Alexandre Rossi repete passeio de 2018 e conquista nova vitória em Long Beach

Grid de Largada:

POSPilotosEquipeMotorTempoFase
127Alexander RossiAndretti AutosportHonda1m06.4811sQ3
29Scott DixonChip Ganassi RacingHonda1m06.7479sQ3
312Will PowerTeam PenskeChevrolet1m06.8748sQ3
42Josef NewgardenTeam PenskeChevrolet1m06.9096sQ3
522Simon PagenaudTeam PenskeChevrolet1m07.1877sQ3
615Graham RahalRahal Letterman LaniganHonda1m07.3052sQ3
728Ryan Hunter-ReayAndretti AutosportHonda1m07.1520sQ2
830Takuma SatoRahal Letterman LaniganHonda1m07.2626sQ2
931Patricio O’WardCarlinChevrolet1m07.2764sQ2
1088Colton HertaHarding RacingHonda1m07.7721sQ2
1198Marco AndrettiAndretti HertaHonda1m08.3746sQ2
1210Felix RosenqvistChip Ganassi RacingHonda1m08.4410sQ2
1319Santino FerrucciDale Coyne RacingHonda1m08.1008sG1
1418Sebastien BourdaisDale Coyne RacingHonda1m07.3135sG2
155James HinchcliffeSchmidt Peterson MotorsportsHonda1m08.1811sG1
1659Max ChiltonCarlinChevrolet1m07.4577sG2
1720Ed JonesEd Carpenter RacingChevrolet1m08.7711sG1
1860Jack HarveyMeyer Shank RacingHonda1m07.5287sG2
197Marcus EricssonSchmidt Peterson MotorsportsHonda1m08.9516sG1
204Matheus LeistAJ Foyt EnterprisesChevrolet1m07.7317sG2
2114Tony KanaanAJ Foyt EnterprisesChevrolet3m22.3800sG1
2226Zach VeachAndretti AutosportHonda1m07.7822sG2
2321Spencer PigotEd Carpenter RacingChevrolet1m07.8763sG1

Nos anos 90, Al Unser jr. se tornou o rei do circuito de rua de Long Beach. 20 anos depois, Um novo piloto se torna o novo dominador desse circuito tradicional. O Norte-Americano Alexander Rossi marcou a pole position e conquistou de maneira incontestável o GP de Long Beach.

No Sábado ele marcou a pole position, O vice-campeão de 2018 teria do seu lado o Neozelandês Scott Dixon da Chip Ganassi. A segunda fila pertenceu aos 2 pilotos da Penske. Will Power larga em 3º e Josef Newgarden logo a seguir larga em 4º. Na terceira fila larga Simon Pagenaud completando o trio da Penske e do Norte-Americano Graham Rahal da equipe do seu pai. (Que vinha de vitória no Alabama) Completando os 10 primeiros colocados: Ryan-Hunter Reay, Takuma Sato, Patricio O’Ward e Colton Herta.

Na largada, Dixon tentou tomar a ponta de Rossi. O norte-americano segurou bem a ponta. Power, Newgardan e Rahal completava os 5 primeiros colocados. Mais atrás tivemos o incidente que provocou a única bandeira amarela: Zach Veach tocou na traseira do Brasileiro Matheus Leist, Isso foi uma reação em cadeia para Pigot bater em Veach e o inglês Jack Harvey passar pela grama e pelo canteiro de rosas. Esse incidente também fez que o sueco Marcus Ericsson fosse envolvido.

Safety Car na pista, Os 4 pilotos que se envolveram nesse incidente tiveram que ir aos boxes, para reparos em seus carros.

Relargada na volta 5, Dixon vai por fora para fazer uma nova tentativa de voltar a ponta, Mas Rossi não deu a chance para o piloto da Ganassi assumir a liderança. A partir dai, O Norte-Americano começou a construir seu domínio. Mais atrás, Colton Herta foi pra cima do Mexicano Particio O’Ward na volta seguinte. Os dois ficaram lado a lado por 2 curvas, até que na curva do jardim que estava machucado o piloto da Harding conquistou a 9ªposição do piloto da Carlin.

Depois disso O’Ward teve problemas de rendimento do seu carro, Começou a perder muitas posições.

Com 11 voltas, Ed Jones parou nos boxes. Tony Kannan também parou cedo, certamente para fazer 3 paradas. A maioria dos pilotos partiram para 2 paradas. Rossi estava 1 segundo e meio de vantagem para Dixon. A partir dai, O piloto da Andretti disparou na ponta. A vantagem em cima do piloto da Ganassi passou para 4 segundos na 19ªVolta. Will Power se aproximou de Dixon, Em 4ºvinha Newgarden que estava longe de Power. Completando os 6 primeiros colocados: Graham Rahal e Ryan Hunter-Reay em 5º e 6ºlugares estava longe um do outro, sem qualquer briga entre eles, Não ameaçando ninguém e sem ser ameaçado por ninguém.

Na Volta 25, com James Hinchcliffe começaram as paradas dos pilotos que fariam 2 paradas, Alexander Rossi foi para a parada na 27ªVolta junto de Scott Dixon. Will Power passou para a liderança por 2 voltas. Na 29ªVolta o Australiano parou nos boxes. Newgarden liderou essa volta e foi parar na 30ªvolta.

Com as paradas, Rossi continua na liderança, Com 5 segundos a frente de Josef Newgarden. O piloto da Penske deu um nó em Will Power e Scott Dixon e assumiu o 2ºlugar. Power superou Dixon durante as paradas e assumiu a 3ªposição. Graham Rahal completava os 5 primeiros colocados.

Na volta 34, Dixon foi para cima de Power, E O Australiano sentiu a pressão e acabou errando, passando reto no final da reta e perdendo 5 posições. Enquanto que Dixon assumiu o 3ºlugar, Seguido de Rahal e Reay Hunter-Reay.

Enquanto os outros brigavam, Rossi abria 8.4 segundos de Josef Newgarden, Era uma prova tranquila e sem adversários para Alexander Rossi. Tony Kannan fez sua segunda parada na 37ªVolta, A corrida estava totalmente comprometida para o líder do piloto da Foyt.

A prova chegou na sua metade e Rossi vinha abrindo mais e mais vantagem para os seus adversários mais próximos. Nada aconteceu na prova durante 14 voltas. Até que na 51ªVolta, Colton Herta perde o controle do carro no final da reta oposta e bate no muro, Danificando sua asa dianteira e um dos eixos do seu carro. Fim de corrida para o jovem piloro da Harding. Não acionaram a bandeira amarela para a sorte de Rossi, Que vinha a mais de 11 segundos a frente de Newgarden.

Na volta 56, Ryan Hunter-Reay foi o primeiro dos líderes a fazer a última parada. Certamente daria para levar na boa 30 voltas do final essa quantidade de combustível a partir daquele momento. O Líder Alexander Rossi parou na 57ªVolta, Igualmente fez o Neozelandês Scott Dixon que acabou tendo problemas com a Mangueira de combustível,  perdendo tempo precioso nessa parada.

Os líderes, Newgarden parou por último, na volta 58. Depois das paradas, Apesar dos retardatários, Rossi vinha na liderança com 9 segundos de frente para Newgarden. Se nada desse errado a prova estava nas mãos do norte-americano. Newgarden vinha em 2ºlugar, levando a Penske nas costas para manter a liderança do campeonato. Com boa vantagem para Graham Rahal, Ryan Hunter-Reay e Scott Dixon. Esses três fizeram uma pela disputa pelo terceiro lugar no final da prova.

Parecia que Dixon não teria muito que fazer, A ultrapassagem era bem difícil. Até que a 3 voltas do final, Hunter-Reay escorrega na entrada da reta oposta, foi essa é a chance para Dixon usar a potência do Push to Pass para ganhar o 4ºlugar no final da reta. O Neozelandês foi para cima de Graham Rahal, O piloto da Rahal estava sofrendo muito com o desgaste de pneus.

Na Volta final, Dixon atacou como pode Rahal. Lá na frente, Rossi levou pela segunda vez seguida em Long Beach. Foi um domínio imenso do piloto da Andretti, A Adaptação de Rossi com esse circuito de rua é impressionante. Foram 20 segundos a frente de Josef Newgarden, O piloto da Penske fez uma bela corrida, mas longe, muito longe mesmo de disputar a vitória.

E ai veio a grande controversa da corrida, Graham Rahal na parte final acabou fritando os pneus, Dixon tentou passar no começo da reta dos boxes e o Filho de Bobby Rahal fechou a porta e segurou o 3ºlugar. Porém, Os comissários da corrida tiraram o pódio de Rahal e deram para Dixon. O motivo foi que o piloto Norte-Americano violou o regulamento, fechando de forma ilegal o piloto da Chip Ganassi.

Na minha opinião, Punição não foi justa. Não vi um lance desleal de Rahal em Relação à Dixon, Era uma volta final e Graham jogou duro. Porém, dentro da esportividade e sem mudar a sua posição duas vezes. Pelo menos, Podemos dizer que Dixon conseguiu recuperar a posição que ele chegaria sem os problemas técnicos que teve na sua segunda parada.

Ryan-Hunter Reay ficou em 5ºlugar, Com Simon Pagenaud terminando a prova a frente de Will Power, que teve um dia frustrante em Long Beach. Completaram os 10 primeiros colocados a prova mais chata da temporada: Takuma Sato da Rahal, James Hinchcliffe da Schmidt e Felix Rosenquist da Chip Ganassi. O Sueco fez uma corrida bem apagada.

A Formula Indy vai dar uma parada de quase um mês, Para as duas corridas em Indianápolis. A primeira será no circuito misto no dia 11 de Maio. No dia 26 do mesmo mês, Teremos a corrida de número 103 das 500 milhas.

Fotos:

Resultado final do GP de Long Beach
Formula Indy – 2019

POSPilotosEquipeMotorVoltaTempo/Abandono
127Alexander RossiAndretti AutosportDallara/Honda851h41m35.5999s
22Josef NewgardenTeam PenskeDallara/Chevrolet85a 20.2359s
39Scott DixonChip Ganassi RacingDallara/Honda85a 25.5745s
415Graham RahalRahal Letterman LaniganDallara/Honda85a 26.4589s
528Ryan Hunter-ReayAndretti AutosportDallara/Honda85a 29.3447s
622Simon PagenaudTeam PenskeDallara/Chevrolet85a 31.5193s
712Will PowerTeam PenskeDallara/Chevrolet85a 33.0529s
830Takuma SatoRahal Letterman LaniganDallara/Honda85a 34.2879s
95James HinchcliffeSchmidt Peterson MotorsportsDallara/Honda85a 40.4643s
1010Felix RosenqvistChip Ganassi RacingDallara/Honda85a 41.3241s
1118Sebastien BourdaisDale Coyne RacingDallara/Honda85a 49.9110s
1231Patricio O’WardCarlinDallara/Chevrolet84a 1 Volta
1398Marco AndrettiAndretti HertaDallara/Honda84a 1 Volta
1459Max ChiltonCarlinDallara/Chevrolet84a 1 Volta
154Matheus LeistAJ Foyt EnterprisesDallara/Chevrolet84a 1 Volta
1620Ed JonesEd Carpenter RacingDallara/Chevrolet84a 1 Volta
1726Zach VeachAndretti AutosportDallara/Honda84a 1 Volta
1821Spencer PigotEd Carpenter RacingDallara/Chevrolet84a 1 Volta
1914Tony KanaanAJ Foyt EnterprisesDallara/Chevrolet83a 2 Voltas
207Marcus EricssonSchmidt Peterson MotorsportsDallara/Honda83a 2 Voltas
2119Santino FerrucciDale Coyne RacingDallara/Honda83a 2 Voltas
2260Jack HarveyMeyer Shank RacingDallara/Honda82a 3 Voltas
2398Colton HertaHarding RacingDallara/Honda50Acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: IndyCar

Haas muda pintura e vai para a temporada de 2019 de Preto e Dourado inspirada na antiga Lotus

A Equipe Haas foi a grande inovação no layout do carro da temporada de 2019, O Carro branco do ano passado acabou dando lugar para o Preto e Dourado. Tudo devido ao novo patrocinador da equipe – A Rich Energy, Uma empresa de Energéticos assim como a Red Bull. A Equipe Norte-Americana no primeiros dois anos conseguiu alguns bons resultados, Mas não tinha consistência na zona de pontuação. Isso foi conseguido na temporada passada, Assim como seus melhores resultados aconteceram no ano passado.  No caso, O GP da Áustria foi o melhor momento da história: Grosjean foi o 4ºlugar e Magnussen foi o 5ºlugar.

Para esse ano a equipe planeja avançar um pouco mais, A equipe quer ultrapassar os 93 pontos da temporada passada e quem sabe conquistar o primeiro pódio da sua história.

Guenther Steiner, Falou sobre o desempenho da equipe no ano passado e a expectativa para 2019.

O Carro do ano passado, mostrou seu potencial nos testes de pré-temporada e a equipe acabou o ano em 5ºlugar, Isso apenas em seu terceiro ano na Formula 1. O Desempenho do VF-18 impressionou no ano passado e pressionou a equipe para fazer do VF-19 também um carro competitivo.

 “É claro que há pressão, já que nosso carro teve um ótimo desempenho no ano passado. Há então pressão para ter um bom carro este ano. Nós não saberemos até que façamos os testes da pré-temporada. As esperanças são de que possamos ter um carro competitivo, mas é o mesmo que todos os outros. ”

Steiner ainda falou sobre a pintura do carro: Muitas pessoas gostam do novo visual. É uma espécie de novo visual antigo (Principalmente pela equipe Lotus), as cores preta e dourada têm uma história na Fórmula 1, nos anos setenta e oitenta em particular.

Mesmo com as mudanças de regas para esse ano com o objetivo de tornar as corridas mais competitivas Steiner acredita em corridas com mais dificuldade de ultrapassagens: “Acho que ultrapassar ainda será difícil, mesmo com as mudanças de regras. Esses carros não ajudam. Vamos ver como essas últimas mudanças vão resultar na Austrália no próximo mês. ”

Romain Grosjean falou que passou suas férias com sua Família.

Não foi um ano muito bom para Grosjean, Apesar disso ele passou para o Q3 por 16 das 21 corridas .“Eu adoro a qualificação. Eu acho que é um ótimo exercício para conseguir uma boa volta, um bom tempo com os novos pneus, é onde você corre o mais rápido ao longo de um fim de semana. É sempre super bom. Dizendo isso, com essas 16 aparições no Q3, tivemos um carro muito bom no ano passado e ele teve um ótimo desempenho. Espero que possamos tentar bater esse número este ano e melhorar ainda mais na pista. ” … “Eu não acho que seja uma pressão. Eu acho que isso é positivo ter tido uma temporada muito boa no ano passado. Nós crescemos e melhoramos como uma equipe. Sabemos que ainda há áreas em que podemos melhorar, e isso é algo para se esperar. A equipe tem trabalhado muito bem, tivemos uma boa temporada, um bom inverno e muita força em 2019. Estou ansioso para pilotar o novo carro. Espero que possamos repetir ou até melhorar o desempenho do ano anterior. ”

Kevin Magnussen também aproveitou as férias para relaxar e descansar com a Família, Depois do Natal e do ano novo o Dinamarquês começou a treinar novamente. Kevin vive seu melhor momento na Formula 1, Após uma grande temporada aonde ele ficou em 9ºlugar no Mundial de pilotos pontuando em 11 corridas.

 “Para nós, como equipe, queremos avançar a cada ano e melhorar a nós mesmos. Queremos aproveitar a experiência que temos e darmos alguns passos em frente a cada ano. No ano passado, demos um grande passo, muito visível, passando do oitavo lugar para o quinto lugar na Classificação dos construtores . É claro que não estamos esperando avançar três posições na classificação este ano, Mas mesmo que possamos dar um pequeno passo à frente, ficaremos felizes porque continuamos a tendência de crescimento que a equipe tem desde o início .

A Haas desde de 2016 tem parceria Técnica com a Ferrari e o Chassis da equipe que tem sua sede na cidade de Kanapolis é produzido pela Dallara. Isso permite que a Haas possa gastar um menor orçamento e obter bons resultados desde do seu primeiro ano. Lutar pelo 4ºlugar no Munidal de Construtores não é fácil, Mas é possível de Acontecer caso o trabalho que faz a equipe continuar a crescer .

Fotos

Dados técnicos

Chassi: VF-19 – Monocoque composto de Fibra de Carbono
Material da Carroceria: Fibra de Carbono
Suspensões: Independentes, Com Molas de Torção ativadas por Pressão
Amortecedores: ZF Sachs
Direção: Ferrari
Caixa de Câmbio: Ferrari, Semi-Automática, 8 marchas + Marcha reversa
Embreagem: AP Racing (Brembo)
Sistema de frenagem: Freios a disco feitos de Fibra de Carbono, Almofadas e Pinças de 6 pistões
Navegação de informações do Cockpit: Ferrari
Cintos: Sabelt
Volante: Ferrari
Assento do Piloto: Construção em Fibra de Carbono, moldada aos contornos do piloto
Rodas: OZ Racing
Pneus: Pirelli P Zero
Célular de Combustível: ATL
Forneceder de Combustivel e de Lubrificante: Shell
Largura Total: 2.000mm
Motor: Ferrari 064 – Turbo
Capacidade: 1.6 Litros
Cilindros: 6 (4 Válvulas por Cilindro)
Rotações por minuto: 15.000 RPM

Pilotos:

20. Kevin Magnussen (Dinamarca)
8. Romain Grosjean (França)

Patrocinadores: Haas, Rich Energy, Jack & Jones, Peak, BlueDEF, Richard Mille, Alpinestars, Branded

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Haas

Sauber deixa a cena para a entrada da Alfa Romeo

A Sauber depois de uma recuperação  em 2018 ficando em uma respeitável e digna 8ªposição e com a revelação do ano Charles Leclerc (que foi contratado pela Ferrari para essa temporada) A Sauber acabou saindo de cena para a entrada definitiva da Alfa Romeo que já era parceira da equipe Suíça desde do ano passado. Se por um lado se enterra uma história, Uma outra histórica equipe volta a cena definitivamente. Desde de 1985 a Alfa Romeo estava fora da Formula 1 como equipe.

A Alfa Romeo fez os dois primeiros campeões do Mundo: Em 1950 com Giuseppe Farina e em 1951 com Juan Manuel Fangio. Depois acabou sendo fornecedora de Motor entre o final da década de 70 até a década de 80 e Voltando como equipe de 1979 até 1985, Mas não tendo o mesmo sucesso dos anos 50 a Alfa Romeo se retirou da categoria por quase 30 anos, Até a sua volta em 2018 ao fazer parceria com a Sauber. No dia 14 de Fevereiro, Kimi Raikkonen com uma pintura provisória com o Trevo de 4 folhas em forma de coração, em relação ao dia de São Valentin.

Mas a pintura oficial só foi revelada na manhã primeiro dia dos testes de pré-temporada. Essa pintura tem muita diferença em relação ao ano passado. O que mudou foi o logotipo da Alfa Romeo que ficou bem maior do que antes e a mudança de pilotos. Esse ano a dupla de Pilotos será formada pelo Finlandês Kimi Raikkonen e o Italiano Antonio Giovinazzi. (A Itália voltando a ter um piloto desde do ano de 2011 quando teve Jarno Trulli da Lotus como o seu último representante) Se espera-se muito da equipe nessa temporada, Tendo o campeão de 2007 em um dos carros e um jovem talentoso piloto que figurou muito bem na GP2 em 2016. Fez 2 corridas na Formula 1 pela Sauber em 2016. Além de ter um bom orçamento para essa temporada e de uma boa equipe Técnica para o desenvolvimento do carro ao decorrer do ano.

Fotos:

Dados técnico

Chassi: C38 – Monocoque composto de Fibra de carbono
Suspensão dianteiro: Triângulo, mola interna e amortecedor acionados por tirantes
Suspensão traseira: Multilink, mola interna e elementos amortecedores atuados por tirantes
Freios: Pinças de freio da Brembo de 6 pistões, composto de carbono e discos e pastilhas (Carbon Industries)
Transmissão: caixa de câmbio feita de carbono com câmbio rápido de 8 marchas + Marcha Reversa da Ferrari, montada longitudinalmente, embreagem também é composta de carbono
Eletrônica do chassi (CE): MÊS
ERS: Ferrari
Volante: Alfa Romeo Racing
Pneus: Pirelli
Rodas: OZ Racing

Dimensões e peso

Comprimento: 5,500 mm
Largura:2.000 mm
Altura (sem câmera T): 950 mm
Largura da trilha, frente: 1,650 mm
Largura da trilha, traseira: 1.550 mm
Peso: mínimo de 743kg incluindo motorista e Sem o Combustivel

Motor: Ferrari 064
Configuração: 6 Cilíndros – Ângulo de 90 °
Deslocamento: 1.600 cc
Válvulas:4 por cilindro (24 no Total)
Rotações máxima: 15.000 rpm
Carregamento turbo: Único turbo
Fluxo Máximo de Combustível: 100 kg / h
Capacidade máxima de combustível:110 kg
Injeção: 500 bar – direto

Sistema ERS

Energia da bateria (por volta): 4 MJ
Potência de MGU-K: 120 kW
Rotações máximas de MGU-K: 50.000 rpm
Rotações máximas de MGU-H: 120.000 rpm

Pilotos:

7. Kimi Raikkonen (Finlândia)
99. Antonio Giovinazzi (Itália)

Patrocinadores: Alfa Romeo, Carrera, Richard Mille, Axitea, Claro, Singha Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Sauber