Sainz jr. acerta com a Ferrari e tem grande chance de sua vida, Ricciardo é o escolhido para substituir o Espanhol na Mclaren.

Com o fim da passagem de 6 temporadas de Sebastian Vettel pela equipe Ferrari, A equipe de Maranello precisava tomar uma decisão de quem seria o piloto a substituir o tetracampeão do mundo de Formula 1. A decisão foi rápida, poucos dias depois, A Ferrari anunciou a contratação de Sainz jr. para substituir Sebastian Vettel na temporada de 2021. É a volta de um piloto espanhol a Ferrari depois da passagem de Fernando Alonso (2010-2014).

Sainz jr. apesar de ter um nome do Multi campeão do Rally Carlos Sainz, não tinha uma pressão como piloto de Formula 1, até porque seu pai é campeão no offroad e não em asfalto. O Espanhol pilotou por quase 3 anos pela Toro Rosso, o final de 2017 e a temporada de 2018 pela Renault, ficando um pouco ofuscado pelo companheiro de equipe Nico Hulkenberg.

Em 2019, trocou a Renault pela Mclaren, Uma decisão acertada para o espanhol que fez seu melhor ano da carreira, Com uma temporada bem regular, conseguindo a proeza de conquistar o pódio no GP do Brasil, ficando em 3ºlugar e de ficar em 6ºlugar no Mundial de pilotos. Ficando na frente de Pierre Gasly e de Alexander Albon andando com a Red Bull e da Toro Rosso.

Mesmo sem ter tido corridas na temporada de 2020 por causa da Pandemia, O desempenho do espanhol em 2019 parece ter sido suficiente para a Ferrari ver nele um substituto para Sebastian Vettel. Sem duvida é a chance de Carlos Sainz jr. mostrar que pode ser um dos pilotos de ponta nas próximas temporadas. O que pode ajudar é a boa temporada que ele fez na Mclaren no ano passado. Certamente não vai ter o mesmo desempenho do Leclerc pelo menos para 2021. Porém ele pode ser uma surpresa agradável para o futuro.

O Fato é que Leclerc vai ser o primeiro piloto da Ferrari e terá a dura missão de tirar a equipe da fila que já dura 13 anos sem título de pilotos e de 12 anos sem título de construtores.

Já a Mclaren logo que Sainz jr. foi confirmado pela Ferrari para 2021, A equipe de Woking rapidamente anunciou a contratação de Daniel Ricciardo que está na equipe Renault. O piloto Australiano após sair da Red Bull (Após uma temporada de 2018 inexplicável aonde só o carro dele quebrava na segunda parte da temporada) acabou indo para a Renault na temporada passada.

Mesmo com um projeto audacioso a Renault decepciona e Ricciardo não tem um dos seus melhores anos em 2019. A sua saída da Renault para a sua ida a Mclaren pode ser interpretada de 2 modos: Primeiro é que o piloto Australiano se arrependeu de ter optado pela Renault para tentar brigar pelas primeiras posições por vários motivos. Primeiro que o carro de 2019 foi um carro ruim e que nem de longe proporcionou a chance dele disputar lugar nas primeiras posições de maneira constante. Outra é que o carro não tinha evolução suficiente para alcançar Mercedes, Ferrari e Red Bull. O motor Renault também não ajudou nenhum pouco e para piorar, a Mclaren com o mesmo motor foi muito superior a equipe Francesa.

A segunda é que a Renault pode dar um indício de sair da categoria no final da temporada de 2021. O projeto da Equipe Francesa desde da sua volta a categoria não resultou em voltar a disputar as posições da parte da Frente. O melhor resultado da equipe em corrida e no Mundial de Construtores foi o 4ºlugar. Em 2019 era a temporada em que eles esperavam conquistar pódios e se firmarem como a 4ªforça do campeonato, entrando em disputa por posições melhores, Mas a temporada foi frustrante para a equipe francesa e acabaram ficando em 5ºlugar no sufoco, muito atrás não só das 3 grandes como também sendo superada pela Mclaren, com o mesmo motor Renault.

Ricciardo vai ter uma situação diferente na Mclaren do que teve na Renault, Uma equipe tradicional que está recuperando sua força, que vai ter motores Mercedes no ano que vem e só por isso e esperado que a equipe possa sonhar com algo a mais do que ser a melhor equipe do segundo pelotão. Com o motor Mercedes e a possibilidade de melhora pode sim levar Daniel Ricciardo a disputar até por alguns pódios em 2021.

Se der tudo certo, com o novo regulamento, Tanto Ricciardo como Lando Norris vão poder disputar por vitórias como também disputarem o título. Algo que a Mclaren não faz desde da temporada de 2012, Quando ela conquistou sua última vitória com Jenson Button no GP do Brasil.

Sobre Sebastian Vettel, vamos falar sobre o futuro dele nos próximos dias.

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Mclaren/Renault/Red Bull/Toro Rosso

Formula 1 em 2021 – Um salto para a competitividade

1º Carros menos dependentes da Aerodinâmica

A Formula 1 vem dependendo muito da aerodinâmica dos carros para o ganho de décimos importantes, Mas isso vem acaba tendo um efeito negativo nas disputas de corrida. Um carro não pode ficar muito perto do outro sobre a perda de eficiência aerodinâmica em seus carros. Até mesmo de metade da eficiência quando se estar muito perto do carro da Frente. Isso impede muitas vezes a disputa de posições entre dois pilotos, Mesmo com o DRS.

Com as novas regras em 2021, Se espera que a Aerodinâmica não tenha tanta importância como tem hoje em dia. E isso fara com que os carros possam andar mais juntos e isso como consequência ter mais disputas por posições. Ainda tenho minhas dúvidas sobre a segurança dos carros sobre o efeito Solo. Esse efeito foi proibido no ano de 1982 se tremendo que as velocidade da época aumentassem. Hoje, 38 anos depois pode ser esse efeito a salvação dos problemas de competitividade da categoria. Outras mudanças na aerodinâmica visam limitar a capacidade das equipes de controlar o fluxo de ar ao redor das rodas dianteiras e reduzir ainda mais a esteira aerodinâmica dos carros. Piorando a aerodinâmica dos carros que estão em perseguição. Logico que se um carro da Williams esta na frente de um carro da Mercedes, certamente não vai adiantar esse interferência. Pois, um carro ruim não vai segurar um carro bom de forma nenhuma.

Comparação entre os dois regulamentos:

Distância entre 2 carros Regulamento de Hoje Regulamento de 2021
Eficiência Aerodinâmica Eficiência Aerodinâmica
1 Carro 55% 86%
3 Carros 68% 94%
5 Carros 71% 96%
7 Carros 79% 98%

2º Um teto de gastos para as equipes

As equipes de Formula 1 estão cada ano gastando mais e mais, As grandes equipes parecem não tem limites no gasto para o desenvolvimentos dos seus carros. Isso faz com que a diferença entre as equipes grandes das equipes médias aumente cada vez mais. Sendo praticamente impossível algum pulo de uma equipe média para pular para a parte da frente.

Com o teto máximo de 175 milhões de Dólares pode ajudar a diminuir essa diferença entre as maiores equipes das menores equipes. Algo que a Formula 1 pedia, Mas calma! Esses gastos não incluírem o Salário dos pilotos, dos principais projetistas, das Taxas de inscrições e dos custos de viagem. Isso pode de certo modo impedir o êxito da diminuição da desigualdade das equipes na Formula 1.

A Tyrrell começou 1989 sem dinheiro e acabou conseguindo um pódio na temporada

Mas para isso que a FIA pensou em uma limitação de evoluções dos carros. O objetivo é que se evite as equipes a desenvolverem peças novas e apêndices aerodinâmicos que prejudicam o objetivo de terem carros mais limpos e que gerem menos turbulência. Se isso foi levado ao “Pé da Letra” teremos possibilidades de uma diminuição da diferença entre as equipes do campeonato.

Perez é um dos pouquíssimos pilotos de equipes médias a conseguir um pódio nos últimos anos.

Só para que tenha ideia da desigualdade: A grandes equipes tem uma vantagem de 1 segundo por volta sobre os melhores carros de equipes médias. Se não for mais de 1 segundo, em muitas dessas corridas, Os pilotos da Mclaren, Renault, Racing Point tomavam 1 volta dos líderes. Em outros casos, Pilotos de equipe grande que largavam do último lugar, Geralmente conseguem chegar até o 6ºlugar, Ficando na frente de todos os pilotos das equipe médias. Dependendo do velocidade da recuperação, Em 20 voltas, Pilotos como Hamilton passaram do 20ºlugar para a 6ªposições nesse meio tempo.

As equipes que violarem essa regra serão punidas, desde de Multa, até retirada de pontos do campeonato, Redução de testes para essa equipe, Suspensão de uma corrida ou até mesmo a desclassificação do campeonato. O teto fica em vigor até a temporada de 2026.

3º Pneus de banda mais alta

É uma estática mais para se aproximar dos carros de rua, Um aro de pneu mais alto que o aro 13. Nisso eu não sei se vai dar um ganho de desempenho, Se os pneus vão durar mais ou menos. Isso só saberemos mesmo a partir de 2021.

Extinção da Quinta-feira da programação da Formula 1.

O evento do GP no final de semana não vai contar mais com a Quinta-feira, dia tradicional para entrevistas. Elas serão feitas entre os 2 treinos livres do dia. Isso não parece que vai adiantar muito no custo das equipes. Já o Calendário da Formula 1 poderá ser estendido para 25 corridas no Máximo por temporada. Isso é uma boa notícia, Porém, Eu pensaria até em se fazer um final de semana com 2 corridas. Em 2020, a temporada vai ter 22 corridas. Com as Entradas do GP do Vietña e o GP da Holanda e a saída do GP da Alemanha.

Só espero que em 2021 se jogue um pouco mais de corridas para o final do ano, Já que na primeira parte de 2020, A temporada vai ter 13 das 22 etapas antes das férias na Europa, Poderia ser pelo menos 12 corridas na 1ªparte e 10 na segunda parte do ano.

Opinião:

Essas regras se funcionarem vão tornar a categoria bem mais competitiva. Porém, Ainda acho proibitiva demais o limite de 175 Milhões de Dólares para uma equipe nova entrar na Formula 1. Claro que dá para fazer Formula 1 com menos dinheiro, Mas não de maneira competitiva. Hoje tem times que tentam sobreviver ao invés de investir no seus carros e em desenvolvimento. Um dia, Jorge Lorenzo falou que deve se privilegiar a competição ao invés da Tecnologia. Sabe Já se avançou tanto em inovação e em alta tecnologia que voltar ao passado às vezes é a melhor forma de inovar. Que os carros voltem a serem mais simples é uma forma de inovação. Foi assim em 2009, foi assim em 2012 e era assim nos anos 80 e 90, onde os carros podiam andar um perto do outro. Os pneus da Pirelli nos primeiros anos feitos para desgastarem de imediato foi algo que funcionou, mas não poderia se usar isso para sempre. Quando os pneus se desgastaram menos, viu-se que os pneus que se deformavam rápido demais era para esconder as poucas disputas de posição, Como foi com o KERS e depois com o DRS.

A Asa móvel é outro artifício para que se mascare a realidade de que é bem difícil que dois carros com desempenho igual haver uma disputa de posição. Bem difícil que um carro consiga acompanhar o outro por causa da turbulência. Na Indy com todos tendo o mesmo chassis isso não acontece, Na Formula 3 isso não acontece, Na Formula 2 também não acontece isso. Somente na Formula 1 tem isso.

Sauber teve seu melhor ano em 2012, com 4 pódios conquistados na era dos pneus de gasto excessivo.

O Teto de gastos não era nem de longe do que poderia ser feito. Para mim 100 milhões de Dólares e a proibição do Túnel de vento seria o ideal e dava para desenvolver os carros, Tem tecnologia suficiente para se dispensar esse elemento caro demais para o desenvolvimento do carro. Poderiam usar a tecnologia CFD (fluido dinâmica computacional) para desenvolverem os carros que pode não ser barato, Mas sem dúvida é muito mais negócio do que ficar testando em um túnel de vento.

O CFD é o futuro, Não é questão de acabar com a tecnologia e sim de fazer o esporte sobreviver.

A Virgin de 2010 foi o primeiro carro totalmente desenvolvido por CFD.

Quanto aos Pneus de Aro 18, Não sei o que vai acontecer com eles, possivelmente a resistência deles deve ser os mesmos dos pneus aro 13. A Borracha deve ser um pouco mais resistente e deve diminuir um pouco a velocidade dos carros. Precisamos ver se os pneus serão bons para a Formula 1 a partir de 2021.

Redução da programação da Formula 1 eu acho acertada, Desde de que se tenha um treino livre de 2 horas de duração na sexta-feira, e desde que se der mais atenção as Categorias da Formula 2 e Formula 3, quando essas categorias corressem no final de semana. As entrevistas poderiam acontecer pela manha de sexta-feira e pela tarde poderia acontecer os treinos livres da Formula 2 e da Formula 3.

No Sábado pode acontecer um treino livre de 1 hora pela manhã da Formula 1 e depois os treinos da Formula 2 e Formula 3. Só ai na tarde fazer a classificação da Formula 1.

No domingo poderia começar com a prova da Formula 3 e depois da Formula 2. Daí você começa o procedimento de apresentação dos pilotos naqueles carros antigos para ai depois faz-se o procedimento dos pilotos irem para a pista, alinharem no grid para realizarem a corrida. Acredito que esse formato iria melhorar demais o final de semana. Na segunda-feira (Nas corridas que tiverem espaço de 15 dias para cima) poderia se fazer um teste de 4 horas para a Formula 1 e de 1 hora e meia para a Formula 2 e Formula 3 na pista que foi realizada a corrida no dia anterior.

Em outras palavras, Mudar vai mudar, vai ter mais competição? Eu espero muito, Mas não vai virar de penas ao ar. Provavelmente as melhores equipes hoje vão continuar no topo, Mas terão as equipes intermediárias mais perto delas e podendo até ter pódios de pilotos dessas equipes e até esporadicamente uma vitória de um deles num dia iluminado.

A Categoria poderá sobreviver e quem sabe novas equipes se juntem ao grid e novas fabricantes de motores venham a se juntar a categoria. É Preciso ter uma revolução na Formula 1 antes que seja tarde demais.

Esperamos que o Grid da Formula 1 volte a ser um Grid cheio a partir dos próximos anos.

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Formel1mic/Mercedes/Mclaren