.

A primeira fila será completada pelos dois pilotos da VR46, Marco Bezzecchi com a moto Ducati de 2021 superou Luca Marini com a Ducati de 2022. A primeira fila era teoricamente quase impossível de acontecer, mas na MotoGP, uma equipe satélite tem totais condições de brigar por uma vitória.

Johann Zarco vai abrir a segunda fila com sua Ducati Pramac de 2022, o francês vai estar na frente de Francesco Bagnaia da equipe oficial da Ducati. Peppo busca se recuperar da queda do GP da França. Fabio Quartararo completa a segunda fila, em busca da defesa da liderança do Mundial da MotoGP.

Aleix Espargaró, o adversário de Quartararo vai largar na 7ªposição. O representante da Aprilla vai comandar a 3ªfila e terá a companhia de Takaagi Nakagami da LCR Honda e de Pol Espargaró da Honda Repsol.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’46.156
2 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’46.244
3 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’46.327
4 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati 01’46.383
5 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 01’46.471
6 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’46.506
7 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 01’46.507
8 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’46.561
9 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’46.667
10 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 01’46.679
11 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati 01’47.223
12 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 01’47.468
13 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’47.621
14 51 Michele Pirro Aruba.it Racing Ducati 01’48.209
15 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’48.231
16 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’48.255
17 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’48.732
18 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’48.846
19 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’48.907
20 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’49.471
21 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’50.266
22 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia 01’50.270
23 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’55.369
24 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’56.479
25 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’57.106
26 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’57.671

Após um sábado de gloria para Fabio di Giannantonio, no domingo, outro piloto italiano fez a festa da torcida em Mugello. Francesco Bagnaia venceu pela segunda vez na temporada de 2022. A pista estava seca e ideal para a disputa das 23 voltas da etapa de Mugello.

Di Giannantonio tentou manter a liderança após a largada, mas só conseguiu isso por algumas curvas, Luca Marini tomou a liderança na 3ªcurva e na curva 11, Marco Bezzecchi passou o piloto da Gresini e completou a dobradinha da VR46 no complemento da 1 volta em Mugello. Di Gianntonio vinha em 3º, Aleix Espargaró passou Fabio Quartararo e assumiu a 4ªposição. Zarco, Brad Binder, Nakagami, Bagnaia e Marc Marquez completavam os 10 primeiros colocados.

A VR46 vivia seu momento de sonhos na MotoGP, com seus dois pilotos nas 2 primeiras posições. Já Quartararo recuperou o 4ºlugar que tinha perdido para Aleix e passou a lutar pela terceira posição com Fabio di Giannantonio. O piloto francês acabou superado o piloto da Gresini que não desistiu sem lutar, criou alguma resistência, tentou dar o troco, mas em poucas curvas, o francês contornou a situação e assumiu em definitivo a terceira posição. Partindo para cima dos pilotos da VR46. Praticamente na mesma volta, Bagnaia supera Aleix e sobe para a 5ªposição.

Começando a 4ªVolta, Fabio Quartararo vai para cima de Luca Marini, a ultrapassagem foi conseguida no meio da volta, subindo para a segunda posição, Peppo Bagnaia passou Fabio di Giannantonio no final da volta e já vinha na 4ªposição.

Bagnaia passa a atacar Quartararo e Marini, os três disputando a segunda posição. Quem se aproveitava era Marco Bezzecchi, que já abria 7 décimos dos 3. Pol Espargaró caiu na segunda metade da 5ªVolta (curva 9), foi o primeiro a deixar a corrida.

Na 6ªVolta, Peppo Bagnaia passou por Marini e Quartararo, pulando para a segunda posição. Na 7ªVolta, Aleix Espargaró superou Fabio di Giannantonio. Era natural que o novato da Gresini não conseguisse se segurar muito tempo nas primeiras posições.

Na 8ªvolta, Peppo Bagnaia foi para cima de Marco Bezzecchi. A disputa pela liderança durou por uma volta. Até que na 9ªvolta, Bagnaia supera o piloto da VR46 e assume a liderança. Praticamente ao mesmo tempo, Joan Mir (8ªvolta) e Alex Rins (9ªvolta) caíram e abandonaram a corrida. A Suzuki vive uma crise nesse momento da temporada.

Marc Bezzecchi estava na segunda posição, a frente de Fabio Quartararo que ainda tinha esperanças de lutar pela vitória, Luca Marini e Aleix Espargaró. Enea Bastianini partiu para cima de Johann Zarco, era mais uma batalha entre a Ducati de 2022 e a Ducati de 2021 pela 6ªposição.

Ainda com pretensões de vitória, Fabio Quartararo foi para cima de Marco Bezzecchi. Na segunda metade da 11ªvolta, o francês supera Bezzecchi. Porém, o piloto da VR46 não estava disposto a ceder tão facilmente a posição e foi tentar rever sua posição, mas Bezzecchi foi pego no contra pé pelo companheiro de equipe que acabou por superar o companheiro de equipe. Resultado de tudo isso foi que Marini passou a ser o terceiro colocado.

Bezzecchi luta com Marini nas 2 voltas seguintes e consegue recuperar a 3ªposição que estava nas mãos do seu companheiro de equipe. Bezzecchi ainda tentou superar Quartararo na reta, mas o francês manteve a 2ªposição. Aleix Espargaró e Enea Bastianini estavam chegando para a disputa. Mais atrás, os dois melhores pilotos da Honda na corrida, Marc Marquez e Takaagi Nakagami lutavam pela 11ªposição. Uma equipe que já teve várias temporadas dominadoras estava sofrendo no meio do pelotão.

A 10 voltas do final, Enea Bastianini vai para o chão na curva 2 e abandona. Peppo Bagnaia abriu 1 segundo sobre Quartararo e Bezzecchi que lutam pela segunda posição. Já Luca Marini perdeu a 4ªposição para Aleix Espargaró.

Na 17ªVolta, Marini foi superado por Johann Zarco da Pramac. Na mesma volta, na curva 10, Aleix Espargaró supera Marco Bezzecchi e entra no pódio, na terceira posição. As voltas finais, Bagnaia, Quartararo e Aleix Espargaró se consolidaram nas 3 primeiras posições. A única mudança de posição foi Johann Zarco tomando o 4ºlugar de Marco Bezzecchi a 4 voltas do final.

Francesco Bagnaia conquista a vitória no GP da Itália, um brilhante resultado para quem largou da 5ªposição, Peppo vinha de abandono no GP da França. A Moto Ducati de 2022 se mostra definitivamente competitiva para vencer corridas.

Na 2ªposição chegou Fabio Quartararo fez o que era possível ser feito, mesmo sem uma moto potente, o francês mostrou competência e levou mais uma vez a Yamaha as costas enquanto que os demais pilotos da marca não conseguem nenhum resultado significativo. Aleix Espargaró conquistou pela 4ªvez seguida o pódio com a Aprilla. O melhor momento da carreira do piloto e da marca na categoria principal.

Johann Zarco fez uma boa corrida de recuperação após uma largada ruim, o piloto da Pramac foi evoluindo na classificação até fechar o dia em uma boa 4ªposição.

Marco Bezzecchi e Luca Marini fizeram uma bonita corrida, ambos fizeram a alegria da torcida no começo da prova e mostraram que o investimento de Valentino Rossi nos dois pilotos foi acertado. Na reta  final, os dois perderam um pouco de terreno, mas nada que manche o belíssimo final de semana de Bezzecchi que ficou em 5º e de Luca Marini que completou a corrida na 6ªposição, seguido de perto por Brad Binder da KTM.

Takaaki Nakagami se deu melhor que Marc Marquez no duelo entre os dois melhores pilotos da Honda, além disso, chegou na frente de Miguel Oliveira e terminou o dia na 8ªposição. Marc Marquez fechou o Top 10. Agora o formiga atômica vai para a cirurgia e ficava fora das pistas por tempo indeterminado.

Fabio di Giannantonio fez um ótimo sábado, mas o seu domingo acabou não sendo tão bom assim, muito pela sua falta de experiência em correr na parte da frente da corrida. Fabio foi tentando se preservar na zona de pontuação e conseguiu, no final, salvou a 11ªposição, fechando a 1 milésimo de segundo a frente de Marevick Viñales.

Em 13º, Jorge Martin fez mais uma corrida bem abaixo da média, assim como a corrida fraquíssima de Jack Miller, o 15ºcolocado, fechando a zona de pontuação, algo que é inadmissível para um  piloto da equipe Oficial da Ducati. Alex Marquez ficou entre o Martin e Miller, na 14ªposição.

Resultado Final da 8ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Itália – Mugello – Bugatti – 23 Voltas – MotoGP

pos piloto equipe moto tempo
1 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 41’18.9230
2 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 0.635
3 41 Aleix Espargaró Aprilia Racing Aprilia a 1.983
4 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati a 2.590
5 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati a 3.067
6 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati a 3.875
7 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM a 4.067
8 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 10.944
9 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM a 11.256
10 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda a 11.800
11 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati a 12.916
12 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia a 12.917
13 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati a 17.240
14 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda a 17.568
15 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati a 17.687
16 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 20.265
17 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 20.296
18 51 Michele Pirro Aruba.it Racing Ducati a 21.305
19 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM a 30.548
20 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 31.011
21 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM a 42.723
22 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia a 1 volta
23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati a 10 voltas
36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 16 voltas
42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 16 voltas
44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda a 19 voltas

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP