Jorge Martin tem final de semana impecável em Mugello, Com Pole no Sábado e Vitória em disputa ferrenha com Bezzecchi e Di Giannantonio

Classificação da Moto 3: Martin marca a 4 pole em 6 corridas

De Começo, Fabio di Giannatonio começou na frente. O piloto da Gresini disposto a dar uma resposta a injusta punição do GP da França que lhe tirou a vitória. Foram 2 grandes voltas sendo o tempo de 1:56.905 a melhor volta nos primeiros 10 minutos.

Após os primeiros 15 minutos de treinamento, Jorge Martin entrou na pista para fazer sua segunda tentativa. O piloto Espanhol marcou 1:56.685, Assumindo a liderança da classificação.

A 20 minutos do final, Marco Bezzecchi entrou na disputa e marcou o segundo tempo. Na volta seguinte o piloto da PruestelGP partiu para tentar a pole. Mas foi Tatsuki Suzuki com 1:56,824 que acabou tomando a 2ªposição do líder do campeonato. Nessa altura do campeonato, Fabio Di Giannatonio já caia para o 4ºlugar. E ele já não conseguia melhorar a sua marca.

Aron Canet decepcionava com o 14ºlugar. Marcus Ramirez mais ainda com o 25ºlugar e Albert Arenas que ganhou a etapa na França vinha em um modesto 15ºlugar.

Nós últimos minutos Canet e Di Giannantonio entre outros pilotos tentaram melhorar seu grid. A pole era caso perdido, Principalmente quando Martin melhorou seu tempo para 1:56.634, A 4ªpole da temporada estava garantido. Com Tatsuki Suzuki largando na segunda posição. A primeira fila foi completada pelo Japonês Ayumi Sasaki que marcou seu tempo no final do treino com sua moto da Equipe Petronas.

A Segunda fila ficou com o Espanhol Aron Canet com a moto da Estrella Galicia, Marco Bezzecchi com a KTM da PruestelGP e Fabio di Giannatonio com a moto da Gresini.

Niccolò Antonelli abre a fila de número 3 com sua Honda da SIC58 Squadra Corse, Adam Norrodin da Petronas e o Espanhol Marcos Ramirez com a moto da Bester Capital Dubai em 9ºlugar. Kaito Toba e Kazuki Mazaki confirmam o bom momento do Japão na Moto 3 com o 10º e 11ºlugares no Grid.

Grid de largada – GP da Itália
Mundial de Motovelocidade – Moto 3 – Mugello

pos Piloto Equipe Moto Tempo
1 88 Jorge Martin Del Conca Gresini Moto3 Honda 1’56.634
2 24 Tatsuki Suzuki SIC58 Squadra Corse Honda 1’56.824
3 71 Ayumu Sasaki Petronas Sprinta Racing Honda 1’56.844
4 44 Aron Canet Estrella Galicia 0,0 Honda 1’56.858
5 12 Marco Bezzecchi Redox PruestelGP KTM 1’56.875
6 21 Fabio Di Giannantonio Del Conca Gresini Moto3 Honda 1’56.905
7 23 Niccolo Antonelli SIC58 Squadra Corse Honda 1’56.937
8 7 Adam Norrodin Petronas Sprinta Racing Honda 1’56.993
9 42 Marcos Ramirez Bester Capital Dubai KTM 1’57.087
10 27 Kaito Toba Honda Team Asia Honda 1’57.266
11 22 Kazuki Masaki RBA BOE Skull Rider KTM 1’57.306
12 19 Gabriel Rodrigo RBA BOE Skull Rider KTM 1’57.358
13 5 Jaume Masia Bester Capital Dubai KTM 1’57.366
14 33 Enea Bastianini Leopard Racing Honda 1’57.463
15 16 Andrea Migno Angel Nieto Team Moto3 KTM 1’57.513
16 8 Nicolo Bulega SKY Racing Team VR46 KTM 1’57.542
17 48 Lorenzo Dalla Porta Leopard Racing Honda 1’57.572
18 14 Tony Arbolino Marinelli Snipers Team Honda 1’57.589
19 17 John McPhee CIP – Green Power KTM 1’57.606
20 65 Philipp Ottl Sudmetal Schedl GP Racing KTM 1’57.637
21 84 Jakub Kornfeil Redox PruestelGP KTM 1’57.678
22 75 Albert Arenas Angel Nieto Team Moto3 KTM 1’57.745
23 76 Makar Yurchenko CIP – Green Power KTM 1’57.779
24 96 Manuel Pagliani Leopard Junior Team Honda 1’57.863
25 40 Darryn Binder Red Bull KTM Ajo KTM 1’58.181
26 72 Alonso Lopez Estrella Galicia 0,0 Honda 1’58.319
27 10 Dennis Foggia SKY Racing Team VR46 KTM 1’58.458
28 41 Nakarin Atiratphuvapat Honda Team Asia Honda 1’58.578
29 81 Stefano Nepa NRT Junior Team KTM 1’59.143
30 11 Livio Loi Reale Avintia Academy KTM 1’59.711

Domingo de Sol em Mugello, Um dia lindo de sol para 30 pilotos disputarem as 20 voltas da 6ªEtapa da Moto 3.

Martin largou muito bem, Manteve a liderança. Marco Bezzecchi subiu do 5º para o 2ºlugar, Ayumi Sasaki, Tatsuki Suzuki e Fabio di Giannantonio completando os 5 primeiros colocados. Logo de começo da prova, Di Giannatonio foi para cima dos 2 japoneses. Em 1 volta e meia o Italiano já estava em 3ºlugar, Na volta seguinte o piloto da Gresini ultrapassou Marco Bezzecchi. Assumindo a 2ªposição. O piloto Adam Norrodin acabou caindo e deixando a prova.

A partir dai, Os 3 primeiros colocados se distanciaram do resto e passaram a disputar a liderança. A partir do Tony Arbolino, Aron Canet, Gabriel Rodrigo, Enea Bastianini, Tatsuki Suzuki, Jamie Masla e Darryn Binder entre outros pilotos, Eram 17 pilotos no total disputando posição.

Bezzecchi, Di Giannantonio e Martin se reversavam na liderança da prova. Era o domínio das motos da Gresini contra o jovem talento que era o Marco Bezzecchi . (Que até no ano passado andava na parte de trás do grid, Muito por causa da Mahindra que estava abandonando a moto 3)

A 7 Voltas por final, Jorge Martin ficou a muito pouco de atropelar um Servo (Pequeno animal) que cruzava a pista. Se acontecesse uma tripla queda a vitória poderia estar nas mãos do segundo pelotão de prova.

A disputa pelo 4ºlugar a 4 voltas do final estava com Andrea Migno na frente de Arbolino, Gabriel Rodrigo e Enea Bastianini em uma disputa que chegou a ter 17 motos na disputa. Canet vinha decepcionando com a Moto da Estrella Galicia em 15ºlugar.

Lá na frente, Martin manteve na maior parte do tempo com a liderança em suas mãos, Mas tinha Di Giannantonio querendo a vitória e Marco Bezzecchi que estava logo atrás dos dois querendo dar uma cartada para ganhar a prova.

A última volta da prova de revelou uma incrível volta. Tudo porque Marco Bezzecchi arriscou tudo ao passar os dois pilotos da Gresini, Só que ele perdeu a trajetória da curva um e acabou voltando para o terceiro lugar, Atrás de Martin e Di Giannantonio. Parecia que teríamos uma dobradinha da Gresini no pódio.

Nos últimos metros ao invés de Fabio di Giannantonio buscar a vitória acabou Marco Bezzecchi usando melhor a velocidade na retomada para passar o piloto Italiano, Porém a vitória ficou mesmo com Jorge Martin que conquista sua 3ªVitória no ano. Apenas 19 milésimos de vantagem para Marco Bezzecchi que continua líder do campeonato e a 41 milésimos a frente de Fabio di Giannantonio, que ficou em 3ºlugar.

OS três primeiros colocados da corridas são hoje os 3 primeiros lugares no campeonato. Com a diferença que Bezzecchi é o líder do campeonato e Martin esta na vice-liderança. Possivelmente esses três pilotos são os grandes favoritos ao título da Moto 3.

A 10.948 segundos atrás do vencedor, chegou o Argentino Gabriel Rodrigo que ganhou a disputa por essa posição. Chegando a frente de Andrea Migno da Angel Nieto, Enea Bastianini da Leopard Racing e Tony Arbolino da Marinelli.

Lorenzo Dalla Porta, Niccolo Antonelli e Manuel Pagliani (Que correu como convidado pela Leopard Racing) Completaram os 10 primeiros lugares. Aron Canet decepciona mais uma vez, E com o 11ºlugar deixa ele cada vez mais longe da disputa pelo título.

Daqui a duas semanas teremos a prova na Catalunha. A Segunda corrida em Território espanhol do Mundial de Motovelocidade.

Resultado Final – GP da Itália
Mundial de Motovelocidade – Moto 3 – Mugello

pos Piloto Equipe Moto Tempo
1 88 Jorge Martin Del Conca Gresini Moto3 Honda 39’20.810
2 12 Marco Bezzecchi Redox PruestelGP KTM a 0.019
3 21 Fabio Di Giannantonio Del Conca Gresini Moto3 Honda a 0.043
4 19 Gabriel Rodrigo RBA BOE Skull Rider KTM a 10.948
5 16 Andrea Migno Angel Nieto Team Moto3 KTM a 11.083
6 33 Enea Bastianini Leopard Racing Honda a 11.165
7 14 Tony Arbolino Marinelli Snipers Team Honda a 11.194
8 48 Lorenzo Dalla Porta Leopard Racing Honda a 14.567
9 23 Niccolo Antonelli SIC58 Squadra Corse Honda a 14.676
10 96 Manuel Pagliani Leopard Junior Team Honda a 14.682
11 44 Aron Canet Estrella Galicia 0,0 Honda a 14.693
12 17 John McPhee CIP – Green Power KTM a 14.720
13 40 Darryn Binder Red Bull KTM Ajo KTM a 14.733
14 75 Albert Arenas Angel Nieto Team Moto3 KTM a 14.770
15 42 Marcos Ramirez Bester Capital Dubai KTM a 15.237
16 71 Ayumu Sasaki Petronas Sprinta Racing Honda a 15.271
17 24 Tatsuki Suzuki SIC58 Squadra Corse Honda a 15.368
18 72 Alonso Lopez Estrella Galicia 0,0 Honda a 15.631
19 65 Philipp Ottl Sudmetal Schedl GP Racing KTM a 15.953
20 27 Kaito Toba Honda Team Asia Honda a 15.983
21 8 Nicolo Bulega SKY Racing Team VR46 KTM a 16.030
22 22 Kazuki Masaki RBA BOE Skull Rider KTM a 22.492
23 84 Jakub Kornfeil Redox PruestelGP KTM a 22.520
24 11 Livio Loi Reale Avintia Academy KTM a 50.691
25 41 Nakarin Atiratphuvapat Honda Team Asia Honda a 1’23.045
76 Makar Yurchenko CIP – Green Power KTM a 2 Voltas
5 Jaume Masia Bester Capital Dubai KTM a 4 Voltas
10 Dennis Foggia SKY Racing Team VR46 KTM a 14 Voltas
81 Stefano Nepa NRT Junior Team KTM a 15 Voltas
7 Adam Norrodin Petronas Sprinta Racing Honda a 18 Voltas

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

Após 1 ano e meio, Lorenzo Finalmente conquista sua primeira vitória pela Ducati

Depois de tanto tempo e de tantas tentativas, Finalmente o Espanhol Jorge Lorenzo que foi contratado a peso de ouro pela Ducati e que passou em branco em 2017. Conseguiu a sua primeira vitória. Após uma corridaça do Gladiador do Asfalto que levou de ponta a ponta.

Na largada, Lorenzo manteve a liderança, Com Rossi em 2º e Marquez passando Petrucci na marra. No que fez o Italiano da Pramac sair da trajetória da pista na segunda curva, Aonde aconteceu o acidente com Dani Pedrosa e com Takaagi Nakagami que acabaram caindo. O Japonês voltou a prova, Mas já muito atrás.

Na primeiras duas voltas tivemos 5 pilotos deixando a prova. Além de Pedrosa e Nakagami acabaram caindo Karel Abraham, Jack Miller e Thomas Luthi.

Marquez foi para cima de Valentino Rossi e acabou levando a segunda posições na 3ªVolta, Com os pneus duros assim como na França ele apostava em ter um melhor desempenho na parte final de prova. Até que na 5ªVolta, Marquez tentou salvar a queda no final do 2ºterco de pista e acabou caindo. Mesmo voltando a prova ele estava já sem possibilidades de um bom resultado.

Ao mesmo tempo que Marquez caiu, Quem crescia na prova era Dovizioso que estava em 4ºlugar. Na 7ªVolta o piloto da Ducati passou Andrea Iannone já entrando no pódio. Na volta seguinte, O Vencedor do ano passado em Mugello deixou para trás o doutor e formou a dobradinha da Ducati. Com os pneus mais duros para o piloto Italiano a prova se encaminhava para Dovi em relação ao Lorenzo que vinha com pneus mais macios.

Rossi começou a perder posições, Andrea Iannone foi para cima do piloto da Yamaha e voltou para o 3ºlugar com sua Suzuki, Voltas depois Rossi vinha sido pressionado pelo Danilo Petrucci com a sua Pramac preta e amarela. (Em uma parceria com a Lamborghini)

No começo da 12ªVolta, em uma linda manobra Danilo Petrucci passava Iannone e Rossi ao mesmo tempo e assumia o 3ºlugar em uma grande corrida de recuperação. O piloto da Movistar Yamaha levou a pior e caiu para o 5ºlugar. Pior estava Marevick Viñales estava em 8ºlugar, Pressionado pelo Álvaro Bautista que vinha fazendo uma belíssima corrida.

Dovizioso vinha na perseguição em cima de Lorenzo, A tendência era ver o Espanhol começar a perder rendimento para o piloto Italiano.

Porém aconteceu exatamente ao contraio da lógica. Com 54ºGraus de temperatura no Asfalto, E com o Decorrer das voltas, Lorenzo continuava rápido enquanto Dovizioso começava a ficar mais atrás a cada volta.

Já Petrucci que chegou a abrir uma pequena vantagem para Rossi, Iannone, Rins e Crutchlow começou a ser pressionado por todos eles na parte final de prova. Provavelmente pelo enorme desgaste de seus pneus. A 4 Voltas do final, Valentino Rossi reassume o 3ºlugar, O piloto da Pramac foi engolido por Iannone, Rins e Crutchlow caindo para o 7ºlugar.

Nas voltas finais, Andrea Iannone tentou por duas vezes passar Rossi. Mas sempre que ele conseguia fazer isso na curva 1 acabava passando do traçado, O Velho italiano conseguiu voltar a posição. Nas últimas voltas, Alex Rins ainda tentou tomar posição do Iannone.

Jorge Lorenzo na reta final de prova disparou na liderança e acabou com mais de 6 segundos de diferença para Andrea Dovizioso conquistando a vitória que ele vinha perseguindo a 24 corridas na Ducati. Foi sua primeira vitória pela fábrica Italiana. Depois da prova ele cravou a sua bandeira na brita do circuito italiano, Ao voltar aos boxes ele estava visivelmente emocionado com sua conquista.

Andrea Dovizioso após 2 quedas, voltou ao pódio com o 2ºlugar que ele teve de segurar na parte final. Valentino Rossi conseguiu tirar 2 segundos da vantagem para o piloto da Ducati que chegou 2 décimos a frente dele.  O piloto da Yamaha com seus 39 anos fechou o pódio e agora esta a 23 pontos atrás de Marc Marquez, Na vice-liderança do Mundial de Pilotos.

Andrea Iannone e Alex Rins com a Suzuki fizeram um bom papel e conquistaram o 4º e 5ºlugares separados por 22 milésimos a favor do Italiano.

Cal Crutchlow em corrida discreta, Porém levou bem a melhor Honda da prova até o 6ºlugar. Um final de semana bem fraco da toda poderosa após 4 vitórias seguidas. (Com o próprio Crutchlow na Argentina e com as 3 vitórias de Marquez: EUA, Espanha e França)

Apesar do 7ºlugar, Danilo Petrucci fez uma bela corrida de recuperação após ser empurrado pelo Marquez na 2ªcurva e isso teve consequências com o seu final de prova. Já que ele precisou desgastar muito mais os pneus para subir na classificação. Marevick Viñales foi apagado, Com uma largada ruim acabou fazendo corrida ruim ficando em 8ºlugar, Sendo pressionado pela Ducati de 2017 do Espanhol Álvaro Bautista que ficou em 9ºlugar em um dia bom para o experiente piloto da Angel Nieto. (Aspar Martinez)

Johann Zarco fez uma corrida bem fraca ficando em 10ºlugar após em nenhum momento ter se destacado minimamente na prova. Pol Espargaró foi o 11ºlugar com a KTM. Seguido pelo Malaio Hafizh Syarhin, Esteve Rabat, Bradley Smith e Franco Morbidelli que completaram a zona de pontuação.

Marc Marquez acabou em 16ºlugar, Sem pontuar o campeonato volta a ficar em aberto. A próxima corrida será no Circuito da Catalunha, a 7ªEtapa do campeonato e a 2ª em Solo espanhol.

Resultado final da 6ªEtapa do Mundial de Motovelocidade
MotoGP – GP da Itália – Mugello

pos Piloto Equipe Moto Tempo
1 99 Jorge Lorenzo Ducati Team Ducati 41’43.230
2 4 Andrea Dovizioso Ducati Team Ducati a 6.370
3 46 Valentino Rossi Movistar Yamaha MotoGP Yamaha a 6.629
4 29 Andrea Iannone Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 7.885
5 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 7.907
6 35 Cal Crutchlow LCR Honda CASTROL Honda a 9.120
7 9 Danilo Petrucci Alma Pramac Racing Ducati a 10.898
8 25 Maverick Vinales Movistar Yamaha MotoGP Yamaha a 11.060
9 19 Alvaro Bautista Angel Nieto Team Ducati a 11.154
10 5 Johann Zarco Monster Yamaha Tech 3 Yamaha a 17.644
11 44 Pol Espargaro Red Bull KTM Factory Racing KTM a 20.256
12 55 Hafizh Syahrin Monster Yamaha Tech 3 Yamaha a 22.435
13 53 Tito Rabat Reale Avintia Racing Ducati a 22.464
14 38 Bradley Smith Red Bull KTM Factory Racing KTM a 22.495
15 21 Franco Morbidelli EG 0,0 Marc VDS Honda a 26.644
16 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda a 39.311
17 10 Xavier Simeon Reale Avintia Racing Ducati a 1’01.211
18 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 5 Voltas
41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Team Gresini Aprilia a 4 Voltas
43 Jack Miller Alma Pramac Racing Ducati a 22 Voltas
12 Thomas Luthi EG 0,0 Marc VDS Honda a 22 Voltas
26 Dani Pedrosa Repsol Honda Team Honda a 23 Voltas
17 Karel Abraham Angel Nieto Team Ducati a 23 Voltas
45 Scott Redding Aprilia Racing Team Gresini Aprilia a 23 Voltas

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

Valentino Rossi Conquista a pole em Mugello, superando favoritismo de Ducati e Iannone.

O velho Valentino Rossi, Com os seus 39 anos conquistou agora a pouco a pole position no circuito de Mugello na Itália. Superando o favoritismo da Ducati que teria vantagem com a grande reta e o circuito favorável a moto italiana.

Rossi superou Jorge Lorenzo, Marevick Viñales e o seu desafeto Marc Marquez que não conseguiu ir além da 6ªposição.

Q1:

O Favoritismo era de Marevick Viñales e de Dani Pedrosa, Mas o que se viu na pista foi um piloto da Honda completamente perdido o tempo todo. Vendo Marevick Viñales dominar o treino na primeira parte com Esteve Rabat com a Ducati de 2017 da Avintia seguindo o piloto da Yamaha, Em 2ºlugar.

Essa situação durou até os minutos finais. Jack Miller voou com sua Ducati da Pramac e tomou a liderança de Viñales. Na parte final do treino, Percebendo que era um problema a presença de Rabat atrás dele, antes da Volta final o Espanhol deixou Rabat ultrapassar. O piloto da Avintia não teve mais como ameaçar a classificação nem de Viñales e nem de Miller.Pedrosa? foi um vexame e vai largar apenas em 20ºlugar. Em nenhum momento ele conseguiu brigar pela vaga no Q2.

Hafish Syarhin fez um belo treino, Ficando com o 4ºlugar no Q1 e com o 14ºlugar. Destaque negativo para a Aprilla que não teve um bom dia. Aleix Espargaró ficou com o 21ºlugar no Grid de largada e Scott Redding ficou com o 23ºlugar.

Classificação do Q1:

pos Piloto Equipe Moto Tempo
1 43 Jack Miller Alma Pramac Racing Ducati 1’46.771
2 25 Maverick Vinales Movistar Yamaha MotoGP Yamaha 1’46.806
3 53 Tito Rabat Reale Avintia Racing Ducati 1’46.908
4 55 Hafizh Syahrin Monster Yamaha Tech 3 Yamaha 1’47.188
5 44 Pol Espargaro Red Bull KTM Factory Racing KTM 1’47.335
6 19 Alvaro Bautista Angel Nieto Team Ducati 1’47.708
7 38 Bradley Smith Red Bull KTM Factory Racing KTM 1’47.818
8 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 1’47.868
9 12 Thomas Luthi EG 0,0 Marc VDS Honda 1’47.989
10 26 Dani Pedrosa Repsol Honda Team Honda 1’48.065
11 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Team Gresini Aprilia 1’48.286
12 17 Karel Abraham Angel Nieto Team Ducati 1’48.532
13 45 Scott Redding Aprilia Racing Team Gresini Aprilia 1’48.744
14 10 Xavier Simeon Reale Avintia Racing Ducati 1’48.794

No Q2, Marquez começou na frente com a Honda Repsol. Liderança que durou pouco tempo, Um pressionado Jorge Lorenzo passou para o primeiro lugar. O Espanhol tenta se manter na equipe para 2019, Embora seja a cada dia mais e mais insustentável a continuação dele na equipe italiana.

Marquez na sua segunda tentativa baixou seu tempo para 1:46.454 e voltou a ponta. Andrea Iannone que vinha sendo o melhor piloto do final de semana mostrou suas cartas no Q2. Com uma moto de ótima ciclística como é a Suzuki, Acabou superando a formiga Atômica e tomou a pole position provisória. Na metade do Treino, Iannone com Suzuki, Marquez com Honda, Lorenzo e Petrucci com Ducati e Rossi com Yamaha nas 5 primeiras posições. Dovizioso vinha em 7º.

Na tentativa final dos pilotos de ponta, Marc Marquez não conseguiu reverter seu histórico em Mugello, que não é Brilhante. Em nenhuma das duas voltas que ele deu acabou conseguido melhorar seu tempo.

Lorenzo e Rossi foram para as suas voltas rápidas. E ai, Rossi mostrou aos 39 anos que a sua vontade de vence parece não ter sumido. A volta de 1:46.208 superou a volta de Lorenzo que marcou 1:46.243. Os dois pilotos que duelaram por títulos em 2009 principalmente são os 2 pilotos que largam na primeira fila junto de Marevick Viñales que completa a primeira fila. Desalojando Andrea Iannone da fila de frente.

Rossi conquistou sua 66ªpole da sua carreira. Uma festa para os seus torcedores, que podem ter a esperança de ver seu ídolo vencendo de novo.

Andrea Iannone leva a Suzuki para o 4ºlugar, Algo a se comemorar ao se tratar de uma moto sem muita potência. Porém, não foi nada bom para dominou os treinos livres em Mugello.

Danilo Petrucci melhorou seu tempo no final e acabou em 5ºlugar. Jogando Marquez para o 6ºlugar no Grid de largada, Fechando a segunda fila. Andrea Dovizioso em busca da recuperação no campeonato larga em 7ºlugar. Seguido por Cal Crutchlow da LCR Honda, e por Johann Zarco que hoje acabou decepcionando.

Na Quarta fila, Vão largar Alex Rins com Suzuki, Jack Miller com a Pramac Ducati de 2017 e Franco Morbidelli com a Marc VDS, Equipe em plena crise e podendo até mesmo deixar a Categoria Principal do Mundial de Motovelocidade.

Amanhã, As 9 da manhã teremos a largada da 6ªEtapa do Mundial de motovelocidade, No circuito de Mugello, na Itália. Pelo que se viu, É a chance dos adversários tirarem pontos do Marquez na classificação geral do campeonato.

Grid de largada – 6ªEtapa do Mundial de motovelocidade
Mugello – MotoGP

pos Piloto Equipe Moto Tempo
1 46 Valentino Rossi Movistar Yamaha MotoGP Yamaha 1’46.208
2 99 Jorge Lorenzo Ducati Team Ducati 1’46.243
3 25 Maverick Vinales Movistar Yamaha MotoGP Yamaha 1’46.304
4 29 Andrea Iannone Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 1’46.347
5 9 Danilo Petrucci Alma Pramac Racing Ducati 1’46.445
6 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 1’46.454
7 4 Andrea Dovizioso Ducati Team Ducati 1’46.500
8 35 Cal Crutchlow LCR Honda CASTROL Honda 1’46.813
9 5 Johann Zarco Monster Yamaha Tech 3 Yamaha 1’46.830
10 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 1’46.909
11 43 Jack Miller Alma Pramac Racing Ducati 1’46.998
12 21 Franco Morbidelli EG 0,0 Marc VDS Honda 1’47.002
13 53 Tito Rabat Reale Avintia Racing Ducati 1’46.908
14 55 Hafizh Syahrin Monster Yamaha Tech 3 Yamaha 1’47.188
15 44 Pol Espargaro Red Bull KTM Factory Racing KTM 1’47.335
16 19 Alvaro Bautista Angel Nieto Team Ducati 1’47.708
17 38 Bradley Smith Red Bull KTM Factory Racing KTM 1’47.818
18 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda 1’47.868
19 12 Thomas Luthi EG 0,0 Marc VDS Honda 1’47.989
20 26 Dani Pedrosa Repsol Honda Team Honda 1’48.065
21 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Team Gresini Aprilia 1’48.286
22 17 Karel Abraham Angel Nieto Team Ducati 1’48.532
23 45 Scott Redding Aprilia Racing Team Gresini Aprilia 1’48.744
24 10 Xavier Simeon Reale Avintia Racing Ducati 1’48.794

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP

Power ganha 2 milhões e meio de dólares com a vitória das 500 milhas de Indianapolis

O Australiano Will Power embolsou mais de 2 milhões e 500 mil dólares com a vitória nas 500 milhas de Indianapolis. Apesar disso, A premiação dos pilotos nessa temporada foi menor do que a premiação do ano passado no total de prêmios. No total foram dados 13.063.073 de Dólares.

Esse prêmio foi menor que a premiação das 500 milhas de 2017, Onde foram dados para os 33 pilotos U$ 13.178.369. Desde de 2014 a premiação vem caindo. Nesse ano que o Norte-americano Ryan Hunter-Reay venceu com Hélio Castroneves ficou em 2ºlugar. O Prêmio foi de U$ 14.231.763.

Premiação dos últimos 10 anos:

Ano Total
2018  U$ 13.063.073
2017  U$ 13.178.369
2016  U$ 13.273.263
2015  U$ 13.397.315
2014  U$ 14.231.763
2013  U$ 12.020.065
2012  U$ 13.280.815
2011  U$ 13.506.235
2010  U$ 13.592.815
2009  U$ 14.293.315
2008  U$ 14.352.580
2007  U$ 10.642.815

A prova que mais deu dinheiro no seu total foi em 2008 com U$ 14.352.580, Seguida de perto pela edição de 2009 com U$ 14.293.315. A premiação de 2018 foi U$ 1.289.507 menor do que maior premiação e foi U$ 115.296 menor do que a premiação do ano passado.

Porém a premiação do Vencedor desse ano foi maior. Veja esses números:

Ano Prêmiação do Vencedor Premiação do 2º Premiação do 3º
2018 $ 2.525.454 $ 911.504 $ 587.129
2017 $ 2,458,129 $ 770,629 $ 535,629
2016 $ 2.548.743 $ 788.743 $ 574.243
2015 $ 2.449.055 $ 792.555 $ 615.805
2014 $ 2.491.194 $ 785.194 $ 585.194
2013 $ 2.353.355 $ 964.205 $ 583.005
2012 $ 2.474.280 $ 1.102.280 $ 636.580
2011 $ 2.567.255 $ 1.064.895 $ 666.945
2010 $ 2.752.055 $ 1.010.805 $ 631.505
2009 $ 3.048.005 $ 1.258.805 $ 763.305
2008 $ 2.988.065 $ 1.273.215 $ 782.065
2007 $ 1.645.233 $ 719.067 $ 646.303

Will Power ganhou U$ 67.325 a mais do que o vencedor do ano passado. Takuma Sato ganhou em 2017 o prêmio de 2.458.129. Porém, Nada chega perto dos 3 milhões de Dólares (U$ 3.048.005) ganhos pelo brasileiro Hélio Castroneves nas 500 milhas do ano de 2009.

A premiação do segundo lugar vem ficando menor ano após ano, Porém nessa edição, Ed Carpenter ganhou o prêmio de U$ 911.504 pelo 2ºlugar. Mas isso tem uma explicação. O Norte-americano ganhou a pole position que dá ao piloto o prêmio de 150 mil dólares. Isso fez com que a premiação do norte-americano ficasse maior. No enteando, o valor caiu. Em 2008 o prêmio para Vitor Meira foi $ 1.273.215 pelo 2ºlugar. No ano passado, Hélio Castroneves ganhou U$ 770.629 pelo 2ºlugar.

E igualmente acontece com o terceiro lugar que chegou a ter a premiação de U$ 782.065 e hoje tem como premiação para o terceiro lugar (Scott Dixon) U$ 587.129.

Veja a Premiação das 500 Milhas de Indianapolis de 2018

pos Piloto Equipe Prêmio
1 12 Will Power Team Penske $ 2.525.454
2 20 Ed Carpenter Ed Carpenter $ 911.504
3 9 Scott Dixon Chip Ganassi $ 587.129
4 27 Alexander Rossi Andretti Autosport $ 454.804
5 28 Ryan Hunter-Reay Andretti Autosport $ 419.804
6 22 Simon Pagenaud Team Penske $ 419.804
7 29 Carlos Munoz Andretti Autosport $ 254.005
8 1 Josef Newgarden Team Penske $ 400.654
9 6 Robert Wickens Schmidt Peterson $ 424.979
10 15 Graham Rahal Rahal Lettermann Lanigan Racing $ 401.229
11 66 J.R. Hildebrand Dreyer & Reinbold Racing $ 225.305
12 98 Marco Andretti Andretti Herta Autosport $ 364.129
13 4 Matheus Leist A.J.Foyt Enterprises $ 357.129
14 88 Gabby Chaves Harding Racing $ 315.305
15 25 Stefan Wilson Andretti Autosport $ 212.330
16 60 Jack Harvey Michael Shank Racing $ 200.305
17 64 Oriol Servia Rahal Lettermann Lanigan Racing $ 211.105
18 23 Charlie Kimball Carlin $ 300.305
19 19 Zachary Claman Dale Coyne $ 339.354
20 21 Spencer Pigot Ed Carpenter $ 346.154
21 17 Conor Daly Dale Coyne $ 200.305
22 59 Max Chilton Carlin $ 300.305
23 26 Zach Veach Andretti Autosport $ 334.129
24 7 Jay Howard Schmidt Peterson $ 200.305
25 14 Tony Kanaan A.J.Foyt Enterprises $ 346.954
26 24 Sage Karam Dreyer & Reinbold Racing $ 203.305
27 3 Helio Castroneves Team Penske $ 205.305
28 18 Sebastien Bourdais Dale Coyne $ 348.829
29 32 Kyle Kaiser Juncos Racing $ 205.805
30 13 Danica Patrick Ed Carpenter $ 208.305
31 10 Ed Jones Chip Ganassi $ 338.129
32 30 Takuma Sato Rahal Lettermann Lanigan Racing $ 300.305
33 33 James Davison A.J.Foyt Enterprises $ 200.305
Total $ 13.063.073

A premiação das 500 milhas de Indianapolis são maiores com os pilotos que disputam o campeonato inteiro. Os pilotos que correm só nas 500 milhas tem uma premiação aproximadamente 30% menor do que as premiações dos pilotos que fazem a temporada completa.

Premiação dos pilotos que disputam a temporada inteira

Piloto Equipe Prêmio
Will Power Team Penske $ 2.525.454
Scott Dixon Chip Ganassi $ 587.129
Alexander Rossi Andretti Autosport $ 454.804
Robert Wickens Schmidt Peterson $ 424.979
Ryan Hunter-Reay Andretti Autosport $ 419.804
Simon Pagenaud Team Penske $ 419.804
Graham Rahal Rahal Lettermann Lanigan Racing $ 401.229
Josef Newgarden Team Penske $ 400.654
Marco Andretti Andretti Herta Autosport $ 364.129
Matheus Leist A.J.Foyt Enterprises $ 357.129
Sebastien Bourdais Dale Coyne $ 348.829
Tony Kanaan A.J.Foyt Enterprises $ 346.954
Spencer Pigot Ed Carpenter $ 346.154
Ed Jones Chip Ganassi $ 338.129
Zach Veach Andretti Autosport $ 334.129
Gabby Chaves Harding Racing $ 315.305
Charlie Kimball Carlin $ 300.305
Max Chilton Carlin $ 300.305
Takuma Sato Rahal Lettermann Lanigan Racing $ 300.305

Premiação dos pilotos que disputam apenas parte da temporada ou só as 500 milhas de Indianapolis

Piloto Equipe Prêmio
Ed Carpenter Ed Carpenter $ 911.504
Zachary Claman Dale Coyne $ 339.354
Carlos Munoz Andretti Autosport $ 254.005
J.R. Hildebrand Dreyer & Reinbold Racing $ 225.305
Stefan Wilson Andretti Autosport $ 212.330
Oriol Servia Rahal Lettermann Lanigan Racing $ 211.105
Danica Patrick Ed Carpenter $ 208.305
Kyle Kaiser Juncos Racing $ 205.805
Helio Castroneves Team Penske $ 205.305
Sage Karam Dreyer & Reinbold Racing $ 203.305
Jack Harvey Michael Shank Racing $ 200.305
Conor Daly Dale Coyne $ 200.305
Jay Howard Schmidt Peterson $ 200.305
James Davison A.J.Foyt Enterprises $ 200.305

Nessa próxima semana farei uma matéria sobre a premiação da Formula Indy do passado e de hoje em dia.

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Foto: IndyCar

Power conquista as 500 milhas de Indianapolis mais monótonas da história

Uma corrida que tinha tudo para ser competitiva acabou tendo um enredo morno com um final sem muita emoção. É a descrição perfeita da pior 500 milhas da década. Que teve Will Power como vencedor. O Australiano confirmou o favoritismo da Penske e acabou vencendo pela primeira vez.

Um dia de muito sol e calor em Indianapolis. Que teve na largada Carpenter mantendo a liderança seguido de Pagenaud, Power e Newgarden. Kannan largou muito bem, Subiu do 10º para o 6ºlugar. Danica Partick perdeu posições assim como o Brasileiro Matheus Leist.

Lá atrás, Alexander Rossi ganhou algumas posições. Nas primeiras voltas Carpenter demonstrou um ritmo de prova fantástico abrindo para Pagenaud que tinha uma distância razoavelmente boa para Power. Os pilotos em geral estavam bem espalhados.

Danica foi o primeiro a fazer a parada na volta 30. Era o começo da primeira rodada de paradas nos boxes. Após as paradas acabou Kannan pulando para o segundo lugar ao aproveitar os novos pneus muito bem, E o trafego que pilotos da frente encararam antes da parada nos boxes. Spencer Pigot foi um dos pilotos que mais esticaram a 1ªparada que foi na volta 35.

Carpenter e Kannan vinham na frente dos 4 pilotos da Penske, Que vinham liderados pelo Newgarden que superou Simon Pagenaud, Seguido de Castroneves e Power. A corrida continua com os primeiros colocados muito distanciados. Até que na volta 48. James Davidson com problemas sérios em seu carro acabou atingindo de traseira pelo Takuma Sato. Terminava ai a defesa pelo título. Era a primeira bandeira amarela da prova. Todos aproveitaram para fazer uma nova parada nos boxes.

O líder passou a ser Zachary Claman de Mello com a Dale Coyne que não parou nos boxes, Carpenter e Kannan vinham logo a seguir. Bandeira verde na volta 56, Tony é barrado pelo piloto da Dale Coyne. Newgarden que quase tirou o segundo lugar do piloto Brasileiro que se sustentou a posição. Enquanto o piloto Canadense foi ficando para trás. 3 voltas depois o 3ºlugar do ano passado Ed Jones escapa de traseira e bateu no muro. Segunda bandeira amarela da prova.

Na Relargada, Kannan assumiu pela primeira vez a liderança do campeonato, Foi o primeiro piloto a ultrapassar o dono da equipe Carpenter que voltou a liderança na volta seguinte e voltou a abrir diferença. Na volta 68 foi a vez de Danica Partick perder a traseira e abandonar a prova em sua última corrida da carreira.

A partir dai. Alguns pilotos fizeram a parada nos boxes. Entre eles a Penske apostou em uma tática diferente para o Josef Newgarden. Era uma garantia da Penske ter pelo menos 1 dos pilotos para disputar a vitória. Relargada na volta 74. De novo Kannan passou Carpenter e voltou a liderança, Dessa vez ele passou e abriu do Carpenter. Power, Pagenaud, Castroneves e Hunter-Reay.

Alexander Rossi já estava em 12ºlugar, Ele fez uma ultrapassagem muito arriscada no Francês Sebastien Bourdais, Era uma corrida sensacional do piloto da Andretti Autosport. Os seis primeiros lugares vinham a 12 segundos a frente de Marco Andretti que vinha em 7ºlugar, Pigot, Dixon e Servia completavam os 10 primeiros colocados.

Na volta 90, Jay Howard atrapalhou a vida de Castroneves e por muito pouco o Hunter-Reay não tomou o 5ºlugar. No final da volta, Tony Kannan foi para a sua 3ªparada nos boxes. Era o começo de uma nova rodada nos boxes.

Carpenter fez a parada 2 voltas depois e voltou atrás de Kannan. Os outros lideres foram para a parada. Spencer Pigot foi penalizado por ultrapassar a velocidade Máxima nos boxes. Ele teve de fazer um Drive Turoght e o piloto da Carpenter se complicou na corrida.

Na volta 99, Tony Kannan teve problema com um pneu furado. O piloto da Foyt teve sua corrida bem comprometida. Na metade da prova, O líder era Graham Rahal, Com Wickens em 2º, Josef Newgarden em 3º, Carlos Muñoz em 4º e J.R.Hildebrand em 5ºlugar.

O piloto da Rahal vinha com mais de 3 segundos de vantagem para Wickens. Porém essa turma que liderava a prova estava em tática diferente. Power era o líder dos pilotos que pararam entre os líderes. Na volta 105 parou Graham Rahal e Robert Wickers.

Power passou para a liderança da prova na volta 110 com Carpenter em segundo e Kannan tentando não tomar volta dos líderes. Nesse momento da prova, Hélio Castroneves vinha fazendo suas melhores voltas na corrida em 5ºlugar.

Com problemas mecânicos, Kyle Kaiser da Juncos Racing acabou abandonando a prova. Enquanto isso Power estava a 5 segundos a frente do Carpenter que vinha com Pagenaud, Hunter-Reay e Castroneves juntos do 2º ou 5ºlugar.

Depois de 5 segundos vinha um solitário Marco Andretti, que vinha tranquilo já que Charlie Kimball vinha a 6 segundos do filho de Michael Andretti, Em uma surpreendente 7ªposição com o carro da Carlin. Na frente de Dixon com o carro da Ganassi. Leist vinha de forma constante, em 11ºlugar numa corrida sem erros e na Frente de Rossi.

Marco Andretti parou na volta 128, Começava a 4ªrodada de paradas nos boxes. Carpenter parou na volta 129. Pagenaud e Castroneves pararam na volta seguinte. O líder da prova Will Power parou na volta 130.

Hunter-Reay liderou uma volta e depois foi para os boxes, assim como o Neozelandês Scott Dixon que vinha fazendo uma prova discreta.

Bourdais era o novo líder com Oriol Servia em 2ºlugar com o carro da Rahal-Letterman. (que parou na volta 133) O piloto da Daler Coyne parou na volta 134. A Liderança passa a ser de Josef Newgarden.

Zach Veach teve pela segunda vez seu carro pegando fogo, Dessa vez os mecânicos apagaram o fogo do carro dele para o estreante voltar a prova. Rahal liderava a prova e tinha ido para os boxes. Foi quando o Francês Sebastian Bourdais acabou batendo. Era a 4ªbandeira amarela da corrida na volta 138.

Tony Kannan que vinha levado uma volta acabou por recuperar essa volta. Carlos Munoz e Charlie Kimball foram para a parada e buscaram uma nova parada nos boxes. Quando o Brasileiro se juntou a turma Tony Também foi para a parada. Agora Kannan era um franco atirador a menos de 60 voltas para o final.

Na volta 146 a corrida recomeça e Alexander Rossi por fora passou dois carro de maneira espetacular. Segundos depois formaram uma fila com 4 pilotos lado a lado (Chilton, Karam,Daly e Pigot) Com Dixon logo atrás. No final da volta, Hélio Castroneves acabou escapando e batendo no muro interno. Era uma nova bandeira amarela. Os três primeiros colocados de 2017 já tinha abandonado a prova.

Na Volta 154 a corrida recomeça, Com Rossi passando por fora Ryan Hunter-Reay e assumindo a 4ªposição após largar do 32ºlugar! No final da volta, Sage Karam que vinha em uma boa corrida acabou batendo de leve no muro, O Pneu estourou e saiu do carro. Era final de prova para o piloto da Dreyer & Reinbold, O que provocou a 6ªbandeira amarela.

Na volta 161, Scott Dixon foi para os boxes tentar o pulo do Gato para vencer a prova. Assim como alguns outros pilotos que estavam na parte de trás da corrida na mesma volta do líder (Serviá, Stefan Wilson e Jack Harvey também estavam na mesma tática de parada)

Na volta 162, A corrida recomeça. Carpenter quase foi ultrapassado pelo Rossi, Que estava sim na disputa pela vitória da prova. Tony Kannan fez impressionante relargada subindo do 14º para a 9ºposição após se aproveitar da confusão no meio do pelotão.

Os lideres teriam que fazer a última parada nos boxes. Power abria diferença para Carpenter, O carro da Penske vinha sobrando na turma.

Na Volta 172, Power é o primeiro dos líderes a fazer a parada. Na volta seguinte parou Hunter-Reay e Kannan.

Ed Carpenter para na volta 174 e volta atrás de Power. Se nada desse errado, A prova estava nas mãos do Australiano. Alexander Rossi parou na 175. Simon Pagenaud foi o último dos líderes a parar. Sua parada foi na volta 176.

Munõz parou na 177. O líder era Oriol Serviá que tentava uma vitória totalmente improvável. Wilkens passou o espanhol, Porém ele não iria durar muito na liderança. Na volta 181, O piloto da Schmidt fez sua última parada nos boxes.

Serviá, Stefan Wilson, Jack Harvey e Scott Dixon vinham apostando tudo para tentar a vitória. Porém para Dixon a tática parecia ter ido para o espaço. Power acabou passando facilmente piloto da Chip Ganassi e assumindo a 4ªposição, Se a logica desse certo. Os primeiros colocados não seriam páreo ao piloto da Penske.

A 11 voltas do final, Tony Kannan sai de traseira e vai para o Muro interno. Era a 7ªbandeira amarela, Para Serviá, Wilson e Harvey poderia ser a salvação deles. Para Power, poderia ser a grande chance de vencer a prova.

Corrida recomeça na volta 194, Serviá perdeu a liderança para Stefan Wilson e Jack Harvey caindo para o terceiro lugar. Power passou o piloto Espanhol e ganhou o 3ºlugar. Agora era esperar se ambos tinham tanque ou teriam de parar nos boxes.

A 4 Voltas do final, Stefan Wilson e Jack Harvey pararam deixando Will Power na liderança, Que não perdeu mais a liderança. O piloto Australiano conquistou sua primeira 500 milhas da sua carreira. O piloto que não era conhecido pela sua historia no Ovais agora tem o Campeonato da Formula Indy e o Título das 500 milhas, Que pode render 3 milhões de Dólares.

Ed Carpenter teve sua grande exibição nas 500 milhas, Apesar disso, O segundo lugar vai deixar o piloto da com a sensação de dever cumprido, Mas que poderia sim ter ganho a prova, Já que ele tinha um carro pelo menos tão bom como os carros da Penske.

Scott Dixon ficou em 3ºlugar. Com um carro que não era nada competitivo para disputar a vitória. Por muito pouco mesmo a sua ousada tática acabou dando a vitória a ele.

Alexander Rossi foi o grande nome da prova. Chegar em 4ºlugar, em uma corrida que não tivemos uma prova cheia de ultrapassagens, O Norte-americano que largou em 32º, foi um dos maiores destaques dessa prova. Ryan Hunter-Reay ficou em 5ºlugar após uma prova aonde ele manteve-se entre os primeiros lugares sempre.

Simon Pagenaud ficou em 6ºlugar, O piloto Francês não teve o mesmo ritmo para ganhar a prova como teve o seu companheiro de equipe. Josef Newgarden não se deu bem com a tática alternativa que a Penske adotou para ele e ficou em 8ºlugar, Atrás de Carlos Muñoz, Que fez grande prova na sua única participação na Temporada.

Fechando os 10 primeiros colocados vieram o Canadense Robert Wickens (Melhor estreante da temporada) com o carro da Schmidt-Peterson e de Graham Rahal, Que também fez uma bela corrida de recuperação.

Matheus Leist foi o único piloto Brasileiro que completou as 500 milhas. Uma corrida sem falhas o piloto de Novo Hamburgo chegou em 13ºlugar, Também foi o único dos pilotos da Foyt a completar a prova.

Agora, A corrida em si foi muito ruim. Bem aquém da prova de 2017 que teve uma corrida muito melhor e com muito mais emoção no final da prova. é preciso repensar esse Kit Aerodinâmico para os circuito ovais.

Semana que vem teremos a rodada dupla em Detroit. As etapas 7 e 8 do campeonato serão feitas no famoso circuito da Belle Isle.

Resultado final da 102ª 500 Milhas de Indianapolis
6ªEtapa do Mundial de Formula Indy 2018

pos Piloto Equipe Chassi/Motor Voltas Tempo
1 12 Will Power Team Penske Dallara/Chevrolet 200 2h 59:42.6365
2 20 Ed Carpenter Ed Carpenter Dallara/Chevrolet 200 a 3.1589
3 9 Scott Dixon Chip Ganassi Dallara/Honda 200 a 4.5928
4 27 Alexander Rossi Andretti Autosport Dallara/Honda 200 a 5.2237
5 28 Ryan Hunter-Reay Andretti Autosport Dallara/Honda 200 a 6.7187
6 22 Simon Pagenaud Team Penske Dallara/Chevrolet 200 a 7.2357
7 29 Carlos Munoz Andretti Autosport Dallara/Honda 200 a 7.8377
8 1 Josef Newgarden Team Penske Dallara/Chevrolet 200 a 8.6917
9 6 Robert Wickens Schmidt Peterson Dallara/Honda 200 a 9.3112
10 15 Graham Rahal Rahal Lettermann Lanigan Racing Dallara/Honda 200 a 11.3368
11 66 J.R. Hildebrand Dreyer & Reinbold Racing Dallara/Chevrolet 200 a 12.7354
12 98 Marco Andretti Andretti Herta Autosport Dallara/Honda 200 a 14.0745
13 4 Matheus Leist A.J.Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet 200 a 14.7798
14 88 Gabby Chaves Harding Racing Dallara/Chevrolet 200 a 15.1173
15 25 Stefan Wilson Andretti Autosport Dallara/Honda 200 a 33.6747
16 60 Jack Harvey Michael Shank Racing Dallara/Honda 200 a 34.7970
17 64 Oriol Servia Rahal Lettermann Lanigan Racing Dallara/Honda 200 a 38.2325
18 23 Charlie Kimball Carlin Dallara/Chevrolet 200 a 41.5146
19 19 Zachary Claman Dale Coyne Dallara/Honda 199 a 1 Volta
20 21 Spencer Pigot Ed Carpenter Dallara/Chevrolet 199 a 1 Volta
21 17 Conor Daly Dale Coyne Dallara/Honda 199 a 1 Volta
22 59 Max Chilton Carlin Dallara/Chevrolet 198 a 2 Voltas
23 26 Zach Veach Andretti Autosport Dallara/Honda 198 a 2 Voltas
24 7 Jay Howard Schmidt Peterson Dallara/Honda 193 a 7 Voltas
25 14 Tony Kanaan A.J.Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet 187 Acidente
26 24 Sage Karam Dreyer & Reinbold Racing Dallara/Chevrolet 154 Acidente
27 3 Helio Castroneves Team Penske Dallara/Chevrolet 145 Acidente
28 18 Sebastien Bourdais Dale Coyne Dallara/Honda 137 Acidente
29 32 Kyle Kaiser Juncos Racing Dallara/Chevrolet 110 Mecânico
30 13 Danica Patrick Ed Carpenter Dallara/Chevrolet 67 Acidente
31 10 Ed Jones Chip Ganassi Dallara/Honda 57 Acidente
32 30 Takuma Sato Rahal Lettermann Lanigan Racing Dallara/Honda 46 Acidente
33 33 James Davison A.J.Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet 45 Acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: IndyCar