Domínio da Kawasaki na etapa Tailandesa em Chang – Mundial de Superbike 2016

Resumo de como foi as suas baterias no Circuito de Chang International, Ambas as poles foram do Holandes Michael Van der Mark.

Na 1ªBateria Michael VD Mark largou mal e deixou a liderança para Rea e Sykes enquanto que o jovem piloto da Honda caiu para o 6ºlugar.

Skyes no final da segunda volta tomou a liderança da prova com Rea seguindo de perto, VD Mark tentou buscar os líderes, Mas uma nova escapada de pista quando estava na cola dos pilotos da Kawasaki fez com que o Holandês ficasse mais preocupado em se manter o 3ºlugar, Enquanto que Sykes e Rea disputavam a vitória na primeira bateria que só foi decidida na penúltima volta quando Rea ultrapassou seu companheiro de equipe Tom Sykes e assumiu a liderança para conquistar a vitória na primeira bateria que teve Sykes subindo pela primeira vez no pódio em 2ºlugar e fazendo dobradinha da Kawasaki e VD Mark completando o pódio com a Honda em 3ºlugar.

Já Davide Giugliano acabou na volta final caindo quando tentava lutar pelo 4ºlugar combatendo Chaz Davies que acabou conquistando essa posição. O Italiano acabou voltando a prova, Porém a volta foi inútil pois ele acabou apenas em 18ºlugar fora da zona de pontuação, Completaram os 6 primeiros colocados o Alemão Markus Reiterberger com uma BMW (O melhor resultado da Temporada) e Alex Lowes vencendo a batalha interna com seu companheiro de equipe Pata Sylvain Guintoli que fechou a primeira corrida em 7ºlugar.

Resultado Final da 3ªcorrida da Super Bike – Tailândia

1 1 Jonathan Rea (Kawasaki Racing Team Kawasaki ZX-10R) 31’32.311 – Avg. 173,274 km/h em 20 Voltas
2 66 Tom Sykes (Kawasaki Racing Team Kawasaki ZX-10R) a 0.222
3 60 Michael van der Mark (Honda World Superbike Team Honda CBR1000RR SP) a 9.623
4 7 Chaz Davies (Aruba.it Racing – Ducati Ducati 1199 Panigale R) a 17.167
5 21 Markus Reiterberger (Althea BMW Racing Team BMW S1000 RR) a 18.894
6 22 Alex Lowes (Pata Yamaha Official WorldSBK Team Yamaha YZF R1) a 20.754
7 50 Sylvain Guintoli (Pata Yamaha Official WorldSBK Team Yamaha YZF R1) a 24.221
8 81 Jordi Torres (Althea BMW Racing Team BMW S1000 RR) a 31.064
9 15 Alex de Angelis (IodaRacing Team Aprilia RSV4 RF) a 34.348
10 32 Lorenzo Savadori (IodaRacing Team Aprilia RSV4 RF) a 34.479
11 2 Leon Camier (MV Agusta Reparto Corse MV Agusta 1000 F4) a 37.013
12 40 Ramon Ramos (Team GoEleven Kawasaki ZX-10R) a 41.113
13 151 Matteo Baiocco (VFT Racing Ducati 1199 Panigale R) a 44.369
14 12 Xavi fores (Barni Racing Team Ducati 1199 Panigale R) a 45.053
15 25 Josh Brookes (Milwaukee BMW BMW S1000 RR) a 51.939
16 20 Sylvain Barrier (Pedercini Racing Kawasaki ZX-10R) a 54.314
17 11 Saeed Al Sulaiti (Pedercini Racing Kawasaki ZX-10R) a 1’06.541
18 34 Davide Giugliano (Aruba.it Racing – Ducati Ducati 1199 Panigale R) a 1’09.530
19 9 Dominic Schmitter (Grillini Racing Team Kawasaki ZX-10R) a 1’40.904
20 56 Péter Sebestyén (Team Tóth Yamaha YZF R1) a 1 Volta
21 19 Sahustchai Kaewjaturaporn (Grillini Racing Team Kawasaki ZX-10R) a 1 Volta
22 10 Imre Tóth (Team Tóth Yamaha YZF R1) a 1 Volta
23 14 Anucha Nakcharoensri (Yamaha Thailand Racing Team Yamaha YZF R1) a 3 Voltas

Não Terminaram a corrida:

17 Karel Abraham (Milwaukee BMW BMW S1000 RR) a 1 Volta
69 Nicky Hayden (Honda World Superbike Team Honda CBR1000RR SP) a 11 Voltas


Na 2ªbateria apesar da largada melhor de Michael van der Mark que foi de novo o pole os pilotos da Kawasaki assumiram a liderança da corrida e de novo Tom Sykes e Jonathan Rea disputaram a vitória por maior parte do Tempo, já VD Mark acabou ficando e perdendo o 3ºlugar para Chaz Davies com a Ducati, Na parte final de prova Davies começou a se aproximar dos pilotos oficiais da Kawasaki.

A partir dai foi um troca de posicionamento entre Rea e Sykes com uma evidencia clara de que o campeão de 2015 era superior tanto é que Rea passou por 3 vezes Sykes e assumiu a liderança mas que em curvas seguintes ele acabava perdendo o traçado e dessa forma Sykes recuperava a ponta da corrida. Na volta final Rea passou Sykes e na curva seguinte não espalhou parecendo que a vitória 4 em 4 etapas do WSBK estava sacramentada, Mas ele perde de novo a curva e Tom Sykes passa para a liderança e não perde mais essa posição conquistando a primeira vitória no ano com Rea em 2º e Chaz Davies que ficou colado nos pilotos da Kawasaki sem conseguir uma chance de lutar pela vitória de fato completou o pódio chegando a 314 milésimos do vencedor.

Michael van der Mark confirmou o belo final de semana mesmo sem conseguir disputar a vitória pelo que se imaginava com as 2 poles que ele conquistou, Acabou a corrida em 4ºlugar seguido pelo seu companheiro de equipe o Norte-Americano Nicky Hayden que acabou deixando a primeira corrida com problemas mecânicos, Mas na segunda bateria levou a sua Honda ao 5ºlugar na frente de Sylvian Guintoli que acabou sendo o soldado solitário da equipe Oficial da Yamaha já que o piloto Inglês Alex Lowes acabou caindo na metade da segunda bateria.

Davide Giugliano teve uma exibição péssima ficando apenas em 10ºlugar atrás de pilotos que não tem uma moto tão boa como a Ducati 1199 Panigale R como Markus Reiterberger, Jordi Torres ambos de BMW e de Lorenzo Savadori com a Aprilla. A próxima prova acontece nos dias 2 e 3 de Abril em Aragon na Espanha

Resultado Final da 4ªcorrida da Super Bike – Tailândia

1 66 Tom Sykes (Kawasaki Racing Team Kawasaki ZX-10R) 31’33.493 – Avg. 173,166 km/h
2 1 Jonathan Rea (Kawasaki Racing Team Kawasaki ZX-10R) a 0.190
3 7 Chaz Davies (Aruba.it Racing – Ducati Ducati 1199 Panigale R) a 0.314
4 60 Michael van der Mark (Honda World Superbike Team Honda CBR1000RR SP) a 5.199
5 69 Nicky Hayden (Honda World Superbike Team Honda CBR1000RR SP) a 10.643
6 50 Sylvian Guintoli (Pata Yamaha Official WorldSBK Team Yamaha YZF R1) a 13.068
7 21 Markus Reiterberger (Althea BMW Racing Team BMW S1000 RR) a 14.481
8 81 Jordi Torres (Althea BMW Racing Team BMW S1000 RR) a 14.504
9 32 Lorenzo Savadori (IodaRacing Team Aprilia RSV4 RF) a 21.694
10 34 Davide Giugliano (Aruba.it Racing – Ducati Ducati 1199 Panigale R) a 23.794
11 2 Leon Camier (MV Agusta Reparto Corse MV Agusta 1000 F4) a 27.205
12 40 Ramon Ramos (Team GoEleven Kawasaki ZX-10R) a 32.309
13 151 Matteo Baiocco (VFT Racing Ducati 1199 Panigale R) a 36.672
14 15 Alex de Angelis (IodaRacing Team Aprilia RSV4 RF) a 38.761
15 17 Karel Abraham (Milwaukee BMW BMW S1000 RR) a 39.789
16 25 Josh Brookes (Milwaukee BMW BMW S1000 RR) a 42.840
17 20 Sylvain Barrier (Pedercini Racing Kawasaki ZX-10R) a 46.158
18 14 Anucha Nakcharoensri (Yamaha Thailand Racing Team Yamaha YZF R1) a 1’04.628
19 9 Dominic Schmitter (Grillini Racing Team Kawasaki ZX-10R) a 1’21.675
20 56 Péter Sebestyén (Team Tóth Yamaha YZF R1) a 1’21.687
21 19 Sahustchai Kaewjaturaporn (Grillini Racing Team Kawasaki ZX-10R) a 1 Volta
22 10 irme Toth (Team Tóth Yamaha YZF R1) a 1 Volta

Não Terminaram a corrida:

22 Alex Lowes (Pata Yamaha Official WorldSBK Team Yamaha YZF R1) a 11 Voltas
12 Javier Forés (Barni Racing Team Ducati 1199 Panigale R) a 11 Voltas
11 Saeed Al Sulaiti (Pedercini Racing Kawasaki ZX-10R) a 13 Voltas

Texto: Deivison da Conceição da Silva

Rea abre caminhada para o Bicampeonato da SuperBike com 2 vitórias em Phillip Island

1ªBateria

Apesar de Tom Sykes ter largado na pole position que largou bem foi Jonathan Rea que largou do 3ºlugar para assumir a liderança com Sykes caindo para o segundo lugar e depois vindo Davide Giugliano, Michael Van der Mark, Alex Lowes, Chaz Davies e Nicky Hayden logo a seguir, A Disputa pela liderança estava entre os pilotos da Kawasaki liderados pelo Sykes e Rea, com a Ducati com Giugliano e Davies revezando posições e no meio disso o Holandês Michael van der Mark e um pouco mais atrás na balada vinham Alex Lowes com Yamaha, Nicky Hayden com Honda, Sylvain Guintoli com Yamaha e Lorenzo Salvadori com a Aprilla.

Tivemos momentos em que Sykes estava na liderança e até mesmo o Chaz Davies liderou a corrida, Mas na 9ªVolta Rea passou seu companheiro de equipe Tom Sykes e assumiu a liderança da prova enquanto seu companheiro de Kawasaki começava a cair na classificação perdendo posições para Davies, Giugliano, VD Mark e Hayden ficando mais para Lowes e Guintoli.

Na parte final da corrida Rea e Davies disputavam a vitória, Apesar de toda a garra do Galês da Equipe Aruba.it Racing o Inglês Jonathan Rea resistiu o tempo inteiro até a última volta quando na Curva 8 Davies conseguiu a ultrapassagem, Porém Rea teve a chance na curva seguinte por fora superar o Galês e levar a vitória na primeira bateria a 63 milésimos na frente de Davies com a Ducati que terminou em 2º, Pódio foi completado pelo Holandês Michael van der Mark com a Honda que parece estar melhor para essa temporada.

Davide Giugliano com Ducati, Tom Sykes com Kawasaki e Sylvain Guintoli com a Yamaha que voltou a categoria nessa temporada completaram os 6 primeiros colocados. Muito bom resultado de Leon Camier com a MV Agusta ficando em 7ºlugar, Já Nicky Hayden acabou ficando muito para trás no final de prova ficando em 9ºlugar apenas atrás de Jordi Torres com a BMW, Josh Brookes completou os 10 primeiros colocados.

Resultado Final da primeira bateria da WSBK 2016 – Phillip Island

1. Jonathan Rea (Inglaterra-Kawasaki Racing Team-Kawasaki ZX-10R) 33’47.823 – Avg. 173,607 km/h 22 Voltas
2. Chaz Davies (Pais de Gales-Aruba.it Racing-Ducati 1199 Panigale R) a 0.063
3. Michael van der Mark (Holanda-Honda World Superbike Team-Honda CBR1000RR SP) a 0.487
4. Davide Giugliano (Itália-Aruba.it Racing-Ducati 1199 Panigale R) a 0.647
5. Tom Sykes (Inglaterra-Kawasaki Racing Team-Kawasaki ZX-10R) a 3.429
6. Sylvain Guintoli (França-Pata Yamaha Official WSBK Team-Yamaha TZF R1) a 3.510
7. Leon Camier (Inglaterra-MV Agusta Reparto Corse-MV Agusta 1000 F4) a 10.721
8. Jordi Torres (Althea BMW Racing Team-BMW S1000 RR) a 11.539
9. Nicky Hayden (Estados Unidos-Honda World Superbike Team-Honda CBR1000RR SP) a 15.534
10. Josh Brookes (Austrália-Milwaukee BMW S1000 RR) a 23.239
11. Ramon Ramos (Team GoEleven-Kawasaki ZX-10R) a 23.411
12. Lorenzo Savadori (Itália-IodaRacing Team-Aprilla RSV4 RF) a 24.012
13. Karel Abraham (República Tcheca-Milwaukee BMW S1000 RR) a 37.281
14. Mike Jones (Austrália-Desmo Sport Ducati 1199 Panigale R) a 44.720
15. Sylvain Barrier (França-Pedercini Racing-Kawasaki ZX-10R) a 46.357
16. Dominic Schmitter (Suíça-Grillini Racing Team-Kawasaki ZX-10R) a 1:08.238
17. Saeed Al Sulaiti (Qatar-Pedercini Racing-Kawasaki ZX-10R) a 1:08.299
18. Péter Sebestyén (Hungria-Team Toth-Yamaha TZF R1) a 1:30.771
19. Imre Toth (Hungria-Team Toth-Yamaha TZF R1) a 1 Volta

Não Completaram a corrida:

Markus Reiterberger (Alemanha-Althea BMW Racing Team-BMW S1000 RR) a 1 Volta
Alex Lowes (Inglaterra-Pata Yamaha Official WSBK Team-Yamaha TZF R1) a 6 Voltas
Xavi Fores (Espanha-Barni Racing Team) a 11 Voltas
Alex de Angelis (San Marino-IodaRacing Team-Aprilla RSV4 RF) a 19 Voltas


2ªBateria

rea_wins

Na Bateria de Sábado para domingo foi bem mais difícil para Rea, A Largada que teve Tom Sykes como pole com Davide Giugliano e Jonathan Rea completando a primeira fila. Sykes determinado a vencer a segunda bateria larga bem e assumiu a liderança com Rea, Giugliano, VD Mark e Davies logo a seguir.

Mas logo nas primeiras voltas o Holandês com a Honda já ultrapassava ao Giugliano já assumindo o terceiro lugar e começando a pressionar Rea e Sykes. Dai a prova se acalma com os pilotos da Kawasaki na liderança pressionados por VD Mark com Honda e vindo completar o Grupo os pilotos Chaz Davies e Davide Giugliano com a Ducati, Nicky Hayden com a Honda e Sylvain Guintoli com a Yamaha.

Na 11ªVolta Tom Sykes acabou errando deixando a liderança para o Jonathan Rea com VD Mark e Davies passando Sykes que ficou em 4ºlugar, Duas voltas depois  Michael Van der Mark passou o Campeão de 2015 e assumiu a liderança da corrida e liderou por 7 voltas aonde Rea não conseguia passar o jovem piloto da Holanda que já tinha ido ao pódio na 1ªbateria realizada na madrugada de Sexta para Sábado aqui no Brasil. Rea só conseguiu realizar essa ultrapassagem a 4 voltas do final para voltar a ponta e Davies aproveitou e foi junto assumindo a segunda posição com Van der Mark caindo para o terceiro lugar, um pouco mais atrás Giugliano e Sykes acabaram errando e com isso Hayden e Guintoli aproveitarem e ganharam as posições de ambos.

O Galês Chaz Davies a menos de duas voltas do final passou Rea e assumiu a liderança da prova, parecia que a Ducati iria vencer a segunda Bateria, Mas na reta dos boxes na volta final Rea retornou a primeira posição, Mas teria de aguentar a pressão de Davies que buscava a vitória, Na Honda Corner Davies passa Rea, Mas perde a moto e cai deixando a liderança para Rea que só administrou sua diferença para VD Mark para vencer a segunda bateria e completar o final de semana perfeito com um grande desempenho ficando em 2ºlugar.

Completou o pódio o Italiano Davide Giugliano que reagiu no final passando a Guintoli e nas curvas finais superando o Norte-americano Nicky Hayden que teve uma boa segunda bateria ficando em honroso 4ºlugar com Guintoli em 5º e Tom Sykes deixando a desejar de novo em 6ºlugar após fazer duas poles position nas duas baterias.

Depois de 13 segundos do vencedor vieram completar os 10 primeiros colocados os pilotos Jordi Torres, Markus Reiterberger, o dono da casa Josh Brookes e Chaz Davies que ainda conseguiu voltar a corrida e terminar a prova em 10ºlugar. A Próxima Etapa do Mundial de Superbike acontece nos dias 11 a 13 de Março na Tailândia.

Resultado Final da segunda bateria da WSBK 2016 – Phillip Island

1. Jonathan Rea (Inglaterra-Kawasaki Racing Team-Kawasaki ZX-10R) 33’48.377 – Avg. 173,559 km/h
2. Michael van der Mark (Holanda-Honda World Superbike Team-Honda CBR1000RR SP) a 0.831
3. Davide Giugliano (Itália-Aruba.it Racing-Ducati 1199 Panigale R) a 1.472
4. Nicky Hayden (Estados Unidos-Honda World Superbike Team-Honda CBR1000RR SP) a 1.511
5. Sylvain Guintoli (França-Pata Yamaha Official WSBK Team-Yamaha TZF R1) a 2.439
6. Tom Sykes (Inglaterra-Kawasaki Racing Team-Kawasaki ZX-10R) a 3.320
7. Jordi Torres (Althea BMW Racing Team-BMW S1000 RR) a 13.744
8. Markus Reiterberger (Alemanha-Althea BMW Racing Team-BMW S1000 RR) a 15.084
9. Josh Brookes (Austrália-Milwaukee BMW S1000 RR) a 15.106
10. Chaz Davies (Pais de Gales-Aruba.it Racing-Ducati 1199 Panigale R) a 16.276
11. Karel Abraham (República Tcheca-Milwaukee BMW S1000 RR) a 30.147
12. Ramon Ramos (Team GoEleven-Kawasaki ZX-10R) a 30.251
13. Alex de Angelis (San Marino-IodaRacing Team-Aprilla RSV4 RF) a 30.437
14. Alex Lowes (Inglaterra-Pata Yamaha Official WSBK Team-Yamaha TZF R1) a 39.946
15. Sylvain Barrier (França-Pedercini Racing-Kawasaki ZX-10R) a 53.515
16. Dominic Schmitter (Suíça-Grillini Racing Team-Kawasaki ZX-10R) a 58.450
17. Saeed Al Sulaiti (Qatar-Pedercini Racing-Kawasaki ZX-10R) a 1:01.836
18. Péter Sebestyén (Hungria-Team Toth-Yamaha TZF R1) a 1:30.672
19. Imre Toth (Hungria-Team Toth-Yamaha TZF R1) a 1 Volta Não Completaram a corrida:

Mike Jones (Austrália-Desmo Sport Ducati 1199 Panigale R) a 11 Voltas
Leon Camier (Inglaterra-MV Agusta Reparto Corse-MV Agusta 1000 F4) a 15 Voltas
Lorenzo Savadori (Itália-IodaRacing Team-Aprilla RSV4 RF) a 20 Voltas
Xavi Fores (Espanha-Barni Racing Team) Não Correu

Nome: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Jonathan Rea

Especial Ligier : Temporada de 1987

Após o belo ano de 1986 principalmente na parte inicial a Ligier esperava dias melhores para 1987, Mas esse ano seria marcado por algumas bombas em que iriam fazer dessa temporada uma temporada bem ruim.

A primeira bomba para o time Francês foi que a Renault tirou o time de campo e deixa eles e a Lotus sem motor, Mas a Ligier já tinha um projeto em segredo com a Alfa Romeo para fazer a temporada de 1987. Era um motor de 4 Cilindros Turbo e que foi começou a ser testado pelos pilotos Rene Arnoux que continuava na Ligier e seria o primeiro piloto da equipe e do Quase folclórico Italiano Piercarlo Ghinzani.

Nem chegou a competir

Desde do começo dos testes o Motor Alfa Romeo Turbo L4 com seus 900 cavalos se revelava um motor lento e que não deu o resultado esperado. A Brincadeira acabou em Fevereiro de 1987, Quando Rene Arnoux fez uma série de Críticas para o motor novo da Alfa Romeo o que acabou deixando a cúpula da montadora irritada (que é uma das empresas da FIAT) desistir do projeto e abandonar de vez a Formula 1.

Ligier-Alfa

Essa foi a segunda bomba que se soltou para o Time Azul que poderia ter virado uma Ferrari azul se tivesse continuado o acordo com o Alfa Romeo, Mas também havia interesse em acabar com a participação da Alfa Romeo na Formula 1 para que a FIAT tinha duas marcas dela. Eles preferiam investir na poderosa Ferrari e encerrar a história da Alfa na F1.

Com isso o time tinha problema em arranjar motores para a temporada de 1987, Conseguiu um Acordo com o Motor BMW que era preparado pela empresa Megatron, Problema resolvido e podemos ir para o começo da temporada no Brasil, Certo?

Não, muito errado, porque o Chassi precisava ser adaptado para esse motor e com isso acabou que nenhum dos dois carros foi para o Grid de Largada no Brasil o JS29 foi aposentado sem se quer disputar uma corrida; Com o novo motor o Chassi sofreu alterações e com isso o Nome do Chassi foi modificado para JS29 B que foi projetado por Michel Tétu (Diretor Técnico), Claude Gallopin (Design) e Henri Durand (Aerodinâmica)

Finalmente no GP de San Marino a Ligier faz sua estreia no campeonato em Imola, Depois de tudo que aconteceu se esperava que pelo menos o carro fosse bom e o Motor rendesse bem. Nos Treinos Arnoux conseguiu o 13ºlugar e Ghinzani ficou em 19º, Mas na corrida Arnoux nem largou e Ghinzani durou 7 voltas na corrida abandonando com problemas de dirigibilidade, Um mal começo de temporada.

Duas semanas depois na Bélgica numa corrida pra lá de confusa e cheio de abandonos e quebras os dois pilotos da Ligier conquistaram os melhores resultados na temporada, Rene Arnoux que largou do 16ºlugar completou a corrida em 6ºlugar e Piercarlo Ghinzani ficou em 7ºlugar após largar em 17º, Era um momento em que dava esperança para o time Francês.

Mas em Mônaco a realidade voltou a ser dura com um desempenho vergonhoso nos Treinos (Ghinzani em 20º e Arnoux em 22º) e na corrida se comprovou toda a falta de capacidade do carro dessa temporada, Ambos ficaram a 4 voltas do Ayrton Senna em 11º e 12ºlugares Com Arnoux na Frente.

Na Quinta-Etapa nos Estados Unidos nas Ruas de Detroit a Ligier foi tão mal como em Mônaco o que prova que o Chassi era muito ruim mesmo com um motor potencialmente razoavelmene potente. Arnoux que largou em 21ºlugar chegou ao final da prova apenas na 10ªposição, Já Ghinzani largando de 23º abandonou com problemas na Embreagem. Após essa corrida o JS29B foi aposentado e dai Surgiu o JS29C que era uma tentativa de melhora de desempenho. Com o Mesmo motor Megatron a Arrows estava com 4 pontos e com desempenhos bem melhores do que os desempenhos do time Francês.

A Estreia do novo Chassi acontecia em Casa no Circuito de Paul Ricard, nos treinos o novo chassis e o motor BMW (Megatron) surtiram efeito: Arnoux largaria em 13º e Ghinzani em 17º, Já na corrida Arnoux vinha numa boa 8ªposição até o Exaustor quebrar na 33ªVolta enquanto Ghinzani teve seu motor quebrado na 25ªvolta.

Na Inglaterra foi muito ruim: Ghinzani foi desclassificado por irregularidades no abastecimento de combustível e Arnoux largando de 16º teve problemas elétricos e abandonou a corrida. Em Hockenheim mais uma chance de uma boa corrida ainda mais com Arnoux largando em 12ºlugar e Ghinzani em 17º, Mas na corrida os mesmos problemas que os pilotos tiveram em Silverstone acabaram seguindo ambos Arnoux na volta 7 com problemas elétricos, Ghinzani vinha para uma boa 5ªposição até que na volta 32 o motor quebra e o piloto italiano ver os pontos escaparem das mãos dele.

No Leste da Europa na Hungria finalmente um Ligier volta a ver a linha de chegada: Ghinzani largando do 25ºlugar terminou a prova em 12º a 3 voltas de Piquet, Arnoux que tinha largado em 19º teve problemas elétricos e deixou a prova na volta 58. Na Áustria foi umas melhores corridas da Ligier no ano com uma boa atuação de Ghinzani que ficou em 8ºlugar chegando a estar em 7ºlugar perto de marcar um ponto após largar da 18ºposição na Frente de Arnoux que ficou em 10ºlugar largando do 16ºlugar.

Na Itália mais um desempenho decente da Ligier com Ghinzani superando de novo a Arnoux ficando em 8ºlugar, Já Arnoux ficou em 10ºlugar. Esperava-se um final de ano um pouco melhor para os Franceses.

No Entanto a equipe francesa só teria decepções. Em Portugal Arnoux largou em 18º e abandonou com problemas de radiador e Ghinzani teve problemas de Ignição após largar de 23º. Indo para a Espanha Arnoux largaria uma boa 14ªposição e poderia sonhar com pontos, Mas bateu na 56ªvolta, Ghinzani largando do 23ºlugar deixou a prova com problemas de ignição.

Partido para o México mais uma prova zerada para a Ligier. Arnoux com problemas de ignição do seu ligier e Ghinzani com problemas de aquecimento acabaria derrotada na 49ªVolta quando vinha na 6ªposição. Na Etapa de Suzuka no Japão problemas de combustível acabaram com a corrida de ambos ainda assim Ghinzani foi classificado como o 13ºLugar a 5 voltas do Vencedor.

Na última corrida da temporada em Adelaide na Austrália uma quebra de Motor de Ghinzani que largou em 22º e problemas elétricos com Arnoux que largou em 20ºlugar encerrando uma péssima temporada para o time azul. 1 ponto graças ao 6ºlugar de Arnoux no GP da Bélgica, Após essa temporada a Ligier voltava a ser uma mera coadjuvante do Grid da Formula 1 após 2 anos promissores. Para a Ligier era aguardar um melhor campeonato em 1988.

Números da Ligier no ano de 1987:

GPs: 30 (Largou em 28 GPs)
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 1
Motor: Megatron BMW M12/13 S4
Potência: 885 Cavalos
Pilotos:
Rene Arnoux
Piercarlo Ghinzani
Pneus: Goodyear
Número de voltas completadas: 1.133
Chassi: JS29/JS29B/JS29C
Amortecedores: Koni
Freios: Brembo
Transmissão :  Ligier / Hewland

Ficha técnica do Motor L4 turbo Alfa Romeo

Potencia: 900 hp a 10500 rpm
RPM máximo: 11500 rpm
Peso: 135 Kg com os turbos

Fotos:

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Bestlap/Formel1mic

Especial Ligier: 19761977197819791980198119821983 – 19841985 – 1986

Cockpit Manager 14 – Jogo da Arrows de 1984 até 2083 para download

Esse é o segundo Jogo que agente disponibiliza para vocês. E do database oficial  do Jogo Cockpit Manager 14 da Cartola Games de 1984 e a equipe que foi escolhida é a Arrows que em 100 anos ganhou 14 títulos, Após anos de dificuldade nos últimos 25, 30 anos o time passou a ser o melhor time da categoria. Lembrando que não aceitamos jogos com Cheat e com Trapaça, nós repudiamos isso terminantemente.

Veja as imagens e o Retrospecto do time em 100 campeonatos disputados:

Campeões de pilotos  e de Construtores:

Desempenho da Arrows nos 100 anos:

Situação da Arrows Após 100 anos de Competição:

Hall da Fama em 2083:

Arrows 1984-2083

Motores Usados:

BMW 21
Porsche 8
Ford 6
Honda 4
Zakspeed 3
FIA 8
Hart 26
Alfa Romeo 15
Matra 2

GPS: 1600
Vitórias: 261
2ºlugar: 221
3ºLugar: 206
Pontos: 5511
Mundial de pilotos: 20
Mundial de Construtores: 14

Download do Save : http://depositfiles.org/files/uqqmur239

Requisitos para o Jogo ser aceito para entrar no Hall da Fama:

jogar pelo menos 25 temporadas
ter pelo menos 5 títulos de pilotos e de Construtores
Não pode colocar o save do jogo com a temporada pela metade (Só quando a temporada tiver terminada ou quando a outra estiver recém-inaugurada quando ainda vai se fazer a primeira prova do campeonato!)

Veja aqui as quatro primeiras partes do jogo Cockpit Manager 14
Parte 1Parte 2Parte 3Parte 4

Lembrete: Para adquirir esse jogo basta fazer o Download do Cockpit Manager 14 nesse site: http://www.cartolagames.com.br/pt/cockpitmanager – E você terá esse jogo numa versão com menos funcionalidades, Para adquirir o Registro para liberar todas as Funcionalidades do jogo você terá de pagar a quase que irrisória quantia de R$ 12,90 mais alguns impostos que nada de passar dos 15 Reais. Lembrando o Portalsportszone não vai passar Registro de maneira nenhuma desse jogo, Quem pedir Registro por aqui terá a mensagem apagada!

Jogos para Download

Jogo da Arrows de 2000

Databases para Download

Super Monaco GP 1
Formula 1 1986
Indycar 1991
Formula 1 1992
Carnaval Rio de Janeiro 1984
Indycar 1993

Que tal uma proposta nova de campeonato : Brasil Le Mans Series

Depois de vermos tanto a crise do automobilismo Brasileiro que está de Mal a pior salvo com algumas exceções como o automobilismo Gaúcho. Portanto temos aqui o compromisso de fazer sugestões para o automobilismo Brasileiro e nossa primeiras das ideias vem inspirado no American Le Mans Séries que tem seu próprio campeonato de Endurance.

Seria uma espécie de Brasil Le Mans Series que teria um campeonato realizado em 10 corridas Reunindo a Junção de provas tradicionais no automobilismo brasileiro com novas provas que podem ser criadas para aumentar a força do Automobilismo nacional tendo pilotos Brasileiros e até mesmo pilotos vindos do exterior (Seja da Europa, Seja dos Estados Unidos, Seja da Argentina e até do resto do mundo) correndo aqui. Cada mês teria uma corrida do campeonato e teria transmissão para todo o mundo pela Internet e na TV por assinatura.

Esse protótipo e outros carros famosos pelo mundo inteiro podem disputar um empolgante campeonato!

Calendário do Campeonato

1ªEtapa – 1000 milhas de São Paulo (Pontuação Dobrada)
2ªEtapa – 500 km do Nordeste (Caruaru)
3ªEtapa – 3 Horas de Tarumã
4ªEtapa – 500 km de Goiânia
5ªEtapa – 24 Horas de Guaporé (Internacional Guaporé 24 Hours) (Pontuação Triplicada)
6ªEtapa – 500 km de São Paulo
7ªEtapa – 6 horas de Cascavel
8ªEtapa – 500 milhas da América do Sul (Rivera-Uruguai)
9ªEtapa – 6 Horas de Londrina
10ªEtapa – 12 Horas de Tarumã (Pontuação Dobrada)

Pontuação valendo em todas as categorias separadas:

Pole position: 02 Pontos

Melhor Volta da corrida: 02 Pontos

1ºLugar: 30 Pontos
2ºLugar: 25 Pontos
3ºLugar: 21 Pontos
4ºLugar: 18 Pontos
5ºLugar: 16 Pontos
6ºLugar: 14 Pontos
7ºLugar: 12 Pontos
8ºLugar: 11 Pontos
9ºLugar: 10 Pontos
10ºlugar:09 Pontos
11ºLugar:08 Pontos
12ºlugar:07 Pontos
13ºLugar:06 Pontos
14ºLugar:05 Pontos
15ºLugar:04 Pontos
16ºLugar: 03 Pontos
17ºLugar: 02 Pontos
18ºLugar: 01 Ponto

Categorias e com exemplos de Respectivos carros:

Serie Protótipos 1

Protótipos Brasileiros e Estrangeiro Fechados

Carros como esses podem vim disputar o Brasil Lemans Series como a Toyota
Protótipo da Mazda
Oswaldo Negri disputando a Brasil Lemans Series – Já pensaram nessa possibilidade?

Serie Protótipos 2

Protótipos Brasileiros e Estrangeiro Abertos

Protótipo do Pescarolo!
Vencedor das 12 Horas de Tarumã de 2012 com seu protótipo Aberto
Até mesmo os Protótipos caseiros feitos aqui mesmo no Brasil podem entrar como é no caso desse protótipo Amarelo

Turismo – Serie 1

Carros de Turismo de alta Performance com motores acima dos 400 Cavalos de Potência

Exemplo disso:

Aston Martin DBS – 510 Cavalos – Câmbio: 6 Marchas – Preço : R$ 1.600.000,00
Audi R8 GT – 560 Cavalos – Câmbio: 6 Marchas Automático – Preço : R$ 1.200.000,00

BMW X6

BMW X6 – 555 Cavalos – Câmbio: 8 Marchas Automático – Preço : R$ 525.000,00

Chevrolet Camaro

Chevrolet Camaro – 406 Cavalos – Câmbio: 6 Marchas Automático – Preço : R$ 210.000,00
Ferrari F12 Berlinetta – 740 Cavalos – Câmbio: 7 Marchas Automático – Preço : R$ 2.900.000,00
Jaguar XK – 550 Cavalos – Câmbio: 6 Marchas Automático – Preço : R$ 620.000,00

Lamborghini Aventador – 700 Cavalos – Câmbio: 7 Marchas Automático – Preço: R$ 2.900.000,00
Maserati Quattroporto – 530 Cavalos – Câmbio: 8 Marchas Automático – Preço: R$ 950.000,00
Mercedes SLS 63 AMG – 571 Cavalos – Câmbio: 7 Marchas Automático – Preço: R$ 650.000,00


Porsche 911 Turbo S – 520 Cavalos – Câmbio: 7 Marchas Automático – Preço: R$ 1.100.000,00

Turismo – Serie 2

Carros de Turismo Com menos de 400 cavalos de Potência:

Exemplos:
Audi A8 – 372 Cavalos – Preço: R$ 622.700,00

Audi TT

Audi TT RS – 340 Cavalos – Preço R$ 393.800,00
BMW 335i – 306 Cavalos – Preço R$ 289.950,00
BMW X5 – 330 Cavalos – Preço R$ 429.950,00
Chrysler C300 – 296 Cavalos – Preço R$ 154.500,00

Ford Fusion

Ford Fusion – 240 Cavalos – Preço R$ 124.990,00
Ford Edge – 289 Cavalos – Preço R$ 159.990,00
Honda Accord – 280 Cavalos – Preço R$ 147.900,00
Hyundai Genesis – 290 Cavalos – Preço R$ 222.938,00
Hyundai Equus – 366 Cavalos – Preço R$ 320.000,00
Jaguar XF V6 – 340 Cavalos – Preço R$ 305.900,00
Jaguar F-Type – 380 Cavalos – Preço R$ 500.500,00

KIA Cadenza

KIA Cadenza – 290 Cavalos – Preço R$ 139.990,00
KIA Sorento – 278 Cavalos – Preço R$ 149.900,00
Lexus LS460L – 347 Cavalos – Preço R$ 524.000,00
Mercedes SL 350 – 316 Cavalos – Preço R$ 540.000,00
Mercedes CL 350 – 306 Cavalos – Preço R$ 770.000,00
Mitsubishi Lancer Evolution – 295 Cavalos – Preço R$: 219.990,00
Porsche Boxster – 315 Cavalos – Preço R$ 399.000,00
Subaru Forester S Turbo – 270 Cavalos – Preço R$ 135.000,00

Subaru na Brasil Le Mans Series

Subaru Imprensa – 310 Cavalos – Preço R$ 255.000,00
Toyota Camry – 277 Cavalos – Preço R$ 146.650,00
Volkswagen CC – 300 Cavalos – Preço R$ 184.990,00
Volkswagen Touareg – 360 Cavalos – Preço R$ 267.990,00
Volvo S60 – 304 Cavalos – Preço R$ 205.950,00

Alfa Romeo 155 apesar de não citado podem ser um carro a entrar nesse torneio.

Turismo – Série 3
Carros de Turismo Nacionais que tenham sido construidos no Brasil

Exemplo disso:

Chevrolet Celta – R$ 30.240,00
Chevrolet Sonic Sedan – R$ 59.450,00
Citroën Picasso – R$ 57.290,00

FIAT da Charrua no Automobilismo Gaúcho

FIat Bravo – R$ 68.500,00
Fiat Palio – R$ 40.750,00
Fiat Siena – R$ 32.400,00
Fiat Uno – R$ 34.520,00
Fiat Fiesta – R$ 39.990,00
Ford Ka – R$ 28.600,00

Honda Civic

Honda Civic – R$ 83.990,00
Pegueot 207 – R$ 37.990,00
Pegueot 208 – R$ 55.990,00
Renault Logan – R$ 42.100,00

Renault Clio

Toyota Corolla – R$ 85.000,00

Turma dos carros nacionais do Endurance RS

Volkswagen Fox – R$ 47.770,00
Volkswagen Gol – R$ 49.450,00
Volkswagen Voyage – R$ 49.990,00
Volkswagen Golf – R$ 63.010,00
Volkswagen Polo Sedan – R$ 56.650,00

Esse projeto é que eu tenho em mente caso a JAC Motors queira entrar no Automobilismo Brasileiro um campeonato de Endurance - Já pensou esse carro no Brasil Le Mans Series. Obs: Essa Machadinha é uma referência a Xangô sim. (Nunca tivemos uma pintura de carro que evidência afro no Automobilismo Brasileiro)
Esse projeto é que eu tenho em mente caso a JAC Motors queira entrar no Automobilismo Brasileiro um campeonato de Endurance – Já pensou esse carro no Brasil Le Mans Series. Obs: Essa Machadinha é uma referência a Xangô sim. (Nunca tivemos uma pintura de carro que evidência afro no Automobilismo Brasileiro)

Como seria a Arrecadação de Recursos da Categoria:

Cotas de patrocinadores:

Nos Autódromos:
Cotas Pequenas: R$ 10.000 por corrida para ter 1 a 2 placas de publicidade no Autódromo
Cotas Médias : R$ 32.000 por corrida para ter de 3 a 5 placas de publicidade no Autódromo
Cotas Grandes: R$ 70.000 por corrida para ter de 7 a 10 placas de Publicidade no Autódromo
Cota para ter publicidade nas Revistas, Jornais e Site da Categoria:

Por Mês : R$ 10.000
Por Ano: R$ 100.000
Cota pela publicidade na TV da Categoria:
Por Corrida: R$ 50 mil
Pelo Campeonato todo: R$ 500 mil
Ingresso do Evento:

Treinos livres e Treino de Classificação: Ingressos a 20 Reais
Warm up, Parada com os pilotos e Corrida: Ingressos a 50 Reais

Divisão do Dinheiro: (Tirando Gastos de Organização e de Gastos com o Autódromo)

Publicidade do Evento: de 5 a 10%  da Renda do campeonato
Gasto com a TV: de 40 a 50% da Renda do Campeonato
Gastos com a premiação: de 40% a 55% da Renda do Campeonato

Como seria a premiação do campeonato:
Prototipo 1: 25% da Verba de Premiação
Prototipo 2: 20% da Verba de Premiação
Turismo 1: 25% da Verba de Premiação
Turismo 2: 20% da Verba de Premiação
Turismo 3: 10% da Verba de Premiação

Campeão: Prototipo Series 1 e 2:

Campeão: 50%
Vice: 25%
3ºLugar: 12%
4ºLugar 8%
5ºLugar 5%

Campeão do Turismo 1, 2 e 3:

Campeão: 45%
Vice: 24%
3ºlugar: 15%
4ºLugar 10%
5ºLugar 6%

Exemplo:

Ganhos de dinheiro com esse campeonato: R$ 10.000.000,00

Publicidade do Evento: R$ 500.000,00 – 5%
Gasto com a TV: R$ 4.500.000,00 – 45%
Gastos com a premiação: R$ 5.000.000,00 – 50%

Verba para a Premiação do Campeonato por Categoria:

Prototipo 1: 25% da Verba de Premiação R$ 1.250.000,00
Prototipo 2: 20% da Verba de Premiação R$ 1.000.000,00
Turismo 1: 25% da Verba de Premiação R$ 1.250.000,00
Turismo 2: 20% da Verba de Premiação R$ 1.000.000,00
Turismo 3: 10% da Verba de Premiação R$ 500.000,00

Premiação para cada categoria:

Prototipo Serie 1:

Campeão: 50% – R$ 625.000,00
Vice: 25% – R$ 312.500,00
3ºLugar: 12% – R$ 150.000,00
4ºLugar 8% – R$ 100.000,00
5ºLugar 5% – R$ 62.500,00

Prototipo Série 2:

Campeão: 50% – R$ 500.000,00
Vice: 25% – R$ 250.000,00
3ºLugar: 12% – R$ 120.000,00
4ºLugar 8% – R$ 80.000,00
5ºLugar 5% – R$ 50.000,00

Campeão do Turismo 1:

Campeão: 45% – R$ 562.500,00
Vice: 24% – R$ 300.000,00
3ºlugar: 15% – R$ 187.500,00
4ºLugar 10% – R$ 125.000,00
5ºLugar 6% – R$ 75.000,00

Campeão do Turismo 2:

Campeão: 45% – R$ 450.000,00
Vice: 24% – R$ 240.000,00
3ºlugar: 15% – R$ 150.000,00
4ºLugar 10% – R$ 100.000,00
5ºLugar 6% – R$ 60.000,00

Campeão do Turismo 3:

Campeão: 45% – R$ 225.000,00
Vice: 24% – R$ 120.000,00
3ºlugar: 15% – R$ 75.000,00
4ºLugar 10% – R$ 50.000,00
5ºLugar 6% – R$ 30.000,00

Vídeo de uma corrida na American Le Mans Séries:

Vídeo de uma corrida do Endurance no Rio Grande do Sul:

É um longo caminho, precisamos da audácia dos Norte-americanos com a Organização dos Gaúchos para fazer desse sonho se tornar Realidade!

No final desse post eu queria mostrar Os Carros mais antigos que também vão poder integrar o Grid do Brasil LeMans Series:

E Se possível podemos convidar nossos amigos e queridos Argentinos do TC2000 e do Turismo Carretera

Agora queremos Saber da sua opinião se vocês concordam com esse campeonato ou não caso ele acontecesse!

Enquetes:

Você Gostaria de uma Categoria inspirada numa American Le Mans Series – Uma Brasil Le Mans Series

Sim, É Necessário esse campeonato pelo Tamanho do País como o Brasil

Sim, Mas eu escolheria um formato diferente desse proposto

Não, Eu não concordo com esse formato de Campeonato de Endurance

Não, É impossível ser feito esse campeonato ser realizado

Não tenho opinião Formada sobre isso




Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Monica Godoy, Endurance RS (Michel Duarte), Cintia Azevedo, Niltão Amaral, Copa Fusca, Scuderia Macchina
Vídeos: GPGaucho /ALMS