Corridas Históricas – GP do Canadá de 1988

Grid de Largada:

1 Ayrton Senna (McLaren/Honda) 1’21.681
2 Alain Prost (McLaren/Honda) 1’21.863
3 Gerhard Berger (Ferrari) 1’22.719
4 Michele Alboreto (Ferrari) 1’23.296
5 Alessandro Nannini (Benetton/Ford) 1’23.968
6 Nelson Piquet (Lotus/Honda) 1’23.995
7 Thierry Boutsen (Benetton/Ford) 1’24.115
8 Eddie Cheever (Arrows/Megatron) 1’24.679
9 Nigel Mansell (Williams/Judd) 1’24.844
10 Philippe Streiff (AGS/Ford) 1’24.968
11 Riccardo Patrese (Williams/Judd) 1’24.971
12 Andrea de Cesaris (Rial/Ford) 1’24.988
13 Satoru Nakajima (Lotus/Honda) 1’25.373
14 Ivan Capelli (March/Judd) 1’25.609
15 Stefano Modena (Euro Brun/Ford) 1’25.713
16 Derek Warwick (Arrows/Megatron) 1’25.740
17 Philippe Alliot (Lola/Ford) 1’25.765
18 Mauricio Gugelmin (March/Judd) 1’25.910
19 Jonathan Palmer (Tyrrell/Ford) 1’26.092
20 René Arnoux (Ligier/Judd) 1’26.327
21 Luis Perez-Sala (Minardi/Ford) 1’26.437
22 Piercarlo Ghinzani (Zakspeed) 1’26.784
23 Julian Bailey (Tyrrell/Ford) 1’27.139
24 Oscar Larrauri (Euro Brun/Ford) 1’27.321
25 Stefan Johansson (Ligier/Judd) 1’27.637
26 Gabriele Tarquini (Coloni/Ford) 1’27.665

Não se Classificaram para a corrida:

Adrián Campos (Minardi/Ford) 1’27.885
Nicola Larini (Osella)1’27.981
Yannick Dalmas (Lola/Ford) 1’28.012
Bernd Schneider (Zakspeed) 1’28.215
Alex Caffi (Dallara/Ford) 1’29.103

Senna supera Prost, vence em Montreal e assume a vice-liderança do Mundial de pilotos

Ayrton Senna conseguiu sua quinta pole position na temporada e precisava da vitória para entrar na disputa do campeonato. Alain Prost tinha 33 pontos, Berger era o vice-líder com 18 pontos e Senna aparecia em 3º com 15 pontos. O líder do Campeonato Alain Prost largava em 2º. Na segunda fila largava os dois pilotos da Ferrari, com Gerhard Berger em 3º e Michele Alboreto em 4º. Na terceira fila largava o melhor dos pilotos com motor aspirado, o italiano Alessandro Nannini da Benetton e o Brasileiro Nelson Piquet da Lotus fechava os 6 primeiros colocados.

Thierry Boutsen (Benetton), Eddie Cheever (Arrows), Nigel Mansell (Williams) e completando os 10 primeiros colocados o Francês Phillipe Streiff (AGS) com uma grande classificação. Adrián Campos, Nicola Larini, Yannick Dalmas, Bernd Schneider e Alex Caffi não foram classificados para a corrida. Aliás, essa foi a última vez que Campos participou de um GP de Formula 1.

Senna reclamou demais da posição onde ficava o pole position, Ele estava por fora, enquanto que Prost vinha por dentro. Isso deve ter feito toda a diferença na largada. Prost assumiu a liderança deixando Senna para a segunda posição. Os dois seguidos de perto por Berger, Alboreto, Boutsen, Nannini, Piquet e Mansell. Uma bela largada de Prost e uma grande largada de Boutsen, que subiu do 7º para o 5ºlugar.

Prost, Senna e Berger vinham na mesma balada ao completarem a primeira volta, enquanto Alboreto ficava mais para os dois pilotos da Benetton. Enquanto isso lá atrás, Julian Bailey bateu em Luis Perez Sala que acabou perdendo o aerofólio traseiro. Enquanto o piloto da Tyrrell abandonava a prova o piloto da Minardi acabou indo para os boxes para recolocar um novo aerofólio.

Os pilotos da Mclaren, Ferrari e Lotus poderiam ter problemas de consumo de combustível, coisa que as Benetton e outros carros aspirados não tinham. Boutsen vai para cima de Alboreto, mesmo com potência a menos, o carro da Benetton vinha mais equilibrado do que o carro do piloto italiano.

Prost vinha na frente de Senna que vinha acompanhando o Francês e Berger tentava acompanhar os dois. A Ferrari aumentou a potência do seu motor para poder lutar de igual para igual com os pilotos da Mclaren. Enquanto isso, Piquet sofria pressão de Nigel Mansell, tentando segurar o 7ºlugar. muito longe do 9ºcolocado. Após 6 voltas completadas: 1. Prost (8:52.36), 2. Senna (a 0.71), 3. Berger (a 1.79), 4. Alboreto (a 4.12), 5. Boutsen (a 4.89), 6. Nannini (a 6.09)

Alboreto vivia momentos difíceis com Boutsen na sua cola após 8 voltas de prova. Seu companheiro Gerhard Berger vinha em 3º, ainda perto de Prost e Senna que começavam a fugir do Berger. Lá atrás, Oscar Larrauri abandonou com problemas de chassis da Eurobrun, Após tocar o Aerofólio dianteiro em Stefan Johansson (Ligier).

Na 9ªVolta, Senna começa a ameaçar um ataque em cima de Prost. Berger já não consegue acompanhar os dois de perto; Já Alboreto continuava pressionado por Boutsen e Nannini com um ótimo chassis e um motor que consumia pouco. Classificação após 10 Voltas: 1. Prost (14:41.14), Senna (a 0.30), 3. Berger (a 2.97), 4. Alboreto (a 7.53), 5. Boutsen (a 7.53), 6. Nannini (a 8.39) 

No final da 11ªVolta, Boutsen e Nannini (A dupla da Benetton) superaram Alboreto e passaram para o 4º e 5ºlugares respectivamente. E acabaram indo embora, deixando o piloto da Ferrari para trás. Prost tentava abrir um pouco de vantagem para Senna, abrindo 0.7 segundos para o piloto brasileiro. Berger vinha em 3º, mas começava a ver os pilotos da Benetton mais de perto, Já para buscarem o vice-líder do campeonato. Era impressionante como a Benetton andava muito.

No final da 14ªVolta, Boutsen e depois Nannini superaram Berger e subiram para o 3º e 4ºlugares e se mandaram na frente. A uns 10 segundos a frente, Senna foi com tudo para cima de Prost. Enquanto que Nannini teve de deixar a prova, por causa da ignição ao começar à 16ªVolta. Com isso Berger volta ao 4ºlugar, com Alboreto e Piquet completando os 6 primeiros colocados.

Prost e Senna pegaram o primeiro retardatário (Piercarlo Ghinzani) e ambos passaram com pouco de dificuldade. Mansell continuava atacando Piquet, Os dois disputam o 6ºlugar, um pouco atrás, vinha Phillipe Streiff, se aproximando dos dois com sua AGS.

Na 19ªVolta, Prost e Senna pegam Luis Perez Sala, Senna se aproveitou do piloto da Minardi e foi para a ultrapassagem no Haipin ao final da prova. O Brasileiro assumiu a liderança. Agora era Prost que tinha que partir para cima do piloto Brasileiro. Após 19 voltas completadas a classificação era: Senna, Prost, Boutsen, Berger, Alboreto, Piquet, Mansell e Streiff. Andrea de Cesaris (Rial) e Ivan Capelli (March) completavam os 10 primeiros colocados.

Senna começava a abrir um pouco de vantagem para cima de Prost. Ambos tinham que se preocupar com o consumo de combustível, Além de Berger, Alboreto, Piquet e Nakajima. Para o Austríaco, A preocupação do combustível acabaria na 23ªVolta. Seu Ferrari sofreu de problemas elétricos e acabou deixando a corrida. Enquanto que Mansell continuava a pressionar Piquet. Já Streiff estava perto dos dois, mas errou uma marcha e perdeu uns 3 segundos em relação a Piquet e Mansell.

Na mesma 23ªVolta, Mansell supera Piquet e assume o 5ºlugar. Os problemas do campeão de 1987 não iriam parar por ai, Ele começava a ser pressionado pelo Phillipe Streiff. Lá na frente, Senna e Prost passaram por Gugelmin. Senna já estava mais sossegado na liderança, com 4 segundos a frente do piloto francês. Thierry Boutsen vinha em 3º, a 10 segundos do líder e na frente de Alboreto.  Classificação após 25 voltas: 1. Senna (36:27.34), 2. Prost (a 4.02), 3. Boutsen (11.40), 4. Alboreto (29.23), 5. Mansell (35.53), 6. Piquet (39.07).

Senna perdeu tempo para superar Tarquini e depois, na 28ªVolta, o líder da prova pegou logo três retardatários: Arnoux, Warwick e Cheever. Senna acabou tendo de resolver rápido essa situação. Prost chegou perto, mas tinha que passar pelos três, que brigavam pelo 16ºlugar. Resultado foi que Prost demorou mais de 1 volta para conseguir passar pelos 3 pilotos, nesse meio tempo, Nigel Mansell abandonou com problemas de Motor.

Piquet voltou para o 5ºlugar e Streiff entra na zona de pontuação, mas a posição de Piquet era frágil. Streiff colocava pressão em cima de Piquet. Os problemas do chassis desse ano da Lotus era evidente, somente o motor turbo da Honda e o braço do Piquet é que deixava o piloto em 5ºlugar. Algumas voltas depois, Andrea de Cesaris chegou na batalha pela posição. Lá atrás, Tarquini tocou em Arnoux e rodou logo na frente de Warwick. Apesar disso, o piloto da Coloni voltou à prova.

Classificação após 31 Voltas: Senna (45:08.94), 2. Prost (a 4.36), 3. Boutsen (a 12.60), 4. Alboreto (34.05), Piquet (45.90) e Streiff (a 46.46). De Cesaris, Capelli, Patrese e Modena completam os 10 primeiros colocados.

Michele Alboreto abandona a prova, enterrando de uma vez o final de semana da Ferrari. Na mesma volta, o italiano Ricardo Patrese abandonou. A Williams também estava fora da prova. Piquet subiu para o 4ºlugar, mas era atacado incansavelmente pelo Streiff, levando a AGS ao seu melhor momento na Formula 1.

Após a metade da prova, 17 pilotos ainda estavam na corrida. A Classificação era: Senna (50:53.808), Prost (a 3.178), Boutsen (a 15.339), Piquet (a 53.088), Streiff (a 54.322) e De Cesaris (a 55.512) Apesar de não ter problemas de combustível, Boutsen não parecia ser páreo para os dois pilotos da Mclaren-Honda. Senna se estabilizou na frente, com 3 a 4 segundos de frente para Prost, cuidando do consumo de combustível que para ele era dramático. Na 37ªVolta, Senna coloca uma volta em Stefano Modena, que estava fazendo um belo final de semana com sua Eurobrun, em 8ºlugar. O italiano facilitou a ultrapassagem dos dois primeiros.

Arnoux foi para os boxes, o que seria uma troca de pneus acabou na verdade sendo um abandono, por causa da quebra da transmissão do Ligier. Nelson Piquet conseguiu abrir um pouco de vantagem para Streiff que começava a ficar mais para De Cesaris. Eram duas equipes pequenas com bons carros brigando pelo 5ºlugar. Até que na 42ªVolta, Phillipe Streiff entrava para os boxes com a suspensão quebrada, Nada se podia fazer para o piloto da AGS. O francês abandonou no que poderia ser a melhor corrida da história da equipe francesa. De Cesaris vai para o 5ºlugar e Ivan Capelli passou a ser o 6ºcolocado.

Classificação após 43 voltas: Senna (1:02.24.46), Prost (a 4.36), Boutsen (a 23.29), Piquet (a 1:06.76), De Cesaris (71.08), Capelli (a 1 Volta) Modena (em uma impressionante 7ªposição), Alliot, Palmer e Warwick completavam os 10 primeiros. O piloto da Arrows sofreu um acidente impressionante e mesmo assim estava resistindo à corrida. Ivan Capelli estava apenas a 1 segundo a frente de Modena, A pequena Eurobrun tinha a chance de marcar seu primeiro ponto na Formula 1 em sua 5ªparticipação em GPs.

Prost na 45ªVolta marcou a melhor volta da prova, Com 1:26,362 (média de 186.141 km/h  – 116.041 Mph). Porém a vantagem de Senna era de 4 segundos na saída da 46ªVolta. Modena vai para cima de Capelli, A briga do piloto da March e do piloto da Eurobrun pelo 6ºlugar, pelo ponto que era importante para as duas equipes.

Prost tentava baixar a diferença para Senna e estava conseguindo aos poucos, baixando de 4 para 3.2 segundos. Por isso o Brasileiro pisou forte para tentar sustentar a vantagem. Ao mesmo tempo que ele precisava passar os retardatários. Na volta de número 50, Senna estava perto de colocar uma volta em Andrea de Cesaris enquanto que Boutsen colocou uma volta em Capelli. Classificação após 50 Voltas: 1. Senna (1:12:12.23), 2. Prost (a 3.22), 3. Boutsen (a 30.32), 4. Piquet (a 1 Volta), 5. De Cesaris (a 1 Volta), 6. Capelli (a 1 Volta), O piloto da March conseguiu abrir vantagem sobre Modena. O piloto da Eurobrun sofria pressão de Phillipe Alliot da Larrousse. 7. Modena (a 1 Volta), 8. Alliot (a 1 Volta), 9. Palmer (a 1 Volta), 10. Warwick (a 1 Volta), 11. Tarquini (a 1 Volta), 12. Gugelmin (a 2 Voltas)

A prova estava concentrava na briga entre Senna e Prost, A vantagem entre os dois oscilavam entre 2.8 a 3.2 segundos. A corrida não estava definida de forma nenhuma, mas Senna fez a melhor volta da prova, baixando da marca de 1 minuto e 25 segundos para a casa do 1 minuto e 24 segundos (1:24.973 na 53ªVolta).

Senna passou Tarquini e depois passou Warwick e terminando a sequencia de ultrapassagem com Piercarlo Ghinzani. Apesar desse trafego, Senna acabou aumentando sua vantagem para 3.9 segundos. Mauricio Gugelmin abandonou na 55ªVolta. Senna aumentou sua vantagem para 5 segundos sobre Prost. Parecia que a corrida estava se definido a favor do piloto Brasileiro.

Andrea de Cesaris estava a 11 voltas de marcar os primeiros pontos da equipe Rial na Formula 1, numa belíssima atuação do piloto italiano que era acostumado a causar acidentes (88 foi uma das melhores temporadas do piloto Italiano). A 10 voltas do final, a prova estava sob controle para Senna. Com 7 segundos e Prost já sem folego para tirar esse tempo todo nas últimas voltas, além de ter muita dificuldade ao colocar a 2 volta em Jonathan Palmer.

A poucas voltas do final, Modena vai para os boxes com problemas em seu Eurobrun, o que tirava qualquer chance de pontuar. Já com 10 segundos de vantagem, Senna já vinha administrando sua vantagem para Prost que também tirou o pé.

Tudo parecia definido, até que nas voltas finais ocorreram mudanças. Andrea de Cesaris acabou parando por pane seca e perdendo 2 pontos certos depois de uma grande corrida que acabava de fazer. Ghinzani e Alliot também deixaram a corrida no final, mudando a classificação da prova.

Senna levou com cuidado seu carro para vencer pela 8ªVez na sua carreira. Uma bela atuação do piloto brasileiro, que terminou quase 6 segundos a frente de Alain Prost. Thierry Boutsen levou a Benetton-Ford ao primeiro pódio do ano e o primeiro pódio de um motor aspirado desde de 1983 (GP de Detroit de 1984 com Martin Brundle, sem contar desclassificação da Tyrrell do campeonato inteiro).

Nelson Piquet sofreu, mas resistiu a pressão de 2 adversários para terminar a prova em 4ºlugar e marcar mais 3 pontos no Mundial. Ivan Capelli marcou os dois primeiros pontos da March em 1988. Completando a zona de pontuação o discreto Jonathan Palmer da Tyrrell, que fez uma corrida na dele e aproveitou os abandonos no final para ficar em 6º.

Derek Warwick fez uma prova heroica, com muitas dores acabou levando seu Arrows ao 7ºlugar. Gabriele Tarquini marcou o melhor resultado da história da Coloni, com o 8ºlugar no final de Semana dos Namorados em Montreal. Senna agora assumia a vice-liderança do campeonato, Agora com 24 pontos contra os 39 pontos de Alain Prost. Era a 5ªVitória da Mclaren no campeonato em 5 corridas.

Resultado do GP do Canadá de 1988

Fotos:

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Formel1mic

Especial Ligier : Temporada de 1985

Após a temporada de 1984 não ter os resultados esperados, O time Francês Resulver manter o seu pacote técnico: Motor Renault Turbo, O Patrocinador oficial continuava sendo a Gitanes, A Loto saiu da equipe e Entrou a Candy uma empresa produtora de Eletrodomésticos.

Andrea de Cesaris é mantido na equipe, mas o segundo carro voltava as mãos de um velho conhecido, Jacques Laffite que estava com 41 anos de idade e vinha de 2 anos mal sucedidos na Williams para se reencontrar com os seus melhores momentos na Formula 1. Sua ida a Williams coincidiu com a queda da Ligier na Formula 1 para as últimas posições.

A temporada de 1985 começava em Jacarepaguá com a Mclaren, Lotus e Ferrari como favoritas ao título e com a Ligier disposta a voltar a disputar as primeiras posições, mas sabendo que seria difícil com essas favoritas ao título em condições normais. Ou seja o carro precisava ser confiável. O JS25 projetado por Michel Beaujon, Claude Gallopin e Henri Durand.

No Brasil De Cesaris foi o 13º no grid de largada e acabou abandonando por na 26ªVolta com problemas após ter ganho a 5ªposição, Laffite largou em 15ºlugar e fazendo uma boa corrida, não tão boa como a do seu companheiro italiano, mas chegou ao final da prova na 6ªposição e conseguiu o primeiro ponto da equipe em 1985, Foi uma bela volta de Laffite para a Ligier.

Laffite em Estoril
Laffite em Estoril

Em Portugal na pista chuvosa de Estoril que viu o show de Senna acabou com os dois pilotos da equipe francesa com problemas de pneu abandonando a corrida Sendo que De Cesaris conseguiu o 8ºlugar no Grid de largada e Laffite o 18º. Em San Marino outra corrida em Branco para De Cesaris que largou em 13ºlugar e acabou se acidentando e deixando a corrida na 11ªVolta e Laffite largando do 16ºposto acabou tendo problemas no Turbo na 23ªVolta.

Em Mônaco ai sim a Ligier teria uma grande apresentação com seus dois pilotos. De Cesaris largou do 8ºlugar e correu muito bem nas ruas do principado, Chegando a ficar por algumas voltas no 3ºlugar, terminou a prova na 4 posição levando 3 dos 4 pontos para a Ligier em Monte Claro até porque Jacques Laffite fez uma corrida de paciência largando do 16ºlugar e evitando confusões e batidas e sem problemas mecânicos acabou conquistando o 6ºlugar levando mais um ponto para o time azul.

Na Temporada na América do Norte que começou pelo Canadá em Montreal a Ligier não tem um Bom grid de largada (De Cesaris em 15º e Laffite em 19º), Na Corrida os carros chegam ao final da prova, Laffite termina em 7ºlugar, Mas por queimar a largada acabou tendo 1 minuto acrescentado ao tempo final de corrida e com isso perdeu uma posição ficando em 8º, Já De Cesaris teve muitos problemas e acabou colocado em 15ºlugar com  3 Voltas de atraso.

Em Detroit nos Estados Unidos Outra corrida pra Ligier esquecer, A Classificação ficou assim Laffite em 16º e De Cesaris em 17º e na corrida De Cesaris fez corrida discreta chegando em 10ºlugar e Laffite em 12ºlugar tendo problemas de Alimentação do seu carro o que acabou fazendo o veterano piloto Francês abandonar a poucas voltas do final, De volta a Europa para o GP de sua casa em Paul Ricard foi uma decepção, De Cesaris que largou em 12º e subiu para o 8ºlugar quebrou na 5ªvolta com problemas de Transmissão, Laffite andou menos ainda, Apenas 2 voltas antes do turbo quebrar e com isso já faziam 3 corridas que a Ligier não pontuava em 1985.

Mas na Inglaterra o time Francês tem um dos seus melhores momentos da temporada com De Cesaris largando em 7ºlugar e lutando pelos primeiros lugares até que na volta 41 a embreagem do carro 25 quebrou quando estava numa ótima 4ªposição e certamente teria chances de pódio, Mas as chances de pódio não se acabaram por que o veterano Jacques Laffite que largou em 16ºlugar recuperou posições durante a corrida e nas voltas finais ele entrou na disputa pelos pontos e com os abandonos de Senna e Lauda e com uma ultrapassagem sobre Piquet o piloto de 41 anos tirou a Ligier do jejum de quase 3 anos sem um pódio na Formula 1 (O último foi em Las Vegas com Eddie Cheever em 1982) Somente atrás de Prost com a Mclaren e Alboreto com a Ferrari que disputavam o título numa corrida em que Senna dominou a prova.

Na Alemanha continuou o bom momento de Laffite que largou da 14ªposição e numa corrida de recuperação levou mais uma vez a Ligier ao pódio superando ao Belga Thierry Boutsen e Nigel Mansell fazendo a equipe relembrar um pouco os bons momentos dos anos 70 e inicio dos anos 80 da equipe Francesa, Só que De Cesaris acabou batendo na primeira volta após largar da 13ªposição. No Campeonato já estava o Veterano piloto Francês bem na frente do Italiano Laffite com 10 pontos contra 3 do jovem De Cesaris.

Foyhtvtd

Vzmbfjzi

U0uvxggd

Y83dq0pz

Rocfb4p2

Mysd6ozv

Dbgq98ye

8zqtombr

Já na Áustria a equipe começava uma sequência de várias corridas sem pontuar, Um grid Ruim com Laffite em 15º e De Cesaris em 18º, Na corrida Laffite até tentou chegar nos pontos, Mas o  motor quebrou na 43ªVolta deixando ele na mão e o italiano durou 13 voltas até que na 14ªVolta o desastrado piloto acabou provocando um dos acidentes mais espetaculares e assustadores acidentes da história da Formula 1, De Cesaris capota varias vez no ar até cair no chão.

Por incrível que pareça, ele saiu ileso dessa, Mas para Guy Ligier a posição do piloto estava balançando mesmo após esse acidente, Na Holanda em Zandvoort uma outra corrida para se esquecer ambos os pilotos abandonaram a corrida (de Cesaris largando em 18º quebrou o turbo na 18ªVolta e Laffite em 13º no Grid de largada acabou abandonado com problemas elétricos).

Vídeo do Acidente:

Para Andrea de Cesaris a Holanda seria a última corrida na Ligier, Guy Ligier o dispensou para contratar um outro jovem, O Francês Phillpe Streiff que tinha feito uma corrida na Formula 1 em 1984 pela Renault.

Apesar da Troca de pilotos Monza não foi uma das melhores corridas da temporada para Guy Ligier vendo seus pilotos largando da 10ªFila do Grid de largada (Streiff em 19º e Laffite em 20º) pelo menos Streiff levou o carro até o final da prova chegando na 10ªposição fazendo mais do que de Cesaris tinha feito nas últimas corridas e Laffite acabou quebrando o motor na 41ªVolta. Na Bélgica não melhorou muita coisa. No Grid Ruim (Laffite e Streiff largaram na 9ªFila), Na Corrida Laffite acabou nas voltas finais sofrendo um acidente e ficando classificado ainda em 11ºlugar, Streiff levou seu carro até o final na 9ªposição

Em Brands Hatch valendo pelo GP da Europa a Ligier voltava a fazer uma grande corrida com o estreante Phillipe Streiff largando numa impressionante 5ªposição sendo essa a melhor classificação da equipe de Guy Ligier em 1985, Na Corrida Streiff largou mal e ficou muito atrás da posição aonde largou, Mas Laffite fazia uma grande corrida e por muito tempo mesmo em 3ºlugar até que ele teve problemas nos boxes e caiu para o 8ºlugar, Tentou a recuperação mas acabou quebrando o motor na volta 60 deixando uma corrida que poderia ter sido o melhor resultado da Ligier na temporada, Streiff nas voltas finais estava em 6ºlugar mas acabou perdendo 2 posições e ficando somente na oitava posição.

Na prova da África do Sul a equipe de Guy Ligier não foi por que a França pediu para os times franceses não disputarem a prova na África do Sul através do ministério dos esportes e a Ligier que tinha ligação com o presidente da república da França François Mitterrand o time azul não demorou muito para dizer que não iria correr nessa prova. A Renault e a Falida RAM também não foram para essa corrida e acabaram não sendo punidas por que elas alegaram motivos de Força maior.

Dai restava a prova da Austrália para a Ligier sair dos 13 pontos ganhou e da 8ªposição no mundial de construtores, Nos treinos ambos vão muito mal com Streiff em 18º e Laffite em 20ºlugar e o que indicava que seria um final do ano decepcionante, Mas na corrida ambos os carros resistiram e os pilotos evitaram confusão até o finalzinho da corrida quando Laffite estava em 2º e Streiff em 3ºlugar, nas voltas finais Streiff que estava em 3ºlugar tentou passar Laffite e o jovem piloto se chocou com Laffite que nada sofreu e Streiff quebrou a suspensão e ainda assim continuou na corrida se arrastando nas voltas finais.

No final da corrida Keke Rosberg levou a corrida e a 46 segundos depois veio Jacques Laffite e logo depois se arrastando em 3ºlugar veio Philippe Streiff que não iria ficar na equipe em 86 já que ele tinha acertado com a Tyrrell antes dessa corrida e com esse duplo pódio a Ligier chegava a 4 pódios na temporada e aos 23 pontos levando a equipe de Guy Ligier para honroso 6ºlugar no mundial de pilotos a 3 pontos da Brabham e Jacques Laffite terminou o campeonato na 9ªposição no auge de seus 41 anos mostrando ainda todo o seu talento como piloto de altíssimo nível. Após esse positivo resultado e com atuações muito boas aumentava as expectativas para o ano de 1986 que seria fantástico para a Formula 1.

Fotos:

Ligier 1985

Números da Ligier em 1985

Gps: 30
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 4
Pontos: 23
Chassi: JS25
Projetistas: Michel Beaujon, Claude Gallopin e Henri Durand
Motor: Renault EF4B V6 turbo
Pneus: Pirelli
Pilotos:

Andrea de Cesaris
Jacques Laffite
Phillipe Streiff
Número de Voltas Completadas: 1.311

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Bestlap/Formel1mic

Especial Ligier: 19761977197819791980198119821983 – 1984

Especial Jordan 1991: O Carro dos Sonhos

A Estréia da Equipe Jordan começou em 1980, um ano após um Jovem piloto irlandês chamado Eddie Jordan ter montado a Jordan Grand Prix, depois de grandes Resultados em 1987 e 1989 culminando com o titulo de Johnny Herbert e Jean Alesi, Eddie Jordan começa a concentrar as suas forças na Formula 1, e para isso conta com o Projetista Gary Anderson, a Jordan Grand Prix ainda correria com seus carros na Formula 3000 durante esse meio tempo.

Com isso o Jordan 191 é pronto para testar. e para isso é chamado um grande amigo de Eddie Jordan, John Watson que estava sem correr a 6 anos na Formula 1 é o grande responsável pelo desenvolvimento do carro na Pré-Temporada para a temporada de 1991.

O Carro estava preto, mas o principal patrocinador foi escolhido, era a marca de Refrigerante 7UP, e os pilotos eram o Experiente e por algumas vezes demolidor de carros, Italiano Andrea de Cesaris e o Belga Bertrand Gachot, que toparam a missão de conduzir o EJ191 para uma digna primeira temporada de Formula 1.

Carro Oficial:

Ficha Técnica do Jordan 191

Construtor: Jordan Grand Prix
Projetista: Gary Anderson
Chassi: Monoposto de Fibra de Carbono
Motor: Ford Cosworth HB4 3.494 Litros (3.5)/ 213.2 com um Ângulo de 90º e Com 8 Válvulas
Transmissão: Longitudinal com 6 Marchas e Manual
Combustível: BP
Pneus: Goodyear Eagle

Estava tudo pronto, a Estréia seria nos Estados Unidos, no Circuito de Phoenix, como a Jordan era um time Estreante, precisava passar das pré-qualificações, algo terrível para as equipes que compuseram esse grupo, mas para a Jordan não seria problema.

Mas em Phoenix a Jordan não esperava pelo ótimo desempenho da Dallara que fez o 1º e 2º Tempo com Pirro e Lehto, A Jordan andavam logo Atrás, mas não esperavam pelo Italiano Nicola Larini que na estréia da Lamborghini fez o 3ºMelhor Tempo, dai só restavam uma vaga, que era disputada por Gachot, De Cesaris e Acredite se quiser: Pedro Chaves com a Nanica Coloni. Bertrand Gachot garantiu a última vaga do Grid, e De Cesaris ficou pelo caminho, para o experiente piloto da Jordan o final de semana acabou na Sexta-feira.

No Sábado Bertrand Gachot era o único Jordan na disputa do Grid de largada, e o Belga não decepcionou, colocou o carro verdinho na 14ªPosição. dividindo a 7ªFila com Mika Hakkinen da Lotus. Pirro e Lehto foram 9º e 10º e Larini em 17º Mostraram que o Nível de pilotagem dos que veio da pré-classificação foi muito alto.

Na Corrida Bertrand Gachot não se destacou na Corrida, e abandonou a corrida quando estava na 9ªPosição com problemas de motor.

Parte 2: Os Resultados Positivos

Passada a Euforia da Estreia a Jordan precisa agora de ter resultados, que em termos de Treinos Classificatórios vieram com facilidade, e o carro sempre largado do meio para Frente, isso ficou provado no GP do Brasil quando Bertrand Gachot e Andrea de Cesaris conseguiram com muita facilidade a Classificação para o Grid de Largada, Gachot em 10º e De Cesaris em 13º. Na Corrida no entanto De Cesaris abandonou a corrida na volta 20 acidentado e Bertrand Gachot chegou em 13º a 8 Voltas do Líder, provavelmente com problemas no seu carro, já que não se acreditava que Gachot tivesse num dia ruim, já que ele andava em 9ºLugar a maior parte do tempo. Em San Marino De Cesaris e Gachot ficaram na 6ºFila com o Italiano na Frente. Numa corrida confusa e com chuva no começo As Jordans quebravam na mesma volta, quando poderia ter chances de pontuar pela primeira vez. No principado de Mônaco, Andrea de Cesaris conseguiu o 10ºLugar no Grid, mas Gachot terminou no sufoco conseguindo um lugar apenas na penúltima fila, 24ªPosição, Na Corrida De Cesaris Fica pelo caminho, e Gachot faz uma otima corrida de recuperação chegando em 8ºLugar, mostrando já todo o potencial do carro.

Após 4 corridas sem pontuar, a Jordan sabia que os pontos viriam mais cedo o mais tarde, dai veio o GP do Canadá, uma corrida de onde acontece sempre corridas muito acidentadas, Mais uma vez os dois Jordans passam pelas pré-qualificações de sexta e no Grid Andrea de Cesaris conquistou o 11ºLugar e Bertrand Gachot o 14ºTempo. na Corrida, vários dos Favoritos Quebravam, Senna, Prost, Alesi, Moreno, Berger, sobravam só de Favoritos Patrese, Mansell e Piquet. a Briga pelos pontos se tornava mais possível. No final da Corrida as Jordans tinham os dois carros nos pontos, De Cesaris em 5º e Gachot em 6º, geralmente a carruagem nesses casos virara abóbora, mas dessa vez a coisa foi diferente, Mansell a curvas do Final teve problemas com o Carro e acabou abandonando, Com isso mais dois pontos para a Jordan, e festa para o Time Irlandes, 4º com De Cesaris e 5º com Gachot, os primeiros pontos do time verde na Formula 1 e muita festa para todos.

A Partir dai a Jordan começou a emplacar uma seqüência de pontuação na Temporada.

No México De Cesaris Larga em 11º e Gachot em 20ºLugar, Na Corrida Gachot abandonou, mas De Cesaris numa ótima Corrida conquistou um 4ºLugar na Corrida, mas 3 pontos para a Jordan Grand Prix. Depois na França Andrea de Cesaris largava de 13ºLugar para terminar de novo nos pontos, com o 6ºLugar, e Gachot largou em 19º para se acidentar logo na primeira volta.

No GP da Inglaterra, outra vez De Cesaris larga melhor que Gachot, o italiano larga em 13º contra o 17º do Belga Gachot, enquanto De Cesaris teve problemas de suspensão na volta 41, o Belga conseguia coletar mais um pontinho para a Jordan com o 6ºLugar numa magnífica corrida de Recuperação. Com 10 pontos ganhou a Jordan já era a 6ªColocada, um ponto atrás da Tyrrell que tinha apoio da Honda.

Na Alemanha a Jordan mostra sua forca nos Treinos com a 7ªposição no Grid de largara para De Cesaris e o 11ºLugar para Gachot. Na Corrida Ambos pontuam: De Cesaris em 5º e Gachot em 6º. na Frente de Senna que teve problemas e de Moreno, dois carros que tinham mais desempenho do que a Jordan. Com esse Resultado, A Jordan passava a ser a 5ªColocada, só atrás das 4 grandes (Mclaren, Williams, Ferrari e Benetton).

Na Hungria a Jordan não vai muito bem a Treino, De Cesaris ficou só em 16º e Gachot em 17º. na Corrida os dois carros fizeram boas corridas, mas não o bastante para manter a seqüência de pontos, De Cesaris ficou em 7º e Gachot em 9ºlugar, mas o Belga faria a melhor volta da corrida, de uma forma inimaginável para uma estreante.

Mas mal sabia Gachot que essa seria sua última corrida pela Jordan, pois ele se envolvia em uma briga com um taxista na Inglaterra, Gachot acabou usando um spray de pimenta nos olhos da vitima, para seu azar o spray era considerado uma arma na Inglaterra, Gachot ficou preso por dois meses. E para seu substituto Jordan chamou alguém de onde vamos contar na parte final do especial sobre a Jordan 1991.

Parte 3: O Surgimento de Schumacher e as corridas Finais

GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps, pista fantástica receberia a 11ºEtapa do Mundial de 91, tudo normal a não ser pela prisão de Gachot e por ele não largar na corrida de Spa, Jordan precisava de alguém para correr com algum dinheiro, já que o Ano estava sendo mais custoso do que o planejado, Eddie Jordan acha um alemão que disputava o campeonato de marcas e pilotos, chamado Michael Schumacher, o Alemão tinha apenas 21 anos, e nunca tinha andado em Spa, com a exceção de duas voltas de bicicleta na pista, Jordan perguntou se Schumacher sabia a pista de Spa, Seu empresário muito habilidoso disse que sim. e assim ele foi contratado para correr no lugar de Gachot.

Nos Treinos, Schumacher assombra o mundo pois em sua primeira experiência ele largava na 7ªPosição, 4 posições na Frente de De Cesaris, na largada Schumacher já pulava para o Quinto lugar, tudo indicava uma estreia triunfal, mas o Câmbio da Jordan não aguentou nem a subia da Eau Rouge e o carro parou, fim de corrida para Schumacher, mas para a Jordan, as coisas seriam pra lá de boas a corrida, Andrea De Cesaris fez brilhante corrida, andou até o fim lutando pela vitória contra Ayrton Senna, a coisa não esta fácil para o Brasileiro, De Cesaris era mais rápido que Senna, mas a 4 Voltas para o Final De Cesaris Quebra, a corrida termina para a Jordan, sem ter conseguido pontuar, mas foi um final de semana muito positivo, com uma revelação na Jordan e uma corridaça de De Cesaris.

Para o GP da Itália o Esperto Flávio Briatore paga 300 mil dólares a Mercedes e Compra o passe de Schumacher que sai da Jordan, no seu lugar aparece o Brasileiro Roberto Pupo Moreno, demitido após fazer melhor corrida na Benetton em 91. Moreno faz o 9ºTempo, contra o 14ºde De Cesaris, mas na Corrida Moreno abandonou com problemas nos Freios e De Cesaris fica em 7ºLugar. Em Portugal, De Cesaris e Moreno tem um treino muito ruim, 14º e 16º. na Corrida, ambos se recuperaram e terminaram em 7º e 9º Respectivamente, Moreno voltava bem na Jordan, mas deixa a Equipe para a Entrada de Alessandro Zanardi.

Definitivamente a Frase da Jordan não era das melhores, e no Treino do GP da Espanha Zanardi largava em 20º e De Cesaris em 17º,em Ritmo de corrida a Jordan estava bem tanto que Zanardi terminava em 9º, De Cesaris na volta 22 abandonou por problemas elétricos, Mas os treinos nas últimas corridas matavam as chances de pontos da equipe. e quando largavam na Frente, acabavam sofrendo quebras, No Japão novamente um bom treino para a Jordan, De Cesaris em 11º e Zanardi em 13º, Mas a Corrida, De Cesaris terminava ela na 2ªVolta num acidente envolvendo Ele, Pirro, lehto e Wendlinger, e na Zanardi abandonou a corrida na 7ªVolta com problemas de Câmbio.

O GP da Austrália a Jordan fazia a última corrida da Temporada, no Grid De Cesaris ficava em 12º e Zanardi em 14º. Os dois pilotos estavam se aproximando dos pontos rapidamente, quando a corrida foi paralisada devido ao temporal que teve em Adelaide, De Cesaris ficou em 8º e Zanardi em 9º

O Ano Fechava com a Jordan numa incrível 5ªPosição, apenas atrás de Mclaren, Williams, Ferrari, Benetton. e na Frente de Tradicionais equipes como Tyrrell, Ligier, Brabham e Minardi.

O Carro foi conhecido com um dos carros mais bonitos da História da Formula 1, mas as consequências foram que Eddie Jordan confessou anos depois que o Carro de 1991 não pagava as dividas da equipe. Revelando que a Equipe ficou com dividas depois dessa temporada. Mas a Inesquecível temporada de 1991 já estava registrada na memória da Formula 1. Desde de 1977 uma estreante não fazia o que fez a Jordan Fez, do Nada para um Grande Campeonato, mas tudo devido a um planejamento que foi recompensado.

Números da Jordan em 1991.

Gps: 32 (Largou em 31 Gps)
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 13
Número de Melhores Voltas: 1
Motor: Ford HB4 V8
Número de Voltas Completadas: 1.354
Pilotos em 1991

Bertrand Gachot
Michael Schumacher
Alessandro Zanardi
Andrea De Cesaris
Roberto Pupo Moreno

Fotos:

 


Fonte: Bestlap / Formel1mic

Especial: Equipe Rial – Parte 1

Rial

Criação do time:

O time foi criado pelo Alemão Günther Schmidt que foi o ex proprietário da ATS que correu na Formula 1 entre 1977 a 1984 conseguindo poucos sucessos nesse período. Visando a volta dos motores aspirados a Formula 1 Schmidt cria a Rial que não era nada mais que o nome da sua fabricante de pneus na Alemanha.

A Base da Rial ficava na cidade de Fußgönheim. O Primeiro Chassi da equipe seria criado pelo Competente projetista Gustav Brunner que impulsionado pelo Motor Ford Cosworth DFZ que gerava 550 Cavalos. O ARC1 é concebido e é apelidada de a Ferrari azul pela semelhança que ela tinha em relação ao Ferrari F1/87 da temporada passada, O piloto Seria o Italiano Andrea de Cesaris que com o dinheiro da Marlboro mais com uma mistura de Velocidade e de inconsequência era motivo de Amor e ódio pelas equipes que passava, Sem dúvida era um belo reforço a Rial isso se ele não batesse tanto. Infelizmente um Erro crucial comprometeria o ano todo da equipe Alemã.

Uma Discussão entre Gustav Brunner e Heini Mader acabou fazendo com que o Tanque do carro fosse um tanque pequeno. Isso revelado pelo piloto Andrea de Cesaris em Entrevista ao Site do Tazio:

Em 1988, a Rial tinha um carro até eficiente, mas que lhe deixou várias vezes na mão por possuir um tanque de combustível relativamente pequeno, causando algumas panes secas e a perda de bons resultados. Como você e a equipe tentavam lidar com isso?

Eu acho que este ano foi uma das minhas melhores temporadas. Tínhamos uma equipe de dez pessoas. Você consegue imaginar uma equipe de F1 com dez pessoas?

Muitas vezes eu andava entre os cinco primeiros, mas não encerrava a prova porque, quando o carro foi projetado, houve um mal-entendido entre o diretor do projeto [Gustav Brunner] e [o preparador suíço] Heini Mader, que montava nossos motores, sobre o cálculo de consumo de combustível.

Então o carro ficou com um tanque muito pequeno. Hoje eu consigo rir disso, mas perdi muitos pontos por quatro ou cinco litros de gasolina.
Fonte: Tazio

Na estreia no Brasil com um time de 10 mecânicos a Rial consegue superar equipes melhores estruturadas e larga em 14ºlugar, Mas o Motor acabou quebrando a 7 voltas do final. Mas foi uma bela estreia da Rial. Em San Marino o time mantém sua boa forma no Grid com o 16ºlugar, Mas a Suspensão não aguenta nem a primeira volta e De Cesaris tem que deixar a corrida. O Mesmo aconteceu em Mônaco onde de Cesaris largou em 19º e deixou a corrida na 29ªvolta por problemas de Motor e no México largando em 12ºlugar de forma surpreendente deixa a corrida pro problemas de embreagem a 15 voltas do final.

Canada1988 (10)

No Canadá o italiano De Cesaris com a Rial teria a primeira grande atuação do ano, Largando em 12ºlugar De Cesaris tinha tudo para levar uma 5ªposição após grande corrida, Mas a 3 voltas do final o Fantasma do tanque curto aparece e De Cesaris deixa a corrida e a Rial perde 2 pontos certos que iria ajudar muito nos custos da equipe em 1989. Além de um taque pequeno a Rial não tinha o sinalizador de combustível que indicava quanto tinha de combustível, ou seja o piloto teria que confiar nele mesmo para terminar a corrida. Algo bem amador naquela época.

De Cesaris conduziu de forma brilhante a Rial para os pontos.
De Cesaris conduziu de forma brilhante a Rial para os pontos.

Mas nos Estados Unidos De Cesaris teve uma nova chance de fazer uma grande corrida, e largando de 12ºlugar e andando mais da metade da corrida em 4ºlugar o Italiano conseguiu levar o modesto carro da Rial ao 4ºlugar e a equipe Alemã a marcar seus 3 primeiros pontos nas ruas de Detroit somente atrás de Senna e Prost com o Imbatível Mclaren MP4/4 com os motores Honda e o Belga Thierry Boutsen com o bom carro da Benetton-Ford mostrando que o carro era bem competitivo.

Na França de Cesaris repete o 12ºlugar no Grid de largada num circuito de alta velocidade o carro da Rial andava bem, Na Corrida De Cesaris completou em 10ºlugar. Na Inglaterra De Cesaris teve um 14ºlugar no Grid de largada e na corrida acabou com problemas na Embreagem e abandonando na 10ªVolta. Na Alemanha De Cesaris larga em 14º e numa corrida de chuva o carro não corresponde as expectativas de uma condição favorável e De Cesaris leva o equipamento ao 13ºlugar. Depois dessa corrida o Diretor do projeto da Rial Gustav Brunner é mandado embora. E isso faz com que o desempenho da Rial acabe caindo com Grids ruins na Hungria, Bélgica e Itália e abandono por problemas de Transmissão em Hungaroring e dois acidentes seguidos de De Cesaris, um na Bélgica que acabou envolvendo a Rene Arnoux e na Itália.

Em Portugal o time volta a ter um belíssimo Grid de largada, De Cesaris larga em 12ºlugar, Mas a alegria durou pouco, o Semieixo da Rial quebrou na 12ªvolta. Na Espanha a Rial teve o seu pior Grid na Temporada com De Cesaris largando em 23ºlugar se o treino foi ruim, A corrida também foi ruim De Cesaris deixou a corrida na 37ªvolta com problemas de motor.

Japan1988F1 (4)

Nas duas provas finais a Rial esperava mudar sua Sorte, No Japão De Cesaris largou em 14ºlugar e deixou uma corrida em que vinha em uma corrida mediana a 15 voltas do final por causa de Superaquecimento no seu ARC1, Na corrida final na Austrália De Cesaris largaria o Rial na 15ªposição e faz uma grande corrida, sempre avançando na corrida, melhorando de posição conforme os pilotos lá da Frente vinham batendo o Quebrando, Tudo indicava um final Feliz para a Rial. Mas a 5 voltas do final mas uma vez a falta de combustível foi o carrasco da Rial. De Cesaris ainda ficaria em 8ºlugar.

Ao final da temporada a Rial acabou o ano em 9ºlugar no mundial de construtores com 3 pontos. Na frente de Ligier, Lola, Dallara, Zakspeed…

Dados do carro:

Desenhista : Gustav Brunner
Motore : Ford Cosworth DFZ com 565 cavalos
Pneu : Goodyear
Chassi : Chassi monoposto feito de Fibra de Carbono
Peso : 500 kg
Transmissão : Rial Com 6 Marchas
Combustível / Lubrificante : STP
Tanque : – de 150 kg
Suspensão :
Amortecedores : Koni
Freios :
Discos de Carbono – Brembo/SEP
Comprimento :
Distância entre eixos : 2800 mm
dianteira : 1800 mm
Via traseira : 1600 mm

Gps: 16
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 3
Motor: Ford
Pilotos:
Andrea de Cesaris (Itália)
Chassi: ARC01
Potência: 565 Cavalos – 10500 RPM – 3500cc
Número de voltas percorridas: 602 voltas

Fonte das Fotos: Bestlap, Formel1mic
Texto: Deivison da Conceição da Silva

Corridas Históricas: GP do Japão de 1989

Xkhczmdg

Grid de largada:

1 Ayrton Senna (McLaren/Honda) 1’38.041
2 Alain Prost (McLaren/Honda) 1’39.771
3 Gerhard Berger (Ferrari) 1’40.187
4 Nigel Mansell (Ferrari) 1’40.406
5 Riccardo Patrese (Williams/Renault) 1’40.936
6 Alessandro Nannini (Benetton/Ford) 1’41.103
7 Thierry Boutsen (Williams/Renault) 1’41.324
8 Philippe Alliot (Lola/Lamborghini) 1’41.336
9 Stefano Modena (Brabham/Judd) 1’41.458
10 Nicola Larini (Osella/Ford) 1’41.519
11 Nelson Piquet (Lotus/Judd) 1’41.802
12 Satoru Nakajima (Lotus/Judd) 1’41.988
13 Martin Brundle (Brabham/Judd) 1’42.182
14 Luis Perez-Sala (Minardi/Ford) 1’42.283
15 Alex Caffi (Dallara/Ford) 1’42.488
16 Andrea de Cesaris (Dallara/Ford) 1’42.581
17 Ivan Capelli (March/Judd) 1’42.672
18 Jean Alesi (Tyrrell/Ford) 1’42.709
19 Paolo Barilla (Minardi/Ford) 1’42.780
20 Mauricio Gugelmin (March/Judd) 1’42.880
21 Bernd Schneider (Zakspeed/Yamaha) 1’42.892
22 Emanuele Pirro (Benetton/Ford) 1’43.063
23 Olivier Grouillard (Ligier/Ford) 1’43.379
24 Eddie Cheever (Arrows/Ford) 1’43.511
25 Derek Warwick (Arrows/Ford) 1’43.599
26 Jonathan Palmer (Tyrrell/Ford) 1’43.757

Não Largaram:

René Arnoux (Ligier/Ford) 1’44.030
Michele Alboreto (Lola/Lamborghini) 1’44.063
Pierre-Henri Raphanel (Rial/Ford) 1’47.160
Bertrand Gachot (Rial/Ford) 1’47.295
Piercarlo Ghinzani (Osella/Ford) 1’44.313
Roberto Moreno (Coloni/Ford) 1’44.498
Stefan Johansson (Onyx/Ford) 1’44.582
Aguri Suzuki (Zakspeed/Yamaha) 1’44.780
Oscar Larrauri (Euro Brun/Judd) 1’45.446
J J Lehto (Onyx/Ford) 1’45.787
Gabriele Tarquini (AGS/Ford) 1’46.705
Yannick Dalmas (AGS/Ford) 1’48.306
Enrico Bertaggia (Coloni/Ford)

Em Decisão absurda Senna é Desclassificado, Prost é o Campeão de 1989 e Nannini conquista sua 1ªvitória na Formula 1

Suzuka, Japão. Mais uma vez a decisão do campeonato iria para lá e mais uma vez entre Senna e Prost dessa vez com a vantagem para Alain Prost que tinha 76 pontos, Mas já estava limitado pelos descartes e Ayrton Senna com 60 pontos que só poderia ser o campeão se conseguisse vencer as 2 últimas etapas do ano.

O Script do filme estava armado. Com os melhores carros a Mclaren dominou os treinos com Senna largando na pole position e Prost em 2º depois vindo as Ferrari de Berger e Mansell que tomaram 2 segundos das Mclaren na Classificação.

Bgcgg5lx

As Atenções estavam voltadas aos dois pilotos da Mclaren que acabaram por se desentender durante a temporada de 1989. Tanto que Alain Prost iria deixar a Mclaren e correr na Ferrari para 1990. Ambos estavam concentrados para largarem bem, mas na largada Prost pulou mais rápido que Senna e assumiu a ponta da corrida enquanto Senna se manteve na frente de Berger e assumia o 2ºlugar. Quem largou bem foi Alessandro Nannini que pulou de 6º para a 4º já quem perdeu posições foi Mansell que caiu de 4º para 6ºlugar. A Corrida acabou para as duas Minardi na primeira volta Paolo Barilla nem largou e Luis Perez-Sala se acidentou e abandonou a corrida.

Prost logo de inicio impõe ritmo fortíssimo tentando fazer Senna cair em sua armadilha, Senna já ciente disso não adotou essa estratégia de perseguir Prost no começo da corrida.

A Classificação após a primeira volta era: Prost (1:49.369), Senna (a 1.401), Berger (a 2.793), Nannini (a 3.834), Patrese (a 4.917) e Mansell (a 5.393). Na Segunda volta Bernd Schneider com a Zakspeed-Yamaha acabou fora da corrida com problemas de Câmbio (Seria a última vez que a Zakspeed participaria de um Grande Prêmio).

Prost estava impondo um ritmo de corrida fortíssimo fora da principal característica do Francês que era o rei da estratégia. O piloto que mais poupa o carro, Já Senna Andava no ritmo normal. Mansell passou Patrese antes de acabar a 2ªvolta da corrida e assumia o 5ºlugar e agora Mansell partiria pra cima de Nannini na briga pelo 4ºlugar.

Genhcyhu

Prost continuava seu ritmo fortíssimo, Mas Senna não se preocupava em ter o mesmo ritmo de Prost no começo da corrida, procurando poupar o seu carro e atacar na hora certa. Classificação após 5 voltas: Prost (8:55.296), Senna (a 3.815), Berger (a 6.219), Nannini (a 9.635), Mansell (a 12.831) e Patrese (16.242).

Senna já abria 2 segundos na frente de Berger sem ter problemas de se poupar no começo ao contraio de Prost que continuava seu ritmo forte. Lá atrás Nakajima tentava recuperar terreno após ter tido uma largada ruim. Prost fazia a melhor volta da corrida na volta 7 com 1:45.827 – Média de 199.310 km/h (123.845 Mph) Prost tinha 4.5 segundo na frente de Senna, Mas já começava a sentir o maior desgaste de pneus e logo Senna começaria a andar melhor do que Prost.

Na Volta 9 a Classificação era : Prost, Senna, Berger, Nannini, Mansell, Patrese, Boutsen, Alliot, Modena e Piquet.

Na Volta 9 Senna é finalmente mais rápido que Alain Prost. Era a partir daí que Senna começava a sua luta pela vitória. Alesi e Pirro acabaram por se enroscar no grampo e Nakajima ganhou as posições dos dois.

Na Volta 11 Prost e Senna fizeram 1:45.7 mas foi Prost que fez a volta mais rápida com 1:45.722 – Média: 199.508 km/h (123.968 Mph) a Vantagem de Prost era de 5 segundos sobre Senna, Berger estava longe já de Senna. Na volta 12 Senna fazia a melhor volta da corrida 1:45.359 passando dos 200 km de média horária (200.195 km/h).

Senna tentava se aproximar de Prost mas só conseguia tirar 1 décimo por volta. Mas Prost na volta 14 respondia fazendo a melhor volta da corrida 1:45.200 – Média de 200.498 Km/h (124.583 Mph) com isso a diferença deles era de 5 segundos, Berger estava a 12 segundos de Senna e consequentemente a 17 de Prost depois vinha Nannini e Mansell brigando pelo 4ºlugar. Na Volta 15 Senna deu o troco pra cima de Prost. 1:44.960 (200.956 km/h).

Logo Começaria a rodada de paradas para os boxes, Alliot passou reto depois da Degner. Senna na volta 17 tirava 6 décimos de Prost fazendo a diferença cair para 3.8 segundos. Na Volta 18 Mansell fazia sua troca de pneus.

Depois de 17 voltas completadas a classificação era: Prost (30:03.892), Senna (a 3.878), Berger (a 20.332), Nannini (a 24.766), Mansell (a 27.428) e Patrese (a 37.099)

As Mclaren começariam a ter tráfego de retardatários e Prost na volta 18 foi 7 décimos mais rápido do que Senna fazendo a vantagem voltar a casa dos 4 segundos. Prost começava a pegar os retardatários e eram logo três: Alesi, Chevver e Grouillard, E Prost acabou se complicou na ultrapassagem e com isso Senna diminuiu a diferença de 4.6 para 3.1 ao termino da volta 19. Senna também não deu sorte para passar os retardatários. Com isso na volta 20 Senna estava 4.3 segundos atrás de Prost. Na 20ªVolta Alessandro Nannini faz sua parada nos boxes.

Na volta 21 Alain Prost iria para os boxes para fazer a sua primeira troca, Um pit muito rápido que durou 7 segundos e 86 Centésimos. Senna assumia a liderança que era até esperado sendo que Senna não gastou tanto os pneus do que Prost que continuava a passar os retardatários como as duas Dallaras de Caffi e De Cesaris.

Boutsen e Alliot na volta 23 pararam para tocar os seus pneus, ao Final da volta 23 Senna foi para os boxes trocar seus pneus a Mclaren não trabalhou tão bem assim, o tempo foi 9.89 segundos perderam 2 segundos e 3 centésimos. A Classificação da corrida era após 24 voltas: Prost (42:47.274), Senna (4.673) , Berger (24.705), Nannini (28.542) , Mansell (29.617) e Patrese (32.490) . Piquet era o 7ºlugar e ainda não fez a sua primeira parada nos boxes.

Lzi8jvdq

Jonathan Palmer com a Tyrrell e Nicola Larini com a Osella abandonaram a corrida com 20 e 21 voltas respectivamente. (Palmer por problemas na Bomba de combustível e Larini com problemas nos freios)

Senna começava a se aproximar de Prost, sentindo que a hora de atacar Prost era agora. Patrese Trocou os pneus e com isso Nelson Piquet estava em 6ºlugar. Já estávamos na metade da corrida. A volta 25 de Ayrton Senna era a melhor volta da corrida com 1:43.904(202.998 km/h) chegando a 126 mph.

Prost e Senna negociam ultrapassagens sobre os retardatários. Senna fazia a volta mais rápida de novo com 1:43.496 (203.799 km/h) e Diminuía a distância para 3 segundos atrás de Alain Prost e acabou se livrando mais rápido de Warwick e Gugelmin que estavam tomando uma volta de Prost e Senna. Era a primeira vez que Senna começava a se aproximar de vez de Prost para a batalha.

Já Brundle não facilitou para nenhum dos dois (nem Prost, nem Senna tiveram facilidades para passar o Inglês) Na volta 29 Senna virava 2 décimos mais rápido que Prost e continuava a cair a diferença de Prost para Senna. Capelli com a sua March acabou sendo o 6ºpiloto a deixar a corrida com problemas de Suspensão. Na 30 voltas Modena foi o retardatário para ser passado, Ddessa vez nenhum dos dois teve problema e Senna virava 7 décimos mais rápido que Prost e a diferença caia para 2 segundos. Alesi era o retardatário na volta 31, Dessa vez Alesi atrapalha Senna, Mas assim mesmo Senna foi mais rápido que Prost e a diferença dele estava em 1.7 segundos.

Qxolcnaf

Motor de Grouillard na volta 31 pediu Água (quebrou) e abandonou a corrida. Piquet finalmente faz sua troca de pneus, foi o último dos pilotos a parar nos boxes para uma primeira troca. Classificação após 31 voltas: Prost (55:00.179), Senna (a 1.758), Berger (a 28.641), Nannini (a 36.006), Mansell (a 41.877) e Patrese (a 1:07.293).

Prost na volta 32 Consegue ser mais rápido nos centésimos do que Senna. Na Volta 33 Senna comete um erro e acabou e perdeu meio segundo e com isso a vantagem subiu para 2.2 segundos. Nelson Piquet na volta 34 começava a ser alvo de Prost e Senna para ser ultrapassado para levar uma volta dos dois pilotos da Mclaren.

Piquet abriu para Prost passar, Mas Senna teve dificuldade e com isso perdeu tempo e a diferença voltou a estar a casa dos 3 segundos a favor de Prost. Berger com problemas de câmbio abandonou a corrida e com isso Nannini assumiu o 3ºlugar da corrida com Mansell em 4º e Patrese e Boutsen em 5º e 6ºlugar. E Pirro e De Cesaris acabaram se chocando no hairpin e tudo foi culpa do Pirro que se chocou com De Cesaris que defendia sua posição de forma correta.

Senna tentava buscar de novo Prost e precisava ser rápido, O tempo estava acabando ou melhor as voltas estavam acabando (faltavam 16 voltas para o final), para Senna era agora ou nunca, para Prost era só se manter na frente que o Título era dele. Classificação após 36 Voltas: Prost (1:03.40.057), Senna (a 3.337), Nannini (a 46.947), Mansell (a 51.025), Patrese (a 1:17.159) e Boutsen (a 1:23.574).

Na Volta 37 Senna faz a volta mais rápida com 1:43.300 – Média de 204.185 km/h (126.875 Mph), Alliot quebra o motor Lamborghini na volta 36 e deixa a corrida após boa corrida. Jean Alesi também deixa a corrida com problemas de Câmbio. E a briga entre Prost e Senna. Nannini em Terceiro lugar estava a mais de 30 segundos atrás de Senna, mas com o Terceiro lugar administrável. 1:43.025 Senna faz a melhor volta da corrida na volta 38 e baixa a diferença para 2 segundos.

Na Volta 39 Senna baixa a diferença para 1.7 segundos. Enquanto isso Mansell fuma na Pista e com isso Mansell deveria abandonar a corrida, Mas o leão continuava na corrida achando que ainda dava para prosseguir.

No final da volta 40 Prost perde muito tempo atrás da Arrows e acaba Senna se aproximando definitivamente pra cima de Alain Prost e ambos iriam travar a batalha final em Suzuka. O Francês para matar o campeonato a favor dele enquanto Senna tenta levar o título para Adelaide. Nakajima na volta 39 deixou a corrida. (Seu motor Judd não aguentou o tranco da corrida) Mansell depois de muitas voltas fumando acabou parando com problemas com Problemas de Motor o V12 da Ferrari também não aguentou até o final, nisso Nannini se firmava em 3ºlugar que era o máximo que ele poderia conseguir com Prost e Senna na pista.

Yl8gi3mr

Senna buscava a Ultrapassagem, Mas Prost acabava Saindo mais forte na aceleração do que Senna. Nisso dava pra ver que Na reta não iria acontecer a ultrapassagem e que teria que ser numa curva e foi justamente na volta 45 em que Senna subindo a grande reta foi com ação em cima de Prost e quando Senna buscou a ultrapassagem pra cima de Prost na chicane o francês Alain Marie Pascal Prost Teve seu momento mais negro da sua carreira na Formula 1. O francês jogou o carro pra cima de Ayrton Senna, os dois batem, e ficam parados.

Z6ysjybe

Com isso o título era de Prost que estava satisfeito e deixava o carro por aí abandonando a corrida. Já Senna queria voltar e pediu para ser empurrado, com a ajuda necessária dos fiscais de pista acabou voltando ele foi conduzido para fora da Chicane e voltou a corrida com a Asa dianteira quebrada.

5pjuvhhf

Senna ele precisava ir aos boxes para trocar a Asa, mas sem ir rápido Senna acaba quebrando o bico e na Curva Degner passa reto. consegue voltar a pista e vai para os boxes. Nannini que tinha um terceiro lugar garantido e satisfeito por subir ao pódio acabou vendo a chance de vencer pela primeira vez na Formula 1. Nannini Passa depois de Senna ter de ir aos boxes tocar o bico dianteiro. Senna volta longe de Nannini e com 5 voltas para o final.

Nannini tinha uma boa distância sobre Senna e parecia que mesmo com Prost fora o Título ficaria com o Francês, Mas o problema de Prost e de Nannini era que tinha ainda Ayrton Senna na corrida.

Senna foi nas ultimas 5 voltas alucinado em cima de Nannini e mesmo com a suspensão danificada Senna tirava diferença sobre Nannini, na volta 49 a diferença era de 4.6 segundos e na volta 50 Senna se aproximava do jovem Italiano de uma forma impressionante, enquanto isso os comissários e os fiscais e homens da FIA estavam na Torre para avaliar se tinha ou não punição para Senna.

A 3 Voltas para o final da corrida Nannini na frente com Senna na sua cola, Nannini lutava pela primeira vitória na carreira e Senna lutava para vencer a corrida e levar o título para a Austrália. E a menos de 2 voltas para o final Senna passa Nannini na chicane, dessa vez sem incidente restando 2 voltas para o final Senna tinha passado Nannini de forma dramática e emocionante. E Nessas horas é que só mesmo Senna para conseguir isso.

Fplxcoit

Na pista Senna completou as duas últimas voltas na liderança e acabou cruzando na frente, numa das corridas mais emocionantes da história da Formula 1, Senna fez uma das maiores corridas em que um piloto poderia fazer na história de 39 anos de Formula 1 (67 nos dias de Hoje).

Com isso Senna levava a Disputa do título para a Austrália, Mas minutos depois os comissários de prova desclassificam Senna e deram a vitória a Alessandro Nannini. Com isso Prost conquistava o Tricampeonato. Balestre depois de um tempo ele confessava que acabou mandando punir Senna para dar o título para Prost.

Senna e a Mclaren criticaram de forma muito forte a Balestre. Com isso Balestre chegou a dar uma punição de 6 meses sem correr e de 100 mil dólares. E ainda ameaçou Tirar a Mclaren da Formula e de cassar a Superlicença de Senna caso Ron Dennis e Senna não se retratassem das palavras que eles falaram ao presidente da FISA (FIA).

O Caso é que Prost em seu momento mais sujo de sua carreira fantástica chegava ao seu tricampeonato e levava o número 1 para a Ferrari. Mas essa manobra teria uma consequência no ano seguinte. Senna não esqueceria jamais essa derrota política e iria querer a vingança. Nannini comemorava a sua primeira vitória da Carreira (Que acabaria sendo a única da carreira) Junto de Patrese e de Boutsen. Piquet que fez grande corrida com a Carroça da lotus-Judd em 4º, Brundle em 5º e Warwick em 6º Completaram a zona de pontuação.

Resultado final do GP do Japão de 1989

Fotos:

Vídeo da corrida: Motor Sports

Fonte das Fotos: Bestlap, Formel1mic

Texto: Deivison da Conceição da Silva