Rabat volta a vencer em Mugello e aumenta distância para Kallio no mundial

Rabat conquista 3ªVitória na Temporada – Foto: MotoGP

Esteve Rabat após 2 corridas vendo Mika Kallio na frente reagiu hoje em Mugello, E Numa grande atuação após largar da pole position e após cair para o 4ºlugar na Largada o Espanhol fez grande corrida vencendo a Luis Salom e a Jonas Folger para ganhar a 3ªcorrida na Temporada. Na Largada Jonas Folger assumiu a liderança da corrida e apesar da pressão de Luis Salom liderou a maior parte da corrida, Mas acabou perdendo um pouco de rendimento no final da corrida deixando a luta pela vitória entre Salom e Rabat, uma briga boa com ultrapassagens entre os dois pilotos das duas melhores equipes da Moto 2, Rabat da Marc VDS e Salom da Pons. Rabat acabou dando o golpe final a 4 voltas do final e dessa Forma vencendo a corrida, Salom na sua 6ªcorrida na moto 2 conseguiu seu melhor resultado na temporada, muito bem mesmo foi Jonas Folger que com a pequena AGR Team leva sua moto ao 3ºlugar e sobe mais uma vez no pódio, impressionante o começo de ano de Folger.

No segundo pelotão Simone Corsi, Dominque Aegerter e Mika Kallio lutaram pelo 4ºlugar e quando parecia que Kallio poderia levar o 4ºlugar ai veio Corsi e depois Aegerter que conseguiram superar o piloto da Marc VDS, No final Corsi levou nos últimos metros tirou o 4ºlugar de Aegerter por 7 milésimos de segundo. Kallio em 6ºlugar viu seu companheiro de equipe abrir 22 pontos a frente dele. Johann Zarco fez boa corrida e chegou perto da briga pelo 4ºlugar, Mas acabou em 7ºlugar, Sam Lowes que fez pela primeira vez largou na primeira fila acabou a corrida em 8ºlugar após uma largada ruim, Marevick Viñales que largou lá atrás terminou em 9ºlugar com a Moto de Sito Pons e o Italo-Brasileiro Franco Mobidelli conseguiu um belíssimo 10ºlugar na frente de Jordi Torres que lutou com Morbidelli pela última posição no Top 10. Na próxima etapa acontece no dia 15 na Espanha em Barcelona, e promete uma Festa dos Espanhóis na pista de Montdeló.

Luis Salom em 2ºlugar – Foto: MotoGP

Resultado final do GP da Itália da Moto 2:

1 53 Esteve Rabat (Marc VDS Racing Team Kalex) 39’45.660
2 39 Luis Salom (Pons HP 40 Kalex) a 0.248
3 94 Jonas Folger (AGR Team Kalex) a 3.600
4 3 Simone Corsi (NGM Forward Racing Kalex) a 8.117
5 77 Dominique Aegerter (Technomag carXpert Suter) a 8.124
6 36 Mika Kallio (Marc VDS Racing Team Kalex) a 8.214
7 5 Johann Zarco (AirAsia Caterham Caterham Suter) a 8.781
8 22 Sam Lowes (Speed Up Speed Up) a 10.575
9 40 Maverick Viñales (Pons HP 40 Kalex) a 10.912
10 21 Franco Morbidelli (Italtrans Racing Team Kalex) a 16.251
11 81 Jordi Torres (Mapfre Aspar Team Moto2 Suter) a 16.297
12 23 Marcel Schrotter (Tech 3 Tech 3) a 16.642
13 11 Sandro Cortese (Dynavolt Intact GP Kalex) a 17.805
14 19 Xavier Simeon (Federal Oil Gresini Moto2 Suter) a 20.340
15 49 Axel Pons (AGR Team Kalex) a 20.945
16 30 Takaaki Nakagami (IDEMITSU Honda Team Asia Kalex) a 25.070
17 15 Alex De Angelis (Tasca Racing Moto2 Suter) a 38.473
18 95 Anthony West (QMMF Racing Team Speed Up) a 38.503
19 88 Ricard Cardus (Tech 3 Tech 3) a 38.737
20 96 Louis Rossi (SAG Team Kalex) a 39.112
21 8 Gino Rea (AGT REA Racing Suter) a 40.424
22 60 Julian Simon (Italtrans Racing Team Kalex) a 40.474
23 7 Lorenzo Baldassarri (Gresini Moto2 Suter) a 41.059
24 18 Nicolas Terol (Mapfre Aspar Team Moto2 Suter) a 42.977
25 55 Hafizh Syahrin (Petronas Raceline Malaysia Kalex) a 43.011
26 4 Randy Krummenacher (Octo IodaRacing Team Suter) a 50.254
27 25 Azlan Shah (IDEMITSU Honda Team Asia Kalex) a 1’04.480
28 45 Tetsuta Nagashima (Teluru Team JiR Webike TSR) a 1’04.545
29 97 Roman Ramos (QMMF Racing Team Speed Up) a 1’04.818
30 70 Robin Mulhauser (Technomag carXpert Suter) a 1’04.930
31 10 Thitipong Warokorn (APH PTT The Pizza SAG Kalex) a 1’22.863

Não Terminaram a corrida:

54 Mattia Pasini (NGM Forward Racing Kalex) 13 Voltas
12 Thomas Luthi (Interwetten Paddock Moto2 Suter) 17 Voltas
2 Josh Herrin (AirAsia Caterham Caterham Suter) 20 Voltas

Fenati leva no final a mais disputada e a melhor corrida da Temporada

Briga na Moto3 foi frenética – Foto: MotoGP

Após 18 Voltas de grandes disputas com Fenati leva no final a mais disputada e a melhor corrida da Temporada mais de 10 pilotos disputando a vitória o Italiano Romano Fenati deu de presente a Valentino Rossi a vitória em Mugello, A vitória em Casa e a Vitória para a equipe de Valentino Rossi que completa a 300ªparticipação no Mundial de motovelocidade. A corrida foi um enorme troca-troca de posições entre vários pilotos como Alex Rins, Aleix Marquez, Romano Fenati, Jack Miller, Aleixs Masbou, E principalmente pelo jovem de 16 anos Enea Bastianini que fazia sua 6ªCorrida na Moto 3 na carreira andando demais com a Moto Gresini Chegando a liderar a corrida.
Pilotos como John Mcphee, Niccolo Antonelli e jakub Kornfeil deixaram a corrida em decorrência de acidentes, Já Francesco Bagnaia abandonou a prova por causa de problemas mecânicos em sua moto depois de levar um toque de um concorrente.
Na Reta final a luta foi intensa pela vitória entre Alex Rins, Isaac Viñales (Irmão de Marevick Viñales) e Romano Fenati com alguma possibilidade de outros pilotos aparecerem na luta pelo primeiro lugar, Na Volta final Jack Miller que vinha um pouco atrás acaba batendo em Miguel Oliveira que ficou de Pé depois desse Shock lutando pelos primeiros lugares no final com sua Mahindra, Para Miller o pior acontece, Ele cai e leva junto os pilotos Aleix Marquez (Irmão de Marc Marquez) e de Enea Bastianini que foi o destaque da corrida.
Alex Rins conseguiu a ponta nas últimas curvas do circuito de Mugello na volta final só que na Reta Rins que parecia que derrubaria a sequência da KTM foi engolido pela KTM de Fenati e ainda pela KTM da Calvo de Isaac Viñales, Fenati além de ver seu arquirrival na luta pelo título cair somou 25 pontos e a diferença de 30 pontos sobre o Australiano acabou voltando aos 5 pontos como era antes do GP da França, Foram apenas 0.010 milésimos sobre Isaac Viñales que ficou em 2ºlugar e 0.011 sobre Alex Rins que ficou em 3ºlugar. Miguel Oliveira em 4º reaparecendo com a Mahindra que não estava indo muito bem no campeonato com seus pilotos, Mas hoje a moto rendeu bem, Nikias Ajo em 5ºlugar, seu melhor resultado na Moto 3 e o melhor resultado da Marca sueca Husqvarna na curta história dela na Motovelocidade, e Alexis Masbou que teve chance de vencer a corrida em 6ºlugar, a diferença entre os 6 primeiros colocados foi de apenas 0.359 segundos, e o 7ºlugar o piloto Alessandro Tonucci ficou a 0.597 segundos do primeiro colocado.
Eric Granado ficou o tempo todo atrás e acabou em 23ºlugar. Próxima Etapa é na Catalunha na Espanha no dia 15 de Junho.

Pódio da Moto 3 – Foto: MotoGP

Resultado final do GP da Itália da Moto 3:

1 5 Romano Fenati (SKY Racing Team VR46 KTM) 39’46.256
2 32 Isaac Viñales (Calvo Team KTM) a 0.010
3 42 Alex Rins (Estrella Galicia 0,0 Honda) a 0.011
4 44 Miguel Oliveira (Mahindra Racing Mahindra) a 0.121
5 31 Niklas Ajo (Avant Tecno Husqvarna Ajo Husqvarna) a 0.260
6 10 Alexis Masbou (Ongetta-Rivacold Honda) a 0.359
7 19 Alessandro Tonucci (CIP Mahindra) a 0.597
8 58 Juanfran Guevara (Mapfre Aspar Team Moto3 Kalex KTM) a 5.230
9 41 Brad Binder (Ambrogio Racing Mahindra) a 5.353
10 98 Karel Hanika (Red Bull KTM Ajo KTM) a 5.395
11 63 Zulfahmi Khairuddin (Ongetta-AirAsia Honda) a 18.618
12 7 Efren Vazquez (SaxoPrint-RTG Honda) a 25.338
13 65 Philipp Oettl (Interwetten Paddock Moto3 Kalex KTM) a 25.711
14 3 Matteo Ferrari (San Carlo Team Italia Mahindra) a 25.796
15 52 Danny Kent (Red Bull Husqvarna Ajo Husqvarna) a 25.904
16 43 Luca Grunwald (Kiefer Racing Kalex KTM) a 26.005
17 61 Arthur Sissis (Mahindra Racing Mahindra) a 27.099
18 55 Andrea Locatelli (San Carlo Team Italia Mahindra) a 27.309
19 11 Livio Loi (Marc VDS Racing Team Kalex KTM) a 38.450
20 22 Ana Carrasco (RW Racing GP Kalex KTM) a 38.516
21 51 Bryan Schouten (CIP Mahindra) a 38.584
22 95 Jules Danilo (Ambrogio Racing Mahindra) a 39.005
23 57 Eric Granado (Calvo Team KTM) a 39.082
24 16 Simone Mazzola (MT Racing Honda FTR Honda) a 40.531
25 69 Anthony Groppi (Pos Corse FTR Honda) a 44.742
26 4 Gabriel Ramos (Kiefer Racing Kalex KTM) a 1’09.125

Não Terminaram a corrida:

12 Alex Marquez (Estrella Galicia 0,0 Honda) 1 Volta
8 Jack Miller (Red Bull KTM Ajo KTM) 1 Volta
33 Enea Bastianini (Junior Team GO&FUN Moto3 KTM) 1 Volta
9 Scott Deroue (RW Racing GP Kalex KTM) 1 Volta
84 Jakub Kornfeil (Calvo Team KTM) 6 Voltas
21 Francesco Bagnaia (SKY Racing Team VR46 KTM) 11 Voltas
17 John Mcphee (SaxoPrint-RTG Honda) 14 Voltas
23 Niccolò Antonelli (Junior Team GO&FUN Moto3 KTM) 16 Voltas
38 Hafiq Azmi (SIC-AJO KTM) 18 Voltas

Premiação de cada piloto nas 500 milhas de Indianapolis em 2014

1 Ryan Hunter-Reay $2,491,194
2 Helio Castroneves $785,194
3 Marco Andretti $585,194
4 Carlos Munoz $449,194
5 Juan Pablo Montoya $441,944
6 Kurt Busch $423,889
7 Sebastien Bourdais $384,194
8 Will Power $442,194
9 Sage Karam $270,305
10 JR Hildebrand $366,194
11 Oriol Servia $247,305
12 Simon Pagenaud $374,444
13 Alex Tagliani $368,694
14 Jacques Villeneuve $354,194
15 Sebastian Saavedra $349,194
16 James Davison $341,194
17 Carlos Huertas $339,694
18 Ryan Briscoe $344,444
19 Takuma Sato $342,444
20 Jack Hawksworth $346,194
21 Mikhail Aleshin $340,194
22 Justin Wilson $339,194
23 Martin Plowman $225,805
24 Pippa Mann $226,805
25 Townsend Bell $226,805
26 Tony Kanaan $343,194
27 Ed Carpenter $463,694
28 James Hinchcliffe $376,194
29 Scott Dixon $390,694
30 Josef Newgarden $344,194
31 Charlie Kimball $341,194
32 Buddy Lazier $225,305
33 Graham Rahal $341,194

Total de Premiações na Indy de 2014 foi de U$ 14.231.763

Essa é a terceira maior premiação dada para as 500 milhas de Indianápolis desde do começo da sua história em 1911, Premiação que foi 2 milhões de Dólares maior do que a premiação de 2013., a Maior delas foi a de 2008 com o total de premiação em U$ 14.352.580, A segunda maior foi a do ano de 2009 com . A premiação para o campeão das 500 milhas de Indianapolis U$ 14.293.315.
não é a maior da história, a maior delas é a de 2009 com $3,048,005 dados ao vencedor que foi o Brasileiro Hélio Castroneves. Ryan Hunter Reay ficou com $2,491,194. Confira ass premiações dos anos anteriores:

Veja os números das premiações das 500 milhas dos anos anteriores:

Premiação em 2013

Tony Kanaan $2,353,355
Carlos Munoz $964,205
Ryan Hunter-Reay $583,005
Marco Andretti $469,755
Justin Wilson $337,805
Helio Castroneves $313,755
AJ Allmendinger $261,155
Simon Pagenaud $262,805
Charlie Kimball $269,305
Ed Carpenter $405,955
Oriol Servia $271,305
Ryan Briscoe $230,555
Takuma Sato $264,805
Scott Dixon $268,005
Ana Beatriz $262,805
Tristan Vautier $227,305
Simona de Silvestro $262,805
EJ Viso $276,555
Will Power $273,255
James Jakes $227,555
James Hinchcliffe $267,955
Conor Daly $227,305
Dario Franchitti $277,805
Alex Tagliani $263,255
Graham Rahal $262,805
Katherine Legge $225,305
Townsend Bell $237,255
Josef Newgarden $264,305
Sebastien Bourdais $262,805
Pippa Mann $225,305
Buddy Lazier $230,305
Sebastian Saavedra $225,305
JR Hildebrand $264,305

em 2012

Dario Franchitti $2,474,280
Scott Dixon $1,102,280
Tony Kanaan $636,580
Oriol Servia $443,430
Ryan Briscoe $489,930
James Hinchcliffe $357,680
Justin Wilson $303,430
Charlie Kimball $277,655
Townsend Bell $251,305
Helio Castroneves $308,930
Rubens Barrichello $331,080
Alex Tagliani $252,205
Graham Rahal $306,680
JR Hildebrand $306,680
James Jakes $252,555
Simon Pagenaud $303,680
Takuma Sato $301,755
E.J. Viso $303,430
Michel Jourdain Jr. $253,305
Sebastien Bourdais $252,805
Ed Carpenter $304,930
Katherine Legge $303,680
Ana Beatriz $252,805
Marco Andretti $368,480
Josef Newgarden $257,805
Sebastian Saavedra $256,305
Ryan Hunter-Reay $346,680
Will Power $310,430
Mike Conway $305,430
Bryan Clauson $258,055
Wade Cunningham $251,555
Simona de Silvestro $303,430
Jean Alesi $251,555

em 2011

Dan Wheldon $2,567,255
JR Hildebrand $1,064,895
Graham Rahal $666,945
Tony Kanaan $438,745
Scott Dixon $519,345
Oriol Servia $364,845
Bertrand Baguette $256,255
Tomas Scheckter $253,805
Marco Andretti $311,245
Danica Patrick $321,745
Ed Carpenter $251,655
Dario Franchitti $369,695
Charlie Kimball $251,555
Will Power $318,745
Vitor Meira $306,745
Justin Wilson $309,995
Helio Castroneves $320,245
Buddy Rice $252,805
Alex Lloyd $254,805
Pippa Mann $251,555
Ana Beatriz $306,745
John Andretti $251,305
Ryan Hunter-Reay $252,805
Davey Hamilton $251,305
Paul Tracy $252,805
Townsend Bell $252,805
Ryan Briscoe $356,745
Alex Tagliani $492,245
James Hinchcliffe $256,305
Jay Howard $251,555
Simona de Silvestro $311,745
E.J. Viso $306,745
Takuma Sato $310,245

em 2010

Dario Franchitti $2,752,055
Dan Wheldon $1,010,805
Marco Andretti $631,505
Alex Lloyd $425,305
Scott Dixon $377,805
Danica Patrick $307,305
Justin Wilson $312,255
Will Power $385,805
Helio Castroneves $545,655
Alex Tagliani $302,805
Tony Kanaan $328,555
Graham Rahal $251,805
Mario Romancini $305,555
Simona de Silvestro$327,055
Tomas Scheckter $262,555
Townsend Bell $251,805
Ed Carpenter $250,305
Ryan Hunter-Reay $302,305
Mike Conway $307,055
Takuma Sato $302,055
Ana Beatriz $250,305
Bertrand Baguette $300,555
Sebastian Saavedra $255,555
Ryan Briscoe $307,305
E.J. Viso $301,805
Sarah Fisher $250,305
Vitor Meira $300,305
Hideki Mutoh $315,305
Raphael Matos $300,305
John Andretti $251,805
Mario Moraes $301,805
Bruno Junqueira $261,805
Davey Hamilton $255,305

em 2009

Helio Castroneves $3,048,005
Dan Wheldon $1,258,805
Danica Patrick $763,305
Townsend Bell $445,305
Will Power $345,305
Scott Dixon $374,155
Dario Franchitti $386,305
Ed Carpenter $302,805
Paul Tracy $271,805
Hideki Mutoh $301,805
Alex Tagliani $295,305
Tomas Scheckter $280,305
Alex Lloyd $270,305
Scott Sharp $270,305
Ryan Briscoe $349,755
A.J. Foyt IV $271,805
Sarah Fisher $270,305
Mike Conway $300,555
John Andretti $276,805
Milka Duno $301,805
Vitor Meira $300,305
Raphael Matos $308,305
Justin Wilson $300,305
E.J. Viso $300,305
Nelson Philippe $270,555
Oriol Servia $271,805
Tony Kanaan $303,305
Robert Doornbos $305,555
Davey Hamilton $271,805
Marco Andretti $315,305
Graham Rahal $305,805
Ryan Hunter-Reay $353,305
Mario Moraes $301,805

em 2008

Scott Dixon $2,988,065
Vitor Meira $1,273,215
Marco Andretti $782,065
Helio Castroneves $482,815
Ed Carpenter $399,665
Ryan Hunter-Reay $328,065
Hideki Mutoh $307,115
Buddy Rice $311,415
Darren Manning $301,815
Townsend Bell $275,315
Oriol Servia $302,065
Dan Wheldon $366,815
Will Power $300,565
Davey Hamilton $270,315
Enrique Bernoldi $300,565
John Andretti $300,315
Buddy Lazier $327,015
Mario Moraes $303,415
Milka Duno $300,315
Bruno Junqueira $301,215
A.J. Foyt IV $311,815
Danica Patrick $301,915
Ryan Briscoe $312,315
Tomas Scheckter $270,315
Alex Lloyd $272,065
E.J. Viso $301,565
Justin Wilson $302,065
Jeff Simmons $270,000
Tony Kanaan $331,215
Sarah Fisher $277,215
Jaime Camara $300,565
Marty Roth $300,315
Graham Rahal $312,065

164 Voltas – em 2007

Dario Franchitti $1,645,233
Scott Dixon $719,067
Helio Castroneves $646,303
Sam Hornish Jr. $360,389
Ryan Briscoe $302,305
Scott Sharp $368,305
Tomas Scheckter $304,105
Danica Patrick $298,005
Davey Hamilton $268,905
Vitor Meira $280,305
Jeff Simmons $278,347
Tony Kanaan $414,319
Michael Andretti $238,247
A.J. Foyt IV $252,305
Alex Barron $249,305
Kosuke Matsuura $245,305
Ed Carpenter $246,305
Sarah Fisher $238,305
Buddy Lazier $216,805
Darren Manning $232,305
Roger Yasukawa $234,305
Dan Wheldon $231,805
Richie Hearn $224,305
Marco Andretti $229,351
Buddy Rice $222,805
Al Unser Jr. $205,805
Jaques Lazier $207,389
Marty Roth $216,305
Phil Giebler $230,305
John Andretti $204,305
Milka Duno $213,555
Jon Herb $193,305
Roberto Moreno $224,805

Em 2014: U$ 14.231.763
Em 2013: U$ 12.020.065
Em 2012: U$ 13.280.815
Em 2011: U$ 13.506.235
Em 2010: U$ 13.592.815
Em 2009: U$ 14.293.315
Em 2008: U$ 14.352.580
Em 2007: U$ 10.642.815

Motovelocidade – GP da Holanda de 1992

Grid de Largada

1 Eddie Lawson (Cagiva) 2’03.675
2 Mick Doohan (Honda) 2’03.692
3 Wayne Gardner (Honda) 2’03.829
4 John Kocinski (Yamaha) 2’03.995
5 Kevin Schwantz (Suzuki) 2’04.001
6 Doug Chandler (Suzuki) 2’04.366
7 Juan Garriga (Yamaha) 2’04.688
8 Alex Criville (Honda) 2’04.726
9 Randy Mamola (Yamaha) 2’04.964
10 Alex Barros (Cagiva) 2’05.703
11 Niall Mackenzie (Yamaha) 2’06.351
12 Corrado Catalano (ROC/Yamaha) 2’06.374
13 Eddie Laycock (Yamaha) 2’06.515
14 Miguel Duhamel (Yamaha) 2’06.595
15 Toshiyuki Arakaki (ROC/Yamaha) 2’06.956
16 Michael Rudroff (Harris/Yamaha) 2’07.363
17 Peter Goddard (ROC/Yamaha) 2’07.748
18 Kevin Mitchell (Harris/Yamaha) 2’08.886
19 Cees Doorakkers (Harris/Yamaha) 2’09.115
20 Thierry Crine (ROC/Yamaha) 2’09.287
21 Juan Manuel López Mella (ROC/Yamaha) 2’09.527
22 Serge David (ROC/Yamaha) 2’09.601
23 Simon Buckmaster (Harris/Yamaha) 2’09.612
24 Dominique Sarron (ROC/Yamaha) 2’09.696
25 Niggi Schmassman (ROC/Yamaha) 2’10.571
26 Marco Papa (Librenti) 2’10.654
27 Peter Graves (Harris/Yamaha) 2’12.113
28 Lucio Pedercini (Paton/Cagiva) 2’12.313
29 Josef Doppler (ROC/Yamaha) 2’13.124
30 Claude Arciero (ROC/Yamaha) 2’15.262
31 Andreas Leuthe (VRP) 2’15.761

Criville conquista primeira vitória e Barros alcança primeiro pódio em Corrida marcada por acidentes.

Em 7 corridas da temporada de 1992 um domínio enorme de Michael Doohan com a Honda parecia que o título estaria tranquilamente com ele. Após mais um treino de onde Lawson com a Cagiva largava em 1º com Doohan em 2º, Gardner em 3º Ambos de Honda, Kocinski de Yamaha em 4º e Kevin Schwantz em 5º com a Suzuki. Barros largava em 10ºlugar. A prova não teria a presença de Wayne Rainey da Yamaha.
Mas no Treino de aquecimento Doohan e Gardner sofrem acidentes que impedem de ambos disputarem a corrida. Com isso A Honda estava sem representantes na primeira fila e teria que contar com Alex Criville que largava em 8ºlugar.

Para Schwantz e Lawson essa era a chance de vencer a corrida. Na largada na primeira fila reposicionada estava Lawson, Kocinski, Schwantz e Chandler, Na largada Schwantz foi muito bem e assumiu a ponta com Barros que largou muito bem em 2º e Lawson em 3º ambos de Cagiva, Duhamel, Chandler e Mamola viriam um pouco mais atrás.

A melhor das largada foi sem dúvida a de Barros que ainda tentava se firmar na motovelocidade nas 500cc, Logo Lawson passava a Barros e iria para o ataque em cima de Schwantz, Um ataque brutal diga-se de passagem, Barros e Chandler acompanhavam de perto na catedral do motociclismo que é Assen.
Schwantz, Lawson, Barros, Chandler formavam um grupo e Chandler estava na liderança do segundo grupo, Enquanto Lawson partia para o ataque em cima de Schwantz a outra Suzuki atacava Barros, Chandler iria para cima de Barros e conseguia a ultrapassagem para assumir o terceiro lugar no final da segunda volta, Mas quando parecia que Chandler iria para cima dos dois primeiros na terceira volta Chandler acaba por deixar a corrida, A Mesma coisa aconteceu com Andreas Leuthe com a VRP (Moto pior que a Paton, acredite). Schwantz continuava ameaçado por Lawson, Barros estava de perto acompanhando e ganhando a referência de dois grandes pilotos e provavelmente aprendendo muito vendo aquela Briga que já durava 3 voltas e iria para a 4ªVolta da corrida. Barros tenta um ataque em cima de Lawson que se defende muito bem desse ataque.

Classificação após 3 voltas: 1. Kevin Schwantz (6:20.902), 2. Eddie Lawson (a 0.188), 3. Alexandre Barros (a 0.369),4. Juan Garriga (a 3.156) 5. Alex Criville (a 3.519), 6. Michael Duhamel (a 4.579).
Schwantz se mantem na frente apesar dos ataques do Tetracampeão Lawson com a Cagiva, Barros enquanto isso faz a volta mais rápida da prova na volta 3 com 2:04.972, Média de 174,25 km/h ou 106,27 mph e ainda acompanhando aos dois primeiros colocados a um pouco menos de 1 segundo de ambos. Garriga começava a ser pressionado pela Honda de Alex Criville que era a única Honda na pista, Enquanto Schwantz faz na 4ªVolta a volta mais rápida da prova com 2:04.858 com média de 174.41 km/h – 108.37 Mph e a moto dele se mostrava mais equilibrava do que a moto de Lawson que tentava passar Schwantz de qualquer jeito.

De Vez em quando Barros em terceiro chegava mais perto da briga entre os dois, Mas poderia estar se arriscando pois num toque desse entre Schwantz e Lawson poderia levar ele junto na confusão, Barros fazia a melhor volta da prova na volta 5 com 2:04.753 – Média de 174.56 km/h – 108.46 Mph.
Tudo poderia indicar um acidente entre Schwantz e Lawson a qualquer momento por causa do jeito louco de Lawson correr com a Moto Italiana, Barros teria que esperar um pouco mais que a queda poderia vim. E ela veio na 7ªvolta da prova, Schwantz vira a curva de maneira correta e Lawson tenta a ultrapassagem na entrada da Curva, toca na moto de Schwantz que perde o controle da Moto e cai, Lawson não se desvia da moto de Schwantz e cai também, Ambos vão ao chão de maneira violenta, Schwantz acaba caindo e sentindo a queda, mas nada demais, ele estava bem e se mexendo, Lawson já saiu andando em pé, A Moto de Schwantz ficou bem mais destruída do que a de Lawson, Ambos deixaram a corrida e Barros que estava em 3º se beneficiou de tudo e pela primeira vez nas 500cc liderava uma corrida com a outra Cagiva, Com Garriga e Criville logo em seguida.

Mas para Barros isso seria um problema pois ele acabou perdendo um pouco a referência de Schwantz e de Lawson na frente, alias ótimo trabalho dos médicos de Assen em 1992 foram para o local do acidente em questão de segundos ao local socorrer a ambos os pilotos que deixavam a corrida naquele momento.
Classificação após 7 Voltas completadas: 1. Alexandre Barros (14:42.296), 2. Juan Garriga (a 2.487), 3. Alex Crivlille (a 2.883), 4. John Kocinski (a 5.553), 5. Michael Duhamel (a 14.254), 6. Randy Mamola (a 14.398).

Na Metade da corrida Barros poderia vencer pela primeira vez na carreira, Mas pouco acostumado com a Ponta acabou sendo alcançado de maneira muito rápida por Juan Garriga e Alex Criville, Garriga com a Yahama número 6 tirou 1 segundo e 2 décimos em uma volta e reduziu a diferença para 1.202. A Espanha tinha uma boa geração de pilotos e já tinha seus pilotos brigando por boas posições enquanto que o Brasil na Motovelocidade tinha pouquíssimas tradições, Apenas fez nome com o Adu Celso-Santos nos anos 70 na 350cc quando ele ganhou a primeira e única corrida até o então para o Brasil na Motovelocidade, poderia em Assen 19 de jejum acabar se Barros ganhasse, Mas não era tão fácil para a Cagiva dele que não era a melhor moto do Grid, Na verdade era a quarta do Grid.

Mas Garriga não tava seguro na ponta não ele tinha a pressão de Criville que queria o segundo lugar de Garriga e um pouco mais atrás John Kocinski estava chegando para tentar entrar na Festa. A corrida chegava na sua metade com 21 motos ainda na prova para 10 primeiros lugares marcarem pontos.
Barros na 10ªvolta iria firme na ponta enquanto Criville passou a Garriga e assumiu o segundo lugar da prova, A corrida começava a ficar mais interessante para Criville que a 10 voltas do final poderia Honrar o nome da Honda e vencer pela primeira vez nas 500cc, Criville foi para cima na 10ªVolta e passou a Alex Barros para assumir o primeiro lugar, quando aconteceu isso parecia que Barros iria esmolecer, pelo contraio ele foi a luta e no final da 11ªvolta na chicane que levava a reta dos boxes ele passou a Criville e assumiu novamente a ponta da prova, A classificação após 10 voltas era 12.Barros, 28. Criville, 6. Garriga, 4. Kocinski, 8. Mamola, 17. Duhamel.

Barros estava determinado a vencer pela primeira vez, Mas tinha dois pilotos atrás que estavam tão determinados a vencer corrida pela primeira vez que eram Criville e Garriga, E logo atrás chegando finalmente na disputa um Kocinski que já sabia o que era vencer na Motovelocidade das 500cc, Na 3ªVolta no começo dela Barros conseguiu abrir um respiro enquanto Garriga passava a Criville e assumia o segundo lugar, empolgado ele foi para cima de Barros, Foi tanto para cima que 2 ou 3 curvas depois ele erra e com isso Criville e Kocinski passaram por ele, Criville continua a perseguição a Barros que tinha uma pequena vantagem sobre o segundo colocado depois da luta que teve Garriga e Criville e do Erro do Garriga, mas a corrida estava longe do final e Barros teria que provar que mereceria essa vitória e até aquele momento ele estava fazendo por merecer aguentando ataques de três pilotos perigosos e talentosos, Os Favoritos Rainey, Gardner, Lawson, Schwantz e Doohan deixaram a festa com os coadjuvantes, No final da 12ªVolta Kocinski passava a Criville que depois do começo da 13ªvolta deu o troco para o norte-americano da Yamaha-Marlboro e voltou ao segundo lugar, Euquanto isso Randy Mamola estava em 5ºlugar longe da briga pelo primeiro lugar. Barros perdeu a tomada da curva e acabou tomando ultrapassagem de Criville, Kocinski e de Garriva e passou a ficar com o 4ºlugar, podendo não acompanhar mais essa briga. Koskincki a 5 voltas do final assumia a ponta da prova com Criville, Garriga e Barros em 4º um pouco mais longe mais ainda assim acompanhando aos 3. Classificação com 14 voltas com 6 voltas para o final da prova: 4. Kocinski, 28. Criville, 6. Garriga, 12. Barros, 8. Mamola, 17. Duhamel.

Criville iria para cima de Kocinski enquanto Barros se aproximava de Garriga mostrando esta vivo na luta pela vitória, Criville na 15ªVolta na 2ªparte de pista assumia o primeiro lugar mostrando a força da única Honda na pista e Barros já foi para cima de Garriga e voltava ao 3ºlugar querendo a primeira posição de volta, com 4 voltas para o final estava tudo em aberto para os 4 vencerem. Kocinski tentou passar a Criville só que o Espanhol manteve a ponta enquanto passavam os 4 primeiros pela Paton de Lucio Pedercini como foguete, A menos de 5 voltas do final na chicane que levava a reta dos boxes Barros reassumiu o segundo lugar, e estava com o ímpeto de vencer a prova, Classificação com 16 voltas completadas: 28. Criville, 12. Barros, 4. Kocinski, 6. Garriga, 8. Mamola, 17. Duhamel.

Mostrando esta bem Barros mas a Cagiva deu uma grande moto para o Brasileiro, Barros tentou o ataque para cima de Criville faltando um pouco menos de 3 voltas para o final, O Brasileiro foi para cima de Alex Criville passou ao Espanhol da Honda e reassumiu a ponta da prova, Kocinski tentou se aproveitar e passar ao Espanhol, era um show de final na catedral a ceu aberto da Motocicleta em Assen. Restando 2 voltas Barros tentava segurar a tão sonhada primeira vitória, Mas Criville fez direitinho o Bote e assumia a primeira posição, Barros tentava recuperar a ponta da prova, Só que Kocinski foi para cima de Barros antes e assumiu a ponta da prova e ele poderia tentar a segunda vitória na categoria, Só que qualquer um dos três poderia vencer, Criville, Kocinski ou Barros, Já Garriga ficou para trás.

Na Volta final foi um pega pra capar, Criville, Kocinski e Barros lutaram pela vitória, Barros no começo da Volta conseguiu ultrapassar ao norte-americano e assumir o segundo lugar e via a chance de vencer pela primeira vez na motovelocidade e quebrar um jejum de 19 anos, a chance era agora, era a melhor do ano, Criville estava também disposto a Ganhar. Barros acabou perdendo no começo da terceira parte da pista a parte rápida o Segundo lugar para Kocinski que não tinha mais tempo para alcançar Criville que venceu a corrida, Mas o Norte-americano ficou com o segundo posto com a Yamaha que não era nada mal mas perder de Honda ai era ruim sim, Barros superava as expectativas e subia ao pódio pela primeira vez em sua extensa carreira no mundial de Motovelocidade. A Tv acompanhava a tentativa de Cees Doorakkers, piloto da casa com a moto Valvoline 15 de marcar pontos, Em vão, ele só conseguiu o 12ºlugar com a Harris/Yamaha. Marcaram pontos além dos três primeiros: Garriga em 4º, Mamola em 5º, Miguel Duhamel que ficou com o 6ºlugar na volta final e tirou esse posto de Niall Mackenzie que ficou em 7º, Corrado Catalano em 8º, Eddie Laycock em 9º e Kevin Mitchell em 10º completado a zona de pontuação. O Campeonato ficava com Doohan com 136, Schwantz com 77 em segundo, Rainey que não disputou a corrida com 65, Doug Chandler com 57, Kocinski subiu muito e foi para 54, Alex Criville também subiu bastante e estava com 49, Barros estava em 10º com 24 pontos após essa corrida inclusive na frente do tetracampeão Eddie Lawson que só tinha feito 18 pontos e jogou fora a chance de ter feito uma vitória nessa pista ou até de um pódio pela precipitada manobra sobre Schwantz.

Michael Doohan com esse acidente com consequência disso perderia o título de 1992, Mas antes do acidente em Assen o campeonato estava nas mãos dele mostrando que ele já era dominador desde de 1992, não começou seu domínio em 1994, já era a Era Doohan nas 500cc sim senhor.

Resultado Final

1 Alex Criville (Honda) a 42:00.424 em 20 Voltas
2 John Kocinski (Yamaha) a 0.762
3 Alex Barros (Cagiva) a 0.793
4 Juan Garriga (Yamaha) a 2.254
5 Randy Mamola (Yamaha) a 34.006
6 Miguel Duhamel (Yamaha) a 39.944
7 Niall Mackenzie (Yamaha) a 40.415
8 Corrado Catalano (ROC/Yamaha) a 43.589
9 Eddie Laycock (Yamaha) a 44.048
10 Kevin Mitchell (Harris/Yamaha) a 1:00.115
11 Michael Rudroff (Harris/Yamaha) a 1:21.785
12 Cees Doorakkers (Harris/Yamaha) a 1:27.838
13 Toshiyuki Arakaki (ROC/Yamaha) a 1:33.764
14 Simon Buckmaster (Harris/Yamaha) a 1:33.999
15 Thierry Crine (ROC/Yamaha) a 1:34.265
16 Serge David (ROC/Yamaha) a 1:57.647
17 Niggi Schmassman (ROC/Yamaha) a 2:03.953
18 Marco Papa (Librenti) a 2:17.150
19 Peter Graves (Harris/Yamaha) a 1 Volta
20 Lucio Pedercini (Paton/Cagiva) a 1 Volta
21 Josef Doppler (ROC/Yamaha) a 5 Voltas

Não Terminaram a corrida:

Claude Arciero (ROC/Yamaha) a 13 Voltas
Kevin Schwantz (Suzuki) 6 a 14 Voltas
Eddie Lawson (Cagiva) 6 a 14 Voltas
Dominique Sarron (ROC/Yamaha) 6 a 14 Voltas
Doug Chandler (Suzuki) 2 a 18 Voltas
Andreas Leuthe (VRP) 2 a 18 Voltas

Não Largaram para a corrida:

Juan Manuel López Mella (ROC/Yamaha)
Peter Goddard (ROC/Yamaha)
Mick Doohan (Honda)
Wayne Gardner (Honda)

Fotos:

 

View post on imgur.com

Fotos e Vídeo da Corrida – Creditos: Moto GP

 

Press Conference Drivers – Formula 1 2014

Como acontece um dia antes do começo das atividades de pista, 6 Pilotos são selecionados para uma conferência para falarem de suas expectativas para a corrida ou comentar alguma polêmica em que eles estejam envolvidos na equipe ou nas pistas.

Vejam o que aconteceu nas 6 conferências das 5 primeiras etapas da Formula 1que aconteceram um dia antes dos treinos livres

Austrália

Malásia

Bahrein

China

Espanha

Mônaco