Racing Point acrescenta o Azul com o Rosa e apresenta em Toronto o RP19

SportPesa Racing Point BWT é o nome da Racing Point para a temporada de 2019. Ao contraio dos boatos, A BWT manteve a parceria com a Racing Point e vai para o 3ºano com o Rosa em seu carro. Ainda terá acrescentado o Azul com o patrocinador da SportPesa, Um site de apostas com operações na África. (Quênia, Tanzânia, África do Sul) e na Europa (Na Ilha de Man e no Reino Unido)

O Lançamento do carro foi realizada no Canadian International AutoShow em Toronto hoje.

Vídeo do Evento:

A Racing Point ainda terá uma parceira com a JCB, A Empresa vai ter um importante papel no desenvolvimento da Racing Point ao fornecer maquinas para ajudar na construção da nova fábrica de última geração. A Equipe também terá Ferramentas elétricas e Roupas de Trabalho da empresa.

Expectativas dos seus dois pilotos:

Lance Stroll: Eu sempre almejo alto, então quero que sejamos competitivos desde o começo. É muito cedo para saber como nos comparamos com as outras equipes, mas aqui, hoje, acredito que devemos lutar por pontos em todas as corridas. Meu objetivo é voltar ao pódio em 2019 também.

Sergio Perez: Estou muito animado com este novo capítulo e pronto para o desafio à minha frente. O início de uma nova temporada é sempre excitante e depois de alguns meses longe da pista, você só quer entrar no carro novo o mais rápido possível. É sempre uma nova oportunidade para mostrar o que essa equipe é capaz de fazer, especialmente com todos 100% focados em melhorar o carro. É um novo nome de equipe, mas ainda estou trabalhando com as mesmas pessoas e passamos 5 anos juntos agora. Eles me ajudaram a melhorar como piloto e desfrutamos de bons momentos no passado. O potencial para o futuro é o que me entusiasma é o potencial para o Futuro.

Os pilotos serão o Mexicano Sergio Perez (Em sua 6ªTemporada seguida se contamos os anos de Force India) e o Canadense Lance Stroll. No ano passado juntando os pontos da Force India, A Racing Point marcou 111 pontos. Porém apenas 52 pontos valeram na classificação do Mundial de Construtores, O que deu o 7ºlugar no Mundial de Construtores. Em 2017 e 2016 a Force India obteve o 4ºlugar no Construtores.

Ficha Técnica do Carro:

Chassis: RP19 Monocoque composto de fibra de carbono com painéis laterais anti-intrusão de legalidade Zylon.
Suspensão: feitos de alumínio com triângulos compósitos de fibra de carbono, trackrod e pushrod. Molas de torção montadas no chassi, amortecedores e montagem da barra estabilizadora.
Rodas: BBS (Dianteiras: 13 ”x 13.7” –  Traseiras: 13 ”x 16.9”)
Embreagem : AP Racing
Pneus: Pirelli P Zero
Sistema de Travagem: Pinças de freio 920E e no projeto de casa freio pelo sistema de arame com discos de fibra de carbono e almofadas
Largura Total: 2000mm
Comprimento Total : 5600mm
Peso Total: 743kg (incluindo motorista e excluindo combustível) Distribuição de peso entre 45,4% e 46,4%
Motor: Mercedes-AMG F1 M10 EQ Potência + Turbo 1.6L v6 carregado + sistema de recuperação de energia
Transmissão: Mercedes com 8 Marchas, semi-automática
Diretor Técnico: Andrew Green

Pilotos:
11. Sergio Perez (México)
18. Lance Stroll (Canadá)

Patrocinadores: BWT, SportPesa, JCB, Hackett, Claro, NEC, Acronis UNIVA, Telcel

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Racing Point

Mercedes apresenta seu carro e faz shakedown no circuito de Silverstone

A Campeã do Mundo apresentou seu carro hoje, A Mercedes sem perda de tempo colocou W10 na pista de Silvestone para fazer o Shakedown do equipamento para os testes da pré-temporada, que vão começar no dia 18, Como para a temporada desse ano que começa no dia 17 de Março na Austrália. A TV Sky Sports flagrou as imagens do carro na pista.

Hamilton falou que dirigir o carro é como conhecer uma nova pessoa pela primeira vez e que você quer conhece-lo melhor e o mais rápido possível para iniciar uma nova Jornada. Valtteri Bottas falou da emoção em entrar no carro e descobrir o equilíbrio e do comportamento do novo bólido nesse Shakedown.

O Chefe técnico da Mercedes James Allison falou sobre o Shakedown de hoje: Esse é apenas um dos 90 eventos planejados de testes do sistema. Mas é um momento especial porque o Shakedown é quando o carro novo vai para a pista pela primeira vez. Esperamos andar os poucos quilômetros que é permitido pelo regulamento sem falhas e com todos esses sistemas funcionando, O que nos dá a confiança de que podemos levar o carro até Barcelona.

Para Toto Wolff a temporada será um desafio para todos da equipe: “Os Regulamentos mudaram substancialmente. Temos que começar do Zero, Precisamos nos prova de novo – Contra nossas próprias expectativas e contra nossos concorrentes. Começamos sem pontos, Então não damos nada como garantido e não há absolutamente nenhum sentimento de direito de estamos na frente. De Fato, com a mudança de regulamento para essa temporada, Cada equipe tem chance de vencer o campeonato e estamos vendo todos eles como ameaçadas em potencial.

O novo Regulamento fez com que o W10 tivesse mudanças em relação ao seu antecessor. “As mudanças no Regulamento são uma oportunidade ou uma ameaça” Disse James Allison (Diretor Técnico) “Eles são uma oportunidade, Porque todas as antigas suposições sobre o que se precisava para o carro ser rápida são eliminadas e se você for esperto e lidar com isso, Você vai ficar na frente das outras equipes que vão ter esse mesmo problemas. Eles são uma ameaça, Porque se você não for tão inteligente e não souber aproveitar ao máximo esse novo regulamento, Certamente você ira sofrer na próxima temporada. Mas eles são estimulantes porque você tem aquela sensação de ansiedade de que talvez você não esteja fazendo o suficiente, Mas igualmente você tem a emoção e o entusiasmo para descobrir se você fez o suficiente ou não”.

James ainda falou sobre o desenvolvimento do W10 e do trabalho duro para a melhora das partes mais fracas do carro anterior e da melhora dos pontos fortes. “O manejo do W09 foi a grande melhora em relação ao W08” … Conseguimos ser competitivos nas pistas em que mais nos atormentavam nos últimos anos. Apesar disso não éramos tão bons como os nossos concorrentes em preservar o desempenho dos pneus traseiros (Lembrando que no ano passado a Mercedes sofria para ter rendimento com os pneus mais macios) Temos trabalhado Arduamente na suspensão e na características aerodinâmicas para entregar um carro muito mais gentil com os pneus. Esperamos que sejamos competitivos por toda a temporada.

James Allison ainda falou do desafio de reduzir o peso do carro. Mesmo que o regulamento desse ano aumentou o limite de peso dos carros. Na parte do motor (unidade de potência) a Mercedes trabalhou em dois principais objetivos: Desempenho e confiabilidade.

“Fizemos alterações na arquitetura no resfriamento da unidade de potência” Disse Andy Cowell (Diretor administrativo da parte dos motores da Mercedes-AMG) Ele ainda falou sobre o aumento da permissão máxima de combustível para cada corrida: “Se você tem um motor eficiente com aerodinâmica eficiente e esta preparado para fazer um pouco da sustentação e descida, Então você tem a oportunidade de começar a corrida com menos de 110 kg” … “Para cada 5 kg de combustível a menos no carro você ganha cerca de 2 décimos de segundo por volta, Então existe uma recompensa natural ao começar a prova um pouco mais leve”

A Mercedes busca o seu 6ºtítulo seguido de pilotos e de Construtores. Para isso manteve a dupla de pilotos e a equipe campeã do ano passado.

Fotos:

Ficha Técnica do Carro

Chassi: F1 W10 EQ Power
Motor: Mercedes M10 EQ Power+
Projetista: James Allison

Pilotos:
44. Lewis Hamilton (Inglaterra)
77. Valtteri Bottas (Finlândia)

Patrocinadores: Petronas, Epson, Crowdstrike, IWC, Tommy Hilfiger

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: SkySports/Mercedes

Williams – O primeiro carro de fato a ser apresentado

Com a Toro Rosso e a Haas mostrando seus carros de forma artificial o fato é que a Williams mostra de fato mostrado o carro de verdade, Sem um estúdio escuro com a pintura do carro apenas. Particularmente a FIA deveria marcar uma apresentação coletiva dos carros para um dia em evento aberto para o público. Seria um grande chamariz para que convidar o público se ligar para o campeonato Mundial de Formula 1.

Não é tão difícil de se fazer, A Liberty Media pode realizar esse evento já para o ano de 2020. Marcando uma data para todas as equipes fazendo uma apresentação conjunta e com a TV da Formula 1 e as detentoras dos Direitos realizarem a Transmissão do evento para cada um dos seus países.

Com a Saída da Martini, O Layout do carro muda para um azul claro e Branco. Manteve o patrocínio da Rexona e com o novo patrocinador, A Rokit, Uma nova empresa Global de Telecomunicações. Com Smartphones Premium e na instalação de redes Wi-Fi inovadoras. Atualmente eles estão instalando Wi-Fi público para as 27 maiores cidades da Índia e tem a visão de criar cidades inteligente em outros 10 países nos próximos 3 anos. A Rokit terá sua marca no nome oficial da equipe em 2019 (ROKiT Williams Racing) também terá destaque nos macacão e no capacete dos seus pilotos.

Os pilotos serão o Polonês Robert Kubica que volta depois de 8 anos fora da Formula 1. Um acidente de Rally durante a pré-temporada acabou afastando por muito tempo da possibilidade de andar em um carro de Formula 1. No ano passado ele foi piloto Reserva da Williams para ajudar no Desenvolvimento do carro de 2018. Quem completa o time é o Inglês George Russell. O Campeão da Formula 2 no ano passado é um dos pilotos da Academia de pilotos da Mercedes (Assim como o Francês Esteban Ocon, que esse ano será piloto de testes da Mercedes AMG)

Nada vai ser pior do que a desastrosa temporada de 2018 para a equipe de Grove. Os 7 pontos levaram ao inédito último lugar no Mundial de Construtores. Pelo menos parece que tem piloto, Bem mais do que em 2018. A Dúvida vai para o carro que a Williams vai ter a sua disposição. Se ele for bem nascido o FW42 pode dar alguns bons resultados, Mas se o carro for ruim ai vai ser mais um ano de sofrimento e o pior, Com um orçamento menor do que nos outros anos (Pelo menos 40 milhões a Menos que 2018 nos direitos de TV) Muito pelo péssimo resultado da temporada passada e não se sabe até que ponto os novos patrocinadores reduziram esse rombo para 2019.

Dados sobre o Carro de 2019

Chassi: FW42
Motor: Mercedes M10 EQ Power+ 1.6 Litros V6
Rotações por Minuto (RPM): 15000
Caixa de velocidades: 8 + Marcha reversa
Pneus: Pirelli
Pilotos:

63. George Russell (Inglaterra)
88. Robert Kubica (Polônia)

Patrocinadores: Rokit, Rexona, Orlen
Projetista: Paddy Lowe 

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Williams

A Agonia da Force India na Formula 1

Após 10 anos de muitas batalhas e conquistas, Parece que finalmente a equipe Indiana não consegue mais driblar os problemas financeiros. A pedido dos funcionários, O mexicano Sergio Perez na semana passada entrou com uma ação legal, apoiada pela Mercedes e pela patrocinadora, a BWT. Fazendo com que a equipe indiana entrasse em administração judicial.

Perez em suas redes sociais divulgou esse texto:

“Eu acabo em uma situação muito difícil”, disse Pérez. “O último mês foi extremamente difícil para mim, com a situação em que a equipe estava, e eu acabei no meio.”

“Chegamos a um ponto em que a ação tinha que ser tomada para proteger as 400 pessoas que trabalham na equipe.”

“Eu realmente não gostaria de estar envolvido nisso, porque no final do dia eu sou apenas um piloto, e alguns membros da equipe me pediram para ir em frente e salvar o time.”

“Houve uma petição de liquidação de outro cliente, que teria fechado completamente a equipe. Portanto, pediram que basicamente salvasse a equipe, para puxar o gatilho e colocar a equipe em administração judicial.”

“Não tem nada a ver com meus valores pendentes. A única razão pela qual fiz isso é para salvar a equipe e para o futuro melhor.”

“Foi extremamente difícil, emocional e mentalmente. É muito difícil. Não consegui me concentrar na minha direção.”

“Eu realmente não entendo todos os termos com os advogados, mas certamente ou fazemos isso ou a equipe teria falido.”

A ação legal de Pérez tirou o controle de qualquer possível venda da equipe de Mallya e da holding Orange India Holdings Sarl, e também impediu que a Force India fosse “liquidada”.

Pérez ainda não falou com Mallya sobre a situação, mas espera que “meu amigo receba um bom benefício” das próximas etapas do processo, à medida que a equipe busca nova propriedade.

“Pessoalmente, eu amo Vijay”, acrescentou Pérez. “Meu coração está realmente partido porque sei que isso não é ideal a curto prazo para ele.”

“Estamos todos conscientes da situação que Vijay está passando. Ele está passando por um momento muito difícil, não apenas legalmente, mas também financeiramente.”

“A equipe não era mais sustentável, então quando eu era basicamente um cara que poderia fazer algo pela equipe, eu tinha que fazer isso.”

“Não éramos mais uma equipe de corrida desde o início de janeiro. Ficarei feliz se conseguirmos reunir todo o grupo e, com sorte, ficarmos felizes e focados.”

“Espero ter uma equipe que seja mais estável e possa ir para o próximo nível e possa ser uma equipe de corrida [de novo].”

Ou seja, A Force India poderia estar hoje extinta caso Perez não tivesse entrado com uma ação legal. A equipe esta a venda e poderá ser adquirida pela Mercedes, ou Carlos Slim, ou BTW ou até mesmo pelo pai do piloto Lance Stroll.

 

Seria muito triste a Force India acabar. Não só deixando o grid com apenas 18 carros, mas seria também matar uma belíssima história de uma equipe que ano após ano vinha avançando na tabela de classificação do mundial de construtores. Desde de 2008 quando ficou em 10ºlugar até os anos de 2016 e 2017 quando a Equipe de Vijay Mallya ficou em 4ºlugar, Superando a Williams que até 2015 era a terceira força do campeonato.

A Formula 1 vai perder muito sem essa simpática equipe no circo da maior categoria do Automobilismo Mundial. equipe desde de 2008 até hoje teve o seu ponto alto a Pole position de Giancarlo Fisichella no GP da Bélgica de 2009. O mesmo acabou ficando em 2ºlugar no dia seguinte. Os outros 5 pódios em 3ºlugar ficou o Mexicano Sergio Perez que esta sem dúvida na história da equipe Indiana. Com os problemas financeiros e com a administração judicial no comando, será bem difícil que eles consigam manter o 4ºlugar no Mundial de Construtores.

O mais grave não seria isso, Mas sim o fato de algumas equipes não quererem que a Liberty média pague a Verba de TV (Que hoje seria em Torno de 60 milhões de Dólares) Isso pode dificultar uma venda da Force India. Caso não receba essa grana, Os prováveis 60 milhões serão redistribuídos para as outras equipes.

Isso mostra o total egoismo de outras equipes. Ao olharem o dinheiro a mais que entrara nos cofres em 2019 eles não se importam com o Grid menor e com um espetáculo pior. Esperamos que a Force India possa ser vendida, que se possa manter não só a equipe como os empregos, E que as outras equipes não olhem só para elas próprias e que olhem para o bem da Formula 1.

Desempenho das equipes

Ano Posição Pontos Melhor Resultado
2008 10ºLugar 0 10ºlugar (GP da Espanha) Giancarlo Fisichella
2009 9ºLugar 13 2ºLugar (GP da Bélgica) Giancarlo Fisichella
2010 7ºLugar 68 5ºLugar (Malásia e Bélgica) Adrian Sutil
2011 6ºLugar 69 6ºLugar (Alemanha, Cingapura e Brasil) 2 Vezes com Adrian Sutil e 1 com Paul di Resta
2012 7ºLugar 109 4ºlugar (Na Bélgica com Nico Hulkenberg e em Cingapura com Paul di Resta)
2013 6ºLugar 77 4ºLugar (Com Paul di Resta no Bahrein)
2014 6ºLugar 155 3ºLugar no GP do Bahrein com Sergio Perez
2015 5ºLugar 136 3ºLugar no GP da Rússia com Sergio Perez
2016 4ºLugar 173 3ºLugar com Sergio Perez em Mônaco e Azerbaijão
2017 4ºLugar 187 4ºLugar com Sergio Perez na Espanha
2018 6ºLugar 59 3ºlugar com Sergio Perez no Azerbaijão

Vídeo do lancamento do carro da Force India de 2008:

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Force India