GP da Itália – MotoGP – Mundial de Motovelocidade 2022

Tudo pronto para a Classificação em Mugello. Porém, a chuva apareceu a partir do 2/3 do 4ºtreino livre, um fator que complicaria muito a situação para a disputa da pole position. Todas as cartas ficaram mais e mais embaralhadas.

Com 26 pilotos, o GP da Itália será a etapa com maior competidora nesse ano na categoria principal. Os pilotos Michele Pirro com a Aprilla e Lorenzo Savadori da Aprilla eram os convidados desse final de semana.

Todo mundo foi para a pista de imediato. Com 4:20 de sessão, começou os primeiros tempos a serem marcados. Os pilotos Miguel Oliveira da KTM e Jack Miller da Ducati saíram na frente, seguido de Fabio di Giannantonio, Joan Mir e Michele Pirro.

Na segunda tentativa, Marc Marquez, o Formiga atômica marcou o 4ºtempo, mas logo foi superado por Joan Mir. A 8:35 do final, Franco Morbidelli faz uma boa volta e passa a ser o terceiro colocado. A pista começaria a melhorar, foi o bastante para Brad Binder marcar o tempo de 1:52.402. O guepardo sul-africano colocou 3 segundos no segundo colocado, mas foi a senha para os demais partirem para novas voltas rápidas.

Jack Miller foi para os boxes e troca de moto e volta a pista. Certamente com uma moto ajustada para uma pista mais seca ou menos molhada. Com menos de 4 minutos do final do Q1, Michele Pirro faz um tempo próximo da marca de Binder e sobe para segundo.

Mas nada estava decidido pois Marc Marquez, Jack Miller e Fabio di Giannantonio lutam na pista pela melhor volta, nessa disputa foi o piloto da Honda que levou a melhor e assumiu a liderança a 2:10 do final (1:48.843). Miller passou para segundo e Di Giannantonio vinha em 3º. Michele Pirro foi para 4º, todos eles tinham uma chance ainda de marcar uma volta rápida. Binder e Remy Gardner completavam os 6 primeiros.

Nos segundos finais, Marc Marquez e Jack Miller disputavam o melhor tempo mais uma vez e mais uma vez foi o piloto da Honda que levou a melhor sobre seu adversário, com 1:48.240 contra 1:48.318 do piloto da Ducati, mas veio um furação chamado Fabio di Giannantonio com sua Ducati de 2021 e colocou os cronômetros abaixo a 20 segundos do final, com 1:47.649.

Ainda havia uma última chance para todos, mas para Brad Binder a classificação acabou, o 3ºlugar marcado o tirava do Q2. Quem tinha alguma esperança de passar era o companheiro de Brad Binder, o português Miguel Oliveira foi para 2º com 1:48.231. Nos momentos finais, Fabio di Giannantonio com 1:47.219 e Marc Marquez com 1:47.294 acabaram com as 2 primeiras posições e terminaram com as vagas na repescagem. Jack Miller e Michele Pirro ficaram pelo caminho, assim como todo o resto do pelotão… Miguel Oliveira, Brad Binder até o italiano Andrea Dovizioso da RNF Racing.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’47.219
2 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 01’47.294
3 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’47.621
4 51 Michele Pirro Aruba.it Racing Ducati 01’48.209
5 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’48.231
6 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’48.255
7 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’48.732
8 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’48.846
9 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’48.907
10 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’49.471
11 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’50.266
12 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia 01’50.270
13 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’55.369
14 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’56.479
15 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’57.106
16 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’57.671

Durante o intervalo entre o Q1 e o Q2, Raios e trovões caíram antes da decisão da pole position, mas esses raios eram o pressagio ruim para um dos pilotos da Honda. Alguns pilotos ficaram esperando o cronometro disparar para entrarem na pista, inclusive Marc Marquez.

Na curva 2, Marquez cai de forma muito estranha e sua moto vazou combustível e ela chegou a pegar fogo por alguns momentos. Todo o combustível acabou vazando naquele local e foi inevitável que a direção de corrida acabou acionando a bandeira vermelha a 13:50 do final da sessão. O Acidente que Marc Marquez teve foi fundamental para a decisão dele mesmo de operar o ombro pela 4ªvez, mas nesse caso seria nos Estados Unidos que iria acontecer essa operação. Só esperamos que Marc Marquez volte a esta em plena forma o mais rápido possível.

Após quase 20 minutos, a sessão recomeçou com os pilotos da VR46 e Fabio Quartararo como os primeiros a partirem para a pista. Marc Marquez saiu com 2 minutos e meio de sessão, mas voltou para os boxes, estava sem confiança nenhuma.

Após a primeira volta, Fabio di Giannantonio marcou 1:49.124 e saiu na frente, seguido do Nipônico Takaagi Nakagami da LCR Honda e de Johann Zarco da Pramac. A tendência era a melhora das voltas a medida que a pista melhorasse.

Fabio di Giannantonio melhora seu tempo para 1:41.163, colocando 1 segundo de Marco Bezzecchi e 1.4 segundos sobre Luca Marini. O piloto da Gresini vinha muito forte como nunca esteve na sessão de classificação. A 6:15 do final, Fabio di Giannantonio coloca o tempo mais para baixo ainda, com 1:46.907. Marco Bezzecchi chegou a se posicionar na 2ªposição, a meio segundo do líder. Porém, Francesco Bagnaia passou o piloto da VR46 ao marcar o tempo de 1:47.305.

A 5 minutos do final, Marc Marquez cria corarem de voltar para a moto para tentar algo mais do que a 12ªposição. Marco Bezzecchi retornou a segunda posição a 4:35 do final, com o tempo de 1:47.220, mas ainda assim longe do tempo de Fabio di Giannantonio.

A liderança só mudou de mãos após uma brilhante volta de Johann Zarco (1:46.875) que o levou para a liderança a menos de 3 minutos do final. Era a primeira vez que di Giannantonio estava atrás de alguém de um pouco na sessão.

A 45 segundos do final, Peppo Bagnaia assumia a primeira posição ao marcar 1:46.471, deixando Zarco para trás. Luca Marini, Fabio Quartararo e Takaagi Nakagami fizeram boas voltas e passaram a 3ª,4ª e 5ªposições. A menos de 30 segundos do final, Fabio di Giannantonio recuperou a pole ao marcar 1:46.410.

Depois do cronometro zerado, Marco Bezzecchi e Luca Marini passaram as duas primeiras posições. A VR46 tinha tudo para levar a pole position, logo em um GP da Itália, na casa de Valentino Rossi. Mais no último momento, Fabio di Giannantonio tomou a liderança e conquistou a primeira pole na categoria principal. Um resultado que nem em nenhuma das 7 primeiras corridas do ano Fabio chegou perto de conseguir isso. Um brilhante resultado do piloto e da equipe Gresini que vem fazendo uma temporada surpreendente.

A primeira fila será completada pelos dois pilotos da VR46, Marco Bezzecchi com a moto Ducati de 2021 superou Luca Marini com a Ducati de 2022. A primeira fila era teoricamente quase impossível de acontecer, mas na MotoGP, uma equipe satélite tem totais condições de brigar por uma vitória.

Johann Zarco vai abrir a segunda fila com sua Ducati Pramac de 2022, o francês vai estar na frente de Francesco Bagnaia da equipe oficial da Ducati. Peppo busca se recuperar da queda do GP da França. Fabio Quartararo completa a segunda fila, em busca da defesa da liderança do Mundial da MotoGP.

Aleix Espargaró, o adversário de Quartararo vai largar na 7ªposição. O representante da Aprilla vai comandar a 3ªfila e terá a companhia de Takaagi Nakagami da LCR Honda e de Pol Espargaró da Honda Repsol.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’46.156
2 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’46.244
3 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’46.327
4 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati 01’46.383
5 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 01’46.471
6 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’46.506
7 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 01’46.507
8 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’46.561
9 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’46.667
10 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 01’46.679
11 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati 01’47.223
12 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 01’47.468
13 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’47.621
14 51 Michele Pirro Aruba.it Racing Ducati 01’48.209
15 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’48.231
16 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’48.255
17 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’48.732
18 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’48.846
19 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’48.907
20 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’49.471
21 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’50.266
22 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia 01’50.270
23 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’55.369
24 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’56.479
25 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’57.106
26 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’57.671

Após um sábado de gloria para Fabio di Giannantonio, no domingo, outro piloto italiano fez a festa da torcida em Mugello. Francesco Bagnaia venceu pela segunda vez na temporada de 2022. A pista estava seca e ideal para a disputa das 23 voltas da etapa de Mugello.

Di Giannantonio tentou manter a liderança após a largada, mas só conseguiu isso por algumas curvas, Luca Marini tomou a liderança na 3ªcurva e na curva 11, Marco Bezzecchi passou o piloto da Gresini e completou a dobradinha da VR46 no complemento da 1 volta em Mugello. Di Gianntonio vinha em 3º, Aleix Espargaró passou Fabio Quartararo e assumiu a 4ªposição. Zarco, Brad Binder, Nakagami, Bagnaia e Marc Marquez completavam os 10 primeiros colocados.

A VR46 vivia seu momento de sonhos na MotoGP, com seus dois pilotos nas 2 primeiras posições. Já Quartararo recuperou o 4ºlugar que tinha perdido para Aleix e passou a lutar pela terceira posição com Fabio di Giannantonio. O piloto francês acabou superado o piloto da Gresini que não desistiu sem lutar, criou alguma resistência, tentou dar o troco, mas em poucas curvas, o francês contornou a situação e assumiu em definitivo a terceira posição. Partindo para cima dos pilotos da VR46. Praticamente na mesma volta, Bagnaia supera Aleix e sobe para a 5ªposição.

Começando a 4ªVolta, Fabio Quartararo vai para cima de Luca Marini, a ultrapassagem foi conseguida no meio da volta, subindo para a segunda posição, Peppo Bagnaia passou Fabio di Giannantonio no final da volta e já vinha na 4ªposição.

Bagnaia passa a atacar Quartararo e Marini, os três disputando a segunda posição. Quem se aproveitava era Marco Bezzecchi, que já abria 7 décimos dos 3. Pol Espargaró caiu na segunda metade da 5ªVolta (curva 9), foi o primeiro a deixar a corrida.

Na 6ªVolta, Peppo Bagnaia passou por Marini e Quartararo, pulando para a segunda posição. Na 7ªVolta, Aleix Espargaró superou Fabio di Giannantonio. Era natural que o novato da Gresini não conseguisse se segurar muito tempo nas primeiras posições.

Na 8ªvolta, Peppo Bagnaia foi para cima de Marco Bezzecchi. A disputa pela liderança durou por uma volta. Até que na 9ªvolta, Bagnaia supera o piloto da VR46 e assume a liderança. Praticamente ao mesmo tempo, Joan Mir (8ªvolta) e Alex Rins (9ªvolta) caíram e abandonaram a corrida. A Suzuki vive uma crise nesse momento da temporada.

Marc Bezzecchi estava na segunda posição, a frente de Fabio Quartararo que ainda tinha esperanças de lutar pela vitória, Luca Marini e Aleix Espargaró. Enea Bastianini partiu para cima de Johann Zarco, era mais uma batalha entre a Ducati de 2022 e a Ducati de 2021 pela 6ªposição.

Ainda com pretensões de vitória, Fabio Quartararo foi para cima de Marco Bezzecchi. Na segunda metade da 11ªvolta, o francês supera Bezzecchi. Porém, o piloto da VR46 não estava disposto a ceder tão facilmente a posição e foi tentar rever sua posição, mas Bezzecchi foi pego no contra pé pelo companheiro de equipe que acabou por superar o companheiro de equipe. Resultado de tudo isso foi que Marini passou a ser o terceiro colocado.

Bezzecchi luta com Marini nas 2 voltas seguintes e consegue recuperar a 3ªposição que estava nas mãos do seu companheiro de equipe. Bezzecchi ainda tentou superar Quartararo na reta, mas o francês manteve a 2ªposição. Aleix Espargaró e Enea Bastianini estavam chegando para a disputa. Mais atrás, os dois melhores pilotos da Honda na corrida, Marc Marquez e Takaagi Nakagami lutavam pela 11ªposição. Uma equipe que já teve várias temporadas dominadoras estava sofrendo no meio do pelotão.

A 10 voltas do final, Enea Bastianini vai para o chão na curva 2 e abandona. Peppo Bagnaia abriu 1 segundo sobre Quartararo e Bezzecchi que lutam pela segunda posição. Já Luca Marini perdeu a 4ªposição para Aleix Espargaró.

Na 17ªVolta, Marini foi superado por Johann Zarco da Pramac. Na mesma volta, na curva 10, Aleix Espargaró supera Marco Bezzecchi e entra no pódio, na terceira posição. As voltas finais, Bagnaia, Quartararo e Aleix Espargaró se consolidaram nas 3 primeiras posições. A única mudança de posição foi Johann Zarco tomando o 4ºlugar de Marco Bezzecchi a 4 voltas do final.

Francesco Bagnaia conquista a vitória no GP da Itália, um brilhante resultado para quem largou da 5ªposição, Peppo vinha de abandono no GP da França. A Moto Ducati de 2022 se mostra definitivamente competitiva para vencer corridas.

Na 2ªposição chegou Fabio Quartararo fez o que era possível ser feito, mesmo sem uma moto potente, o francês mostrou competência e levou mais uma vez a Yamaha as costas enquanto que os demais pilotos da marca não conseguem nenhum resultado significativo. Aleix Espargaró conquistou pela 4ªvez seguida o pódio com a Aprilla. O melhor momento da carreira do piloto e da marca na categoria principal.

Johann Zarco fez uma boa corrida de recuperação após uma largada ruim, o piloto da Pramac foi evoluindo na classificação até fechar o dia em uma boa 4ªposição.

Marco Bezzecchi e Luca Marini fizeram uma bonita corrida, ambos fizeram a alegria da torcida no começo da prova e mostraram que o investimento de Valentino Rossi nos dois pilotos foi acertado. Na reta  final, os dois perderam um pouco de terreno, mas nada que manche o belíssimo final de semana de Bezzecchi que ficou em 5º e de Luca Marini que completou a corrida na 6ªposição, seguido de perto por Brad Binder da KTM.

Takaaki Nakagami se deu melhor que Marc Marquez no duelo entre os dois melhores pilotos da Honda, além disso, chegou na frente de Miguel Oliveira e terminou o dia na 8ªposição. Marc Marquez fechou o Top 10. Agora o formiga atômica vai para a cirurgia e ficava fora das pistas por tempo indeterminado.

Fabio di Giannantonio fez um ótimo sábado, mas o seu domingo acabou não sendo tão bom assim, muito pela sua falta de experiência em correr na parte da frente da corrida. Fabio foi tentando se preservar na zona de pontuação e conseguiu, no final, salvou a 11ªposição, fechando a 1 milésimo de segundo a frente de Marevick Viñales.

Em 13º, Jorge Martin fez mais uma corrida bem abaixo da média, assim como a corrida fraquíssima de Jack Miller, o 15ºcolocado, fechando a zona de pontuação, algo que é inadmissível para um  piloto da equipe Oficial da Ducati. Alex Marquez ficou entre o Martin e Miller, na 14ªposição.

Resultado Final da 8ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Itália – Mugello – Bugatti – 23 Voltas – MotoGP

pos piloto equipe moto tempo
1 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 41’18.9230
2 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 0.635
3 41 Aleix Espargaró Aprilia Racing Aprilia a 1.983
4 5 Johann Zarco Prima Pramac Racing Ducati a 2.590
5 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati a 3.067
6 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati a 3.875
7 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM a 4.067
8 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 10.944
9 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM a 11.256
10 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda a 11.800
11 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati a 12.916
12 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia a 12.917
13 89 Jorge Martin Prima Pramac Racing Ducati a 17.240
14 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda a 17.568
15 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati a 17.687
16 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 20.265
17 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 20.296
18 51 Michele Pirro Aruba.it Racing Ducati a 21.305
19 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM a 30.548
20 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 31.011
21 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM a 42.723
22 32 Lorenzo Savadori Aprilia Racing Aprilia a 1 volta
23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati a 10 voltas
36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 16 voltas
42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 16 voltas
44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda a 19 voltas

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da Itália – Moto 2 – Mundial de Motovelocidade 2022

Fechando o dia de classificação, a Moto 2 teria condições de pista ainda precárias, mas já uma pista mais seca que a pista da MotoGP. A corrida contaria com a presença de Mattia Pasini, com a moto da equipe de Aspar Martinez, ele era o Wild Card e faria o grid contar com 31 pilotos. 17 deles estavam no Q1 para disputarem 4 vagas para o Q2.

Um dos primeiros a buscar volta rápida, Tony Arbolino acabou desistindo e abortando a sua primeira tentativa. Com 4:30 de sessão, Mattia Pasini, o convidado do final de semana vinha na liderança com 1:53.217, mas 10 segundos depois, foi superado pelo tailandês Somkiat Chantra da Honda Asia Team com 1:53.123. Marcel Schrotter da IntactGP e Alonso Lopez da Speed UP completavam a zona dos classificados para o Q2.

A 9 minutos do final, o jovem Alonso Lopez sobe para primeiro ao marcar 1;52.006 e permanece na liderança por bons 2 minutos, até que Pasini baixou o tempo para a barreira do 1 minuto e 51 segundos (1:51.872) e volta a ponta, seguido de Alonso Lopez, Marcel Schrotter e Tony Arbolino que fez sua primeira volta e passou para a 4ªposição. Nessa brincadeira, Chantra ficou para trás, chega a melhorar sua volta, mas fica apenas na 7ªposição.

A 2:50 do final, Fermin Aldeguer marca o 5ºtempo e fica a uma posição de Tony Arbolino. Pouco depois, Marcel Schrotter acabou chutando a moto de Keimeth Kubo, Essa atitude não se justifica em nenhuma hipótese e era passível de uma desclassificação do piloto alemão da classificação.

A 1 minuto do final, Fermin Aldeguer pula para a segunda posição e faz Tony Arbolino cair fora da zona de classificação por poucos momentos, já que o piloto da Marc VDS marcou uma boa volta subindo para a terceira posição. Com isso, Alonso Lopez e Marcel Schrotter rodaram da zona de classificação.

No final da sessão, Mattia Pasini marcou 1:51.844 e confirmou a primeira posição. Junto do veterano se classificaram para o Q2: Fermin Aldeguer, Tony Arbolino e Marcos Ramirez. O Alemão Marcel Schrotter bem que mereceu a eliminação no Q1 pela atitude antidesportiva com Kubo, acabou ficando com a 6ªposição, atrás Alonso Lopez da Speed UP.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 11 Mattia Pasini Inde GASGAS Aspar Team Kalex 01’51.844
2 14 Tony Arbolino Elf Marc VDS Racing Team Kalex 01’51.861
3 54 Fermín Aldeguer Lightech Speed Up Boscoscuro 01’51.916
4 42 Marcos Ramirez MV Agusta Forward Racing MV Agusta 01’51.980
5 21 Alonso Lopez Lightech Speed Up Boscoscuro 01’52.006
6 23 Marcel Schrotter Liqui Moly Intact GP Kalex 01’52.066
7 52 Jeremy Alcoba Liqui Moly Intact GP Kalex 01’52.139
8 61 Alessandro Zaccone Gresini Racing Moto2 Kalex 01’52.438
9 12 Filip Salac Gresini Racing Moto2 Kalex 01’52.451
10 35 Somkiat Chantra IDEMITSU Honda Team Asia Kalex 01’52.522
11 24 Simone Corsi MV Agusta Forward Racing MV Agusta 01’52.746
12 84 Zonta Van Den Goorbergh RW Racing GP Kalex 01’52.755
13 18 Manuel Gonzalez Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex 01’53.036
14 28 Niccolò Antonelli Mooney VR46 Racing Team Kalex 01’53.115
15 2 Gabriel Rodrigo Pertamina Mandalika SAG Team Kalex 01’53.153
16 81 Keminth Kubo Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex 01’53.763
17 4 Sean Dylan Kelly American Racing Kalex 01’54.218

Barry Baltus e Marcus Ramirez seriam os primeiros a saírem, mas eles ficaram na porta de entrar para a pista, esperando mais pilotos a saírem nos boxes. Nessa história, os dois demoraram 1 minuto e 20 segundos, tempo Jake Dixon e Mattia Pasini saírem dos boxes para irem para a pista. Esse foi o estopim para os outros pilotos partirem para a pista.

Com 2 minutos de Q2, 16 dos 18 pilotos já entraram na pista. Os últimos a partirem para a primeira tentativa foram Ai Ogura e Fermin Aldeguer. Com 5 minutos e 20 segundos de sessão, Albert Arenas acerta uma bela volta de 1:53.219 tomando a liderança. Os outros pilotos não chegaram nem perto do tempo do piloto espanhol.  Cameron Beaubier nem fez a volta, acabou voltando para os boxes.

A 8:55 do final, Arenas foi superado por Jorge Navarro (1:52.495), Bo Bendsneyder e Pedro Acosta. 35 segundos depois, a pole muda de mãos novamente, Primeiro com Celestino Vietti com a marca de 1:52.178 e depois de poucos segundos, Aron Canet marca 1:52.137. Entre os dois, Sam Lowes se meteu entre os dois ao marcar o segundo tempo.

Antes da metade da sessão (7:20 de sessão), Pasini e Dixon pulam para a ponta, com vantagem para o Wild Card sobre o piloto regular da Aspar Martinez. Barry Baltus pulou para terceiro. Canet, Lowes e Vietti caíram para 4ª, 5ª e 6ªposições respectivamente. Esse quadro durou pouco tempo, Pedro Acosta a 7:05 do final, marca a excepcional marca de 1:51.337 e detona o tempo de Pasini para tomar a liderança nas suas mãos. Canet e Lowes passou para 2ª e 3ªposições a 6:25 do final, formando a primeira fila com Acosta. Pasini abrira a 2ªfila que teria Dixon e Baltus. Arbolino, Navarro, Dalla Porta e Aldeguer completavam o Top 10.

Pedro Acosta marca 1:51.265 e depois em nova volta, o campeão da Moto 3 em 2021 baixa sua marca para 1:51.246, a 3:30 do final da sessão. A pole parecia estaria nas mãos Acosta, mas em uma volta supreendente, Aron Canet tomou a ponta com o tempo de 1:51.121, que não seria mais alcançado por mais ninguém.

Aron Canet confirma a pole position em Mugello, um resultado ganho na reta final da sessão, diante de todo o domínio de Pedro Acosta, o piloto da Pons vai em busca da primeira vitória na Moto 2. O mesmo Pedro Acosta vai tentar, apesar do domínio no Q2 acabou perdendo a pole e tendo que se contentar com a segunda posição. A primeira fila será completada pelo britânico Sam Lowes.

Formando a segunda fila, Celestino Vietti busca manter a liderança do campeonato que já foi mais tranquila. Largando na 5ªposição, Mattia Pasini fez uma senhora classificação, vindo do Q1 e como convidado foi melhor que os pilotos da Aspar Martinez. Ai Ogura da Honda Asia Team larga na 6ªposição.

Joe Roberts da Italtrans abre a 3ªfila, o norte-americano é seguido por Tony Arbolino da Marc VDS e por Jake Dixon da Aspar Martinez. E fechando os 12 primeiros colocados, na 4ªfila, os pilotos Barry Baltus da RW Racing, Lorenzo Dalla Porta da Italtrans e Jorge Navarro da Pons.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 40 Aron Canet Flexbox HP40 Kalex 01’51.121
2 51 Pedro Acosta Red Bull KTM Ajo Kalex 01’51.246
3 22 Sam Lowes Elf Marc VDS Racing Team Kalex 01’51.279
4 13 Celestino Vietti Mooney VR46 Racing Team Kalex 01’51.381
5 11 Mattia Pasini Inde GASGAS Aspar Team Kalex 01’51.465
6 79 Ai Ogura IDEMITSU Honda Team Asia Kalex 01’51.478
7 16 Joe Roberts Italtrans Racing Team Kalex 01’51.552
8 14 Tony Arbolino Elf Marc VDS Racing Team Kalex 01’51.566
9 96 Jake Dixon Inde GASGAS Aspar Team Kalex 01’51.631
10 7 Barry Baltus RW Racing GP Kalex 01’51.754
11 19 Lorenzo Dalla Porta Italtrans Racing Team Kalex 01’51.760
12 9 Jorge Navarro Flexbox HP40 Kalex 01’51.789
13 75 Albert Arenas Inde GASGAS Aspar Team Kalex 01’51.849
14 37 Augusto Fernandez Red Bull KTM Ajo Kalex 01’51.940
15 54 Fermín Aldeguer Lightech Speed Up Boscoscuro 01’51.954
16 42 Marcos Ramirez MV Agusta Forward Racing MV Agusta 01’52.045
17 64 Bo Bendsneyder Pertamina Mandalika SAG Team Kalex 01’52.056
18 6 Cameron Beaubier American Racing Kalex 01’52.656
19 21 Alonso Lopez Lightech Speed Up Boscoscuro 01’52.006
20 23 Marcel Schrotter Liqui Moly Intact GP Kalex 01’52.066
21 52 Jeremy Alcoba Liqui Moly Intact GP Kalex 01’52.139
22 61 Alessandro Zaccone Gresini Racing Moto2 Kalex 01’52.438
23 12 Filip Salac Gresini Racing Moto2 Kalex 01’52.451
24 35 Somkiat Chantra IDEMITSU Honda Team Asia Kalex 01’52.522
25 24 Simone Corsi MV Agusta Forward Racing MV Agusta 01’52.746
26 84 Zonta Van Den Goorbergh RW Racing GP Kalex 01’52.755
27 18 Manuel Gonzalez Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex 01’53.036
28 28 Niccolò Antonelli Mooney VR46 Racing Team Kalex 01’53.115
29 2 Gabriel Rodrigo Pertamina Mandalika SAG Team Kalex 01’53.153
30 81 Keminth Kubo Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex 01’53.763
31 4 Sean Dylan Kelly American Racing Kalex 01’54.218

Domingo sem chuva em Mugello, esse foi o cenário que marcou a primeira vitória de Pedro Acosta na categoria intermediária, após ter um duelo pela liderança por boa parte da corrida com o espanhol Aron Canet.

Pole position Aron Canet largou bem, mas Pedro Acosta pegou seu vácuo e acabou tomando a ponta da corrida na primeira volta. Sam Lowes largou bem e manteve a terceira posição, seguido de Tony Arbolino, Ai Ogura, Joe Roberts, Jorge Navarro, Mattia Pasini, Jake Dixon e Celestino Vietti (Largou mal, caiu da 4ª pra 10ªposição). Na curva 6, Lowes supera Canet e passou a não só pegar o segundo lugar como também começou a ir pra cima de Acosta.

Na mesma curva 6, na segunda volta, Canet dá o troco em cima de Lowes e recupera o segundo lugar. Os 5 primeiros lugares (Acosta, Canet, Lowes, Arbolino e Roberts) abriram meio segundo de vantagem para o segundo pelotão (Ogura, Pasini, Navarro, Vietti e Dixon). No começo da terceira volta, Arbolino entra em batalha pela 3ªposição com Sam Lowes, com essa briga dos pilotos da Marc VDS, Acosta e Canet abriram vantagem sobre os dois.

Na curva 9, Acosta teve um desequilíbrio na sua moto, foi o suficiente para Canet retornar a liderança da corrida que ainda vinha nas suas primeiras voltas. Acosta volta a liderança na reta dos boxes, no começo da 4ªvolta. Quase que ao mesmo tempo, Tony Arbolino passou em definitivo Sam Lowes (ganhando a 3ªposição) e Ai Ogura passou Joe Roberts, subindo para a 5ªposição após manobra muito bem executada, mas logo o piloto norte-americano retornaria a 5ªposição.

No final da 5ªVolta, Somkiat Chantra foi ao chão e abandona na sua temporada de altos e baixos. Por outro lado, Lowes recuperou o terceiro lugar nesse mesmo momento. Na 6ªVolta, Vietti superou Mattia Pasini e passou a ser o 7ºcolocado.

Após 7 voltas, Canet continuava colado em Acosta, os dois abriram 4 décimos para Tony Arbolino que voltou a ficar a frente de Sam Lowes na 3ªposição. Ai Ogura e Joe Roberts completava os 6 primeiros colocados. Celestino Vietti vinha em 7º com 1 segundo de atraso. Começando a 8ªVolta, Ogura passa Sam Lowes, pula para a 4ªposição e na volta seguinte o piloto da Honda Asia Team supera Tony Arbolino, pulando para a 3ªposição.

Porém, Arbolino reage na volta seguinte e recupera o terceiro lugar, em cima do mesmo Ai Ogura. Os dois, junto de Sam Lowes travam duelo pesado pela terceira posição. Com esse duelo, Acosta e Canet começaram a abrir vantagem sobre o restante do pelotão. No final da 11ªVolta, Marcos Ramirez foi para o chão. Era mais uma corrida em que o piloto da MV Agusta abandona por queda.

A 9 voltas do final, os dois pilotos da Italtrans enfrentaram situações totalmente diferentes. Enquanto Lorenzo Dalla Porta foi para o chão, o norte-americano Joe Roberts passou Sam Lowes e assumiu a 6ªposição. Celestino Vietti entrou no pelotão da frente e também passou Sam Lowes que vinha no seu pior momento na corrida.

No final da 13ªvolta, Aron Canet acabou caindo e abandonando a corrida. Pedro Acosta tinha caminho livre para conquistar sua primeira vitória, Ai Ogura passou para segundo, seguido de Roberts, Vietti, Arbolino e Lowes. Cameron Beaubier, Alonso Lopez, Jorge Navarro e Jake Dixon completavam os 10 primeiros colocados.

Joe Roberts foi para a luta com Ai Ogura pela segunda posição. Nessa disputa, o piloto da Italtrans passou o piloto da Honda Asia Team. O japonês levou a pior e ainda perdeu a 3ªposição para Celestino Vietti que estava para se dar bem mais uma vez em relação ao campeonato. Ogura tinha que se virar para se manter a frente de Tony Arbolino. Com essas brigas todas, Acosta estava 2 segundos a frente dos seus adversários.

A menos de 5 voltas do final, Ogura se livra de Arbolino que lutava com Sam Lowes pelo 5ºlugar, em duelo direto dos dois pilotos da Marc VDS. Até que a 4 voltas do final, Arbolino empurra Lowes para fora e faz o britânico cair. Lowes abandona pela 5ªvez seguida e Tony Arbolino foi punido com uma volta longa por causa dessa pilotagem irresponsável. Ao cumprir a punição, o piloto da Marc VDS volta ainda em 4º, mas estava sendo pressionado por Augusto Fernandez.

A 3 voltas do final, Celestino Vietti que vinha em 3º teve uma quebra da sua moto, era fim de corrida do piloto da VR46. O campeonato iria ficar muito embolado com o problema que Vietti teve nesse final, uma judiação para ele.

Pedro Acosta levou sua moto da equipe Ajo para a primeira vitória na categoria intermediária. Com 18 anos e 4 dias, o campeão da moto 3 em 2021 se torna o mais jovem vencedor de uma corrida na Moto 2. A adaptação de Acosta com a Moto 2 não foi fácil, mas não demorou meia temporada para ela acontecer, pois desde de Le Mans Bugatti em que Acosta já desempenhava um grande trabalho.

Joe Roberts conquista seu 2ºpódio na temporada com a 2ªposição, após uma belíssima corrida. Ai Ogura teve também um bom dia, conquistou o pódio e ainda por cima empatou na liderança do campeonato com Celestino Vietti, só esta na vice-liderança pelo critério de desempate (Vietti tem 2 vitórias e Ogura apenas 1 vitória). Mas o resultado foi bem favorável ao piloto japonês.

Tony Arbolino conseguiu sustentar a 4ªposição, a punição da volta longa foi decisiva para o piloto da Marc VDS ter perdido qualquer chance de pódio. 15 milésimos atrás, Augusto Fernandez que largou da 14ªposição e fez uma excelente prova de recuperação, chegando na 5ªposição. No final da corrida, Jake Dixon reagiu bem e completou a corrida em boa 6ªposição, superando o norte-americano Cameron Beaubier da American Racing.

Alonso Lopez conquista seus primeiros pontos na Moto 2, levando a Boscoscuro na 8ªposição. Após o chute em Keminth Kubo na classificação, Marcel Schrotter chegou na 9ªposição, ficou bem comportado na corrida e até conseguiu uma boa recuperação. Albert Arenas completou o Top 10 com uma atuação discreta.

Bo Bendsneyder da SAG, Jorge Navarro da Pons, Filip Salac da Gresini, Fermini Aldeguer da Speed UP e Mattia Pasini da Gas Gas fecharam a zona de pontuação. Destaque para o bom resultado de Filip Salac, com a 13ªposição e para Pasini, o Wild Card do final de semana conseguiu marcar um ponto.

Resultado Final da 8ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Itália – Mugello – 21 Voltas – Moto 2

pos piloto equipe moto tempo
1 51 Pedro Acosta Red Bull KTM Ajo Kalex 39’35.9300
2 16 Joe Roberts Italtrans Racing Team Kalex a 4.051
3 79 Ai Ogura IDEMITSU Honda Team Asia Kalex a 6.749
4 14 Tony Arbolino Elf Marc VDS Racing Team Kalex a 12.312
5 37 Augusto Fernandez Red Bull KTM Ajo Kalex a 12.327
6 96 Jake Dixon Inde GASGAS Aspar Team Kalex a 12.513
7 6 Cameron Beaubier American Racing Kalex a 12.849
8 21 Alonso Lopez Lightech Speed Up Boscoscuro a 13.314
9 23 Marcel Schrotter Liqui Moly Intact GP Kalex a 14.703
10 75 Albert Arenas Inde GASGAS Aspar Team Kalex a 14.748
11 64 Bo Bendsneyder Pertamina Mandalika SAG Team Kalex a 15.141
12 9 Jorge Navarro Flexbox HP40 Kalex a 15.425
13 12 Filip Salac Gresini Racing Moto2 Kalex a 17.254
14 54 Fermín Aldeguer Lightech Speed Up Boscoscuro a 18.069
15 11 Mattia Pasini Inde GASGAS Aspar Team Kalex a 18.750
16 7 Barry Baltus RW Racing GP Kalex a 23.969
17 52 Jeremy Alcoba Liqui Moly Intact GP Kalex a 27.648
18 28 Niccolò Antonelli Mooney VR46 Racing Team Kalex a 29.286
19 61 Alessandro Zaccone Gresini Racing Moto2 Kalex a 30.221
20 18 Manuel Gonzalez Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex a 35.200
21 84 Zonta Van Den Goorbergh RW Racing GP Kalex a 35.223
22 81 Keminth Kubo Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex a 49.777
23 4 Sean Dylan Kelly American Racing Kalex a 49.897
24 Simone Corsi MV Agusta Forward Racing MV Agusta a 1 volta
22 Sam Lowes Elf Marc VDS Racing Team Kalex a 3 voltas
13 Celestino Vietti Mooney VR46 Racing Team Kalex a 3 voltas
40 Aron Canet Flexbox HP40 Kalex a 9 voltas
19 Lorenzo Dalla Porta Italtrans Racing Team Kalex a 10 voltas
42 Marcos Ramirez MV Agusta Forward Racing MV Agusta a 11 voltas
35 Somkiat Chantra IDEMITSU Honda Team Asia Kalex a 17 voltas

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da Itália – Moto 3 – Mundial de Motovelocidade 2022

Final de semana em Mugello aconteceu a 8ªEtapa do Mundial de Motovelocidade, o palco era o tradicional e rapidíssimo circuito de Mugello, na Toscana e era a chance de motos mais rápidas em reta de conquistarem melhores resultados.

Na Moto 3, a novidade foi a estreia de David Muñoz na BOé SKX. O espanhol não pode estrear antes porque não tinha a idade mínima de 16 anos de idade. Os favoritos as 4 vagas no Q1 eram Lorenzo Fellon, Ryusei Yamanaka, Kaito Toba e Xavier Artigas.

Com exceção de Yamanaka, Bertelle e Bartolini, todo mundo saiu para a pista de imediato. O Final de semana terminaria para Alberto Surra nos primeiros minutos do Q1, voltando de uma lesão, o piloto da Snipers sofre novo acidente e mais uma vez tem uma lesão que faz ele se afastar de mais uma corrida no mundial. Com 3 minutos de sessão, Os três pilotos que estavam nos boxes saíram para a primeira tentativa.

David Muñoz surpreende e faz o melhor tempo (1:58.495), com 4:15 de sessão, superando Adrian Fernández, Mario Aji e Taiyo Furusato. A 8:45 do final, Furusato passou Aji (que ficou na bolha) e subiu para a terceira posição.

Na metade da sessão, Ryusei Yamanaka acabou com a brincadeira, o piloto da MT Helmets fez 1:57.595 e colocou 9 décimos de frente para Matteo Bertelle da Avintia. Os dois deixaram Muñoz e Fernández para 3º e 4º e tiraram os dois pilotos da Honda Asia Team da zona de classificação.

Depois disso, os tempos pararam de melhorar, até chegamos a menos de 3 minutos do final, foi quando Fellon e Kelso marcaram o 5º e 6ºtempos, entrando de novo na briga por uma vaga ao Q2. Enquanto a turma tentava melhorar suas marcas, Ryusei Yamanaka voltou para os boxes, com um belo tempo e a classificação ao Q2 garantida.

A poucos segundos do final, Ivan Ortolá melhora 4 posição, passa da 11ª para a 7ªposição. Já Xavier Artigas não vai além da 12ªposição, um resultado extremamente decepcionante.

Com o cronometro zerado, Lorenzo Ferron e David Muñoz marcaram o 3º e 4ºtempos, tirando Adrian Fernández e Joel Kelso da zona de classificação. Ryusei Yamanaka da MT Helmets e Matteo Bertelle da Avintia ficaram com as duas primeiras posições.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 6 Ryusei Yamanaka MT Helmets – MSI KTM 01’57.595
2 18 Matteo Bertelle QJMotor Avintia Racing Team KTM 01’58.158
3 20 Lorenzo Fellon SIC58 Squadra Corse Honda 01’58.463
4 44 David Muñoz BOE Motorsports KTM 01’58.471
5 31 Adrian Fernandez Red Bull KTM Tech3 KTM 01’58.645
6 66 Joel Kelso CIP Green Power KTM 01’58.804
7 48 Ivan Ortola Angeluss MTA Team KTM 01’58.832
8 72 Taiyo Furusato Honda Team Asia Honda 01’59.009
9 64 Mario Suryo Aji Honda Team Asia Honda 01’59.018
10 23 Elia Bartolini QJMotor Avintia Racing Team KTM 01’59.021
11 27 Kaito Toba CIP Green Power KTM 01’59.133
12 43 Xavier Artigas CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO 01’59.185
13 70 Joshua Whatley VisionTrack Racing Team Honda 01’59.430
14 22 Ana Carrasco BOE Motorsports KTM 02’00.488
67 Alberto Surra Rivacold Snipers Team Honda Sem Tempo

Izan Guevara, disposto a entrar de vez na disputa do campeonato é o primeiro a entrar na pista, para a decisão da pole position, a maioria o seguiu 40 segundos depois. Foggia, Suzuki e McPhee esperaram um pouco mais, só saindo com 3 minutos de sessão.

Com 4:10 de sessão, Izan Guevara registrou a primeira marca do Q2 que acabou cancelada por passar do limite da pista. 30 segundos depois, Riccardo Rossi da SIC58 (1:57.450) assume a liderança, seguido pelo novato Daniel Holgado da equipe Ajo.

Guevara teve de ir a luta para marcar uma nova volta rápida e acaba conseguindo uma boa volta de 1:58.010 que lhe deu a 3ªposição a menos de 9 minutos do final da sessão. Ao chegar na metade da sessão, a liderança passa a ser do escocês John McPhee da Husqvarna com 1:57.299, jogando Rossi para segundo. Masia e Suzuki subiram para 3ª e 4ªposições, Holgado cai para 5º, Bertelle esta em uma boa 6ªposição. Odgen, Guevara, Foggia e Muñoz completam os 10 primeiros colocados. A 7 minutos do final, Dennis Foggia marca boa volta e ganha 3 posições subindo para a 6ºposição. Nesse momento, a maioria dos pilotos estavam abrigados nos boxes.

A 3 minutos do final, a maioria voltava a pista se juntando a Foggia e Yamanaka que continuavam a marcar volta rápida. A 2 minutos do final, Dennis Foggia da Leopard Racing passou a segunda posição, com 1:5.366 (67 milésimos mais lento que McPhee).

A partir dai, Foggia e Oncü foram para a volta rápida e o turco levou a melhor com 1:56.811, tempo marcado a 2 segundos do final da sessão. Tanto o piloto da Leopard como o piloto da tech 3 teriam uma última tentativa para buscarem a pole position.

Na última tentativa, Sergio Garcia e Diogo Moreira fizeram boas marcas, mas não chegaram a lutar pela pole position. Dennis Foggia acabou com a terceira posição, Daniel Holgado ficou a frente do piloto de casa e colocou a moto da equipe Ajo na segunda posição.

A pole para o GP da Itália foi para o turco Deniz Onçü da Tech 3, que apareceu nos minutos finais para ser o mais rápido no sábado, buscando a tão sonhada primeira vitória na carreira. Também buscando a primeira vitória, Daniel Holgado vai largar na segunda posição e completando a 1ªfila, o italiano Dennis Foggia da Leopard Racing.

Os dois pilotos da Gas Gas, Sergio Garcia e Izan Guevara largam na 4ª e 5ªposições respectivamente. John McPhee tinha a pole nas mãos, mas ela escapa das mãos dele no final e o escocês teve de se contentar com a 6ªposição, fechando a segunda fila.

Diogo Moreira da MT Helmets vai abrir a terceira fila que será composta por Riccardo Rossi da SIC58 e Ryusei Yamanaka da mesma MT Helmets. Fechando os Top 12, na quarta fila, os fortíssimos Jaume Masia e Tatsuki Suzuki que pouco fizeram na sessão e Lorenzo Fellon da SIC58, o francês veio do Q1 para largar na 12ªposição.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 53 Deniz Öncü Red Bull KTM Tech3 KTM 01’56.811
2 96 Daniel Holgado Red Bull KTM Ajo KTM 01’56.908
3 7 Dennis Foggia Leopard Racing Honda 01’57.094
4 11 Sergio Garcia Valresa GASGAS Aspar Team GASGAS 01’57.232
5 28 Izan Guevara Valresa GASGAS Aspar Team GASGAS 01’57.236
6 17 John McPhee Sterilgarda Husqvarna Max Husqvarna 01’57.299
7 10 Diogo Moreira MT Helmets – MSI KTM 01’57.405
8 54 Riccardo Rossi SIC58 Squadra Corse Honda 01’57.450
9 6 Ryusei Yamanaka MT Helmets – MSI KTM 01’57.513
10 5 Jaume Masia Red Bull KTM Ajo KTM 01’57.532
11 24 Tatsuki Suzuki Leopard Racing Honda 01’57.553
12 20 Lorenzo Fellon SIC58 Squadra Corse Honda 01’57.702
13 18 Matteo Bertelle QJMotor Avintia Racing Team KTM 01’57.794
14 19 Scott Ogden VisionTrack Racing Team Honda 01’57.958
15 44 David Muñoz BOE Motorsports KTM 01’58.089
16 16 Andrea Migno Rivacold Snipers Team Honda 01’58.188
17 99 Carlos Tatay CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO 01’58.189
18 82 Stefano Nepa Angeluss MTA Team KTM 01’58.466
19 31 Adrian Fernandez Red Bull KTM Tech3 KTM 01’58.645
20 66 Joel Kelso CIP Green Power KTM 01’58.804
21 48 Ivan Ortola Angeluss MTA Team KTM 01’58.832
22 72 Taiyo Furusato Honda Team Asia Honda 01’59.009
23 64 Mario Suryo Aji Honda Team Asia Honda 01’59.018
24 23 Elia Bartolini QJMotor Avintia Racing Team KTM 01’59.021
25 27 Kaito Toba CIP Green Power KTM 01’59.133
26 43 Xavier Artigas CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO 01’59.185
27 70 Joshua Whatley VisionTrack Racing Team Honda 01’59.430
28 22 Ana Carrasco BOE Motorsports KTM 02’00.488

Primeira corrida do dia, a Moto 3 mais uma vez teve uma corrida muito disputada e que mostrou uma melhor gerencia e um melhor desempenho do grid. Dobradinha da Gas Gas com vitória de Sergio Garcia após Izan Guevara ter sido penalizado em uma posição.

O GP da Itália começa e Deniz Oncü larga bem e permanece na liderança. O Brasileiro Diogo Moreira fez excelente largada, pulando da 7ª para a 2ªposição. Nos primeiros metros, Scott Odgen acabou caindo e abandonando a corria de forma muito estranha. Izan Guevara vinha em 3º e junto dos dois primeiros começou a se destacar dos demais. Dennis Foggia e Daniel Holgado (que não foi muito bem na largada, caindo da 2ª para a 6ªposição) superaram Sergio Garcia no decorrer da primeira volta.

Nas duas voltas seguintes, Guevara passou Diogo Moreira (na 2ªVolta) e na volta seguinte, passa Oncü e assume a liderança, sempre no final da reta ao se aproveitar do vácuo de quem esta na frente. Oncü e Moreira batalhavam pela segunda posição. Os três estavam 0.7 segundos Tatsuki Suzuki, Dennis Foggia e dos demais pilotos do segundo pelotão (Holgado, Migno e Garcia).

Na 4ªVolta, Oncü e Moreira passaram por Guevara e voltaram às posições que estavam nas primeiras curvas da prova (1ª e 2ªposições). Na parte final da volta, Stefano Nepa é o primeiro a encontrar o chão (Curva 11), primeiro piloto a deixar a corrida.

A corrida começa a mudar a partir da 5ªvolta, o pelotão chegou em Oncü, Moreira e Guevara. Os pilotos da Leopard Racing passaram a liderar a corrida, sendo Foggia no começo da 5ªvolta e Suzuki no começo da 6ªvolta. Algumas curvas depois, o japonês foi superado por Guevara e Foggia e cai para a 3ªposição. Jaume Masia foi para fora da pista e acabou voltando na 25ªposição, muito longe dos ponteiros.

Começando a 7ªvolta, Dennis Foggia usou o vácuo para voltar à liderança, mas Oncü, Suzuki e os demais estavam bem perto do piloto da casa. Parecia impossível manter a liderança por 2 voltas seguidas. Na 8ªvolta, Guevara chega a superar Foggia, mas espalhou na curva 1 e permitiu a volta de Foggia a liderança e tenta uma fuga para Izan Guevara e Deniz Oncü, o turco por sua vez, se aproveita da briga entre Guevara e Suzuki para colocar meio segundo em cima dos dois que lutavam pela 4ªposição.

Na 10ªVolta, Dennis Foggia continuava na frente, Sergio Garcia e Ricciardo Rossi passaram a segunda e terceira posições, superando Izan Guevara, Deniz Oncü e Tatsuki Suzuki. Migno, Yamanaka, McPhee e Holgado completavam o Top 10.

Na 11ªVolta, Tatsuki Suzuki acaba empurrando Denis Oncü. O Turco foi para o chão e voltou muito lá atrás. Essa manobra rendeu a punição da volta longa para o piloto da Leopard Racing, o que jogaria o piloto para longe do primeiro pelotão.

Foggia chegou a abrir 4 décimos, mas curvas depois, o italiano acabou indo para o chão, abandonando uma corrida que poderia ser tranquilamente dele. A liderança passou a ser do também italiano Riccardo Rossi. Outros 3 pilotos foram ao chão na acidentada 11ªvolta: Daniel Holgado, John McPhee e Carlos Tatay.

Suzuki chega a voltar a liderança, mas ao pagar a volta longa acaba caindo para 7ªposição, a mais de 2 segundos do pelotão de frente, agora com Andrea Migno na liderança, seguido de Guevara, Garcia, Yamanaka, Moreira e Rossi. Na metade da 13ªVolta, Guevara supera Migno e voltou à liderança. Com 7 voltas pela frente, qualquer um dos 6 poderia vencer a corrida.

Guevara acabou espalhando, caindo de 1ª para 5ª, mas ao chegar na reta dos boxes, o piloto da Gas Gas retornou a liderança, usando o vácuo de todos os pilotos que estavam na sua frente. Enquanto isso, Jaume Masia vinha tentando entrar na zona de pontuação, mas estava na 18ªposição, tentando passar Kaito Toba e Tairo Furusato. Enquanto isso, Lorenzo Fellon tomou a punição da volta longa, isso fez o francês cair da 11ª para a 15ªposição.

Ao entrar na 16ªVolta, Diogo Moreira assume a liderança, com os pilotos da Gas Gas (Garcia e Guevara), Yamanaka (seu companheiro de equipe), Rossi, Migno e Tatsuki Suzuki que voltou para a disputa no pelotão principal. Matteo Bertelle, Joel Kelso e Elia Bartolini já estavam bem longe do pelotão da frente.

Nas voltas seguinte, Suzuki e Riccardo Rossi passaram para a liderança. A 3 voltas do final, Rossi abre 3 décimos para Izan Guevara e Sergio Garcia, durante toda a volta, os pilotos da Gas Gas foram para cima do piloto da casa.

Na penúltima volta, a classificação muda totalmente, a liderança passa a ser de Andrea Migno e o segundo lugar fica para Diogo Moreira. Durante a penúltima volta, o brasileiro da MT Helmets assume a liderança. Moreira parte para a volta final na liderança, mas é engolido pelo pelotão na metade da reta dos boxes. A liderança passou para as mãos de Izan Guevara, com Suzuki, Migno e Garcia a seguir. Moreira caiu para a 6ªposição.

Durante a volta final, Sergio Garcia passou da 4ª para a 2ªposição e tenta tirar a vitória de Izan Guevara. Na última curva, Diogo Moreira acabou sendo tocado e foi para o chão. Nessa queda, Moreira teve uma fratura em seu braço (Que impediria a sua participação no GP da Catalunha).

Izan Guevara cruzou a linha de chegada na frente, mas por exceder o limite da pista, Guevara acabou perdendo a vitória para Sergio Garcia, sua terceira vitória na temporada e liderança do Mundial consolidada, com 28 pontos de frente para Izan Guevara, que acabou ficando com a segunda posição.

Após uma punição de volta longa e uma belíssima recuperação, Tatsuki Suzuki conquistou a terceira posição, seu melhor resultado em quase 2 anos e o fim do jejum de pódios para o piloto japonês e da Honda que não teve pilotos entre os 3 primeiros colocados desde do GP dos Estados Unidos. Andrea conseguiu uma boa 4ªposição. O japonês Ryusei Yamanaka, 5ºcolocado, conseguiu seu melhor resultado da carreira. Riccardo Rossi da SIC58 completou os 6 primeiros colocados.

Ivan Ortolá conquistou uma digna 7ªposição com sua KTM da MTA, também conquista seu melhor resultado no ano de estreia, seguido dos dois pilotos da Avintia que chegaram na 8ª e 9ªposição (Elia Bartolini levou vantagem sobre Matteo Bertelle). Adrian Fernandez da tech 3 completou o Top 10 em Mugello. Estreante do final de semana, David Muñoz acabou na 11ªposição. Mais atrás, Deniz Oncü conseguiu salvar 1 ponto ao terminar a corrida na 15ªposição, após se levantar da queda que sofreu, o turco teve muita garra não ter desistido da corrida.

Resultado Final da 8ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da Itália – Mugello – Bugatti – 20 Voltas – Moto 3

pos piloto equipe moto tempo
1 11 Sergio Garcia Valresa GASGAS Aspar Team GASGAS 39’43.2140
2 28 Izan Guevara Valresa GASGAS Aspar Team GASGAS 39’43.1930
3 24 Tatsuki Suzuki Leopard Racing Honda a 0.012
4 16 Andrea Migno Rivacold Snipers Team Honda a 0.137
5 6 Ryusei Yamanaka MT Helmets – MSI KTM a 0.234
6 54 Riccardo Rossi SIC58 Squadra Corse Honda a 0.999
7 48 Ivan Ortola Angeluss MTA Team KTM a 5.387
8 23 Elia Bartolini QJMotor Avintia Racing Team KTM a 5.477
9 18 Matteo Bertelle QJMotor Avintia Racing Team KTM a 5.480
10 31 Adrian Fernandez Red Bull KTM Tech3 KTM a 5.747
11 44 David Muñoz BOE Motorsports KTM a 5.751
12 66 Joel Kelso CIP Green Power KTM a 5.989
13 64 Mario Suryo Aji Honda Team Asia Honda a 6.109
14 20 Lorenzo Fellon SIC58 Squadra Corse Honda a 12.643
15 53 Deniz Öncü Red Bull KTM Tech3 KTM a 16.689
16 27 Kaito Toba CIP Green Power KTM a 16.738
17 5 Jaume Masia Red Bull KTM Ajo KTM a 16.789
18 72 Taiyo Furusato Honda Team Asia Honda a 19.449
19 99 Carlos Tatay CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO a 32.404
20 43 Xavier Artigas CFMOTO Racing PruestelGP CFMOTO a 33.421
21 70 Joshua Whatley VisionTrack Racing Team Honda a 41.412
22 22 Ana Carrasco BOE Motorsports KTM a 1:14.077
10 Diogo Moreira MT Helmets – MSI KTM a 1 volta
96 Daniel Holgado Red Bull KTM Ajo KTM a 10 voltas
17 John McPhee Sterilgarda Husqvarna Max Husqvarna a 10 voltas
7 Dennis Foggia Leopard Racing Honda a 10 voltas
82 Stefano Nepa Angeluss MTA Team KTM a 17 voltas
19 Scott Ogden VisionTrack Racing Team Honda a 20 voltas

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da França – MotoGP – Mundial de Motovelocidade 2022

A repescagem começa com 14 pilotos buscando as 2 vagas para o Q2, Os primeiros a entrarem na pista são Joan Mir, Alex Marquez e os dois pilotos da VR46. Os pilotos da casa, Fabio Quartararo e Johann Zarco estavam na espera para chegar o Q2, onde ambos se garantiram automaticamente após 3 sessões de treinos livres.

Com 2 minutos de sessão, todo mundo já estava dentro do traçado de Le Mans Bugatti. Com 3:20 de sessão, Joan Mir foi o primeiro a marcar tempo, com 1:31.637 e ficou na frente por 20 segundos, foi quando Jorge Martin marcou 1:31.380. Brad Binder da KTM vinha na terceira posição.

A sessão ainda estava no começo e todo mundo estava disposto a desbancar Martin e Mir dos 2 primeiros lugares. Com 1/3 de sessão percorrida, Joan Mir melhora sua marca e vai para a ponta (1:31.252) seguido de Marco Bezzecchi da VR46 (1:31.287). 15 segundos depois, Jorge Martin voltou a ser o mais rápido e voltou a ponta com 1:31.138.

Metade da sessão percorrida, Martin e Mir vinham classificando para o Q2. O piloto da Suzuki foi para a pista pela segunda vez. Outros pilotos antecipam a volta para a pista. Todos eles cobiçavam as posições dos dois primeiros colocados.

Os tempos lá na frente não abaixam até que Mir acertou uma belíssima volta de 1:30.933 e volta a ficar na liderança, a menos de 3 minutos do final. Marco Bezzecchi chegou a ameaçar a segunda posição, mas perdeu tempo e não conseguiu melhorar sua volta a 50 segundos do final.

A 40 segundos do final, Jorge Martin melhora bastante sua marca. O tempo de 1:39.804 fez o piloto da Pramac voltar em definitivo para a primeira posição. Joan Mir teve de esperar até o final para ter sua vaga garantida. Marco Bezzecchi fez uma última tentativa, foi muito rápido, mas ficou a 7 milésimos do tempo do piloto da Suzuki e vai ter de partir da 13ªposição. Marevick Viñales melhorou no final e ficou em 4º seguido de Luca Marini da VR46.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 89 Jorge Martin Pramac Racing Ducati 01’30.804
2 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’30.933
3 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’30.940
4 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’31.271
5 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’31.363
6 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’31.487
7 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’31.547
8 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’31.610
9 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’31.617
10 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’31.618
11 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’31.763
12 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’31.820
13 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’32.596
14 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’32.767

A hora dos pilotos da casa entrarem em cena finalmente tinha chegado, Quartararo e Zarco tinham a missão de conquistar a vitória em casa, mas nada disso seria fácil diante da velocidade de Francesco Bagnaia e Jack Miller, além do rápido e instável Jorge Martin e do surpreendente Enea Bastianini da Gresini, última das equipes com moto da Ducati.

Aleix Espargaró, Takaagi Nakagami e Joan Mir foram os primeiros a entrarem na pista, sem o favoritismo dos pilotos da Ducati e dos franceses. Com 3 minutos e 20 segundos de sessão, o principal piloto da Aprilla foi o primeiro a marcar tempo, mas logo foi superado por Joan Mir.

A pole do piloto da Suzuki durou pouco, os favoritos detonaram seu tempo, a começar com a marca de 1:30.910 de Francesco Bagnaia e com Quartararo indo para segundo, e Rins passou para terceiro.

Com quase 1/3 de sessão, Aleix Espargaró melhorou sua marca e levou a Aprilla até a segunda posição, mas o fosso entre ele e Francesco Bagnaia aumentou, o piloto da Ducati marcou 1:30.699. Seria difícil arrancar a liderança de Bagnaia, mas não impossível como mostrou Fabio Quartararo, a 9 minutos do final, o piloto da Yamaha marcou 1:30.688 e passou a liderar a sessão. Jorge Martin que marcou o terceiro tempo, já vinha a quase 4 décimos dos 2 primeiros colocados. Assim como em Jerez, Quartararo e Bagnaia polarizavam a briga pela pole position.

Enquanto a maioria dos pilotos foram para os boxes, Enea Bastianini foi para uma terceira tentativa e acabou sendo válida, até porque o piloto da Gresini marcou o 5ºtempo, na segunda fila, entre Aleix Espargaró e Johann Zarco da Pramac.

A 6 minutos do final, os pilotos começaram a sair para a 2ª e última tentativa de tirar Quartararo da pole position. Teoricamente somente os pilotos da Ducati poderiam tirar a pole do piloto da Yamaha e de um dos pilotos da casa. Dispostos a fazer dobradinha, Bagnaia e Miller vão na frente para usarem melhor a potência de suas motos.

Miller que estava na 7ªposição passou Zarco a 3:10 do final, mas 10 segundos depois, Zarco fez uma grande volta e pulou para a 3ªposição. Porém, Enea Bastianini acaba fazendo tempo (1:30.711) muito melhor que o piloto da Pramac e toma a terceira posição, com uma Ducati de 2021 que se mostra muito competitiva, mesmo com 1 ano de defasagem.

A menos de 2 minutos do final, Peppo Bagnaia com 1:30.450 e Jack Miller com 1:30.519 cumpriram sua missão e colocaram a moto oficial da Ducati nas duas primeiras posições. No final da sessão, Aleix Espargaró chegou a ameaçar esse domínio da Ducati, mas acabou perdendo um pouco de tempo, o suficiente para não alcançar algo além do 3º.

Francesco Bagnaia acabou conquistando a pole pela segunda vez na temporada e que se esperava do piloto que conquistasse a sua segunda vitória da temporada para entrar de vez na disputa pelo campeonato. Jack Miller completa a dobradinha da Ducati com a segunda posição. O australiano que deve sair da equipe italiana ao final da temporada. Aleix Espargaró leva a Aprilla mais uma vez a 3ªposição, fechando a primeira fila.

Os franceses Fabio Quartararo e Johann Zarco não conseguiram ir além da 4ª e 6ªposições, ambos largam na 2ªfila com Enea Bastianini separando os 2. O líder do campeonato lutou bravamente com as deficiências da sua moto no quesito potência, mas nos outros quesitos, Fabio vem correspondendo muito bem.

A dupla da Suzuki fez um bom trabalho, Mir veio do Q1 e vai largar em 7º, seguido de Rins e de Jorge Martin que deixou a desejar com o 9ºlugar. Fechando os 12 primeiros colocados, os 3 pilotos da Honda que parece viver uma séria crise de gestão de equipamentos e de pilotos. Marc Marquez fica na frente de Pol Espargaró e Takaagi Nakagami mesmo sem estar em plena forma física. Fica claro que a marca japonesa estava totalmente dependente do formiga atômica.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati 01’30.450
2 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati 01’30.519
3 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia 01’30.609
4 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’30.688
5 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 01’30.711
6 5 Johann Zarco Pramac Racing Ducati 01’30.863
7 36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’30.943
8 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 01’30.977
9 89 Jorge Martin Pramac Racing Ducati 01’31.068
10 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 01’31.148
11 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda 01’31.526
12 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 01’31.595
13 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’30.940
14 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia 01’31.271
15 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati 01’31.363
16 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati 01’31.487
17 88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’31.547
18 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM 01’31.610
19 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha 01’31.617
20 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’31.618
21 73 Alex Marquez LCR Honda CASTROL Honda 01’31.763
22 87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’31.820
23 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha 01’32.596
24 25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM 01’32.767

Em Le Mans Bugatti, Enea Bastianini mais uma vez levou a Gresini a vitória, a terceira na temporada, algo impensável para uma equipe que tem dificuldades financeiras como era a equipe do saudoso Fausto Gresini. Uma luta de Davi e Golias e que acabou com o Davi levando a melhor.

A equipe oficial da Ducati tinha seus dois pilotos na 2 primeiras posições. Na largada, Jack Miller foi melhor e assumiu a liderança. Enea Bastianini fez uma belíssima largada, ganhando 3 posições e se posicionando na 2ªposição. Francesco Bagnaia recua para a 3ªposição, seguido dos dois pilotos da Suzuki, com Rins a frente de Mir. Nakagami, Aleix Espargaró que largou mal de novo, Quartararo, Marquez e Martin completando os 10 primeiros colocados. Johann Zarco também foi mal na largada, caindo para a 11ªposição.

No final da primeira volta, Quartararo foi para cima de Nakagami (que foi superado por Aleix curvas depois da largada) passou o piloto japonês que tentou dar o troco, nessa manobra audaciosa, Marc Marquez se aproveitou e passou ambos, assumindo a 7ªposição. Nakagami acabou sendo tocado e foi obrigado a cortar a curva 3 e 4. De forma consciente, os comissários não puniram o piloto japonês que recuou para a 9ªposição.

Lá na frente, Bastianini é superado por Bagnaia e Rins, caindo para a 4ªposição. No começo da 3ªVolta, Alex Rins escapa perto da chicane, atravessa toda a curva 3 e cai de maneira perigosa quando volta ao asfalto. Fim de corrida para o piloto espanhol. Dessa forma, Enea Bastianini volta a terceira posição.

Bagnaia partiu para cima de Miller e acabou voltando a liderança ao passar seu companheiro de equipe na metade da 4ªvolta. Outro que caiu foi o australiano Remy Gardner, criticado sem razão na Tech 3 pelos maus resultados. Acho que a Tech 3 não tem muita moral para reclamar do seu piloto, já que não dá um equipamento minimamente decente para seus dois pilotos.

Bagnaia busca abrir vantagem sobre Miller, Bastianini e Mir. Quem vinha rápido era Fabio Quartararo que estava buscando a posição de Aleix Espargaró, em disputa pela liderança do Mundial. Marc Marquez vinha em 7º e Nakagami era atacado por Johann Zarco em busca da recuperação na corrida. Na 7ªVolta, Raúl Fernández abandona com a outra moto da Tech 3, uma equipe que não esta dando equipamento competitivo aos seus pilotos. Com 9 voltas completadas, Zarco passo Nakagami, subindo para a 8ªposição.

Na 11ªVolta, Enea Bastianini partiu para o ataque sobre Jack Miller. Na volta seguinte, ocorreu a ultrapassagem do piloto principal da Gresini. Brilhante temporada de Enea, andando muitíssimo bem com sua Ducati de 2021.

Os pilotos franceses vinham buscando subir na tabela de classificação. Fabio Quartararo continuava a seguir Aleix Espargaró lutando pela 5ªposição e Johann Zarco se aproximava de Marc Marquez na luta pela 7ªposição. No final da 14ªVolta, Joan Mir cai na curva 13, final de corrida para a Suzuki. Aleix subiu para a 4ªposição, mas tinha Quartararo ainda na sua cola.

Marquez sofreia a pressão de Zarco, depois vinham Nakagami, Oliveira e Binder completando o Top 10. Martin, Pol, Marini, Viñales e di Giannantonio completavam a zona de pontuação. Na volta seguinte, enquanto Zarco conseguia a ultrapassagem sobre Marc Marquez, seu companheiro de equipe, Jorge Martin acabou caindo. Martin vem fazendo uma péssima temporada, essa foi a 5ªcorrida que ele não consegue terminar, seu lugar na Pramac começa a balançar bastante.

Bastianini foi para cima de Peppo Bagnaia a 10 voltas do final, numa batalha entre a equipe de fábrica e a Gresini, a menor equipe das filiais. Uma autentica batalha de Davi contra Golias na MotoGP. Jack Miller já estava longe dos dois primeiros e tentava manter uma certa vantagem para Aleix Espargaró e Fabio Quartararo.

A briga pela liderança teve seu ponto mais culminante a 7 voltas do final, quando chegaram na chicane, Bastianini superou Bagnaia e assumiu a ponta. 3 curvas depois, Peppo deu o troco e retornou a liderança. Parecia que a briga iria durar mais, mas na curva 8, a briga teve seu momento chave, quando Francesco Bagnaia erra a curva e permite a ultrapassagem de Enea Bastianini. Com o psicológico afetado, Bagnaia tentou chegar no piloto da Gresini, mas tudo que ele acabou achando foi o chão no final da 21ªvolta. Agora era caminho livre para Bastianini levar sua moto com cuidado para confirmar a vitória.

Jack Miller vinha em 2º, com uma distancia segura para Aleix Espargaró e Fabio Quartararo que brigam pelo último lugar no pódio nessas voltas finais. Zarco, Marc Marquez, Nakagami, Brad Binder, Miguel Oliveira e Pol Espargaró completavam o Top 10. Miguel Oliveira foi para o chão e perdeu sua decente posição a 3 voltas do final, a queda prejudicou Pol Espargaró que teve que desviar da moto caída e perdeu posições para Marini e Viñales, caindo para a 11ªposição.

Enea Bastianini leva sua Ducati de 2021 da Gresini para a terceira vez na temporada. Inimaginável antes de começar a temporada de 2022, uma equipe que tem dificuldades financeiras e com motos já superadas e com dois pilotos novatos, um tentando se consolidar e um estreante tinha tudo para dar errado. Ainda bem que na prática, a equipe do saudoso Fausto Gresini  esta obtendo sucesso com Bastianini que esta na disputa do título de 2022.

Jack Miller salva o dia da equipe oficial da Ducati com a 2ªposição. O Australiano ganhou a ponta no começo, mas não teve rendimento para lutar pela vitória. E na disputa entre Aleix e Quartararo levou a melhor o piloto da Aprilla. Aleix Espargaró sobe pela 3ªvez seguida no pódio. Algo que não aconteceu na sua carreira e muito menos com a Aprilla que finalmente começava a ter sucesso na categoria rainha do mundial. A liderança do mundial continua nas mãos de Fabio Quartararo, o francês fez uma boa corrida, tentou o pódio, mas o 4ºlugar não chega a ser ruim para o piloto da Yamaha.

Johann Zarco, outro francês do grid se recupera bem e acaba o dia na 5ªposição, se tivesse largado melhor poderia sim almejar até uma disputa de pódio com Aleix e Quartararo, ainda assim, salvou o dia da equipe Pramac, que esta contando bem mais com a contribuição do francês, já que Jorge Martin vem fazendo um ano pífio até agora. Marc Marquez mais uma vez foi o melhor piloto da Honda ao terminar o dia em 6ºlugar, logo a frente de Takaagi Nakagami da LCR Honda. O japonês obteve pela segunda vez um bom resultado.

Brad Binder fez o que era possível com a KTM, ficou em uma honrosa 8ªposição, seguido de Luca Marini da VR46 e Marevick Viñales da Aprilla que fecharam o Top 10. Pol Espargaró teve mais uma lamentável apresentação e não foi capaz de se quer ameaçar ficar a frente do piloto da equipe satélite da Honda. Ou seja, o 11ºlugar no GP da França é só mais uma na conta já pesada dos seus críticos.

Marco Bezzecchi da VR46, Fabio di Giannantonio em 13º, marcando seus 3 primeiros pontos na MotoGP pela Gresini, Alex Marquez da LCR Honda e lamentavelmente Franco Morbidelli fechando a zona de pontuação, com a mesma moto de Fabio Quartararo, o ítalo-brasileiro mal consegue pontuar, ficando a frente apenas de Andrea Dovizioso e Darryn Binder da problemática RNF Racing.

Resultado Final da 7ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da França – Le Mans – Bugatti – 27 Voltas – MotoGP

pos piloto equipe moto tempo
1 23 Enea Bastianini Gresini Racing MotoGP Ducati 41’34.6130
2 43 Jack Miller Ducati Lenovo Team Ducati a 2.718
3 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Aprilia a 4.182
4 20 Fabio Quartararo Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 4.288
5 5 Johann Zarco Pramac Racing Ducati a 11.139
6 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda a 15.155
7 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 16.680
8 33 Brad Binder Red Bull KTM Factory Racing KTM a 18.459
9 10 Luca Marini Mooney VR46 Racing Team Ducati a 20.541
10 12 Maverick Viñales Aprilia Racing Aprilia a 21.486
11 44 Pol Espargaro Repsol Honda Team Honda a 22.707
12 72 Marco Bezzecchi Mooney VR46 Racing Team Ducati a 23.408
13 49 Fabio Di Giannantonio Gresini Racing MotoGP Ducati a 26.432
14 73 Alex Marquez  LCR Honda CASTROL Honda a 28.710
15 21 Franco Morbidelli Monster Energy Yamaha MotoGP Yamaha a 29.433
16 4 Andrea Dovizioso WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 38.149
17 40 Darryn Binder WithU Yamaha RNF MotoGP Team Yamaha a 59.748
88 Miguel Oliveira Red Bull KTM Factory Racing KTM a 3 voltas – acidente
63 Francesco Bagnaia Ducati Lenovo Team Ducati a 7 voltas – acidente
89 Jorge Martin Pramac Racing Ducati a 11 voltas – acidente
36 Joan Mir Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 14 voltas – acidente
25 Raul Fernandez Tech3 KTM Factory Racing KTM a 21 voltas – acidente
42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 22 voltas – acidente
87 Remy Gardner Tech3 KTM Factory Racing KTM a 24 voltas – acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

GP da França – Moto 2 – Mundial de Motovelocidade 2022

A categoria intermediaria teve uma repescagem muito disputada, com vários nomes que normalmente estariam no Q2. Entre eles, Celestino Vietti, o líder do campeonato que teria que se esforçar para conseguir a classificação, como também seria a missão de Jorge Navarro, Fermin Aldeguer, Joe Roberts e Bo Bendsneyder. Desses, 1 deles fatalmente largaria da 19ªposição para trás.

Vietti foi para a primeira volta, apesar do bom tempo de 1:36.772, o piloto da VR46 é superado pelo jovem e talentoso Manuel Gonzalez da Yamaha VR46, por Lorenzo Dalla Porta da Italtrans e  por Jorge Navarro. Dessa forma, Vietti estava na bolha, em 4ºlugar com 4 minutos e meio de sessão.

Vietti melhorou sua volta na segunda tentativa, chegando a liderar a sessão, mas quase de imediato foi superado por Jorge Navarro (que marcou 1:36.304) e pelo argentino Gabriel Rodrigo da SAG. Simone Corsi completava a zona de classificação.

A 9 minutos do final, Dalla Porta com 1:36.259 e Bo Bendsneyder com 1:36.297 derrubam Vietti para a 5ªposição. Era dai que o desespero do piloto da VR46 estava começando, ele teria que voltar aos 4 primeiros nos próximos 8 minutos, mas Vietti não estava conseguindo melhorar seu tempo. Para piorar a situação, Fermin Aldeguer da Speed UP faz grande volta e pula da 10ª para a 2ªposição.

Vietti foi tentar pelo menos se posicionar em 4ºlugar, as suas 2 últimas voltas, o piloto da VR46 conseguia fazer ótimas parciais e dava a impressão de que conseguiria ser o mais rápido, mas sempre na última parcial perdia o suficiente para não conseguir superar o tempo de Jorge Navarro. Alessandro Zacconi e Niccolò Antonelli foram para o chão ao buscarem o melhor tempo.

Com o Q1 encerrado, Lorenzo Dalla Porta, Fermin Aldeguer, Bo Bendsneyder e Jorge Navarro classificaram para o Q2.

Resultado do Q1:

pos piloto equipe moto tempo
1 19 Lorenzo Dalla Porta Italtrans Racing Team Kalex 01’36.259
2 54 Fermín Aldeguer MB Conveyors Speed Up Boscoscuro 01’36.278
3 64 Bo Bendsneyder Pertamina Mandalika SAG Team Kalex 01’36.297
4 9 Jorge Navarro Flexbox HP40 Kalex 01’36.304
5 13 Celestino Vietti Mooney VR46 Racing Team Kalex 01’36.310
6 2 Gabriel Rodrigo Pertamina Mandalika SAG Team Kalex 01’36.434
7 24 Simone Corsi MV Agusta Forward Racing MV Agusta 01’36.478
8 7 Barry Baltus RW Racing GP Kalex 01’36.528
9 12 Filip Salac Gresini Racing Moto2 Kalex 01’36.599
10 18 Manuel Gonzalez Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex 01’36.623
11 16 Joe Roberts Italtrans Racing Team Kalex 01’36.766
12 84 Zonta Van Den Goorbergh RW Racing GP Kalex 01’37.031
13 52 Jeremy Alcoba Liqui Moly Intact GP Kalex 01’37.105
14 28 Niccolò Antonelli Mooney VR46 Racing Team Kalex 01’37.422
15 61 Alessandro Zaccone Gresini Racing Moto2 Kalex 01’37.778
16 4 Sean Dylan Kelly American Racing Kalex 01’38.454

Com a entrada de 6 pilotos, começava os 15 minutos da decisão da pole position. Bo Bendsneyder e companhia limitada foram para as primeiras tentativas de volta. Os pilotos da equipe Ajo (Acosta e Augusto Fernandez), os pilotos da Honda Asia Team (Chantra e Ogura) e Sam Lowes entraram algum tempo depois. Fermin Aldeguer foi o último a sair para a primeira tentativa, já aos 3 minutos de sessão.

Sam Lowes marcou 1:36.489 e ficou na frente, mas bem a frente de Marcel Schrotter da IntactGP. Enquanto isso, Cameron Beaubier abortou sua 1ªvolta e voltou para os boxes. A 10:20 do final, Albert Arenas fez uma boa volta e pulou para a segunda posição.

Com 1/3 de sessão, Lowes melhorou sua marca para 1:36.071, ficando na frente de Ai Ogura, Tony Arbolino, Pedro Acosta e Albert Arenas que acabou perdendo 3 posições. Alguns segundos depois, o jovem Alonso Lopez, o substituto de Romano Fenati levou a moto da Boscoscuro a uma belíssima segunda posição, com 1:36.269.

Sam Lowes parecia estar em um dia iluminado, mas acabou indo para o chão a 8 minutos do final, essa queda acabaria com o final de semana do piloto da Marc VDS, pois o impediria de disputar a corrida no domingo. Antes de terminar a primeira metade de sessão, Albert Arenas conseguiu recuperar a 2ªposição.

Na metade da sessão, Lowes, Arenas e Lopez vinha sendo uma 1ªfila bem diferente da Habitual, mas isso iria mudar nos 7 minutos finais de sessão.

A 6:15 do final, Pedro Acosta sai da 7ª para a 3ªposição, entrando na primeira fila. Porém, isso não deixou o campeão da moto 3 de 2021 satisfeito e por isso, Acosta foi para uma nova volta e o tempo de 1:35.803 o levou a primeira posição. Um temporal que seria difícil de ser batido por qualquer piloto. Jake Dixon passou para segundo e Augusto Fernandez pulou para 3º, os três mudaram totalmente a primeira fila. Aron Canet também melhorou bastante sua posição, após 2 voltas rápidas o piloto da Pons pulou da 12ª para a 5ªposição.

A sessão durou mais alguns minutos, mas ninguém ameaçou a pole position das mãos de Pedro Acosta. O jovem piloto de 18 anos finalmente parece ter se achado na Moto 2. O piloto da Ajo vai largar na frente, certamente sonhando com a primeira vitória, assim como o inglês Jake Dixon, o 2ºcolocado no Grid de largada, que por sinal, esta indo muito bem na Aspar Martinez. O mais experiente da 1ªfila é o espanhol Augusto Fernandez que vai largar na 3ªposição.

A segunda fila teria Sam Lowes largando na 4ªposição, mas acabaria por ser vetado da prova pelos médicos. Dessa forma, Albert Arenas herda essa posição no grid de largada. Alonso Lopez em uma ótima classificação, na sua primeira corrida com a Boscoscuro vai largar em excelente 5ªposição, na frente de Aron Canet da Pons.

Ai Ogura da Honda Asia Team tem a chance de tirar a diferença sobre o líder do campeonato, vai largar 12 posições a frente de Vietti. Bo Bendsneyder da SAG e Tony Arbolino da Marc VDS complementam a 3ªfila. Somkiat Chantra que foi ao chão na reta final da classificação larga em 10º, seguido de Jorge Navarro e Marcel Schrotter da IntactGP.

Grid de Largada:

pos piloto equipe moto tempo
1 51 Pedro Acosta Red Bull KTM Ajo Kalex 01’35.803
2 96 Jake Dixon Inde GASGAS Aspar Team Kalex 01’35.921
3 37 Augusto Fernandez Red Bull KTM Ajo Kalex 01’35.963
4 22 Sam Lowes Elf Marc VDS Racing Team Kalex 01’36.071
5 75 Albert Arenas Inde GASGAS Aspar Team Kalex 01’36.088
6 21 Alonso Lopez MB Conveyors Speed Up Boscoscuro 01’36.269
7 40 Aron Canet Flexbox HP40 Kalex 01’36.303
8 79 Ai Ogura IDEMITSU Honda Team Asia Kalex 01’36.309
9 64 Bo Bendsneyder Pertamina Mandalika SAG Team Kalex 01’36.341
10 14 Tony Arbolino Elf Marc VDS Racing Team Kalex 01’36.351
11 35 Somkiat Chantra IDEMITSU Honda Team Asia Kalex 01’36.461
12 9 Jorge Navarro Flexbox HP40 Kalex 01’36.472
13 23 Marcel Schrotter Liqui Moly Intact Gp Kalex 01’36.502
14 42 Marcos Ramirez MV Agusta Forward Racing MV Agusta 01’36.743
15 19 Lorenzo Dalla Porta Italtrans Racing Team Kalex 01’36.962
16 62 Stefano Manzi Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex 01’36.979
17 6 Cameron Beaubier American Racing Kalex 01’37.037
18 54 Fermín Aldeguer MB Conveyors Speed Up Boscoscuro 01’37.098
19 13 Celestino Vietti Mooney VR46 Racing Team Kalex 01’36.310
20 2 Gabriel Rodrigo Pertamina Mandalika SAG Team Kalex 01’36.434
21 24 Simone Corsi MV Agusta Forward Racing MV Agusta 01’36.478
22 7 Barry Baltus RW Racing GP Kalex 01’36.528
23 12 Filip Salac Gresini Racing Moto2 Kalex 01’36.599
24 18 Manuel Gonzalez Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex 01’36.623
25 16 Joe Roberts Italtrans Racing Team Kalex 01’36.766
26 84 Zonta Van Den Goorbergh RW Racing GP Kalex 01’37.031
27 52 Jeremy Alcoba Liqui Moly Intact GP Kalex 01’37.105
28 28 Niccolò Antonelli Mooney VR46 Racing Team Kalex 01’37.422
29 61 Alessandro Zaccone Gresini Racing Moto2 Kalex 01’37.778
30 4 Sean Dylan Kelly American Racing Kalex 01’38.454

Em Le Mans, mais uma corrida com muitas quedas, o que vem sendo uma constante negativa para a categoria intermediária. A briga pela vitória ficou entre os dois pilotos da equipe Ajo e acabou com a vitória de Augusto Fernandez que estava a mais de 2 anos sem vitória. Entre os postulantes ao título, Aron Canet levou a melhor sobre Celestino Vietti e Ai Ogura. No domingo, foi confirmado a não participação de Sam Lowes por recomendação médica.

Ao partirem para a largada, Pedro Acosta manteve a sua liderança e Augusto Fernandez passou para 2º. A equipe Ajo relembrou o domínio da temporada passada (Remy Gardner e Raúl Fernández dominaram em 2021 com as motos da equipe de Nikias Ajo). Albert Arenas foi muito bem na largada, pulando da 5ª para a 3ªposição. Seu companheiro de equipe caiu para a 6ªposição. Atrás de Alonso Lopez e de Marcos Ramirez da MV Agusta, em uma largada espetacular, da 13ª para a 5ªposição.

Aron Canet passou Dixon no final da primeira volta. No começo da segunda volta, Alonso Lopez supera Albert Arenas, subindo para a terceira posição. Por outro lado, Tony Arbolino e Fermin Aldeguer vão para o chão na mesma curva.

Acosta e Fernandez já abrem uma vantagem enorme para a concorrência que era liderada por Alonso Lopez da Speed Up. Arenas, Canet, Ramirez, Dixon, Beaubier, Chantra e Navarro completavam os 10 primeiros. Ai Ogura vinha em 12º e Celestino Vietti vinha na 18ªposição.

Canet supera Arenas e parte para cima de Lopez na 4ªvolta, foi a mesma volta que ocorreu o encontro de Jake Dixon com o chão. Mal dia para o piloto britânico. Na 5ªVolta, Canet supera Lopez e assume a terceira posição, mas se quisesse a primeira vitória na Moto 2 teria que tirar 3 segundos que Acosta e Fernandez abriram na liderança. Ao final da 5ªVolta, Acosta acabou tendo que salvar sua moto de uma queda, com isso, Augusto Fernandez tentou a ultrapassagem sobre o companheiro de equipe. Apesar disso, ainda deu para Acosta segurar a liderança.

Na metade da 6ªVolta, Arenas e Lopez foram para o chão, o toque de lado do piloto da Speed UP acabou influenciando para a queda do piloto da Gas Gas e do próprio Alonso Lopez. Ambos voltam à corrida, mas já sem condições de fazerem nada de relevante. Canet estava mais tranquilo em 3º, a classificação mudava da 4ªposição em diante, agora era o norte-americano Cameron Beaubier da American Racing que vinha em 4º, seguido de Somkiat Chantra da Honda Asia Team e de Marcos Ramirez da MV Agusta. Ai Ogura vinha na 7ªposição. Enquanto isso, Celestino Vietti vinha em 13º, se recuperando aos poucos. Na 8ªVolta, Chantra supera Ramirez e sobe para a 5ªposição.

Com 8 voltas completadas, Acosta e Fernandez abriram quase 6 segundos sobre Canet, a briga pela vitória estava entre os dois pilotos da Ajo. Enquanto isso, o holandês Bo Bendsneyder iria pagar uma punição da volta longa. Enquanto o piloto da equipe SAG foi cumprir sua punição, Celestino Vietti acabou saindo da pista, na curva 8, no mesma curva onde Bendsneyder pagou a punição. O líder do campeonato saiu no prejuízo e caiu para a 19ªposição.

Na 11ªvolta, a corrida tinha seu momento decisivo, Pedro Acosta vai para o chão e abandona a corrida, a liderança passa a ser de Augusto Fernandez, com confortáveis 6 segundos sobre Aron Canet que não vinha nada confortável, pressionado por Cameron Beaubier em 3º e chegando nessa disputa o tailandês Somkiat Chantra da Honda Asia Team. Essa disputa pelo segundo lugar passou a ser a grande briga da corrida.

Marcos Ramirez foi para a chão, numa corrida super promissora que ele estava tendo. A 5ªposição passou a ser de Marcel Schrotter da IntactGP.

Na 14ªVolta, Chantra se aproveita de um erro de Beaubier na curva 7 para tomar a terceira posição. Logo o piloto da Honda Asia Team parte para o ataque em cima de Canet da Pons. A pressão funciona, Chantra passou Canet e Beaubier se aproveitou e foi junto e voltou à terceira posição. Azar do Canet que teria de galgar de novo para reconquistar seu lugar no pódio.

Algumas voltas depois, Canet passou Beaubier e foi para cima de Chantra, dessa vez foi o tailandês que errou e caiu para a quarta posição, dessa vez Canet levou a melhor e voltou a ser o segundo colocado a menos de 7 voltas do final.

Mais um pouco atrás, Ai Ogura ganhou a 5ªposição de Marcel Schrotter. Já Celestino Vietti vinha em seu melhor momento na corrida, se recuperando muito bem e galgando posições dentro da zona de pontuação.

Beaubier tentou ir para cima de Canet, mas acabou ficando para Chantra que tentou uma arrancada final para buscar o pódio. Essa arrancada dá certo e no final da penúltima volta, o tailandês supera o piloto norte-americano e volta a terceira posição.

Augusto Fernandez conquista sua primeira vitória na temporada e quebra um jejum de mais de 2 anos sem vencer corridas no Mundial de Motovelocidade. (Desde do GP de San Marino de 2019) Uma merecida vitória de Fernandez, que dá a equipe Ajo o primeiro triunfo do ano de 2022.

Aron Canet emplaca mais um segundo lugar, um ano muito regular do piloto da equipe de Sito Pons, teve calma e teve equipamento para conquistar essa posição. O pódio foi completado por Somkiat Chantra que esta virando uma figurinha constante na festa do pódio, apesar de certa irregularidade que o faz ficar zerado em Austin e em Algarve.

Ainda não foi dessa vez que Cameron Beaubier conquistou seu primeiro pódio da carreira, mesmo assim o 4ºlugar é seu melhor resultado desde da sua integração ao Mundial de Motovelocidade em 2020.

Ai Ogura fez uma corrida apenas regular e chegou na 5ªposição, apesar disso, conseguiu diminuir um pouco a vantagem que Celestino Vietti tem na liderança. O piloto da VR46 teve uma corrida de altos e baixos e ficou na 8ªposição. Seu melhor momento foi na reta final, desde da sua saída de pista ainda na 1ªmetade da corrida (seu pior momento na corrida) até o final da corrida, Vietti reagiu muito bem e salvou um razoável resultado, mas seu final de semana foi ruim e seu desempenho já não foi tão bom assim em Algarve (apesar do 2ºlugar). Apesar da liderança do campeonato, é bom que a VR46 e o próprio Vietti precisa melhorar para não só manter a liderança como também se consolidar na disputa do título.

Marcel Schrotter em mais uma boa corrida chega em sólida 6ªposição, seguido de Joe Roberts da Italtrans em corrida igualmente solida. Atrás de Vietti, chegaram Jorge Navarro, que continua longe do desempenho de Aron Canet e de Stefano Manzi da Yamaha VR46, mais um ótimo resultado do piloto italiano, sendo o substituto de Keminth Kubo pela segunda vez.

Manuel Gonzalez levou a outra moto da VR46 a uma boa 11ªposição. Lorenzo Dalla Porta em da Italtrans, Jeremy Alcoba da IntactGP, Bo Bendsneyder da SAG e Filip Salac da Gresini completaram a zona de pontuação.

Resultado Final da 7ªetapa do Mundial de Motovelocidade – Temporada 2022
GP da França – Le Mans – Bugatti – 25 Voltas – Moto 2

pos piloto equipe moto tempo
1 37 Augusto Fernandez Red Bull KTM Ajo Kalex 40’31.7260
2 40 Aron Canet  Flexbox HP40 Kalex a 3.746
3 35 Somkiat Chantra IDEMITSU Honda Team Asia Kalex a 4.628
4 6 Cameron Beaubier American Racing Kalex a 4.745
5 79 Ai Ogura IDEMITSU Honda Team Asia Kalex a 15.376
6 23 Marcel Schrotter Liqui Moly Intact GP Kalex a 17.547
7 16 Joe Roberts Italtrans Racing Team Kalex a 19.035
8 13 Celestino Vietti Mooney VR46 Racing Team Kalex a 19.854
9 9 Jorge Navarro Flexbox HP40 Kalex a 20.766
10 62 Stefano Manzi Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex a 20.879
11 18 Manuel Gonzalez Yamaha VR46 Master Camp Team Kalex a 21.381
12 19 Lorenzo Dalla Porta Italtrans Racing Team Kalex a 23.892
13 52 Jeremy Alcoba Liqui Moly Intact GP Kalex a 26.881
14 64 Bo Bendsneyder Pertamina Mandalika SAG Team Kalex a 26.952
15 12 Filip Salac Gresini Racing Moto2 Kalex a 32.063
16 24 Simone Corsi MV Agusta Forward Racing MV Agusta a 36.712
17 84 Zonta Van Den Goorbergh RW Racing GP Kalex a 50.822
18 61 Alessandro Zaccone Gresini Racing Moto2 Kalex a 59.691
19 75 Albert Arenas Inde GASGAS Aspar Team Kalex a 1 volta
20 4 Sean Dylan Kelly American Racing Kalex a 2 voltas
21 96 Jake Dixon Inde GASGAS Aspar Team Kalex a 2 voltas
7 Barry Baltus RW Racing GP Kalex a 6 voltas – acidente
42 Marcos Ramirez MV Agusta Forward Racing MV Agusta a 13 voltas – acidente
51 Pedro Acosta Red Bull KTM Ajo Kalex a 15 voltas – acidente
2 Gabriel Rodrigo Pertamina Mandalika SAG Team Kalex a 16 voltas – acidente
21 Alonso Lopez MB Conveyors Speed Up Boscoscuro a 19 voltas – acidente
14 Tony Arbolino Elf Marc VDS Racing Team Kalex a 24 voltas – acidente
54 Fermín Aldeguer MB Conveyors Speed Up Boscoscuro a 24 voltas – acidente
28 Niccolò Antonelli Mooney VR46 Racing Team Kalex a 25 voltas – acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP