GP da Inglaterra – MotoGP – Mundial de Motovelocidade 2022

Peppo Bagnaia que largou da quinta posição acabou conquistando a vitória na corrida de hoje, sobre o calor em Silverstone. Johann Zarco que largou na pole e liderou a prova até a queda no primeiro terço de corrida. Marevick Viñales chegou a lutar pela vitória com Bagnaia e acabou em 2º, seu melhor resultado pela Aprilla. Jack Miller completou o pódio.

Zarco larga muito bem e mantem a liderança, mas quem largou muito bem mesmo, foi Fabio Quartararo que pulou da 4ª para a segunda posição. Melhor que essa largada só foi a largada de Alex Rins que pulou da 11ª para a 5ªposição. Por outro lado, Marevick Viñales acabou recuando da 2ª para a 6ªposição.

Logo no começo Quartararo tentou superar Zarco, ainda mais porque precisava passar o piloto da Pramac, abrir vantagem para fazer a volta longa e voltar ainda na liderança, mas o próprio Quartararo (provavelmente por causa da Yamaha que não esta em nível da Ducati) não conseguia superar Zarco nas 3 primeiras voltas da prova. Sua tática foi para o saco. Alex Rins em grande começo de corrida passou Viñales e na terceira volta passou Bagnaia e assumiu a 4ªposição.

Não teve jeito, Quartararo teve que fazer a volta longa na 4ªvolta, no limite para cumprir essa punição, o francês cumpriu com eficiência essa punição e voltou na 5ªposição, logo a frente de Marevick Viñales.

Zarco liderava a corrida, com alguma tranquilidade, mas na 5ªvolta, o piloto francês foi para o chão na curva 8. A liderança passou a ser de Jack Miller, mas estava sendo muito pressionado por Alex Rins que não demorou muito para tomar a liderança. A Suzuki estava liderando a corrida após largar na 11ªposição e passar para a liderança após 6 voltas de corrida. Pouco tempo depois Francesco Bagnaia superou Jack Miller e assumiu a segunda posição, antes disso, Jorge Martin passou de 6º para 4º, primeiro passou Viñales e logo depois, passou Quartararo que não vinha muito bem com seus pneus médios.

Para a sorte de Quartararo, seu mais próximo rival na disputa do título, Aleix Espargaró também não vinha muito bem, acabava de perder o 7ºlugar para Joan Mir da Suzuki, as condições físicas do piloto não lhe eram nada favoráveis após o gravíssimo acidente no sábado. Zarco ainda voltou para a corrida, mas acabou parando voltas depois, ainda não chegou o dia da primeira vitória do bicampeão da Moto 2 (2015-2016) na categoria principal.

Chegando a metade da corrida, Alex Rins abre meio segundo a frente de Peppo Bagnaia. Jack Miller e Jorge Martin estavam perto dos dois primeiros colocados. Em 5º, Viñales tentava chegar no pelotão. Fabio Quartararo em 6º já vinha com mais dificuldades assim como Aleix Espargaró na 8ªposição, entre eles estava Joan Mir em tendência de crescimento na corrida. Os dois pilotos da KTM e Enea Bastianini disputavam a 9º, 10º e 11ºposições respectivamente.

Jorge Martin tentou o ataque em cima de Jack Miller que se manteve na frente. Enquanto isso, Bagnaia começava a atacar Rins. A luta se estendeu até o final do primeiro terço da 12ªVolta, foi quando Peppo passou Rins na reta oposta e assumiu a liderança. Nisso, Rins começava a ver Miller, Martin e Viñales pressionando a ele em busca da cobiçada segunda posição que esta com ele naquele momento.

Na 13ªVolta, Viñales supera Martin e assume a quarta posição. Mais atrás, Enea Bastianini começava a subir na classificação, Miguel Oliveira, Aleix Espargaró e Joan Mir em uma espaço de 3 voltas passando a ser o 7ºcolocado. A 6 voltas do final, Joan Mir cai na curva 6 e abandona a corrida, era mais um final de semana ruim para o campeão da temporada 2020.

Naquela altura da prova, Miller já tinha passado Rins que estava com dificuldades de se manter na última posição do pódio, pois Viñales vinha com uma moto melhor do que a Suzuki que tinha restado na pista. Mas dai, Jorge Martin consegue voltar pra cima de Viñales e recuperou a 4ªposição.

Na parte final da 16ªVolta, Enea Bastianini passa Fabio Quartararo e já se posicionava na 6ªposição. No final da volta seguinte, Viñales e Martin superaram Rins e ganharam a 3ª e 4ªposições respectivamente. Não satisfeito com a 3ªposição, Marevick Viñales chegou em Jack Miller e sem perda de tempo o piloto espanhol superou Jack Miller passando a 2ªposição.

Viñales acreditava que poderia vencer a corrida e ele poderia mesmo vencer a corrida, pois o piloto da Aprilla chegou em Bagnaia e tinha mais desempenho. Na curva 12, Viñales passou Bagnaia, mas perdeu a curva e permitiu que Peppo voltasse à liderança. Na volta final, Viñales perdeu um tempo na curva 1 e foi o suficiente para o piloto da Ducati abrir uma vantagem bastante para manter a liderança até a Bandeirada.

A vitória de Peppo Bagnaia levou o piloto da Ducati a subir a terceira posição do campeonato, baixando a vantagem de Quartararo para 49 pontos de vantagem. Além disso, foi a quarta vitória na temporada, dessa forma, Bagnaia se tornou o maior vencedor na temporada e com a melhor moto do grid ele ainda poderá disputar o título dessa temporada.

Marevick Viñales conquistou a segunda posição em uma grande corrida de recuperação após uma largara ruim por problemas não dele, mas pelo sistema pneumático que não tinha funcionado. É muito bom ver o piloto espanhol revigorado após um período tão difícil que foi entre o meio do ano passado e até algumas corridas passadas. Desde do GP da Alemanha já podemos ver um piloto bem melhor, muito mais motivado do que antes, do que nos tempos da Suzuki. Jack Miller não conseguiu completar a dobradinha da Ducati, pelo menos conseguiu manter a 3ªposição e fechou o pódio de forma bastante digna e competitiva.

Enea Bastianini fez uma corrida brilhante de recuperação, desde da largada na 13ªposição até o final da corrida quando conseguiu a 4ªposição. Nas curvas finais, Enea passou Jorge Martin e fechou com chave de ouro seu final de semana em Silverstone. Esse resultado se não definiu a definição de quem será o piloto da equipe oficial da Ducati para 2023 certamente ajudou bastante a Bastianini (com a Moto Ducati de 2021) a ficar com muita vantagem sobre Jorge Martin (com uma moto Ducati de 2022) que chegou na 5ªposição.

Miguel Oliveira mostrou um belo desempenho na corrida, levando a KTM a 6ªposição após superar Alex Rins nas voltas finais. O piloto Português mostrou serviço e o que certamente vai ajudar e muito a conseguir uma vaga na temporada de 2023. Alex Rins chegou a liderar a corrida e até com chances de vencer a prova, mas perdeu rendimento na segunda metade e acabou ficando com a frustrante 7ªposição.

Fabio Quartararo teve um dia difícil, a punição da volta longa não foi o maior problema dele na corrida, mas sim os pneus médios que não renderam bem no calor de domingo em solo britânico. Pelo menos, o líder do campeonato chegou na frente de Aleix Espargaró e ampliou em um ponto a sua vantagem na liderança do Mundial. Deve se ressaltar que foi uma corrida heroica de Aleix, com lesão nos pés pelo acidente de ontem. Não poderia esperar muito do piloto da Aprilla com esses problemas todos que aconteceram com ele.

Marco Bezzecchi fez uma corrida bem mais modesta do que em Assen, o que foi suficientemente boa para ficar na 10ªposição. Brad Binder não teve um final de semana muito bom e acabou com uma 11ªposição que nada ajudaram na disputa das primeiras posições do Mundial e dessa vez acabou perdendo feio para Miguel Oliveira. Luca Marini sem muito destaque acabou o dia na 12ªposição.

A Honda teve mais um dia terrível, o japonês Takaagi Nakagami da LCR Honda e Pol Espargaró da Honda Repsol salvaram alguns pontos para a fabricante, mas o que mostra é que a Honda não só não consegue andar como retrocedeu diante de todas as outras marcas da categoria principal. Franco Morbidelli completou a zona de pontuação, longe do desempenho do companheiro de equipe Fabio Quartararo.

Mais um capitulo do Mundial de Motovelocidade será realizada daqui a 2 semanas no circuito de Red Bull Ring na Áustria. A disputa do título esta em aberto e dessa vez com um piloto vindo lá de trás e que pode atropelar os dois primeiros colocados do campeonato.

Resultado Final da 12ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Inglaterra – Silverstone – 20 Voltas – MotoGP

pos Piloto Equipe Moto Tempo
1 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 40’10.2600
2 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia a 0.426
3 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati a 0.614
4 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati a 1.651
5 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati a 1.750
6 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM a 2.727
7 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 3.021
8 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 3.819
9 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia a 3.958
10 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati a 6.646
11 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM a 7.730
12 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati a 13.439
13 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 13.706
14 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda a 13.906
15 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 16.359
16 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 20.805
17 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda a 21.099
18 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM a 24.579
19 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda a 28.773
20 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 33.653
21 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM a 35.601
22 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati a 36.460
36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 6 Voltas – Acidente
5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati a 12 Voltas – Acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da Inglaterra – Sessão de Classificação – Mundial de Motovelocidade – MotoGP

Na MotoGP tivemos muitas disputas e uma surpreendente pole position do francês Johann Zarco da Pramac em Silverstone após superar os favoritos naturais como eram os pilotos da Ducati oficial, Fabio Quartararo e Aleix Espargaró.

Por falar no vice-líder do campeonato, esse ficou sobre risco de não participar da classificação e até mesmo da corrida, o piloto da Aprilla sofreu um gravíssimo acidente e acabou sendo atendido de forma totalmente inadequada pelos fiscais de pista. Esse procedimento errado poderia comprometer alguma suposta lesão que Aleix tivesse. Mas pelo menos Aleix apesar de ter sofrido com o acidente, acabou sendo considerado apto para disputar a classificação. Uma coisa que o ajudou é que ele já estava garantido no Q2.

Enquanto Aleix descançava para o Q2 os outros 14 pilotos já estavam disputando as 2 vagas para o povo da repescagem disputarem a fase final da sessão.

Franco Morbidelli começou bem com 1:59.415 com 4:10 de sessão, mas essa liderança durou até quando o motivado e animado Marco Bezzecchi tomou a primeira posição (marcando 1:59.392) após a primeira volta os dois estavam passando para o Q2. Alex Marquez acabou indo para o chão na sua segunda tentativa de volta. A situação na Honda era bem complicada para todos os pilotos.

Franco Morbidelli fez uma volta suficiente para recuperar a liderança a apenas 2 milésimos mais rápido que a volta anterior de Bezzecchi. A ilusão do ítalo-brasileiro acabou quando Enea Bastianini detona a marca da pole, fazendo um tempo meio segundo mais rápido (1:58.804). Começava o domínio do piloto da Gresini no Q1. Miguel Oliveira foi para segundo e tratou de tirar Franco da zona de classificação.

A 6 minutos do final, Bastianini e Miguel Oliveira carimbariam seus passaportes para o Q2. Morbidelli e Bezzecchi tentariam voltar à zona de classificação. Brad Binder, Fabio di Giannantonio, Remy Gardner, Stefan Bradl, Takaagi Nakagami e Darryn Binder. Raúl Fernández que tinha feito o 10ºtempo teve a volta cancelada.

Os pilotos começaram a voltar para a pista. Marco Bezzecchi vinha fazendo uma grande volta, mas acabou sendo atrapalhado por Stefan Bradl e por vários pilotos que estavam lentos na pista no último setor da pista. Brad Binder tomou o segundo lugar de Miguel Oliviera, quando faltavam 45 segundos do final.

Na reta final da sessão, Enea Bastianini sobra na turma e marca o tempo de 1:58.609 e conquista o primeiro tempo. Depois do cronometro zerar, Marco Bezzecchi pulou para segundo e puxa o tapete dos pilotos da KTM (1:59.756). Miguel Oliveira ainda ficou em 3º e Brad Binder acabou indo da classificação para o amargo 4ºlugar. Ao final da sessão, Bastianini e Bezzecchi voltam para os boxes com as vagas garantidas. Já o restante voltam para os boxes com as posições de grid definidas.

Resultado do Q1:

pos Piloto Equipe Moto Tempo
1 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 01’58.6090
2 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’58.7560
3 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’58.8530
4 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’58.9320
5 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’58.9480
6 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’59.1200
7 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’59.2880
8 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda 01’59.3390
9 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’59.3670
10 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’59.3900
11 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’59.6140
12 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’59.9200
13 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’59.9310
14 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 02’00.2320

Fabio Quartararo foi o primeiro a sair para a pista. O líder do campeonato tinha a pretensão de levar a pole, fazer um começo de corrida excecional e pagar a punição ainda com possibilidades de vitória na corrida de amanhã. Aleix Espargaró consegue voltar a sua moto e partir para a pista, mesmo com as dores estava disposto a levar a Aprilla para lutar pela pole.

Na primeira tentativa de volta, com 4:20 de sessão, Jorge Martin foi para a liderança com 1:58.377. Francesco Bagnaia marcou o 2ºtempo, seguido de Bezzecchi, Bastianini, Mir e Aleix Espargaró. Johann Zarco tomou a segunda posição, formando a dobradinha da Pramac.

Quartararo teve sua 1ªvolta cancelada, mas estava em ponto de bala na volta seguinte, muito forte para levar a pole e foi isso que aconteceu a 8:50 do final, o francês marcou o tempo de 1:58.259 e passou para a liderança. Parecia que iriamos ter mais uma pole do piloto da Yamaha. Porém, Miller melhora e vai para 2º a 1 milésimo de Quartararo. A primeira fila estava sendo completada por Marevick Viñales que vinha novamente desempenhando o seu papel

Enquanto isso, Aleix Espargaró voltou para os boxes, na 12ªposição, ele não aparentava ter condições físicas para pilotar, mas o piloto da Aprilla foi corajoso e voltou a batalha a 5:30 do final. O grid estava sendo formado com Quartararo na frente, seguido de Miller e Viñales na primeira fila. Jorge Marin e Johann Zarco estavam na 4ª e 5ªposições, seguidos de Alex Rins da Suzuki. Completavam a classificação do Q2: Bagnaia, Martin, Mir, Bezzecchi, Bastianini e Aleix Espargaró.

Aleix Espargaró tirou forças do nada, mesmo com as dores, a 1:40 do termino da sessão, o vice-líder do campeonato marcou uma brilhante volta (1:57.966) e assumiu a liderança. Essa poderia ser a volta da pole position, mas tinha mais briga… Um pega que a menos de 1 minuto do final, fez com que acontece quase 3 mudanças de liderança ao mesmo tempo, em questão de segundos, Fabio Quartararo, depois Jack Miller e finalmente Johann Zarco assumiu a liderança da sessão. O piloto da Pramac marcou 1:57.767.

A pole de Zarco chegou a ser ameaçada pela última tentativa de Viñales que se esforçou muito para colocar sua Aprilla em uma ótima segunda posição. Um grande salto já que o espanhol estava na 10ªposição a momentos do final da sessão.

Johann Zarco conquista a sua 8ªpole position da carreira, com a terceira posição do campeonato uma vitória na corrida de amanhã (que será a primeira na categoria principal) pode fazer o francês começar a almejar a disputa do título, lembrando que Zarco é o terceiro colocado no Mundial, 59 pontos atrás de Quartararo.

Marevick Viñales vai sair da segunda posição, esta de volta a disputa dos primeiros lugares e certamente como um dos candidatos a vitória na corrida de amanhã. Jack Miller completa a primeira fila após um bom desempenho. Para Fabio Quartararo, o 4ºlugar não é nada bom, pois não vai poder executar seu plano que estava planejado, terá que fazer a volta longa provavelmente não colocado na primeira posição e isso não é bom para a Yamaha, uma moto com dificuldades de acompanhar a potência das Ducati.

Francesco Bagnaia vai largar em 5º, muito ofuscado no dia de hoje por Zarco e por Miller. Aleix Espargaró teve a grande história do sábado, sofrendo um acidente gravíssimo e com dores nas pernas, o principal piloto da Aprilla conseguiu uma determinante 6ªposição, com muita garra o vice-líder do campeonato está no seu melhor momento de sua longa carreira.

Marco Bezzecchi e Enea Bastianini vieram do Q1 e fizeram bons trabalhos, o piloto da VR46 esta motivado pelo 2ºlugar no GP da Holanda e o piloto da Gresini luta pela vaga na equipe oficial da Ducati com o espanhol Jorge Martin da Pramac. Nessa disputa, Enea se saiu melhor e Martin vai largar na 9ªposição.

Luca Marini da VR46 e os dois pilotos da Suzuki, Rins e Mir fecham a 4ªfila. A corrida da MotoGP será a segunda do dia, a partir das 9 da manhã (Horário de Brasília).

Grid de Largada:

pos Piloto Equipe Moto Tempo
1 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati 01’57.7670
2 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’57.8650
3 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’57.9310
4 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’57.9380
5 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 01’57.9610
6 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 01’57.9660
7 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’58.1010
8 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 01’58.1060
9 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati 01’58.1740
10 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’58.3170
11 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’58.3180
12 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’58.5430
13 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’58.8530
14 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’58.9320
15 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’58.9480
16 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’59.1200
17 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’59.2880
18 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda 01’59.3390
19 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’59.3670
20 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’59.3900
21 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’59.6140
22 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’59.9200
23 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’59.9310
24 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 02’00.2320

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da Holanda – MotoGP – Mundial de Motovelocidade 2022

A categoria principal teve mais uma corrida com muitas histórias, com o domínio total de Francesco Bagnaia, pole no sábado e vencedor de ponta a ponta no domingo.

A classificação do Sábado aconteceu, com tempo nublado, com possibilidade de chuva (como aconteceu nos treinos livres) Começando com a repescagem, assim que disparou o cronometro todo mundo foi para a pista. Enea Bastianini já saia dos boxes com problemas em sua moto, rapidamente o piloto percebeu isso, encostou a moto titular na barreira e voltou aos boxes para pegar a moto reserva.

Com 3 minutos e 10 segundos de sessão, dos primeiros pilotos a marcarem volta, o sul-africano Brad Binder (1:32.754) fez muito melhor que Morbidelli (1:33.355) e Mir (1:33.469). Ainda na primeira tentativa, Remy Gardner faz uma boa volta e pula para segundo, Miguel Oliveira para 3º e Fabio di Giannantonio marca o quarto tempo. Enquanto que Bastianini espera a sua moto ficar pronta para entrar na disputa.

Com 4 minutos e 40 segundos, quase 1 terço de Q1, Morbidelli melhora e marca o terceiro tempo (1:33.190), mas seu tempo é superado por certa facilidade por Joan Mir que sobe para a segunda posição. A euforia do piloto da Suzuki durou poucos segundos, o português Miguel Oliveira fez uma volta impecável de 1:32.550, passando a liderança da sessão. Enea Bastianini finalmente entrou pela primeira vez na pista com quase 6 minutos de sessão.

Nessa altura, com 8 minutos do final, todo mundo foi para os boxes. Oliveira e Brad Binder estavam levando as duas vagas para o Q2, seguido de Joan Mir, Andrea Dovizioso que fez uma bela volta e pulou para a 4ªposição,  Gardner completa os 5 primeiros, seguido de Alex Marquez, Franco Morbidelli, Luca Marini, Fabio di Giannantonio, Lorenzo Savadori, Raúl Fernández, Stefan Bradl, Darryn Binder e Enea Bastianini que estava começando a sua volta rápida.

Bastianini foi para a sua primeira volta rápida, com um resultado nada animador, um 10ºlugar. Naquela altura da classificação (6 minutos do final do Q1). A maioria dos pilotos se não é que todos os pilotos já tinham voltado para a pista, mirando nas vagas do Q2 que estavam nas mãos dos dois pilotos da equipe oficial da KTM.

Joan Mir chegou a ir ao chão a 5:30 do final, mas conseguiu voltar e seguir em frente. Bastianini melhora e sai da 10ª e vai para 7ªposição. Os pilotos da KTM eram praticamente imbatíveis. Nos últimos minutos da sessão Luca Marini teve duas voltas muito boas, em uma delas dando um belo salto, da 10ª para a 4ªposição e na segunda volta o piloto da VR46 acabou ganhando mais uma posição, mesmo em terceiro lugar estava 2 décimos atrás de Brad Binder. Por falar no sul-africano, ele destronou Oliveira, ao marcar o tempo de 1:32.485 a 1:40 do final da repescagem. A poucos segundos do final, a dupla da Gresini (Di Giannantonio e Bastianini) marcaram bons tempos que o levaram a 5ª e 6ªposição.

Fechado o Q1, Brad Binder e Miguel Oliveira conquistaram as vagas para o Q2. Ou seja, sucesso total para a equipe oficial da KTM. Luca Marini fez um bom trabalho ao se colocar na 3ªposição, seguido de Joan Mir, Fabio di Giannantonio, Enea Bastianini (os dois pilotos da Gresini) e Andrea Dovizioso.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 1’32.485
2 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 1’32.550
3 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 1’32.787
4 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 1’32.898
5 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 1’32.912
6 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 1’33.005
7 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 1’33.009
8 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda 1’33.029
9 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 1’33.093
10 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 1’33.096
11 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 1’33.113
12 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia 1’33.467
13 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 1’33.652
14 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 1’33.998

Após o intervalo, começava em Assen a decisão da pole position. As atenções estavam voltadas para Aleix Espargaró, Fabio Quartararo e Peppo Bagnaia. Os dois primeiros lugares do campeonato e o piloto da Ducati que tinha pressionado por resultado. Caso Peppo zerasse nessa corrida, as suas chances de campeonato praticamente se reduziriam a zero.

Em apenas 1 minuto de sessão, todos já estavam na volta de aquecimento para o inicio do arranca rabo… Com 3 minutos e 10 segundos de sessão, Francesco Bagnaia marcou 1:32.330, um bom tempo, mas foi superado facilmente por 4 pilotos, sendo esses o espanhol Jorge Martin da Pramac o mais rápido, com 1:31.708 (Quebrando o recorde do circuito). Fabio Quartararo, Aleix Espargaró e Marco Bezzecchi e caiu para a 5ªposição.

Peppo Bagnaia buscava a recuperação e partiu para a segunda volta. De fato, o piloto principal da Ducati conseguiu evoluir para a 3ªposição (1:32.019) com quase 1 terço de sessão concluída. Jack Miller, Marco Bezzecchi e Aleix Espargaró foram para a 4ª, 5ª e 6ªposições. Lá na frente, Martin e Quartararo mantiveram suas posições.

Com 9:30 do final, todos os pilotos foram para os boxes, Martin estava conquistando a pole, com Quartararo e Bagnaia complementando a 1ªfila. Miller vinha em quarta, seguido de Bezzecchi, Aleix, Zarco, Viñales, Rins, Oliveira, Brad Binder e Nakagami.

Passada metade da sessão, Bagnaia e Bezzecchi voltam para a pista. 40 segundos depois, Miller volta à pista. Naturalmente os pilotos começaram a voltar para os minutos decisivos da classificação, sendo que Quartararo, Viñales e Zarco foram os últimos a saírem (com 5 minutos do final).

Peppo Bagnaia usou todo o potencial da sua Ducati para tomar a liderança da sessão, com uma bela volta de 1:31.504. Com 4:15 pela frente, todo mundo iria a caça do piloto italiano. Marco Bezzecchi foi logo atrás de Peppo e se beneficiou marcou um bom 4ºtempo (1:31.796). Aleix Espargaró fez uma volta melhor, mas não passou da 5ªposição.

A 3:15 do final, Jorge Martin foi para o chão na curva 5. A 2:15 do final, Miguel Oliveira marcou uma boa volta e foi para a 7ªposição e logo depois, Johann Zarco recuperou essa posição em questão de 5 segundos. Com moto capaz de evoluir mais, Jack Miller foi para o chão a 1:20 do final.

Faltando 15 segundos do final, Fabio Quartararo marcou 1:31.620, tempo que devolveu a 2ªposição. Depois disso, não houve mais mudanças significativas na classificação. A pole position terminou nas mãos de Francesco Bagnaia que passou para a liderança a 4 minutos do final acabou levando a nobre posição no grid de largada. Mesmo sem a pole, Fabio Quartararo estava satisfeito com a segunda posição, já que Aleix Espargaró, o seu mais próximo adversário na disputa do título só conseguiu a 5ªposição.

Na frente do piloto da Aprilla, vice-líder do Mundial, estava Jorge Martin da Pramac que liderou a maior parte da sessão e completaria a primeira fila e Marco Bezzecchi da VR46 o 4ºlugar do grid, seu segundo melhor resultado em classificação em seu ano de estreia na categoria rainha. Jack Miller, o outro piloto da equipe oficial da Ducati completa a segunda fila.

Johann Zarco abre a 3ªfila com sua Ducati Pramac, seguido de Miguel Oliveira da KTM e Alex Rins da Suzuki. Completando os 12 primeiros colocados, na 4ªfila estão Brad Binder da KTM, Marevick Viñales da Aprilla e Takaagi Nakagami da LCR Honda.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 1’31.504
2 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 1’31.620
3 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati 1’31.708
4 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 1’31.796
5 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 1’31.868
6 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 1’32.124
7 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati 1’32.175
8 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 1’32.272
9 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 1’32.307
10 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 1’32.367
11 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 1’32.424
12 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 1’32.967
13 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 1’32.787
14 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 1’32.898
15 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 1’32.912
16 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 1’33.005
17 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 1’33.009
18 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda 1’33.029
19 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 1’33.093
20 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 1’33.096
21 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 1’33.113
22 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia 1’33.467
23 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 1’33.652
24 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 1’33.998

Igualmente frio e igualmente nublado, o dia da corrida teve novamente domínio de Peppo Bagnaia, com a vitória e a sobrevivência na luta pelo título, até porque, Fabio Quartararo cometeu um erro que comprometeu totalmente seu final de semana. Aleix Espargaró foi prejudicado, mas obteve uma brilhante recuperação. Marco Bezzecchi conquistou seu primeiro pódio e Marevick Viñales ressurge e finalmente conquista um grande resultado pela Aprilla.

Largou bem Bagnaia e manteve a liderança. Já Quartararo tentou uma manobra ousada de passar o piloto da Ducati por fora na curva 1, como não conseguiu acabou perdendo posição para Aleix Espargaró que pulou bem na largada e ganhou 2 posições. Jorge Martin quase passou Quartararo estava na 4ªposição. Bezzecchi vinha em 5º seguido de Miller, Brad Binder, Nakagami, Viñales e Oliveira completando os 10 primeiros colocados.

Nas 2 primeiras voltas, Bagnaia, Aleix Espargaró e Quartararo começaram a se afastar dos demais pilotos. Jorge Martin vinha sendo pressionado por Marco Bezzecchi. Ao começar a 3ªVolta, o piloto da VR46 realizou a ultrapassagem e assumiu a 4ªposição.

Nessa mesma volta, Fabio Quartararo passou a pressionar Aleix Espargaró e começava a batalha entre os dois líderes do campeonato. O piloto da Yamaha esperava o momento certo para ultrapassar. No começo da 5ªvolta, o francês foi para a ultrapassagem, na curva 5 o francês caiu e Aleix Espargaró foi atrapalhado e teve de sair da pista e ir para a brita. O resultado desse erro não esperado foi que Aleix Espargaró caiu para a 15ªposição e Quartararo voltou a corrida, mas na última posição. Quem se beneficiou foi Francesco Bagnaia que tinha meio segundo de vantagem para Espargaró, mas com o incidente, a vantagem do líder para Marco Bezzecchi que assumiu a segunda posição é de 1.3 segundos. Jorge Martin vinha em terceiro, Brad Binder vinha em 4º, mas com Marevick Viñales colado no piloto da KTM.

Se a situação da Yamaha já estava bem ruim acabou piorando mais ainda, graças a queda de Franco Morbidelli na 8ªvolta da prova, o ítalo-brasileiro vinha na 23ªposição. Na metade da volta seguinte, Darryn Binder acabou destruindo a sua moto ao cair no chão. Já Fabio Quartararo acabou indo para os boxes, dava pinta de abandono, mas a equipe fez o francês voltar a corrida.

Aleix Espargaró estava na 13ªposição, o piloto da Aprilla precisava estar inspirado para obter uma grande corrida de recuperação e um grande resultado. Pelo menos era provável que Aleix conseguia tirar parte da desvantagem que ele do Quartararo.

Com o decorrer das voltas, Bagnaia continuava na frente, mas Bezzecchi e Martin começaram a diminuir um pouco a diferença para o piloto oficial da Ducati. Isso poderia não terminar bem para Peppo, da última vez que ele foi pressionado por um piloto de equipe satélite da Ducati. Na 11ªVolta, Marevick Viñales supera Brad Binder e pula para a 4ªposição, já demonstrando que esta mais adaptado a pilotar uma Aprilla e podendo ajudar a equipe no campeonato de construtores e de equipes.

Na entrada da 12ªVolta, Aleix Espargaró subiu para a 12ªposição após passar Fabio di Giannantonio. Na volta seguinte, Aleix tirou 0.8 segundos dos 1.2 que Bastianini tinha de vantagem. Ao chegar a volta 13, Fabio Quartararo caiu pela segunda vez e na mesma curva 5. Fim de corrida para o líder do campeonato era a chance para os seus rivais de tirar parte da vantagem que o piloto da Yamaha tem na liderança do campeonato.

Bagnaia voltou a abrir vantagem para Bezzecchi e os demais pilotos do primeiro pelotão (Martin, Viñales, Binder e Miller). Já o japonês Takaagi Nakagami tomou punição de volta longa por ter cortado a chicane. Isso não era nada bom para o melhor piloto com uma moto da Honda nesse final de semana.

Na 16ªVolta, Nakagami paga a punição e cai para a 11ªposição. Quem agradece é Aleix Espargaró que entrou no Top 10 .  A frente do piloto da Aprilla, Zarco e Mir duelavam pela 9ªposição, numa batalha muito interessante que acabou com vantagem para o piloto da Suzuki. Aleix aproveitou e também superou o piloto da Pramac e no final da mesma 16ªvolta, passou Joan Mir e assumiu a 8ªposição. Momento genial de Aleix Espargaró que ganhou 3 posições em apenas 1 volta.

Lá na frente, Viñales foi para cima de Jorge Martin e sem muita cerimonia ultrapassou o piloto da Pramac na entrada da chicane e passou a ser o terceiro lugar no final da 17ªvolta. Poderia Marevick conquistar seu primeiro pódio pela Aprilla. Por outro lado, Martin foi superado por Binder e Miller, caindo para a 6ªposição em apenas meia volta. A 8 voltas do final, Viñales e Martin foram advertidos por saírem do limite da pista, não poderiam fazer isso de novo ou seriam punidos com a volta longa.

A 7 voltas do final, Aleix Espargaró passa Miguel Oliveira e subiu para a 7ªposição. Uma recuperação muito boa para o piloto da Aprilla, mas se Aleix se esforçasse um pouco mais, poderia dar para ganhar mais uma ou talvez duas posições. Lá na frente, Jack Miller parte para o ataque em cima de Brad Binder, luta valendo a 4ªposição entre os futuros companheiros de equipe na KTM. A batalha dura por 1 volta, foi quando Miller passou por Binder e subiu para a 4ªposição.

Lá na frente, Bagnaia vinha firme e forte na frente. Bezzecchi da VR46 e Viñales da Aprilla vinham conseguindo os seus melhores resultados da temporada, mas Viñales precisava ficar atento com Jack Miller que vinha mais rápido e cada vez mais perto dele.

A 2 voltas do final, Miller chega e começa a atacar forte Viñales, enquanto que Aleix Espargaró passou a pressionar Jorge Martin na busca pela 6ªposição. No final da volta, Miller chega na chicane, passa Viñales, mas toma o X do próprio Viñales que se consolida na 3ªposição. Já Jack Miller ficou mais para Brad Binder na volta final.

Francesco Bagnaia fechou com chave de ouro seu final de semana perfeito, cruzou a linha de chegada e venceu de ponta a ponta o GP da Holanda. Esse resultado faz Peppo se recuperar de 2 quedas seguidas (Espanha e Alemanha) e de voltar a disputa do campeonato.

Se a vitória de Bagnaia já era esperada e previsível em Assen, os outros dois lugares no pódio foram conquistados de maneira surpreendente por dois pilotos que estão fora da lista dos favoritos a vitória. A começar pelo grande final de semana de Marco Bezzecchi da VR46, uma corrida segura, largando na frente e com um bom rendimento que o fez evoluir e manter até o final a segunda posição, conquistando assim o primeiro pódio da equipe de Valentino Rossi na MotoGP.

E Fechando o pódio, o espanhol Marevick Viñales da Aprilla, conquistando seu primeiro pódio pela marca italiana, no mesmo local onde a 1 ano atrás, o próprio Viñales conquistava seu último pódio com a moto da Yamaha. Após a demissão da Yamaha e desde da contratação da Aprilla é que Viñales não tinha tido grandes destaques, mas nas duas últimas corridas vimos um Viñales andando muito bem, um outro piloto em relação ao que era no começo da temporada.

Seu companheiro de equipe Aleix Espargaró fez uma última volta sensacional, no começo da volta passou Jorge Martin, mas ele não estava satisfeito, queria mais e foi buscar Jack Miller e Brad Binder e acabou na curva antes da chicane passando os dois de uma só vez. Uma manobra brilhante que fez Aleix chegar na 4ªposição após ter sido atrapalhado por Quartararo, de ter de sair da pista, caído para o 15ºlugar, a corrida de recuperação do piloto da Aprilla foi belíssima, 13 pontos que o ajudarão na disputa do título.

Nessa manobra dupla de Aleix Espargaró, o prejudicado foi Jack Miller que ainda perdeu o 5ºlugar para o regular Brad Binder que vem conquistando resultados bons o bastante para colocar-lo nas primeiras posições no campeonato. Miller que poderia ter ganho um pódio acabou ficando em uma  frustrante 6ªposição. Jorge Martin fez uma corrida abaixo do esperado e ficou na 7ªposição.

Já longe de disputar a vitória, Joan Mir superou Miguel Oliveira na reta final da corrida para ganhar a 8ªposição do piloto Português da KTM, um resultado modesto para a Suzuki e também modesto para Oliveira que esta nitidamente 1  degrau abaixo dos desempenhos do companheiro de equipe. Alex Rins completou o Top 10 sem qualquer destaque.

Em 11ºlugar, Enea Bastianini fez uma corrida correta, mas já sem o impacto do começo da temporada e das primeiras corridas da temporada. 12ªposição para Takaagi Nakagami, o japonês fez o que pode, mas a Honda não lhe dá condições dos seus pilotos fazerem boas corridas, a moto totalmente feita para o estilo de pilotagem de Marc Marquez em detrimento dos outros pilotos com esse equipamento.

Corrida decepcionante para Johann Zarco que lhe rendeu a 13ªposição, quebrando a boa sequência de resultados que o terceiro lugar do campeonato teve (França, Itália, Catalunha e Alemanha) incluindo 2 pódios nas 2 últimas corridas. Fabio di Giannatonio da Gresini e Alex Marquez (Que acertou a sua ida para a Gresini para a próxima temporada) completaram a zona de pontuação.

A MotoGP vai voltar no dia 7 de Agosto, no tradicional circuito de Silverstone para a realização do GP da Inglaterra . Quartararo vem na liderança do Mundial, a 21 pontos de frente para Aleix Espargaró da Aprilla, seu mais próximo adversário na disputa do campeonato. 225 pontos estão em jogo e não tem nada definido ainda de quem vai levar o título de campeão da Categoria Rainha.

Resultado Final da 11ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Holanda – Assen – 26 Voltas – MotoGP

pos piloto equipe moto tempo
1 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 40’25.2050
2 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati a 0.444
3 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia a 1.209
4 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia a 2.585
5 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM a 2.721
6 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati a 3.045
7 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati a 4.340
8 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 8.185
9 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM a 8.325
10 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 8.596
11 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati a 9.783
12 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 10.617
13 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati a 14.405
14 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati a 17.681
15 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda a 25.866
16 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 29.711
17 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati a 30.296
18 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda a 32.225
19 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM a 34.947
20 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia a 35.798
25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM a 8 voltas – Mecânico
20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 15 voltas – Acidente
21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 18 voltas – Acidente
40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 18 voltas – Acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da Alemanha – MotoGP – Mundial de Motovelocidade 2022

O Grande Prêmio da Alemanha consagrou Fabio Quartararo que conquistou a 3ªvitória na temporada e consolidou o francês na liderança do campeonato. Seus rivais, não conseguiram chegar nem perto do piloto da Yamaha. Após a classificação da Moto 3, a categoria rainha teve um atraso de uns 20 minutos para a realização do 4ºtreino livre. Após os últimos acertos dos pilotos e que foi disputado à repescagem. 13 pilotos disputariam 2 vagas para o Q2. Alex Rins não iria correr, ainda em consequência de dores por causa da queda no GP da Catalunha.

Fabio di Giannantonio e Darryn Binder foram os primeiros a entrarem na pista. Remy Gardner e Franco Morbidelli foram logo atrás. Sachsenring era uma pista curta, principalmente para uma Moto de 1000 cilindradas. Por isso que as primeiras marcas foram marcadas com menos de 3 minutos de sessão. Nessa história, Fabio di Giannantonio começou muito bem com a marca de 1:20.503, seguido de Remy Gardner e Franco Morbidelli. Era um bom começo para o filho de Wayne Gardner com sua KTM da Tech 3.

Fabio di Giannantonio foi para uma segunda volta e melhora em quase 2 décimos sua marca (1:20.307), colocando imensa vantagem de 7 décimos para Franco Morbidelli da Yamaha. O Ítalo-brasileiro foi superado por vários pilotos que fizeram voltas muito rápidas. Pol Espargaró passou a segunda posição com 1:20.703, seguido de Marco Bezzecchi, Alex Marquez, Enea Bastianini e Stefan Bradl. Franco caiu para 7ªposição. A Temporada de 2022 tem sido um inferno astral para o piloto da Yamaha.

Após a segunda volta, todo mundo foi para os boxes a 9 minutos do final. Mesmo com muito tempo pela frente, Fabio di Giannantonio estava sobrando na turma, com muita vantagem sobre os demais pilotos.

Andrea Dovizioso voltou mais cedo para a pista, tentando sair da última posição. Marco Bezzecchi sai para os boxes a menos de 6 minutos do final. Um minuto depois, os dois pilotos da KTM (Brad Binder e Miguel Oliveira) foram para a pista novamente, tentando sair das últimas posições.

Enquanto a pista voltava a ficar cheia de pilotos, Marco Bezzecchi foi buscar o segundo lugar a 3:20 do final, o piloto da VR46 fez 1:20.600. Com vários pilotos voltando a pista e em volta de aquecimento, Bezzecchi foi atrapalhado na volta seguinte e não pode melhorar sua volta.

Ninguém conseguiria mexer na posição de Fabio di Giannantonio, mas ainda dava para tirar Bezzecchi do Q2. Em uma belíssima volta, Miguel Oliveira da um pulo enorme e passa da 10ª para a 3ªposição, a 56 milésimos do piloto da VR46. O Português foi para a última volta, assim como Brad Binder que marcou o 5ºtempo e como todos os outros pilotos.

Na última tentativa, Bezzecchi erra e dá a chance para outros pilotos tomarem seu lugar. No apagar das luzes do Q1, Pol Espargaró marca uma belíssima volta, mas fica a 4 milésimos de Bezzecchi, ficando com o 13ºlugar no Grid de largada. Ao final da repescagem, Fabio di Giannantonio da Gresini passou com facilidade em 1º, seguido de Marco Bezzecchi que suou até o final para ficar com a segunda vaga. Pol, Miguel Oliveira e Brad Binder ficaram pelo caminho, assim como Alex Marquez, Enea Bastianini e o restante da turma que se encerra em Darryn Binder da RNF Racing.

Resultado do Q1:

1 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’20.3070
2 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’20.6000
3 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’20.6040
4 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’20.6560
5 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’20.7570
6 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’20.8880
7 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 01’20.9050
8 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda 01’20.9080
9 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’20.9650
10 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’21.0200
11 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’21.0890
12 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’21.3220
13 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’21.3220

Uma repescagem dominada totalmente por Di Giannantonio. Tivemos 10 minutos de intervalo para a fase final da classificação. 5 dos 12 pilotos partiram para a pista (Aleix, Mir, Marini, Fabio di Giannantonio e Bezzecchi). Os 2 favoritos a pole: Francesco Bagnaia e Fabio Quartararo foram os últimos a saírem para a pista junto de Marevick Viñales.

Com quase 3 minutos de sessão percorrida, Aleix Espargaró marcou 1:20.413 e fincou lugar na primeira posição, seguido de Fabio di Giannantonio que estava embalado com a ótima performance no Q1. Aleix manteve a liderança até que Francesco Bagnaia em uma grande volta tomou a ponta com 1:20.098.

Com 4 minutos e 10 minutos de sessão, Aleix Espargaró melhora um pouco seu tempo (1:20.379). Luca Marini chegou perto de Aleix ao marca 1:20.425.  30 segundos depois, Jack Miller (1:20.154) e Jorge Martin (1:20.277) passaram Aleix Espargaró e passaram a 2ª e 3ªposições. O líder do campeonato, Fabio Quartararo teve a primeira volta cancelada e sua segunda volta não foi animadora levando o francês ao 6ºlugar.

Com 9 minutos pela frente, a Ducati tinha toda a primeira fila nas suas mãos, com Bagnaia na frente, Miller e Martin completando a primeira fila. Aleix vinha em 4ºlugar com sua Aprilla, seguido de Luca Marini da VR46 e Fabio Quartararo com sua Yamaha. Di Giannantonio, Zarco, Nakagami, Mir, Viñales e Bezzecchi completavam a classificação do Q2.

A menos de 9 minutos do final, Bagnaia e Mir saíram para a segunda tentativa. Após a volta de aquecimento, Peppo disposto a consolidar a pole partiu para uma melhor volta e conseguiu a 5:20 do final da sessão, mas foi uma melhora de apenas 34 milésimos (1:20.064). Para Mir, a tentativa não valeu muita coisa, não conseguiu passar da 10ªposição. Nessa altura, alguns pilotos não só já tinham voltado para a pista, mas também já começaram a partir para volta rápida, como era o caso de Aleix Espargaró.

A menos de 4 minutos do final, Peppo Bagnaia baixa seu tempo, dessa vez uma melhora significativa para 1:19.931, deixando a vida de seus concorrentes muito mais difícil. A 3:10 do final, Aleix Espargaró com 1:20.120 e Fabio di Giannantonio (8 milésimos mais lento que Aleix) pularam para a 2ª e 3ªposições.

Fabio Quartararo estava em uma situação difícil, ele partiu para uma nova volta para tentar melhorar a sua precária posição no Grid de largada. A volta se mostrava ser uma volta complicada, mas o francês conseguiu uma grande melhora no último setor e acabou passando para a segunda posição (1:20.093). Mas essa segunda posição foi tomada pelo compatriota Johann Zarco, a 1:55 do final o piloto da Pramac marcou 1:20.038.

Quartararo precisava fazer mais uma volta para reaver a segunda posição. A 1 minuto do final, o piloto da Yamaha marcou 1:20.007 e recuperou a segunda posição, mas a pole position acabou ficando mesmo com Francesco Bagnaia com sua Ducati, o italiano foi o dominador do dia, liderando praticamente todo o Q2.

Fabio Quartararo conseguiu se colocar em uma ótima segunda posição, suas duas últimas voltas foram salvadoras e levaram o piloto da Yamaha a sair de uma posição incomoda de ficar fora da primeira fila. Johann Zarco da Pramac completa a primeira fila, uma boa classificação do piloto francês que ainda buscava a primeira vitória na MotoGP.

Após a falha na Catalunha, Aleix Espargaro buscaria a recuperação largando da 4ªposição.  Depois de excelente repescagem, Fabio di Giannantonio fez um excelente Q2 e vai largar na 5ªposição, sendo a segunda vez que o italiano larga entre os 5 primeiros colocados. Jack Miller, outro representante da Ducati vai fechar a 2ªfila.

Luca Marini, piloto que esta mostrando evolução nesse percorrer de temporada vai largar em 7º, abrindo a 3ªfila. Jorge Martin chegou a aparecer na 3ªposição, mas ficou para trás e teve que se contentar em partir da 8ªposição, muito atrás do companheiro de equipe. Marevick Viñales melhorou um pouco no final e garantiu a última posição da 3ªfila. Completando a classificação do Q2, Takaagi Nakagami da LCR Honda, Marco Bezzecchi da VR46 e Joan Mir, único representante da Suzuki no GP da Alemanha.

Grid de largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 01’19.9310
2 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’20.0070
3 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati 01’20.0300
4 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 01’20.1200
5 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’20.1280
6 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’20.1500
7 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’20.1680
8 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati 01’20.2190
9 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’20.4680
10 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’20.5620
11 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’20.5930
12 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’20.7320
13 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’20.6040
14 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’20.6560
15 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’20.7570
16 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’20.8880
17 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 01’20.9050
18 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda 01’20.9080
19 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’20.9650
20 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’21.0200
21 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’21.0890
22 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’21.3220
23 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’21.3220

Se o sábado foi dominado pelo Francesco Bagnaia, o domingo acabou sendo bem diferente, Fabio Quartararo com uma grande largada e com uma condução impecável levou o piloto da Yamaha a sua terceira vitória na temporada e a consolidação da liderança do campeonato.

Na largada, Quartararo larga melhor que Bagnaia e assume a liderança na entrada da curva 1. Outra ultrapassagem no começo de corrida, Aleix Espargaró passou Johann Zarco e assumiu a terceira posição. Fabio di Giannantonio manteve o 5ºlugar seguido de Jack Miller que precisava pagar uma volta longa, Luca Marini, Marevick Viñales, Takaagi Nakagami e Jorge Martin completando os 10 primeiros colocados.

A partir daquele momento, Peppo Bagnaia foi para cima de Fabio Quartararo, de forma intensa para recuperar a liderança da prova. Na segunda volta, o piloto da Ducati passa, mas Quartararo recuperou a 1ªposição. Na 4ªvolta a disputa terminou com a queda de Peppo, novamente o piloto da Ducati abandonava a corrida, segundos depois, Joan Mir caiu praticamente na mesma curva e terminava ai o final de semana da Suzuki.

A partir dai, começou o domínio de Quartararo na ponta, seguido de Johann Zarco que superou Aleix Espargaró e passou a ser o segundo depois da queda de Peppo. Os dois pilotos da Aprilla vinham na terceira e Quarta posições, com Aleix na frente de Marevick Viñales com um belo começo de corrida, ganhando 5 posições e demonstrando esta já mais adaptado a moto italiana. Jack Miller cumpriu a punição da volta longa e voltou na 7ªposição, atrás de Fabio di Giannantonio e Jorge Martin. Binder, Marini e Nakagami completavam os 10 primeiros colocados.

Enquanto Quartararo abria 1.2 segundos de Zarco, Takaagi Nakagami foi para o chão na metade da 7ªvolta, começaria o dia de terror da Honda em Sachsenring. Na mesma volta, a LCR Honda perderia Alex Marquez com problemas mecânicos e deixaria a corrida alemã.

Lá na frente, Quartararo e Zarco já estavam abrindo vantagem para Aleix Espargaró e Viñales. Um pouco mais atrás, Jack Miller marcava pressão em cima de Fabio di Giannantonio. Era claro que o piloto da Gresini estava segurando o australiano. A batalha pela 5ªposição durou até a 14ªVolta, quando Miller superou di Giannantonio, tomou o 5ºlugar e começou a tirar a diferença de quase 2 segundos para Aleix e Viñales, os dois brigavam pela 3ªposição, com o piloto espanhol parecendo ter mais rendimento que o vice-líder do campeonato.

Enquanto isso, Fabio Quartararo e Johann Zarco estavam bem a frente dos demais pilotos. Na metade da corrida, muito pouca disputa de posição. A 13 voltas do final, Jack Miller chegou nos dois pilotos da Aprilla. Para ganhar o pódio, Miller precisava passar por Viñales, mas não precisou de muita disputa, tudo por causa de problemas mecânicos na moto de Viñales que facilitou a vida do piloto da Ducati, passando a ser o 4ºcolocado. Logo que ganha essa posição, Jack Miller passa a pressionar Aleix Espargaró na luta pelo pódio.

Fabio di Giannatonio voltou a 5ªposição, mas estava muito pressionado por Jorge Martin e Luca Marini. Com melhor desempenho, Martin passou o piloto da Gresini no final da 21ªVolta. Pouco depois, Marini e Brad Binder também superaram Di Giannantonio que caiu para a 8ªposição.

Com Quartararo na liderança, 3 segundos a frente de Zarco, que por sua vez vinha em uma tranquila segunda posição (quase 6 segundos de vantagem para Aleix e Miller). A briga da corrida era pelo pódio entre Aleix Espargaró e Jack Miller nas voltas finais do GP da Alemanha. Enquanto isso, Luca Marini passou Jorge Martin e faturou a 5ªposição, um bom resultado para o piloto da VR46.

Jack Miller por duas vezes passou Aleix Espargaró e tomou o x em ambas as vezes na curva 1. Parecia que o piloto da Aprilla conseguiria resistir a pressão e ficar com o lugar no pódio, mas a no começo da antepenúltima volta, Aleix errou a curva, espalhou na curva 1 e Miller passou para a 3ªposição. Luca Marini se aproximou do piloto da Aprilla com alguma esperança de pegar o 4ºlugar.

Fabio Quartararo não teve qualquer susto para conquistar a vitória, a 3ª na temporada e a garantia de terminar a primeira parte da temporada na liderança do Mundial. O francês abre 34 pontos de frente para Aleix Espargaró. Mesmo com os problemas da Yamaha, Quartararo esta em um grande momento e tem tudo para conquistar o bicampeonato da categoria.

Johann Zarco fez um ótimo final de semana, largando na primeira fila, andando muito bem durante todas as 30 voltas e conquistando pela segunda vez a segunda posição na temporada. Curiosiamente as 2 vezes que Zarco ficou em 2º o vencedor foi Fabio Quartararo e foi também a 2ªdobradinha francesa em 2022.

Jack Miller se redimiu das péssimas atuações na Itália e Catalunha, conquistou uma importante 3ªposição. O australiano que vai rumar para a KTM na temporada de 2023 precisa buscar sair da Ducati pelo menos com uma boa impressão e ajudando o time a ganhar o campeonato de equipes e de fabricantes.

Aleix Espargaró tem outro resultado a lamentar, em 4ºlugar, perdendo o pódio por causa de outro erro dele. Os erros nas corridas da Catalunha e da Alemanha levaram Aleix a perder 12 pontos que podem fazer muita falta no final do campeonato. Fabio Quartararo é que agradece por esses pontos jogados fora pelo piloto da Aprilla.

Luca Marini teve o seu melhor desempenho na temporada ao conquistar a 5ªposição e por ter sido constante na disputa pelas primeiras posições em toda a corrida. Para completar, Luca na reta final superou Jorge Martin da Pramac, o 6ºcolocado na classificação final, muito abaixo do desempenho de Johann Zarco. Em mais uma corrida regular, Brad Binder leva a sua KTM a 7ªposição, é a 9ªcorrida em que o guepardo sul-africano chega na zona de pontuação, com essa regularidade, Binder consegue estar na 5ªposição do Mundial de Pilotos.

Fabio di Giannantonio teve um bom final de semana, sem dúvida esta começando a se adaptar a MotoGP e o final de semana em Sachsenring foi seu melhor final de semana da temporada, com uma ótima classificação e uma boa corrida, guardadas as condições de uma moto Ducati do ano passado e por ser estreante na categoria 8ºlugar é um ótimo resultado. Sem grandes destaques, Miguel Oliveira da KTM e Enea Bastianini com a outra Ducati da Gresini completaram as 10 primeiras posições.

Em 11º chegou Marco Bezzecchi que não teve um dos melhores dias, seguido de Raúl Fernández, esse sim teve uma boa corrida, com uma moto e com uma equipe ruim e sendo novato assim como Remy Gardner, podemos dizer que o vice-campeão da Moto 2 de 2021 fez o que era possível nesse final de semana. Em 13ºlugar, Franco Morbidelli teve mais um desastroso final de semana, muito apagado e bem longe dos melhores dias na MotoGP.

Os últimos pilotos na zona de pontuação foram Andrea Dovizoso da RNF Racing e Remy Gardner com sua Tech 3. Os dois chegaram muito na frente do alemão Stefan Bradl, 16ºcolocado com a única moto da Honda a chegar ao final da corrida. Com esse resultado, a fabrica japonesa não pontua pela primeira vez na categoria principal desde de 1982. Sem dúvida, esse e o auge da crise, sem seu principal piloto e sem uma moto competitiva para os seus outros pilotos, tudo esta se encaminhando para a pior temporada da história recente da Honda.

Resultado Final da 10ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Alemanha – Sachsenring – 30 Voltas – MotoGP

pos piloto equipe moto tempo
1 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 41’12.8160
2 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati a 4.939
3 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati a 8.372
4 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia a 9.113
5 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati a 11.679
6 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati a 13.164
7 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM a 15.405
8 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati a 15.851
9 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM a 19.740
10 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati a 21.611
11 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati a 23.175
12 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM a 26.548
13 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 29.014
14 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 30.680
15 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM a 30.812
16 6 Stefan Bradl Repsol Honda Team Honda a 52.040
44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda a 8 Voltas – Fisico
12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia a 11 Voltas – Mecânico
73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda a 24 Voltas – Acidente
30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 24 Voltas – Motor
40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 25 Voltas – Acidente
36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 27 Voltas – Acidente
63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati a 27 Voltas – Acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da Itália – MotoGP – Mundial de Motovelocidade 2022

Tudo pronto para a Classificação em Mugello. Porém, a chuva apareceu a partir do 2/3 do 4ºtreino livre, um fator que complicaria muito a situação para a disputa da pole position. Todas as cartas ficaram mais e mais embaralhadas.

Com 26 pilotos, o GP da Itália será a etapa com maior competidora nesse ano na categoria principal. Os pilotos Michele Pirro com a Aprilla e Lorenzo Savadori da Aprilla eram os convidados desse final de semana.

Todo mundo foi para a pista de imediato. Com 4:20 de sessão, começou os primeiros tempos a serem marcados. Os pilotos Miguel Oliveira da KTM e Jack Miller da Ducati saíram na frente, seguido de Fabio di Giannantonio, Joan Mir e Michele Pirro.

Na segunda tentativa, Marc Marquez, o Formiga atômica marcou o 4ºtempo, mas logo foi superado por Joan Mir. A 8:35 do final, Franco Morbidelli faz uma boa volta e passa a ser o terceiro colocado. A pista começaria a melhorar, foi o bastante para Brad Binder marcar o tempo de 1:52.402. O guepardo sul-africano colocou 3 segundos no segundo colocado, mas foi a senha para os demais partirem para novas voltas rápidas.

Jack Miller foi para os boxes e troca de moto e volta a pista. Certamente com uma moto ajustada para uma pista mais seca ou menos molhada. Com menos de 4 minutos do final do Q1, Michele Pirro faz um tempo próximo da marca de Binder e sobe para segundo.

Mas nada estava decidido pois Marc Marquez, Jack Miller e Fabio di Giannantonio lutam na pista pela melhor volta, nessa disputa foi o piloto da Honda que levou a melhor e assumiu a liderança a 2:10 do final (1:48.843). Miller passou para segundo e Di Giannantonio vinha em 3º. Michele Pirro foi para 4º, todos eles tinham uma chance ainda de marcar uma volta rápida. Binder e Remy Gardner completavam os 6 primeiros.

Nos segundos finais, Marc Marquez e Jack Miller disputavam o melhor tempo mais uma vez e mais uma vez foi o piloto da Honda que levou a melhor sobre seu adversário, com 1:48.240 contra 1:48.318 do piloto da Ducati, mas veio um furação chamado Fabio di Giannantonio com sua Ducati de 2021 e colocou os cronômetros abaixo a 20 segundos do final, com 1:47.649.

Ainda havia uma última chance para todos, mas para Brad Binder a classificação acabou, o 3ºlugar marcado o tirava do Q2. Quem tinha alguma esperança de passar era o companheiro de Brad Binder, o português Miguel Oliveira foi para 2º com 1:48.231. Nos momentos finais, Fabio di Giannantonio com 1:47.219 e Marc Marquez com 1:47.294 acabaram com as 2 primeiras posições e terminaram com as vagas na repescagem. Jack Miller e Michele Pirro ficaram pelo caminho, assim como todo o resto do pelotão… Miguel Oliveira, Brad Binder até o italiano Andrea Dovizioso da RNF Racing.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’47.219
2 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 01’47.294
3 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’47.621
4 51 Michele Pirro Aruba.it Racing Ducati 01’48.209
5 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’48.231
6 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’48.255
7 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’48.732
8 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’48.846
9 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’48.907
10 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’49.471
11 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’50.266
12 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia 01’50.270
13 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’55.369
14 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’56.479
15 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’57.106
16 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’57.671

Durante o intervalo entre o Q1 e o Q2, Raios e trovões caíram antes da decisão da pole position, mas esses raios eram o pressagio ruim para um dos pilotos da Honda. Alguns pilotos ficaram esperando o cronometro disparar para entrarem na pista, inclusive Marc Marquez.

Na curva 2, Marquez cai de forma muito estranha e sua moto vazou combustível e ela chegou a pegar fogo por alguns momentos. Todo o combustível acabou vazando naquele local e foi inevitável que a direção de corrida acabou acionando a bandeira vermelha a 13:50 do final da sessão. O Acidente que Marc Marquez teve foi fundamental para a decisão dele mesmo de operar o ombro pela 4ªvez, mas nesse caso seria nos Estados Unidos que iria acontecer essa operação. Só esperamos que Marc Marquez volte a esta em plena forma o mais rápido possível.

Após quase 20 minutos, a sessão recomeçou com os pilotos da VR46 e Fabio Quartararo como os primeiros a partirem para a pista. Marc Marquez saiu com 2 minutos e meio de sessão, mas voltou para os boxes, estava sem confiança nenhuma.

Após a primeira volta, Fabio di Giannantonio marcou 1:49.124 e saiu na frente, seguido do Nipônico Takaagi Nakagami da LCR Honda e de Johann Zarco da Pramac. A tendência era a melhora das voltas a medida que a pista melhorasse.

Fabio di Giannantonio melhora seu tempo para 1:41.163, colocando 1 segundo de Marco Bezzecchi e 1.4 segundos sobre Luca Marini. O piloto da Gresini vinha muito forte como nunca esteve na sessão de classificação. A 6:15 do final, Fabio di Giannantonio coloca o tempo mais para baixo ainda, com 1:46.907. Marco Bezzecchi chegou a se posicionar na 2ªposição, a meio segundo do líder. Porém, Francesco Bagnaia passou o piloto da VR46 ao marcar o tempo de 1:47.305.

A 5 minutos do final, Marc Marquez cria corarem de voltar para a moto para tentar algo mais do que a 12ªposição. Marco Bezzecchi retornou a segunda posição a 4:35 do final, com o tempo de 1:47.220, mas ainda assim longe do tempo de Fabio di Giannantonio.

A liderança só mudou de mãos após uma brilhante volta de Johann Zarco (1:46.875) que o levou para a liderança a menos de 3 minutos do final. Era a primeira vez que di Giannantonio estava atrás de alguém de um pouco na sessão.

A 45 segundos do final, Peppo Bagnaia assumia a primeira posição ao marcar 1:46.471, deixando Zarco para trás. Luca Marini, Fabio Quartararo e Takaagi Nakagami fizeram boas voltas e passaram a 3ª,4ª e 5ªposições. A menos de 30 segundos do final, Fabio di Giannantonio recuperou a pole ao marcar 1:46.410.

Depois do cronometro zerado, Marco Bezzecchi e Luca Marini passaram as duas primeiras posições. A VR46 tinha tudo para levar a pole position, logo em um GP da Itália, na casa de Valentino Rossi. Mais no último momento, Fabio di Giannantonio tomou a liderança e conquistou a primeira pole na categoria principal. Um resultado que nem em nenhuma das 7 primeiras corridas do ano Fabio chegou perto de conseguir isso. Um brilhante resultado do piloto e da equipe Gresini que vem fazendo uma temporada surpreendente.

A primeira fila será completada pelos dois pilotos da VR46, Marco Bezzecchi com a moto Ducati de 2021 superou Luca Marini com a Ducati de 2022. A primeira fila era teoricamente quase impossível de acontecer, mas na MotoGP, uma equipe satélite tem totais condições de brigar por uma vitória.

Johann Zarco vai abrir a segunda fila com sua Ducati Pramac de 2022, o francês vai estar na frente de Francesco Bagnaia da equipe oficial da Ducati. Peppo busca se recuperar da queda do GP da França. Fabio Quartararo completa a segunda fila, em busca da defesa da liderança do Mundial da MotoGP.

Aleix Espargaró, o adversário de Quartararo vai largar na 7ªposição. O representante da Aprilla vai comandar a 3ªfila e terá a companhia de Takaagi Nakagami da LCR Honda e de Pol Espargaró da Honda Repsol.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’46.156
2 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’46.244
3 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’46.327
4 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati 01’46.383
5 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 01’46.471
6 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’46.506
7 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 01’46.507
8 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’46.561
9 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’46.667
10 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 01’46.679
11 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati 01’47.223
12 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 01’47.468
13 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’47.621
14 51 Michele Pirro Aruba.it Racing Ducati 01’48.209
15 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’48.231
16 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’48.255
17 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’48.732
18 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’48.846
19 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’48.907
20 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’49.471
21 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’50.266
22 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia 01’50.270
23 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’55.369
24 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’56.479
25 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’57.106
26 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’57.671

Após um sábado de gloria para Fabio di Giannantonio, no domingo, outro piloto italiano fez a festa da torcida em Mugello. Francesco Bagnaia venceu pela segunda vez na temporada de 2022. A pista estava seca e ideal para a disputa das 23 voltas da etapa de Mugello.

Di Giannantonio tentou manter a liderança após a largada, mas só conseguiu isso por algumas curvas, Luca Marini tomou a liderança na 3ªcurva e na curva 11, Marco Bezzecchi passou o piloto da Gresini e completou a dobradinha da VR46 no complemento da 1 volta em Mugello. Di Gianntonio vinha em 3º, Aleix Espargaró passou Fabio Quartararo e assumiu a 4ªposição. Zarco, Brad Binder, Nakagami, Bagnaia e Marc Marquez completavam os 10 primeiros colocados.

A VR46 vivia seu momento de sonhos na MotoGP, com seus dois pilotos nas 2 primeiras posições. Já Quartararo recuperou o 4ºlugar que tinha perdido para Aleix e passou a lutar pela terceira posição com Fabio di Giannantonio. O piloto francês acabou superado o piloto da Gresini que não desistiu sem lutar, criou alguma resistência, tentou dar o troco, mas em poucas curvas, o francês contornou a situação e assumiu em definitivo a terceira posição. Partindo para cima dos pilotos da VR46. Praticamente na mesma volta, Bagnaia supera Aleix e sobe para a 5ªposição.

Começando a 4ªVolta, Fabio Quartararo vai para cima de Luca Marini, a ultrapassagem foi conseguida no meio da volta, subindo para a segunda posição, Peppo Bagnaia passou Fabio di Giannantonio no final da volta e já vinha na 4ªposição.

Bagnaia passa a atacar Quartararo e Marini, os três disputando a segunda posição. Quem se aproveitava era Marco Bezzecchi, que já abria 7 décimos dos 3. Pol Espargaró caiu na segunda metade da 5ªVolta (curva 9), foi o primeiro a deixar a corrida.

Na 6ªVolta, Peppo Bagnaia passou por Marini e Quartararo, pulando para a segunda posição. Na 7ªVolta, Aleix Espargaró superou Fabio di Giannantonio. Era natural que o novato da Gresini não conseguisse se segurar muito tempo nas primeiras posições.

Na 8ªvolta, Peppo Bagnaia foi para cima de Marco Bezzecchi. A disputa pela liderança durou por uma volta. Até que na 9ªvolta, Bagnaia supera o piloto da VR46 e assume a liderança. Praticamente ao mesmo tempo, Joan Mir (8ªvolta) e Alex Rins (9ªvolta) caíram e abandonaram a corrida. A Suzuki vive uma crise nesse momento da temporada.

Marc Bezzecchi estava na segunda posição, a frente de Fabio Quartararo que ainda tinha esperanças de lutar pela vitória, Luca Marini e Aleix Espargaró. Enea Bastianini partiu para cima de Johann Zarco, era mais uma batalha entre a Ducati de 2022 e a Ducati de 2021 pela 6ªposição.

Ainda com pretensões de vitória, Fabio Quartararo foi para cima de Marco Bezzecchi. Na segunda metade da 11ªvolta, o francês supera Bezzecchi. Porém, o piloto da VR46 não estava disposto a ceder tão facilmente a posição e foi tentar rever sua posição, mas Bezzecchi foi pego no contra pé pelo companheiro de equipe que acabou por superar o companheiro de equipe. Resultado de tudo isso foi que Marini passou a ser o terceiro colocado.

Bezzecchi luta com Marini nas 2 voltas seguintes e consegue recuperar a 3ªposição que estava nas mãos do seu companheiro de equipe. Bezzecchi ainda tentou superar Quartararo na reta, mas o francês manteve a 2ªposição. Aleix Espargaró e Enea Bastianini estavam chegando para a disputa. Mais atrás, os dois melhores pilotos da Honda na corrida, Marc Marquez e Takaagi Nakagami lutavam pela 11ªposição. Uma equipe que já teve várias temporadas dominadoras estava sofrendo no meio do pelotão.

A 10 voltas do final, Enea Bastianini vai para o chão na curva 2 e abandona. Peppo Bagnaia abriu 1 segundo sobre Quartararo e Bezzecchi que lutam pela segunda posição. Já Luca Marini perdeu a 4ªposição para Aleix Espargaró.

Na 17ªVolta, Marini foi superado por Johann Zarco da Pramac. Na mesma volta, na curva 10, Aleix Espargaró supera Marco Bezzecchi e entra no pódio, na terceira posição. As voltas finais, Bagnaia, Quartararo e Aleix Espargaró se consolidaram nas 3 primeiras posições. A única mudança de posição foi Johann Zarco tomando o 4ºlugar de Marco Bezzecchi a 4 voltas do final.

Francesco Bagnaia conquista a vitória no GP da Itália, um brilhante resultado para quem largou da 5ªposição, Peppo vinha de abandono no GP da França. A Moto Ducati de 2022 se mostra definitivamente competitiva para vencer corridas.

Na 2ªposição chegou Fabio Quartararo fez o que era possível ser feito, mesmo sem uma moto potente, o francês mostrou competência e levou mais uma vez a Yamaha as costas enquanto que os demais pilotos da marca não conseguem nenhum resultado significativo. Aleix Espargaró conquistou pela 4ªvez seguida o pódio com a Aprilla. O melhor momento da carreira do piloto e da marca na categoria principal.

Johann Zarco fez uma boa corrida de recuperação após uma largada ruim, o piloto da Pramac foi evoluindo na classificação até fechar o dia em uma boa 4ªposição.

Marco Bezzecchi e Luca Marini fizeram uma bonita corrida, ambos fizeram a alegria da torcida no começo da prova e mostraram que o investimento de Valentino Rossi nos dois pilotos foi acertado. Na reta  final, os dois perderam um pouco de terreno, mas nada que manche o belíssimo final de semana de Bezzecchi que ficou em 5º e de Luca Marini que completou a corrida na 6ªposição, seguido de perto por Brad Binder da KTM.

Takaaki Nakagami se deu melhor que Marc Marquez no duelo entre os dois melhores pilotos da Honda, além disso, chegou na frente de Miguel Oliveira e terminou o dia na 8ªposição. Marc Marquez fechou o Top 10. Agora o formiga atômica vai para a cirurgia e ficava fora das pistas por tempo indeterminado.

Fabio di Giannantonio fez um ótimo sábado, mas o seu domingo acabou não sendo tão bom assim, muito pela sua falta de experiência em correr na parte da frente da corrida. Fabio foi tentando se preservar na zona de pontuação e conseguiu, no final, salvou a 11ªposição, fechando a 1 milésimo de segundo a frente de Marevick Viñales.

Em 13º, Jorge Martin fez mais uma corrida bem abaixo da média, assim como a corrida fraquíssima de Jack Miller, o 15ºcolocado, fechando a zona de pontuação, algo que é inadmissível para um  piloto da equipe Oficial da Ducati. Alex Marquez ficou entre o Martin e Miller, na 14ªposição.

Resultado Final da 8ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Itália – Mugello – Bugatti – 23 Voltas – MotoGP

pos piloto equipe moto tempo
1 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 41’18.9230
2 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 0.635
3 41 Aleix Espargaró Aprilia Racing Aprilia a 1.983
4 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati a 2.590
5 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati a 3.067
6 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati a 3.875
7 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM a 4.067
8 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 10.944
9 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM a 11.256
10 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda a 11.800
11 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati a 12.916
12 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia a 12.917
13 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati a 17.240
14 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda a 17.568
15 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati a 17.687
16 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 20.265
17 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 20.296
18 51 Michele Pirro Aruba.it Racing Ducati a 21.305
19 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM a 30.548
20 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 31.011
21 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM a 42.723
22 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia a 1 volta
23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati a 10 voltas
36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 16 voltas
42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 16 voltas
44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda a 19 voltas

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP