Sauber deixa a cena para a entrada da Alfa Romeo

A Sauber depois de uma recuperação  em 2018 ficando em uma respeitável e digna 8ªposição e com a revelação do ano Charles Leclerc (que foi contratado pela Ferrari para essa temporada) A Sauber acabou saindo de cena para a entrada definitiva da Alfa Romeo que já era parceira da equipe Suíça desde do ano passado. Se por um lado se enterra uma história, Uma outra histórica equipe volta a cena definitivamente. Desde de 1985 a Alfa Romeo estava fora da Formula 1 como equipe.

A Alfa Romeo fez os dois primeiros campeões do Mundo: Em 1950 com Giuseppe Farina e em 1951 com Juan Manuel Fangio. Depois acabou sendo fornecedora de Motor entre o final da década de 70 até a década de 80 e Voltando como equipe de 1979 até 1985, Mas não tendo o mesmo sucesso dos anos 50 a Alfa Romeo se retirou da categoria por quase 30 anos, Até a sua volta em 2018 ao fazer parceria com a Sauber. No dia 14 de Fevereiro, Kimi Raikkonen com uma pintura provisória com o Trevo de 4 folhas em forma de coração, em relação ao dia de São Valentin.

Mas a pintura oficial só foi revelada na manhã primeiro dia dos testes de pré-temporada. Essa pintura tem muita diferença em relação ao ano passado. O que mudou foi o logotipo da Alfa Romeo que ficou bem maior do que antes e a mudança de pilotos. Esse ano a dupla de Pilotos será formada pelo Finlandês Kimi Raikkonen e o Italiano Antonio Giovinazzi. (A Itália voltando a ter um piloto desde do ano de 2011 quando teve Jarno Trulli da Lotus como o seu último representante) Se espera-se muito da equipe nessa temporada, Tendo o campeão de 2007 em um dos carros e um jovem talentoso piloto que figurou muito bem na GP2 em 2016. Fez 2 corridas na Formula 1 pela Sauber em 2016. Além de ter um bom orçamento para essa temporada e de uma boa equipe Técnica para o desenvolvimento do carro ao decorrer do ano.

Fotos:

Dados técnico

Chassi: C38 – Monocoque composto de Fibra de carbono
Suspensão dianteiro: Triângulo, mola interna e amortecedor acionados por tirantes
Suspensão traseira: Multilink, mola interna e elementos amortecedores atuados por tirantes
Freios: Pinças de freio da Brembo de 6 pistões, composto de carbono e discos e pastilhas (Carbon Industries)
Transmissão: caixa de câmbio feita de carbono com câmbio rápido de 8 marchas + Marcha Reversa da Ferrari, montada longitudinalmente, embreagem também é composta de carbono
Eletrônica do chassi (CE): MÊS
ERS: Ferrari
Volante: Alfa Romeo Racing
Pneus: Pirelli
Rodas: OZ Racing

Dimensões e peso

Comprimento: 5,500 mm
Largura:2.000 mm
Altura (sem câmera T): 950 mm
Largura da trilha, frente: 1,650 mm
Largura da trilha, traseira: 1.550 mm
Peso: mínimo de 743kg incluindo motorista e Sem o Combustivel

Motor: Ferrari 064
Configuração: 6 Cilíndros – Ângulo de 90 °
Deslocamento: 1.600 cc
Válvulas:4 por cilindro (24 no Total)
Rotações máxima: 15.000 rpm
Carregamento turbo: Único turbo
Fluxo Máximo de Combustível: 100 kg / h
Capacidade máxima de combustível:110 kg
Injeção: 500 bar – direto

Sistema ERS

Energia da bateria (por volta): 4 MJ
Potência de MGU-K: 120 kW
Rotações máximas de MGU-K: 50.000 rpm
Rotações máximas de MGU-H: 120.000 rpm

Pilotos:

7. Kimi Raikkonen (Finlândia)
99. Antonio Giovinazzi (Itália)

Patrocinadores: Alfa Romeo, Carrera, Richard Mille, Axitea, Claro, Singha Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Sauber

Renault quer continuar a evolução com o R.S.19

Rumo aos primeiros lugares a Renault F1 apresentou seu carro para a temporada de 2019. O R.S.19 é o carro que terá como missão não só se consolidar como a 4ªForça como tentar entrar na disputa pelos 3 primeiros lugares no Mundial de Construtores. Desde da sua volta em 2016 a Renault tem progredido na classificação dos construtores. No ano passado alcançaram a 4ªposição no Mundial com 122 pontos.

O presidente da Renault Sport Racing Jérome Stoll Falou do compromisso futuro da Renault com o Esporte: “Na Renault, somos apaixonados pelo automobilismo. Nossa história na F1 continuou ininterrupta por mais de 40 anos. A Fórmula 1 é um espetáculo, é  entretenimento, mas também é o mais alto nível do automobilismo. A paixão pela Fórmula 1 é uma metáfora do espírito de luta, da determinação, da resiliência, mas também do progresso, graças à inovação sem limites que inspira o esporte. Mas essa paixão deve ser temperada com uma dose saudável de realidade. A F1 faz sentido para a Renault, É um laboratório para a nossa futura tecnologia da as ruas, Visto a nova designação de motor – Renault E-Tech 19. É um momento muito emocionante fazer parte da F1. ”

Desde seu retorno à F1 em 2016, a Renault investiu pesado em sua instalações técnicas em Enstone, no Reino Unido, e em Viry-Châtillon, na França.

Em Enstone, a equipe aumentou significativamente a capacidade de produção, com máquinas-ferramentas atualizadas. O que fez a força de trabalho crescer cerca de 50% desde 2016.

Em Viry, um dyno recém-reformado acaba de ser comissionado e será usado durante toda a temporada para desenvolver a unidade de energia, enquanto um programa de construção ambicioso para a construção de novas unidades, departamentos de confiabilidade e um departamento de lojas automatizadas começou recentemente, com conclusão prevista para o ano de 2020.

O Diretor-Geral Cyril Abiteboul falou sobre o objetivo da equipe em 2019: “Lançar todos esses projetos enquanto disputavam o campeonato foi um desafio incrível. nono em 2016 com oito pontos, sexto em 2017 com 57 pontos e quarto no ano passado com 122 pontos. Entramos nesta temporada com o objetivo de manter esse ímpeto forte e medido. Nós não temos como alvo essa ou aquela posição assim como um número de pontos: o que eu quero é ver a equipe continuar sua trajetória de progressão em relação as outras equipes do topo da tabela.

Cyril falou sobre a motivação da dupla de pilotos: “O impulso adicional da parceria Daniel-Nico traz confiança para a equipe nesta temporada. Acredito que temos uma das mais fortes – se não a mais forte dupla de pilotos da Formula 1. Daniel traz experiência comprovada em corrida e conhecimento de uma equipe de ponta, enquanto Nico está com fome. Ele é extremamente subestimado – ele é rápido, determinado e um motivador para a equipe. Individualmente eles são muito fortes e sinto que os 2 se complementam perfeitamente. A energia que eles trazem para a equipe é muito agradável e eu espero que possamos dar um carro competitivo para os dois mostrarem seu talento”.

Em sua 3ªTemporada Nico Hulkenberg vai fazer dupla com o recém-chegado a Renault Daniel Ricciardo que até o ano passado estava na Red Bull.

“Como equipe, Nós desenvolvemos muito desde do inicio do ano de 2017. Quando cheguei, a infraestrutura ainda era muito nova, Percorremos um longo caminho desde de então, com muito progresso. Eu quero extrair o melhor de mim mesmo e Maximizar o potencial da equipe e do novo carro. O importante é que damos um bom salto para a frente como equipe e estamos nos apresentando de maneira mais consistente. Queremos que a tendência de crescimento continue para cima”.

O Recém-Chegado Daniel Ricciardo, Que ganhou 7 corridas pela Red Bull esse ano se junta a Renault: “A Renault tem uma história enorme no automobilismo, Por isso, fazer parte da equipe nesse novo momento é um desafio empolgante. Estou aqui para fazer meu trabalho na pista e pilotar o mais rápido possível. Mas também gostaria de trazer a minha energia para a equipe, ser uma mola nos passos de todos, Porque isso faz parte do meu trabalho e do meu caráter. Eu pretendo ser capaz de fazer a equipe trabalhar um pouco mais, com mais esforço. Eu gostaria de ser um catalisador de energia positiva para todos”.

Com novas instalações e novos motoristas reforçando a confiança, 2019 promete ser um ano interessante dentro e fora da pista para a Renault.

O Layout do carro foi mantido, com bem poucas modificações e os patrocinadores também se mantiveram. Se o carro melhorar e a Red Bull não tiver o motor ainda competitivo pode ser que a Renault almeje mais do que o 4ºlugar dos construtores e quem sabe conseguir o primeiro pódio desde da volta em 2016.

Fotos:

Ficha Técnica:

Chassis: (Renault R.S.19) Fibra de carbono moldada e monocoque composto de favo de mel de alumínio, fabricado pela Renault F1 Team e projetado para máxima resistência com peso mínimo.
Suspensões dianteiras e traseiras: composto de Triângulos feitos de fibra de carbono, rodas de magnésio OZ Racing.
Transmissão: Caixa de câmbio de carbono semiautomática de oito marchas com marcha reversa. Sistema “Quickshift” em operação para maximizar a velocidade das mudanças de marchas.
Sistema de combustível: Célula a combustível de borracha reforçada com Kevlar pela ATL.
Elétrico: Unidade de Controle Eletrônico Padrão da MES-Microsoft.
Sistema de freios: Discos de carbono e almofadas. (Brembo)
Cockpit: Banco do condutor removível feito de composto de carbono anatomicamente formado, com cinto de segurança de seis pontos. O volante integra toda a função eletrônica do carro, Com as pás de troca de marchas, as pás da embreagem e o DRS.

Dimensões:

Dianteira: 1600mm
Traseira: 1550mm
Comprimento total: 5480mm
Altura total do carro: 950mm
Largura Geral: 2000mm
Motor: Renault E-Tech 19
Capacidade do Motor: 1600 Cilindradas (1.6 L)
Numero de cilindros: 6
Número de Válvulas: 24 (4 por Cilindro)
Limite de RPM: 15.000
Carregamento de pressão: Turbocompressor simples, pressão de aumento ilimitada a 5 bar (Atmosfera)
Limite de fluxo de combustível: 100 kg / h
Quantidade de combustível permitida por corrida: 110 kg
Ângulo: 90°

Sistema de Recuperação de Energia:

Rpm MGU-K: Máximo de 50.000 rpm
Potência de MGU-K: Max 120kW
Energia recuperada pela MGU-K: Max 2 MJ / colo
Energia liberada pela MGU-K: Max 4 MJ / volta
MGU-H rpm: 100.000 rpm
Energia recuperada pela MGU-H: Ilimitado
Peso do carro: 743 kg
Peso do motor: Mínimo de 145 kg
Potência total: Mais de 950 hp(Cavalos)
Combustível: BP
Lubrificante: Castrol EDGE
Diretores Técnicos
Chassis: Nick Chester
Motor: Rémi Taffin
Aerodinâmica: Marcin Budkowski

Pilotos:

27. Nico Hulkenberg (Alemanha)
3. Daniel Ricciardo (Austrália)
Patrocinadores: Castrol, Genii, Castrol Edge, Renault, RCi Bank And Services, Infiniti, BP Ultimate,Mapfre, Microsoft

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Renault/F1