GP da Holanda – MotoGP – Mundial de Motovelocidade 2022

A categoria principal teve mais uma corrida com muitas histórias, com o domínio total de Francesco Bagnaia, pole no sábado e vencedor de ponta a ponta no domingo.

A classificação do Sábado aconteceu, com tempo nublado, com possibilidade de chuva (como aconteceu nos treinos livres) Começando com a repescagem, assim que disparou o cronometro todo mundo foi para a pista. Enea Bastianini já saia dos boxes com problemas em sua moto, rapidamente o piloto percebeu isso, encostou a moto titular na barreira e voltou aos boxes para pegar a moto reserva.

Com 3 minutos e 10 segundos de sessão, dos primeiros pilotos a marcarem volta, o sul-africano Brad Binder (1:32.754) fez muito melhor que Morbidelli (1:33.355) e Mir (1:33.469). Ainda na primeira tentativa, Remy Gardner faz uma boa volta e pula para segundo, Miguel Oliveira para 3º e Fabio di Giannantonio marca o quarto tempo. Enquanto que Bastianini espera a sua moto ficar pronta para entrar na disputa.

Com 4 minutos e 40 segundos, quase 1 terço de Q1, Morbidelli melhora e marca o terceiro tempo (1:33.190), mas seu tempo é superado por certa facilidade por Joan Mir que sobe para a segunda posição. A euforia do piloto da Suzuki durou poucos segundos, o português Miguel Oliveira fez uma volta impecável de 1:32.550, passando a liderança da sessão. Enea Bastianini finalmente entrou pela primeira vez na pista com quase 6 minutos de sessão.

Nessa altura, com 8 minutos do final, todo mundo foi para os boxes. Oliveira e Brad Binder estavam levando as duas vagas para o Q2, seguido de Joan Mir, Andrea Dovizioso que fez uma bela volta e pulou para a 4ªposição,  Gardner completa os 5 primeiros, seguido de Alex Marquez, Franco Morbidelli, Luca Marini, Fabio di Giannantonio, Lorenzo Savadori, Raúl Fernández, Stefan Bradl, Darryn Binder e Enea Bastianini que estava começando a sua volta rápida.

Bastianini foi para a sua primeira volta rápida, com um resultado nada animador, um 10ºlugar. Naquela altura da classificação (6 minutos do final do Q1). A maioria dos pilotos se não é que todos os pilotos já tinham voltado para a pista, mirando nas vagas do Q2 que estavam nas mãos dos dois pilotos da equipe oficial da KTM.

Joan Mir chegou a ir ao chão a 5:30 do final, mas conseguiu voltar e seguir em frente. Bastianini melhora e sai da 10ª e vai para 7ªposição. Os pilotos da KTM eram praticamente imbatíveis. Nos últimos minutos da sessão Luca Marini teve duas voltas muito boas, em uma delas dando um belo salto, da 10ª para a 4ªposição e na segunda volta o piloto da VR46 acabou ganhando mais uma posição, mesmo em terceiro lugar estava 2 décimos atrás de Brad Binder. Por falar no sul-africano, ele destronou Oliveira, ao marcar o tempo de 1:32.485 a 1:40 do final da repescagem. A poucos segundos do final, a dupla da Gresini (Di Giannantonio e Bastianini) marcaram bons tempos que o levaram a 5ª e 6ªposição.

Fechado o Q1, Brad Binder e Miguel Oliveira conquistaram as vagas para o Q2. Ou seja, sucesso total para a equipe oficial da KTM. Luca Marini fez um bom trabalho ao se colocar na 3ªposição, seguido de Joan Mir, Fabio di Giannantonio, Enea Bastianini (os dois pilotos da Gresini) e Andrea Dovizioso.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 1’32.485
2 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 1’32.550
3 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 1’32.787
4 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 1’32.898
5 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 1’32.912
6 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 1’33.005
7 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 1’33.009
8 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda 1’33.029
9 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 1’33.093
10 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 1’33.096
11 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 1’33.113
12 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia 1’33.467
13 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 1’33.652
14 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 1’33.998

Após o intervalo, começava em Assen a decisão da pole position. As atenções estavam voltadas para Aleix Espargaró, Fabio Quartararo e Peppo Bagnaia. Os dois primeiros lugares do campeonato e o piloto da Ducati que tinha pressionado por resultado. Caso Peppo zerasse nessa corrida, as suas chances de campeonato praticamente se reduziriam a zero.

Em apenas 1 minuto de sessão, todos já estavam na volta de aquecimento para o inicio do arranca rabo… Com 3 minutos e 10 segundos de sessão, Francesco Bagnaia marcou 1:32.330, um bom tempo, mas foi superado facilmente por 4 pilotos, sendo esses o espanhol Jorge Martin da Pramac o mais rápido, com 1:31.708 (Quebrando o recorde do circuito). Fabio Quartararo, Aleix Espargaró e Marco Bezzecchi e caiu para a 5ªposição.

Peppo Bagnaia buscava a recuperação e partiu para a segunda volta. De fato, o piloto principal da Ducati conseguiu evoluir para a 3ªposição (1:32.019) com quase 1 terço de sessão concluída. Jack Miller, Marco Bezzecchi e Aleix Espargaró foram para a 4ª, 5ª e 6ªposições. Lá na frente, Martin e Quartararo mantiveram suas posições.

Com 9:30 do final, todos os pilotos foram para os boxes, Martin estava conquistando a pole, com Quartararo e Bagnaia complementando a 1ªfila. Miller vinha em quarta, seguido de Bezzecchi, Aleix, Zarco, Viñales, Rins, Oliveira, Brad Binder e Nakagami.

Passada metade da sessão, Bagnaia e Bezzecchi voltam para a pista. 40 segundos depois, Miller volta à pista. Naturalmente os pilotos começaram a voltar para os minutos decisivos da classificação, sendo que Quartararo, Viñales e Zarco foram os últimos a saírem (com 5 minutos do final).

Peppo Bagnaia usou todo o potencial da sua Ducati para tomar a liderança da sessão, com uma bela volta de 1:31.504. Com 4:15 pela frente, todo mundo iria a caça do piloto italiano. Marco Bezzecchi foi logo atrás de Peppo e se beneficiou marcou um bom 4ºtempo (1:31.796). Aleix Espargaró fez uma volta melhor, mas não passou da 5ªposição.

A 3:15 do final, Jorge Martin foi para o chão na curva 5. A 2:15 do final, Miguel Oliveira marcou uma boa volta e foi para a 7ªposição e logo depois, Johann Zarco recuperou essa posição em questão de 5 segundos. Com moto capaz de evoluir mais, Jack Miller foi para o chão a 1:20 do final.

Faltando 15 segundos do final, Fabio Quartararo marcou 1:31.620, tempo que devolveu a 2ªposição. Depois disso, não houve mais mudanças significativas na classificação. A pole position terminou nas mãos de Francesco Bagnaia que passou para a liderança a 4 minutos do final acabou levando a nobre posição no grid de largada. Mesmo sem a pole, Fabio Quartararo estava satisfeito com a segunda posição, já que Aleix Espargaró, o seu mais próximo adversário na disputa do título só conseguiu a 5ªposição.

Na frente do piloto da Aprilla, vice-líder do Mundial, estava Jorge Martin da Pramac que liderou a maior parte da sessão e completaria a primeira fila e Marco Bezzecchi da VR46 o 4ºlugar do grid, seu segundo melhor resultado em classificação em seu ano de estreia na categoria rainha. Jack Miller, o outro piloto da equipe oficial da Ducati completa a segunda fila.

Johann Zarco abre a 3ªfila com sua Ducati Pramac, seguido de Miguel Oliveira da KTM e Alex Rins da Suzuki. Completando os 12 primeiros colocados, na 4ªfila estão Brad Binder da KTM, Marevick Viñales da Aprilla e Takaagi Nakagami da LCR Honda.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 1’31.504
2 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 1’31.620
3 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati 1’31.708
4 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 1’31.796
5 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 1’31.868
6 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 1’32.124
7 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati 1’32.175
8 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 1’32.272
9 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 1’32.307
10 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 1’32.367
11 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 1’32.424
12 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 1’32.967
13 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 1’32.787
14 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 1’32.898
15 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 1’32.912
16 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 1’33.005
17 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 1’33.009
18 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda 1’33.029
19 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 1’33.093
20 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 1’33.096
21 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 1’33.113
22 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia 1’33.467
23 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 1’33.652
24 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 1’33.998

Igualmente frio e igualmente nublado, o dia da corrida teve novamente domínio de Peppo Bagnaia, com a vitória e a sobrevivência na luta pelo título, até porque, Fabio Quartararo cometeu um erro que comprometeu totalmente seu final de semana. Aleix Espargaró foi prejudicado, mas obteve uma brilhante recuperação. Marco Bezzecchi conquistou seu primeiro pódio e Marevick Viñales ressurge e finalmente conquista um grande resultado pela Aprilla.

Largou bem Bagnaia e manteve a liderança. Já Quartararo tentou uma manobra ousada de passar o piloto da Ducati por fora na curva 1, como não conseguiu acabou perdendo posição para Aleix Espargaró que pulou bem na largada e ganhou 2 posições. Jorge Martin quase passou Quartararo estava na 4ªposição. Bezzecchi vinha em 5º seguido de Miller, Brad Binder, Nakagami, Viñales e Oliveira completando os 10 primeiros colocados.

Nas 2 primeiras voltas, Bagnaia, Aleix Espargaró e Quartararo começaram a se afastar dos demais pilotos. Jorge Martin vinha sendo pressionado por Marco Bezzecchi. Ao começar a 3ªVolta, o piloto da VR46 realizou a ultrapassagem e assumiu a 4ªposição.

Nessa mesma volta, Fabio Quartararo passou a pressionar Aleix Espargaró e começava a batalha entre os dois líderes do campeonato. O piloto da Yamaha esperava o momento certo para ultrapassar. No começo da 5ªvolta, o francês foi para a ultrapassagem, na curva 5 o francês caiu e Aleix Espargaró foi atrapalhado e teve de sair da pista e ir para a brita. O resultado desse erro não esperado foi que Aleix Espargaró caiu para a 15ªposição e Quartararo voltou a corrida, mas na última posição. Quem se beneficiou foi Francesco Bagnaia que tinha meio segundo de vantagem para Espargaró, mas com o incidente, a vantagem do líder para Marco Bezzecchi que assumiu a segunda posição é de 1.3 segundos. Jorge Martin vinha em terceiro, Brad Binder vinha em 4º, mas com Marevick Viñales colado no piloto da KTM.

Se a situação da Yamaha já estava bem ruim acabou piorando mais ainda, graças a queda de Franco Morbidelli na 8ªvolta da prova, o ítalo-brasileiro vinha na 23ªposição. Na metade da volta seguinte, Darryn Binder acabou destruindo a sua moto ao cair no chão. Já Fabio Quartararo acabou indo para os boxes, dava pinta de abandono, mas a equipe fez o francês voltar a corrida.

Aleix Espargaró estava na 13ªposição, o piloto da Aprilla precisava estar inspirado para obter uma grande corrida de recuperação e um grande resultado. Pelo menos era provável que Aleix conseguia tirar parte da desvantagem que ele do Quartararo.

Com o decorrer das voltas, Bagnaia continuava na frente, mas Bezzecchi e Martin começaram a diminuir um pouco a diferença para o piloto oficial da Ducati. Isso poderia não terminar bem para Peppo, da última vez que ele foi pressionado por um piloto de equipe satélite da Ducati. Na 11ªVolta, Marevick Viñales supera Brad Binder e pula para a 4ªposição, já demonstrando que esta mais adaptado a pilotar uma Aprilla e podendo ajudar a equipe no campeonato de construtores e de equipes.

Na entrada da 12ªVolta, Aleix Espargaró subiu para a 12ªposição após passar Fabio di Giannantonio. Na volta seguinte, Aleix tirou 0.8 segundos dos 1.2 que Bastianini tinha de vantagem. Ao chegar a volta 13, Fabio Quartararo caiu pela segunda vez e na mesma curva 5. Fim de corrida para o líder do campeonato era a chance para os seus rivais de tirar parte da vantagem que o piloto da Yamaha tem na liderança do campeonato.

Bagnaia voltou a abrir vantagem para Bezzecchi e os demais pilotos do primeiro pelotão (Martin, Viñales, Binder e Miller). Já o japonês Takaagi Nakagami tomou punição de volta longa por ter cortado a chicane. Isso não era nada bom para o melhor piloto com uma moto da Honda nesse final de semana.

Na 16ªVolta, Nakagami paga a punição e cai para a 11ªposição. Quem agradece é Aleix Espargaró que entrou no Top 10 .  A frente do piloto da Aprilla, Zarco e Mir duelavam pela 9ªposição, numa batalha muito interessante que acabou com vantagem para o piloto da Suzuki. Aleix aproveitou e também superou o piloto da Pramac e no final da mesma 16ªvolta, passou Joan Mir e assumiu a 8ªposição. Momento genial de Aleix Espargaró que ganhou 3 posições em apenas 1 volta.

Lá na frente, Viñales foi para cima de Jorge Martin e sem muita cerimonia ultrapassou o piloto da Pramac na entrada da chicane e passou a ser o terceiro lugar no final da 17ªvolta. Poderia Marevick conquistar seu primeiro pódio pela Aprilla. Por outro lado, Martin foi superado por Binder e Miller, caindo para a 6ªposição em apenas meia volta. A 8 voltas do final, Viñales e Martin foram advertidos por saírem do limite da pista, não poderiam fazer isso de novo ou seriam punidos com a volta longa.

A 7 voltas do final, Aleix Espargaró passa Miguel Oliveira e subiu para a 7ªposição. Uma recuperação muito boa para o piloto da Aprilla, mas se Aleix se esforçasse um pouco mais, poderia dar para ganhar mais uma ou talvez duas posições. Lá na frente, Jack Miller parte para o ataque em cima de Brad Binder, luta valendo a 4ªposição entre os futuros companheiros de equipe na KTM. A batalha dura por 1 volta, foi quando Miller passou por Binder e subiu para a 4ªposição.

Lá na frente, Bagnaia vinha firme e forte na frente. Bezzecchi da VR46 e Viñales da Aprilla vinham conseguindo os seus melhores resultados da temporada, mas Viñales precisava ficar atento com Jack Miller que vinha mais rápido e cada vez mais perto dele.

A 2 voltas do final, Miller chega e começa a atacar forte Viñales, enquanto que Aleix Espargaró passou a pressionar Jorge Martin na busca pela 6ªposição. No final da volta, Miller chega na chicane, passa Viñales, mas toma o X do próprio Viñales que se consolida na 3ªposição. Já Jack Miller ficou mais para Brad Binder na volta final.

Francesco Bagnaia fechou com chave de ouro seu final de semana perfeito, cruzou a linha de chegada e venceu de ponta a ponta o GP da Holanda. Esse resultado faz Peppo se recuperar de 2 quedas seguidas (Espanha e Alemanha) e de voltar a disputa do campeonato.

Se a vitória de Bagnaia já era esperada e previsível em Assen, os outros dois lugares no pódio foram conquistados de maneira surpreendente por dois pilotos que estão fora da lista dos favoritos a vitória. A começar pelo grande final de semana de Marco Bezzecchi da VR46, uma corrida segura, largando na frente e com um bom rendimento que o fez evoluir e manter até o final a segunda posição, conquistando assim o primeiro pódio da equipe de Valentino Rossi na MotoGP.

E Fechando o pódio, o espanhol Marevick Viñales da Aprilla, conquistando seu primeiro pódio pela marca italiana, no mesmo local onde a 1 ano atrás, o próprio Viñales conquistava seu último pódio com a moto da Yamaha. Após a demissão da Yamaha e desde da contratação da Aprilla é que Viñales não tinha tido grandes destaques, mas nas duas últimas corridas vimos um Viñales andando muito bem, um outro piloto em relação ao que era no começo da temporada.

Seu companheiro de equipe Aleix Espargaró fez uma última volta sensacional, no começo da volta passou Jorge Martin, mas ele não estava satisfeito, queria mais e foi buscar Jack Miller e Brad Binder e acabou na curva antes da chicane passando os dois de uma só vez. Uma manobra brilhante que fez Aleix chegar na 4ªposição após ter sido atrapalhado por Quartararo, de ter de sair da pista, caído para o 15ºlugar, a corrida de recuperação do piloto da Aprilla foi belíssima, 13 pontos que o ajudarão na disputa do título.

Nessa manobra dupla de Aleix Espargaró, o prejudicado foi Jack Miller que ainda perdeu o 5ºlugar para o regular Brad Binder que vem conquistando resultados bons o bastante para colocar-lo nas primeiras posições no campeonato. Miller que poderia ter ganho um pódio acabou ficando em uma  frustrante 6ªposição. Jorge Martin fez uma corrida abaixo do esperado e ficou na 7ªposição.

Já longe de disputar a vitória, Joan Mir superou Miguel Oliveira na reta final da corrida para ganhar a 8ªposição do piloto Português da KTM, um resultado modesto para a Suzuki e também modesto para Oliveira que esta nitidamente 1  degrau abaixo dos desempenhos do companheiro de equipe. Alex Rins completou o Top 10 sem qualquer destaque.

Em 11ºlugar, Enea Bastianini fez uma corrida correta, mas já sem o impacto do começo da temporada e das primeiras corridas da temporada. 12ªposição para Takaagi Nakagami, o japonês fez o que pode, mas a Honda não lhe dá condições dos seus pilotos fazerem boas corridas, a moto totalmente feita para o estilo de pilotagem de Marc Marquez em detrimento dos outros pilotos com esse equipamento.

Corrida decepcionante para Johann Zarco que lhe rendeu a 13ªposição, quebrando a boa sequência de resultados que o terceiro lugar do campeonato teve (França, Itália, Catalunha e Alemanha) incluindo 2 pódios nas 2 últimas corridas. Fabio di Giannatonio da Gresini e Alex Marquez (Que acertou a sua ida para a Gresini para a próxima temporada) completaram a zona de pontuação.

A MotoGP vai voltar no dia 7 de Agosto, no tradicional circuito de Silverstone para a realização do GP da Inglaterra . Quartararo vem na liderança do Mundial, a 21 pontos de frente para Aleix Espargaró da Aprilla, seu mais próximo adversário na disputa do campeonato. 225 pontos estão em jogo e não tem nada definido ainda de quem vai levar o título de campeão da Categoria Rainha.

Resultado Final da 11ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Holanda – Assen – 26 Voltas – MotoGP

pos piloto equipe moto tempo
1 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 40’25.2050
2 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati a 0.444
3 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia a 1.209
4 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia a 2.585
5 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM a 2.721
6 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati a 3.045
7 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati a 4.340
8 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 8.185
9 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM a 8.325
10 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 8.596
11 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati a 9.783
12 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 10.617
13 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati a 14.405
14 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati a 17.681
15 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda a 25.866
16 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 29.711
17 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati a 30.296
18 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda a 32.225
19 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM a 34.947
20 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia a 35.798
25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM a 8 voltas – Mecânico
20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 15 voltas – Acidente
21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 18 voltas – Acidente
40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 18 voltas – Acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da Holanda – Moto 2 – Mundial de Motovelocidade 2022

Quer uma categoria que esta entregando emoção de sobra em 2022? A Moto 2 entrega o que você quer, principalmente no final de semana do GP da Holanda onde os melhores pilotos do campeonato deram o seu máximo e superaram dificuldades. A briga pelo título após a corrida realizada deixou a disputa pelo título mais embolada ainda.

Duas ausências muito importantes para o GP da Holanda: Vindo de bons resultados, Pedro Acosta teve uma queda durante um treino com uma moto de motocross, resultado disso foi uma fratura no fêmur e a ausência dessa prova. Aron Canet não correu pelo constante sangramento em seu nariz.

Começando pela repescagem no Q1, onde os favoritos seriam Jorge Navarro e Fermin Aldeguer. Logo nos primeiros segundos de sessão, um drama para o piloto da Speed UP, Aldeguer teve problemas mecânicos com sua moto e o jovem espanhol teve que levar sua moto para os boxes e acabou precisando de ajuda. Graças a sua persistência, Fermin Aldeguer voltou para a pista aos 3:10 de sessão.

Pouco depois, os primeiros tempos foram marcados. Alessandro Zacconi (1:37.903) e Manuel Gonzalez (1:37.905) fizeram boas marcas, mas foram engolidos pelo ótimo tempo de Jorge Navarro da Pons, marcando 1:37.670. Pior para Zaccone, seu tempo acabou sendo cancelado, perdendo a sua segunda posição. Gonzalez assumiu a segunda posição, Marcos Ramirez e Lorenzo Dalla Porta completavam a zona de classificação. Seguidos de Alcoba, van Goodbergh, Antonelli e Toneda.

Os tempos melhoraram na segunda volta, a menos de 10 minutos do final da sessão, Jorge Navarro detonou mais uma vez os cronômetros com 1:37.285. Um tempo que já poderia ser o suficiente para o piloto da Pons garantir a vaga para o Q2. Marcos Ramirez marcou o segundo tempo (1:37.759), com quase meio segundo atrás do líder da sessão. Lorenzo Dalla Porta e Manuel Gonzalez vinham na 3ª e 4ªposições.

A 8:30 do final, Fermin Aldeguer fez a primeira volta que não foi nada animadora, uma fraca 11ªposição. 15 segundos depois, Zaccone e Baltus passaram para a 2ª e a 3ªposição, deixando Dalla Porta na bolha e Manuel Gonzalez ficou de fora do Q2 por 5 segundos, a volta de 1:37.503 recolocou na 3ªposição e jogou Dalla Porta para fora da zona de classificação.

Jorge Navarro tinha tudo para fazer um tempo ainda melhor, mas foi atrapalhado por pilotos que andavam lento pelo último setor, algo que o irritou muito. A 5:15 do final, Fermin Aldeguer que vinha na 9ªposição fez uma volta brilhante e passou para a segunda posição, com o tempo de 1:37.366, a 1 décimo de Navarro, mas a volta foi cancelada e obrigou o piloto da Speed UP a fazer mais uma volta rápida que o recolocou a segunda posição com 1:37.389 quando faltava 3:30 do final do Q1.

20 segundos depois, Navarro melhora ainda mais seu tempo (1:37.149), mostrando que não tinha adversários na repescagem. Zaccone e Dalla Porta passaram o tempo de Aldeguer e jogaram o piloto da Speed UP para a bolha. Barry Baltus tentou até o final entrar na zona de classificação. Ao final de tudo, com o cronometro zerado e após 2 voltas, a luta do piloto belga valeu a pena, passando a ser o 4ºcolocado ao superar Fermin Aldeguer.

Jorge Navarro que fechou sua participação com chave de ouro ao marcar 1:36.912 foi o mais rápido, seguido de Alessando Zaccone da Gresini, Manuel Gonzalez da Yamaha VR46 e Barry Baltus da RW Racing. Enquanto isso, Aldeguer não só perdeu a vaga para o Q2 como perdeu a 5ªposição para Lorenzo Dalla Porta da Italtrans.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 9 Jorge Navarro Flexbox HP40 Kalex 1’36.912
2 61 Alessandro Zaccone Gresini Racing Moto2 Kalex 1’37.266
3 18 Manuel Gonzalez Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex 1’37.275
4 7 Barry Baltus RW Racing GP Kalex 1’37.288
5 19 Lorenzo Dalla Porta Italtrans Racing Team Kalex 1’37.342
6 54 Fermín Aldeguer MB Conveyors Speed Up Boscoscuro 1’37.389
7 84 Zonta Van Den Goorbergh RW Racing GP Kalex 1’37.742
8 42 Marcos Ramirez MV Agusta Forward Racing MV Agusta 1’37.759
9 52 Jeremy Alcoba Liqui Moly Intact GP Kalex 1’37.761
10 4 Sean Dylan Kelly American Racing Kalex 1’38.058
11 24 Simone Corsi MV Agusta Forward Racing MV Agusta 1’38.150
12 55 Alex Toledo Pertamina Mandalika SAG Team Kalex 1’38.251
13 28 Niccolò Antonelli Mooney VR46 Racing Team Kalex 1’38.509
14 81 Keminth Kubo Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex 1’38.861

Ao chegar na decisão da pole position, quase todos os favoritos estavam na disputa, entre eles, Celestino Vietti, Ai Ogura e Augusto Fernandez, os 3 primeiros colocados do campeonato. Barry Baltus e Alonso Lopez foram os dois primeiros a partirem para a pista, com poucos segundos de sessão. Logo, os outros pilotos foram para a pista.

Baltus foi mais rápido que Alonso Lopez em sua primeira volta, com 3:30 de sessão. Os dois foram superados por Jorge Navarro (1:36.860) que ainda estava embalado pela ótima classificação no Q1. O piloto da casa, Bo Bendsneyder marcou o segundo tempo e a torcida já ficou bem animada. Com 4:20 de sessão, Jake Dixon e Albert Arenas, os dois pilotos da Aspar Martinez marcaram bons 3º e 4ºtempos respectivamente.

Com um pouco mais de 1 terço de Sessão concluída (9:50 por completar), Alonso Lopez subiu para a 3ªposição. Jorge Navarro melhorou sua volta em 24 milésimos (1:36.836) e Bo Bendsneyder passou a ficar a 83 milésimos do Navarro, em um espaço de 20 segundos. Lopez, Dixon e Arenas completam os 5 primeiros lugares. Dos postulantes ao título, Celestino Vietti vinha em 6º, Ai Ogura vinha em 10º e Augusto Fernandez vinha na 14ªposição.

A 8:15 do final, Celestino Vietti cai na curva 3 e complica muito a sua participação no treino. Quase ao mesmo tempo, Marcel Schrotter melhora sua marca e ganha 5 posições, passando a ser o 8ºcolocado.

Com metade da sessão percorrida (7:15 para o termino do Q2), Ai Ogura anda forte e faz uma excelente volta e pula para a 3ªposição, colocando a moto da Honda Asia Team na primeira fila. Navarro e Bendsneyder continuavam imexíveis nas 2 primeiras posições. Esse quadro só se modificou a 5:30 do final com a excelente volta de Sam Lowes da Marc VDS que assumiu a liderança com 1:36.767 e da ótima volta de Joe Roberts da Italtrans passando a ser o terceiro colocado.

Com 5 minutos de Q2 pela frente, Sam Lowes, Jorge Navarro e Joe Roberts estavam compondo a primeira fila. Bo Bendsneyder estava abrindo a segunda fila, seguido de Ogura e de Alonso Lopez. Dixon, Arenas, Vietti e Schrotter completavam o Top 10, seguido de Augusto Fernandez.

Albert Arenas foi para uma grande volta, disposto a voltar as primeiras posições, o espanhol conseguiu não só isso como passou a 1ªposição a um pouco mais de 2 minutos do final da sessão, com o tempo de 1:36.747, apenas 20 milésimos a frente de Sam Lowes.

Todos a caça de Arenas a partir daquele momento. A 1 minuto do final, Augusto Fernandez melhorou 4 posições a sua classificação. A 35 segundos do final do Q2, Ogura volta a 3ªposição depois de uma excelente volta.

A pole parecia estar nas mãos de Arenas, mas quem tirou a pole do campeão da Moto 3 em 2020 foi Jake Dixon, seu companheiro de equipe marcou 1:37.736 e conquistou sua segunda pole da carreira, não só isso, a Aspar Martinez consegue a dobradinha com Arenas que não ficou feliz com a perda da pole position.

Haveria uma boa chance tanto de Dixon como de Arenas de brigarem pela vitória em Assen. Porém, os dois teriam que se cuidar com Sam Lowes, o piloto experiente da Marc VDS completa a primeira fila e poderia usar a sua experiência para levar vantagem sobre Dixon e Arenas.

Ai Ogura fez uma bela classificação, conseguindo uma importante 4ªposição no grid de largada, na frente de Celestino Vietti e Augusto Fernandez, seus adversários na disputa do título. Alonso Lopez fez uma bela volta no final da sessão e conquistou seu lugar na 2ªfila com o 5ºlugar. Jorge Navarro em uma impecável repescagem e uma bela classificação em 6ºlugar vai fechar a 2ªfila.

O Norte-americano Joe Roberts larga em 7º, seguido do holandês Bo Bendsneyder que teve toda a torcida a favor dele em Assen. O piloto da casa espera pelo menos um bom resultado. Vindo de vitória na Alemanha, Augusto Fernandez largar em uma nada empolgante 9ªposição. Ou seja, o piloto da equipe Ajo precisava remar para brigar pela vitória na Holanda. Marcel Schrotter da IntactGP, Celestino Vietti da VR46 e Filip Salac da Gresini completam os 12 primeiros colocados. Vietti, o líder do campeonato estava vendo a sua liderança seriamente ameaçada, principalmente pelo japonês Ai Ogura.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 96 Jake Dixon Inde GASGAS Aspar Team Kalex 1’36.736
2 75 Albert Arenas Inde GASGAS Aspar Team Kalex 1’36.747
3 22 Sam Lowes Elf Marc VDS Racing Team Kalex 1’36.767
4 79 Ai Ogura IDEMITSU Honda Team Asia Kalex 1’36.787
5 21 Alonso Lopez MB Conveyors Speed Up Boscoscuro 1’36.842
6 9 Jorge Navarro Flexbox HP40 Kalex 1’36.860
7 16 Joe Roberts Italtrans Racing Team Kalex 1’36.884
8 64 Bo Bendsneyder Pertamina Mandalika SAG Team Kalex 1’36.919
9 37 Augusto Fernandez Red Bull KTM Ajo Kalex 1’36.967
10 23 Marcel Schrotter Liqui Moly Intact GP Kalex 1’37.028
11 13 Celestino Vietti Mooney VR46 Racing Team Kalex 1’37.085
12 12 Filip Salac Gresini Racing Moto2 Kalex 1’37.124
13 14 Tony Arbolino Elf Marc VDS Racing Team Kalex 1’37.165
14 7 Barry Baltus RW Racing GP Kalex 1’37.283
15 18 Manuel Gonzalez Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex 1’37.365
16 35 Somkiat Chantra IDEMITSU Honda Team Asia Kalex 1’37.444
17 61 Alessandro Zaccone Gresini Racing Moto2 Kalex 1’37.452
18 6 Cameron Beaubier American Racing Kalex 1’37.532
19 19 Lorenzo Dalla Porta Italtrans Racing Team Kalex 1’37.342
20 54 Fermín Aldeguer MB Conveyors Speed Up Boscoscuro 1’37.389
21 84 Zonta Van Den Goorbergh RW Racing GP Kalex 1’37.742
22 42 Marcos Ramirez MV Agusta Forward Racing MV Agusta 1’37.759
23 52 Jeremy Alcoba Liqui Moly Intact GP Kalex 1’37.761
24 4 Sean Dylan Kelly American Racing Kalex 1’38.058
25 24 Simone Corsi MV Agusta Forward Racing MV Agusta 1’38.150
26 55 Alex Toledo Pertamina Mandalika SAG Team Kalex 1’38.251
27 28 Niccolò Antonelli Mooney VR46 Racing Team Kalex 1’38.509
28 81 Keminth Kubo Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex 1’38.861

No domingo, tivemos uma corridaça na Moto 2, com várias alternativas e disputa pela vitória intensa. Vitória de Augusto Fernandez e grandes corridas de recuperação de Ai Ogura e Celestino Vietti e de outros pilotos que não completaram a corrida devida a quedas ou que não tiveram desempenho para lutarem até o fim pela vitória.

Os dois pilotos da Gas Gas largaram muito bem e mantiveram as 2 primeiras posições (Dixon na frente de Arenas). Sam Lowes erra a curva 1, sai da pista e cai para as últimas posições. Alonso Lopez que tinha passado para a terceira posição passou Arenas e assumiu a segunda posição na curva 5 (onde iria acontecer a maioria dos melhores momentos da corrida). O espanhol foi para cima de Jake Dixon e em poucas curvas (3 para ser exato) Alonso Lopez passou o piloto britânico e foi para a liderança. Um excelente começo de corrida do piloto da Speed UP. Arenas caiu para a 3ªposição e estava sendo seguido por Ogura, Schrotter, Navarro, Fernandez, Roberts, Arbolino e Bendsneyder. Barry Baltus teria de cumprir uma punição de volta longa por pilotagem irresponsável.

Na 2ªVolta, Marcel Schrotter passou para 4º após superar Ai Ogura. E ao mesmo tempo, Augusto Fernandez passou para a 6ªposição. Na curva 11, Ai Ogura perdeu a curva e caiu para a 9ªposição, no começo da 3ªvolta, o japonês comete um outro erro e sai do traçado. O Resultado foi desastroso, pois o piloto da Honda Asia Team caiu para a 17ªposição e teria um longo caminho para a uma prova de recuperação.

Alonso Lopez chega a abrir meio segundos para os dois pilotos da Aspar Martinez e para a Marcel Schrotter, os 3 disputando a segunda posição. Augusto Fernandez vinha em 5º, chegando nessa turma. Lá atrás, Sam Lowes caiu quando vinha na 26ªposição, um começo péssimo de corrida que termina em uma 4ªvolta. Ou seja, a frase não é boa mesmo para o piloto inglês.

No final da 4ªVolta, Schrotter supera Arenas, sobe para 3º e vai para a caça de Jake Dixon, enquanto que Augusto Fernandez foi para a caça de Albert Arenas e quase de imediato passou o piloto espanhol. Arenas tentou o troco e até conseguiu na curva 9, recuperando a 4ªposição. na frente deles, Schrotter pula para a segunda posição após passar Jake Dixon.

Alonso Lopez continuava mantendo os 5 décimos de vantagem para Marcel Schrotter, com Dixon e Arenas segurando Fernandez e Bendsneyder. Arbolino, Beaubier (que marcou a volta mais rápida), Roberts e Vietti completavam os 10 primeiros colocados. Ogura vinha na batalha para levar a 14ªposição que estava nas mãos de Manuel Gonzalez da Yamaha VR46.

Na 7ªvolta, Schrotter chegou em Alonso Lopez, mas enquanto rolada a briga pela primeira posição, Rolava a briga pela terceira posição. No final dessa volta, Arenas supera Dixon e assume o terceiro lugar. O piloto da casa, Bo Bendsneyder passou Augusto Fernandez, subindo para a 5ªposição. Muito bom para o piloto holandês em sua casa, mas Augusto Fernandez deu o troco na curva 5 (8ªvolta) e recuperou a posição perdida.

Marcel Schrotter fez uma ultrapassagem sensacional em cima de Alonso Lopez, entre a curva 6 e 7 e assumiu a liderança. O piloto alemão tinha a esperança e até mesmo a possibilidade de conquistar a tão sonhada primeira vitória da carreira, mas a prova ainda estava no começo do segundo terço e Schrotter estava com Lopez, Arenas, Dixon, Fernandez, Bendsneyder, Beaubier e Arbolino colados, praticamente sem diferença nenhuma. Celestino Vietti que vinha na 9ªposição, estava a quase 2 segundos desse grupo.

Na 9ªVolta, Fernandez passa a ser o 4ºcolocado após supera Jake Dixon que fica mais para Bo Bendsneyder da SAG. Na volta seguinte, Arenas e Fernandez superam Alonso Lopez de uma vez, ainda que o piloto da Speed UP tenha dado o troco no piloto da equipe Ajo, essa resistência não durou mais que algumas curvas, Fernandez voltou a se colocar na frente de Alonso Lopes. Já Fermin Aldeguer sofre a punição da volta longa por cortar a chicane, ao cumprir essa punição caiu para a 16ªposição.

Schrotter continuava na liderança, até que na 12ªvolta, o alemão caiu na curva 5. O Alemão viu mais uma chance de vencer sua primeira corrida cair por terra. A liderança passou a ser de Albert Arenas, mas uma liderança frágil, muito ameaçado por Augusto Fernandez que estava vendo mais uma vez a vitória perto de suas mãos. Ao final da 12ªVolta, Alonso Lopez surpreendeu Fernandez e voltou a segunda posição. O piloto da Speed UP era um duro adversário a ser superado.

Os 4 primeiros (Arenas, Lopez, Fernandez e Dixon) abriram um pouco de vantagem para Bendsneyder,Arbolino e Beaubier brigavam pelo 5ºlugar. Um pouco mais atrás, Celestino Vietti e Ai Ogura vinham chegando nessa turma.

A 10 voltas do final, Augusto Fernandez recupera a segunda posição sobre Lopez e voltou a pressionar Albert Arenas. Enquanto havia o duelo pela ponta, um outro importante duelo era travado entre Celestino Vietti e Ai Ogura, não só pela 8ªposição como uma posição, um ponto importante para os dois na disputa. Nesse duelo direto, Ogura levou a melhor e ganhou a 8ªposição. Na volta seguinte, Alonso Lopez sai da pista e cai da 6ªposição, logo a frente de Ogura e Vietti.

Fernandez estava estudando Arenas, queria o momento certo para superar o piloto espanhol, mas teria de ter muito cuidado para evitar uma ultrapassagem de Dixon e Bendsneyder, colados no piloto da equipe Ajo.

Quando faltavam 8 voltas do final, na curva 5, Augusto Fernandez passou Arenas e assumiu a liderança. Bo Bendsneyder passou Jake Dixon e passou ao 3ºlugar. Era muito real a possibilidade de um primeiro pódio do holandês e diante da sua torcida. Cameron Beaubier tenta se aproveitar para entrar na luta pelo pódio, Ogura vinha em 6º e Vietti ainda estava atrás de Alonso Lopez.

Na 18ªVolta, Cameron Beaubier passou Dixon e Bendsneyder numa manobra genial, na reta dos boxes, ela foi tão genial que a ultrapassagem de Vietti sobre Alonso (que deu ao piloto da VR46 o 7ºlugar) passou desapercebida. Na curva 5, Dixon que passou Bendsneyder antes passou a Beaubier e voltou a estar em posição de pódio. Já o piloto da SAG começou a ser pressionado por Ogura, uma brilhante corrida de recuperação do piloto japonês e que se tornaria ainda mais brilhante com a ultrapassagem sobre Bendsneyder e a ida a 5ªposição. Vietti, seu rival na disputa do título também superou o piloto holandês a menos de 6 voltas do final.

A 5 voltas do final, Fernandez vinha na frente, mas pressionado por Arenas e com Dixon, Beaubier e Ogura com esperanças de pódio e até mesmo de vitória. Um pouco mais atrás vinham Vietti, Beaubier e Alonso Lopez. Em 9ºlugar, Tony Arbolino já vinha longe dessa disputa. A zona de pontos estava sendo completada por Roberts, Salac, Gonzalez, Aldeguer, Navarro e Chantra.

No final da 20ªvolta, Dixon passa Arenas e leva o segundo lugar, Ogura se aproveitou e também passou o piloto da Aspar Martinez e subiu para a terceira posição. No começo da 21ªvolta (Curva 1) Cameron Beaubier foi para o chão, mais uma vez quando vinha perto de posição de pódio. Sorte para Vietti que lutava com Bendsneyder pela 5ªposição, mas já a 2 segundos atrás dos 4 primeiros colocados.

Faltando 3 voltas do final, Ogura supera Dixon e passa a ser o segundo colocado. Que corridaça de recuperação para o piloto da Honda Asia Team. No final, Vietti chega na briga pelo pódio que estava sendo disputada entre os dois pilotos da Aspar Martinez. Dixon e Arenas trocaram ultrapassagens na antepenúltima volta.

Quando faltava 1 volta e meia do final, Albert Arenas vai ao chão e perde a chance de conquistar o seu melhor resultado na Moto 2. Vietti pula para 4º, mas tinha que segurar Bo Bendsneyder, buscando um folego final para pelo menos pegar a posição do italiano. Na volta final, Dixon tenta recuperar o segundo lugar, mas Ogura estava com um controle mínimo da sua posição.

Após 24 voltas de uma brilhante corrida em Assen, a vitória ficou com Augusto Fernandez, sua terceira vitória na temporada, após sair da 9ªposição para galgar posições durante a corrida, fazendo uma corrida de cabeça, com ultrapassagens certas e sem se precipitar em nenhum momento da prova. Uma vitória merecidíssma de Fernandez, vivendo seu melhor momento na carreira, brigando pelo título da Moto 2 dessa temporada.

Ai Ogura fez uma sensacional corrida, largou na frente, mas dois problemas o jogaram para a 17ªposição. O que poderia ter sido uma prova desastrosa virou uma corrida consagradora, Ogura teve uma soberba recuperação, terminando a corrida na segunda posição. Mesmo sem a vitória, o japonês obteve possivelmente sua melhor corrida da carreira. Em 3ºlugar, fechando o pódio, o inglês Jake Dixon que largou na pole, foi muito bem na corrida, faltou um pouco mais de desempenho e experiência para lutar até o final pela vitória.

Celestino Vietti também fez uma bela corrida de recuperação, com muita calma e mesmo sem uma moto excelente, conseguiu evoluir bastante até o final e conquistou a 4ªposição, segurando o holandês Bo Bendsneyder da SAG, o holandês repete seu melhor resultado da carreira com a 5ªposição, chegando a algum momento a flertar com o pódio na sua casa. Mesmo sem esse pódio, tenho certeza de que os torcedores holandês saíram de Assen orgulhosos da exibição do seu piloto.

Alonso Lopez começou na frente, lutou, batalhou bastante na frente, mas um erro o jogou pra fora dessa disputa, mas pelo menos o piloto da Speed UP ficou em pé até o final e conquistou a 6ªposição. Tony Arbolino chegou em 7º, mas não brilhou em nenhum momento da corrida, fez uma corrida burocrática, pra chegar na zona de pontuação.

Joe Roberts, muito longe da disputa das primeiras posições  acabou ficando com a 8ªposição, seguido de Manuel Gonzalez da Yamaha VR46 e de Filip Salac da Gresini, dois pilotos que fizeram boas corridas. Para Salac foi seu melhor resultado de corrida na temporada (Já que o tcheco tem um 3ºlugar no Grid de largada no Qatar).

Fermin Aldeguer da Speed UP, Jorge Navarro da Pons (Que diga de passagem teve um desempenho bem decepcionante), Somkiat Chantra (Longe dos seus melhores desempenhos) da Honda Asia Team, Jeremy Alcoba da IntactGP e Barry Baltus da RW Racing completaram a zona de pontuação.

Saindo das férias, o campeonato de pilotos da Moto 2 tem Celestino Vietti na liderança com 146 pontos, 3 vitórias, Augusto Fernandez com os mesmos 146 pontos e 3 vitórias. O piloto da VR46 esta na frente por causa de um segundo lugar no GP da Indonésia. 1 ponto atrás, Ai Ogura vem na terceira posição. Os 3 primeiros colocados vão para as férias como os principais nomes do campeonato e se continuarem nessa forma, mostrando o seu melhor, teremos um final incrível na disputa do título. Aron Canet ficou longe da briga (30 pontos atrás de Vietti e Fernandez e 29 pontos atrás de Ogura), vai precisar de um dia de sorte para entrar nessa briga.
Dia 7 de Agosto, teremos a retomada do campeonato no fantástico circuito de Silverstone, com o GP da Inglaterra.

Resultado Final da 11ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Holanda – Assen – 24 Voltas – Moto 2

pos piloto equipe moto tempo
1 37 Augusto Fernandez Red Bull KTM Ajo Kalex 39’07.1330
2 79 Ai Ogura IDEMITSU Honda Team Asia Kalex a 0.660
3 96 Jake Dixon Inde GASGAS Aspar Team Kalex a 0.725
4 13 Celestino Vietti Mooney VR46 Racing Team Kalex a 0.758
5 64 Bo Bendsneyder Pertamina Mandalika SAG Team Kalex a 1.485
6 21 Alonso Lopez MB Conveyors Speed Up Boscoscuro a 5.417
7 14 Tony Arbolino Elf Marc VDS Racing Team Kalex a 5.553
8 16 Joe Roberts Italtrans Racing Team Kalex a 7.396
9 18 Manuel Gonzalez Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex a 7.589
10 12 Filip Salac Gresini Racing Moto2 Kalex a 7.691
11 54 Fermín Aldeguer MB Conveyors Speed Up Boscoscuro a 9.322
12 9 Jorge Navarro Flexbox HP40 Kalex a 15.028
13 35 Somkiat Chantra IDEMITSU Honda Team Asia Kalex a 17.443
14 52 Jeremy Alcoba Liqui Moly Intact GP Kalex a 19.188
15 7 Barry Baltus RW Racing GP Kalex a 19.256
16 19 Lorenzo Dalla Porta Italtrans Racing Team Kalex a 19.898
17 42 Marcos Ramirez MV Agusta Forward Racing MV Agusta a 28.669
18 84 Zonta Van Den Goorbergh RW Racing GP Kalex a 28.787
19 4 Sean Dylan Kelly American Racing Kalex a 44.544
20 24 Simone Corsi MV Agusta Forward Racing MV Agusta a 44.612
21 81 Keminth Kubo Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex a 50.836
22 55 Alex Toledo Pertamina Mandalika SAG Team Kalex a 51.009
28 Niccolò Antonelli Mooney VR46 Racing Team Kalex a 2 voltas – Acidente
75 Albert Arenas Inde GASGAS Aspar Team Kalex a 2 voltas – Acidente
6 Cameron Beaubier American Racing Kalex a 4 voltas – Acidente
61 Alessandro Zaccone Gresini Racing Moto2 Kalex a 11 voltas – Abandonou
23 Marcel Schrotter Liqui Moly Intact GP Kalex a 13 voltas – Acidente
22 Sam Lowes Elf Marc VDS Racing Team Kalex a 21 voltas – Acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da Holanda – Moto 3 – Mundial de Motovelocidade 2022

A Catedral da Motovelocidade marcava o começo da segunda metade do campeonato, após 10 corridas o domínio estava sendo dos pilotos da Gas Gas. Sergio Garcia era o líder do campeonato e Izan Guevara na segunda posição, ambos com 3 vitórias na temporada e sobrando em relação aos seus adversários.

Antes de disparar o cronometro, a grande maioria estava esperando na porta da saída dos boxes, Assim que o cronometro disparou, os pilotos saíram. Alguns outros pilotos saíram um pouco depois, entre eles o brasileiro Diogo Moreira, e os espanhóis Xavier Artigas e Adrian Fernández.

Xavier Artigas levou a melhor na primeira tentativa de volta rápida com 1:41.920 a 4 minutos de sessão, seguido de Adrian Fernández, Diogo Moreira e Stefano Nepa com mais de meio segundo do piloto da CF Moto. Na segunda tentativa, Daniel Holgado fez uma brilhante volta que fez o piloto da equipe Ajo pulando da 5ª para a 1ªposição quando passados 1 terço de sessão. Adrian Fernández continuava na segunda posição, seguido de Xavier Artigas e Kaito Toba que completam a zona de classificação. Moreira, Nepa, Odgen, Ortolá, Surra e Bartolini completam os 10 primeiros lugares.

Todo mundo foi para os boxes, com exceção de Carlos Tatay (Que fez uma parada depois de ter dado uma volta no começo da sessão). O piloto da CF Moto fez duas voltas, mas nada de muito brilhante, a primeira volta Tatay foi da última para a 10ªposição e na segunda volta, Tatay melhorou um pouco mais, passando para a 8ªposição a quase meio segundo de Kaito Toba (último dos classificados).

Com menos de 3 minutos do final, os pilotos começaram a voltar a pista, de forma bem lenta, cientes de que só teriam uma chance para melhorar a volta.

Na última tentativa, Stefano Nepa conseguiu uma volta significativa e tomou a 4ªposição para ele. Kaito Toba que estava na bolha não só perdeu essa posição para Nepa como também foi superado por Diogo Moreira e acabou ficando na sexta posição. Os classificados para o Q2 foram Daniel Holgado da Ajo, Adrian Fernández da Tech 3, Xavier Artigas da CFMoto e Stefano Nepa da MTA Team.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 96 Daniel Holgado Red Bull KTM Ajo KTM 1’41.633
2 31 Adrian Fernandez Red Bull KTM Tech3 KTM 1’41.812
3 43 Xavier Artigas CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO 1’41.920
4 82 Stefano Nepa Angeluss MTA Team KTM 1’42.089
5 10 Diogo Moreira MT Helmets – MSI KTM 1’42.211
6 27 Kaito Toba CIP Green Power KTM 1’42.217
7 48 Ivan Ortola Angeluss MTA Team KTM 1’42.389
8 23 Elia Bartolini QJMotor Avintia Racing Team KTM 1’42.569
9 99 Carlos Tatay CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO 1’42.597
10 19 Scott Ogden VisionTrack Racing Team Honda 1’42.609
11 67 Alberto Surra Rivacold Snipers Team Honda 1’43.304
12 72 Taiyo Furusato Honda Team Asia Honda 1’43.426
13 64 Mario Suryo Aji Honda Team Asia Honda 1’43.686
14 22 Ana Carrasco BOE Motorsports KTM 1’43.812
15 70 Joshua Whatley VisionTrack Racing Team Honda 1’43.915
16 85 Luca Lunetta QJMotor Avintia Racing Team KTM 1’44.077

Assim como no Q1, os postulantes a pole position saíram dos boxes para a pista. O piloto do momento Izan Guevara saiu a 50 segundos do Q2. Perto de completar a primeira volta, 5 pilotos (Foggia, Muñoz, Fellon, Suzuki e Migno) voltaram para boxes, mas não para fazerem ajustes, mas para sair do grupinho que abriu a primeira volta, eles voltaram perto de Izan Guevara.

Com quase 4 minutos de sessão, Jaume Masia fez o melhor tempo com 1:41.811. Adrian Fernández (irmão de Raúl Fernández) chegou a fazer o segundo tempo, mas foi superado 20 segundos depois por Ayumu Sasaki da Husqvarna. O segundo pelotão, aquele que foi para os boxes para fugir do pelotão marcaram suas primeiras voltas a 9 minutos do final da sessão. Tatsuki Suzuki passou a liderar com 1:41.302 e David Muñoz pulou para a 2ªposição. Os dois deixaram Masia, Sasaki e Fernández para a 3ª, 4ª e 5ªposições respectivamente. Com metade de sessão a turma inteira foi para os boxes.

Com 5 minutos do final, os pilotos da Leopard foram os primeiros a voltarem à pista para as últimas tentativas de volta rápida. Suzuki tinha tudo para melhorar seu tempo e conquistar a pole position. Ayumu Sasaki, John McPhee e outros 2 pilotos saíram a 3 minutos do final, eram os últimos a irem para a pista.

Os tempos pareciam não baixar, apenas 2 pilotos conseguiram melhorar, Ryusei Yamanaka que pulou da 18ª para a 15ªposição e principalmente Izan Guevara que passou a ser o segundo colocado com a marca de 1:41.502, a aproximadamente a 1 minuto e 30 segundos do final do Q2, quase que ao mesmo tempo que John McPhee foi para a chão na tentativa de melhorar a sua volta.

Segundos depois, Tatsuki Suzuki caiu e precisou ficar na torcida para que ninguém baixasse sua marca. A torcida funcionou com 16 dos 17 adversários, mas seu compatriota Ayumu Sasaki superou o piloto da Leopard com a marca de 1:41.296 a poucos segundos do final. Ainda tinha treino, ainda tinha pilotos para fazer uma última volta.

Mas ao terminar as últimas tentativas, não mudou muita coisa, Foggia subiu para a 5ªposição e Nepa melhorou para ficar na 14ªposição.

Ayumu Sasaki conquistou a pole position em Assen, nos últimos momentos da sessão e com muita coragem, disposto a finalmente conquistar a sua primeira vitória na Moto 3. Tatsuki Suzuki pagou caro pela queda no final e acabou ficando com a segunda posição e Izan Guevara completou a primeira fila com a moto da Gas Gas, a moto que esta dominando a temporada.

David Muñoz conquista a importante 4ªposição, abrindo a segunda fila do grid holandês, e uma fila de muito peso que o piloto da BOE comandaria já que teria Dennis Foggia da Leopard Racing e Jaume Masia da equipe Ajo, dois dos pilotos mais experientes da categoria.

Adrian Fernández da Tech 3 conseguiu uma boa classificação e acabou conseguindo a 7ªposição no grid de largada. Boas classificações de Lorenzo Fellon da Sic58 e de Xavier Artigas da CFMoto, 8º e 9ºcolocados do dia. Joel Kelso da CIP Green fecha os 10 primeiros colocados e abre a 4ºfila que será completada por John McPhee da Husqvarna e Daniel Holgado da equipe Ajo. Sergio Garcia foi muito mal na sessão e vai largar na complicada 18ªposição.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 71 Ayumu Sasaki Sterilgarda Husqvarna Max Husqvarna 1’41.296
2 24 Tatsuki Suzuki Leopard Racing Honda 1’41.362
3 28 Izan Guevara GASGAS Aspar Team GASGAS 1’41.502
4 44 David Muñoz BOE Motorsports KTM 1’41.664
5 7 Dennis Foggia Leopard Racing Honda 1’41.765
6 5 Jaume Masia Red Bull KTM Ajo KTM 1’41.811
7 31 Adrian Fernandez Red Bull KTM Tech3 KTM 1’41.995
8 20 Lorenzo Fellon SIC58 Squadra Corse Honda 1’42.014
9 43 Xavier Artigas CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO 1’42.032
10 66 Joel Kelso CIP Green Power KTM 1’42.064
11 17 John McPhee Sterilgarda Husqvarna Max Husqvarna 1’42.121
12 96 Daniel Holgado Red Bull KTM Ajo KTM 1’42.134
13 6 Ryusei Yamanaka MT Helmets – MSI KTM 1’42.177
14 82 Stefano Nepa Angeluss MTA Team KTM 1’42.185
15 16 Andrea Migno Rivacold Snipers Team Honda 1’42.210
16 54 Riccardo Rossi SIC58 Squadra Corse Honda 1’42.279
17 53 Deniz Öncü Red Bull KTM Tech3 KTM 1’42.561
18 11 Sergio Garcia GASGAS Aspar Team GASGAS 1’42.687
19 10 Diogo Moreira MT Helmets – MSI KTM 1’42.211
20 27 Kaito Toba CIP Green Power KTM 1’42.217
21 48 Ivan Ortola Angeluss MTA Team KTM 1’42.389
22 23 Elia Bartolini QJMotor Avintia Racing Team KTM 1’42.569
23 99 Carlos Tatay CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO 1’42.597
24 19 Scott Ogden VisionTrack Racing Team Honda 1’42.609
25 67 Alberto Surra Rivacold Snipers Team Honda 1’43.304
26 72 Taiyo Furusato Honda Team Asia Honda 1’43.426
27 64 Mario Suryo Aji Honda Team Asia Honda 1’43.686
28 22 Ana Carrasco BOE Motorsports KTM 1’43.812
29 70 Joshua Whatley VisionTrack Racing Team Honda 1’43.915
30 85 Luca Lunetta QJMotor Avintia Racing Team KTM 1’44.077

Domingo em Assen, após 22 voltas muita luta, principalmente contra o espanhol Izan Guevara, O Japonês Ayumu Sasaki finalmente conquistou sua primeira vitória no Mundial de Motovelocidade. O piloto da Husqvarna precisou de 95 corridas na Moto 3 para realizar o sonho de ir ao topo do pódio.

Na Largada, Tatsuki Suzuki e David Muñoz passaram por Ayumi Sasaki e assumiram as 2 primeiras posições. Izan Guevara tinha se posicionado em 4º, mas curvas depois acabou perdendo 2 posições e chegou a cair para a 5ªposição, logo atrás de Foggia. Sasaki ao se livrar de Muñoz foi para cima de Suzuki. Foi uma bela briga japonesa, com troca de ultrapassagens entre os dois que durou até as curva 3,4 e 5, quando Sasaki, Guevara e Muñoz superaram Suzuki e assumiram as 3 primeiras posições. No final da 2ªvolta, Sasaki quase perde o controle da moto e perde a liderança para Izan Guevara. Sergio Garcia que largou na 18ªposição já estava na 9ªposição após 2 voltas de corrida.

Suzuki conseguiu se recuperar foi para cima de Muñoz e depois foi para cima de Ayumu Sakaki para o piloto da Leopard retornar a segunda posição. Enquanto isso, o piloto da Husqvarna acaba caindo para a 4ªposição após ter sido superado por David Muñoz. Na volta seguinte, Sasaki deu o troco no novato. Após 4 das 22 voltas por jogar, a classificação dos 10 primeiros era formada por Guevara, Suzuki, Sasaki, Muñoz, Masia, Foggia, Garcia, Fernández, Kelso e Artigas.

Elia Bartolini foi o primeiro piloto a cair fora da corrida na metade da 5ªvolta. Ao final da mesma volta, Suzuki caiu para a 6ªposição após ter sido superado por Sasaki, Muñoz, Masia e Foggia. Curvas depois, o piloto da Leopard chegou a cair para a 8ªposição, mas o final da volta Suzuki já tinha voltado à mesma 6ªposição. Esse final da 6ª foi benéfico para Jaume Masia que subiu para a 3ªposição.

O 1ºgrupo era formada pelos 15 primeiros colocados, não existia praticamente vantagem nenhuma, como quase sempre acontece na Moto 3, muitos pilotos juntos em um curto espaço de tempo. Na 7ªVolta, Muñoz e Suzuki superaram Masia. Enquanto que Dennis Foggia acabou punido com a volta longa após cortar a chicane. Na volta seguinte, Suzuki voltou ao segundo lugar após superar Sasaki e Muñoz e volta a ficar atrás apenas de Izan Guevara.

Porém, Sasaki estava disposto a voltar a 2ªposição com Suzuki, os dois japonês voltaram a trocar ultrapassagens entre as curvas 5 e 7. Ao final da 9ªVolta, os 6 primeiros colocados: Guevara, Suzuki, Sasaki, Muñoz, Foggia e Masia abriram 6 décimos para o 2ºpelotão formado por Sergio Garcia, John McPhee e outros.

Na 10ªVolta, Foggia cumpriu a punição da volta longa e despencou para a 13ªposição. Com isso, o primeiro grupo se reduziu aos 5 primeiros colocados. Ao final da volta, Tatsuki Suzuki voltou a perder posições, foi superado por Sasaki, Masia e Muñoz. A gongorra de posições para o piloto da Leopard Racing continuava.

Com metade da corrida percorrida, Masia passou a ser o segundo colocado, mas essa posição seria tomada por Ayumi Sasaki curvas depois. John McPhee e Xavier Artigas tentavam chegar no 1 ºpelotão e estavam conseguindo diminuir a distância entre os primeiros colocados, Sergio Garcia e Dennis Foggia também buscavam se aproximar da briga pela primeira posição.

No final da 12ªVolta, os 4 pilotos não só chegaram como entraram e se embolaram com o primeiro pelotão. Na final da 13ªvolta, John McPhee aparece muito bem na 3ªposição após superar Sasaki, o piloto japonês não se contentou e não só deu o troco no companheiro de equipe como também passou por Muñoz e retornou a segunda posição no começar da 14ªVolta. Apesar de todas as brigas na frente, Izan Guevara continuava na frente e até com certa tranquilidade, seguro apesar dos adversários estarem colados nele.

Lá atrás, Andrea Migno teve uma falha no comprimento da punição da volta longa, com isso, o piloto da Snipers teve sua punição dobrada e agora teria de fazer duas voltas longas. Prejuízo total para o italiano que já vinha muito fora da briga lá na frente.

Guevara continua na frente com os dois pilotos da Husqvarna na sua cola. Sasaki e McPhee promoveram uma bela disputa pela segunda posição. O escocês chegou a tomar o segundo lugar no final da 15ªvolta e levou o troco do companheiro de equipe alguns segundos depois.

A 6 Voltas do final, nada estava decidido na disputa das 9 primeiras posições. Guevara continuava de forma impecável na liderança, seguido de Sasaki, Suzuki, Foggia, Muñoz, Masia e McPhee. Artigas e Garcia ficaram uns pouco afastados do bando, mas logo depois já conseguiram voltar a colar na turma.

Ao começar a 18ªVolta, Dennis Foggia foi obrigado a sair da pista após ser empurrado por David Muñoz, quando voltou a pista, Foggia perdeu o controle da moto e caiu na Curva 2 e abandona a corrida pela 3ªvez nas últimas 4 corridas, deixando o italiano mais longe ainda da luta pelo título. Dos 8 primeiros colocados, Apenas Tatsuki Suzuki estava de Honda no meio das motos KTM e das suas subsidiárias (Gas Gas, Husqvarna e CF Moto).

Sasaki foi para cima de Guevara, o momento poderia ser esse para superar o piloto da Gas Gas, mas Jaume Masia pega Sasaki no pontapé e toma a 2ªposição na curva 5. Isso atrasou o piloto da Husqvarna  que precisou da reta oposta até chegar a curva 8 para recuperar a 2ªposição.

Na antepenúltima volta, David Muñoz saiu da pista e fica um pouco para trás. Na curva 5, Sasaki ultrapassou Guevara na curva 5 e recupera a liderança após quase 18 voltas com o piloto da Gas Gas na frente. Masia, Suzuki e McPhee seguiam logo atrás e ainda sonhavam com a vitória.

Disposto a recuperar a liderança, Izan Guevara supera Ayumi Sasaki no final da 20ªVolta. Na penúltima volta, Sasaki e Guevara lutam pela ponta, trocam de ultrapassagem em uma bela disputa na pista. No final da penúltima volta, Sasaki e Suzuki superam Guevara e a dupla japonesa abriu a volta final nas duas primeiras posições. Guevara sai da pista na curva 2 quando Masia o passou e obrigou o piloto da Gas Gas a sair do limite da pista.

Suzuki foi para passar Sasaki e consegue na curva 8, mas o piloto da equipe de Max Biaggi deu o troco na volta seguinte. Logo atrás, David Muñoz acabou indo para o chão e levou Masia junto. John McPhee caiu 1 segundo depois. 3 pilotos que estavam na parte da frente caíram e deixaram a corrida. Sasaki estava muito perto da vitória, Suzuki e Guevara vinham brigando pelo 3ºlugar e Sergio Garcia apareceu no final para brigar por esse pódio.

Após 95 corridas no Mundial de Motovelocidade, enfim Ayumu Sasaki cruzou a linha de chegada em primeiro lugar. A primeira vitória do piloto Japonês na Moto 3 e a realização de seu sonho na categoria. Sasaki merecia à muito tempo essa vitória, ele tinha liderado de forma tranquila no GP do Qatar quando acabou quebrando e abandonando a corrida e tinha perdido a vitória nos metros finais no GP da França.

A Dupla da Gas Gas segurou Suzuki e levou os outros dois lugares no pódio, com Guevara em 2º após liderar por quase 18 voltas o GP da Holanda e Sergio Garcia em 3ºlugar após largar da 18ªposição. Na classificação do campeonato, Garcia foi para as Férias na liderança do campeonato com 3 pontos de vantagem para Izan Guevara. (182 pontos de Garcia a 179 pontos de Guevara) os outros pilotos já estão muito longe da briga particular da Gas Gas.

Tatsuki Suzuki foi o único piloto da Honda a obter um resultado digno, mas acabou de fora do pódio quando se acreditava que conseguiria um lugar no pódio ou até mesmo a vitória. Xavier Artigas completou os 5 primeiros colocados. A posição acabou sobrando para o piloto da CF Moto após das quedas do final da corrida.

Muito, mas muito atrás dos ponteiros, Daniel Holgado obteve novamente a 6ªposição, cada vez mais ganhando confiança e melhorando suas classificações no decorrer do campeonato. Stefano Nepa chegou na 7ªposição e fez seu melhor final de semana de longe, com o melhor resultado de corrida de longe também.

Ryusei Yamanaka da MT Helmets fechou a corrida na 8ªposição após 2 corridas sem ter conseguido completar corrida. Deniz Oncü fechou a corrida na 9ªposição e é até agora o único que pontuou em todas as corridas do campeonato da Moto 3 e Kaito Toba da CIP Green completou os 10 primeiros colocados. Após essa corrida, os pilotos saíram para as férias no meio de temporada.

Resultado Final da 11ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Holanda – Assen – 22 Voltas – Moto 3

pos piloto equipe moto tempo
1 71 Ayumu Sasaki Sterilgarda Husqvarna Max Husqvarna 37’28.3710
2 28 Izan Guevara GASGAS Aspar Team GASGAS a 0.314
3 11 Sergio Garcia GASGAS Aspar Team GASGAS a 0.392
4 24 Tatsuki Suzuki Leopard Racing Honda a 0.399
5 43 Xavier Artigas CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO a 0.661
6 96 Daniel Holgado Red Bull KTM Ajo KTM a 11.540
7 82 Stefano Nepa Angeluss MTA Team KTM a 11.606
8 6 Ryusei Yamanaka MT Helmets – MSI KTM a 12.225
9 53 Deniz Öncü Red Bull KTM Tech3 KTM a 12.309
10 27 Kaito Toba CIP Green Power KTM a 12.368
11 54 Riccardo Rossi SIC58 Squadra Corse Honda a 12.596
12 48 Ivan Ortola Angeluss MTA Team KTM a 12.878
13 20 Lorenzo Fellon SIC58 Squadra Corse Honda a 12.976
14 99 Carlos Tatay CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO a 17.903
15 16 Andrea Migno Rivacold Snipers Team Honda a 20.915
16 10 Diogo Moreira MT Helmets – MSI KTM a 30.606
17 67 Alberto Surra Rivacold Snipers Team Honda a 37.419
18 64 Mario Suryo Aji  Honda Team Asia Honda a 44.008
19 85 Luca Lunetta QJMotor Avintia Racing Team KTM a 44.132
20 70 Joshua Whatley VisionTrack Racing Team Honda a 44.135
21 72 Taiyo Furusato Honda Team Asia Honda a 44.366
22 22 Ana Carrasco BOE Motorsports KTM a 44.486
66 Joel Kelso CIP Green Power KTM a 1 volta – acidente
31 Adrian Fernandez Red Bull KTM Tech3 KTM a 1 volta – acidente
17 John McPhee Sterilgarda Husqvarna Max Husqvarna a 1 volta – acidente
44 David Muñoz BOE Motorsports KTM a 1 volta – acidente
5 Jaume Masia Red Bull KTM Ajo KTM a 1 volta – acidente
7 Dennis Foggia Leopard Racing Honda a 5 voltas – acidente
19 Scott Ogden VisionTrack Racing Team Honda a 17 voltas – acidente
23 Elia Bartolini QJMotor Avintia Racing Team KTM a 18 voltas – acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

Dakar 2022 – Avaliação da categoria Protótipo Leve

Seth Quintero foi o nome do Dakar nessa categoria. Piloto norte-americano,  que obteve um domínio avassalador em praticamente todas as especiais, contando com um super projeto de carro e com sua incrível habilidade, Quintero venceu 11 das 12 especiais. Em qualquer campeonato, o piloto da Red Bull seria o campeão sem sombra de dúvidas.

Mas uma especial acabou com o sonho de título de Quintero. O desastre aconteceu logo na segunda especial do Dakar, quando Quintero teve problemas que o levaram a perder quase 17 horas, sendo 10 dessas horas foram por causa de penalização.

O Mais provável é que houvesse um desanimo do piloto da Red Bull, mas aconteceu o contraio, foi uma motivação para Quintero vencer e se recuperar o máximo possível. E foi isso exatamente o que aconteceu. No final, Quintero bateu o recorde de vitórias em especiais, em uma única edição do Dakar e conseguiu ainda ficar na 16ªposição na Soma dos Tempos.

O protótipo OT3 da Red Bull venceu todas as especiais do Dakar. O belga Guillaume de Mevius ficou com a vitória na segunda especial e fez com que todas as vitórias caíssem nas mãos da equipe Red Bull. Infelizmente o protótipo OT3 era um carro falho na confiabilidade. Isso não permitiu que Quintero e Guillaume de Mevius conseguissem grandes resultados na soma dos tempos. O que salvou foi à espanhola Cristina Gutierrez Herrero, na 3ºposição na soma dos tempos, mesmo com um carro com falta de confiabilidade e propenso a quebras.

Já a disputa pelo título do Dakar ficou entre o chileno Francisco Lopez Contardo e o Sueco Sebastian Eriksson, ambos da equipe oficial da CAN-AM. Os dois disputaram a vitória, mas a vantagem esteve praticamente o tempo todo com o Chileno.

Vencedor de 2019 e 2021 pela categoria SSV, Francisco Lopez Contardo conquista o terceiro título no Dakar. No seu currículo, teve 2 vezes a terceira posição na categoria motos (em 2010 e 2013). Usando da regularidade, o chileno obteve 9 vezes posição entre os 3 primeiros colocados nas especiais. Sebastien Eriksson teve 8 resultados entre os 3 primeiros colocados. Em um rally onde resistência e confiabilidade é fundamental a CAN-AM mostrou esses requisitos, mesmo sem ser tão rápido como o OT3.

A categoria vem numa crescente, mas ainda sofre de vários carros com problemas de confiabilidade, mas por ter uma categoria de protótipos, eu acho que é normal que se tenha mais quebras, pois não são carros comuns, são carros construídos para a corrida, totalmente construídos para uma disputa. Nesse caso para um Rally. É possível que ela tenha até um pouco menos de competidores que os SSV, mas pelo menos não vai ser tão esvaziado como a categoria dos quadriciclos.

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

Dakar 2022 – Stage 12 – Bisha até Jeddah – Protótipo Leve

Seth Quintero conquistou a 11ªvitória em especial no Dakar 2022. O norte-americano bateu o recorde de vitórias em uma edição do Rally Dakar na história. Sem os problemas que teve no segundo estágio, Seth seria o campeão com sobras dessa edição.

Sorte para Francisco Lopez Contardo, que não tinha o melhor carro, mas foi consistente em todas as especiais e acabou levando o título do Dakar, mesmo sem vencer nenhuma especial, já que todas as especiais ficaram com pilotos da Red Bull. O que determinou a vitória do chileno foi a constância de resultados entre os 5 primeiros colocados em quase todas as especiais, como aconteceu nessa última especial onde ficou na 3ªposição, 4 minutos atrás do companheiro de equipe na EKS – South Racing, Sebastian Eriksson que conquistou o vice-campeonato na geral. A Red Bull teve a espanhola Cristina Gutierrez Herrero em 3ºlugar na geral e levou o OT3 ao pódio, só atrás de Contardo e Eriksson.

Resultado final do 12ºestágio do Dakar 2022 – Bisha até Jeddah – 164 km
Protótipo Leve:

pos No. Piloto/copiloto País Carro/Equipe tempo diferença penalização
1 303 Seth Quintero Estados Unidos OT3 – 02 01H 48′ 46”
Dennis Zenz Alemanha Red Bull Off-Road Junior Team USA
2 306 Sebastian Eriksson Suécia Can-Am Maverick X3 01H 50′ 09” + 00H 01′ 23”
Wouter Rosegaar Holanda EKS – South Racing
3 305 Francisco Lopez Contardo Chile Can-Am XRS 01H 54′ 17” + 00H 05′ 31”
Juan Pablo Latrach Vinagre Chile EKS – South Racing
4 301 Cristina Gutiérrez Espanha OT3 – 01 01H 57′ 38” + 00H 08′ 52”
Francois Cazalet França Red Bull Off-Road Team USA
5 307 Jean-Luc Pisson França PH-Sport Zephyr 01H 59′ 54” + 00H 11′ 08”
Jean Brucy França JLT Racing
6 314 Santiago Navarro Espanha Can-Am Maverick X3 02H 02′ 03” + 00H 13′ 17”
Marc Sola Espanha FN Speed Team
7 319 Thomas Bell Inglaterra Can-Am Maverick X3 02H 04′ 25” + 00H 15′ 39”
Bruno Jacomy Argentina South Racing Middle East
8 310 Dania Akeel Árabia Saudita Can-Am Maverick X3 02H 08′ 36” + 00H 19′ 50”
Antonia De Roissard França South Racing Middle East
9 334 Serge Gounon França Can-Am XRS 02H 10′ 52” + 00H 22′ 06”
Pierre-Henri Michel França Team BBR/Pole Position 77
10 311 Camelia Liparoti Itália Yamaha YXZ 1000R Rally Edition 02H 11′ 19” + 00H 22′ 33”
Xavier Blanco Espanha Yamaha powered by X-Raid Team
11 300 Josef Macháček Rep.Tcheca Buggyra Can-Am DV12 02H 11′ 21” + 00H 22′ 35”
Pavel Vyoral Rep.Tcheca Buggyra Zero Mileage Racing
12 335 Sebastian Guayasamin Equador Can-Am X3 02H 14′ 37” + 00H 25′ 51”
Ricardo Adrian Torlaschi Argentina Sebastian Guayasamin

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Dakar