A Agonia da Force India na Formula 1

Após 10 anos de muitas batalhas e conquistas, Parece que finalmente a equipe Indiana não consegue mais driblar os problemas financeiros. A pedido dos funcionários, O mexicano Sergio Perez na semana passada entrou com uma ação legal, apoiada pela Mercedes e pela patrocinadora, a BWT. Fazendo com que a equipe indiana entrasse em administração judicial.

Perez em suas redes sociais divulgou esse texto:

“Eu acabo em uma situação muito difícil”, disse Pérez. “O último mês foi extremamente difícil para mim, com a situação em que a equipe estava, e eu acabei no meio.”

“Chegamos a um ponto em que a ação tinha que ser tomada para proteger as 400 pessoas que trabalham na equipe.”

“Eu realmente não gostaria de estar envolvido nisso, porque no final do dia eu sou apenas um piloto, e alguns membros da equipe me pediram para ir em frente e salvar o time.”

“Houve uma petição de liquidação de outro cliente, que teria fechado completamente a equipe. Portanto, pediram que basicamente salvasse a equipe, para puxar o gatilho e colocar a equipe em administração judicial.”

“Não tem nada a ver com meus valores pendentes. A única razão pela qual fiz isso é para salvar a equipe e para o futuro melhor.”

“Foi extremamente difícil, emocional e mentalmente. É muito difícil. Não consegui me concentrar na minha direção.”

“Eu realmente não entendo todos os termos com os advogados, mas certamente ou fazemos isso ou a equipe teria falido.”

A ação legal de Pérez tirou o controle de qualquer possível venda da equipe de Mallya e da holding Orange India Holdings Sarl, e também impediu que a Force India fosse “liquidada”.

Pérez ainda não falou com Mallya sobre a situação, mas espera que “meu amigo receba um bom benefício” das próximas etapas do processo, à medida que a equipe busca nova propriedade.

“Pessoalmente, eu amo Vijay”, acrescentou Pérez. “Meu coração está realmente partido porque sei que isso não é ideal a curto prazo para ele.”

“Estamos todos conscientes da situação que Vijay está passando. Ele está passando por um momento muito difícil, não apenas legalmente, mas também financeiramente.”

“A equipe não era mais sustentável, então quando eu era basicamente um cara que poderia fazer algo pela equipe, eu tinha que fazer isso.”

“Não éramos mais uma equipe de corrida desde o início de janeiro. Ficarei feliz se conseguirmos reunir todo o grupo e, com sorte, ficarmos felizes e focados.”

“Espero ter uma equipe que seja mais estável e possa ir para o próximo nível e possa ser uma equipe de corrida [de novo].”

Ou seja, A Force India poderia estar hoje extinta caso Perez não tivesse entrado com uma ação legal. A equipe esta a venda e poderá ser adquirida pela Mercedes, ou Carlos Slim, ou BTW ou até mesmo pelo pai do piloto Lance Stroll.

 

Seria muito triste a Force India acabar. Não só deixando o grid com apenas 18 carros, mas seria também matar uma belíssima história de uma equipe que ano após ano vinha avançando na tabela de classificação do mundial de construtores. Desde de 2008 quando ficou em 10ºlugar até os anos de 2016 e 2017 quando a Equipe de Vijay Mallya ficou em 4ºlugar, Superando a Williams que até 2015 era a terceira força do campeonato.

A Formula 1 vai perder muito sem essa simpática equipe no circo da maior categoria do Automobilismo Mundial. equipe desde de 2008 até hoje teve o seu ponto alto a Pole position de Giancarlo Fisichella no GP da Bélgica de 2009. O mesmo acabou ficando em 2ºlugar no dia seguinte. Os outros 5 pódios em 3ºlugar ficou o Mexicano Sergio Perez que esta sem dúvida na história da equipe Indiana. Com os problemas financeiros e com a administração judicial no comando, será bem difícil que eles consigam manter o 4ºlugar no Mundial de Construtores.

O mais grave não seria isso, Mas sim o fato de algumas equipes não quererem que a Liberty média pague a Verba de TV (Que hoje seria em Torno de 60 milhões de Dólares) Isso pode dificultar uma venda da Force India. Caso não receba essa grana, Os prováveis 60 milhões serão redistribuídos para as outras equipes.

Isso mostra o total egoismo de outras equipes. Ao olharem o dinheiro a mais que entrara nos cofres em 2019 eles não se importam com o Grid menor e com um espetáculo pior. Esperamos que a Force India possa ser vendida, que se possa manter não só a equipe como os empregos, E que as outras equipes não olhem só para elas próprias e que olhem para o bem da Formula 1.

Desempenho das equipes

Ano Posição Pontos Melhor Resultado
2008 10ºLugar 0 10ºlugar (GP da Espanha) Giancarlo Fisichella
2009 9ºLugar 13 2ºLugar (GP da Bélgica) Giancarlo Fisichella
2010 7ºLugar 68 5ºLugar (Malásia e Bélgica) Adrian Sutil
2011 6ºLugar 69 6ºLugar (Alemanha, Cingapura e Brasil) 2 Vezes com Adrian Sutil e 1 com Paul di Resta
2012 7ºLugar 109 4ºlugar (Na Bélgica com Nico Hulkenberg e em Cingapura com Paul di Resta)
2013 6ºLugar 77 4ºLugar (Com Paul di Resta no Bahrein)
2014 6ºLugar 155 3ºLugar no GP do Bahrein com Sergio Perez
2015 5ºLugar 136 3ºLugar no GP da Rússia com Sergio Perez
2016 4ºLugar 173 3ºLugar com Sergio Perez em Mônaco e Azerbaijão
2017 4ºLugar 187 4ºLugar com Sergio Perez na Espanha
2018 6ºLugar 59 3ºlugar com Sergio Perez no Azerbaijão

Vídeo do lancamento do carro da Force India de 2008:

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Force India

Onda Estática – O Abismo do Brasil e do Esporte a Motor – Coluna de Deivison Conceição

Esse texto é mais um desabafo de quem esta vendo o país ir para o Buraco ao invés de vim para frente. Antes de tudo eu diria que nessa estrada: Esquerda quebrou a Maquina e a direita leva o Brasil para o abismo, O melhor é discutimos o Brasil levando o país para frente. Antes de tudo eu sou a favor da Austeridade dos políticos! Eles deveriam em momento de Crise baixarem seus salários que são salários altos demais para fazerem tantas leis contra a população.

Caso contraio acho essa PEC 241/55 uma tremenda de uma bobagem pois é austeridade só para o povo e eu sou totalmente a Favor da Ocupação das escolas públicas pois são os estudantes que não tem condições é que estudam lá e que nós pagamos ao governo para darem o direito deles terem uma educação de qualidade, Mas esses governos querem a cada gestão darem uma educação pior! Por isso sou contra essa PEC e a favor dos estudantes que estão fazendo um protesto pacífico e por um ideal, Mas tem gente que prefere a inercia ao invés da atitude de mudar o mundo. Percebem que quando alguém quer mudar essa inércia é criticado e chamado de esquerdopata (Como se todos que não se conformam com a injustiça que essa sociedade cria. (Foi assim com a Isadora Faber e esta sendo assim com a Ana Julia Ribeiro) Se isso acontece com elas é que significa que elas estão no caminho certo de mudar alguma coisa na Educação do Brasil.

E por não fazemos nada (Falando do Automobilismo), Por se quer tentamos algo novo para mudar a realidade é que estamos tendo a crise de falta de pilotos a risco de ficamos sem representante para 2017 aumentou com a saída da Petrobras e do Banco do Brasil. Aposto que tem gente até da imprensa que torce para isso acontecer pois eles vendem o Terror, Preferindo vender isso do que tentarem serem no mínimo otimistas e depois se isso acontecer ele vão falar, Viu! Agente avisou e dai eles vão virar os heróis acabam deixando vários outros que poderiam estar fazendo um bom trabalho pelo automobilismo e pelo esporte a motor.

brasil_domingo_2016_f1-5

Estamos vendo no Brasil principalmente uma Bolsonização do povo o que é perigoso para todos nós nós levando todos para o abismo ao invés de levamos para o progresso por vários fatores, O primeiro deles já foi escancarado a quase 30 anos com esse homem falando do plano de Explodir bombas no Rio Guandu (Um dia de abastecimento de Água no Rio de Janeiro) Publicada da Revista Veja pela Reporter Cassia Maria naquela época e depois ele faltou com a Honra por ter mentido quando o Ministro do Exercito Leonidas Pires Gonçalves que era o Chefe das forças armadas aonde ele falou que a matéria era mentirosa quando o Exercito depois de averiguar tudo acabou sabendo que o que a Veja publicou era verídico, Além de outros absurdos que ele falou naquela época que não vou citar mais estão ai na internet para vocês verem.

Vendo que a sua carreira no Exercito poderia acabar ai é que ele entrou na política e durante 30 anos com seus 7 mandatos de Deputado Federal eu vejo absurdos que ele fala contra os Gays, Mulheres, Negros. Mas para completar essas narrativas dai vem ele no impeachment homenagear Ustra, Um homem que da choques nos mamilos das mulheres que estavam nuas, Vomitadas e Urinadas isso se o Ustra não tinha a cabeça doentia de ter cometido estrupo com as mulheres torturadas. (Basta ver as narrativas Amelinha Teles que foi humilhada por esse monstro) Ele não torturada só mulheres como também homens, Gilberto Natalini falou no Fantástico e que foi torturado por esse homem que o Ustra é uma degeneração da espece Humana.

Quando falamos dele para algum fã desse que o chamam de Mito (Que convenhamos, de mito ele não tem nada) Eles ficam fazendo os chavões de que ele é honesto (Que é uma obrigação de qualquer ser humano), Terror da Esquerda, Que o Ustra foi o Herói do povo Brasileiro que salvou o país de virar Cuba (Quando ele é considerado pela justiça como Torturador) e de todos os outros argumentos que chamo até de tolos para destruir todos os argumentos bem fomentados de quem não considera Bolsonaro como a solução do País. Nisso a maioria das pessoas não usam o Figado (Como muitos dizem que é mais usado o Figado ao invés do Cérebro para falarem de política) para discutir politica e sim os órgãos sexuais tamanha as besteiras que fico vendo na rede, Temos um cérebro? Sim então porque não usamos ele???

A Solução do País é sim mais escolas, Educadores, conhecimento para as crianças, Atividades de Esporte e Lazer. Tudo que for possível acabar com a violência que deve ter investimento, Mas muito mais na prevenção e na Inteligência do que na repreensão e Truculência. Sou também a favor que presos tenham a chance de aprenderem um ofício na cadeia com prisões profissionalizantes que tenham parte desse projeto financiado por empresas para recuperar mesmo uma pessoa para a sociedade.

Uma ótima ideia, Mas dai vem uma pessoa que diz: Isso é uma boa ideia só que tem resultados a longo prazo e nós precisamos de resultados a curto prazo. Só que nunca se tentou isso. Com isso acabo minhas palavras sobre a política (Que esta ficando mais e mais Estressante falar) e vamos começar a falar do automobilismo.

fjrelger

Quando eu falo de Soluções para o Automobilismo ser algo rentável como criamos futuros torcedores levando estudantes para verem as corridas regionais do Automobilismo Brasileiro e isso pode ser expandido para competições nacionais isso não é difícil de ser feito, Tem muitas ideias no Automobilismo Brasileiro que pode ser feitas sem dinheiro, Não existe essa desculpa de não ter dinheiro pois com Organização minimamente decente pode ser conseguir atrair investidores.

Temos como Autódromos no Brasil: Tarumã, Guaporé, Santa Cruz do Sul, Velopark, Goiânia, Curvelo, Interlagos, Curitiba, Londrina, Cascavel, Eusébio, Caruaru, Campo Grande. E temos a combalida prova de Brasília que estão recuperando o autódromo aos poucos (Ainda que Curitiba esta em risco para o futuro)

Temos 13 grandes autódromos aptos no Brasil e outros que são menores e daria tranquilamente para aumentar a Stock Car (Que eu tenho muitas e muitas críticas) e criar um fortissimo campeonato junto com as categorias de acesso a categoria. Mas principalmente poderíamos começar a pensar em um plano de conseguimos fazer categorias de Formula no Brasil para formarmos pilotos para a Formula 1 e Formula Indy, Com uma premiação e que permita que os pilotos possam disputar categorias tanto nos Estados Unidos como na Europa, Com um patrocinador que possa Bancar o próximo passo do jovem piloto igual o que acontece no Road To Indy aonde o piloto que Ganha a USF2000, Mazda e Indy Lights ganha a premiação para subir de categoria e de chegar finalmente para a Formula Indy como aconteceu com o Josef Newgarden, Spencer Pigot e como vai acontecer com o Ed Jones que acertou a entrada na Formula Indy em 2017 pela Dale Coyne.

iowa_2016_indycar (7)

Nessas categorias de Formula no Brasil poderia ter transmissão por Live Stream na internet pelo Youtube, Pode dar no começo 30 pessoas ou menos na transmissão ao vivo? sim, Mas depois vai ter gente vendo a corrida na internet e depois disso esse possível telespectador vai querer saber qual a próxima corrida e vai fara o possível para ver a prova e dai a audiência ao vivo aumenta e com o aumento da visibilidade os patrocinadores vão querer investir na transmissão e também nos pilotos que estiverem no campeonato.

Já dei várias ideias para o Automobilismo Brasileiro, Mas porque ninguém coloca elas em prática??? Porque não querem ou os dirigentes do Automobilismo Brasileiro em sua maioria gostam dessa situação de complacência com a destruição de um esporte que nós deu 8 títulos mundiais de Formula 1, 101 vitórias, 5 campeonatos mundiais de Formula Indy, 7 vitórias nas 500 milhas de Indianápolis entre outras conquistas. A maioria prefere deixar a situação como está.

Taruma_stockcar_2016 (4)

O Resultado disso é em categorias de Formula no Brasil minguados a 10 carros ou até menos, Carros com suas pinturas nos carros sem nenhuma marca de patrocínio, Autódromos as moscas com pouquíssimo público e nenhum interesse de patrocinadores investirem nem em pilotos e nem no esporte e por consequência a maioria dos pilotos que tentam ir para o Automobilismo Internacional  em 2, 3 anos ou encerra a carreira ou voltam para o Brasil para disputarem categorias de Turismo aonde não vão sair mais de lá infelizmente.

Também temos que fazer o Kartismo ficar mais barato e ser mais vezes transmitido na TV aberta e em TV a Cabo para o esporte ser mais transmitido. Claro que teremos pilotos que vão ficar no Kartismo a carreira inteira, Mas tem gente que vai querer subir na carreira e querer patrocinadores, Nesse ponto o Kart em termos de transmissão ao vivo esta até melhor do que as categorias de formula no Brasil.

E principalmente, Temos que criar uma lei aonde 1% dos ganhos das montadoras será obrigatóriamente investido no Automobilismo (Obrigaria eles a investirem 1% dos lucros para a Educação, 1% para a Saúde e outros 2% para reflorestar as florestas e preservar os Índios que restaram e que são os verdadeiros donos da terra)

brasil_domingo_2016_f1-8

Eu vou colocar todas as ideias aqui para vocês verem e vamos começar a pressionar a todos que colaboram com essa situação lamentável agirem ou então que se troque essas pessoas para lutarem pelo nosso esporte. Acho oportuno que com a emocionante despedida do Felipe Massa dos torcedores de Interlagos e os 2 pontos que praticamente salvaram a Sauber de ficar sem os 35 milhões de Dólares do prêmio do 10ºlugar no mundial de Construtores de Felipe Nasr chegando em 9ºlugar que depois da corrida falou que é Brasileiro e que não desistiria jamais! Que lutemos agora ou no futuro nada mais vai nós restar do que o ódio para o Brasil.

Sugestão para o automobilismo Brasileiro: Formula Indy Brasil

Por causa de uma Brida Gustavo Camilo não corre mais na Formula RS

Que tal uma proposta nova de campeonato : Brasil Le Mans Series

Coluna de Deivison da Conceição: A Acomodação e a cegueira de Marketing do Automobilismo Brasileiro

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Seu site

Sua Opinião ou sugestão do que se pode fazer para melhorar o Automobilismo no Brasil?

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Williams/Sauber/Blog do Passatão/Indy Car/Stock Car
Vídeo: Esmael Morais

Corridas Históricas – Formula Indy – GP de Detroit de 1993

Formula Indy – GP de Detroit de 1993

Grid de Largada:
1 Nigel Mansell 5 (Lola Ford Newman-Haas) 106.627 Milhas
2 Emerson Fittipaldi 4 (Penske Chevrolet Penske) 105.849 Milhas
3 Paul Tracy 12 (Penske Chevrolet Penske) 105.144 Milhas
4 Stefan Johansson 16 (Penske Chevrolet Bettenhausen) 105.082 Milhas
5 Bobby Rahal 1 (Lola Chevrolet Rahal) 104.962 Milhas
6 Andrea Montermini 50 (Lola Chevrolet Euromotorsport) 104.823 Milhas
7 Al Unser, Jr. 3 (Lola Chevrolet Galles) 104.723 Milhas
8 Robby Gordon 14 (Lola Ford Foyt) 104.553 Milhas
9 Mario Andretti 6 (Lola Ford Newman-Haas) 104.486 Milhas
10 Danny Sullivan 7 (Lola Chevrolet Galles) 104.356 Milhas
11 Raul Boesel 9 (Lola Ford Dick Simon) 104.234 Milhas
12 Mark Smith 25 (Penske Chevrolet Arciero) 104.187 Milhas
13 Arie Luyendyk 10 (Lola Ford Chip Ganassi) 103.724 Milhas
14 Jimmy Vasser 18 (Lola Chevrolet Hayhoe) 103.568 Milhas
15 Olivier Grouillard 29 (Lola Chevrolet Indy Regency) 103.455 Milhas
16 Teo Fabi 8 (Lola Chevrolet Hall) 103.170 Milhas
17 Scott Brayton 22 (Lola Ford Dick Simon) 102.969 Milhas
18 Roberto Guerrero 40 (Lola Chevrolet Bernstein) 102.833 Milhas
19 Scott Pruett 45 (Lola Chevrolet Pro Formance) 102.741 Milhas
20 Eddie Cheever 99 (Penske Chevrolet P.I.G.) 102.732 Milhas
21 Adrián Fernández 11 (Lola Chevrolet Galles) 102.640 Milhas
22 Scott Goodyear 2 (Lola Ford Walker) 102.116 Milhas
23 Robbie Buhl 19 (Lola Chevrolet Dale Coyne) 101.834 Milhas
24 Mike Groff 26 (Rahal/Hogan Chevrolet Rahal) 101.334 Milhas
25 Willy T. Ribbs 75 (Lola Ford Walker) 101.329 Milhas
26 Buddy Lazier 20 (Lola Buick Leader Card) 100.596 Milhas
27 Hiro Matsushita 15 (Lola Ford Walker) 100.362 Milhas
28 Marco Greco 30 (Lola Chevrolet Arciero) 100.177 Milhas


Danny Sullivan resiste aos ataques, Punições e acidentes e conquista vitória na Belle Isle

O ano de 1993 vinha proporcionando momentos incríveis para o fã do Automobilismo com uma Briga entre 2 gigantes do Automobilismo Mundial como eram Nigel Mansell que foi o campeão da Temporada de 1992 de Formula 1 e Emerson Fittipaldi que foi Bicampeão da Formula 1 (1972 e 1974) e Campeão da Formula Indy em 1989, Sem contar as vitórias das 500 milhas em 1989 e 1993.

Nigel Mansell
Nigel Mansell

No Treinos a pole foi de Nigel Mansell com Emerson Fittipaldi em 2º, Paul Tracy em 3º, Stefan Johansson em grande momento na Formula Indy largando em 4ºlugar e Bobby Rahal o campeão de 1986,1987 e 1992 largando em 5ºlugar, Tivemos surpresa com a ótima classificação da Euromotorsports do piloto Andrea Montermini que colocou o Lola T9200 com motor Chevrolet da versão A em 6ºlugar na frente de Al Unser jr., Danny Sullivan, Raul Boesel, Mario Andretti e Arie Luyendky.

Emerson Fittipaldi
Emerson Fittipaldi

Marco Greco com problemas não largou e ficou nos boxes. Aliás uma largada polêmica demais pois Emerson Fittipaldi se posicionou na frente de Nigel Mansell na hora da largada o que ajudou ele a largar bem e assumir a liderança com o Canadense Paul Tracy seguindo o Emmo e também passando a Mansell que caiu para o 3ºlugar, Apesar da Inexperiência de Mansell com largada em Movimento o caso foi investigado. Nesse caso eu acredito que teve culpa do Emerson e também da direção de corrida que vendo a posição indevida poderia anular a largada e fazer os pilotos darem mais uma volta de apresentação, Mas decidiram seguir com o procedimento e com isso a largada foi validada.

Bobby Rahal ganhou o 4ºlugar de Stefan Johansson, Gordon, Montermini, Al Unser jr. vinham a seguir, A Newman-Haas apelou e pediu uma punição para o Emerson Fittipaldi, Enquanto não era decidido essa questão tanto Emerson como Tracy estavam na frente com Mansell sofrendo pressão de Bobby Rahal que tinha que tomar cuidado com o Sueco Stefan Johansson. Já Andrea Montermini que estava como piloto de testes da Benetton naquele ano estava segurando Al Unser jr. , Mario Andretti, Danny Sullivan, Raul Boesel e Arie Luyendky que estava em 12ºlugar.

O que ajudava a missão de segurar todo mundo era que a pista era bem travada em que uma ultrapassagem era difícil de ser executada. Rahal atacava a Mansell com um carro rendendo melhor que o piloto da Newman-Haas e mesmo assim não conseguia a ultrapassagem, Com 5 voltas completadas Emerson continuava na liderança com Paul Tracy em 2º, Mansell em 3º segurando a Rahal que estava em 4º, Johansson colado em Rahal em 5º e Robby Gordon estava por perto em 6ºlugar já distanciado de Andrea Montermini na 7ºposição que estava fazendo a melhor volta da corrida na volta seguinte, Andando muito o piloto Italiano.

Johansson começava a pressionar a Rahal na 7ªVolta, Finalmente Na volta 9 foi confirmada a punição ao piloto Emerson Fittipaldi que teve de ir para os boxes para fazer um stop in go parando no seu boxe e logo em seguida voltar para a corrida, Mas a Penske tentou reverter a punição do piloto Brasileiro fazendo um protesto oficial questionando a punição. A discussão durou por alguns minutos até que o oficial da CART decidiu de vez punir o piloto Brasileiro que parou para cumprir a punição na volta 13, Após a Punição Emmo voltou na 6ªposição na frente de Andrea Montermini que acabou se atrapalhando um pouco e acabou tomando a ultrapassagem de Al Unser jr. que assumiu o 7ºlugar. Um pouco mais atrás Raul Boesel conseguiu passar Danny Sullivan assumindo o 10ºlugar.

Andrea Montermini com o Euromotorsports
Andrea Montermini com o Euromotorsports

Após a punição de Emerson Fittipaldi a liderança foi para Paul Tracy com Nigel Mansell na segunda punição pressionado por Stefan Johansson com o Penske de 1992 com o motor da Chevrolet de 1993, Bobby Rahal em 4º, Robby Gordon em 5º, Emerson Fittipaldi em 6º, Al Unser jr. em 7º, Andrea Montermini em 8º Danny Sullivan que recuperou a posição em cima de Raul Boesel recuperando o 9ºlugar, Já Mario Andretti acabou ficando para trás perdendo algumas posições caindo para o 11ºlugar.

Johansson continuava pressionando Nigel Mansell e buscando uma ultrapassagem a todo o custo a levar a Bettenhausen a primeira vitória na Formula Indy. Marco Greco depois de 14 voltas finalmente conseguiu largar enquanto que continuava o bate boca entre os fiscais da CART e Roger Penske sobre o caso polêmico da largada, Enquanto isso Emerson Fittipaldi chegava em Robby Gordon para disputar o 5ºlugar, Já no meio do pelotão Scott Brayton não vende barato sua posição em tentativa de ultrapassagem que Scott Pruett e acaba os dois se tocando com Pruett tocando com o pneu da frente no pneu traseiro do piloto da Dick Simon o que fez o piloto da Pro Formance ir para os boxes enquanto isso Robbie Buhl com o carro da Dale Coyne acaba batendo nos pneus em uma das ultimas curvas do circuito na 18ªVolta o que iria provocar a primeira bandeira amarela da corrida.

Nesse período em 2 voltas 4 pilotos deixaram a corrida, Além do Robbie Buhl o piloto Mark Smith da Arciero na volta 17 e Roberto Guerrero na volta 18 ambos com problemas de Suspensão e na mesma volta que Guerrero abandonou a prova tivemos o abandono de Scott Pruett em decorrência da briga de posição entre ele e o Scott Brayton que estava com o carro quase integralmente branco para essa prova. Com a Bandeira amarela todos os pilotos foram para os boxes aproveitarem para fazerem a primeira parada de troca de pneus e reabastecimento, nessas paradas Emerson Fittipaldi teve mais problemas e perdeu muito tempo batendo em um pneu sendo o Grande prejudicado dessa rodada de paradas.

Após essa rodada de paradas nos boxes a classificação era a seguinte na volta 21: 1. Paul Tracy, 2. Nigel Mansell, 3. Stefan Johansson, 4. Bobby Rahal, 5. Al Unser jr., 6.Danny Sullivan, 7. Robby Gordon, 8. Raul Boesel, 9. Mario Andretti, 10. Arie Luyendky, 11. Teo Fabi, 12. Jimmy Vasser e Emerson Fittipaldi caiu para o 13ºlugar e Mike Groff com o Chassi da Rahal-Hogan em 14ºlugar.

Stefan Johansson
Stefan Johansson

Relargaram na volta 25 com dois carros lentos na frente que eram do Marco Greco e Buddy Lazier que acabaram por atrapalhar os ponteiros mesmo com toda a boa vontade deles, Na mesma Volta 25 Olivier Grouillard que não foi vitorioso na Formula 1 e que estava com o carro da Indy Regency acaba batendo na proteção de pneus e acabou deixando a corrida, Com tudo isso Paul Tracy e Nigel Mansell agradeciam pois deixaram toda a confusão para o resto da turma, Enquanto isso Scott Brayton acabou indo para os boxes fazer uma parada para reabastecimento e troca de pneus. Mesmo com a batida do piloto da Indy Regency a corrida continuava com a Bandeira amarela só no local do acidente, Stefan Johansson voltou a caça de Nigel Mansell em busca do 2ºlugar e melhorar o desempenho da prova de 1992 aonde ele estreou na Formula Indy já conquistando um pódio na 3ªposição.

Paul Tracy continuava na liderança e com um desempenho acima de Mansell que ganhou um folego para Johansson que estava na pressão quase sempre do piloto da Newman-Haas, Mike Groff vinha em uma belíssima corrida de recuperação com o Chassi Rahal-Hogan que mostrava qualidades em circuitos de Rua fazendo o piloto norte-americano que largou em 24ºlugar assumir o 14ºlugar logo atrás de Emerson Fittipaldi. Já Johansson definitivamente estava decidido a passar Mansell, Só restava saber se ele conseguiria fazer isso devido a dificuldade de fazer essa ultrapassagem.

Bobby Rahal
Bobby Rahal

Classificação após 30 voltas de corrida:

1. Paul Tracy – 12
2. Nigel Mansell – 5 (a 1.5)
3. Stefan Johansson – 16 (a 2.3)
4. Bobby Rahal – 1 (a 3.5)
5. Al Unser jr. – 3 (a 8.1)
6. Danny Sullivan – 7 (a 9.6)
7. Robby Gordon – 14 (a 10.5)
8. Raul Boesel – 9 (a 16.3)
9. Mario Andretti – 6 (a 17.1)
10. Arie Luyendky – 10 (a 18.3)
11. Teo Fabi – 8 (a 22.6)
12. Jimmy Vasser – 18 (a 23.1)
13. Emerson Fittipaldi – 4 (a 23.7)
14. Mike Groff – 26 (a 24.1)
15. Eddie Cheever – 99 (a 25.7)
16. Willy T. Ribbs – 75 (a 26.3)
17. Andrea Montermini – 50 (a 26.4)
18. Adrian Fernandez – 11 (a 33.4)
19. Scott Goodyear – 2 (a 42.3)
20. Scott Brayton – 22 (a 43.3)
21. Buddy Lazier – 20 (a 1 Volta)
22. Hiro Matsushita – 15 (a 1 Volta)

Marco Greco estava ainda atrás dos 5 pilotos que já tinham deixado a corrida mas em poucas voltas ele seria o 23ºlugar. Enquanto isso Stefan Johansson buscava superar Nigel Mansell já que o Seu Penske 92 com o Chevrolet rendia muito melhor que o Lola 9300 com o Motor Ford de Nigel Mansell e em consequência disso é que Paul Tracy já estava com mais de 4 segundos na frente do Mansell enquanto que Eddie Cheever teve um pneu furado teve de caminhar lentamente para os boxes com o carro da equipe PIG também com o motor Chevrolet e Chassi Penske de 1992.

Estávamos na 35 volta perto da metade da corrida no circuito de rua da ilha bela (Belle Isle). Tracy era o primeiro com Mansell em 2º, Johansson na cola do leão em 3º, Bobby Rahal em 4º, Al Unser jr. em 5º, Danny Sullivan em 6º e depois vinham Robby Gordon, Raul Boesel, Mario Andretti, Arie Luyendky, Teo Fabi, Jimmy Vasser, Emerson Fittipaldi e Mike Groff completando os 14 primeiros colocados da corrida.

Paul Tracy
Paul Tracy

Groff fez a primeira parada na volta 35 perdendo uma volta praticamente, por isso até que ele conseguiu esta em 14ºlugar sem menosprezar a qualidade do piloto da Rahal-Hogan. Na volta 37 Teo Fabi tenta passar Arie Luyendky e acaba errando miseravelmente perdendo tempo e atrapalhando a Jimmy Vasser que teve de diminuir a velocidade e com isso acabou Emerson superando a ambos assumindo o 11ºlugar, Na frente Mansell segurava Johansson e com isso veio para a disputa colando em Johansson os pilotos Bobby Rahal e Al Unser jr. formando um só bloco disputando o 2ºlugar, Sem dúvida o carro do Leão não estava nos melhores dias.

Na 38ªVolta tentando passar Arie Luyendky acabou indo para a parte suja da pista e rodando e batendo praticamente no mesmo lugar que Grouillard, Todos os pneus caíram na cabeça do Emmo que nada sofreu com o acidente, Mas era final de corrida numa tragédia que era anunciada com uma corrida tão complicada devido a punição.
Com a Bandeira Amarela em toda a pista muitos pilotos foram para os boxes aproveitarem para fazerem a segunda parada nos boxes o que não foi o caso de Bobby Rahal que assumiu a liderança por não ter feito a troca de pneus e reabastecimento (e era uma tática bem plausível devido as paradas dos outros pilotos estarem sendo na volta 39 e portanto poderia eles todos ou pouparem combustível ou então fazerem uma terceira para no que Bobby Rahal poderia muito bem prolongar o seu 2ºSprint de corrida e algumas voltas depois fazer a parada nos boxes para garantir terminar a prova com apenas 2 trocas). Paul Tracy acabou penalizado por andar nos boxes a 92 milhas por hora quando o limite de velocidade é de 80 milhas complicando a sua corrida que poderia estar nas suas mãos.

Rahal era o líder,Paul Tracy era o 2º, Mansell em 3º, Johansson em 4º, Danny Sullivan em 5º tomando a posição de Al Unser jr. que era o seu rival na Galles principalmente devido a uma corrida no ano anterior que é uma que vou contar a história dela em breve, 7º Jimmy Vasser que não deve ter parado, 8ºRobby Gordon, 9º Raul Boesel, 10º Willy T. Ribbs que não fez a parada e em 11º estava Andrea Montermini.

Al Unser jr.
Al Unser jr.

Bandeira verde na volta 44 com Bobby Rahal segurando a liderança com Mansell tendo que resistir a pressão de Johansson, Já Paul Tracy em segundo lugar teria de cumprir a punição, Mas tentava pressionar o piloto/dono da Rahal-Hogan enquanto isso Teo Fabi acabou batendo na proteção de pneus na curva que dava acesso a parte mais rápida do circuito que era aquela sequência de pequenas retas e de curvas leves aonde os carros atingiam as maiores velocidades isso depois de bater em Mike Groff, na volta 45 o Eddie Cheever que já tinha a sua corrida complicada bateu no muro Praticamente destruindo a Asa traseira além de Furar outro pneu, Ainda sem terem dado a bandeira amarela Johansson ataca Mansell, Mas não percebe a bandeira amarela no local aonde Teo Fabi bateu. Resultado foi que o piloto Sueco acabou batendo a roda na traseira do carro do piloto da Hall e com isso Johansson abandona a corrida e joga fora uma real possibilidade até de vencer em Detroit, Bandeira amarela na pista depois disso.

Danny Sullivan
Danny Sullivan

Tudo parecia favorecer Mansell, Mas a sorte do leão mudou com um furo dos pneus fazendo ele partir para uma nova parada nos boxes, Bobby Rahal Também iria parar nos boxes na volta seguinte e como Paul Tracy tendo de cumprir a punição. Com tudo isso o líder iria passar a ser Danny Sullivan com Al Unser jr. em 2º ambos da equipe Galles, Robby Gordon em 3º e Raul Boesel em 4º, Mario Andretti em 5º, Arie Luyendky em 6º, Willy T. Ribbs em 7º, Adrian Fernandez em 8º (Ambos estavam em táticas diferentes dos ponteiros), 10º jimmy Vasser, 11º Nigel Mansell e em 12º Bobby Rahal, muitos desses teriam de saber se poderiam terminar a corrida com apenas esse tanque, Mesmo assim com as bandeiras amarelas poderiam aliviar o consumo de Combustível. Rahal e Mansell estavam praticamente garantidos para o final da prova dos ponteiros, Tracy entrou nos boxes na volta 48 deixando a liderança para Danny Sullivan, Para o piloto da Penske ele tinha que cumprir uma penalização nos boxes o que praticamente iria retirar qualquer possibilidade de vitória.

Relargada aconteceu na volta 50 com Danny Sullivan que tinha na sua cola o seu companheiro de equipe e desafeto Al Unser jr. com Robby Gordon em 3º e Raul Boesel em 4ºlugar enquanto isso Paul Tracy cumpriu a sua punição e ficou longe dos ponteiros, Scott Brayton teve problemas saindo da pista após um toque em Mike Groff que estava virando um alvo dos pilotos. Sullivan começou a abrir de Al Unser jr. que tinha vantagem boa sobre Robby Gordon que estava em uma ótima 3ªPosição com alguma vantagem para Raul Boesel que estava em 4ºlugar, Em uma corrida discreta Mario Andretti começava a Sofrer pressão de Arie Luyendky em disputa pelo 5ºlugar. Jimmy Vasser vinha em uma ótima corrida com o Lola de 1992 da equipe Hayhoe na 7ªposição, Mansell em 8º, Rahal em 9ºlugar.

Mas o sossego de Sullivan acabou pois Al Unser jr. foi para cima de seu desafeto para disputar a vitória que estava entre os pilotos da equipe Galles.

Robby Gordon
Robby Gordon

Classificação após 55 Voltas:

1. Danny Sullivan – 7
2. Al Unser jr. – 3 (a 1.7)
3. Robby Gordon – 14 (a 4.3)
4. Raul Boesel – 9 (a 5.8)
5. Mario Andretti – 6 (a 10.3)
6. Arie Luyendky – 10 (a 11.2)
7. Jimmy Vasser – 18 (a 18.9)
8. Nigel Mansell – 5 (a 19.4)
9. Bobby Rahal – 1 (a 21.3)
10. Andrea Montermini – 50 (a 26.7)
11. Paul Tracy – 12 (a 30.3)
12. Adrian Fernandez – 11 (a 32.6)
13. Scott Brayton – 22 (a 1 Volta)
14. Buddy Lazier – 20 (a 1 Volta)
15. Scott Goodyear – 2 (a 1 Volta)
16. Mike Groff – 26 (a 1 Volta)
17. Willy T.Ribbs – 75 (a 1 Volta)
18. Hiro Matsushita – 15 (a 1 Volta)
19. Stefan Johansson – 16 – Abandonou
20. Eddie Cheever – 99 – Abandonou
21. Teo Fabi – 8 – Abandonou
22. Emerson Fittipaldi – 4 – Abandonou
23. Marco Greco – 30 (a 20 Voltas)
24. Olivier Grouillard – 29 – Abandonou
25. Roberto Guerrero – 40 – Abandonou
26. Scott Pruett – 45 – Abandonou
27. Mark Smith – 25 – Abandonou
28. Robbie Buhl – 19 – Abandonou

Impressionante era a atuação do Buddy Lazier com o motor Buick em 14ºlugar, Mas a corrida dele acabaria na volta 55 por causa de um acidente que não afetou o andamento da corrida.

E continuava o Pega entre Danny Sullivan e Al Unser Jr. pela liderança da corrida na 56ªVolta. Isso por que Danny Sullivan precisava poupar combustível mais do que Al Unser jr., Arie Luyendky que fazia uma boa corrida em 6ºlugar até que na volta 59 ele parou com problemas elétricos deixando a corrida dentro da pista mas fora do traçado o que fez a direção de prova só dar Bandeira amarela naquele local.

Al Unser jr. continuou a pressionar Sullivan que estava em situação complicada e só não perdeu a posição por que em uma parte da pista ele seria ultrapassado pelo seu companheiro de equipe estava em Bandeira amarela devido ao acidente de Buddy Lazier, Depois Al Unser tentou em uma pequena reta a ultrapassagem e não conseguiu concluir essa ultrapassagem porque ele acabou atrapalhado pelo carro de Serviço que estava terminando o trabalho para retirar de vez o carro de Luyendky e acabou sendo uma pena pois era a melhor chance de ultrapassagem já que o Brasileiro Marco Greco atrapalhou aos 2 primeiros colocados. (De forma desnecessária já que estava a 21 voltas dos líderes)

Raul Boesel
Raul Boesel

Mas não foi só o Greco que fez isso, Também o Japonês Hiro Matsushita como retardatário também atrapalhou a Sullivan e Al Unser jr., Já Raul Boesel estava também poupando combustível em 4ºlugar. Um outro piloto que vinha muito bem na corrida acabou tendo problemas na volta 66, Foi o Norte-Americano Jimmy Vasser que estava em 6ºlugar, Com isso Nigel Mansell estava recuperando terreno assumindo essa posição, Destaque também para Bobby Rahal que estava em 7ºlugar e a Paul Tracy em 8ºlugar, ambos em corrida de recuperação. E continuava o pega entre Sullivan e Little Al com menos de 10 Voltas para o final da corrida.

A disputa esquentava cada vez mais entre os dois, No final de sequência de curvas rápidas Al Unser jr. vai até os confins da pista e atinge os cones (o que iria provocar em mais uma estupida punição) A disputa entre os dois estava em seu auge quando surge a bandeira amarela devido a batida de Nigel Mansell no muro a 8 voltas do final, Todo mundo se juntou para fazerem um final sensacional. Mas a poucas voltas do final a disputa entre os pilotos da Galles foi ceifada devido a uma punição que ele sofreu por ter atropelado os cones para demarcar a pista, Pela forma que foi esse lance e pelo motivo da punição eu achei estupida a punição, A direção da CART foi completamente equivocada nessa corrida na minha opinião. Dick Simon pediu para os 2 retardatários que estavam na frente de Boesel, A CART concordou e pediu para ambos deixarem passar, Pelo menos 1 deles aceitou, Já Willy T.Ribbs tendo a sua razão não quis fazer essa concessão.

A 3 voltas do final tivemos a Bandeira Verde com Danny Sullivan em primeiro lugar e Al Unser jr. acabou indo cumprir a penalização, Mas Danny teve de enfrentar um último susto com Robby Gordon que foi com tudo para buscar a primeira vitória da sua carreira e que poderia ser a primeira vitória da equipe de A.J.Foyt na Formula Indy e parecia ter mais rendimento do que Sullivan, Infelizmente para Gordon a duas voltas do final começou a sentir um problema com seu pneu traseiro e começou a ficar muito para trás, Na volta final o pneu do jovem piloto norte-americano acabou furando e fazendo ele rodar deixando escapar o 2ºlugar das mãos dele.

Danny Sullivan conquista a sua 17ºvitória da sua carreira na Formula Indy (a última da sua carreira) era a primeira vitória da Galles na temporada, Raul Boesel em também em corrida perfeita estrategicamente conquistou o segundo lugar e foi um dos que beneficiaram nessa prova já que ele terminou a etapa a apenas 3 pontos atrás de Mansell. Mario Andretti completou o pódio.

Olivier Grouillard
Olivier Grouillard

E deve-se falar, Corridaça de Andrea Montermini que levou a fraquíssima Euromotorsport em 4ºlugar com um equipamento defasado em relação a outros pilotos como Bobby Rahal, Al Unser jr que ainda salvou um 6ºlugar, Adrian Fernandez que correu pela Galles nessa corrida fechando em 7ºlugar após largar do 21ºposto, Robby Gordon que ainda ficou em 8ºlugar com um problema que não deve ser creditado a ele e sim aos pneus que ou não resistiram ou pegarem detritos que fizeram esse pneu furar, Paul Tracy ficou em 9º e Scott Goodyear em uma corrida completamente apagada não só dele como de toda a Walker ficou em 10ºlugar e o alvo da corrida Mike Groff acabou batendo nas ultimas curvas de uma corrida completamente confusa e que os fiscais da CART conseguiram deixar ela ainda mais confusa, Mas ela fez parte dos melhores tempos da Formula Indy que estava em seu auge.

Vídeo do GP de Detroit de 1993:

Resultado do GP de Detroit de 1993

Prints do GP de Detroit

View post on imgur.com

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Prints: Youtube (MrChato27)
Vídeo: TheRacingJungle

Especial Ligier : Temporada de 1996

Após um belo ano de 1995. A Ligier novamente passa por mudanças. O escocês Tom Walkinshaw que fazia parte da sociedade com Flavio Briatore e Guy Ligier vende 35% das suas ações para um grupo de empresas francesas, essas empresas pretendiam nacionalizar a escuderia com a ajuda do governo Francês.

Mas Isso seria difícil, Tendo Flavio Briatore como um dos sócios da equipe, Um homem de caráter duvidoso. (Para não dizer um canalha) Isso poderia  afugentar as empresas francesas, que poderiam ser a salvação da Ligier para o futuro.

Após 20 temporadas, A Marca Ligier no seu carro a SEITA (Service Exploitation Industrielles des Tabacs) acabou colocando no lugar da Gitanes uma outra marca de Cigarros, A Gauloises.

Os pilotos seriam Olivier Panis que partia para a 3ªtemporada na Formula 1 sendo visto com bons olhos por todos na categoria e que tentaria de vez a consolidação que poderia dar um lugar entre as grandes equipes. já a segunda vaga como o caixa da Ligier não era cheio do dinheiro. Dai viram a opção do Brasileiro Pedro Paulo Diniz que trazia não um talento que saltava os olhos, (Ele tinha algum talento, Mas ele começou a evoluir no decorrer dos anos na Formula 1) Mas sim pelo número de Patrocinadores que ele levava com ele. Isso tornava ele uma grande contratação e foi isso que aconteceu.

O fato é que essa contratação teria um efeito colateral: O time teria de contar muito com Panis para ter uma boa temporada, E com o bom desempenho dos motores Mugen-Honda em sua nova versão com mais potência e com o Chassi JS43 desenvolvido por André Cortanze (Dir. Técnica), Frank Dernie (projeto) e Loic Bigeois (aerodinâmica).

Mal sabia que essa seria a última temporada da Ligier que começou na Austrália com Panis largando do 11ºlugar e completando a corrida em 7ºlugar, O brasileiro Pedro Paulo Diniz largou em 20ºlugar com menos talento que Panis acabou levando o seu carro para um Razoável 10ºlugar.

Indo para o Brasil em Interlagos o Treino foi ruim para a Ligier: Panis largando em 15º e Diniz largando em último atrás até das Forti Corsi que eram o pior carro do ano por que não respeitou um item no regulamento, Mas seu tempo iria deixar ele em 18º no grid sem a punição. No domingo muita chuva na corrida inteira, Uma prova de fogo para todos os pilotos, Mesmo assim os dois pilotos da Ligier se mostraram eficientes e terminaram a prova, Panis foi levando o seu carro e aproveitando os erros dos outros adversários levando o Ligier-Mugen Honda para o 6ºLugar e com isso conquistar o primeiro ponto na temporada. Diniz largando do último lugar acabou surpreendentemente andando bem na chuva chegando em 8ºlugar. (Chegou a andar uma volta da corrida em 7ºlugar)

Encerrando a temporada na América do Sul na Argentina a prova ficou marcada pelo incêndio do carro de Pedro Paulo Diniz que na 30ªVolta acabou rodando e com o seu carro pegando fogo, Diniz saiu rápido de seu carro e deixou a corrida. Panis levou o carro até o final chegando em 8ºlugar.

Indo para Nurburging prova que marcou o começo da temporada europeia o Grid foi ruim para Panis e Diniz largando em 15º e 17ºlugar, Na corrida somente Diniz levou o carro até o final da prova ficando em 10ºlugar.

Em San Marino Diniz bateu na trave para marcar pontos ficando em 7ºlugar após largar da 17ªPosição e fazendo uma boa corrida, Panis em 13º no Grid de largada acabou deixando a prova com problemas de Câmbio nas voltas finais.

Em 5 etapas a Ligier tinha apenas 1 ponto ganho em Interlagos e estava em 7ºlugar no mundial de construtores empatado com a Footwork-Hart.

E ai chegou o dia 19 de Maio, dia do GP de Mônaco, Uma corrida em que a Ligier não esperava muita coisa. O JS43 não era competitivo o Bastante para fazer frente com as melhores equipes do campeonato, Panis largava do 14ºlugar e Diniz largava do 17ºlugar.

Só que o GP de Mônaco se tornaria histórica para a Ligier, Na largada sobre chuva já ficavam 5 pilotos (Fisichella, Lamy, Verstappen, Schumacher e Barrichello) todos envolvidos em rodadas e acidentes, Nisso tudo Panis estava em 12º e Diniz em 16º. O piloto Brasileiro subiu duas posições devido aos abandonos de Rosset e Katayama, Mas na 6ªVolta Diniz deixaria a corrida com problemas na Transmissão.

Panis aos poucos com os erros dos outros adversários começava a subir na classificação, Mas também conseguiu ultrapassagens por conta própria. Panis passou no Braço Hakkinen e Herbert. Na 30ªVolta Panis já estava em 4ºlugar e a partir dai a sorte sorriu para o piloto Francês. Irvine perdeu muito tempo nos boxes na 36ªVolta. Isso já colocava o Francês no pódio.

Se não bastasse isso a sorte sorriu outra vez a Panis. Na 41ªvolta o Líder Damon Hill teve problemas de Motor e deixou a liderança com Alesi da Benetton. Panis agora era o segundo colocado. Se nada mais acontecesse já seria um grande resultado para o time azul.


Vídeo: TVS088

A corrida vinha se desenvolvendo e tudo indicava a vitória de Alesi. Até que na volta 61, o piloto Francês abandona com problemas de suspensão. Panis passou para a liderança, Quem imaginava a Ligier podendo vencer de novo uma corrida? Talvez só o mais fanático dos torcedores e o Próprio Olivier Panis imaginassem isso.

Foi uma agonia e uma tensão para toda a equipe francesa durante as últimas 14 voltas. Ainda mais com o acidente entre Irvine, Salo e Hakkinen, nas voltas finais e com o Escocês David Coulthard da Mclaren se aproximando do piloto Francês.

Mas o dia era mesmo do piloto Francês que não sentiu a pressão e levou o carro número até o final. Vencendo pela primeira vez na sua carreira e encerrando o jejum de quase 15 anos sem vitória da Ligier. (A última foi no GP do Canadá de 1981 com Jacques Laffite)

Uma festa para a Equipe de Guy Ligier que conquistava a 9ªVitória na sua história (Que também seria a última da equipe na Formula 1). O time iria a 11 pontos no campeonato passando para o 5ºlugar nos construtores na frente de Jordan e de Sauber.

Na Espanha, Panis largou em 8ºlugar e Diniz em 17ºlugar na corrida em dia chuvoso Panis sofreu um acidente na segunda volta e deixou a corrida, Já Diniz sobreviveu ao diluvio de Barcelona e levou o carro para a 6ªposição marcando seu primeiro ponto na Formula 1 e ajudando a Ligier a manter o 5ºlugar nos construtores com 12 pontos contra 10 de Sauber e 8 da Jordan.

No Canadá, Tanto Panis que largou em 11º como Diniz que largou em 18ºlugar acabaram abandonado com problemas em seus carros Panis com problemas Elétricos e Diniz com problemas de Motor. Em Magny-Cours, na casa da Ligier, Olivier Panis largou em 9ºlugar e Diniz largou em 11ºlugar, Na corrida Diniz foi melhor do que Panis até quebrar o motor até a 29ªVolta, Panis ficou em 7ºlugar ficando perto de marcar pontos em sua casa.

Em Silverstone, Foi uma etapa terrível para Panis e Diniz que abandonaram a corrida após largaram lá atrás.

Na Alemanha, ficou comprovado a evolução do Diniz em relação ao seu desempenho no começo do ano. Pela primeira vez no ano largando na frente de Panis que dividiu a 6ªfila que o piloto Francês, Diniz estava na frente de Panis até deixar a corrida com problemas em seu carro. Panis continuou até o final da prova terminando a corrida em boa 7ªposição.

Na Hungria, A Ligier voltou a marcar pontos com Panis que largou em 11ºlugar levou o fraco Ligier a ficar em 5ºlugar apenas atrás de Villeneuve – Hill – Alesi – Hakkinen, Diniz bateu na segunda volta após largar em 15ºlugar.

Em Spa-Francorchamps Panis se envolveu em um acidente com os pilotos da Sauber Frentzen e Herbert e abandonou a corrida. Diniz andou lá atrás,  até quebrar o motor na 23ªVolta.

GP da Itália em Monza foi histórico. Pois ficou a cargo de Pedro Paulo Diniz o autor do último ponto marcado pela Ligier na história da equipe na Formula 1, Largando do 14ºlugar e fazendo uma bela corrida chegando em 6ºlugar na frente de Jacques Villeneuve com a Williams.

Na última etapa na Europa, Em Estoril Panis largou em 15ºlugar e terminou a corrida em 10ºlugar, Diniz largou em 18ºlugar e rodou deixando a prova na 47ªVolta. Encerrando a temporada no Japão o que seria a última prova da história da equipe francesa na Formula 1. Olivier Panis largou do 12ºlugar e terminou a corrida em 7ºlugar, Diniz largou em 16º e abandonou na 14ªvolta após rodar.

Com isso a Ligier fechava em 6ºlugar o mundial de construtores com 15 pontos ganhos, 1 Vitória conquistada em Mônaco depois de 15 anos sem vitória, Sendo 13 pontos de Olivier Panis e 2 pontos de Pedro Paulo Diniz. No dia 13 de Fevereiro de 1997 o Francês Tetracampeão do mundo Alain Marie Pascal Prost (Mais conhecido como Alain Prost) comprou de Flávio Briatore a Ligier e Rebatizou o time de Prost Grand Prix.

Era o fim de uma história de 20 anos de uma das equipes mais marcantes da História da Formula 1: 613 corridas, 9 Vitórias, 9 poles, 9 melhores voltas, 50 pódios, 388 pontos e como seus melhores resultados um Vice-Campeonato dos construtores em 1980. O terceiro lugar em 1979 e o 4ºlugar em 1981.

Curiosidade: O JS em todos os Chassis da Ligier era homenagem ao Amigo de Guy Ligier Jo Schlesser que foi companheiro do piloto na Formula 2 na sua própria equipe, o piloto Francês acabou morrendo no GP da França. Com isso em Forma e Homenagem Guy Batizou todos os seus carros feitos com o JS não só nos carros de Formula 1 como em outros carros já que ele é construtor de carros hoje com 85 anos de idade ainda vivo.

Números da Ligier em 1996:

Gps: 32
Vitórias: 1
Poles: 0
Pódios: 1
Pontos: 15
Motor: Mugen Honda MF301HA V10
10 Cilindros em v
2998 cm³
Potência: 690 Cavalos – 13700 RPM
Pilotos:
9. Olivier Panis
10. Pedro Paulo Diniz
Pneus: Goodyear
Número de Voltas completadas: 1.336

Chassi: Ligier JS43
Projetistas: André Cortanze (Dir. Técnica)
Frank Dernie (projeto)
Loic Bigeois (aerodinâmica)
Chassis: Monocoque de Carbono e Kevlar
Peso: 595 kg
Transmissão: Ligier sequencial semi-automática T – 6 Marchas
combustível e óleo: Elf
Tank: 150 Litros
Freios: Freios a disco de carbono – Brembo
Distância entre eixos: 2.935 milímetros
Eixo Dianteiro: 1.693 milímetros
Eixo traseira: 1.608 milímetros

Fotos:

View post on imgur.com

Dados da Ligier na Formula 1:

GPs: 613
Vitórias: 9
Pódios: 50
Melhores Voltas: 9
Poles: 9
Pontos: 388
Número de Voltas completadas: 26.265
Voltas Lideradas: 565
Motores:

Ford Cosworth
Matra
Renault
Megatron
Judd
Lamborghini
Mugen-Honda
Alfa Romeo

Chassis:

JS5 – 1976
JS7 – 1977
JS9 – 1978
JS11 – 1979
JS11/15 – 1980
JS17 – 1981/1982
JS17B – 1982
JS19 – 1982
JS21 – 1983
JS23 – 1984
JS23B – 1984
JS25 – 1985
JS27 – 1986
JS29 – 1987
JS29B – 1987
JS29C – 1987
JS31 – 1988
JS33 – 1989
JS33B – 1990
JS35 – 1991
JS35B – 1991
JS37 – 1992
JS39 – 1993
JS39B – 1994
JS41 – 1995
JS43 – 1996

Pilotos da Ligier:

Jacques Laffite (França) 206 Pontos – 6 Vitórias, 7 Poles, 6 Melhores Voltas, 31 Pódios (197619771978197919801981198219851986)
Jean-Pierre Jarier (França) (19771981)
Patrick Depailler (França) 22 Pontos – 1 Vitória, 1 melhor volta, 2 Pódios (1979)
Jacky Ickx (Bélgica) 3 Pontos (1979)
Didier Pironi (França) 32 Pontos – 1 Vitória, 2 poles, 2 Melhores Voltas, 5 Pódios (1980)
Jean P. Jabouille (França) (1981)
Patrick Tambay (França) (1981)
Eddie Cheever (Estados Unidos) 15 Pontos, 3 Pódios (1982)
Raul Boesel (Brasil) (1983)
François Hesnault (França) (1984)
Andrea De Cesaris (Itália) 6 Pontos (19841985)
Philippe Streiff (França) 4 Pontos, 1 Pódio (1985)
René Arnoux (França) 17 Pontos (1986-198719881989)
Philippe Alliot (França) 1 Ponto (19861990)
Piercarlo Ghinzani (Itália) (1987)
Stefan Johansson (Suécia) (1988)
Olivier Grouillard (França) (1989)
Nicola Larini (Itália) (1990)
Thierry Boutsen (Bélgica) 2 Pontos (19911992)
Érik Comas (França) 4 Pontos (19911992)
Martin Brundle (Inglaterra) 20 Pontos, 2 Pódios (19931995)
Mark Blundell (Inglaterra) 10 Pontos, 2 pódios (1993)
Olivier Panis (França) 39 Pontos – 1 Vitória, 3 Pódios (199419951996)
Franck Lagorce (França) (1994)
Éric Bernard (França) 4 Pontos, 1 Pódio (1994)
Johnny Herbert (Inglaterra) (1994)
Aguri Suzuki (Japão) 1 Ponto (1995)
Pedro Paulo Diniz (Brasil) 2 Pontos (1996)

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Bestlap/Formel1mic

Especial Ligier: 19761977197819791980198119821983 –19841985 –1986 –1987 – 19881989 – 1990 – 1991 – 199219931994 – 1995

Especial Ligier : Temporada de 1995

Após o fiasco que foi a temporada de 1994 para a Ligier a equipe acabou sendo vendida para o senhor Flávio Briatore, Mas não foi para melhorar a equipe, Foi com a intenção bem sucedida de Tomar os motores Renault para a equipe aonde ele trabalhava que era a Benetton.

“Mas ele poderia trabalhar em duas equipes?” O Regulamento não permitia! Então como Briatore fez isso? Antes, A equipe já tinha sido vendida para Cyril de Rouvre que acabou no final de 1993 preso por acusações de Fraude e evasão fiscal. As ações voltaram para Guy que sentia que sua equipe era cobiçada por todos por causa dos motores Renault.

As ações da Ligier foram vendidas para Briatore. Que colocou Tom Walkinshaw para comandar a equipe. Era uma forma de burlar o Regulamento da Formula 1.

E a Ligier ficaria sem nada??? Não, Briatore acabou atropelando um acordo de motores que a Mugen-Honda tinha com a Minardi. Com isso os motores japoneses foram para a equipe francesa (Isso é Típico daquele mal caráter que era Briatore, pobre Ligier)

Veja a Semelhança dos carros da Benetton e da Ligier, Apenas se diferenciando por alguns detalhes e pelos motores.
Veja a Semelhança dos carros da Benetton e da Ligier, Apenas se diferenciando por alguns detalhes e pelos motores.

E pobre da Ligier mesmo, Tinha um oportunista como dono da equipe, Ele faria da Ligier uma espécie de laboratório. Não precisa ser um gênio para saber disso. Basta comparar o Chassi da Ligier com o Chassi da Benetton. O Chassi da ligier praticamente igual ao Chassi da Benetton de 1995. Ou seja, A Ligier não fez carro nenhum para essa temporada. Mas o JS41 foi desenvolvido pelos projetistas Frank Dernie (Diretor Tecnico) e Loic Bigeois (Aerodinâmica)

Mas o Design foi do projetista da Benetton Rory Byrne, Mas o nome dele não foi colocado, Diferente do passado a Formula 1 estava mais organizada e não se permitia a ninguém trabalhar em 2 ou mais equipes ao mesmo tempo, Mas se era assim, porque então Briatore não saiu da Benetton e foi comandar a Ligier se ele tinha comprado? Isso mostra o quanto a Formula 1 era profissional, Mas muito frágil na Hora de se cumprir o regulamento (E até hoje isso é assim).

Os pilotos seriam o Francês Olivier Panis que era um grande talento francês para o futuro e com o segundo carro ele seria dividido entre o experiente piloto Inglês Martin Brundle que já teve passagem pela Ligier em 1993 e Aguri Suzuki que já tinha passagens pela Larrousse e Footwork para não falar de uma corrida na Jordan e de uma temporada na Zakspeed em 1989 aonde o carro era horrível e ele se quer conseguiu classificação para uma corrida se quer.

Suzuki faria as primeiras corridas do campeonato junto de Panis, Corrida essa realizada em Interlagos que abria pela 4ªvez o mundial de Formula 1 (As outras foram 1975, 1976 e 1994). Logo se constatou que a Ligier ficaria a principio no bloco intermediário pelo menos em termos de Grid de largada, Panis iria largar em 10ºlugar e Suzuki em 15ºlugar. Na Corrida Panis se acidentou na primeira volta da corrida, Suzuki levou a ligier até a 8ªposição atrás da Tyrrell-Yamaha V10 de Mika Salo e só na frente dos carros da lentíssima Forti Corsi de Diniz e Moreno o que era uma preocupação para Briatore e a equipe azul.

Na Argentina, mais uma vez a Ligier não vai muito bem nos treinos Panis se coloca apenas em 18ª e Suzuki em 19ª, Na corrida pelo menos Panis vai bem melhor e por muito pouco não leva a Ligier para seu primeiro ponto na temporada terminando a prova em 7ºlugar, Já Suzuki estava lá atrás e acabou se acidentando na 47ªVolta e abandonou a prova.

ARG1995 (5)

Partindo para a primeira corrida na Europa, Em Imola ainda com a configuração Panis e Suzuki como pilotos, O Grid foi razoável com Panis em 12º e Suzuki em 16º, Na Corrida ambos largaram mal e não fizeram nada além de uma corrida da metade da classificação isso com o mesmo carro da Benetton praticamente, Panis ficou em 9ºlugar a 1 volta do vencedor e Aguri Suzuki em 11º a 2 Voltas do vencedor.

A partir do GP da Espanha teríamos a Configuração dos pilotos sendo mudada, Suzuki daria lugar para o experiente Martin Brundle que faria dupla com Olivier Panis e nessa corrida feita na Catalunha é que Panis largando do 15ºlugar fez uma bela corrida e na última volta conseguiu passar Rubens Barrichello e acabou ficando em 6ºlugar levando para a Ligier o primeiro ponto na temporada, Brundle que teve uma classificação no Treino melhor que Panis largando do 11ºlugar acabou a corrida em 9º.

Em Mônaco nas ruas de Monte Claro a equipe Francesa teve o melhor treino do ano até aquele momento com Brundle em 8ºlugar e Panis em 12º. Na Corrida ambos bateram, Brundle perto dos pontos bateu na 41ªVolta levou um toque de Jean Alesi e abandonou a corrida e Panis bateu no final da corrida quando estava em 8ºlugar.

Indo para a prova do Canadá, na tradicional Montreal foi Olivier Panis que teve um belo momento após largar numa 11ªposição e numa corrida  desgastante o Francês resistiu até o final levando seu Ligier-Mugen Honda a uma excelente 4ªposição. Brundle que largou em 14º poderia muito bem ter levado a Ligier aos pontos também, Mas se envolveu em um acidente com Gerhard Berger (que diga-se de passagem foi o culpado pelo acidente) que eliminou ambos da corrida quando disputavam a 5ªposição.

Voltando para a Europa, Na corrida da Casa em Magny-Cours praticamente na porta de casa (Sede da Ligier ficava na Região desse Circuito) Panis com o 6ºlugar e Brundle com o 9ºlugar fizeram o melhor grid do ano naquele momento lembrando um pouco os bons momentos de 1992 e 1993 aonde o time costumava largar bem. Na Corrida Panis acabou não correndo bem ficando em 9ºlugar no final da corrida, Mas Brundle pelo contraio fez sua melhor exibição de longe chegando a estar em 3ºlugar por algumas voltas até perder essa posição para Coulthard ficando com uma honrosa 4ªposição ,Faltando bem pouco para o inglês ter ganho o pódio.

Isso deixou a  Ligier já com 7 pontos em 7 corridas na 6ªposição a 1 ponto da Mclaren, O problema é que no Canadá a Jordan fez 10 pontos dos 13 que tinha até essa corrida e estava em 4ºlugar nos construtores e essa seria a natural Briga da Ligier no campeonato tentando o 5ºlugar dos construtores disputando com a Jordan e com a Sauber que tinha 4 pontos.

Mesmo dividindo o carro com Suzuki Brundle conseguiu bons resultados com a Ligier.
Mesmo dividindo o carro com Suzuki Brundle conseguiu bons resultados com a Ligier.

No Grande Prêmio da Inglaterra um dos templos do automobilismo Mundial o Circuito de Silverstone outra corrida com um Ligier nos pontos. Panis em 13ºlugar no grid fez uma corrida de cabeça, se aproveitou do erro de outros pilotos e levou o carrinho azul ao 4ºlugar e melhor disso na frente da Mclaren de Blundell que ficou em 5º, Brundle em 11º acabou rodando na 17ªVolta e deixando a prova. Ao final da metade do campeonato a Ligier com 10 pontos não estava mais na disputa pelo 5ºlugar, Mas sim pelo 4ºlugar já que a Mclaren estava muito mal tanto é que a Ligier com esses pontos estava na frente da equipe de Ron Dennis no mundial de construtores nos critérios de desempate.

Em Hockenheim, abrindo a 2ªMetade do campeonato Brundle iria para a reserva para entrar o Japonês Suzuki para compor com Panis a equipe de pilotos no GP da Alemanha. Panis foi bem melhor que Suzuki nos treinos largando em 12ºlugar enquanto que Suzuki largou do 18º. O Francês fazia uma corrida promissora, Mas ela acabou na 14ªvolta com problemas de vazamento de Água. Já Suzuki fez uma corrida regular e se aproveitando das quebras o Japonês termina a prova em 6ºlugar marcando mais um ponto para o time comandado por Tom Walkinshaw. Era a 4ªcorrida seguida da Ligier nos pontos. Algo que não acontecia desde dos tempos que Ligier era um time forte na categoria.

Na Hungria mais uma corrida com desempenho forte prova disso é que Panis em 8º e Brundle em 10º de volta a equipe Ligier após a substituição na Alemanha por Suzuki colocavam o carro entre os 10 primeiros colocados. Na corrida uma bela atuação de Brundle que estava na disputa por bons pontos até que na volta 68 o motor Mugen-Honda quebrou fazendo o inglês deixar a corrida. Até o final da prova, Panis fazia uma corrida discreta perto do seu companheiro de equipe tinha feito estava fora dos pontos em 7ºlugar, Mas nos últimos metros o piloto Francês foi beneficiado pela infelicidade de Rubens Barrichello que acabou tendo seu motor cortado para evitar uma explosão, Com isso Panis acabou herdando um 6ºlugar e mantendo a sequência da equipe que vinha para a 5ªcorrida seguida nos pontos.

podio_belgica_1995

Indo para Spa-Francorchamps na Bélgica numa corrida muito confusa aonde tivemos tempo seco no começo e chuva no meio da prova o que acabou embolando as cartas na mesa. Panis que largou em 9º e Brundle que largou em 13º (ambos na frente de Schumacher que largou em 16ºlugar, Acreditem: 16ºLUGAR e venceu a corrida!) Estavam fazendo uma bela corrida, Ambos na zona de pontuação e muito bem posicionados, Mas na parte final, Panis ficou pelo caminho enquanto que Brundle se consolidou em 3ºlugar, Com a punição de Hill o veterano piloto Inglês já vinha para o 2ºlugar, Posição que iria se manter até a volta final quando Hill conseguiu passar o piloto inglês que  ainda assim conquistou o primeiro pódio da Ligier na temporada em 3ºlugar. (Seria o último pódio da carreira do piloto Inglês) Era a 6ªcorrida seguida nos pontos algo que aconteceu pouquíssimas vezes com a Ligier na sua história mostrando um bom trabalho de Walkinshaw como chefe da equipe. Após 11 etapas a Ligier tinha a 4ªposição com 16 pontos contra os 14 da Jordan, 12 da Mclaren e da Sauber.  Poderia a equipe de Flavio Briatore estar próxima de uma posição em que eles não alcançavam a 14 anos de estar entre as 4 primeiras colocadas do campeonato.

Veio o GP da Itália no ultrarrápido circuito de Monza a Ligier que teve Brundle em 11º e Panis em 13º no grid de largada fracassa na tentativa de pontuar pela 7ªvez em sequência. Brundle teve problemas e abandonou a corrida na 11ªVolta e Panis foi até a 21ªVolta e acabou rodando. E o pior disso foi que a Mclaren tinha feito 9 pontos pulando para o 4ºlugar com 21 pontos e a Sauber com 5 pontos também passava na frente da Ligier tendo 17 pontos deixando o time francês com 16 pontos. Era a Hora de reagir em Estoril, os treinos deram uma boa esperança para o time francês com Brundle em 9ºlugar e Panis em 11º, Mas para o piloto Francês a corrida terminou cedo na 11ªVolta devido a uma rodada, Já Brundle começou bem estando em 6ºlugar nas primeiras voltas mas depois não conseguiu manter o desempenho e fechou a prova em 8ºlugar e o ruim é que a Sauber marcou mais um ponto deixando a disputa pelo 4ºlugar nos construtores mais difícil para o time de Briatore/Walkinshaw.

Na última corrida na Europa, em Nürburgring, os pilotos Martin Brundle e Olivier Panis precisavam reagir no campeonato para evitar que o 4ºlugar escapasse das mãos da Ligier definitivamente: Brundle largou em 12º e Panis em 14º, Na Corrida Panis rodou na 15ªVolta e Brundle ficou por apenas 1 posição de pontuar ficando em 7º e vendo a Jordan fazendo 4 pontos e passando a equipe francesa que foi do 4ºlugar na 11ªetapa para o 7ªlugar na 14ªetapa, Definitivamente a chance de ser uma das 4 grandes estava indo para o buraco de novo como aconteceu em 1986 e em 1993.

Indo para o Pacífico para as 3 corridas finais da temporada substituindo Brundle pelo Aguri Suzuki o que poderia ajudar a equipe já que Suzuki teve no Japão seu melhor resultado na Formula 1 que foi o 3ºlugar no GP do Japão em 1990, Em Aida, Panis largou em 9ºlugar e fez uma corrida mediana ficando em 8ºlugar, Suzuki não largou muito atrás ficando em 13ºlugar e estava perto de Panis até rodar na 11ªVolta e com isso deixar a prova.

Tudo bem que Suzuki não estava mais no Auge da Forma com 35 anos de idade ele não mostrava a velocidade que tinha na Larrousse principalmente.

Suzuki nem correu em Suzuka
Suzuki nem correu em Suzuka

Na etapa do Japão no Circuito de Suzuka o Japonês Aguri Suzuki que largaria em 13ºlugar sofreu um acidente fortíssimo acabou fazendo com que o piloto não correr e também esse acidente acabou sendo o fim da carreira de Suzuki na Formula 1.

Com apenas Panis defendendo o time Francês classificando na 11ªposição no Grid de largada, Depois de 4 corridas sem pontuar acabou Panis levando a Ligier de volta aos pontos na 5ªposição, Mas o segundo lugar de Hakkinen com a Mclaren praticamente enterrava as possibilidades de ficar na 4ªposição nos construtores sendo que a Mclaren estava com 27 pontos, Jordan com 21 (Que marcou 3 pontos com o 4ºlugar de Irvine) Ligier estava empatada em 6ºlugar com a Sauber com 18 pontos tendo uma corrida para encerrar o campeonato na Austrália em Adelaide. (A última corrida de Adelaide na história da Formula 1)

No Circuito australiano teve uma despedida história com uma corrida completamente maluca, Com a Volta de Martin Brundle no lugar do acidentado Aguri Suzuki a Ligier precisava de 10 pontos para superar a Mclaren. Era bem díficil disso acontecer. A equipe Francesa marcou pontos com alguma regularidade nos pontos, Mas não teve a capacidade de marcar mais do que 4 pontos em 1 corrida apenas. No Grid: Brundle e Panis formavam a 6ªFila do Grid de largada.

aus1995 (29)

Na corrida vários acidentes aconteceram, entre eles a rodada de Martin Brundle na 27ªVolta quando estava em 5ºlugar, Agora era praticamente impossível a Ligier tomar o 4ºposto da Mclaren, estava mais fácil para a Jordan que tinha Irvine melhor colocado na corrida, Mas no decorrer da prova ocorreram quebras no bloco da Frente com Berger, Frentzen que estava em 2ºlugar e tinha grandes chances de passar a Ligier nos construtores, Irvine e Herbert e com tudo que aconteceu a 10 voltas do final da corrida Panis estava a 2 voltas de Hill, Mas na segunda posição e com possibilidades de pelo menos marcar 6 pontos e colocar a Ligier na frente de Sauber e de Jordan nos construtores, Lá a 4ªposição nos construtores estava praticamente descartada até porque Blundell estava levando a Mclaren a 3 pontos na 4ªposição.

Tudo estava bem, até que nas voltas finais Panis estava com o motor Mugen-Honda Fumando, Era uma judiação caso o piloto francês deixasse a corrida, Mas restando tão pouco para acabar a corrida e o ano, Panis tomou a decisão de levar até o final da corrida e conquistar o melhor resultado da Ligier na temporada de 1995, um 2ºlugar em pódio que resumia como foi a corrida. Hill vencendo com a Williams o que era normal, Com Panis e Morbidelli com a Footwork-Hart em 3ºlugar.

Final feliz para a Ligier em 1995 com o 2ºlugar de Panis
Final feliz para a Ligier em 1995 com o 2ºlugar de Panis

Ao final da temporada a Ligier teve a administração de Tom Walkinshaw um bom resultado ficando em 5ºlugar no mundial de construtores com 24 pontos, 2 pódios (Um para Brundle e um para Panis) Após essa temporada a tendência era que a equipe melhorasse para 1996, Mas se que saber o que acabou não dando certo, Confira no derradeiro episódio sobre a Ligier na temporada de 1996.

Gps: 34 (Largou em 33 Gps)
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 2
Pontos: 24
Mugen-Honda MF-301H
10 Cilindros em V
2998 cm³
Potência: 670 Cavalos a 13.500 RPM
Pilotos:
Aguri Suzuki
Martin Brundle
Olivier Panis
Número de Voltas Completadas: 1618

Chassi: Ligier JS41 (Benetton B195)
Projetistas: Frank Dernie (Diretor Tecnico), Rory Byrne (Design) e Loic Bigeois (Aerodinâmica)
Chassis: monocoque de carbono e Kelvar
Peso: 595 kg
Transmissão: Benetton sequencial semiautomática em T – 6 marchas
Combustível e óleo:  Elf
Freios:  Discos de Freio de Carbono Brembo
Duração:
Distância entre eixos:  2.935 milímetros
Dianteiro:  1693 milímetros
traseiro:  1.608 milímetros

Fotos:

View post on imgur.com

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Bestlap/Formel1mic

Especial Ligier: 19761977197819791980198119821983 –19841985 –1986 –1987 – 19881989 – 1990 – 1991 – 199219931994