Especial: Honda, O sonho de Soichiro que conquistou o Mundo – Capítulo 1

A Partir de hoje, Começamos um grande especial sobre uma das maiores marca do mundo do esporte a motor. Um sonho de um japonês que hoje é uma marca com mais de 70 anos de História. Vamos contar a história e a odisseia de Soichiro Honda e da sua marca através da História e das principais competições mundiais.

Nesse primeiro Capítulo contaremos a história do começo da Honda, Desde do começo de Soichiro na Art Shokai até a criação das primeiras motos da Honda. Isso, passando pela 2ªGuerra Mundial.

Capitulo 1

A mais de 70 anos, A marca criada por Soichiro Honda é uma das maiores construtoras do mundo automotivo e do Motociclismo mundial. O Sonho de um Japonês, que enraizou no começo do Século XX e até os dias de hoje. Tanto em termos de carros e principalmente nas duas Rodas.

O criador da Honda, Soichiro Honda nasceu no ano de 17 de Novembro de 1908, na cidade de Hamamatsu. O Começo da trajetória de Soichiro foi nos anos 20, Com 15 anos de idade, Ele se juntou a empresa Art Shokai como aprendiz na área de Yushim em Hongo, Na cidade de Tokyo. O pagamento de Honda era uma pensão, Um alojamento e uma pequena quantia em dinheiro, Mas não recebiam um salário real.

Honda era um entusiasma do trabalho árduo, uma apreciação rápida da improvisação, Pensar pela sua própria cabeça, A capacidade de ter novas ideias e uma boa sensação nas maquinas. O dono da Art Shokai, Yuzo Sakakibara, logo percebeu as qualidade de Soichiro e começou a notar  o jovem promissor funcionário.

Yuzo ensinou a Honda o trabalho de conserto, A lidar com os clientes e a importância de se orgulhar da capacidade técnica. Sakakibara foi um professor ideal para Honda. Tanto é que ao perguntarem quem Honda respeitava mais, Ele sempre mencionava Yuzo Sakakibara.

O Antigo Chefe de Soichiro Honda incentivou o jovem a se interessar pelo mundo dos esportes a motor. As competições começaram com as corridas de motociclismo, Mas logo evoluíram para as corridas de carros, que se tornaram populares na década de 1920. Graças as revistas especializadas em automóveis, Não só Honda como os Fãs do Automobilístico nipônico sabiam dos maiores eventos como o Troféu da Ilha de Man (TT), As corridas do Grande Prêmio, 24 Horas de Le Mans e as 500 Milhas de Indianapolis.

Em 1923, A Art Shokai começou a fazer carros de corrida sob a Liderança de Yuzo Sakakibara, Com a ajuda de Shin’ichi Sakakibara (Irmão de Yuzo) e alguns outros estudantes. O primeiro modelo foi o “ART” Daimler, equipado com um motor de segunda mão. O seguinte foi o “Curtiss”, Esse carro esta no Salão de Coleções da Honda. Era outro carro com motor de segunda mão. Soichiro estava interessado em ajudar no desenvolvimento do carro e na fabricação de peças de reposição, tendo o incentivo pelo Sakakibara.

No dia 23 de Novembro de 1924, O Curtiss participou da 1ªcorrida, E obteve vitória no 5º Concurso de automóveis com Shin’ichi Sakakibara como piloto e Soichiro Honda como engenheiro. Essa experiência fez com que Honda não perdesse o entusiasmo pelo esporte a Motor. Ele foi chamado para o serviço militar e depois de ser considerado daltônico ele foi dispensado temporariamente das forças armadas.

Em 1928, Honda abre uma filial da ART Shokai, Devido ao sua capacidade de consertar maquinas como a sua capacidade como inventor é que ele ganhou o apelido de “Thomas Edson de Hamamatsu” também pela sua genialidade nas invenções e pelo seu enorme talento na engenharia. Sua esposa, Sachi, casada com Soichiro em outubro de 1935, se juntou para administrar o negócio, Preparando refeições para os empregados e ajudando na contabilidade da empresa.

Honda acabou sofrendo um acidente no comando do “Hamamatsu” na corrida de abertura na primeira pista do Japão, No circuito de Tamagawa. Apesar de Soichiro não ter se machucado seriamente, Seu irmão mais novo e mecânico Benjiro Honda se machucou Seriamente, fraturando a sua espinha. Soichiro terminou sua carreira como piloto no final de 1936.

Em 1937, Honda cansado de fazer o trabalho de reparo na ART Shokai e começou a planejar que a filial de Hamamatsu se transformasse em uma empresa separada, Isso foi rejeitada pela Empresa, que não via a necessidade de se envolver em um novo empreendimento desnecessário. Honda não desistiu e acabou se juntando ao seu chara Soichiro Sato para criar a “Tokai Seiri Heavy Industries” para desenvolver anéis para pistões. Ele trabalhava na empresa depois do seu expediente na ART. Mesmo com 2 anos de estudos no Instituto Industrial de Hamamatsu (Hoje é a Faculdade de Energia de Hamamatsu) o projeto dos anéis tinham problemas. Em uma encomenda feita pela Toyota, dos 50 jogos de anéis encomendados apenas 3 passaram pelo controle da fábrica. Isso acabou levando Soichiro a fazer mais dois anos de estudos para aperfeiçoar os jogos de anéis, Para finalmente conseguir atender as exigências da Toyota em 1941. No Auge da empresa, A Tokai empregou mais de 2.000 pessoas.

No mesmo ano, O Japão entra definitivamente a 2ªGrande Guerra Mundial, Após o ataque nipônico a Pearl Harbour. A Empresa de Honda passou a ser controlada pelo Lastimável Ministério das Munições. Soichiro, ainda por cima, foi rebaixado para diretor executivo e todos os seus empregados Homens foram para a linha de combate. Com isso, A Empresa teve que ser operada por Mulheres e Crianças que trabalhavam de forma forçada pelo Ministério. Soichiro colaborou involuntariamente com o Governo através de suas invenções.

Japão acabou sendo o último dos países do eixo do mal a ser derrotado, saindo da 2ªGrande Guerra como um país arrasado e destruído pela bomba atômica, lançada pelos Estados Unidos em cima de Hiroshima e Nagasaki acabou sacramentando a devastadora situação do país.

1 ano depois, Soichiro Honda, Em busca de reerguer sua empresa, vai visitar seu amigo, Kenzaburo Inakai, Antigo dono de uma frota de taxi e cliente de Soichiro nos tempos da ART Shokai. Durante essa visita, Honda se interessou em um motor de Radiotransmissor número 6 do Exercito Imperial Japonês, Que ficou inutilizado depois do final da Guerra.

Vendo o motor, Honda teve a ideia de acorpar esse motor a uma bicicleta. A Situação do País era bem precária, O poder aquisitivo do cidadão era bem reduzido e só permitia o transporte e a mobilidade ou a pé ou de Bicicléta. Com sua capacidade e conhecimento técnico, Soichiro viu nessa ideia uma possibilidade de transporte individual para a população Japonesa.

No dia 1º de Setembro de 1946 foi criada uma bicicleta com motor de 50 cc e 2 tempos, Esse foi o embrião para a Honda Motor Company, A maior fabricante de motos atualmente.

Em Novembro de 1947, A Honda lançou ao Mundo o seu primeiro modelo: A Honda A Type

Honda A-Type
Produção1947 a 1951
MotorMotor Dois Tempos, Refrigerado a ar e Único Cilindro / 50 cc
Potência1 Cavalo a 5.000 RPM
Transmissão1 Marcha
Peso10 kg
Capacidade de Combustivel3,2 Litros

A A Type, foi um modelo que lembrava muito mais uma bicicleta do que uma moto em Si, O Tanque de Combustível era na frente, em Formato de bolha, O Honda A-Type foi projetado para a adoção de uma Fundição Injetada.  As vantagens principais eram não produção de cavacos, Redução do número de peças para a produção e do processo de produção. Por outro lado, Iria exigir um investimento enorme para a época e teria que fazer em produção em Massa. (Que era mais eficaz)  era exatamente ao contraio do que era a Honda, Uma fabrica de pequeno porte, Mas adotaram a produção.

A Honda A-Type funcionou muito bem, Teve poucas falhas, tiveram preocupação em com a segurança ao posicionar o tubo de escape de alta temperatura para a parte de baixo, Mesmo com as porcas soltando (Na época as porcas eram bem frágeis e se soltavam com frequência) Foram introduzidas varias ideias para não ocorressem grandes problemas , Foi projetado para permitir Desmontagem e remontagem sem necessidade de ferramentas especiais. A Aceitação dos motores Honda A-Type era grande nas lojas de Bicicletas. O motor foi produzido até o ano de 1951.

Honda Cub F
Produção1952 a 1954
MotorMotor 2 tempos/Cilíndro único com 50 cv
Potência1 Cavalo a 3.600 RPM
Torque1.4 ibf-ft (2.0 N-m)
Tipo de IgniçãoMagneto
Transmissão1 marcha
Peso7 kg
Capacidade de Combustivel3.2 litros

O Sucessor do A-Type, Foi o motor Auxiliar “Cub F-Type” que foi projetado para ser mais fácil de ser manuseado e mais durável, Mesmo com o seu custo de 25 mil ienes (3 meses de Salário mínimo médio no Japão) Os motores Honda eram bem confiáveis e sua qualidade compensava o preço mais elevado. O motor foi um sucesso, Foram vendidos 25 mil unidades no ano de lançamento. O motor foi produzido até o ano de 1954.

Honda D-Type foi a primeira moto produzida pela Honda. O D da Moto representavam Dream (Sonho) O Sonho de Soichiro Honda começava a sair do papel. A moto era leve, com 80 kg de peso, Seu motor era um motor 2 tempos, Refrigerado a Ar, Com 98cc e potência de 3 cavalos a 5000 RPM. Havia um aprimoramento em seu design, Apesar de leve, Foi um modelo mais robusto e mais com cara de uma moto.

Transmissão com 2 velocidades, Semiautomática que estavam integrados com a embreagem e ao pedal da engrenagem. Com Freios dianteiros e traseiros, com a Roda Traseira foi introduzida uma corrente ao invés do cinto. A D-Type é a primeira Honda sem pedais de bicicleta.

Honda D-Type
Produção1949 até 1951
MotorMotor 2 tempos/2 Cilindros e 98cc
Potência3 Cavalos a 5.000 RPM
Torque3.15 lb.ft (4.27 N.m)
Tipo de IgniçãoMagneto com Kick Start
Transmissão2 marchas
Tipo de MolduraAço Prensado
Suspensão DianteiraTelescópica
Suspensão TraseiraRígida
FreiosA Tambor
Pneu dianteiro2 x 3
Pneu Traseiro2 x 3
Comprimento2.070 mm
Largura740 mm
Altura970 mm
Peso80 kg (180 lb) – Sem combustivel e sem motorciclista
Capacidade de Combustivel7 litros

O Chassi da D-Type foi feita por folhas de aço, Que foram moldadas. O Design era influenciado pelas motocicletas Alemãs BMW R11 e R16. As vendas foram boas inicialmente, Mas os problemas de recessão e a desonestidade dos distribuidores, que vinham vendendo os motores D-Type nos quadros da Kitagawa, fizeram que o Novo diretor administrativo da Honda, Takeo Fujisawa, A obrigar os distribuidores Honda a venderem somente produtos da marca e não poderiam montar motores Honda em quadros de outros fabricantes. Isso rendeu a perda de alguns distribuidores, mas abriu novas portas para a empresa.

Quando a guerra da Coréia se intensificou em 25 de Junho de 1950, as compras de aquisições dos militares dos Estados Unidos impulsionaram a economia da Honda. No outuno de 1950, a empresa comprou uma antiga fábrica de máquinas de costura e a transformou em uma fábrica para a produção do Modelo D-Type. A Honda recebeu um subsídio da Industria de bicicletas de 400.000 do ministério do Comércio Internacional e Indústria no Japão. E mais um acréscimos de 100.000 Ienes. Isso permite à Honda a aumentar sua produção para até 300 unidades da D-Type, Até o final de 1950 a produção da D-Type foi de mais de 3.500 unidades.

A Partir de 1951, As vendas da D-Type começaram a desacelerar, A Honda tinha alguns problemas, A Transmissão exigia que o usuário mantivesse pressão constante no pedal do câmbio enquanto dirigia, Ou entrava em ponto morto a transmissão.  Takeo Fujisawa disse a Soichiro Honda, que a motocicleta não estava vendendo bem porque o motor de dois tempos estavam fazendo ruídos desagradáveis e agudos. A Honda pegou esses conhecimentos e tratou de aprimorar elas para a sua próxima motocicleta, A Honda E-Type que foi lançada em 1952.

Após 10 anos de prosperidade, A Honda decidiu dar um salto maior, Entrar nas principais campeonatos do cenário mundial, Mas isso vai ser contado em um próximo capitulo desse especial

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fonte das informações e das fotos:

https://global.honda/heritage/episodes/1936joyofmanufacturing.html
Wikipedia
Motorcicleta – A Evolução das Máquinas que conquistaram o Mundo – Fausto Macieira
http://motoblogger.blogspot.com/2014/12/honda-dream-type-d.html
http://www.honda-montesa.es
https://hamamatsu-daisuki.net/lan/en/greatmen/greatmen06.html
https://www.ovelhanegra.com.br/XXCentury/pages/Honda-Dream-Type-D-1950.htm
https://rmdmotors.com/bike/1953-honda-cub-f/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *