Indy em Toronto – Newgarden vence e principais candidatos ao título não deram sorte

Grid de largada:

pos Piloto Equipe Chassi/Moto Tempo  Fase
1 Simon Pagenaud Team Penske Dallara/Chevrolet 0:58.9124 Q3
2 Graham Rahal Rahal Letterman Lanigan Racing Dallara/Honda 0:59.2245 Q3
3 Helio Castroneves Team Penske Dallara/Chevrolet 0:59.4345 Q3
4 Will Power Team Penske Dallara/Chevrolet 0:59.5430 Q3
5 Scott Dixon Chip Ganassi Racing Dallara/Honda 0:59.7970 Q3
6 James Hinchcliffe Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda 1:00.1415 Q3
7 Josef Newgarden Team Penske Dallara/Chevrolet 0:59.8992 Q2
8 Alexander Rossi Andretti Herta Dallara/Honda 1:00.0114 Q2
9 Max Chilton Chip Ganassi Racing Dallara/Honda 1:00.1202 Q2
10 Takuma Sato Andretti Autosport Dallara/Honda 1:00.1970 Q2
11 Marco Andretti Andretti Autosport Dallara/Honda 1:00.3384 Q2
12 J.R. Hildebrand Ed Carpenter Racing Dallara/Chevrolet 1:02.3040 Q2
13 Spencer Pigot Ed Carpenter Racing Dallara/Chevrolet 0:59.7585 Q1
14 Tony Kanaan Chip Ganassi Racing Dallara/Honda 1:00.0607 Q1
15 Ed Jones Dale Coyne Racing Dallara/Honda 0:59.8686 Q1
16 Ryan Hunter-Reay Andretti Autosport Dallara/Honda 1:00.0926 Q1
17 Charlie Kimball Chip Ganassi Racing Dallara/Honda 0:59.9820 Q1
18 Conor Daly A. J. Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet 1:00.2713 Q1
19 Carlos Munoz A. J. Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet 1:00.1650 Q1
20 Sebastian Saavedra Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda 1:00.6272 Q1
21 Esteban Gutierrez Dale Coyne Racing Dallara/Honda 1:00.7441 Q1

Nas ruas de Toronto foi realizada a 12ªEtapa do Campeonato Mundial de Formula Indy. Em uma prova que poderia ser melhor em muita coisa e que teve a vitória decidida por causa de uma bandeira amarela e também por uma sorte de um dos pilotos da Penske.

Na pole position larga Simon Pagenaud pela primeira vez na temporada de 2017 com Graham Rahal em uma belíssima segunda posição e vindo de dupla vitória no último circuito de rua que tivemos em Detroit (Corrida 1 / Corrida 2) larga em 2º. Hélio Castroneves sem a pressão do jejum de 3 anos sem vitória após o triunfo da prova de Iowa largam em 3ºlugar e Will Power com a Terceira Penske larga em 4º. Scott Dixon líder do campeonato larga em 5º com o carro da Ganassi e James Hinchcliffe, O dono da Casa com a Schmidt Peterson larga em 6º.

O brasileiro Hélio Castroneves fez uma incrível largada aproveitando a preocupação de Simon Pagenaud com o Norte-americano Graham Rahal e assumiu a liderança da corrida com Pagenaud e Rahal logo a seguir. Sem confusão na primeira curva, Mas na reta oposta tivemos um toque de Scott Dixon em Will Power que aniquilou a suspensão de Power que em troca acabou furando o pneu de Dixon. Resultado disso foram que ambos tiveram problemas:

Power acabou com problemas na suspensão levando o carro com dificuldade aos boxes e dos boxes não voltou mais inclusive precisando de ajuda para ir para o pit do piloto australiano. Já Dixon teve de ir para os boxes ajeitar o seu carro além de trocar os pneus. Além disso, ele acabou punido por entrar com os boxes fechados e com isso perdeu muito tempo e praticamente ficou de Fora da disputa.

A bandeira amarela durou 6 voltas. Na 7ªVolta a corrida recomeça com Castroneves, Pagenaud, Rahal e Newgarden começando a fazer um primeiro pelotão. Com Dixon as coisas que já não vinham bem piorariam um pouco mais. Uma peça aerodinâmica do seu carro solta na pista o que poderia provocar uma bandeira amarela o que acaba não sendo necessário.

James Hinchcliffe em 5ºlugar se distanciava dos 4 primeiros e começava a sofrer a pressão de Alexander Rossi com o carro da Andretti-Herta. Nas primeiras voltas poucas coisas acontecem em Toronto.

A primeira coisa relevante é a ultrapassagem de Tony Kannan sobre Marco Andretti ganhando o 8ºlugar na 12ªvolta. A cada volta que se passava Castroneves que era o líder, Pagenaud, Rahal e Newgarden abriam mais e mais vantagem para Hinchcliffe que nessa altura do campeonato estava segurando a turma inteira. Além de Rossi estavam atrás do Hinchcliffe Sato, Kannan e Pigot que surpreendeu a Kannan e o ultrapassou o piloto da Ganassi para ganhar o 8ºlugar, Logo depois de 1 volta o piloto da Carpenter passou Sato e foi para cima de Rossi e de Hinchcliffe.

O piloto Canadense da Schmidt Peterson e Kannan estavam sofrendo com o desempenho com os pneus desgastados e perdendo posições. Na Volta 21 Hunter-Reay e outros pilotos foram para os boxes anteciparem suas paradas, Na 22ªVolta Kannan e Hinchcliffe foram para a parada antecipada (A Janela de parada ficava entre a 26 a 30 Voltas) Ao sair dos Boxes Tony Kannan erra o ponto da curva com os pneus frios, freia forte e bate nos pneus provocando uma bandeira amarela em todo o circuito. Com isso acabou prejudicando a Hélio Castroneves, Graham Rahal e a Simon Pagenaud. Já Josef Newgarden deu a sorte de parar momentos antes da bandeira amarela foi o principal beneficiado dessa bandeira amarela. Com as paradas dos pilotos que iriam seguir a janela normal Newgarden assumiu a liderança com Ed Jones que não tinha parado foi para o segundo lugar, Kimball passou para a terceira posição. Kannan voltou a prova a 2 voltas dos lideres e sem qualquer chance de qualquer resultado positivo. Castroneves voltou na 14ªposição na frente de Pagenaud e de Rahal. Essa bandeira amarela acabou fazendo Dixon retornar a corrida.

Relargada na volta 28 e Kimball parte para cima de Jones visando não deixar Newgarden escapar. Na volta seguinte o piloto da Ganassi ultrapassou o piloto da Dale Coyne passando a segunda posição e deixando a confusão para Rossi e os demais pilotos mais atrás. Rossi foi para cima de Jones e passou para a 3ªposição na volta 31. Era evidente que o ritmo de prova de Jones era ruim e que ele precisava fazer a parada. Antes disso ele perdeu o 4ºlugar para James Hinchcliffe. Duas voltas depois ele foi para a sua primeira parada nos boxes. Lá Atrás Pagenaud ultrapassou Castroneves ganhando uma importante posição na luta pelo campeonato.

Na Volta 37 Dixon que vinha em 9ºlugar faz sua segunda parada no que definitivamente colocava o piloto Neozelandês na tática das 3 paradas nos boxes enquanto que a maioria dos outros pilotos parecia vim para 2 paradas nos boxes. Na frente Newgarden vinha com uma distância segura para Kimball que faria a parada na 38ªVolta partindo para 2 paradas e Rossi que assumiria a 2ªposição. Nessa altura da prova não havia disputas na parte da frente. A briga mais disputada era pela 9ªposição entre Hélio Castroneves e Graham Rahal. Já Scott Dixon estava tendo trabalho duro lutando por posição com Carlos Muñoz e Spencer Pigot que acabou sumindo na prova.

Quem começava a se aproximar para disputar o 4ºlugar era Ryan Hunter-Reay que se aproximava volta a volta do Marco Andretti que fazia sua melhor corrida na temporada de 2017 da Formula Indy. Os pilotos estavam conseguindo esticar a janela de parada para fazerem apenas 2 paradas nos boxes. Newgarden já vinha abrindo 5 segundos sobre Rossi que vinha com 5 segundos de vantagem para Hinchcliffe. Ou seja a vitória estava nas mãos do piloto mais jovem de Roger Penske.

Sebastian Saavedra que fazia uma bela corrida substituindo a Mikhall Aleshin que parece que levou uma suspensão da sua equipe pelos acidentes que ele vinha sofrendo nas ultimas corridas (O que eu não achei justo não apesar do Russo não estava obtendo resultados expressivos em 2017) foi para os boxes para a segunda e última parada. Todos os pilotos a partir da volta 52, 53 iriam para apenas 2 paradas nos boxes. Na volta 54 pararam os 5 primeiros colocados: Newgarden, Rossi, Hinchcliffe, Andretti e Hunter-Reay. Chilton assumiu a liderança e parou na volta seguinte.

A Liderança também passou a liderança por 2 voltas até ir a parada derradeira na volta 58. Com isso Newgarden voltou a liderança com Rossi e Hinchcliffe completando os 3 primeiros colocados. Dixon em 4º precisaria de mais uma parada nos boxes o que acabou acontecendo na volta 62. A Vantagem do neozelandês é que ele poderia mandar bala já que não precisaria poupar combustível para terminar a corrida ao contraio dos seus adversários que estavam dosando seu ritmo para não ter problemas de Combustível no final da prova. A desvantagem do piloto da Ganassi é que ele estava em 11ºlugar com uma tática que acabou não tendo muito resultado já que apenas com o Dixon é que essa estratégia acabou dando mais ou menos certo.

Pagenaud tentava o ataque para cima de Hunter-Reay tentando buscar mais uma posição (mais 2 pontos com a briga pelo 5ºlugar). O piloto da Andretti estava mais lento do que os outros carros. Tanto é que Chilton chegou nessa disputa de posição. Castroneves e Saavedra também chegariam nessa disputa.

A 15 Voltas do final tudo tranquilo para Newgarden na liderança que estava mantendo a liderança com uma certa folga para o Norte-americano Alexander Rossi que vinha na segunda posição com folga para o piloto da casa James Hinchcliffe vinha em uma tranquila 3ªposição. A disputa por posição no final da prova estava a partir do 5ºlugar entre Hunter-Reay que se defendia muito bem dos ataques de Pagenaud Na volta 75 Pagenaud passou Hunter-Reay no final da reta oposta que depois o norte-americano deu o troco. Mas na volta seguinte o piloto da Andretti erra na volta 76 e o piloto Francês não bobeou e assumiu a 5ªposição.

Hunter-Reay acabou ficando para Max Chilton, Castroneves, Saavedra, Rahal e Dixon que chegaria nessa disputa. O piloto Colombiano no final perdeu posições para Rahal e Dixon que passou para o 10ºlugar. Newgarden levou com tranquilidade a vitória em Toronto que se dizia que iria chover na segunda metade de corrida e nada disso aconteceu. Newgarden tinha equipamento até para ganhar a corrida sem a bandeira amarela e o momento de sorte que ele teve na corrida facilitou as coisas.

Alexander Rossi em uma belíssima corrida ficou em 2ºlugar e James Hinchcliffe levou a bandeira do Canadá para o pódio na terceira posição. Todos os três pilotos que ficaram no pódio estiveram bem colocados sem a sorte que eles tiveram nas ruas de Toronto.

Marco Andretti em sua melhor corrida da temporada disparadamente conquistando um belíssimo e inesperado 4ºlugar. Simon Pagenaud mesmo com a sua falta de sorte ainda arrancou um 5ºlugar e diminuiu a diferença para Dixon que teve sorte na corrida ficando em 10ºlugar perdendo apenas 5 pontos da sua vantagem que era de 8 pontos para Hélio Castroneves que liderou a primeira parte da corrida e que terminou na 8ªposição.

Nesse próximo domingo teremos a 13ªEtapa do mundial de Formula Indy no circuito de Mid-Ohio

Vídeo da Corrida:

Resultado final da 12ªEtapa do Mundial de Formula Indy

pos Piloto Equipe Chassi/Moto Tempo
1 Josef Newgarden Team Penske Dallara/Chevrolet  1h 35:05.3522
2 Alexander Rossi Andretti Herta Dallara/Honda  a 1.8704
3 James Hinchcliffe Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda  a 4.7020
4 Marco Andretti Andretti Autosport Dallara/Honda  a 18.7408
5 Simon Pagenaud Team Penske Dallara/Chevrolet  a 19.4274
6 Ryan Hunter-Reay Andretti Autosport Dallara/Honda  a 27.3905
7 Max Chilton Chip Ganassi Racing Dallara/Honda  a 28.3386
8 Helio Castroneves Team Penske Dallara/Chevrolet  a 28.9415
9 Graham Rahal Rahal Letterman Lanigan Racing Dallara/Honda  a 29.7693
10 Scott Dixon Chip Ganassi Racing Dallara/Honda  a 30.3369
11 Sebastian Saavedra Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda  a 32.7668
12 Charlie Kimball Chip Ganassi Racing Dallara/Honda  a 36.4821
13 J.R. Hildebrand Ed Carpenter Racing Dallara/Chevrolet  a 52.8910
14 Esteban Gutierrez Dale Coyne Racing Dallara/Honda  a 53.9858
15 Carlos Munoz A. J. Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet  a 57.2777
16 Takuma Sato Andretti Autosport Dallara/Honda  a 1:01.8457
17 Conor Daly A. J. Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet  a 1:02.3752
18 Spencer Pigot Ed Carpenter Racing Dallara/Chevrolet  a 1 Volta
19 Tony Kanaan Chip Ganassi Racing Dallara/Honda  a 2 Voltas
20 Ed Jones Dale Coyne Racing Dallara/Honda  a 10 Voltas – Mecânico
21 Will Power Team Penske Dallara/Chevrolet  a 85 Voltas – Acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos e Vídeo: IndyCar

Takuma Sato vence a mais disputada 500 milhas da história e leva Japão pela 1ªVez ao topo de Indianapolis

A 101ªEdição das 500 milhas de Indianapolis foi uma das mais disputadas da História e teve como vencedor um piloto que correu na Formula 1, Mas não foi Fernando Alonso. Acabou sendo o Japonês Takuma Sato que chegou a vitória com um carro muito competitivo da Andretti Autosport. Foi a primeira vitória de um piloto Nipônico na Indy 500.

Na largada Dixon manteve a liderança, Quem largou muito bem foi Will Power que pulou do 9º para o segundo lugar e Tony Kannan que subiu de 7º para o 5ºlugar. No começo da prova os principais pilotos da Ganassi tinham um carro competitivo para disputarem a vitória. Kannan subiu posição por posição até passa Scott Dixon na 10ªVolta e assumiu a liderança da prova e ficou por boas 15 voltas na ponta com seu companheiro de equipe em 2ºlugar enquanto isso Fernando Alonso começava a subir e ganhar posição após posição.

Na entrada da 1ªjanela de paradas nos boxes Dixon começou a perder algumas posições indicando que os pneus desgastados o carro do Neozelandês não rendia mesmo. Kannan foi o primeiro a fazer a parada na volta 28 e a partir dai todos os outros pilotos começaram a ir para os boxes entre a 28 até a volta 33. No final da primeira rodada de paradas Fernando Alonso estava em 3ºlugar e acabou crescendo na corrida passando Ed Carpenter e na volta 37 Alonso passou o Vencedor de 2016, Norte-americano Alexander Rossi assumindo a liderança da prova.

O Espanhol que veio da Formula 1 para disputar a Indy 500 acabou por liderar por 6 voltas até tomar ultrapassagem do Rossi que voltou a liderar a corrida. Na volta 53 Jaw Howard que vinha com voltas de atraso devido a uma pane seca que ele sofreu acabou batendo no muro de leve e Scott Dixon sem qualquer possibilidade de reação acabou batendo no carro da Schmidt e sofrendo um dos acidentes mais impressionantes da história das 500 milhas de Indianapolis. Seu carro bateu no muro de dentro e capotou se desmanchando por completo. Dixon saiu de seu carro que ficou quase que destruído por completo apenas mancando a perna. A Bandeira amarela não bastou nesse caso, Tiveram que interromper a prova para a limpeza da pista a reconstrução da cerca de proteção que teve uma parte danificada pela batida.

Hélio Castroneves acabou por muito pouco se envolvendo na batida. O Carro de Dixon no ar ficou em cima do carro da Penske. O Brasileiro teve um prejuízo mínimo de ter perdido uma peça de seu carro. Algo que a equipe decidiu manter do jeito que estava.

A Relargada aconteceu depois de mais de meia hora de atraso com Alonso na liderança da prova. Já Hélio Castroneves da Penske estava lá atrás na mesma volta do Líder. Para falar da Penske deve considerar que em momento nenhum a equipe teve em posição forte de vencer a prova de 2017. Na Volta 65 Conor Daly ao tentar ganhar posição acaba batendo de leve e aciona a segunda bandeira amarela da prova. Jack Harvey também roda e deixa a corrida.

Essa bandeira amarela não foi tão dramática como as outras bandeiras amarelas, Após a limpeza a bandeira verde foi acionada de novo e seguia a disputa com Alonso lutando pelos primeiros lugares, Mas tinha grandes adversários como o Brasileiro Tony Kannan, Ryan-Hunter Reay, Takuma Sato, Ed Carpenter, Alexander Rossi, Will Power e sempre contar com algum piloto que podesse ou mudar a tática de corrida ou que estivesse escondendo o jogo.

Helinho percebeu que com a tática normal não iria levar a Penske a vitória de jeito nenhum e com isso decidiu mudar sua estratégia no que fez o piloto Brasileiro partir para os primeiros lugares da corrida. Essa mudança de tática acabou dando certo para o piloto Brasileiro.

Mais uma bandeira amarela na volta 121 com a batida forte de Buddy Lazier de 49 anos de idade e vencedor das 500 milhas de 1996. Sage Karam com problemas mecânicos nos boxes deixava a corrida também. Ocorreram novas bandeiras amarelas por detritos na pista como na volta 130.

Na Volta 137 um dos favoritos a vitória o Norte-Americano Ryan Hunter-Reay tem seu motor Honda fumando e abandona a prova. Se tínhamos um favorito a deixar a corrida tínhamos 2 outros que apareciam do nada. Eram os pilotos da Ganassi Max Chilton e Charlie Kimball que também arriscaram uma tática diferente de paradas para entrarem na disputa pela vitória.

Hélio Castroneves com essa bandeira amarela conseguiu se alinhar a todos os outros pilotos que estavam em tática. Ed Carpenter que poderia disputar a vitória acabou escorregando e batendo em Mikhall Aleshin. Ambos tiveram que ir aos boxes para consertarem danos em seus respectivos carros.

A Reta final da corrida estava chegando e Chilton, Kimball e James Davison que estava no lugar de Sebastien Bourdais vinham entrando na disputa da corrida já que eles estavam fazendo seus tanques de combustível durarem bastante ajudados pelas bandeiras amarelas que estavam acontecendo em sequência.

Chilton parou nos boxes após completar 41 voltas no seu tanque de combustível. Praticamente ao mesmo tempo Charlie Kimall e Zack Veach tiveram problemas de motor provocando nova bandeira amarela. Nisso todos fizeram suas paradas nos boxes e com isso todos estavam na mesma tática. Com Max Chilton na liderança seguido de Ed Jones, James Davison e Hélio Castroneves e mais atrás tínhamos fortíssimos Tony Kannan, Takuma Sato e Fernando Alonso na disputa pela vitória.

As últimas 30 voltas de corrida o Brasileiro Hélio Castroneves estava lutando contra o batalhão de pilotos com os motores Honda e sendo o único da Penske que estava na disputa pela vitória. Chilton manteve a liderança enquanto Takuma Sato começava a aparecer na corrida para disputar a vitória. A 20 voltas do final o Motor Honda de Fernando Alonso quebra fazendo o piloto espanhol parar. Ao sair do carro Alonso é muito aplaudido por todos o público de Indianapolis. A principal estreia da 101ªEdição das 500 milhas de Indianapolis abandonou a prova.

A menos de 20 voltas do final tudo indefinido com Chilton na liderança seguido de Sato e Castroneves. Na relargada Servia ao tentar passar Davison acaba tocando no piloto inglês que vai para o muro e provoca um acidente com 5 pilotos. Will Power, James Hinchcliffe e Josef Newgarden acabaram sendo envolvidos. Os fiscais de pista tinham que trabalhar rápido para garantir o final em bandeira verde o que acabou acontecendo.

A 11 voltas do final a luta pela vitória ficou resumida em Chilton, Sato, Castroneves e Jones. O Brasileiro da equipe Penske foi para cima de Chilton e depois foi para cima de Sato e a 5 voltas do final o Brasileiro estava na liderança das 500 milhas e parecia que seria o dia da 4ª conquista do piloto da Penske na Indy 500.

Mas Sato também disposto a fazer história e com mais carro que o brasileiro faz a ultrapassagem e volta a liderança, Chilton perdeu posição para Ed Jones que passou para o terceiro lugar e conseguiu acompanhar os dois que disputaram a vitória nas últimas voltas.

Castroneves tentou até o final tirar de Sato a vitória, Mas o dia era do Samurai voador que aos 40 anos e em sua 8ªTemporada na Formula Indy ele leva o Japão a sua maior conquista do automobilismo mundial ao vencer as 500 Milhas de Indianapolis. Uma vitória que coroa uma carreira nos Estados Unidos que teve seus altos e baixos e que premia a Andretti pelo seu desempenho nos treinos e na corrida de hoje.

Hélio Castroneves viu de novo a vitória escapar por pouco, Mas com o carro que ele teve nas mãos que não estava a altura de vencer a corrida acabar em 2ºlugar e liderar o campeonato após o mês de maio de eventos em Indianapolis e algo a se comemorar. O Brasileiro foi o único da Penske que realmente disputou a vitória.

Ed Jones em sua primeira vez nas 500 milhas ficou em 3ºlugar repetindo o feito de Nigel Mansell em 1993. O piloto dos EAU com uma Dale Coyne fez uma brilhante corrida assim como Max Chilton que alcança seu melhor resultado de sua carreira com o 4ºlugar. Tony Kannan andou muito bem a corrida inteira, Mas faltou alguma coisa no carro ou nele para disputar a vitória o que fez o vencedor de 2013 terminar em 5ºlugar.

Juan Palbo Montoya levou o Penske ao 6ºlugar em uma corrida discreta aonde ele apareceu apenas quando liderou a prova no começo durante a primeira rodada de paradas nos boxes. Alexander Rossi ficou em 7ºlugar, Dessa vez não deu para o norte-americano disputar a vitória apesar de ter brigado no começo de prova pelo bicampeonato. Marco Andretti continua a sina da maldição da Andretti nas 500 milhas ficando em 8ºlugar.

Gabby Chaves em uma corrida sem erros levou o modestíssimo carro da Harding ficou em 9ºlugar, Talvez um dos melhores pilotos da corrida mesmo sem qualquer condição de equipamento e fechando os 10 primeiros colocados Carlos Muñoz que até fez mais do que era possível com o carro da Foyt que nem de longe estava a altura do talento do piloto Colombiano.

Sato definitivamente escreve seu nome na história. Mas o campeonato continua e no próximo sábado teremos a etapa dupla em Detroit em Belle Island.

Resultado final das 500 milhas de Indianapolis
Edição 101 – 200 Voltas

pos Piloto Equipe Chassi/Motor Tempo Grid
1 Takuma Sato 26 Andretti Autosport Dallara/Honda 3h 13:03.3584 4
2 Helio Castroneves 3 Team Penske Dallara/Chevrolet 0.2011 19
3 Ed Jones 19 Dale Coyne Racing Dallara/Honda 0.5278 11
4 Max Chilton 8 Chip Ganassi Racing Dallara/Honda 1.1365 15
5 Tony Kanaan 10 Chip Ganassi Racing Dallara/Honda 1.6472 8
6 Juan Pablo Montoya 22 Team Penske Dallara/Chevrolet 1.7154 18
7 Alexander Rossi 98 Andretti Herta Dallara/Honda 2.4222 3
8 Marco Andretti 27 Andretti Autosport Dallara/Honda 2.5410 8
9 Gabby Chaves 88 Harding Racing Dallara/Chevrolet 3.8311 25
10 Carlos Munoz 14 A.J.Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet 4.5319 24
11 Ed Carpenter 20 Ed Carpenter Racing Dallara/Chevrolet 4.6228 2
12 Graham Rahal 15 Rahal Lettermann Dallara/Honda 5.0310 14
13 Mikhail Aleshin 7 Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda 5.6993 13
14 Simon Pagenaud 1 Team Penske Dallara/Chevrolet 6.0513 23
15 Sebastian Saavedra 17 Juncos Racing Dallara/Chevrolet 12.6668 31
16 J.R. Hildebrand 21 Ed Carpenter Racing Dallara/Chevrolet 33.2191 6
17 Pippa Mann 63 Dale Coyne Racing Dallara/Honda a 1 Volta 28
18 Spencer Pigot 11 Juncos Racing Dallara/Chevrolet a 6 Voltas 29
19 Josef Newgarden 2 Team Penske Dallara/Chevrolet a 14 Voltas 22
20 James Davison 18 Dale Coyne Racing Dallara/Honda a 17 Voltas – Acidente 33
21 Oriol Servia 16 Rahal Lettermann Dallara/Honda a 17 Voltas – Acidente 12
22 James Hinchcliffe 5 Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda a 17 Voltas – Acidente 17
23 Will Power 12 Team Penske Dallara/Chevrolet a 17 Voltas – Acidente 9
24 Fernando Alonso 29 Andretti Autosport Dallara/Honda a 21 Voltas – Mecânico 5
25 Charlie Kimball 83 Chip Ganassi Racing Dallara/Honda a 34 Voltas – Mecânico 16
26 Zach Veach 40 A.J.Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet a 45 Voltas – Mecânico 32
27 Ryan Hunter-Reay 28 Andretti Autosport Dallara/Honda a 64 Voltas – Mecânico 10
28 Sage Karam 24 Dreyer & Reinbold Racing Dallara/Chevrolet a 75 Voltas – Mecânico 21
29 Buddy Lazier 44 Lazier Partners Dallara/Chevrolet a 82 Voltas – Acidente 30
30 Conor Daly 4 A.J.Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet a 135 Voltas – Acidente 26
31 Jack Harvey 50 Andretti Autosport Dallara/Honda a 135 Voltas – Acidente 27
32 Scott Dixon 9 Chip Ganassi Racing Dallara/Honda a 148 Voltas – Acidente 1
33 Jay Howard 77 Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda a 155 Voltas – Acidente 20

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: IndyCar
Vídeo: F1 Racers (Youtube)

GP2 Series – 1ªEtapa – GP do Bahrein 2015

Grid de Largada:

1 Stoffel Vandoorne (ART Grand Prix) 1’39.237
2 Nobuharu Matsushita (ART Grand Prix) 1’39.545
3 Alex Lynn (DAMS) 1’39.599
4 Arthur Pic (Campos Racing) 1’39.630
5 Raffaele Marciello (Trident) 1’39.645
6 Jordan King (Racing Engineering) 1’39.770
7 Norman Nato (Arden International) 1’39.857
8 Alexander Rossi (Racing Engineering) 1’39.872
9 Pierre Gasly (DAMS) 1’39.877
10 Sergey Sirotkin (Rapax) 1’39.887
11 Artem Markelov (RUSSIAN TIME) 1’39.955
12 Rio Haryanto (Campos Racing) 1’39.961
13 Mitchell Evans (RUSSIAN TIME) 1’39.999
14 Robert Visoiu (Rapax) 1’40.128
15 Richie Stanaway (Status Grand Prix) 1’40.251
16 Julián Leal (Carlin) 1’40.353
17 Sergio Canamasas (MP Motorsport) 1’40.434
18 Marco Sørensen (Carlin) 1’40.444
19 André Negrão (Arden International) 1’40.634
20 Daniël de Jong (MP Motorsport) 1’40.653
21 Nathanaël Berthon (Lazarus) 1’40.654
22 Rene Binder (Trident) 1’40.773
23 Marlon Stöckinger (Status Grand Prix) 1’40.995
24 Zoel Amberg (Lazarus) 1’41.690

No Bahrein no Circuito de Sahkir foi realizada a primeira etapa da GP2 Series, Com a novidade agora da Asa Movel introduzida nos carros Dallara da categoria. A disputa pelo título deve estar entre Stoffen Vandroome, Mitch Evans, Alexander Rossi e Raffaele Marciello, Mas sempre podendo ter algum piloto que Seja a supresa desse campeonato, Nos Treinos oficiais Stoffen Vandroome conquistou a pole position com muita tranquilidade em cima dos seus outros adversários, Em 2ºlugar teria seu companheiro de equipe o Japonês Nobuharu Matsushita. Alex Lynn campeão da GP3 Series em 2014 larga em 3ºlugar com a melhor equipe do campeonato ultimamente a DAMS. O Único piloto brasileiro que esta no grid era André Negrão que correria pela Arden International e sairia de uma difícil 19ªposição.

Na Largada largou bem o Belga Vandoorne mantendo a liderança da corrida, Ao contraio do seu companheiro de equipe o Japonês Nobuharu Matsushita acabou nem largando direito e caindo lá para o meio do pelotão, Alex Lynn que estreia na GP2 na equipe DAMS assumiu a segunda posição. Quem se deu bem na largada foram Norman Nato que pulou de 7º para o 3ºlugar e de Pierre Gasly que saiu do 9º para o 5ºlugar, O piloto Francês da Arden não tinha rendimento para segurar o terceiro lugar e começou a ser pressionado por Raffaele Marciello da Trident, Como o Francês estava segurando a posição se aproveitou o Francês Arthur Pic que passou ambos e assumiu o 3ºlugar.

A Disputa entre Nato e Marciello durou até a Quinta Volta quando Marciello tentou passar Nato que acabou perdendo a freada e e tocando em Arthur Pic e Marciello também tentou passar aonde ainda não era a Hora e foi envolvido e Pierre Gasly que não tinha a ver em nada com isso acabou quebrando o bico do seu carro se chocando com Pic que também não teve culpa nessa história toda.

Com o engavetamento de 4 carros o Safety Car entrou na pista para que todos os carros nesse acidente fossem retirados, Gasly, Nato e Pic abandonaram a corrida, Marciello conseguiu ir aos boxes, mas abandonou a corrida na volta seguinte, Marco Sorensen acabou com problemas de suspensão abandonou a corrida também. A Partir dai um grupo que começou com o Inglês Alex Lynn e que entre eles tinha o brasileiro André Negrão foram para a parada obrigatória imediatamente. Stefan Vandromme, Rio Haryanto, Nobuharu Matsushita, Rosbert Visoiu, Artem Markelov e mais alguns não fizeram essa opção de ir aos boxes. Depois 4 voltas inteiras com Safety Car acabou saindo da pista após ótimo trabalho dos fiscais de pista que tiraram os carros de forma bastante rápida, Na Relargada Vandoorne continuou na ponta da corrida com Haryanto em 2º e os demais que não fizeram a parada no Safety Car.

O Norte-Americano Alexander Rossi com a Racing Engineering conseguiu fazer os pneus renderem e foi fazendo várias ultrapassagens ao contraio do Inglês Alex Lynn que não conseguiu fazer os pneus renderem e foi ficando para trás. La na Frente Vandroorne e Haryanto conseguiram abrir uma boa diferença do pelotão.

Faltando umas 14 voltas os pilotos que não foram para os boxes no Safety Car na pista começaram a parar nos boxes, A 10 voltas do final o Líder Vandoorne foi para os boxes e acabou indo para trás assim como Haryanto, Visolu e Matsushita. Mas Vandroome com muito mais pneu do que o pelotão com pneus desgastados, Restando 3 voltas para o final o piloto Belga que é protegido pela Mclaren foi para cima do Líder Alexander Rossi que não teve chances de se defender, Com pneus novos Vandroome assumiu a liderança da corrida, No final da prova os pilotos que tinham trocado os pneus na reta final da corrida estavam subindo.

Vandroome venceu a corrida com Rio Haryanto em 2ºlugar conquistado na última curva em cima de Alexander Rossi que conseguiu o 3ºlugar completando o pódio. Jordan King com o outro carro da Racing Engineering e piloto reserva da Manor por ser filho de um dos donos da equipe ficou em 4ºlugar, Robert Visoiu em bela Estreia chegou em 5ºlugar, Mitch Evans com a Russian Time ficou em 6º, Berthon, Leal e Negrão fizeram belas corridas de recuperação terminando a corrida nos pontos em 7º, 8º e 9ºlugares respectivamente com o piloto da Colômbia da equipe Carlin sendo o pole no dia seguinte e completando a zona de pontuação o Japonês Nobuharu Matsushita que conseguiu fazer uma boa corrida de recuperação em sua estreia após a desastrosa largada que ele teve.

Resultado da primeira etapa da GP2 Series – temporada 2015

1 Stoffel Vandoorne (ART Grand Prix) 1:01:23.306 em 32 Voltas
2 Rio Haryanto (Campos Racing) 5.056
3 Alexander Rossi (Racing Engineering) 5.497
4 Jordan King (Racing Engineering) 12.322
5 Robert Visoiu (Rapax) 20.048
6 Mitchell Evans (RUSSIAN TIME) 25.543
7 Nathanaël Berthon (Lazarus) 27.729
8 Julián Leal (Carlin) 28.463
9 André Negrão (Arden International) 29.502
10 Nobuharu Matsushita (ART Grand Prix) 29.664
11 Marlon Stöckinger (Status Grand Prix) 36.875
12 Sergey Sirotkin (Rapax) 38.516
13 Artem Markelov (RUSSIAN TIME) 41.021
14 Sergio Canamasas (MP Motorsport) 41.391
15 Richie Stanaway (Status Grand Prix) 43.375
16 Zoel Amberg (Lazarus) 44.062
17 Rene Binder (Trident) 44.682
18 Daniël de Jong (MP Motorsport) 48.421
19 Alex Lynn (DAMS) 1:05.572

Não Completaram a corrida:

Raffaele Marciello (Trident) a 27 Voltas
Norman Nato (Arden International) a 28 Voltas
Arthur Pic (Campos Racing) a 28 Voltas
Pierre Gasly (DAMS) a 28 Voltas
Marco Sørensen (Carlin) a 28 Voltas

Na segunda corrida realizada no domingo, a prova curva de 23 voltas teve como pole o piloto Julian Leal da Colômbia com o Nathanaël Berthon da Lazarus em segundo lugar, Evans, Visolu, King, Rossi, Haryanto e Vandroome completavam os 8 primeiros colocados, André Negrão largou em 9ºlugar.

Na largada Leal manteve a liderança da prova com Evans em segundo e Haryanto em 3º. O Colombiano da Equipe Carlin liderou as primeiras voltas da corrida, Mas perdeu desempenho e Rio Haryanto após passar Evans ele passou também a Leal e assumiu a liderança da prova e dai foi abriu diferença enquanto Leal arrastou-se pela pista e Evans tentou atacar de todo o jeito mas acabou não conseguindo passar Leal e ainda mais tomou do Visolu e acabou furando um pneu e com isso teve de ir aos boxes e com isso sua corrida ficou totalmente comprometida. Antes disso Sergio Caramasas acabou tocando em Jordan King prejudicando o desempenho do piloto Inglês, Caramasas deixou a corrida após esse incidente o que é normal para um piloto do calibre dele (de falta de talento e desastroso)

A ART Grand Prix teve seus dois pilotos andando muito bem, primeiro foi o Japonês Nobuharu Matsushita que passou Visolu que começou a também ficar lento e assumiu o segundo lugar e ficou por lá por algumas voltas, Mas na parte final da corrida Matsushita perdeu rendimento e acabou caindo para trás e perdendo posições para Vandoone, Rossi, Leal e Berthon, Enquanto isso Berthon acabou subindo o seu desempenho e conseguiu passar Matsushita, Leal e Rossi e conseguiu o 3ºlugar completando o pódio.

Vandroome foi para cima de Haryanto, Mas já não havia mais tempo e o piloto Indonésio da equipe Campos Racing conseguiu sua primeira vitória no campeonato após uma grande exibição com Stoffen Vandroome em 2ºlugar saiu do Bahrein como o Líder do campeonato.

André Negrão mesmo com um motor fraco ele conseguiu se segurar em 8ºlugar o que deixou o piloto da Arden com 3 pontos no campeonato. A próxima corrida foi em Barcelona na Espanha nos dias 9 e 10 de Maio.

Resultado da segunda etapa da GP2 Series – temporada 2015

1 Rio Haryanto (Campos Racing) 41:35.490 em 23 Voltas
2 Stoffel Vandoorne (ART Grand Prix) 3.004
3 Nathanaël Berthon (Lazarus) 5.639
4 Alexander Rossi (Racing Engineering) 6.258
5 Julián Leal (Carlin) 13.945
6 Nobuharu Matsushita (ART Grand Prix) 15.923
7 Robert Visoiu (Rapax) 19.794
8 André Negrão (Arden International) 20.159
9 Jordan King (Racing Engineering) 21.101
10 Arthur Pic (Campos Racing) 25.690
11 Richie Stanaway (Status Grand Prix) 32.040
12 Artem Markelov (RUSSIAN TIME) 33.200
13 Daniël de Jong (MP Motorsport) 34.335
14 Sergey Sirotkin (Rapax) 34.361
15 Alex Lynn (DAMS) 35.050
16 Norman Nato (Arden International) 39.501
17 Mitchell Evans (RUSSIAN TIME) 39.536
18 Zoel Amberg (Lazarus) 41.084
19 Marlon Stöckinger (Status Grand Prix) 43.390
20 Raffaele Marciello (Trident) 47.545
21 Marco Sørensen (Carlin) 49.715
22 Pierre Gasly (DAMS) 56.504

Não Completaram a corrida:

Sergio Canamasas (MP Motorsport) a 19 Voltas
Rene Binder (Trident) a 21 Voltas

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: GP2 Series