Avaliação da Renault em 2016 – Deivison Conceição

Avaliação da Equipe:

Quando a Renault assumiu a falida equipe Lotus para a temporada de 2016 se imaginaria que o time iria evoluir rapidamente no decorrer da temporada, Mas esse ano a fábrica francesa preferiu usar esse ano como laboratório (Já que além de um projeto de carro que não teve investimento e um motor ainda muito fraco em relação a Mercedes e Ferrari) e dedicar todas as atenções para a temporada que vem. No meu modo de ver de maneira muito sensata já que é uma equipe com Fundos que não são finitos como as equipes independentes e uma posição ruim nos construtores nesse ano não será um problema para os planos da fábrica francesa para o futuro. E eles começaram bem contratando um piloto a altura de Nico Hulkenberg para comandar o desenvolvimento do time para 2017 aonde já acredito em bons resultados de cara caso o carro e o motor ajude.

malasia_domingo_2016-7

Já Entre os pilotos Magnussen se mostrou muito mais apto do que Jolyon Palmer e por incrível que pareça quem vai ser companheiro de equipe de Nico Hulkenberg vai ser o filho de Jonathan Palmer que não mostrou praticamente a menor condição de estar no Mundial de Formula 1. Era a hora da Renault contratar um 2ºpiloto a nível do Hulkenberg ou pelo menos 1 ou 2 degraus abaixo dele para fazer um supertime em 2017. Infelizmente foi uma bola fora que certamente vai refletir na temporada que vem. Sobre o desempenho da temporada foi o que eu disse nesse texto. O 7ºlugar no GP da Rússia como seu melhor resultado em 2016.

Nota: 3 (A Renault não quis nem saber da temporada, Joga suas fichas a partir de 2017)

Números:
GPS: 42
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 8
Corridas completadas: 33
Corridas completadas na Zona de Pontuação: 3
Voltas lideradas: 0
Voltas Mais Rápidas: 0
Número de Voltas Completadas: 2.038

Pilotos:

20. Kevin Magnussen (Dinamarca)
30. Jolyon Palmer (Inglaterra)

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Renault

Sem categoria

Deixe uma resposta