GP da Espanha de 1991 – Epson Nakajima Araujo

Grid de Largada:

GP da Espanha de 1991

1.Gerhard Berger (McLaren-Honda) 1:18.751
2.Nigel Mansell (Williams-Renault) 1:18.970
3.Ayrton Senna (McLaren-Honda) 1:19.064
4.Riccardo Patrese (Williams-Renault) 1:19.643
5.Michael Schumacher (Benetton-Ford) 1:19.733
6.Alain Prost (Ferrari) 1:19.936
7.Jean Alesi (Ferrari) 1:20.197
8.Ivan Capelli (Leyton House-Ilmor) 1:20.584
9.Emanuele Pirro (Dallara-Judd) 1:20.651
10.Nelson Piquet (Benetton-Ford) 1:20.676
11.Martin Brundle (Brabham-Yamaha) 1:20.677
12.Mark Blundell (Brabham-Yamaha) 1:20.724
13.Maurício Gugelmin (Leyton House-Ilmor)1:20.743
14.Stefano Modena (Tyrrell-Honda) 1:20.788
15. Jyrki Järvilehto (Dallara-Judd) 1:20.967
16.Gianni Morbidelli (Minardi-Ferrari) 1:21.801
17.Andrea de Cesaris (Jordan-Ford) 1:21.865
18.Satoru Nakajima (Tyrrell-Honda) 1:22.114
19.Pierluigi Martini (Minardi-Ferrari) 1:22.510
20.Alessandro Zanardi (Jordan-Ford) 1:22.580
21.Mika Häkkinen (Lotus-Judd) 1:22.646
22.Gabriele Tarquini (Fondmetal-Ford) 1:22.837
23.Éric Bernard (Lola-Ford) 1:22.944
24.Michele Alboreto (Footwork-Ford) 1:23.145
25.Érik Comas (Ligier-Lamborghini) 1:23.359
26.Thierry Boutsen (Ligier-Lamborghini) 1:23.553

Não se classificaram

27.Aguri Suzuki (Lola-Ford) 1:24.211
28.Nicola Larini (Lambo-Lamborghini) 1:25.330
29.Michael Bartels (Lotus-Judd) 1:25.392
30. Eric van de Poele (Lambo-Lamborghini) 1:27.501
31.Alex Caffi (Footwork-Ford) –
32.Fabrizio Barbazza (AGS-Ford) –
33.Olivier Grouliard (AGS-Ford) –

GP da Espanha de 1991 – Pro Epson Araujo

Vitória de Nigel Mansell botando fogo no campeonato, e empurrando novamente a decisão para o GP do Japão.

A expectativa era enorme para a equipe McLaren e Williams.
A principal estratégia da McLaren era que Gerhard Berger saísse na frente e mantivesse um ritmo forte para que ganhasse a corrida e desse o título ao Senna.
Na largada deu tudo certo para a McLaren, os dois pilotos saem na frente deixando Mansell em terceiro e Schumacher em quarto, largada boa não foi de Prost, que caiu da sexta para décima primeira posição.
Logo nas primeiras curvas acontecem dois acidentes,
A batida de Thierry Boutsen com Éric Bernard e a rodada de Stefano Modena, que o deixou para trás a corrida inteira…
Logo depois Schumacher passa Mansell, deixando o em quarto, no final da primeira volta Schumacher tenta passar Senna, mas não consegue.

No retão os seis primeiros colocados eram: Berger, Senna, Schumacher, Mansell, Alesi e Pirro.
Na segunda volta, na segunda curva Capelli e Pirro se envolvem num acidente e Capelli levou a pior, saindo da corrida, e depois no final da segunda volta Mansell passa Schumacher e parte para passar Senna.
No final da terceira volta era cronometrado 6.106 se Berger para Senna.
Quando Senna e Mansell completa a quarta volta e abrindo a quinta, Mansell no vácuo do Senna, bota o seu carro do lado de Senna, ficando roda a roda a reta inteira, como Mansell tava por dentro, Mansell faz a ultrapassagem.

514 (10)

Na sétima volta Mika Häkkinen bate com a sua Lotus, uma volta depois Berger vai para o box, mas a equipe se atrapalha marcando 16.66 segundos.
Na volta de número 9, Senna e Mansell param juntos, e o que era melhor, o box e ao lado do outro, mas a equipe McLaren foi mais rápida botando Senna a frente de Mansell, e Senna volta exatamente na frente de Berger, e Mansell fica atrás de Berger por 6 segundos.
Senna e Berger passam para primeiro e segundo, pois Patrese e Alesi não tinham parado e na décima volta os dois param, dando a seguinte classificação: Senna, Berger, Mansell, Prost, Schumacher e Piquet.
E na volta seguinte Senna e Berger trocam de posição voltando a tática da McLaren de Berger se mandar, e na mesma reta no mesmo momento, Schumacher passa Prost,
e ficando na seguinte classificação: Berger, Senna 2.843, Mansell 4.401, Schumacher 4.810, Prost 6.824 e Piquet 9.072.
Mas Senna tem um mal rendimento, recomeça a chover na décima terceira volta, Mansell chega em Senna na mesma volta, no retão Senna roda passando entre Mansell e Schumacher caindo para sétima posição atrás de Brundle, tudo isso na décima terceira volta.
Mansell se aproxima de Berger, a diferença que era de 4.401 caiu para 2.756 e na volta seguinte caiu para 1.850, e na mesma volta já no retão Mansell bota o seu carro ao lado de Berger, que nem fez com o Senna na 5ª volta, só que Berger foi mais esperto, fechou “a porta” durante a reta e Berger consegue defender a sua posição, enquanto Senna e Alesi passam Brundle e Piquet, e a volta dezesseis teve a seguinte classificação: Berger, Mansell 0.006, Schumacher 9.406, Prost 9.883, Senna 15.698 e Alesi 16.073.
A cada volta Schumacher chegava em Mansell e Berger e na vigésima volta Schumacher já tava 3.869 atrás de Mansell.
Na vigésima primeira volta a corrida é decidida a corrida, quando Mansell passa Berger por dentro, numa maneira arrojada que faz o Berger balançar e na mesma volta Schumacher roda, faltava experiência no garoto, pois era o seu primeiro ano na F-1 e entrou somente no final do ano, Schumacher então caiu para sexto, ficando a seguinte classificação: Mansell, Berger 1.334, Prost 8.863, Senna 13.970, Alesi 14.348 e Schumacher 18.063.
Mansell e Berger chegam em Tarquini na vigésima segunda volta, e Berger se atrapalha de novo, na hora de passar o Tarquini Mansell também se atrapalha, mas consegue se manter a frente de Tarquini, Berger chegou para ultrapassar a Fondmetal de Tarquini e consegue só que o seu carro escapa e Tarquini passa para frente, só no final da volta no retão Berger passa Tarquini, perdendo muito tempo.
As voltas foram se passando e dava para ver todos os seis primeiros no retão, somente depois de Mansell e Berger ultrapassaram todos os retardatários que estavam naquele trecho, os dois conseguiram abrir bastante diferença
O que atrapalhou Alesi na corrida foi a punição dele que ele recebeu na vigésima oitava volta e caiu para oitava posição, e a classificação na vigésima oitava posição era o seguinte: Mansell, Berger 2.538, Prost 11.625, Senna 16.383, Schumacher 17.782 e Patrese 22.766.
A Benetton vacila quando Piquet passou lotado no box.
A corrida toma o seu rumo de uma vez quando Berger abandona aprova com problemas elétrico na volta 33 nos boxes.
E a McLaren de Ayrton Senna foi se arrastando na pista e na volta 38 Senna é ultrapassado por Patrese e caiu para a quarta posição.
Na volta 47 a classificação era seguinte: Mansell, Prost 15.846, Patrese 31.764, Senna 44.228, Alesi 44.637 e Schumacher 1:02.694.
E a quinze voltas para o final Alesi passa Senna que caiu para quinto, e algumas voltas depois dava para perceber que Senna estava muito lento, estava tão lento que a Tyrrell de Modena que estava alguns segundos atrás se aproxima do brasileiro e não sai da sua cola até o final da corrida.
As últimas voltas foram chegando e Prost, Patrese e Alesi se aproximavam cada vez mais, e Mansell era o único que tinha folga na frente, e ainda na última volta aconteceu um acidente estranho: Zanardi, Morbidelli estavam brigando pela nona posição, os dois se tocam, Zanardi roda e sai da pista, Morbidelli roda também mas ele atinge o seu próprio companheiro, Morbidelli acerta a asa traseira de Martini, deixando a sua Minardi torta, a roda traseira direita se arrasta no chão soltando faísca e a roda dianteira esquerda empinada.
Vitória de Nigel Mansell, empurrando a missão de Senna e de Mansell para o Japão, Prost chega em segundo, Patrese em terceiro, Alesi em quarto, Senna em quinto e Schumacher em sexto.

514 (11)

Balanço das equipes que participaram


 

McLaren-Honda:

Não se esperava muito da equipe nessa corrida por causa do tipo de aerofólio, além da pista ter muitas curvas, a pista estava escorregadia, então o carro tinha que ter a pressão do aerofólio para se manter na pista com boa aderência.
O começo foi bom, a equipe começou com as duas primeiras posições conquistadas, mas a Williams de Mansell foi melhor ofuscando a atuação da equipe McLaren que só marcou dois pontos ficando atrás da Williams por um ponto no campeonato de construtores.


 

Tyrrell-Honda:

Realmente não foi um bom dia para Tyrrell, ter as duas últimas posições a três voltas atrás não foi bom, se Modena não rodasse na primeira volta teria sido uma boa corrida para ele, e Nakajima faltou competitividade.


 

Williams-Renault:

Esse sim foi um dia de festa para equipe, um ótimo carro um aerofólio com um grande downforce nesta pista molhada e cheia de curva.
O que não foi bom foi o trabalho da equipe nos boxes, ela atrapalhou o Mansell quando foi parar nos boxes.
O rendimento foi incrível, o carro esteve bom em todo o tempo, com o Patrese não foi igual, no começo da corrida ele chegou esta em oitavo, mas no final o rendimento cresceu chegando em terceiro.


 

Brabham-Yamaha:

Nada mal, o rendimento não era muito bom, mas não figurava as últimas posições.
A melhor posição da equipe na corrida foi em sexto colocado com Brundle, já o Blundell não estava ruim, mas não estava bom, mas ele não chegou ao final, porque o seu motor estourou feio.
A Brabham de Brundle chegou em décimo.


 

Footwork-Ford:

Ruim, só andava lá trás nas últimas posições e teve o seu motor estourado.
Poderia ter sido melhor, se o carro continuasse na corrida poderia ter chegado entre a décima quinta posição…


 

Lotus-Judd:

Além de Mika ter largado bem, a corrida da Lotus foi curta, logo na sexta volta Mika escorrega abandonando a corrida.


 

Fondmetal-Ford:

Além de ter tomado duas voltas foi uma boa corrida, o carro se comportou bem no seu limite chegando até o final na décima segunda posição.


 

Leyton House-Ilmor:

A equipe poderia ter sido muito melhor se Capelli não rodasse na primeira volta já o Maurício no começo da corrida ele ficava só lá trás mostrando que não ia fazer uma corrida boa, mas não foi assim, não lembro que volta mais provavelmente foi na metade da corrida, em que Prost passou Gugelmin como retardatário e a partir daí não saiu da vista de Prost, igualando o rendimento da Ferrari até o fim e Gugelmin chegou na sétima posição.


 

Benetton-Ford:

Mais uma vez o carro se mostrou ser bom, mas não ter um rendimento constante, Schumacher chegou ficar em terceiro, mas ao longo da corrida o carro não agüentou o rendimento forte e foi ficando para trás, terminando em sexto.
Já Piquet não teve um bom resultado por causa das paradas no Box, Piquet parou 5 vezes.


Dallara-Judd:

No começo Pirro se mostrou estar bem na corrida, sexta posição, estava bem na fita, mas o rendimento do carro não aguentou e terminou em décimo quinto a três voltas atrás.
Já Lehto mostrou ser um bom piloto chegando em oitavo, mantendo o ritmo ideal do carro.


 

Minardi-Ferrari:

Não foi bom e também não foi ruim, um ritmo fraco, mas não horrível, o problema que os dois carros se tocaram no final, deixando só um da equipe a terminar a corrida.


 

Ligier-Lamborghini:

No grid de largada os dois carros largaram em último, Boutsen bate na primeira volta e Comas abandona com problemas elétricos.
O carro teve um rendimento ruim, figurando nas últimas posições.


 

Ferrari:

Pode ter sido em resultado regular para a Ferrari, segundo e quarto lugar, mas o que apimentou a “não vitória” é que a Ferrari completou um ano sem vitória, um tabu ruim para a equipe italiana.
Fora desse fato à equipe foi bem, com Jean Alesi fazendo as melhores voltas, e uma boa estratégia de Prost, que largou sexto, caiu para décimo, parou cedo e chegou em segundo.


 

Lola-Ford:

Não tem muito que falar visto que Aguri Suzuki não se classificou e Éric Bernard e também.


 

Jordan-Ford:

Foi uma atuação regular e, na tabela, poderia ter sido melhor se de Cesaris não tivesse o seu carro com problemas elétricos e Zanardi não batesse na última volta.


Resultado da Corrida

Fotos:

 

View post on imgur.com

Vídeo:

Fonte das Fotos: Bestlap / Formel1mic
Vídeo: Pabloctf1

Sem categoria

Deixe uma resposta