Especial: Equipe Rial – Parte 2

1989:

A Rial partia para a segunda temporada, Dessa vez teria um campeonato mais igual por que os motores turbo foram proibidos, todos os times teriam motores aspirados o que iria permitir uma igualdade maior, para começar o projetista Stefan Fober corrigiu o problema noi tanque de combustível e fez um estudo sobre o ARC01 fez modificações com o mesmo carro e renomeou ele de ARC02 com 208 litros de combustível e o Motor Ford Cosworth V8 DFR que gerava para a equipe 600 cavalos de potência. Os pilotos são os Alemães Christian Danner e Wolker Weidler que era vindo da Formula 3000, Os Seja uma dupla alemã numa equipe Alemã.

O novo regulamento a Rial com os 3 pontos feitos por De Cesaris em 88 fazia com que o piloto Christian Danner entrasse direto no Treino de Classificação, Já para o novato Wolker Weidler ele terai que disputar com outros 12 pilotos a Pré-Classificação. A terrível Pré-Classificação que somente 4 pilotos passavam para os treinos oficiais.

Em Jacarepaguá a Rial de Wolker Weidler fracassou na pré-classificação, Já Christian Danner classificou a Rial em 17º no Grid de largada, um bom começo para a Rial em 1989, na corrida Danner terminou a prova, Mas longe de um desempenho aceitável, Ficou em 14ºlugar, tendo problemas com o Câmbio do carro ficando a 5 voltas do vencedor. Em San Marino a Rial fica pela primeira vez de Fora da corrida, Weidler não passa de novo do Pré-qualify e Danner não conseguir lugar entre os 26 que garantem vaga na Formula 1. Esse mesmo quadro iria se repetir em Mônaco com Weidler fora dos treinos de Classificação e Danner não conseguindo se classificar para a corrida.

A Rial só volta a correr no GP do México onde Danner largaria em 23ºlugar e completaria a prova em 12ºlugar, O Carro se mostrava pelo menos um carro confiável se ele não era rápido, Isso beneficiou a Christian Danner no GP dos Estados Unidos que estava em uma nova cidade, Em um novo traçado o Alemão Danner largou em 26º e último lugar do que conseguem classificação para a corrida e mesmo com um Carro lento o piloto Alemão completa a prova em 4ºlugar atras somente de Alain Prost, Ricardo Patrese e de Eddie Cheever e acabou na Frente de Johnny Herbert com Benetton e Thierry Boutsen com a Williams. A Rial teria 3 pontos na temporada após 5 corridas o que daria uma esperança de melhora para a equipe.

Danner consegue pela 3ªvez seguida a classificação para a corrida, largando em 23º Danner acabou a prova sob chuva em 8ºlugar, sendo que foi o último colocado, Se estranham que não estamos falando de Wolker Weidler é que ele foi eliminado em todas as ocasiões na Pré-qualificação. Günther Schmidt nem suspeitava, Mas no Canadá a Rial faria sua última corrida na Formula 1, Mesmo com as falhas na Classificação para correrem na França e na Inglaterra a Rial com os seus pontos ganhos na 1ªmetade da temporada acabou garantindo lugar para os dois pilotos na Classificação. Mas o carro estava num estágio tão ruim que na Alemanha nenhum dos dois pilotos se classificou para o Grid de largada, Weidler foi desclassificado do treino por irregularidades na parte técnica, A partir dessa prova a Rial iria se perder totalmente. Mesmo garantida nas classificações a Rial era um fiasco nos treinos, Na Hungria nova desclassificação e Weidler é mandado embora da equipe.

Na Bélgica a maior prova da falta de evolução da Rial com a Estreia de Pierre-Henri Raphanel que estava lá mais por causa de dinheiro do que de talento a Rial fez com Danner 2:00.247. O 26ºcolocado do Grid de largada que foi Olivier Grouillard com 1:57.027, foram 3 segundos mais lento do que o tempo de classificação, isso com o Danner, já com Raphanel foi 2:02.937, a quase 6 segundos de Grouillard.

Na Itália e em Portugal a Rial fez papelão e não largou com nenhum dos dois carros e sempre com tempos muito lentos mesmo, cerca de 2 segundos mais lento que seus adversários mais diretos para a luta por lugares no grid de largada. Para Danner que talvez fosse a única boa peça desse time a paciência se esgotou e ele saiu da equipe. Gregor Foitek substituiu a Danner, e a estadia dele só durou um final de semana, Em Jerez Foitek bateu forte no treino de classificação e acabou sendo mandado embora da Rial, nem precisa dizer que o time não se classificou nessa corrida. Bertrand Gachot foi o substituto de Foitek nas duas corridas finais, Mas de nada aconteceu, Pierre-Henri Raphanel mostrou que não tinha potencial para correr na Formula 1, Mesmo que ele tenha conseguido largar nem Mônaco com uma Coloni. Foram 4 segundos mais lento que o 26ºlugar no Grid de largada do GP do Japão e foram 2 segundos no GP da Austrália entre Raphanel e Gachot e o último lugar no Grid do GP da Austrália.

Ao final do ano com o 4ºlugar em Phoenix de Christian Danner a Rial completou o ano na 13ªposição com 3 pontos ganhos, Mas por causa da Falta de dinheiro, falta de organização, da Arrogância de seu dono acabam por acabar com que a equipe fechasse as Portas, após 2 temporadas na Formula 1. Que pena, poderia ser um time com mais sucesso se não fosse um time tão desorganizado como foi.

Números da Rial em 1989:

Gps: 32 (Largou em 4 Gps)
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 3
Motor: Ford DFR V8
Pilotos:

Christian Danner
Gregor Foitek
Bertrand Gachot
Pirrie-Henri Raphanel
Volker Weidler

Dados sobre o Carro de 1989:

Dados Técnicos:

País : Alemanha
Patrocínio : Rial Marlboro
Chassi: ARC02
Motor: Cosworth Mader V8 90
Potência: 620
Projetista: Gunther Schmidt
Diretor Técnico: Gunther Schmidt
Projetista: Gustav Brunner/Stefan Fober
Pneus: Goodyear

Motor :Ford Cosworth
Pneu :Goodyear
Chassi : monocoque Fibra de Carbono e Kevlar
Peso : 500 kg
Transmissão : Rial (6 marchas mais marcha Ré)
Combustível / Lubrificante : STP
Tanque : 208 Litros
Suspensão :
Amortecedores :Koni
Freios :
Disco de Carbono – Brembo/SEP
Comprimento :
Distância entre eixos : 2800 mm
dianteira : 1800 mm
traseira : 1600 mm

Fotos:

View post on imgur.com

Histórico da Rial

Gps: 48 Gps (Largou em 20 GPs)
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 6
Pilotos:
Andrea de Cesaris (Itália)
Christian Danner (Alemanha)
Gregor Foitek (Suiça)
Bertrand Gachot (Bélgica)
Pirrie-Henri Raphanel (França)
Volker Weidler (Alemanha)

Referências: Stats F1, A Mil por Hora

Fonte das Fotos: Bestlap, Formel1mic
Texto: Deivison da Conceição da Silva

Reveja a primeira parte desse especial

Especial: Equipe Rial – Parte 1

Rial

Criação do time:

O time foi criado pelo Alemão Günther Schmidt que foi o ex proprietário da ATS que correu na Formula 1 entre 1977 a 1984 conseguindo poucos sucessos nesse período. Visando a volta dos motores aspirados a Formula 1 Schmidt cria a Rial que não era nada mais que o nome da sua fabricante de pneus na Alemanha.

A Base da Rial ficava na cidade de Fußgönheim. O Primeiro Chassi da equipe seria criado pelo Competente projetista Gustav Brunner que impulsionado pelo Motor Ford Cosworth DFZ que gerava 550 Cavalos. O ARC1 é concebido e é apelidada de a Ferrari azul pela semelhança que ela tinha em relação ao Ferrari F1/87 da temporada passada, O piloto Seria o Italiano Andrea de Cesaris que com o dinheiro da Marlboro mais com uma mistura de Velocidade e de inconsequência era motivo de Amor e ódio pelas equipes que passava, Sem dúvida era um belo reforço a Rial isso se ele não batesse tanto. Infelizmente um Erro crucial comprometeria o ano todo da equipe Alemã.

Uma Discussão entre Gustav Brunner e Heini Mader acabou fazendo com que o Tanque do carro fosse um tanque pequeno. Isso revelado pelo piloto Andrea de Cesaris em Entrevista ao Site do Tazio:

Em 1988, a Rial tinha um carro até eficiente, mas que lhe deixou várias vezes na mão por possuir um tanque de combustível relativamente pequeno, causando algumas panes secas e a perda de bons resultados. Como você e a equipe tentavam lidar com isso?

Eu acho que este ano foi uma das minhas melhores temporadas. Tínhamos uma equipe de dez pessoas. Você consegue imaginar uma equipe de F1 com dez pessoas?

Muitas vezes eu andava entre os cinco primeiros, mas não encerrava a prova porque, quando o carro foi projetado, houve um mal-entendido entre o diretor do projeto [Gustav Brunner] e [o preparador suíço] Heini Mader, que montava nossos motores, sobre o cálculo de consumo de combustível.

Então o carro ficou com um tanque muito pequeno. Hoje eu consigo rir disso, mas perdi muitos pontos por quatro ou cinco litros de gasolina.
Fonte: Tazio

Na estreia no Brasil com um time de 10 mecânicos a Rial consegue superar equipes melhores estruturadas e larga em 14ºlugar, Mas o Motor acabou quebrando a 7 voltas do final. Mas foi uma bela estreia da Rial. Em San Marino o time mantém sua boa forma no Grid com o 16ºlugar, Mas a Suspensão não aguenta nem a primeira volta e De Cesaris tem que deixar a corrida. O Mesmo aconteceu em Mônaco onde de Cesaris largou em 19º e deixou a corrida na 29ªvolta por problemas de Motor e no México largando em 12ºlugar de forma surpreendente deixa a corrida pro problemas de embreagem a 15 voltas do final.

Canada1988 (10)

No Canadá o italiano De Cesaris com a Rial teria a primeira grande atuação do ano, Largando em 12ºlugar De Cesaris tinha tudo para levar uma 5ªposição após grande corrida, Mas a 3 voltas do final o Fantasma do tanque curto aparece e De Cesaris deixa a corrida e a Rial perde 2 pontos certos que iria ajudar muito nos custos da equipe em 1989. Além de um taque pequeno a Rial não tinha o sinalizador de combustível que indicava quanto tinha de combustível, ou seja o piloto teria que confiar nele mesmo para terminar a corrida. Algo bem amador naquela época.

De Cesaris conduziu de forma brilhante a Rial para os pontos.
De Cesaris conduziu de forma brilhante a Rial para os pontos.

Mas nos Estados Unidos De Cesaris teve uma nova chance de fazer uma grande corrida, e largando de 12ºlugar e andando mais da metade da corrida em 4ºlugar o Italiano conseguiu levar o modesto carro da Rial ao 4ºlugar e a equipe Alemã a marcar seus 3 primeiros pontos nas ruas de Detroit somente atrás de Senna e Prost com o Imbatível Mclaren MP4/4 com os motores Honda e o Belga Thierry Boutsen com o bom carro da Benetton-Ford mostrando que o carro era bem competitivo.

Na França de Cesaris repete o 12ºlugar no Grid de largada num circuito de alta velocidade o carro da Rial andava bem, Na Corrida De Cesaris completou em 10ºlugar. Na Inglaterra De Cesaris teve um 14ºlugar no Grid de largada e na corrida acabou com problemas na Embreagem e abandonando na 10ªVolta. Na Alemanha De Cesaris larga em 14º e numa corrida de chuva o carro não corresponde as expectativas de uma condição favorável e De Cesaris leva o equipamento ao 13ºlugar. Depois dessa corrida o Diretor do projeto da Rial Gustav Brunner é mandado embora. E isso faz com que o desempenho da Rial acabe caindo com Grids ruins na Hungria, Bélgica e Itália e abandono por problemas de Transmissão em Hungaroring e dois acidentes seguidos de De Cesaris, um na Bélgica que acabou envolvendo a Rene Arnoux e na Itália.

Em Portugal o time volta a ter um belíssimo Grid de largada, De Cesaris larga em 12ºlugar, Mas a alegria durou pouco, o Semieixo da Rial quebrou na 12ªvolta. Na Espanha a Rial teve o seu pior Grid na Temporada com De Cesaris largando em 23ºlugar se o treino foi ruim, A corrida também foi ruim De Cesaris deixou a corrida na 37ªvolta com problemas de motor.

Japan1988F1 (4)

Nas duas provas finais a Rial esperava mudar sua Sorte, No Japão De Cesaris largou em 14ºlugar e deixou uma corrida em que vinha em uma corrida mediana a 15 voltas do final por causa de Superaquecimento no seu ARC1, Na corrida final na Austrália De Cesaris largaria o Rial na 15ªposição e faz uma grande corrida, sempre avançando na corrida, melhorando de posição conforme os pilotos lá da Frente vinham batendo o Quebrando, Tudo indicava um final Feliz para a Rial. Mas a 5 voltas do final mas uma vez a falta de combustível foi o carrasco da Rial. De Cesaris ainda ficaria em 8ºlugar.

Ao final da temporada a Rial acabou o ano em 9ºlugar no mundial de construtores com 3 pontos. Na frente de Ligier, Lola, Dallara, Zakspeed…

Dados do carro:

Desenhista : Gustav Brunner
Motore : Ford Cosworth DFZ com 565 cavalos
Pneu : Goodyear
Chassi : Chassi monoposto feito de Fibra de Carbono
Peso : 500 kg
Transmissão : Rial Com 6 Marchas
Combustível / Lubrificante : STP
Tanque : – de 150 kg
Suspensão :
Amortecedores : Koni
Freios :
Discos de Carbono – Brembo/SEP
Comprimento :
Distância entre eixos : 2800 mm
dianteira : 1800 mm
Via traseira : 1600 mm

Gps: 16
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 3
Motor: Ford
Pilotos:
Andrea de Cesaris (Itália)
Chassi: ARC01
Potência: 565 Cavalos – 10500 RPM – 3500cc
Número de voltas percorridas: 602 voltas

Fonte das Fotos: Bestlap, Formel1mic
Texto: Deivison da Conceição da Silva

Corridas Históricas: GP dos Estados Unidos de 1988

Grid de Largada:

1 Ayrton Senna (McLaren/Honda) 1’40.606
2 Gerhard Berger (Ferrari) 1’41.464
3 Michele Alboreto (Ferrari) 1’41.700
4 Alain Prost (McLaren/Honda) 1’42.019
5 Thierry Boutsen (Benetton/Ford) 1’42.690
6 Nigel Mansell (Williams/Judd) 1’42.897
7 Alessandro Nannini (Benetton/Ford) 1’43.117
8 Nelson Piquet (Lotus/Honda) 1’43.314
9 Derek Warwick (Arrows/Megatron) 1’43.799
10 Riccardo Patrese (Williams/Judd) 1’43.810
11 Philippe Streiff (AGS/Ford) 1’44.204
12 Andrea de Cesaris (Rial/Ford) 1’44.216
13 Mauricio Gugelmin (March/Judd) 1’44.474
14 Philippe Alliot (Lola/Ford) 1’44.590
15 Eddie Cheever (Arrows/Megatron) 1’44.948
16 Pierluigi Martini (Minardi/Ford) 1’45.048
17 Jonathan Palmer (Tyrrell/Ford) 1’45.268
18 Stefan Johansson (Ligier/Judd) 1’45.275
19 Stefano Modena (Euro Brun/Ford) 1’45.304
20 René Arnoux (Ligier/Judd) 1’45.437
21 Alex Caffi (Dallara/Ford) 1’45.750
22 Julian Bailey (Tyrrell/Ford) 1’46.286
23 Oscar Larrauri (Euro Brun/Ford) 1’46.390
24 Yannick Dalmas (Lola/Ford) 1’46.422
25 Luis Perez-Sala (Minardi/Ford) 1’46.593
26 Nicola Larini (Osella) 1’46.623

Não Classificou:

27 Satoru Nakajima (Lotus/Honda) 1’47.243
28 Bernd Schneider (Zakspeed) 1’48.249
29 Piercarlo Ghinzani (Zakspeed) 1’48.925
30 Gabriele Tarquini (Coloni/Ford) 1’47.312
31 Ivan Capelli (March/Judd) 1’45.544

Senna Conquista 3ªVitória consecutiva nas Ruas de Detroit

A 6ªEtapa do Mundial de 1988 seria no sol quente dos Estados Unidos, nas Ruas de Detroit, num belíssimo cenário, perto do Rio Michigan, Definitivamente não era uma pista muito boa para Capelli que sofreu um acidente forte e não pode correr, apesar de que tinha sobras para estar no Grid de largada. Incrivelmente Satoru Nakajima não largou para essa corrida com a Lotus-Honda.

Senna mais uma vez na pole, tendo ao seu lado Gerhard Berger com a Ferrari, depois na Segunda fila Alboreto com a Outra Ferrari e Prost com o Maravilhoso Mclaren MP4/4 projetado por Gordon Murray que estava até naquele momento invicto com 5 Vitórias na Temporada, 3 de Prost (Brasil, Mônaco e México) e 2 de Senna (San Marino e Canadá). Na largada Berger largou bem, mas Senna segura a ponta, Prost é que não largou bem, Boutsen passou para o 4ºlugar, ultrapassando nas Primeiras curvas. nas primeiras curvas Berger estava perto de Senna, Logo depois da primeira volta Prost voltava a ser o 4ºLugar, usando a Força do Motor Turbo da Honda contra o Ford DFR aspirado da Benetton. Jonathan Palmer logo na Segunda volta teve de ir aos Boxes complicando a corrida desde já. Prost estava agora na 3ªVolta perseguindo as Ferraris de Alboreto e Berger. As Benetton de Boutsen e de Nannini ocupavam 5ª e 6ª posições.

Nas primeiras voltas Senna abria uma importante vantagem para Berger e Alboreto que começavam a Sofrer pressão de Alain Prost, na briga pelo 2ºlugar. Prost sabia que deveria se livrar logo das Duas Ferraris, pois quanto mais tempo atrás delas, mas Senna iria se distanciar devido ao maior desempenho das Mclaren MP4/4. No Final da 5ªVolta Prost passava Alboreto e assumia a 3ªPosição. Agora Prost iria à caça de Berger. A Classificação após 5 Voltas era a Seguinte: Senna (8:52.932), Berger (a 3.878), Prost (a 5.449), Alboreto (a 5.989), Boutsen (a 6.838), Nannini (a 10.789).

Prost iria ao Ataque pra cima de Berger, Mais Berger perde rendimento e Prost passa a 2ªPosição, Berger sofre pressão de Alboreto e de Boutsen. E que logo Berger mostra problemas em seu carro e abandonava a corrida com problemas de Pneu. Alboreto sofria pressão de Boutsen que mostrava um desempenho melhor dos motores aspirados nesse tipo de Pista. Na 8ªVolta Boutsen passa Alboreto e assume a 3ªPosição. Nannini logo estava atrás de Alboreto em 5ºe Nigel Mansell em 6º. Nicola Larini com a patética Osella abandonaria a corrida, a pista era curta, por isso as bandeiras amarelas eram agitadas quando tinha perigo na pista ou alguém parado na pista. Nannini na Volta 9 Forçou ultrapassagem em cima de Alboreto que acabou rodando e perdendo muito tempo, Nannini assumia a 4ªPosição. Mansell e Patrese completavam os 6 primeiros, depois Warwick e De Cesaris em 7º e 8º lugares. Alboreto voltou uma volta atrás de Senna que era o Líder da corrida.

Depois de 10 Voltas a Classificação era a Seguinte: 12 Senna (17:40.307), 11 Prost (a 6.135), 20 Boutsen (a 17.038), 19 Nannini (a 22.291), 5 Mansell (23.259), 6. Patrese (28.284). Na 11ªVolta Senna passava já os primeiros retardatários e já tinha distância bastante confortável pra cima de Prost, tirando os Mclarens, do 3º ao 6º todos com motores Aspirados os Benettons de Ford DFR e os Williams de Judd CV V8. Mauricio Gugelmin era a única March na Corrida era o 11ºColocado, logo Atrás tinha Rene Arnoux, Pierluigi Martini, Alex Caffi em 12º, 13º e 14º respectivamente.

O Forte calor começava a fazer de vitimas os pilotos da Frente, Eddie Cheever da Arrows abandonava a corrida com problemas elétricos, na Mesma volta 15, Alessandro Nannini teve que ir aos boxes e abandonou a corrida com seu motor Ford Quebrado e abandonava a corrida quando estava em 4ºlugar. Na Volta Seguinte Phillipe Streiff que estava nos primeiros lugares perto da zona de pontuação também abandonava a corrida. Depois de 15 Voltas a Classificação era essa: Senna (26:35.398), Prost (8.158), Boutsen (18.032), Mansell (28.332), Patrese (36.037) e De Cesaris (1:01.039). Depois Warwick em 7º, Piquet em 8º, Gugelmin em 9º. Mas Gugelmin passou Piquet e assumiu a 8ªPosição, Piquet acabou perdendo rendimento e perdeu posições para Martini e Caffi e caindo para a 11ªposição. Enquanto isso Senna continuava liderando a corrida com tranquilidade e sem ser ameaçado com quase 6 segundos na frente de Prost que estava quase 15 segundos na frente de Boutsen. Na 18ªVolta Mansell abandonaria a corrida com problemas de motor. Deixando Gugelmin já nos pontos, Já que Warwick foi para os boxes 2 voltas anteriores. 1/3 de corrida e 19 pilotos estavam na corrida, a expectativa era de que poucos carros viriam a bandeira de Chegada nessa corrida. Na volta 21 Senna já dava volta em cima do 9ºlugar que era Nelson Piquet com a Lotus-Honda. Logo a Frente tinha Martini em 7º e Caffi em 8º.

Passadas 20 Voltas a Classificação era essa: Senna (35:28.711), Prost (a 9.641), Boutsen (a 26.056), Patrese (a 52.727), de Cesaris (a 1:23.612) e Gugelmin (a 1:43.560) o Posicionamento dos primeiros colocados estavam com espaços muito grandes um do outro, nenhum deles muito perto do outro. Na Volta 22 Senna daria volta em Mauricio Gugelmin, o 6ºcolocado da corrida, era incrível a superioridade da Mclaren em cima dos outros carros. Senna estava com 8 Segundos a frente de Prost e com uma vantagem, Prost teria que encarar como retardatários como Caffi, Martini e Gugelmin. e Senna tinha pista livre pela frente. Na Volta 23 a classificação era a seguinte: Senna, Prost, Boutsen, Patrese, De Cesaris, Gugelmin, Martini, Caffi, Piquet e Arnoux nas 10 primeiras posições.

Na Volta 24 Warwick estava lento e abandonando a corrida. Enquanto isso Senna e Prost estavam brigando volta a volta, Senna faz a ultrapassagem em cima de De Cesaris com a Rial-Ford DFZ, Piquet parava para os boxes e ficava mais atrás na corrida. Gugelmin estava em 6º, mas Martini perseguia de forma feroz para buscar o lugar nos pontos. Carro de Gugelmin estava sem a tampa do motor para que o motor não superaquecesse, Patrese abandonaria a corrida na volta 28, Piquet na mesma volta roda e também abandonaria a corrida. Na volta 28 a Classificação era a Seguinte: Senna, Prost, Boutsen, De Cesaris, Gugelmin e Martini. Na Mesma Volta do líder. Oscar Larrauri com a Nanica Eurobrun abandonou a corrida com problemas de Câmbio. Chegando na metade da corrida dos 26 que largavam, somente 15 pilotos estavam na corrida. Isso tudo com 29 Voltas completadas. Senna estava mantendo a vantagem de 10 segundos em cima de Prost, tinha hora que Prost conseguia baixar a diferença e hora que era um pouco maior a vantagem do Ayrton, Boutsen em 3ºEsperava que algo acontecesse, um dos Mclaren tivessem problemas ou as duas Mclaren tivessem problemas pois carro ele não tinha.

Depois de 30 Voltas a Classificação da Corrida era essa: Senna (53:17.198), Prost (12.6), Boutsen (1:00.625), De Cesaris (1 Volta), Gugelmin (1 Volta), Martini (1 Volta), Caffi (1 Volta). Michele Alboreto continuava na corrida também, mas estava longe dos primeiros lugares, e teria que remar para terminar nos pontos, Jonathan Palmer rodou em posição perigosa na Volta 32, mas voltou para a pista.

Warwick que voltava a corrida depois de um tempo parado na corrida Bateu e abandonou definitivamente a corrida. Senna passava o último colocado da corrida Stefano Modena com a outra Eurobrun. Senna estava dando 3 voltas em Modena. Após 35 Voltas a classificação era: Senna, Prost, Boutsen, De Cesaris, Gugelmin e Martini, com Caffi, Arnoux, Dalmas, e Alboreto completando as 10 primeiras posições. Na Volta seguinte Gugelmin teve problemas com o seu motor Judd e abandona a corrida. a Mclaren perigava a parada de pits para Senna ou Prost. Na Volta 37 Prost sinalizou para que fosse ele a parar nos boxes.

Depois de 36 Voltas a Classificação era essa: Senna (1:03.36.113), Prost (17.406), Boutsen (1:31.705), de Cesaris (1 Volta), Martini (1 Volta), Caffi (1 Volta), Arnoux (1 Volta), Gugelmin (2 Voltas), Dalmas (2 Voltas), Alboreto (2 Voltas), Palmer (2 Voltas), Bailey (2 Voltas), Sala (2 Voltas), Alliot (2 Voltas), Modena (3 Voltas), a Melhor Volta da Corrida era de Alain Prost com 1:44.836 na volta 4.

Tanto Senna, tanto Prost estavam com os pneus em péssimo estado, Prost com 21 segundos atrás de Senna para ele só restava a parada para a troca de pneus para ver se mudava alguma coisa na corrida. Impressionante Recuperação de Alboreto que assumiu até aquele momento a 8ªposição depois de rodar nas primeiras voltas da corrida. Caffi e Arnoux Brigavam pelo 6ºlugar na corrida, para os dois era a chance de pontuar na temporada, e que poderia ser a única no ano. Prost foi para a troca de pneus, mas a troca foi demorada e fez o Francês perder muito tempo, mas volta ainda na 2ªposição devido a enorme vantagem de Prost para Boutsen.

Na Volta 40 Senna foi para os Boxes para a sua parada, e a Mclaren fez uma boa troca, 10,71 segundos. Uma parada que sem duvida colocava Senna na Frente com mais vantagem para Prost. a Classificação em 40 Voltas era essa: Senna (1:13:11.821), Prost(a 31.920), Boutsen (a 1:28.871), De Cesaris (1 Volta), Martini (1 Volta), Caffi (2 Voltas), Arnoux (2 Voltas) e Alboreto (2 Voltas).

Nas Voltas Seguintes Prost não estava virando bem na corrida, enquanto isso Senna rodava bem e só aumentava a vantagem para Prost. Naquele momento só se Senna tivesse problemas ou Batesse para Prost almejar a vitória, pois a diferença já estava chegando aos 40 segundos. no Terço final de corrida entre os 4 primeiros colocados, não havia emoção nenhuma Senna, Prost, Boutsen e De Cesaris estavam garantidos nas suas posições. a Briga lá atrás pelos 2 últimos lugares dos pontos estava acirrada A Classificação após 45 Voltas: Senna, Prost, Boutsen, De Cesaris, Martini, Caffi, Arnoux, Alboreto, Palmer.

Na volta 45 Alboreto depois de se recuperar na corrida e de chegar perto, abandonou a corrida depois de Sofrer um acidente, Na Mesma volta Rene Arnoux com a Sua Ligier-Judd abandonava a corrida após excelente corrida com um equipamento tão ineficiente. No Momento em que Senna na Volta 49 Chegava aos 40 segundos de vantagem para Prost. Se Senna estava virando 1:50 e Prost 1:52 a 1:53, os outros mais lentos estavam entre 1:54, 1:55 e 1:56. Alliot com sua Lola-Ford também abandona a corrida. Outro que deixou a corrida foi Modena da Eurobrun que rodou. Restando menos de 15 voltas para o Final da corrida seria até piada dizer que 26 largaram, só tinha 11 carros na prova. e Prost estava aparentando problemas em seu motor, será que teria problemas, será que ele abandonaria a corrida e deixaria Senna encostar nele na classificação do campeonato. já que Prost estava com 39 e Senna com 24 pontos. a Classificação após 52 Voltas Era: Senna, Prost, Boutsen, De Cesaris, Martini, Palmer, Caffi e Dalmas. Palmer que depois de Rodar e de ir aos boxes no começo da corrida estava nos pontos, impressionante também a recuperação do piloto da Tyrrell-Ford. Na Volta 54 Palmer passa Martini e assume a 5ªPosição deixando Martini em 6º. Caffi roda, mas consegue voltar a corrida.

Restando apenas 9 voltas na corrida Senna virava 1:53 e Prost 1:55. não parecia só problemas no carro ou nos pneus, já poderia ser mais problemas do excessivo calor que estava fazendo em Detroit. chegava a ser até desumano eles correrem nessa pista. Com 54 Voltas: Senna (1:37.10.176), Prost (a 52.255), Boutsen (1 Volta), De Cesaris (1 Volta), Palmer (2 Voltas), Martini (2 Voltas), Dalmas (2 Voltas), Caffi (2 Voltas), Bailey (3 Voltas), Sala (3 Voltas) a Melhor volta era ainda de Alain Prost que na 4ºVolta fez um tempo em 1:44.836, na Volta 56 1:55 a 1:57. Mostrando que o calor estava afetando os pilotos, De Cesaris fez 1:51 e era o melhor de todos, mas a 7 Segundos do tempo de Prost. Sala com o Câmbio Quebrado abandona a corrida e dessa forma só tinha 9 Carros na corrida. de 26 pilotos. Caffi estava lento na pista. Poderia parar a qualquer momento. Após 58 Voltas Senna tinha 1 minuto na Frente de Prost, um enorme domínio do Brasileiro que quando o desgaste foi maior Senna abriu cada vez mais a vantagem, nas últimas voltas da corrida Senna reduziu drasticamente seu rendimento na corrida, só administrando e sem querer correr risco nenhum de perder os 9 pontos, e Comemorar a 3ªVitória no ano de 88. e encostar em Prost no campeonato. Na Volta Final Julian Bailey bateu e abandonou a corrida, mas ele foi computado com se tivesse terminado a corrida. O Mesmo pódio do Canadá foi estabelecido em Detroit: Senna, Prost e Boutsen. De Cesaris da Rial-Ford conquistava os primeiros pontos da história do Time Alemão, Palmer com o Tyrrell fazia mais 2 pontos para a equipe de Ken Tyrrell e Martini levava a Minardi ao seu primeiro ponto da sua história da Formula 1. Em Detroit foi marcado o domínio de Senna, mas essa corrida seria a última em Detroit, pois em 89 o GP dos Estados Unidos seria em Pheonix. Pois 9 pilotos terminarem a corrida e provavelmente todos com condições físicas lamentáveis.

GP dos Estados Unidos de 1988 – Resultado Final

Fotos:

 

View post on imgur.com

Fonte das Fotos: Bestlap, Formel1mic

Texto: Deivison da Conceição da Silva

Patrocínio:
planatina_projeto_gif