Especial: Os anos da Verdinha Leyton House na Formula 1

A Equipe March voltou a Formula 1 em 1987 com a Cor Verde e com o patrocínio da Leyton House, Uma empresa imobiliária Japonesa que financiava a equipe inglesa que voltava depois de um Hiato de 5 temporadas aproveitando o regulamento de motores aonde já se preparava para o fim dos motores Turbo e a volta dos aspirados. Depois de 3 temporadas como patrocinador da March sendo que o ano de 1988 foi o melhor deles o Japonês Akira Akari resolve comprar a equipe e renomear o time como Leyton House.

Temporada de 1990:

Leyton House
CG901
Projetistas: Adrian Newey e Gustav Brunner
Câmbio: March – 6 Marcas
Combustível/Lubrificante: BP
Amortecedores: Koni
Freios: Freios à Disco de Carbono – AP Racing/ Carbono Industrial

Começaram a temporada de 1990 muito mal com Gugelmin em 25º e Capelli em 26º no grid de largada com o piloto Italiano tendo a sorte de estar no Grid já que uma das ligier acabou sendo desclassificado do Grid e com isso Capelli entrou para a corrida em que Capelli acabou não indo muito longe deixando a corrida com problemas elétricos, Gugelmin teve muitos problemas na corrida inteira, Mas cruzou a linha de Chegada em 14ºlugar a 6 Voltas do Vencedor.

Mas se em Phoenix as coisas foram bem ruins em São Paulo piorou para a Leyton House, nenhum dos dois pilotos classificaram para a corrida, Um tremendo fracasso para um time que conseguiu pódio em 1988 e 1989.

Indo para a primeira corrida na Europa em San Marino finalmente um desempenho decente com o Brasileiro Maurício Gugelmin com o 12ºlugar no Grid de largada e Ivan Capelli em 18º bem melhor do que nas primeiras corridas na América, Mas nenhum deles viram a bandeirada Capelli sofreu acidente na primeira volta e Gugelmin teve problemas elétricos na 24ªVolta e abandonou, Em Mônaco A Leyton House só se classificou para a corrida com Capelli que ficou em 23ºlugar que acabou deixando a corrida cedo com problemas de Travões em seu carro, Gugelmin acabou fora da corrida.

Indo para a 2ªParte na América no Canadá nova eliminação de Maurício Gugelmin na classificação para a corrida e mais uma vez o time só correu com 1 carro que foi de Ivan Capelli que largou em 24º para completar a prova em 10ºlugar a 2 voltas do Vencedor da prova, Agora no México a Leyton House vive um dos seus piores pesadelos, Ambos os pilotos não conseguiram largar, Nem Capelli e nem Gugelmin que ficava pela 3ªVez Seguida de fora do Grid de largada conseguiram colocar o carro Verde entre os 26 que largavam para a corrida.

Em 6 Corridas era uma enorme decepção o campeonato do time de Akira Akari com 0 ponto e vendo times como a Footwork já tendo 2 pontos e até a Onxy tirando um 7ºlugar em Mônaco, Era uma temporada péssima até agora, O Conceito do carro de Adrian Newey não estava dando resultados…
…Até agora pois a corrida seguinte seria na França no circuito de Paul Ricard, E dai se explicar uma coisa, O Chassi CG901 é um chassi que fica tão no chão que ele acaba sendo um chassi eficiente apenas em circuitos em que a pista é lisa, Em pistas como a do México em que o Asfalto era totalmente irregular o carro não rende de forma nenhuma.

Franca1990_20

Nos treinos oficiais Ivan Capelli ficou em 7ºlugar e Maurício Gugelmin ficou em 10ºlugar, Ambos largavam nas 10 primeiras posições no Grid de largada:
A Corrida no dia seguinte na corrida ambos os pilotos decidiram não fazer nenhuma troca nos seus pneus, Com isso esperavam pular nas primeiras posições quando os lideres pararem nos boxes.

Logo depois o primeiro terço de corrida tanto Capelli como Gugelmin subiam de posições até que na volta 33, Ivan Capelli passou ao Italiano Riccardo Patrese da Williams para assumir a liderança da corrida e com Gugelmin na segunda posição e mesmo com a Pressão de ninguem mais que Alain Marie Pascal Prost a equipe manteve a dobradinha durante 19 Voltas seguidas até que o Tricampeão do mundo com sua Ferrari Mostrou sua força e passou Gugelmin que 5 voltas depois deixava uma bela corrida que ele vinha fazendo com problemas de Motor.

A Partir da Prost buscou feito um louco Ivan Capelli que só entregou a vitória a Prost por que o Motor Judd poderia estourar se ele continuasse a ter um ritmo forte de corrida, Apesar de não ter conquistado a vitória Capelli deu a Equipe um resultado magnifico para o time de Akira Akari (O que seria o melhor resultado da História da Leyton House) Com Ivan Capelli completando a corrida em 2ºlugar na frente de Ayrton Senna e festejando no Pódio de Paul Ricard que foi o 3º da sua carreira na Formula 1 (Último pódio de Capelli).

Franca1990_17

Com os 6 pontos de Capelli a Leyton House iria aparecer no campeonato na 6ªPosição atrás das 4 grandes (Mclaren, Ferrari, Benetton e Williams) e da Tyrrell que era a melhor das 4 Grandes.

Com o Positivo Resultado a equipe foi embalada para Silverstone para a 8ªEtapa, Gugelmin que pouco tinha feito até a prova da França largou numa ótima 9ºlugar considerando o fraco motor Judd que ele tinha, Capelli já largava mais atrás em 15ºlugar. Capelli fez uma grande corrida e chegou a estar na 3ªposição quando a 17 Voltas do final o piloto Italiano teve problemas na Alimentação de seu carro o que fez ele deixar a corrida, Já Gugelmin nem largou, Teve problemas na bomba de Gasolina de seu carro.

Na Alemanha em mais um circuito de alta Ivan Capelli largou em 10ºlugar e fez uma bela corrida chegando a estar por algumas voltas a estar na 6ªposição, Mas Capelli perdeu essa posição para a Williams de Thierry Boutsen e terminou em 7ºlugar, Já o Brasileiro Maurício Gugelmin largou em 14º abandonou com problemas de Válvula do motor Judd. Partido para o Leste da Europa na Etapa da Hungria cheio de incidentes um grid abaixo do esperado com Capelli em 16º e Gugelmin em 17º, Na corrida Gugelmin levou o carro para a 8ªposição após uma corrida difícil em que o piloto procurou sobreviver na corrida, Capelli fazia o mesmo na frente de Gugelmin até ter problemas de Câmbio a 21 voltas do final da corrida.

Voltando para a parte ocidental da Europa tivemos o Desafiante GP da Bélgica em Spa-Francorchamps aonde o time do carro verdinho acabou se dando bem graças a tática de não fazer paradas nos boxes, O Brasileiro Maurício Gugelmin voltou a marcar pontos ao terminar a corrida em ótima 6ªPosição após largar da 14ªPosição com Ivan Capelli que largou de 12º para chegar na sétima posição.

Após esse bom resultado a equipe Leyton House foi motivada para o GP da Itália em Monza, Apesar do carro tendo um motor de pouca potência como a Judd Gugelmin largou em 10º e Capelli largou em 16º, O brasileiro teve problemas de motor quando estava bem classificado na 25ªVolta e Capelli ficou por algumas voltas em 6ºlugar quando teve problemas de Bomba de Gasolina tendo que deixar a corrida perdendo mais uma possibilidade de marcar pontos na temporada, Em Portugal o time já não arranjou nada demais, Gugelmin mesmo com condições precárias de Saúde (Febre de 39ºGraus) levou seu carro até o 12ºlugar após largar do 14º, Capelli quebrou o motor na 51ªVolta após largar na 12ªPosição.

Em Jerez de la Fronteira a Equipe do Japonês Akira Akari completou sua temporada Europeia Gugelmin teve mais uma boa corrida largando do 12ºlugar e chegando a disputar o 6ºlugar por algumas voltas, Mas não foi capaz de deter o avanço de Suzuki e de Larini e acabou ficando em 8ºlugar pelo menos tendo mais sorte do que Capelli que abandonou a corrida por cãibras a 14 Voltas do final.

Na parte final do campeonato não foi das mais felizes para a Leyton House, na luta pelo 6ºlugar no mundial de construtores, Em Suzuka no Japão ela acabou vendo a Larrousse de Aguri Suzuki em 3ºlugar no Pódio fazendo com que o time francês ultrapassasse a Leyton House que tinha 4 pontos de desvantagem para os carros coloridos, Gugelmin que largou em 12º abandonou com problemas de Motor na 6ªVolta e Capelli com muitos problemas e indo duas vezes para os boxes abandonou com problemas elétricos, Em Adelaide Gugelmin e Capelli abandonaram a corrida após terem problemas de travões do carro e de Acelerador do carro respectivamente.

Após um ano de muitos altos e Baixos a Leyton House acabou o campeonato Mundial de Formula 1 em 7ºlugar com 7 pontos, 1 pódio na França com Ivan Capelli e um 6ºlugar na Bélgica com Maurício Gugelmim e com um projetista revelado de vez para o mundo que era o Adrian Newey que logo foi contratado pela Williams para construir o carro para 1991 e começar uma era que o faria ter o título de o Mago na matéria de Chassis.

Gps: 32 (Largou em 26 Gps)
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 1
Pontos: 7
Motor: Judd EV 8 Cilindros
Potência: 640 Cavalos a 12.500 RPM
Chassi: CG901
Pilotos:
Mauricio Gugelmin
Ivan Capelli
Número de Voltas Completadas: 1.046
Voltas Lideradas: 45

Fotos

View post on imgur.com

Temporada de 1991 da Leyton House:

Chassi: Leyton House CG911
Projetista: Chris Murphy / Gustav Brunner
Câmbio: transversal – 6 Marcas
Combustível/Lubrificante: BP
Amortecedores: Koni
Freios: Freins à Disco de Carbono – AP Racing/ Carbono Industrial

Após a temporada de Altos e Baixos da Leyton House em 1990 para 91 o time teve que substituir a nada menos que Adrian Newey que foi para a Williams fazer o FW14, O Substituto para essa missão ardua foi o Chris Murphy que junto com Gustav Brunner teve de fazer o CG911 agora com os motores da Ilmor V10 que estreavam na Formula 1 que tinham a potência de 680 Cavalos, Manteve seus pilotos Tanto o Maurício Gugelmin como o Ivan Capelli e com isso esperava que o time terminasse mais corridas, que o Chassi fosse tão bom como 90 e que o resultado das corridas fosse melhor.

Mas na abertura do campeonato em Phoenix não foi nada boa, Capelli conseguiu o 18ºlugar no Grid de largada e deixou a corrida na metade da corrida e Gugelmin ficou no final do Grid na 23ªposição acabou deixando a corrida algumas voltas antes ambos com problemas de câmbio, Indo para Interlagos o belíssimo 8ºlugar no Grid de largada de Maurício Gugelmin deu esperanças de uma grande corrida para o piloto Brasileiro, Mas problemas físicos ocorridos por causa de queimaduras acabaram fazendo o que o Brasileiro não aguentasse a dor. Capelli largou em 15ºlugar e não durou muito na prova Abandonou na 16ªVolta com problemas de Motor.

brasil91_f1_502 (20)

Na abertura da temporada europeia em San Marino numa corrida chuvosa Gugelmin largava em 15º e Capelli em 22º, Na Corrida Capelli chegou a estar em 5ºlugar mas abandonou a prova com problemas de Furo de pneu, Gugelmin ficou lá atrás até o final da corrida quando acabou abandonando com problemas de Motor, Ainda assim ficou classificado em 12ºlugar, Em Mônaco mais uma corrida de problemas, Gugelmin que largou em 15º com problemas de Acerelador na 44ªVolta, Capelli largando de 18º abandonou logo na 13ªVolta com problemas de Carro Travando.

Em Montreal no Canadá a Leyton House acabou tendo mais uma chance de marcar ponto na temporada, Ivan Capelli conseguiu o 13ºlugar no Grid de largada e estava escalando posições de acordo com as quebras dos pilotos das equipes grandes, Quando estava em 4ºlugar na volta 41 o Motor Ilmor deu problema e deixou Capelli na mão, Gugelmin largando em 23ºlugar foi mais longe, Mas muito atrás na prova acabou com problemas de motor também não terminando a corrida, Continuando na América do Norte no desalinhado circuito do México aonde a equipe deu vexame em 1990 dessa vez ambos os pilotos conseguiram classificação, Capelli e Gugelmin largaram na 11ªFila, Mas na corrida ambos abandonaram a corrida com problemas de Motor.

monaco504f1 (16)

De Volta a Europa a partir da França a equipe conseguiu dar uma grande melhorada em retirar as molas do carro que era um dos erros do carro que foi identificado pelo Brasileiro Maurício Gugelmin e sua incrível capacidade de acertar carros e foi recompensado largando muito bem na 9ªposição e na corrida ficou a uma posição da zona de pontuação, Capelli largou mais atrás na 14ªposição e deixou a prova na 8ªVolta com problema de Rotação Mas com o 7ºlugar de Gugelmin foi a primeira vez que um carro da Leyton House recebeu a bandeirada de chegada, Partindo para Silverstone na metade do campeonato a pista foi modificada no que acabou tendo pior para os pilotos da Leyton House que tinha mais chances de marcar pontos com Silverstone de 1990. Gugelmin repetiu o 9ºlugar no Grid de largada e começou largando muito bem ficando por 5 voltas na 6ªposição, Mas Gugelmin teve caibras e foi obrigado a abandonar a corrida na 24ªVolta, Seu companheiro de equipe não foi brilhante na corrida, Capelli largou em 16ºlugar e chegou a andar em 9ºlugar até ter mais uma vez problemas de rotação na 17ªVolta.

Começando a segunda metade de temporada no GP Alemão em Hockenheim foi um final de semana não foi dos melhores, Capelli largou em 12º e estava entre os 10 primeiros até deixar a corrida com problemas elétricos e o Brasileiro Gugelmin largando do 16ºlugar deixou a corrida com problemas de Câmbio. Na Hungria finalmente a Leyton House conseguiria sucesso, Ivan Capelli que largou em 9ºlugar fez uma corrida primorosa na maior parte do tempo nas 6 primeiras posições até o final das 77 Voltas daquela corrida vencida por Ayrton Senna. O piloto Italiano marcaria o primeiro ponto da equipe na temporada (Seria o último ponto da história da Leyton House) Gugelmin teve uma corrida bem difícil, Largando do 13ºlugar acabou ficando muito para trás com problemas, Mas se recuperou e acabou a prova em 11ºlugar.

Já mais tranquilos e confiantes a equipe de Akira Akari para a Bélgica, Mas problemas de Motor acabaram com a corrida de Ambos: Gugelmin que largou em 15º abandonou na 2ªvolta e Capelli que largou em 12º abandonou na 14ªvolta, Depois desse balde de água fria eles iriam para mais um circuito rápido que era o de Monza na Itália, Mas a corrida foi relativamente boa, Capelli largando do 12ºlugar chegou em 8ºlugar após uma boa corrida, Gugelmin com muitos problemas largou em 18º e chegou ao final em 15ºlugar.

Belgica1991 (3)

Em Portugal a equipe teve um bom final de semana, Mas não conseguiu ganhar pontuação, Capelli largou do 9ºlugar e estava fazendo uma belíssima corrida estava na 5ªposição até ter danos no bico do seu carro e com isso acabou comprometendo as chances de marcar pontos, Gugelmin que largou em 7ºlugar acabou deixando os pontos escaparem fazendo uma largada fraca e só conseguindo ficar em 7ºlugar, Apesar da Frustração do GP de Portugal a equipe vai para o Circuito de Catalunha para o GP da Espanha mantendo a boa fase dos treinos, Capelli largou em 8º e estava perto dos pontos mais acabou rodando e deixando a corrida na segunda volta, Gugelmin largando do 13ºlugar ficou perto dos pontos de novo ficando em 7ºlugar.

Nesse final de temporada estourou o escândalo de que o dono da equipe Akira Akari que envolveu o Fuji Bank no que acabou preso com o esquema de lavagem de dinheiro usando a equipe como fachada. Ivan Capelli acabou saindo do cockpit de número 16 e entrou em seu lugar o jovem estreante austríaco Karl Wendlinger para as corridas do Japão e Austrália.

515_91_japan21

O time estava em crise financeira, no Japão a prova foi terrível, Gugelmin largou em 18º, Mas se aproveitou das quebras para ficar num honroso 8ºlugar, Wendlinger acabou envolvido em um acidente e deixou a corrida na 2ªVolta, No Japão a corrida durou pouco apenas 14 Voltas, Gugelmin sofreu um acidente na 14ªVolta e acabou a corrida apenas em 13ºlugar após largar em 14ºlugar, Wendlinger largou em 26º e levou o Leyton House para o 20ºlugar.

Karl Wendlinger
Karl Wendlinger

No final desse campeonato foi que a Leyton House marcou apenas um único ponto que aconteceu no GP da Hungria com Ivan Capelli, 32 corridas e simplesmente várias e várias quebras de equipamento principalmente na primeira parte de campeonato, após esse campeonato a Leyton House foi vendida para um grupo que tinha um consorcio com John Byfield, Tony Birchfield, Gustav Brunner e Henny Vollenberg e voltou a ser March na temporada de 1992.

Números da Leyton House em 1991

Gps: 32
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 1
Motor: Ilmor LH10 V10
Potência: 680 Cavalos a 13.000 RPM
Chassi: CG911
Pilotos:

Mauricio Gugelmin
Ivan Capelli
Karl Wendlinger
Número de Voltas Completadas: 1.088 Fotos:

View post on imgur.com

Histórico da Leyton House

GPs: 64 (Largaram em 58 Corridas)
Vitórias: 0
Pole: 0
Pódios: 1
Pontos: 8
Pilotos:

Ivan Capelli (Itália)
Maurício Gugelmin (Brasil)
Karl Wendlinger (Áustria)

Voltas na liderança: 45
Voltas percorridas: 2.133
Melhor Grid de Largada: 7ºlugar Capelli (França/1990) e Gugelmin (Portugal/1991)
Melhor resultado em Corrida: 2ºlugar Capelli (França/1990)

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Bestlap/Formel1mic

GP de Long Beach de 1987 – Formula Indy

Indy Car: 3ª Vitória de Mario Andretti em Long Beach

Vídeo da corrida

Vídeo do Final da Corrida pela Bandeirantes:

Mario Andretti tinha total domínio da Situação dessa pista, colocou 1 segundo no seu mais próximo concorrente na primeira fila, O Colombiano Roberto Guerreiro, na largada Andretti largou bem e manteve a ponta, Roberto Guerreiro foi mal na largada, quem foi bem nessa largada Foi Michael Andretti, mas acabou custando uma parte do seu spoiler. Emerson Fittipaldi estava em sua cola, já Arie Luyendyk foi tocado e acabou ficando lá para trás. Enquanto Andretti e Fittipaldi estavam disparando na Frente, Kevin Cogan e Roberto Guerreiro ficavam longe devido ao ritmo de corrida de Michael Andretti com o seu Kraco número 18.

Logo depois de algumas voltas Michael Andretti até conseguia abrir distância de Cogan e de Roberto Guerreiro, Na volta 25 Johnny Rutherford abandonaria a corrida com problemas em seu motor, Três Voltas depois Danny Sullivan acabaria também deixando a corrida, problemas de Freio, Enquanto isso Mario Andretti e Emerson Fittipaldi andavam no limite na briga pela 1ªposição, Andretti na frente, Emerson em 2º. A Distância entre os dois, Menos de 1 segundo. Kevin Cogan e Roberto Guerreiro lutavam pelo 4ºlugar deixando Michael Andretti em 3º fazendo a corrida dele, do jeito que ele sabia andar e com a dificuldade que ele tinha no seu carro.

Roberto Guerreiro foi o primeiro a parar do 5 primeiros colocados na corrida, Michael Andretti na volta 33 iria para a sua parada também, os mecânicos se atrapalharam nessa parada, tentando resolver o problema do Spoiler quebrado, Foi um pit muito lento e Andretti foi lá para trás na corrida. Al Unser Jr. e Emerson Fittipaldi também foram para as suas paradas, Enquanto isso Andretti continuava firma na ponta da corrida, mas precisava fazer sua parada.

Kevin Cogan também fazia sua parada, e Finalmente parava Mario Andretti, em um pit bem rápido para os padrões da Indy, Andretti voltava em 1º com bem mais vantagem para Emerson Fittipaldi e os seus outros perseguidores, quem saiu muito prejudicado foi Michael Andretti que caiu na tabela de classificação. A Equipe Penske de Danny Sullivan tentava de todas as Formas devolver o Norte-americano para a pista, mas não conseguiram nada além de tentativas frustradas e sem resultados positivos.

A Classificação era: Mario Andretti/Emerson Fittipaldi/ Kevin Cogan/ Roberto Guerreiro/Al Unser Jr. os 5 primeiros colocados, estávamos chegando na metade da corrida. A Grande briga naquele Momento era de Cogan tentando manter a 3ªposição em cima do Colômbia Roberto Guerreiro que tinha o carro laranja de número 4. Mas Emerson Fittipaldi não queria permitir isso, e abril fogo pra cima de Mario, Mas quando finalmente iríamos ter uma grande briga, o Carro de Emerson falhou e o Brasileiro teve de deixar a corrida, Com isso Mario Andretti na volta 53 era o líder da corrida, e de maneira isolada. Um piloto que estava nas posições finais da Corrida provocou uma rodada de onde vários pilotos que vinham tiveram que mostrar serviço para fugir de um toque.

E Finalmente depois de varias tentativas, Roberto Guerreiro assumia a 2ªposição na corrida, Kevin Cogan companheiro de time de Emerson Fittipaldi estava também com problemas e parou na corrida na volta 56. Eram agora 17 pilotos na corrida.

Com isso tudo: Guerreiro era o 2º e Al Unser jr. era o 3ºlugar, Michael Andretti era já o 4ºlugar, e Geoff Brabham, Filho de Jack Brabham estava em 5ºlugar. com tudo isso Michael Andretti estava em 4º numa brilhante corrida de recuperação do Jovem norte-americano da Clã dos Andretti.

Brabham, Guerreiro e Al Unser jr. foram aos boxes para a segunda e decisiva parada. Com as paradas Michael Andretti estava em 2ºlugar. Al Unser jr. e Guerreiro. Atrás e Tom Sneva em 5ºlugar. Michael Faria outra parada aos boxes, e Outra vez tentaram resolver o problema do Spoiller, mas mais uma vez foram bastante incompetentes para fazer isso, e Andretti voltou de novo mal posicionado na corrida. Os Mecânicos da Kraco mereciam bananas pelo trabalho nessa corrida.

Mario Andretti foi para a Segunda parada, a Vantagem era tão grande que Mario podia pedir um café expresso que ainda sim continuaria líder da competição, Tom Sneva foi também para uma segunda parada. Na Parte final da corrida a Classificação era: Mario Andretti, Al Unser jr, Roberto Guerreiro, Tom Sneva e Miachel Andretti.

Mas Restando poucas voltas para o Final Roberto Guerreiro abandona a corrida, por quebra de motor. O Colombiano perdia seu lugar para o pódio para Tom Sneva, o Velho Tom Sneva, lenda na Formula Indy, Mas no final Sneva tinha Michael Andretti que queria expulsar Sneva desse pódio, mas nada pode fazer a uma volta do Final. E a Vitória ficou mesmo com Mario Andretti que a partir que não teve Emerson em Sua cola, dominou a corrida.o Pódio foi completo pelo Jovem Al Unser Jr. e o Velho Tom Sneva 3º, Michael Andretti e Josele Garza completaram os 5 primeiros colocados.

Grid de largada

1 Mario Andretti (5) (Hanna Car Wash-Lola T8700-Chevy A) 65.886
2 Roberto Guerrero (4) (True Value/STP-March 87C-Cosworth) 66.804
3 Emerson Fittipaldi (20) (Marlboro-March 87C-Chevy A) 66.813
4 Kevin Cogan (7) (Marlboro-March 87C-Chevy A) 66.924
5 Michael Andretti (18) (Kraco/STP-March 87C-Cosworth) 67.148
6 Al Unser, Jr. (30) (Domino’s Pizza-March 87C-Cosworth) 67.364
7 Bobby Rahal (1) (Budweiser/Truesports-Lola T8700-Cosworth) 67.561
8 Geoff Brabham (15) (Team Valvoline-March 87C-Judd) 67.689
9 Danny Sullivan (3) (Miller American-Penske PC-16-Chevy A) 68.465
10 Tom Sneva (33) (Skoal Bandit-March 87C-Cosworth) 68.577
11 Josele Garza (55) (Schaefer/Machinists Union-March 87C-Cosworth) 68.631
12 Arie Luyendyk (71) (Living Well/Provimi Veal-March 87C-Cosworth) 68.773
13 Jeff MacPherson (11) (MacHoward Leasing-March 87C-Judd) 68.996
14 Fabrizio Barbazza (12) (Arciero Wines-March 87C-Cosworth) 69.103
15 Ludwig Heimrath, Jr. (23) (Mackenzie Financial-Lola T8700-Cosworth) 69.449
16 Chip Robinson (44) (Carteret/Machinists Union-March 86C-Cosworth) 69.663
17 Didier Theys (51) (Newman Teamworks-Lola T8600-Cosworth) 69.684
18 Rick Mears (8) (Pennzoil Z-7-Penske PC-16-Chevy A) 69.687
19 Randy Lewis (24) (Western Digital-March 86C-Cosworth) 70.115
20 Rocky Moran (56) (Genesee Beer Wagon-March 86C-Cosworth) 70.234
21 Dick Simon (22) (Soundesign-Lola T8700-Cosworth) 70.287
22 Johnny Rutherford (21) (Vermont American-March 87C-Cosworth) 71.348
23 Dennis Firestone (10) (Raynor Garage Door-Lola T8700-Cosworth) 72.960
24 Tony Bettenhausen, Jr. (16) (Bettenhausen Associates-March 86C-Cosworth) 73.472

Não Classificaram para a corrida:

Dale Coyne (19) (Coyne Racing-March 86C-Chevy)
Mike Nish (59) (Schaefer/Machinists Union-March 86C-Cosworth)

Resultado Final

1 Mario Andretti (5) (Hanna Car Wash-Lola T8700-Chevy A) 95 Voltas 1:51:33.036
2 Al Unser, Jr. (30) (Domino’s Pizza-March 87C-Cosworth) 94 Voltas
3 Tom Sneva (33) (Skoal Bandit-March 87C- Cosworth) 94 Voltas
4 Michael Andretti (18) (Kraco/STP-March 87C-Cosworth) 93 Voltas
5 Josele Garza (55) (Schaefer/Machinists Union-March 87C-Cosworth) 93 Voltas
6 Chip Robinson (44) (Carteret/Machinists Union-March 86C-Cosworth) 92 Voltas
7 Didier Theys (51) (Newman Teamworks-Lola T8600-Cosworth) 91 Voltas
8 Randy Lewis (24) (Western Digital-March 86C-Cosworth) 91 Voltas
9 Rick Mears (8) (Pennzoil Z-7-Penske PC-16-Chevy A) 90 Voltas
10 Jeff MacPherson (11) (MacHoward Leasing-March 87C-Judd) 89 Voltas
11 Tony Bettenhausen, Jr. (16) (Bettenhausen Associates-March 86C-Cosworth) 89 Voltas
12 Roberto Guerrero (4) (True Value/STP-March 87C-Cosworth) 88 Voltas Motor
13 Rocky Moran (56) (Genesee Beer Wagon-March 86C-Cosworth) 86 Voltas
14 Arie Luyendyk (71) (Living Well/Provimi Veal-March 87C-Cosworth) 78 Voltas
15 Ludwig Heimrath, Jr. (23) (Mackenzie Financial-Lola T8700-Cosworth) 66 Voltas Câmbio
16 Geoff Brabham (15) (Team Valvoline-March 87C-Judd) 63 Voltas Acidente
17 Fabrizio Barbazza (12) (Arciero Wines-March 87C-Cosworth) 61 Voltas Motor
18 Kevin Cogan (7) (Marlboro-March 87C-Chevy A) 56 Voltas Motor
19 Emerson Fittipaldi (20) (Marlboro-March 87C-Chevy A) 52 Voltas Freio
20 Dick Simon (22) (Soundesign-Lola T8700-Cosworth) 30 Voltas Bateu
21 Dennis Firestone (10) (Raynor Garage Door-Lola T8700-Cosworth) 34 Voltas Incêndio
22 Danny Sullivan (3) (Miller American-Penske PC-16-Chevy A) 28 Voltas Freio
23 Johnny Rutherford (21) (Vermont American-March 87C-Cosworth) 25 Voltas Motor
24 Bobby Rahal (1) (Budweiser/Truesports-Lola T8700-Cosworth) 5 Voltas Suspensão

Fotos:

longbeach_32_1987.JPGlongbeach_33_1987.JPG

longbeach_34_1987.JPGlongbeach_35_1987.JPGlongbeach_36_1987.JPG

longbeach_38_1987.JPGlongbeach_39_1987.JPGlongbeach_40_1987.JPG

longbeach_41_1987.JPGlongbeach_1_1987.JPGlongbeach_2_1987.JPG

longbeach_3_1987.JPGlongbeach_4_1987.JPGlongbeach_37_1987.JPG

longbeach_5_1987.JPGlongbeach_6_1987.JPGlongbeach_7_1987.JPG

longbeach_8_1987.JPGlongbeach_9_1987.JPGlongbeach_10_1987.JPG

longbeach_11_1987.JPGlongbeach_12_1987.JPGlongbeach_13_1987.JPG

longbeach_14_1987.JPGlongbeach_15_1987.JPGlongbeach_16_1987.JPG

longbeach_17_1987.JPGlongbeach_21_1987.JPGlongbeach_31_1987.JPG

longbeach_18_1987.JPGlongbeach_19_1987.JPGlongbeach_20_1987.JPG

longbeach_22_1987.JPGlongbeach_23_1987.JPGlongbeach_24_1987.JPG

longbeach_25_1987.JPG

Texto: Deivison da Conceição da Silva

Patrocínio:
planatina_projeto_gif

Corridas Históricas: GP da Austrália de 1988

Grid de Largada:

1 Ayrton Senna (McLaren/Honda) 1’17.748
2 Alain Prost (McLaren/Honda) 1’17.880
3 Nigel Mansell (Williams/Judd) 1’19.427
4 Gerhard Berger (Ferrari) 1’19.517
5 Nelson Piquet (Lotus/Honda) 1’19.535
6 Riccardo Patrese (Williams/Judd) 1’19.925
7 Derek Warwick (Arrows/Megatron) 1’20.086
8 Alessandro Nannini (Benetton/Ford) 1’20.182
9 Ivan Capelli (March/Judd) 1’20.459
10 Thierry Boutsen (Benetton/Ford) 1’20.486
11 Alex Caffi (Dallara/Ford) 1’20.781
12 Michele Alboreto (Ferrari) 1’20.844
13 Satoru Nakajima (Lotus/Honda) 1’20.852
14 Pierluigi Martini (Minardi/Ford) 1’21.133
15 Andrea de Cesaris (Rial/Ford) 1’21.164
16 Philippe Streiff (AGS/Ford) 1’21.262
17 Jonathan Palmer (Tyrrell/Ford) 1’21.307
18 Eddie Cheever (Arrows/Megatron) 1’21.393
19 Mauricio Gugelmin (March/Judd) 1’21.554
20 Stefano Modena (Euro Brun/Ford) 1’21.856
21 Luis Perez-Sala (Minardi/Ford) 1’21.893
22 Stefan Johansson (Ligier/Judd) 1’21.988
23 René Arnoux (Ligier/Judd) 1’22.028
24 Philippe Alliot (Lola/Ford) 1’22.211
25 Oscar Larrauri (Euro Brun/Ford) 1’22.213
26 Piercarlo Ghinzani (Zakspeed) 1’22.348

Não Se Classificaram para o GP da Austrália de 1988

27 Gabriele Tarquini (Coloni/Ford) 1’22.393
28 Julian Bailey (Tyrrell/Ford) 1’22.529
29 Pierre-Henri Raphanel (Lola/Ford) 1’22.733
30 Bernd Schneider (Zakspeed) 1’23.025
31 Nicola Larini (Osella) 1’28.440

Prost vence corrida de despedida dos motores Turbo na Formula 1

Em 13 de Novembro de 1988 a Formula 1 Encerrava uma época de 11 anos com o Motor Turbo, Adelaide seria o palco final onde os motores Turbo seriam descontinuados da categoria o que iria aproximar mais competidores para a temporada de 1989.

A prova de Fechamento da temporada fechava um ano de domínio total da Mclaren que estava em Busca da sua 15ªVitória na temporada de 1988, O MP4-4, Chassi que a Mclaren tinha, Mais os poderosos motores Honda V6 Turbo somados a incrível capacidade de Ayrton Senna e de Alain Prost transformaram a temporada de 1988 numa disputa mano a mano entre dois pilotos de uma única equipe, Seria comparado ao Domínio da Red Bull, só que nesse caso a Red Bull não tinha dois gênios na mesma equipe, coisa que a Mclaren tinha, dois dos melhores pilotos se não os 2 melhores pilotos daquele grid.

Senna e Prost faziam a primeira fila do Grid com o Brasileiro colocando 1 segundo e 6 décimos em cima de Nigel Mansell que com a Williams-Judd largava em 3ºlugar, Berger com a Ferrari, Nelson Piquet com a Lotus-Honda e Riccardo Patrese Fechavam os 6 primeiros colocados. Tarquini, Bailey, Pierre-Henri Raphanel, Schneider e Larini foram eliminados e não largariam para a corrida.

Na Volta de Apresentação, Stefano Modena com a EuroBrun que vinha em 20ºlugar acabou tendo problemas e saiu para a volta de apresentação atrasado, perdendo essa posição que ele tinha no Grid para largar do último lugar.

Na Largada que pulou melhor foi Prost que assumiu a liderança da corrida com Berger logo atrás e depois Mansell, Piquet e Patrese, Já para Alboreto a prova durou alguns metros, pois ele bateu na primeira volta de corrida e se encerrou a história dele com a Ferrari já que ele não iria continuar para 1989. Prost começava a abrir de Senna estava sendo ameaçado por Berger que era o único que poderia enfrentar de alguma forma os dois pilotos da Ferrari, Piquet conseguiu se livrar de Mansell e assumiu o 4ºlugar da corrida.

Berger na 3ªVolta começava a atacar de vez Ayrton Senna que já via Prost ficar distante na ponta da corrida, Berger foi para cima de Senna que não vendeu cara a posição, depois da Reta oposta ambos se tocaram e Berger se deu bem e assumiu o 2ºlugar e acabou sumindo da visão de Senna que estava com desempenho aquém do que se esperava de um piloto que acabava de ser Campeão Mundial numa corrida sensacional como foi a dele no Japão. Classificação após 3 Voltas completadas: 1. Prost (4:15.596), 2. Berger (a 5.557), 3. Senna (a 6.755), 4. Piquet (8.495), 5. Patrese (a 10.036), 6. Mansell (a 11.076).

Só que Berger vinha mais rápido que Prost, fazendo a volta mais rápida da corrida com 1:23.087 – Média de 163.780 Km/h (101.768 Mph), Algo que era inimaginável, Mas tinha algo explicável que eu irei falar para vocês no momento Certo da corrida do por que desse desempenho tão sensacional. Porém, Porque Senna estava andando tão abaixo do Rendimento?? Simples, ele acabou se machucando em uma modalidade muito perigosa chamada Futebol que fez ele machucar a mão, por isso Senna não estava botando pra quebrar como ele deveria fazer. Classificação após 5 Voltas completadas: 1. Prost (7:03.332), 2. Berger (a 4.169), 3. Senna (a 7.648), 4. Piquet (10.152), 5. Patrese (a 11.385), 6. Mansell (a 12.496), depois vinham Capelli, Nannini, Warwick e Caffi completando as 10 primeiras posições.

Prost continuava em primeiro mas já começava a ver Berger no Retrovisor que fazia de novo a melhor volta da corrida com 1:23.048 – média de 163.857 Km/h (101.816 mph) deixando a diferença para 3.585 Segundos. Volta mais rápida que ele baixou na volta seguinte para 1:22.656 passando dos 164 km/h.

Berger na 8ªVolta imprimia o ritmo mais forte e já vinha com uma volta de 1:22.012 Média de 165.927 Km/h – 103.102 Mph) impressionante o ritmo da Ferrari naquele momento de corrida, Ou acharam algo para ganhar da Mclaren ou o Carro estava com alguma coisa estranha demais. Berger em 4 voltas conseguiu baixar 1 segundo sua melhor volta de prova. Senna vinha bem atrás, Mas controlando bem a Piquet que vinha na Frente de Patrese e Mansell na Williams que já começava a Ficar para Capelli com a sua March-Judd, Tanto Patrese, Mansell e Capelli tinham motores aspirados.

Berger chegava mais e mais em Prost que só tinha 1.857 de diferença para Berger e do jeito que tava uma ultrapassagem seria questão de pouco tempo. Classificação após 10 voltas Completadas: 1. Prost (13:57.971), 2. Berger (a 1.857), 3. Senna (a 9.290), 4. Piquet (13.179), 5. Patrese (a 14.413), 6. Mansell (a 16.734).

Berger chegou em Prost definitivamente na volta 13 ao mesmo tempo que o Argentino Oscar Larrauri deixava a prova com problemas de Semi-Eixo da sua EuroBrun o que acabou fazendo com que o piloto Argentino Rodasse no começo da Reta Oposta, Berger chegou em cima de Prost e conseguiu a ultrapassagem na 14ªVolta assumindo a liderança da corrida, Prost ao contraio de Senna não lutou pela posição, deixou Berger ir embora, Como caracteriza o Francês, sempre sendo conservador só sendo rápido na hora certa.

Berger abria de Prost indicando um melhor ritmo de corrida, enquanto isso Boutsen rodava no mesmo ponto de Larrauri, Mas por sorte ele não bateu e não teve problemas em seu carro e pode continuar na volta, mesmo que perdendo algumas posições, para Streiff e para De Cesaris voltando em 13ºlugar. Classificação após 15 Voltas: 1. Berger (20:53.618), 2.Prost (a 1.350), 3. Senna (a 7.741) 4. Piquet (a 15.526), 5. Patrese (a 16.482), 6. Mansell (a 20.542).

Outro que deixava a corrida com problemas de Transmissão era Jonathan Palmer na 16ªVolta enquanto Piquet tentava manter o 4ºlugar em cima de Riccardo Patrese. Já Nannini também rodou no mesmo ponto de Larrauri e de Boutsen, dessa vez a perda foi bem maior de posições para o Italiano do que foi para o Belga Thierry Boutsen, Já Piquet conseguia se livrar um pouco de Patrese que tinha agora Mansell também por perto, Com Ghinzani carregando o lixo da Zakspeed os lideres começavam a passar os primeiros retardatários.

Senna começava a impor um ritmo mais forte de corrida e começava a tirar a vantagem sobre Prost que já tinha sido de 7 segundos já estaria em 4 segundos sobre Prost, não estaria descartada uma possibilidade de uma 9ªvitória do Brasileiro na Temporada, Mas na volta seguinte Prost aumentava em 2 décimos a diferença entre os dois para 4.5 segundos isso na volta 21 para a 22, Berger na volta 21 faria a melhor volta da prova com 1:21.900 – Média de 166.154 Km/h (103.243 mph), Alias a FOCA Longines estava testando um novo Gráfico de TV para a sua transmissão, Já Ghinzani rodava na pista, por sorte ele conseguiu voltar pois só encostou duas rodas na Grama ao invés da 4 que para uma Zakspeed era uma vitória.

Enquanto isso Piquet ficava segurando a Patrese e Mansell que vinham perseguindo ao Brasileiro desde do começo da corrida, Para a Williams e Lotus era uma corrida para marcar um bom resultado a ambos, pois ambas as equipes tiveram os seus piores anos depois de muito tempo no Topo, Fruto de carros mal nascidos, No Caso da Williams o motor pesou muito, Mas no Caso da Lotus de Piquet foi um erro Grosseiro de projeto que causou a demissão de Gerard Ducarouge com uma certa complacência de Piquet que não teve muita vontade de tentar mudar de Chassi ou de então tentar de alguma forma consertar o projeto mal nascido, Pois estava ganhando muito dinheiro para pagar o Iate que ele tinha comprado naquela Época. Classificação após 24 Voltas Completadas: 1. Berger (33:15.735), 2. Prost (a 3.046), 3. Senna (10.168), 4. Piquet (a 26.735), 5. Patrese (a 27.727), 6. Mansell (a 28.619).

Berger vinha na frente, Só que na 26ªVolta durante uma ultrapassagem sobre o Francês Rene Arnoux que sofria com o Terrível carro da Ligier-Judd e com a bagunça que era o time francês naquela época o Austríaco Berger bateu em Arnoux provocando o final de corrida a ambos. Uma pena pois o desempenho de Berger era espetacular na frente, Achei a ultrapassagem meia precipitada, Mas diziam que Berger largou na corrida com um combustível que seria só a metade do combustível que era necessário para terminar a corrida, Com isso justificaria o Espetacular desempenho da Ferrari, Caso isso não seja verdade a Ferrari poderia apontar uma segunda derrota do MP4-4, Mas sem Berger o Caminho para a 15ªVitória estava totalmente livre, Prost retomava a pronta da corrida com Senna em Segundo e Piquet em 3º.
Era bem temerário esse trabalho de fiscal de pista naquela época que tirava os carros quanto a corrida corria solta em alta velocidade sem a ideia do Safety Car entrar na pista. Classificação após 26 Voltas: 1. Prost (36:07.601), 2. Senna (a 4.691), 3. Piquet (a 23.254), 4. Patrese (a 25.090), 5.Mansell (25.498), 6. Capelli (a 38.699).

Prost agora tinha certa vantagem para Senna que tentaria buscar a Prost mesmo com a dor na mão que ele tinha, 4.544 era a diferença entre eles na 28ªVolta de prova, até aquele momento poucos carros tinham tomado volta o que era uma surpresa, mas para Ghinzani os problemas não terminavam, pela segunda vez na prova o experiente Italiano que pegou quase todos os anos carroças, Mas conseguiu voltar a corrida certamente em último lugar que era o 21ªposição.

Piquet continuava resistindo em 3ºlugar com Patrese e Mansell na cola sempre e sem deixar o Brasileiro da Lotus respirar, Enquanto Capelli fazia bela corrida com a March na 6ªposição. E lá na Frente Prost continuava na ponta inabalável e impondo seu ritmo de prova e colocando 6.313 segundos em cima de Senna que não conseguia se aproximar de Prost até aquele momento de prova. Prost já colocaria volta em uma Benetton e uma Arrows naquela altura da corrida, tanto Nannini como Cheever deixaram Prost passar sem problemas, Caffi que vinha em uma corrida muito boa abandonava a corrida por causa da Embreagem da Dallara 36 que completava o primeiro ano dela na Formula 1 sem sucesso grande na 33ªvolta de prova.

Mansell tentava passar de todo o jeito a Patrese na luta pelo 4ºlugar, por duas vezes na mesma volta Mansell se segurou para não bater em Patrese, não poderia se jogar 5 pontos para a Williams que teve um ano tão difícil em 88 e já estava pensando em 89 com os novos motores Renault que iriam voltar a categoria com a equipe Inglesa, Já Piquet continuava a manter um pouco de diferença sobre ambos os pilotos da Williams, a prova já começava a chegar na sua metade de prova, e nem sinal de que alguém iria para uma parada nos boxes.
Em 35 voltas a prova era pouco emotiva e pouco disputada como foi por grande parte da temporada de 1988.

Na 38ªVolta Prost coloca o tempo para baixo e marca 1:21.767 fazendo a melhor volta da corrida, Média de 166.424 km/h (103.411 Mph), o que representaria que os pneus ainda tinham um desempenho aceitável para que os pilotos pudessem fazer boas voltas, ou seja uma parada nos boxes poderia não acontecer.

Chegávamos quase na metade da corrida e Prost já estava com a Corrida praticamente sob-controle sobre Senna que tinha por volta de 8 a 9 segundos atrás de Prost, Mas na volta 39 Senna deu o troco e fez a melhor volta da prova com 1:21.669 – Média de 166.626 km/h (106.537 Mph), Faltava ainda um pouco de tempo para a média chegar a 170 km/h de média.

Classificação após 40 voltas de prova: 1. Prost (55:22.414), 2.Senna (a 6.968), 3. Piquet (a 37.589), 4. Patrese (a 38.776), 5. Mansell (a 41.066), 6. Capelli (a 56.787). Pintava o sol em Adelaide, em uma corrida que começou com tempo fechado tínhamos sol para alegrar uma corrida que estava chata demais. Prost Voltava a estabelecer a melhor volta da corrida com 1:21.618 – Média de 166.727 Km/h (103.6 Mph) na 42ªVolta. Os pneus continuavam a aguenta a corrida, Não podemos dizer o mesmo do Motor Ford DFZ de Luiz Perez Sala que acabou deixando o piloto da Minardi na mão e deixando a corrida com 19 pilotos com 38 Voltas para o final, A única Briga mesmo por posição era entre Piquet e Patrese pelo 3ºlugar da prova que fechava a temporada de 88.

Já De Cesaris fazia uma linda manobra sobre Capelli e tomava o 6ºlugar do piloto da March, De Cesaris com o Bom carro da Rial tinham um adversário que era mais difícil do que ter o desempenho bom do carro que era a capacidade do Tanque de combustível que era insuficiente para terminar boa parte das corrida o que impossibilitou a Rial de marcar mais pontos no campeonato, Já Nakajima foi para os boxes trocar os pneus, só que na volta seguinte um acidente envolvendo o Japonês e o Brasileiro Maurício Gugelmin com a March número 15 acabaria por tirar ambos da prova.

Alain Prost na volta 47 baixava a melhor volta da prova para 1:21.559 – média de 166.849 Km/h (103.675 Mph) Apesar de Nakajima ter batido em Gugelmin eu não ponho a maior culpa nele não, A Minardi rodou na frente de Gugelmin que diminuiu para não se envolver em acidente, Não deu tempo para Nakajima fazer isso, Mesmo assim o Japonês tentou desviar, Mas já estava muito em cima e o Choque foi inevitável. Piquet continuava na sua luta contra as Williams na luta pelo pódio em 3ºlugar, algo que Piquet estava a 13 corridas sem conseguir no ano de 1988, desde da prova de San Marino aonde foi seu último pódio é que não pintava Piquet entre os 3 primeiros colocados. Classificação após 49 Voltas: 1.Prost (1:07:40.622), 2. Senna (a 10.502), 3. Piquet (a 46.500), 4. Patrese (a 47.886) 5. Mansell (a 48.327), 6. De Cesaris (a 1:03.961)

A 32 Voltas para o final a briga da corrida era entre os dois pilotos da Williams pelo 4ºlugar, Mansell estava disposto a tomar o 4ºlugar de Patrese que queria se manter na frente de Mansell que se despedia da Williams após 4 anos no time Inglês, pois ele iria correr na Ferrari na próxima temporada, Piquet se mantinha na frente por que negociava bem as ultrapassagens com os retardatários. Mansell tentava, fazia tentativas, Mas Mansell conseguiu ganhar a posição de Patrese após ele Rodar, por sorte ele continuou na corrida perdendo só a posição de Mansell e voltando em 5º, Agora era o inglês que iria ter a missão de partir para cima de Piquet. Cheever e Warwick tiveram problemas em seu motor e ambos deixaram a corrida, Cheever na volta 51 e Warwick na volta 52.

Prost estava na ponta desde do começo da prova com 10 segundos de vantagem para Senna que tinha grande Vantagem sobre Piquet que agora tinha que segurar a Mansell que vinha a apenas 885 milésimos sobre o Brasileiro, Apesar de Piquet ter o motor e o Talento dele, Mansell poderia levar essa posição do Brasileiro.

A Prova chegava as 20 Voltas finais, tudo poderia acontecer, Mas a corrida sem muitas disputas só havendo a luta de Piquet e de Mansell pelo pódio, A chance de mudança de posições era por quebras ou falhas humanas, fora isso seria surpresa ganhar posição na pista.
Na 57ªVolta Prost estabelece mais uma melhor volta da corrida com 1:21.379 – Média de 167.218 km/h (103.904 mph), Prost colocava 1 volta em Capelli que estava em 7ºlugar deixando somente os 6 primeiros colocados na mesma volta do Líder. Mansell partia para cima de Piquet de forma definitiva para conquistar o pódio, e parecia ter mais carro o Leão do que Piquet com a Lotus, Mas o Brasileiro tinha a vantagem do Motor que acabava por salvar a 3ªposição dele. Classificação após 59 Voltas: 1. Prost (1:21:21.162), 2. Senna (a 13.781), 3.Piquet (a 54.240), 4. Mansell (55.229), 5. Patrese (a 1:08.819), 6. De Cesaris (a 1:15.154).

Prost já estava por colocar 1 volta em cima de De Cesaris com a Sua Rial em 6ºlugar, Já Ghinzani continuava com o seu inferno com a Patética Zakspeed que disputava pau a pau com a Ligier como a pior equipe do ano. Capelli iria para uma parada nos boxes para uma tentativa de tentar recuperar um lugar na zona de pontuação, Mas a parada foi bem ruim com 12.77 e a saída dele dos boxes foi meio lenta, parecia que as chances dele conseguir isso estavam aniquiladas.

Phillipe Alliot foi com muito pote para cima de todo mundo e acabou indo por cima da Zebra danificando seu carro que já não é lá essas coisas dai ele vai isso, e ai, complica de vez. Já para , Nannini uma Rodada terminava a sua corrida por ai mesmo na volta 64. Na mesma volta 64 Stefano Modena tem o mesmo problema de Larrauri e acabou deixando a corrida. Duas voltas depois Mansell acabou por bater no muro e dessa forma deixar a Williams depois de 4 anos de convivência sem um bom resultado que se esperava por lá. O que deixou Piquet garantido em 3º, Patrese em 4º, De Cesaris com um 5ºlugar com a Rial e Thierry Boutsen que apesar de discreto estava conseguindo marcar 1 ponto para a Benetton. Classificação após 67 Voltas: 1. Prost (1:32.18.886), 2. Senna (a 30.468), 3. Piquet (a 54.420), 4. Patrese (a 1:15.152), 5. De Cesaris (a 1 Volta) 6. Boutsen (a 1 Volta).

Com a corrida por terminar Prost já não tinha como perder a corrida, estava na cara que o Francês tinha um melhor desempenho que Senna que já buscava ficar com o segundo lugar, Piquet começava a tirar a diferença que tinha entre ele e Senna, enquanto Patrese em 4º não queria tomar volta e De Cesaris e Boutsen completavam as 6 primeiras posições. Só que Boutsen estava tirando a diferença para De Cesaris e tentaria brigar pelo 5ºlugar na prova que se via vazia de emoção para as voltas finais, com quase tudo já definido.
Para Ghinzani o Martilho acabaria para ele na volta 70 quando a Porcaria da Injeção do seu carro quebraria deixando o italiano na Mão, terminando mais um ano de frustações da Zakspeed e mais um ano sem sucesso de Ghinzani na Formula 1.

Restando 8 voltas para o Final Prost caminhava sossegado para a 7ªVitória do ano enquanto Boutsen estava indo para cima de De Cesaris para lutar pelo 5ºlugar com o piloto Italiano que fazia grande papel na corrida, Boutsen teria tempo para passar o piloto da Rial e assumir o 5ºlugar, Mas isso não seria tão fácil assim como se imaginava pois a Rial tinha um bom carro nas mãos. Classificação após 77 Voltas completadas: 1. Prost (1:46:10.717), 2. Senna (a 32.629), 3. Piquet (a 53.148), 4. Patrese (a 1:16.699), 5. De Cesaris (a 1 Volta), 6. Boutsen (a 1 Volta).

Phillipe Streiff com problemas Elétricos deixaria a prova, Assim como o Martilho do Ghinzani tinha acabado com a sua injeção pedindo jogando a toalha de vez. E Infelizmente a 5 Voltas do final a Rial mais uma vez é derrotada pelo seu maior adversário em 1988, a Falta de um tanque que aguentasse a corrida inteira, Com Pane Seca De Cesaris deixava a corrida após belíssima corrida, Aliás o Italiano fez seu melhor ano ou o segundo melhor ano na Formula 1 em 88. Outros dois pilotos ficaram na pane seca nas voltas finais, foram Phillipe Alliot e Stefan Johansson que ficaram sem combustível antes do Final da corrida. Isso possibilitou a Boutsen subir para o 5ºlugar e para Capelli chegar em 6ºlugar e ainda a Martini conseguir a 7ªposição.

Patrese rodou e deixou Piquet com o pódio (O último da Lotus até o Pódio de Raikkonen e de Grosjean no Barhein em 2012), nem preciso dizer quais os dois primeiros colocados e suas equipes, Os dois Mclarens sendo que Prost de ponta a ponta conquistou sua 7ªVitória na Temporada e a 15ªVitória da Mclaren de 16 corridas em 1988, um Recorde jamais alcançado na história da Formula 1 até hoje, O MP4-4 era um carro que ficava na história do Automobilismo mundial como uma das obras-primas da história.

A Formula 1 se despedia da Era do Motor Turbo onde no ano de 1989 até o final de 2013 foram usados motores aspirados. Os Turbos voltam a Formula 1 após 26 anos de Ausência e Prost que foi o último vencedor com os motores turbo até hoje deve passar o Bastão para o vencedor do GP da Austrália de 2014, Curiosamente no país que sediou a última prova com motores Turbo da Formula 1. Espero que a FIA faça menção a esse momento e lembre relevante mente de alguma forma esse acontecimento.

Resultado Final do GP da Austrália de 1988

Fotos:

View post on imgur.com

Fonte das Fotos: Bestlap, Formel1mic

Texto: Deivison da Conceição da Silva

Corridas Históricas: Formula Indy – GP de Phoenix de 1991

Grid de largada:

Piloto Equipe Equipamento
Rick Mears
Penske Penske-Chevrolet 3
Michael Andretti
Newman-Haas Lola-Chevrolet 2
Mario Andretti
Newman-Haas Lola-Chevrolet 6
Bobby Rahal
Galles Lola-Chevrolet 18
Emerson Fittipaldi
Penske Penske-Chevrolet 5
Danny Sullivan
Partick Lola-Alfa Romeo 20
John Andretti
Hall Lola-Chevrolet 8
Al Unser jr.
Galles Lola-Chevrolet 1
Arie Luyendyk
Granatelli Lola-Chevrolet 9
Scott Brayton Dick Simon Lola-Chevrolet 22
Eddie Cheever
Chip Ganassi Lola-Chevrolet 8
Scott Pruett
Truesports Truesport-Judd 11
Mike Groff
Euromotorsports Lola-Cosworth 50
Jeff Andretti
Bayside Lola-Cosworth 86
Scott Goodyear Walker Lola-Judd 15
Tony Bettenhausen jr.
Bettenhausen Penske-Chevrolet 16
Hiro Matsushita
Dick Simon Lola-Cosworth 7
Al Unser
Foyt Lola-Chevrolet 14
Guido Daccò
Giochi/Preziosi Lola-Cosworth 33
Randy Lewis
Dale Coyne Lola-Cosworth 19
Mark Dismore
Arciero Penske-Buick 12
Jeff Wood Dale Coyne Lola-Cosworth 39

Luyendky dá bote em Favoritos e vence em Phoenix

3ªEtapa da Formula Indy realizada no circuito de Phoenix que é um dos ovais mais curtos de todos que existem Como naturalmente é para ser o tempo era quente para uma corrida de 200 voltas que dava um total de 200 milhas para que 22 pilotos buscassem a vitória. o Pole position era o Norte-americano Rick Mears da equipe Penske com Michael Andretti da Newman-Haas em 2º formando a segunda fila estavam os pilotos Mario Andretti e Bobby Rahal, na terceira Fila estava os pilotos Emerson Fittipaldi e Danny Sullivan com a Partick-Alfa-Romeo.

Os pilotos partiram para a as voltas de apresentação, Durante essas voltas antes da largada Scott Goodyear teve problemas e quase parou.

Na largada Quem pulou para a ponta foi Michael Andretti que passou para a ponta da corrida com Mears em 2º e Bobby em 3º que ganhou posição em cima de Mario Andretti que ficou em 4º, outro que pulou muito bem foi Danny Sullivan que passou a Emerson Fittipaldi e assumiu a 5ºcolocação, Numa pistinha curta como a de Phoenix os primeiros retardatários começaram a surgir, os carros da Dale Coyne de Jeef Wood e de Randy Lewis que tinham os fracos motores Cosworth isso em menos de 10 voltas.

Enquanto isso Danny Sullivan vinha para cima de Mario Andretti mostrando que os motores Alfa-Romeo tiveram grande melhora e eram capazes de lutar de igual para igual com os Chevrolet, Michael Sofria pressão em cima de Rick Mears que é sempre ameaça em um circuito oval. Após 11 voltas à classificação era: Michael Andretti – Rick Mears – Bobby Rahal – Mario Andretti – Danny Sullivan – Emerson Fittipaldi.
Mears tentava por fora passar Michael enquanto isso Jeff Wood quebrou na volta 14 e abandonou a corrida.

Michael continuava líder da corrida enquanto isso Mario Andretti, Danny Sullivan e Emerson Fittipaldi passavam os retardatários e um atacando o outro, Danny não dava folga para Mario e Emerson estava atento para passar Danny Sullivan. Bobby Rahal (Dizem que ele era conservador demais) não quis esperar muito não, foi para cima e passou a Mears e assumiu a segunda posição, Aliás Mears ficou mais para Mario, Danny e Emerson enquanto isso Bobby iria para cima de Michael Andretti.

Mears segurava a turma toda, aprecia que os pneus de Mears tinham acabado e Danny tentava de tudo e por muito pouco ele passou a Mario mostrando um apetite muito grande com um belo chassi e um motor que estava em franco desenvolvimento, Mas essa briga imensa acabou parando na volta 33 quando Scott Goodyear que já tinha tido problemas com o seu carro acabou batendo e deixava a corrida.
A partir dai o Holandês voador Arie Luyendky deu o pulo do gato não fazendo parada para os boxes e assumindo a ponta da corrida, agora quem foi muito bem nos boxes foi Emerson Fittipaldi que nas paradas pulou de 6ºlugar para a segunda posição com Bobby Rahal em 3º, Michael Andretti em 4º e Mike Groff da Euromotorsports em 5ºlugar por que ele também não fez sua parada nos boxes.

Na Relargada Luyendky manteria a ponta e abria de Emerson que conseguia abrir de Bobby Rahal e de Michael Andretti, Scott Pruett foi para os boxes pela segunda vez, Danny Sullivan tentava passar a Al Unser jr. na briga pelo 7ºlugar, enquanto isso Michael Andretti se aproveitando dos retardatários passou a Bobby Rahal e assumiu o 3ºlugar, com Mears e Mario Andretti em 5ºe 6ºlugares, já Mike Groff foi ultrapassado por todos eles até por que Groff não tinha carro para segurar os principais pilotos da categoria.

Chegando 54 voltas de corrida Luyendky e Emerson passavam a 7 retardatários, nisso Michael começava a chegar e andando em cima Michael Andretti chegava de vez no Penske-Chevrolet de Emerson brigando pelo segundo lugar mas sem perderem o Olho no carro alaranjado de Arie Luyendky. Classificação após 58 voltas: Luyendky em 1º, Emerson Fittipaldi em 2º, Michael Andretti em 3º, Bobby Rahal em 4º, Mario Andretti em 5º, Rick Mears em 6º, Danny Sullivan em 7º que conseguiu passar a Al Unser jr. que ficou em 8º, Eddie Cheever e Scott Brayton completavam a lista dos 10 primeiros colocados.

Emerson Fittipaldi foi para cima do Holandês voador e tinha tudo para passar Luyendky que tinha que para em poucas voltas, só que o Holandês deu uma sorte danada, uma bandeira amarela surge com a Batida de Guido Daccò, com isso Luyendky foi para a sua primeira parada e todo mundo foi para os boxes o Holandês voltou na frente de Emerson e de Bobby só que Luyendky não voltava na ponta por que Mario Andretti e Eddie Cheever não fizeram a parada com os outros pilotos e partiram para uma tática diferente. Classificação após 73 voltas: Mario Andretti – Eddie Cheever – Arie Luyendyk – Emerson Fittipaldi – Bobby Rahal. Randy Lewis com a outra Dale Coyne deixou a corrida com problemas de direção do seu carro, e a corrida também não duraria muito para Tony Bettenhausen jr. que acabou abandonando a corrida na volta 74 com problemas de suspensão.

Na relargada Arie foi com tudo para cima de Eddie Cheever e passou ao norte-americano da Chip-Ganassi e foi para cima de Mario Andretti, incrível o desempenho de Luyendyk com o carro da Granatelli Racing número 9, uma belíssima ultrapassagem de Arie, e também Emerson e Bobby iriam querer passar Cheever para seguir atrás de Arie e de Mario. Bobby tentava passar Emerson perto da volta 80, Mas Mears partiu para cima de Bobby Rahal que estava perto de Emerson que tentava passar de todo jeito a Cheever, Mas Cheever segurava de maneira exemplar a Emerson.

Mears se aproveitou de um retardatário para passar Bobby Rahal e assumir a 5ªposição e vinha chegando Michael Andretti na Sétima posição e andando pela parte de cima mostrando que ele era bem rápido, Seu pai continuava na ponta da corrida.

Na briga pelo terceiro lugar Cheever continuava tentando passar o norte-americano e Mears colocou de vez no brasileiro, enquanto isso lá Atrás Danny Sullivan em 8ºtentava dar o bote em Michael Andretti, O Piloto da Partick fazia uma prova brilhante até aquele momento.

Sullivan se aproveitou de um do retardatário John Andretti passou a Michael Andretti na volta 96 e assumiu o 8ºlugar. Na volta 99 para 100, mas antes disso Arie Luyendky passou a Mario Andretti e assumiu a ponta da corrida, Mas Mario se aproveitando de que Scott Brayton estava tentando evitar tomar volta do Holandês voador se aproximou Mario Andretti só que o Velho Mario não esperava Cheever dar o bote nele e tomar a segunda posição da corrida e Brayton deu as mesmas dificuldades para Cheever do que deu para Arie e com isso Mario e Emerson se aproximaram e depois deles vinham Mears e Bobby Rahal. Enquanto isso Michael Andretti passou a Danny Sullivan e por fora passou a Bobby Rahal e assumia a 6ªposição numa manobra bem arrojada.

Classificação após 112 voltas: Arie Luyendky em 1º – Eddie Cheever em 2º – Mario Andretti em 3º – Emerson Fittipaldi em 4º – Rick Mears em 5º – Michael Andretti em 6º – Bobby Rahal em 7º – Danny Sullivan em 8º – Al Unser jr. em 9º – Scott Brayton em 10º e Depois dessa Michael passou a Mears e assumiu o 5ºlugar e vinha para cima de Emerson Fittipaldi e sem cerimonias passou ao Brasileiro e em 4 voltas ele passou de 8ºlugar para a 4ªposição, Eddie Cheever na volta 116 foi para a sua segunda parada no boxes. com isso Mario era o segundo, Michael, Emerson e Mears completando os 5 primeiros colocados. um pouco mais atrás Mike Groff, Jeff Andretti e Al Unser buscavam um melhor posicionamento na corrida brigando pelo 11ºlugar que parecia ser uma posição dentro da realidade deles. Mario já era o segundo colocado, Mas Emerson iria querer Briga com Michael pelo segundo lugar e levava com ele o seu companheiro de equipe Rick Mears.

Restando 70 voltas para o final quem fizesse uma parada depois da 130 voltas poderia terminar a corrida tranquilamente, Mears e Mario Andretti como pararam na volta 120 teriam que torcer para fazer a corrida com esse tanque. Emerson perdia colocação para Bobby Rahal na volta 133 e Danny Sullivan tentava passar o Brasileiro só que Emerson reagiu, na volta 135 Mario Andretti foi para o seu terceiro e derradeiro pit, Mas perdeu muito tempo, Sua parada foi de quase 22 segundos.

Os pilotos de ponta foram para os boxes entre a volta 130 a 144, Emerson Fittipaldi foi para os boxes na volta 139, Arie Luyendky na volta 140 deixando a ponta da corrida para Danny Sullivan que fazia uma baita corrida e ficou nessa posição por duas voltas até ele fazer a sua parada que custaram 15.6 segundos para o norte-americano da equipe Partick, com isso Arie era o primeiro, com Bobby Rahal em 2º, Emerson Fittipaldi em 3º, Rick Mears em 4º, Danny Sullivan em 5º e Michael Andretti em 6º. Al Unser que com o Carro da Gilmore-Foyt deixou a corrida na volta 105 por causa de vibrações em seu carro.

Rick Mears na volta 150 passou a Emerson Fittipaldi e assumia a 3ªposição e tentava ir para cima de Booby Rahal, o Penske número 3 iria aprontar pra cima do Galles amarelo e azul de Número 18.

Enquanto isso Arie Luyendky tinha uma folga de 2 segundos para Bobby Rahal, desde do momento da primeira bandeira amarela ele que largava em 9ºlugar usou de uma boa tática para assumir a ponta da corrida, a corrida se encaminhava para a sua parte final. Mike Groff que vinha muito bem em 11ºlugar deixava a corrida com problemas elétricos em seu carro Lola-Cosworth.

Emerson não estava gostando muito da História de ficar atrás de Mears e foi para cima do seu companheiro de equipe e tinha que passar rápido pois Sullivan estava por perto para dar o Bote, Emerson Acabou passando de Forma rápida a Mears e reassumindo o terceiro lugar e Mears já ficava mais para Sullivan e logo atrás vinha Michael Andretti. Faltava 31 voltas para o final quando Mears foi para a sua parada final e com isso o Norte-americano acabava fora da briga pela vitória, pois perderia uma volta. com isso Arie, Bobby Rahal, Emerson, Sullivan e Michael Andretti eram os candidatos a vitória.

Só que Arie Luyendky não queria deixar dúvidas de seu domínio e começava a aumentar a sua vantagem enquanto Emerson começava a tirar vantagem de Bobby Rahal e Michael Andretti passava a Danny Sullivan e assumia o 4ºlugar também iria para a Batalha.

Restando 25 voltas para o final a classificação era a seguinte: Arie Luyendky, Bobby Rahal, Emerson Fittipaldi, Michael Andretti, Danny Sullivan, Eddie Cheever, Mario Andretti, Al Unser jr., Rick Mears e Scott Brayton.

Eddie Cheever foi para a parada final nos boxes, a mesma coisa fez Mario Andretti. Enquanto isso Arie Luyendky poupava um pouco o combustível para chegar ao final com isso Bobby tentava chegar em Arie, Mas precisava se preocupar com Emerson Fittipaldi que vinha babando para passar Bobby Rahal faltando 16 voltas para o Final da corrida, Enquanto isso Scott Brayton que vinha em 10ºlugar tinha problemas com o Turbo de seu carro enquanto Emerson Fittipaldi foi para cima de Bobby Rahal e por pouco não conseguia o segundo lugar enquanto Danny Sullivan com muita Garra se manteria na frente de Michael Andretti na luta pelo 4ºlugar.

Bobby continuava se defendendo de Emerson Fittipaldi. As voltas vinham acabando e a briga iria ficando melhor, mesmo que a ultrapassagem seja nessa pista meio difícil pelas retas pequenas quando os carros tem um desempenho igual. Restando 2 voltas para o final Emerson conseguiu colar bem em Bobby Rahal e passou ao norte-americano tomando o 2ºlugar, Mas na mesma volta o motor Alfa Romeo de Danny Sullivan quebra provocando uma bandeira amarela e o Holandês Luyendky numa corrida brilhante, numa tática brilhante da Granatelli acabou ganhando a corrida em cima dos favoritos. Como Bobby ainda passou na volta que deu a bandeira amarela em 2ºlugar ele acabou na frente de Emerson Fittipaldi que mesmo com a belíssima ultrapassagem acabou em 3ºlugar, Andretti, Mears e Al Unser jr. completaram os seis primeiros colocados.

piloto Equipe Chassis-motor Voltas
1 Arie Luyendyk Granatelli Lola Chevrolet 200 9
2 Bobby Rahal Galles Lola Chevrolet 200 18
3 Emerson Fittipaldi Penske Penske Chevrolet 200 5
4 Michael Andretti Newman-Haas Lola Chevrolet 200 2
5 Rick Mears Penske Penske Chevrolet 199 3
6 Al Unser, Jr. Galles Lola Chevrolet 199 1
7 Danny Sullivan Patrick Lola Alfa Romeo 198 20
8 Eddie Cheever Ganassi Lola Chevrolet 198 8
9 Mario Andretti Newman-Haas Lola Chevrolet 197 6
10 Jeff Andretti Bayside Lola Cosworth 192 86
11 John Andretti Hall Lola Chevrolet 191 8
12 Scott Pruett Truesports TrueSport Judd 190 11
13 Scott Brayton Dick Simon Lola Chevrolet 185 22
14 Hiro Matsushita Dick Simon Lola Cosworth 182 7
15 Mark Dismore Arciero Penske Buick 176 12
16 Mike Groff Euromotorsport Lola Cosworth 157 50
17 Al Unser Foyt Lola Chevrolet 105 14
18 Tony Bettenhausen, Jr. Bettenhausen Penske Chevrolet 71 16
19 Randy Lewis Dale Coyne Racing Lola Cosworth 65 19
20 Guido Daccò Giochi/Preziosi Lola Cosworth 62 33
21 Scott Goodyear Walker Lola Judd 33 15
22 Jeff Wood Dale Coyne Racing Lola Cosworth 13 39

Texto: Deivison da Conceição da Silva