Preview – GP do Canadá

Circuito Gilles Villeneuve
Localização: Montreal – Quebec, Canadá
Percurso: 4.361 metros – (2,709 milhas)
Curvas: 13
Recorde da Pole: Sebastian Vettel (Ferrari) – 1:10.764 – 2018
Recorde de Corrida: Rubens Barrichello (Ferrari) – 1:13.622 – 2004

Vencedores:

Mosport Park

AnoPilotoEquipe-MotorPaís
1967Jack BrabhamBrabham-RepcoAustrália
1969Jacky IckxBrabham-FordBélgica
1971Jackie StewartTyrrell-FordEscôcia
1972Jackie StewartTyrrell-FordEscôcia
1973Peter RevsonMclaren-FordEstados Unidos
1974Emerson FittipaldiMclaren-FordBrasil
1976James HuntMclaren-FordInglaterra
1977Jody ScheckterWolf-FordÁfrica do Sul

Mont-Tremblant

AnoPilotoEquipe-MotorPaís
1968Denny HulmeMclaren-FordNova Zelândia
1970Jacky IckxFerrariBélgica

Gilles Villeneuve

AnoPilotoEquipe-MotorPaís
1978Gilles VilleneuveFerrariCanadá
1979Alan JonesWillliams-FordAustrália
1980Alan JonesWillliams-FordAustrália
1981Jacques LaffiteLigier-MatraFrança
1982Nelson PiquetBrabham-BMWBrasil
1983René ArnouxFerrariFrança
1984Nelson PiquetBrabham-BMWBrasil
1985Michele AlboretoFerrariItália
1986Nigel MansellWilliams-HondaInglaterra
1988Ayrton SennaMclaren-HondaBrasil
1989Thierry BoutsenWilliams-RenaultBélgica
1990Ayrton SennaMclaren-HondaBrasil
1991Nelson PiquetBenetton-FordBrasil
1992Gerhard BergerMclaren-HondaÁustria
1993Alain ProstWilliams-RenaultFrança
1994Michael SchumacherBenetton-FordAlemanha
1995Jean AlesiFerrariFrança
1996Damon HillWilliams-RenaultInglaterra
1997Michael SchumacherFerrariAlemanha
1998Michael SchumacherFerrariAlemanha
1999Mika HakkinenMclaren-MercedesFinlândia
2000Michael SchumacherFerrariAlemanha
2001Ralf SchumacherWilliams-BMWAlemanha
2002Michael SchumacherFerrariAlemanha
2003Michael SchumacherFerrariAlemanha
2004Michael SchumacherFerrariAlemanha
2005Kimi RaikkonenMclaren-MercedesFinlândia
2006Fernando AlonsoRenaultEspanha
2007Lewis HamiltonMclaren-MercedesInglaterra
2008Robert KubicaBMW Sauber-BMWPolônia
2010Lewis HamiltonMclaren-MercedesInglaterra
2011Jenson ButtonMclaren-MercedesInglaterra
2012Lewis HamiltonMclaren-MercedesInglaterra
2013Sebastian VettelRed Bull-RenaultAlemanha
2014Daniel RicciardoRed Bull-RenaultAustrália
2015Lewis HamiltonMercedesInglaterra
2016Lewis HamiltonMercedesInglaterra
2017Lewis HamiltonMercedesInglaterra
2018Sebastian VettelFerrariAlemanha

Gasto de Pneus

Escolha dos Pneus

Consumo por Volta: 1.89 litros – 1,42 kg.
Tanque de Combustível (Capacidade): 77,46 Voltas
Cada volta de combustível: +0.03 segundos
Perda de tempo a cada 10 kg de Combustível: 0.210 segundos
Tempo de entrada e saída dos boxes: 16.5 Segundos

Previsão do Tempo:

Sexta:

Sábado:

Domingo:

Corridas históricas:

GP do Canadá de 1984

GP do Canadá de 1986

O que esperar de cada equipe para Montreal

Mercedes vai buscar sua 7ªVitória seguida. Hamilton tem 17 pontos de frente para Bottas, Enquanto o Inglês tenta consolidar a vantagem na liderança, O Finlandês tenta a 3ªVitória no ano para diminuir sua desvantagem para seu companheiro de equipe.

Ferrari em crise, Será que finalmente vão acertar?

Red Bull vai ter um bom final de semana? Verstappen vai tentar se aproveitar da Crise da Ferrari.

Mclaren vai marcar pontos para manter a vantagem na 4ªposição nos construtores? Lando Norris vai reagir após Carlos Sainz jr. ter feito boas corridas nas últimas 3 provas?

Racing Point terá uma boa corrida ou vai manter a triste sina da Espanha e principalmente do desempenho de Mônaco?

Após seu ótimo desempenho de Mônaco, Será que num circuito mais rápido a Toro Rosso vai ter um bom desempenho no circuito de Montreal.

Alfa Romeo vai reagir e voltar a pontuar? Giovinazzi vai deixar apenas de fazer número ou então a equipe vai continuar dependendo apenas do Raikkonen?

Qual a Haas esperamos: O Médico (Austrália e Espanha) ou o Monstro (China e Azerbaijão)?

Renault vai continuar na sua crise de desempenho? Ricciardo e Hulkenberg sofrem com a incrível falta de competitividade da equipe Francesa em 2019.

Williams ainda tenta ver aonde errou no Chassis FW42?

Horários:

EventoDiaBrasilCanadá
Practice 1Sexta-Feira11:00 as 12:3010:00 as 11:30
Practice 2Sexta-Feira15:00 as 16:3014:00 as 15:30
Practice 3Sábado12:00 as 13:0011:00 as 12:00
QualifySábado15:00 as 16:0014:00 as 15:00
Race – 70 LapsDomingo15:1014:10

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Mercedes/Ferrari/Red Bull/Mclaren/Toro Rosso/Racing Point/Haas/Alfa Romeo/Renault/Williams
Informações: F1 / F1-gears / Wikipedia

Não quero mais matar a Formula Indy

Já fiz 2 colunas na minha vida matando a coitada da Formula Indy, Duas colunas depois de 2 mortes. A primeira foi com o Piloto Paul Dana na abertura da temporada de 2006 e a segunda com a Morte do Dan Wheldon na etapa final da Formula Indy de 2011 em Las Vegas. O que eu disse naquelas duas colunas, Teria coisas nas quais peguei pesado, Por motivos emocionais.

Já na morte do Justin Wilson não fiz isso, Não havia nada a se fazer, Nada a ser evitado, Foi uma infelicidade que uma peça do carro de Sage Karam (Que não teve a menor culpa dessa fatalidade) tenha acertado a cabeça do piloto Inglês. Não que os motivos emocionais tenha sumido, Mas com o tempo a razão entra em cena é mostra um quadro que não vimos anteriormente.

5-9 March, 2012, Sebring, Florida, USA Ryan Hunter-Reay leads James Jakes (c)2012, Michael L. Levitt LAT Photo USA

Desde da introdução do DW12 em 2012 e com esse novos chassis que estão categoria norte-americana desde de 2018 só ocorreu essa morte acidental, Não por culpa do carro ou de falha de segurança. A Indy de Antigamente era muito falha em quesito de segurança. Visto que o GP de Detroit em 1991 ocorreu que Mario Andretti bateu no carro de Serviço, quando estavam tentando tirar o carro de Dennis Vitolo. Era uma desorganização completa. Tinha corrida que carros que já tinham deixado à corrida ficavam na pista, encostado no canto, Isso já deu em acidente: Em 1989 no circuito de rua em Toronto, Mario Andretti ao tentar passar Teo Fabi não viu o carro de Roberto Guerreiro, Parado em um canto. Felizmente nada aconteceu com o Campeão do Mundo de 1978 da Formula 1.

 As corridas da Formula Indy já foram muito mais perigosas, Mas agora os carros estão muito seguros e não se corre mais em circuitos perigosos. Os carros são super protegidos, Os Kits aerodinâmicos primeiro e depois a aerodinâmica dos carros novos está bem mais difícil de temos uma decolagem dos carros. Outro fator que ajuda é a potência nos circuitos mistos diminuiu e a velocidade máxima também baixou. Em Austin, os carros da Indy foram 13 segundos mais lento do que os carros da Formula 1.

Premiação dos 5 primeiros colocados da Prova de Detroit do ano de 1990

O que a IndyCar precisa para mudar pra se consolidar e ter um grid cheio é melhorar seu alcance (22 carros no Grid é pouco para mim. Grid cheio pra mim é de 25 carros para cima), Aumentar um pouco o número de provas, ir para a Europa, Austrália, Asia, América do Sul e fazer um campeonato fora da Europa entre Outubro ou Novembro até Janeiro ou Fevereiro,  vender melhor os patrocinadores da categoria, Tentar atrair novas fábricas de Motores para crescer a competitividade a categoria, Dar prêmios maiores por corrida aos pilotos. No passado, Tinha corridas que o vencedor ganhava 150 mil Dólares. Havia o Marlboro Challenge, O Vencedor ganhava 300 Mil Dólares em uma corrida que tinha metade do percurso de uma prova normal. Hoje o vencedor da prova ganha uns 50 Mil Dólares, Por mais que se compense o dinheiro que os pilotos ganham de Salário, Um prêmio desses é bem abaixo do que se espera de uma categoria do Nível que esta ficando a IndyCar.

Pagenaud ganhou 2,7 milhões de Dólares com a vitória das 500 Milhas de Indianapolis. Isso seria quase o orçamento de uma equipe pequena com meia temporada

O Orçamento da Indy gira em torno de 6 até 10 milhões de Dólares para um carro. Em equipes grandes deve passar dos 30 milhões de Dólares Fácil.

Claro que a categoria ainda não corre com o Halo, Parece que os norte-americanos vão tentar uma outra forma de proteger seus pilotos pela cabeça. Espero que os próximos passos da Indy sejam para aumentar e melhorar a categoria cada vez mais próximo dos tempos aonde batiam de frente com a Formula 1.

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: IndyCar

Corridas Históricas – GP de Portugal de 1984

Dia 21 de Outubro de 1984 – Estoril (Portugal)

Era dia de decisão na Formula 1 entre Niki Lauda e Alain Prost, Os dois pilotos da Mclaren que dominaram a Temporada estavam separados por apenas 3,5 pontos. Lauda tinha 66 pontos e Prost tinha 62,5 pontos. Um céu limpo para uma grande decisão

Grid de Largada:

posPilotoEquipe/MotorTempo
1Nelson Piquet(Brabham/BMW)1’21.703
2Alain Prost(McLaren/TAG)1’21.774
3Ayrton Senna(Toleman/Hart)1’21.936
4Keke Rosberg(Williams/Honda)1’22.049
5Elio de Angelis(Lotus/Renault)1’22.291
6Nigel Mansell(Lotus/Renault)1’22.319
7Patrick Tambay(Renault)1’22.583
8Michele Alboreto(Ferrari)1’22.686
9Derek Warwick(Renault)1’22.801
10Stefan Johansson(Toleman/Hart)1’22.942
11Niki Lauda(McLaren/TAG)1’23.183
12Riccardo Patrese(Alfa Romeo)1’24.048
13Philippe Streiff(Renault)1’24.089
14Eddie Cheever(Alfa Romeo)1’24.235
15Jacques Laffite(Williams/Honda)1’24.437
16Marc Surer(Arrows/BMW)1’24.688
17René Arnoux(Ferrari)1’24.848
18Thierry Boutsen(Arrows/BMW)1’25.115
19Manfred Winkelhock(Brabham/BMW)1’25.289
20Andrea de Cesaris(Ligier/Renault)1’26.082
21François Hesnault(Ligier/Renault)1’26.701
22Piercarlo Ghinzani(Osella/Alfa Romeo)1’26.840
23Gerhard Berger(ATS/BMW)1’28.106
24Jo Gartner(Osella/Alfa Romeo)1’28.229
25Mauro Baldi(Spirit/Hart)1’29.001
26Jonathan Palmer(RAM/Hart)1’29.397
27Philippe Alliot(RAM/Hart)1’30.406

A pole position era de Nelson Piquet, Com a sua Brabham-BMW fazendo a 9ªpole da Temporada de 1984. Em segundo larga Alain Prost, com a Mclaren-Porsche, O Carro do ano de 1984. Na segunda fila largam Ayrton Senna com a Toleman-Hart e Keke Rosberg com a Williams-Honda. A terceira fila era dos dois pilotos da Lotus-Renault, Com Elio de Angelis a frente de Nigel Mansell. Partick Tambay (Renault), Michele Alboreto (Ferrari). Derek Warwick (Renault) e Stefan Johansson (Toleman) fechavam os 10 primeiros. Niki Lauda fez um treino bem ruim devido aos problemas nos treinos de Sábado e largaria apenas em 11º.

A Vantagem era de Prost. O Circuito de Estoril estreava no Mundial de Formula 1 nesse ano, E logo em sua estreia teria uma decisão de campeonato. Portugal estava de fora da Formula 1 desde de 1960. Lauda poderia ser campeão pela terceira vez ou Prost poderia ir para o seu primeiro título da França.

Na Largada, Piquet foi mal e  Rosberg largou bem melhor e assumiu a liderança, Mansell passou do 6º para o 2ºlugar e Prost fez uma largada mais precavida e caiu para o terceiro lugar, Ayrton Senna recuou para o 4º, Alboreto subiu do 8º para o 5ºlugar e Elio de Angelis acabou perdendo uma posição e aparece em 6º. Nelson Piquet acabou rodando e caiu para o 27º e último lugar ao final da 1ªVolta.

Prost já foi para cima de Mansell, Na segunda volta e logo conseguiu passar para o segundo lugar. Lauda passou Cheever da Alfa Romeo na 3ªvolta assumindo o 10ºlugar. Enquanto que Phillipe Alliot da RAM abandonou a corrida.

O Francês partiu para cima de Rosberg com a Williams (Que era um carro muito problemático, mas rendia muito nas mãos do Finlandês) Os pilotos sofriam com a pista que estava bem lisa. Os 3 primeiros colocados já estavam muito distantes de Ayrton Senna, que em 4º vinha sendo pressionado pelo Alboreto e por De Angelis. A Toleman tinha um grande carro, Mas o motor era bem aquém dos principais motores turbo da Formula 1.

Classificação após 5 Voltas: Rosberg (7:31.516) – Prost (a 0.279) – Mansell (a 2.179) – Senna (a 8.189) – Alboreto (a 8.658) – de Angelis (a 8.946) – Lauda vinha em 9ºlugar após ultrapassar Partick Tambay.

Prost tenta passar Rosberg na entrada da 7ªVola, Só que Rosberg segurou a liderança com um carro não equilibrado, com visíveis problemas no seu Williams. Na Volta seguinte, Prost tentou de novo, Mas Rosberg segura de novo. Porém, isso não iria durar para sempre. Prost no começo da volta 9 no final da reta assumiu a liderança. Era que o Francês precisava com o Lauda em 9º o título era dele.

Marc Surer deixa a prova, Enquanto que Mansell foi para cima de Rosberg. O Finlandês não quis tomar conhecimento de Mansell. Qualquer coisa entre os dois poderia dar a Lauda duas posições. Classificação após 10 Voltas: Prost (14:45.990) – Rosberg (a 6.353) – Mansell (a 6.674) – Senna (a 12.271) – Alboreto (a 13.589) – Warwick (a 15.082) – De Angelis (a 15.569) – Johansson (a 15.916) – Lauda (a 16.540) – Tambay (a 23.244).

Após 3 voltas de disputa entre os futuros companheiro de equipe na Williams em 85, Mansell passou Rosberg que balançou seu carro. Depois disso, Mansell disparou e Rosberg estava ficando pelo caminho. Era a mostra do carro da Williams estava bem desequilibrado nas suas mãos. Mais atrás, Lauda estava em 9º, Mas bem perto de Senna, Alboreto, Warwick, de Angelis, Johansson. Ele vinha colado no Sueco na volta 13 para 14. Warwick foi para os boxes e isso permitiu a Lauda subisse para o 8ºlugar.

Lauda em posição de espera ver Johansson pressionando de Angelis, Ele vinha 22 segundos atrás de Prost, O Austriaco foi para cima de Johansson que acabou ficando um pouco mais para trás , Mas acabou desistindo da ultrapassagem de forma muito prudente e precavida em cima do piloto da Toleman.

Classificação após 16 Voltas: Prost (23:21.489) – Mansell (a 8.351) – Rosberg (a 19.410) – Senna (a 21.263) – Alboreto (a 22.744) – de Angelis (a 23.468) – Lauda estava em 8º, Logo atrás de Johansson.

Prost vinha tranquilo na ponta, estava na hora de pegar os retardatários; Os primeiros eram Gartner com a Osella e Mauro Baldi da Spirit-Hart. As ultrapassagens foram bem fáceis. Elio de Angelis foi superado por Johansson e Lauda na 18ªVolta. Rosberg vinha ficando com o desempenho cada vez pior, Senna já estava na cola do piloto da Williams e a ultrapassagem acabou aconteceu na volta 19. O piloto Brasileiro estava em 3ºlugar.

Classificação após 20 Voltas: Prost (29:05.089) – Mansell (a 7.103) – Senna (a 25.895) – Rosberg (a 27.642) – Alboreto (a 28.233) – Johansson (a 28.893) – Lauda (a 29.121) – Tambay (a 31.590) – de Angelis (a 32.818) – Cheever (a 47.461). O título nesse momento era de Alain Prost.

Lauda tentava ultrapassar Johansson, Enquanto isso a Williams de Jacques Laffite ira para os boxes caindo do 17º para o 24º e último lugar. O Francês da Williams voltou logo a frente de Alboreto, Johansson e Lauda. Phillipe Streiff com a terceira Renault acabou rodando, Era a primeira participação do Francês na Formula 1.

Lauda não conseguia passar Johansson e já estava ficando muito longe de Prost, Com 31 segundos de distância e 24 segundos atrás de Mansell para chegar ao segundo lugar. Laffite faz uma nova parada nos boxes. Piquet em 15º Vinha perto de De Cesaris, Winkelrock, Boutsen e Patrese na disputa pelo 11ºlugar.

Lauda continua tentando colocar o carro do lado do piloto da Toleman que vinha super bem na corrida, Com seus dois pilotos na zona de pontuação. A ultrapassagem estava ficando bem difícil. Lá na frente, Prost vinha mantendo os 7 segundos de diferença para Mansell, O Inglês vinha fazendo uma boa corrida. Na 25ªVolta, Boutsen dava adeus a prova. (Igualmente a Arrows que seus dois pilotos estavam de fora da prova)

Johansson foi para cima de Alboreto na reta na volta 27, Na parte mista do circuito Lauda finalmente deixou o Sueco para trás. Meia volta depois, Lauda passou Alboreto sem pensar. Em 1 volta o piloto da Mclaren passava do 7º para o 5ºlugar. Enquanto isso, Warwick deixava a prova na 28ªVolta. Quem vinha muito mal era Arnoux que estava em uma melancólica  13ªposição.

Classificação após 28 Voltas: Prost (40:28.063) – Mansell (a 6.694) – Senna (a 37.476) – Rosberg (a 40.210) – Lauda (a 41.367) – Alboreto (a 43.210) 23 carros estavam na prova.

Prost continuava na frente de Mansell com uma distancia segura para o Leão. Na entrada da 31ªVolta, Lauda passou Rosberg e assumiu a 4ªposição, Mas isso ainda não bastava para ser o campeonato. (O Campeonato ficaria Prost com 71.5 Pontos e Lauda teria com esse resultado  69 pontos) Lauda vai a caça de Senna, Em busca do terceiro lugar.

Classificação após 31 Voltas: Prost (44:45.611) – Mansell (a 5.358) – Senna (a 40.377) – Lauda (a 42.786) – Rosberg (a 44.379) – Alboreto (a 46.516) – Tambay (a 55.685) – De Angelis (a 57.955) – Patrese (a 1:13.444) – Winkelhock (a 1:24.865) – De Cesaris – Arnoux – Piquet – Berger – Warwick

Lauda vai para cima de Senna, Com muito mais carro que o piloto da Toleman, Andreas Nicolau Lauda esperou o melhor momento para superar Ayrton e na entrada da reta, na 33ªVolta, Lauda usando o motor Porsche contra o motor Hart da Toleman de Senna passou para o 3ºlugar.

Lauda vinha em 3ºlugar, Mas o problema era os 36 segundos que Mansell tinha de vantagem para Prost, Porém se Mansell tirasse os 8 segundos de Prost e fizesse a ultrapassagem o  jogo mudaria a favor do Austríaco. Classificação após 34 voltas: Prost (48:59.765) – Mansell (a 8.770) – Lauda (a 45.811) – Senna (a 47.047) – Rosberg (a 49.520) – Alboreto (a 50.928) Chegamos a metade da corrida. Prost já colocava uma volta no Ricciardo Patrese, que vinha em 9ºlugar.

Alboreto pressionava Rosberg. Era nítido que o carro da Ferrari era bem melhor que o Carro da Williams. Prost abre 10 segundos de vantagem para Mansell, Já o piloto Inglês vinha mantendo os 36 segundos a frente de Lauda. Conforme a corrida iria passando e a diferença do piloto da Lotus não baixava, O título começava a ficar cada vez mais próxima das mãos de Prost, Que vinha fazendo a volta mais rápida da prova na 39ªVolta.

Keke Rosberg deixa a corrida na 40ªVolta já em 6ºlugar, Com isso Tambay passou para o 6ºlugar. Classificação após 40 Voltas: Prost (57:27.217) – Mansell (a 16.465) – Lauda (a 45.227) – Senna (a 58.519) – Alboreto (a 59.686) – Tambay (a 1:12.610) – De Angelis (a 1:13.375) – Rosberg (a 1 Volta) – Patrese (a 1 Volta) – Winkelhock (a 1 volta) – Piquet (a 1 Volta) – Arnoux (a 1 Volta)

Prost já estava longe de Mansell e Lauda já vinha diminuindo a diferença para Mansell, Lauda passou para uma postura suicida para cima de Mansell. Restando 30 voltas era o tudo ou nada para o piloto Austríaco tentar a ultrapassagem que daria o título.

A Prova só não estava em Calmaria porque Lauda estava disposto a tirar diferença para Mansell. Já Alboreto acabou rodando na parte mista do circuito, Por sorte, O Italiano tinha vantagem para segurar o 5ºlugar, Só que agora teria um prejuízo de mais de 10 segundos para Senna que estava mais folgado. Lauda encontra Johansson de novo que não cede facilmente a ultrapassagem para um dos concorrentes ao título. Classificação após 45 Voltas: Prost (1:04:29.869) – Mansell (a 17.907) – Lauda (a 45.885) – Senna (a 1:11.318) – Alboreto (a 1:23.364) – De Angelis (a 1:24.290) – Tambay (a 1 Volta) – Patrese (a 1 Volta) – Winkelhock (a 1 Volta) – De Cesaris (a 1 Volta) – Piquet (a 1 Volta) – Arnoux (a 1 Volta)

Prost agora vinha tranquilo em relação ao Mansell, O piloto da Lotus estava preocupado com sua vantagem para Lauda, Mas ainda isso tinha confortáveis 27 segundos e com o Austríaco com vários retardatários para fazer ultrapassagem. Isso ajudou bastante o Inglês a ganhar tempo e a vantagem subiu para 31 segundos. A Segunda posição parece ser praticamente um sonho impossível para Lauda e o Título de Prost cada vez estava nas suas mãos.

Classificação após 50 Voltas: Prost (1:11:32.750) – Mansell (a 17.996) – Lauda (47.426) – Senna (a 1:10.964) – Alboreto (a 1 Volta) – De Angelis (a 1 Volta) – Tambay (a 1 Volta) – Patrese (a 1 Volta) – Winkelhock (a 1 Volta) – Piquet (a 1 Volta)

Até que na volta 52, Mansell que vinha fazendo uma grande corrida com seu carro da Lotus-Renault, acabou deixando a prova com problemas de freios. Foi para os boxes; De lá ele não voltou mais a prova. Era que precisava para Lauda assumir o segundo lugar, (Na pista, não iria acontecer essa ultrapassagem em condições normais) Senna passou para o terceiro lugar.

Agora o 2ºlugar de Lauda dava o tricampeonato para o Austríaco, Agora só restava para Prost que Lauda tivesse algum problema ou que Senna fosse para cima e tentasse tirasse o campeonato das mãos dele. Classificação após 53 Voltas: Prost (1:15:49.580) – Lauda (a 49.280) – Senna (a 1:12.121) – Alboreto (a 1 Volta) – De Angelis (a 1 Volta) – Tambay (a 1 Volta) – Patrese (a 1 Volta) – Piquet (a 1 Volta) – De Cesaris (a 1 Volta) – Arnoux (a 2 Voltas)

15 voltas para o final do campeonato: Prost vinha a quase 50 segundos de Lauda, que pilota com muito cuidado para assegurar o campeonato. Piquet vinha uma boa prova de Recuperação e ultrapassou Patrese assumindo o 7ºlugar na 55ªVolta.

Lauda começou a virar mais lento, Apesar disso o ritmo de Senna também não era alto e a diferença dos dois passou a ser de 21 segundos a 11 voltas do final. Até o Prost também diminuiu o ritmo. Já Senna precisava se preocupar com Alboreto. O piloto da Ferrari pressionava o Brasileiro na disputa pelo pódio.

Piquet na volta 63 passou Partick Tambay e assumiu o 6ºlugar e começou a andar do ritmo de Lauda. Lá na frente, Enquanto que Prost diminuiu muito o ritmo de prova. Em uma dessas voltas, Prost virou em 1:31 e Lauda na casa de 1:23. O Austríaco resolveu voar no final da prova tirando muito tempo da diferença do Prost. Senna vinha 17 segundos atrás de Lauda em 3ºlugar.

Piercarlo Ghinzani a poucas voltas do final estourou o motor Alfa Romeo e deixou óleo na pista, Eram as últimas 5 voltas do campeonato. Prost normalizou o seu ritmo e andou no ritmo que Lauda estava andando. Classificação após 65 Voltas: Prost (1:33:34.875) – Lauda (a 24.186) – Senna (a 44.442) – Alboreto (a 50.263) – de Angelis (a 1:27.860) – Piquet (a 1 Volta) – Tambay (a 1 Volta) – Patrese (a 1 Volta) – Winkelhock (a 1 Volta) – Arnoux (a 1 Volta)

Com 24 segundos de vantagem, Prost encaminhava a 7ªvitória no ano, Mas o título estava nas mãos de Lauda. Senna ainda tinha a preocupação de Michele Alboreto que vinha tirando muito tempo em relação ao piloto da Toleman.

Prost acabou conquistando a vitória, Foi a 17ªVitória da sua carreira, Mas de nada adiantou essa vitória. Andreas Nicolau Lauda chegou a 13.425 segundos do Francês e acabou conquistando o título de 1984. Era o Terceiro título de um dos maiores pilotos da História da Formula 1. Após sofrer um acidente que quase tirou sua vida no GP da Alemanha de 1976 e de parar de correr de 1979 até 1982. Ele volta para a Formula 1 pela Mclaren e desenvolve o motor Porsche e conquista o título da temporada de 1984, Aos 35 anos de idade. Ayrton Senna segurou o 3ºlugar e encerrou sua primeira temporada no pódio.

Alboreto, De Angelis e Nelson Piquet completaram os 6 primeiros lugares. Nesse dia fazemos essa homenagem a um dos maiores pilotos e personagens da história do Esporte.

“É uma coisa muito forte que sai lá de dentro, do fundo do meu coração. Enquanto essa força existir, eu não paro mais” – Declaração de Niki Lauda a Rede Globo.

Obrigado por tudo Andreas Nicolau Lauda, Ou simplesmente Niki Lauda!

Resultado final do GP de Portugal de 1984

Fotos:

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Formel1mic

Corridas Históricas : Jarama 1993 – Mundial de Motovelocidade

Grid de Largada:

Pos.PilotoEquipeMotoTempo
1John KocinskiCagiva Team AgostiniCagiva1’32.849
2Alex BarrosTeam Lucky Strike SuzukiSuzuki1’33.254
3Kevin SchwantzTeam Lucky Strike SuzukiSuzuki1’33.518
4Shinichi ItohHRC Rothmans HondaHonda1’33.630
5Luca CadaloraMarlboro Team RobertsYamaha1’33.906
6Daryl BeattieRothmans Honda TeamHonda1’34.598
7Niall MackenzieTeam Valvoline/WCMROC-Yamaha1’34.630
8Doug ChandlerCagiva Team AgostiniCagiva1’34.755
9Alex CrivilleMarlboro Honda PonsHonda1’34.775
10Juan Manuel Lopez MellaLópez Mella Racing TeamROC-Yamaha1’35.370
11John ReynoldsPadgett’s MotorcyclesHarris-Yamaha1’35.382
12Michael RudroffRallye-SportHarris-Yamaha1’35.560
13Mathew MladinCagiva Team AgostiniCagiva1’35.882
14Tsumoto UdagawaROC/YamahaROC-Yamaha1’36.230
15Lucio PederciniTeam PederciniROC-Yamaha1’36.360
16Renzo ColleoniTeam ElitROC-Yamaha1’36.418
17Andrew StroudShell Team HarrisHarris-Yamaha1’36.502
18Jose KuhnTeam ROCYamaha1’36.649
19Kevin MitchellM.B.M. Racing TeamHarris-Yamaha1’36.869
20Bernard GarciaYamaha Motor FranceYamaha1’37.040
21Jeremy McWilliamsTeam MillarYamaha1’37.137
22James HaydonROC/YamahaROC-Yamaha1’37.194
23Thierry CrineTeam Ville de ParisROC-Yamaha1’37.251
24Bruno BonhuilM.T.D. Objectif 500ROC-Yamaha1’37.464
25David JefferiesPeter Graves Racing TeamHarris-Yamaha1’37.562
26Jean-Marc DeletangArgus Racing TeamROC-Yamaha1’37.656
27Sean EmmettShell Team HarrisHarris-Yamaha1’37.800
28Cees DoorakkersTeam Doorakkers RacingHarris-Yamaha1’38.264
29Serge DavidTeam ROCROC-Yamaha1’38.854
30Andreas MeklauARC-Austrian Racing CompanyROC-Yamaha1’40.193
31Dario MarchettiTeam G.O.J. MotorHarris-Yamaha1’41.489

Jarama, Dia 26 de Setembro de 1993, Palco da última etapa do mundial de Motovelocidade de 1993. Nas 500cc o título já estava decidido a favor de Kevin Schwantz da equipe Suzuki Lucky Strike. Principalmente depois que Wayne Rainer sofreu um acidente que acabou com sua carreira no Mundial de motovelocidade no GP.

A prova em encerramento da Temporada teve o Norte-Americano John Kocinski na pole position com o Brasileiro Alex Barros que buscava sua primeira vitória na categoria na segunda posição. Kevin Schwantz larga em 3ºlugar já sem pressão nenhuma de garantir o campeonato se esperava um show do Norte-Americano. Completavam os 5 primeiros lugares o Japonês Shinichi Itoh com a Honda e Luca Caladora da Yamaha.

Daryl Beattie, Niall Mackenzie, Doug Chandler, Alex Criville e Juan Manuel Lopez completavam os 10 primeiros colocados.

Na largada Schwantz largou muito bem pulando para a ponta, Com Barros em 2º e Cadalora em 3ºlugar. Na curva 2 o piloto da Yamaha passa Alex Barros e assume o segundo lugar. Depois Kocinski tomou posição do piloto Brasileiro que começava não muito bem a corrida.

Cadalora foi para cima de Schwantz querendo já de cara a primeira posição e carimbar a faixa de campeão do norte-americano da equipe Suzuki. Ao final da primeira volta o piloto da Yamaha passou Schwantz assumindo a primeira posição. Kocinski vinha em 3ºlugar com a Cagiva, Seguido pelos pilotos da Honda Shinichi Itoh e Daryl Beattle em 4º e 5ºlugares e Alex Barros vinha na 6ªposição.

A 25 Voltas do final Schwantz voltou a liderança. Kocinski fez a melhor volta da corrida na 3ªVolta com 1:34.236 (Média de 147.08 Km/h – 91.39 Milhas por hora) Niall Mackenzie estava devagar com problemas em sua moto da Roc Yamaha Valvoline.

Cadalora seguia na pressão pra cima de Schwantz na disputa pela liderança. John Kocinski chegava a essa disputa por posição. Mais atrás Itoh, Beattle e Barros disputavam a 4[posição. Na entrada da 6ªVolta Luca Cadalora seguia tentando passar Schwantz. O piloto da Cagiva John Kocinski chegava definitivamente nessa disputa. Estava formado dois grupos na frente. O primeiro disputando a liderança formado por Schwantz, Cadalora e Kocinski e o Grupo de trás era formado por Itoh, Beattle e Barros.

Schwantz resistia aos ataques de Cadalora que atacava praticamente em todas as curvas do circuito. Enquanto que o piloto Japonês Tsumoto Udagawa acaba indo para a caixa de brita e acaba por abandonar a corrida. Na 7ªVolta, Cadalora no final da reta consegue a ultrapassagem sobre o piloto Campeão de 1993 e assume a liderança com sua Yamaha.

Schwantz ficou para Kocinski enquanto que Cadalora abria diferença. Logo atrás vinha os pilotos da Honda e um pouco mais atrás o Brasileiro Alexandre Barros. Vendo Kocinski pressionar Schwantz parecia que a sua moto não estava rendendo tanto como rendia a moto do piloto da Cagiva. Barros passou Beattle assumindo o 5ºlugar. Enquanto que no final da reta ao começar a volta 10 Kocinski passa Schwantz passando para o 2ºlugar.

Classificação após 10 voltas completas:

  1. Luca Cadalora
  2. John Kocinski
  3. Kevin Schwantz
  4. Shinichi Itoh
  5. Alexandre Barros
  6. Daryl Beattie

O piloto da Cagiva vinha para cima de Luca Cadalora em busca da liderança. Enquanto que Schwantz estava resistindo com muitíssima dificuldade os ataques de Itoh da Honda que vinha abiscoitar o 3ºlugar. O Companheiro de equipe de Kevin Schwantz o Brasileiro Alex Barros estava também nessa disputa e Beattie estava ficando um pouco mais atrás.

Kocinski fez a melhor volta da corrida na volta 10 com 1:34.090 (Média: 147.31 Km/h – 91.53 Mph)

Na 12ªVolta o Japonês Shinichi Itoh passou para o terceiro lugar levando com ele Alexandre Barros que subiu para o 4ºlugar. Quem caiu na prova foi Kevin Schwantz que perdeu posição também para Daryl Beattie caindo para o 6ºlugar. Na entrada da 13ªVolta Kocinski ultrapassa no final da reta Luca Cadalora e assumiu a liderança com sua Cagiva.

Na metade da corrida Kocinski já vinha chegando aos últimos colocados para colocar volta, Mas precisava se cuidar com Cadalora, Itoh e Barros que vinham logo atrás. Ninguém tinha mais nada a perder já que era a última etapa do campeonato e o título já tava nas mãos do Schwantz. Na 15ªVolta Itoh passou Cadalora assumindo o 2ºlugar com sua Honda que era a moto mais rápida de reta daquela época.

Na entrada da 17ªVolta, Shinichi Itoh passou na reta John Kocinski e assumiu a liderança. Era o 4ºpiloto a pontear a prova de Jarama e em menos de uma volta começou a abrir uma vantagem para o norte-americano da Equipe Cagiva. Alex Criville em uma corrida solitária vinha em uma boa 6ªposição com a Honda da Equipe Pons.

A 11 Voltas do final Luca Cadalora caiu abandonando a prova deixando Alexandre Barros em 3ºlugar com Beattle em 4º e Schwantz em 5ºlugar já longe da disputa a 10 voltas do final do campeonato.

Itoh vinha firme na liderança com Kocinski tentando se aproximar do líder e Barros buscando ir para a briga com o piloto da Cagiva. A corrida não estava ainda definido mesmo com o Japonês abrindo 1 segundo de diferença para Kocinski que não desistiu da luta e partiu para cima de Itoh.

A 8 Voltas do final, Itoh e Kocinski acabaram caindo e deixando a corrida. Situação mais delicada para o piloto Japonês da Honda sentiu mais o acidente tendo que ter mais atenções dos fiscais de pista. Kocinski voltou a pista, Mas para levar sua Cagiva para os boxes abandonar a corrida.

Alexandre Barros assumiu a liderança a 7 voltas do final da prova. Ele já tinha chegado perto da vitória em algumas tentativas. A poucas voltas do final da prova em Jarama ele tinha boa vantagem para o Australiano Daryl Beattie. Se nada desse errado tudo indicaria que era o dia da vitória do Brasil no Mundial de Motovelocidade.

Beattie tentou partir para cima de Barros na Reta final de corrida, enquanto isso Schwantz vinha em terceiro lugar com Alex Criville em 4ºlugar buscando ainda tentar o pódio. A 5 voltas do final Alexandre Barros teve uma dificuldade em dar volta no Francês Bruno Bonhuil e no Italiano Lucio Pedercini  que estavam disputando posição na zona de pontuação.

Juan Manuel Lopez Mella caiu a 4 voltas do final e deixou a prova. Barros encontrou mais retardatários até o final da corrida. Mas não se complicou com eles se livrando de todos. E Levando a moto da equipe Lucky Strike Suzuki até a vitória. A primeira vitória da sua carreira no mundial de motovelocidade aos 22 anos, Um momento único para o Brasil que depois de Adu Celso que venceu no Mundial de Motovelocidade na mesma Jarama em 1973 nas 350cc viu Barros conquistar a primeira vitória do Brasil na categoria principal do Motociclismo Mundial.

Daryl Beattie chegou em 2ºlugar com a Honda e Kevin Schwantz completou sua brilhante temporada aonde ele conquistou o título Mundial de 1993 em 3ºlugar. Criville da Honda da Equipe Pons, Doug Chandler e Mathew Mladin ambos da Cagiva Team Agostini completaram os 6 primeiros lugares.

Schwantz terminou o Mundial de 1993 com 248 pontos, Wayne Rainey que acabou tendo de encerrar a carreira devido a um acidente no GP da Itália ainda ficou com o vice-campeonato com 214 pontos e o Australiano Daryl Beattie terminou o ano em 3ºlugar com 176 pontos superando por dois pontos o também Australiano Mick Doohan.

Barros acabou a temporada em 6ºlugar com 125 pontos em sua primeira temporada na equipe oficial da Suzuki. E essa foi a primeira de suas 7 vitórias no Mundial de motovelocidade.

Fotos:

Resultado final do FIM motorcycle Grand Prix 1993

Pos.PilotoEquipeMotoTempo
1Alex BarrosTeam Lucky Strike SuzukiSuzuki44:22.944
2Daryl BeattieRothmans Honda TeamHonda4.736
3Kevin SchwantzTeam Lucky Strike SuzukiSuzuki17.578
4Alex CrivilleMarlboro Honda PonsHonda22.816
5Doug ChandlerCagiva Team AgostiniCagiva58.410
6Mathew MladinCagiva Team AgostiniCagiva1:10.298
7Bernard GarciaYamaha Motor FranceYamaha1:10.734
8Niall MackenzieTeam Valvoline/WCMROC-Yamaha1:16.272
9John ReynoldsPadgett’s MotorcyclesHarris-Yamaha1:20.278
10Jose KuhnTeam ROCYamaha1:23.009
11Jeremy McWilliams Team MillarYamaha1:31.922
12Andrew StroudShell Team HarrisHarris-Yamaha1:32.444
13Kevin MitchellM.B.M. Racing TeamHarris-Yamaha1 Volta
14Sean EmmettShell Team HarrisHarris-Yamaha1 Volta
15Lucio PederciniTeam PederciniROC-Yamaha1 Volta
16Jean-Marc DeletangArgus Racing TeamROC-Yamaha1 Volta
17Bruno BonhuilM.T.D. Objectif 500ROC-Yamaha1 Volta
18David JefferiesPeter Graves Racing TeamHarris-Yamaha1 Volta
19Thierry CrineTeam Ville de ParisROC-Yamaha1 Volta
20Dario MarchettiTeam G.O.J. MotorHarris-Yamaha2 Voltas
21Cees DoorakkersTeam Doorakkers RacingHarris-Yamaha2 Voltas
 Juan Manuel Lopez MellaLópez Mella Racing TeamROC-Yamaha4 Voltas
 John KocinskiCagiva Team AgostiniCagiva7 Voltas
 Shinichi ItohHRC Rothmans HondaHonda8 Voltas
 Luca CadaloraMarlboro Team RobertsYamaha11 Voltas
 Michael RudroffRallye-SportHarris-Yamaha11 Voltas
 Renzo ColleoniTeam ElitROC-Yamaha13 Voltas
 Andreas MeklauARC-Austrian Racing CompanyROC-Yamaha14 Voltas
 James HaydonTeam Great BritianROC-Yamaha21 Voltas
 Tsumoto UdagawaTeam UdagawaROC-Yamaha21 Voltas
 Serge DavidTeam ROCROC-Yamaha24 Voltas

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP http://www.greatprints.co.uk
http://itsawheelthing.tumblr.com
https://notclauswitz.files.wordpress.com
http://www.daidegasforum.com


Preview do GP da Espanha de 2019 – Formula 1

A Cena mais bonita dos últimos anos na Formula 1

Review da Prova de 2018:

Dados do Circuito:

Circuito da Catalunha
Localização: Montmeló, Espanha
Voltas: 66
Percurso: 4.655km ou 2.892 milhas
Total: 307.104 km ou 190.825 milhas
Curvas:16
Recorde (Pole) Lewis Hamilton 1:16.173 em 2018
Volta mais rápida em Prova: Daniel Ricciardo: 1:18.441 em 2018

Vencedores:

Na CatalunhaPilotoEquipe
2018Lewis HamiltonMercedes
2017Lewis HamiltonMercedes
2016Max VerstappenRed Bull
2015Nico RosbergMercedes
2014Lewis HamiltonMercedes
2013Fernando AlonsoFerrari
2012Pastor MaldonadoWilliams
2011Sebastian VettelRed Bull
2010Mark WebberRed Bull
2009Jenson ButtonBrawn
2008Kimi RäikkönenFerrari
2007Felipe MassaFerrari
2006Fernando AlonsoRenault
2005Kimi RäikkönenMclaren
2004Michael SchumacherFerrari
2003Michael SchumacherFerrari
2002Michael SchumacherFerrari
2001Michael SchumacherFerrari
2000Mika HäkkinenMclaren
1999Mika HäkkinenMclaren
1998Mika HäkkinenMclaren
1997Jacques VilleneuveWilliams
1996Michael SchumacherFerrari
1995Michael SchumacherBenetton
1994Damon HillWilliams
1993Alain ProstWilliams
1992Nigel MansellWilliams
1991Nigel MansellWilliams
Em Jerez
1990Alain ProstFerrari
1989Ayrton SennaMclaren
1988Alain ProstMclaren
1987Nigel MansellWilliams
1986Ayrton SennaLotus
Em Jarama
1981Gilles VilleneuveFerrari
1980Alan JonesWilliams
1979Patrick DepaillerLigier
1978Mario AndrettiLotus
1977Mario AndrettiLotus
1976James HuntMclaren
1974Niki LaudaFerrari
1972Emerson FittipaldiLotus
1970Jackie StewartMarch
1968Graham HillLotus
1967Jim ClarkLotus
Em Montjuïc
1975Jochen MassMclaren
1973Emerson FittipaldiLotus
1971Jackie StewartTyrrell
1969Jackie StewartMatra
Em Pedralbes
1954Mike HawthornFerrari
1951Juan Manuel FangioAlfa Romeo

Corridas Históricas:

GP da Espanha de 1986

Previsão do Tempo

Sexta

Sábado

Domingo

Escolha dos pneus

Desgaste dos Pneus:

Asphalt Grip 4/5
Downforce 4/5
Asphalt Abrasion 3/5
Tyre Stress 4/5
Lateral 4/5
Desgaste dos Pneus:Alto

2014

2015

2016

2017

2018

Quais perguntas ficam no ar para a etapa da Espanha?

Mercedes:
Hamilton e Bottas em busca da 5ªdobradinha em 5 corridas!

Ferrari:
Vettel e Leclerc em disputa feroz pela preferência da equipe.

Red Bull:
Esperar que o Chassis possa diminuir a diferença entre a equipe Austríaca das 2 principais equipes

Mclaren:
Após um bom resultado em Baku. Mclaren quer fazer boa corrida em Barcelona e se consolidar na 4ªposição dos Construtores.

Racing Point:
Será que Perez e Stroll terão um bom carro para lutar pelos pontos?

Alfa Romeo:
Será que Raikkonen vai continuar carregando o time nas costas ou a equipe vai dar um bom carro para os pilotos e Giovinazzi vai finalmente marcar os primeiros pontos da carreira.

Renault:
Em Crise, Equipe Francesa esta pressionada por bom resultado. Será que vão conseguir se sair bem na Espanha?


Toro Rosso:
Motor Honda vai ajudar ou atrapalhar Kvyat e Albon na busca por pontos?

Williams:
Desenvolvimento da equipe para essa prova vai tornar o FW42 um carro minimamente competitivo para Russell e Kubica?

Programação:

Evento – Horário ESHorário BR
Practice 11ºTreino Livre11:00 as 12:3006:00 as 07:30
Practice 22ºTreino Livre15:00 as 16:3010:00 as 11:30
Practice 33ºTreino Livre12:00 as 13:0007:00 as 08:00
QualifyingClassificação15:00 as 16:0010:00 as 11:00
RaceCorrida15:10 – 66 Voltas10:10 – 66 Voltas

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Informações: F1-Gears / Formula 1
Previsão do Tempo: Clima
Fotos: Mercedes/Ferrari/Red Bull/Renault/Haas/Mclaren/Racing Point/Alfa Romeo/Toro Rosso/Williams
Vídeo: Formula 1