Premiação de cada piloto nas 500 milhas de Indianapolis em 2014

1 Ryan Hunter-Reay $2,491,194
2 Helio Castroneves $785,194
3 Marco Andretti $585,194
4 Carlos Munoz $449,194
5 Juan Pablo Montoya $441,944
6 Kurt Busch $423,889
7 Sebastien Bourdais $384,194
8 Will Power $442,194
9 Sage Karam $270,305
10 JR Hildebrand $366,194
11 Oriol Servia $247,305
12 Simon Pagenaud $374,444
13 Alex Tagliani $368,694
14 Jacques Villeneuve $354,194
15 Sebastian Saavedra $349,194
16 James Davison $341,194
17 Carlos Huertas $339,694
18 Ryan Briscoe $344,444
19 Takuma Sato $342,444
20 Jack Hawksworth $346,194
21 Mikhail Aleshin $340,194
22 Justin Wilson $339,194
23 Martin Plowman $225,805
24 Pippa Mann $226,805
25 Townsend Bell $226,805
26 Tony Kanaan $343,194
27 Ed Carpenter $463,694
28 James Hinchcliffe $376,194
29 Scott Dixon $390,694
30 Josef Newgarden $344,194
31 Charlie Kimball $341,194
32 Buddy Lazier $225,305
33 Graham Rahal $341,194

Total de Premiações na Indy de 2014 foi de U$ 14.231.763

Essa é a terceira maior premiação dada para as 500 milhas de Indianápolis desde do começo da sua história em 1911, Premiação que foi 2 milhões de Dólares maior do que a premiação de 2013., a Maior delas foi a de 2008 com o total de premiação em U$ 14.352.580, A segunda maior foi a do ano de 2009 com . A premiação para o campeão das 500 milhas de Indianapolis U$ 14.293.315.
não é a maior da história, a maior delas é a de 2009 com $3,048,005 dados ao vencedor que foi o Brasileiro Hélio Castroneves. Ryan Hunter Reay ficou com $2,491,194. Confira ass premiações dos anos anteriores:

Veja os números das premiações das 500 milhas dos anos anteriores:

Premiação em 2013

Tony Kanaan $2,353,355
Carlos Munoz $964,205
Ryan Hunter-Reay $583,005
Marco Andretti $469,755
Justin Wilson $337,805
Helio Castroneves $313,755
AJ Allmendinger $261,155
Simon Pagenaud $262,805
Charlie Kimball $269,305
Ed Carpenter $405,955
Oriol Servia $271,305
Ryan Briscoe $230,555
Takuma Sato $264,805
Scott Dixon $268,005
Ana Beatriz $262,805
Tristan Vautier $227,305
Simona de Silvestro $262,805
EJ Viso $276,555
Will Power $273,255
James Jakes $227,555
James Hinchcliffe $267,955
Conor Daly $227,305
Dario Franchitti $277,805
Alex Tagliani $263,255
Graham Rahal $262,805
Katherine Legge $225,305
Townsend Bell $237,255
Josef Newgarden $264,305
Sebastien Bourdais $262,805
Pippa Mann $225,305
Buddy Lazier $230,305
Sebastian Saavedra $225,305
JR Hildebrand $264,305

em 2012

Dario Franchitti $2,474,280
Scott Dixon $1,102,280
Tony Kanaan $636,580
Oriol Servia $443,430
Ryan Briscoe $489,930
James Hinchcliffe $357,680
Justin Wilson $303,430
Charlie Kimball $277,655
Townsend Bell $251,305
Helio Castroneves $308,930
Rubens Barrichello $331,080
Alex Tagliani $252,205
Graham Rahal $306,680
JR Hildebrand $306,680
James Jakes $252,555
Simon Pagenaud $303,680
Takuma Sato $301,755
E.J. Viso $303,430
Michel Jourdain Jr. $253,305
Sebastien Bourdais $252,805
Ed Carpenter $304,930
Katherine Legge $303,680
Ana Beatriz $252,805
Marco Andretti $368,480
Josef Newgarden $257,805
Sebastian Saavedra $256,305
Ryan Hunter-Reay $346,680
Will Power $310,430
Mike Conway $305,430
Bryan Clauson $258,055
Wade Cunningham $251,555
Simona de Silvestro $303,430
Jean Alesi $251,555

em 2011

Dan Wheldon $2,567,255
JR Hildebrand $1,064,895
Graham Rahal $666,945
Tony Kanaan $438,745
Scott Dixon $519,345
Oriol Servia $364,845
Bertrand Baguette $256,255
Tomas Scheckter $253,805
Marco Andretti $311,245
Danica Patrick $321,745
Ed Carpenter $251,655
Dario Franchitti $369,695
Charlie Kimball $251,555
Will Power $318,745
Vitor Meira $306,745
Justin Wilson $309,995
Helio Castroneves $320,245
Buddy Rice $252,805
Alex Lloyd $254,805
Pippa Mann $251,555
Ana Beatriz $306,745
John Andretti $251,305
Ryan Hunter-Reay $252,805
Davey Hamilton $251,305
Paul Tracy $252,805
Townsend Bell $252,805
Ryan Briscoe $356,745
Alex Tagliani $492,245
James Hinchcliffe $256,305
Jay Howard $251,555
Simona de Silvestro $311,745
E.J. Viso $306,745
Takuma Sato $310,245

em 2010

Dario Franchitti $2,752,055
Dan Wheldon $1,010,805
Marco Andretti $631,505
Alex Lloyd $425,305
Scott Dixon $377,805
Danica Patrick $307,305
Justin Wilson $312,255
Will Power $385,805
Helio Castroneves $545,655
Alex Tagliani $302,805
Tony Kanaan $328,555
Graham Rahal $251,805
Mario Romancini $305,555
Simona de Silvestro$327,055
Tomas Scheckter $262,555
Townsend Bell $251,805
Ed Carpenter $250,305
Ryan Hunter-Reay $302,305
Mike Conway $307,055
Takuma Sato $302,055
Ana Beatriz $250,305
Bertrand Baguette $300,555
Sebastian Saavedra $255,555
Ryan Briscoe $307,305
E.J. Viso $301,805
Sarah Fisher $250,305
Vitor Meira $300,305
Hideki Mutoh $315,305
Raphael Matos $300,305
John Andretti $251,805
Mario Moraes $301,805
Bruno Junqueira $261,805
Davey Hamilton $255,305

em 2009

Helio Castroneves $3,048,005
Dan Wheldon $1,258,805
Danica Patrick $763,305
Townsend Bell $445,305
Will Power $345,305
Scott Dixon $374,155
Dario Franchitti $386,305
Ed Carpenter $302,805
Paul Tracy $271,805
Hideki Mutoh $301,805
Alex Tagliani $295,305
Tomas Scheckter $280,305
Alex Lloyd $270,305
Scott Sharp $270,305
Ryan Briscoe $349,755
A.J. Foyt IV $271,805
Sarah Fisher $270,305
Mike Conway $300,555
John Andretti $276,805
Milka Duno $301,805
Vitor Meira $300,305
Raphael Matos $308,305
Justin Wilson $300,305
E.J. Viso $300,305
Nelson Philippe $270,555
Oriol Servia $271,805
Tony Kanaan $303,305
Robert Doornbos $305,555
Davey Hamilton $271,805
Marco Andretti $315,305
Graham Rahal $305,805
Ryan Hunter-Reay $353,305
Mario Moraes $301,805

em 2008

Scott Dixon $2,988,065
Vitor Meira $1,273,215
Marco Andretti $782,065
Helio Castroneves $482,815
Ed Carpenter $399,665
Ryan Hunter-Reay $328,065
Hideki Mutoh $307,115
Buddy Rice $311,415
Darren Manning $301,815
Townsend Bell $275,315
Oriol Servia $302,065
Dan Wheldon $366,815
Will Power $300,565
Davey Hamilton $270,315
Enrique Bernoldi $300,565
John Andretti $300,315
Buddy Lazier $327,015
Mario Moraes $303,415
Milka Duno $300,315
Bruno Junqueira $301,215
A.J. Foyt IV $311,815
Danica Patrick $301,915
Ryan Briscoe $312,315
Tomas Scheckter $270,315
Alex Lloyd $272,065
E.J. Viso $301,565
Justin Wilson $302,065
Jeff Simmons $270,000
Tony Kanaan $331,215
Sarah Fisher $277,215
Jaime Camara $300,565
Marty Roth $300,315
Graham Rahal $312,065

164 Voltas – em 2007

Dario Franchitti $1,645,233
Scott Dixon $719,067
Helio Castroneves $646,303
Sam Hornish Jr. $360,389
Ryan Briscoe $302,305
Scott Sharp $368,305
Tomas Scheckter $304,105
Danica Patrick $298,005
Davey Hamilton $268,905
Vitor Meira $280,305
Jeff Simmons $278,347
Tony Kanaan $414,319
Michael Andretti $238,247
A.J. Foyt IV $252,305
Alex Barron $249,305
Kosuke Matsuura $245,305
Ed Carpenter $246,305
Sarah Fisher $238,305
Buddy Lazier $216,805
Darren Manning $232,305
Roger Yasukawa $234,305
Dan Wheldon $231,805
Richie Hearn $224,305
Marco Andretti $229,351
Buddy Rice $222,805
Al Unser Jr. $205,805
Jaques Lazier $207,389
Marty Roth $216,305
Phil Giebler $230,305
John Andretti $204,305
Milka Duno $213,555
Jon Herb $193,305
Roberto Moreno $224,805

Em 2014: U$ 14.231.763
Em 2013: U$ 12.020.065
Em 2012: U$ 13.280.815
Em 2011: U$ 13.506.235
Em 2010: U$ 13.592.815
Em 2009: U$ 14.293.315
Em 2008: U$ 14.352.580
Em 2007: U$ 10.642.815

Motovelocidade – GP da Holanda de 1992

Grid de Largada

1 Eddie Lawson (Cagiva) 2’03.675
2 Mick Doohan (Honda) 2’03.692
3 Wayne Gardner (Honda) 2’03.829
4 John Kocinski (Yamaha) 2’03.995
5 Kevin Schwantz (Suzuki) 2’04.001
6 Doug Chandler (Suzuki) 2’04.366
7 Juan Garriga (Yamaha) 2’04.688
8 Alex Criville (Honda) 2’04.726
9 Randy Mamola (Yamaha) 2’04.964
10 Alex Barros (Cagiva) 2’05.703
11 Niall Mackenzie (Yamaha) 2’06.351
12 Corrado Catalano (ROC/Yamaha) 2’06.374
13 Eddie Laycock (Yamaha) 2’06.515
14 Miguel Duhamel (Yamaha) 2’06.595
15 Toshiyuki Arakaki (ROC/Yamaha) 2’06.956
16 Michael Rudroff (Harris/Yamaha) 2’07.363
17 Peter Goddard (ROC/Yamaha) 2’07.748
18 Kevin Mitchell (Harris/Yamaha) 2’08.886
19 Cees Doorakkers (Harris/Yamaha) 2’09.115
20 Thierry Crine (ROC/Yamaha) 2’09.287
21 Juan Manuel López Mella (ROC/Yamaha) 2’09.527
22 Serge David (ROC/Yamaha) 2’09.601
23 Simon Buckmaster (Harris/Yamaha) 2’09.612
24 Dominique Sarron (ROC/Yamaha) 2’09.696
25 Niggi Schmassman (ROC/Yamaha) 2’10.571
26 Marco Papa (Librenti) 2’10.654
27 Peter Graves (Harris/Yamaha) 2’12.113
28 Lucio Pedercini (Paton/Cagiva) 2’12.313
29 Josef Doppler (ROC/Yamaha) 2’13.124
30 Claude Arciero (ROC/Yamaha) 2’15.262
31 Andreas Leuthe (VRP) 2’15.761

Criville conquista primeira vitória e Barros alcança primeiro pódio em Corrida marcada por acidentes.

Em 7 corridas da temporada de 1992 um domínio enorme de Michael Doohan com a Honda parecia que o título estaria tranquilamente com ele. Após mais um treino de onde Lawson com a Cagiva largava em 1º com Doohan em 2º, Gardner em 3º Ambos de Honda, Kocinski de Yamaha em 4º e Kevin Schwantz em 5º com a Suzuki. Barros largava em 10ºlugar. A prova não teria a presença de Wayne Rainey da Yamaha.
Mas no Treino de aquecimento Doohan e Gardner sofrem acidentes que impedem de ambos disputarem a corrida. Com isso A Honda estava sem representantes na primeira fila e teria que contar com Alex Criville que largava em 8ºlugar.

Para Schwantz e Lawson essa era a chance de vencer a corrida. Na largada na primeira fila reposicionada estava Lawson, Kocinski, Schwantz e Chandler, Na largada Schwantz foi muito bem e assumiu a ponta com Barros que largou muito bem em 2º e Lawson em 3º ambos de Cagiva, Duhamel, Chandler e Mamola viriam um pouco mais atrás.

A melhor das largada foi sem dúvida a de Barros que ainda tentava se firmar na motovelocidade nas 500cc, Logo Lawson passava a Barros e iria para o ataque em cima de Schwantz, Um ataque brutal diga-se de passagem, Barros e Chandler acompanhavam de perto na catedral do motociclismo que é Assen.
Schwantz, Lawson, Barros, Chandler formavam um grupo e Chandler estava na liderança do segundo grupo, Enquanto Lawson partia para o ataque em cima de Schwantz a outra Suzuki atacava Barros, Chandler iria para cima de Barros e conseguia a ultrapassagem para assumir o terceiro lugar no final da segunda volta, Mas quando parecia que Chandler iria para cima dos dois primeiros na terceira volta Chandler acaba por deixar a corrida, A Mesma coisa aconteceu com Andreas Leuthe com a VRP (Moto pior que a Paton, acredite). Schwantz continuava ameaçado por Lawson, Barros estava de perto acompanhando e ganhando a referência de dois grandes pilotos e provavelmente aprendendo muito vendo aquela Briga que já durava 3 voltas e iria para a 4ªVolta da corrida. Barros tenta um ataque em cima de Lawson que se defende muito bem desse ataque.

Classificação após 3 voltas: 1. Kevin Schwantz (6:20.902), 2. Eddie Lawson (a 0.188), 3. Alexandre Barros (a 0.369),4. Juan Garriga (a 3.156) 5. Alex Criville (a 3.519), 6. Michael Duhamel (a 4.579).
Schwantz se mantem na frente apesar dos ataques do Tetracampeão Lawson com a Cagiva, Barros enquanto isso faz a volta mais rápida da prova na volta 3 com 2:04.972, Média de 174,25 km/h ou 106,27 mph e ainda acompanhando aos dois primeiros colocados a um pouco menos de 1 segundo de ambos. Garriga começava a ser pressionado pela Honda de Alex Criville que era a única Honda na pista, Enquanto Schwantz faz na 4ªVolta a volta mais rápida da prova com 2:04.858 com média de 174.41 km/h – 108.37 Mph e a moto dele se mostrava mais equilibrava do que a moto de Lawson que tentava passar Schwantz de qualquer jeito.

De Vez em quando Barros em terceiro chegava mais perto da briga entre os dois, Mas poderia estar se arriscando pois num toque desse entre Schwantz e Lawson poderia levar ele junto na confusão, Barros fazia a melhor volta da prova na volta 5 com 2:04.753 – Média de 174.56 km/h – 108.46 Mph.
Tudo poderia indicar um acidente entre Schwantz e Lawson a qualquer momento por causa do jeito louco de Lawson correr com a Moto Italiana, Barros teria que esperar um pouco mais que a queda poderia vim. E ela veio na 7ªvolta da prova, Schwantz vira a curva de maneira correta e Lawson tenta a ultrapassagem na entrada da Curva, toca na moto de Schwantz que perde o controle da Moto e cai, Lawson não se desvia da moto de Schwantz e cai também, Ambos vão ao chão de maneira violenta, Schwantz acaba caindo e sentindo a queda, mas nada demais, ele estava bem e se mexendo, Lawson já saiu andando em pé, A Moto de Schwantz ficou bem mais destruída do que a de Lawson, Ambos deixaram a corrida e Barros que estava em 3º se beneficiou de tudo e pela primeira vez nas 500cc liderava uma corrida com a outra Cagiva, Com Garriga e Criville logo em seguida.

Mas para Barros isso seria um problema pois ele acabou perdendo um pouco a referência de Schwantz e de Lawson na frente, alias ótimo trabalho dos médicos de Assen em 1992 foram para o local do acidente em questão de segundos ao local socorrer a ambos os pilotos que deixavam a corrida naquele momento.
Classificação após 7 Voltas completadas: 1. Alexandre Barros (14:42.296), 2. Juan Garriga (a 2.487), 3. Alex Crivlille (a 2.883), 4. John Kocinski (a 5.553), 5. Michael Duhamel (a 14.254), 6. Randy Mamola (a 14.398).

Na Metade da corrida Barros poderia vencer pela primeira vez na carreira, Mas pouco acostumado com a Ponta acabou sendo alcançado de maneira muito rápida por Juan Garriga e Alex Criville, Garriga com a Yahama número 6 tirou 1 segundo e 2 décimos em uma volta e reduziu a diferença para 1.202. A Espanha tinha uma boa geração de pilotos e já tinha seus pilotos brigando por boas posições enquanto que o Brasil na Motovelocidade tinha pouquíssimas tradições, Apenas fez nome com o Adu Celso-Santos nos anos 70 na 350cc quando ele ganhou a primeira e única corrida até o então para o Brasil na Motovelocidade, poderia em Assen 19 de jejum acabar se Barros ganhasse, Mas não era tão fácil para a Cagiva dele que não era a melhor moto do Grid, Na verdade era a quarta do Grid.

Mas Garriga não tava seguro na ponta não ele tinha a pressão de Criville que queria o segundo lugar de Garriga e um pouco mais atrás John Kocinski estava chegando para tentar entrar na Festa. A corrida chegava na sua metade com 21 motos ainda na prova para 10 primeiros lugares marcarem pontos.
Barros na 10ªvolta iria firme na ponta enquanto Criville passou a Garriga e assumiu o segundo lugar da prova, A corrida começava a ficar mais interessante para Criville que a 10 voltas do final poderia Honrar o nome da Honda e vencer pela primeira vez nas 500cc, Criville foi para cima na 10ªVolta e passou a Alex Barros para assumir o primeiro lugar, quando aconteceu isso parecia que Barros iria esmolecer, pelo contraio ele foi a luta e no final da 11ªvolta na chicane que levava a reta dos boxes ele passou a Criville e assumiu novamente a ponta da prova, A classificação após 10 voltas era 12.Barros, 28. Criville, 6. Garriga, 4. Kocinski, 8. Mamola, 17. Duhamel.

Barros estava determinado a vencer pela primeira vez, Mas tinha dois pilotos atrás que estavam tão determinados a vencer corrida pela primeira vez que eram Criville e Garriga, E logo atrás chegando finalmente na disputa um Kocinski que já sabia o que era vencer na Motovelocidade das 500cc, Na 3ªVolta no começo dela Barros conseguiu abrir um respiro enquanto Garriga passava a Criville e assumia o segundo lugar, empolgado ele foi para cima de Barros, Foi tanto para cima que 2 ou 3 curvas depois ele erra e com isso Criville e Kocinski passaram por ele, Criville continua a perseguição a Barros que tinha uma pequena vantagem sobre o segundo colocado depois da luta que teve Garriga e Criville e do Erro do Garriga, mas a corrida estava longe do final e Barros teria que provar que mereceria essa vitória e até aquele momento ele estava fazendo por merecer aguentando ataques de três pilotos perigosos e talentosos, Os Favoritos Rainey, Gardner, Lawson, Schwantz e Doohan deixaram a festa com os coadjuvantes, No final da 12ªVolta Kocinski passava a Criville que depois do começo da 13ªvolta deu o troco para o norte-americano da Yamaha-Marlboro e voltou ao segundo lugar, Euquanto isso Randy Mamola estava em 5ºlugar longe da briga pelo primeiro lugar. Barros perdeu a tomada da curva e acabou tomando ultrapassagem de Criville, Kocinski e de Garriva e passou a ficar com o 4ºlugar, podendo não acompanhar mais essa briga. Koskincki a 5 voltas do final assumia a ponta da prova com Criville, Garriga e Barros em 4º um pouco mais longe mais ainda assim acompanhando aos 3. Classificação com 14 voltas com 6 voltas para o final da prova: 4. Kocinski, 28. Criville, 6. Garriga, 12. Barros, 8. Mamola, 17. Duhamel.

Criville iria para cima de Kocinski enquanto Barros se aproximava de Garriga mostrando esta vivo na luta pela vitória, Criville na 15ªVolta na 2ªparte de pista assumia o primeiro lugar mostrando a força da única Honda na pista e Barros já foi para cima de Garriga e voltava ao 3ºlugar querendo a primeira posição de volta, com 4 voltas para o final estava tudo em aberto para os 4 vencerem. Kocinski tentou passar a Criville só que o Espanhol manteve a ponta enquanto passavam os 4 primeiros pela Paton de Lucio Pedercini como foguete, A menos de 5 voltas do final na chicane que levava a reta dos boxes Barros reassumiu o segundo lugar, e estava com o ímpeto de vencer a prova, Classificação com 16 voltas completadas: 28. Criville, 12. Barros, 4. Kocinski, 6. Garriga, 8. Mamola, 17. Duhamel.

Mostrando esta bem Barros mas a Cagiva deu uma grande moto para o Brasileiro, Barros tentou o ataque para cima de Criville faltando um pouco menos de 3 voltas para o final, O Brasileiro foi para cima de Alex Criville passou ao Espanhol da Honda e reassumiu a ponta da prova, Kocinski tentou se aproveitar e passar ao Espanhol, era um show de final na catedral a ceu aberto da Motocicleta em Assen. Restando 2 voltas Barros tentava segurar a tão sonhada primeira vitória, Mas Criville fez direitinho o Bote e assumia a primeira posição, Barros tentava recuperar a ponta da prova, Só que Kocinski foi para cima de Barros antes e assumiu a ponta da prova e ele poderia tentar a segunda vitória na categoria, Só que qualquer um dos três poderia vencer, Criville, Kocinski ou Barros, Já Garriga ficou para trás.

Na Volta final foi um pega pra capar, Criville, Kocinski e Barros lutaram pela vitória, Barros no começo da Volta conseguiu ultrapassar ao norte-americano e assumir o segundo lugar e via a chance de vencer pela primeira vez na motovelocidade e quebrar um jejum de 19 anos, a chance era agora, era a melhor do ano, Criville estava também disposto a Ganhar. Barros acabou perdendo no começo da terceira parte da pista a parte rápida o Segundo lugar para Kocinski que não tinha mais tempo para alcançar Criville que venceu a corrida, Mas o Norte-americano ficou com o segundo posto com a Yamaha que não era nada mal mas perder de Honda ai era ruim sim, Barros superava as expectativas e subia ao pódio pela primeira vez em sua extensa carreira no mundial de Motovelocidade. A Tv acompanhava a tentativa de Cees Doorakkers, piloto da casa com a moto Valvoline 15 de marcar pontos, Em vão, ele só conseguiu o 12ºlugar com a Harris/Yamaha. Marcaram pontos além dos três primeiros: Garriga em 4º, Mamola em 5º, Miguel Duhamel que ficou com o 6ºlugar na volta final e tirou esse posto de Niall Mackenzie que ficou em 7º, Corrado Catalano em 8º, Eddie Laycock em 9º e Kevin Mitchell em 10º completado a zona de pontuação. O Campeonato ficava com Doohan com 136, Schwantz com 77 em segundo, Rainey que não disputou a corrida com 65, Doug Chandler com 57, Kocinski subiu muito e foi para 54, Alex Criville também subiu bastante e estava com 49, Barros estava em 10º com 24 pontos após essa corrida inclusive na frente do tetracampeão Eddie Lawson que só tinha feito 18 pontos e jogou fora a chance de ter feito uma vitória nessa pista ou até de um pódio pela precipitada manobra sobre Schwantz.

Michael Doohan com esse acidente com consequência disso perderia o título de 1992, Mas antes do acidente em Assen o campeonato estava nas mãos dele mostrando que ele já era dominador desde de 1992, não começou seu domínio em 1994, já era a Era Doohan nas 500cc sim senhor.

Resultado Final

1 Alex Criville (Honda) a 42:00.424 em 20 Voltas
2 John Kocinski (Yamaha) a 0.762
3 Alex Barros (Cagiva) a 0.793
4 Juan Garriga (Yamaha) a 2.254
5 Randy Mamola (Yamaha) a 34.006
6 Miguel Duhamel (Yamaha) a 39.944
7 Niall Mackenzie (Yamaha) a 40.415
8 Corrado Catalano (ROC/Yamaha) a 43.589
9 Eddie Laycock (Yamaha) a 44.048
10 Kevin Mitchell (Harris/Yamaha) a 1:00.115
11 Michael Rudroff (Harris/Yamaha) a 1:21.785
12 Cees Doorakkers (Harris/Yamaha) a 1:27.838
13 Toshiyuki Arakaki (ROC/Yamaha) a 1:33.764
14 Simon Buckmaster (Harris/Yamaha) a 1:33.999
15 Thierry Crine (ROC/Yamaha) a 1:34.265
16 Serge David (ROC/Yamaha) a 1:57.647
17 Niggi Schmassman (ROC/Yamaha) a 2:03.953
18 Marco Papa (Librenti) a 2:17.150
19 Peter Graves (Harris/Yamaha) a 1 Volta
20 Lucio Pedercini (Paton/Cagiva) a 1 Volta
21 Josef Doppler (ROC/Yamaha) a 5 Voltas

Não Terminaram a corrida:

Claude Arciero (ROC/Yamaha) a 13 Voltas
Kevin Schwantz (Suzuki) 6 a 14 Voltas
Eddie Lawson (Cagiva) 6 a 14 Voltas
Dominique Sarron (ROC/Yamaha) 6 a 14 Voltas
Doug Chandler (Suzuki) 2 a 18 Voltas
Andreas Leuthe (VRP) 2 a 18 Voltas

Não Largaram para a corrida:

Juan Manuel López Mella (ROC/Yamaha)
Peter Goddard (ROC/Yamaha)
Mick Doohan (Honda)
Wayne Gardner (Honda)

Fotos:

 

View post on imgur.com

Fotos e Vídeo da Corrida – Creditos: Moto GP

 

Press Conference Drivers – Formula 1 2014

Como acontece um dia antes do começo das atividades de pista, 6 Pilotos são selecionados para uma conferência para falarem de suas expectativas para a corrida ou comentar alguma polêmica em que eles estejam envolvidos na equipe ou nas pistas.

Vejam o que aconteceu nas 6 conferências das 5 primeiras etapas da Formula 1que aconteceram um dia antes dos treinos livres

Austrália

Malásia

Bahrein

China

Espanha

Mônaco

GP do Japão de 1995

Grid de Largada

1 Michael Schumacher (Benetton/Renault) 1’38.023
2 Jean Alesi (Ferrari) 1’38.888
3 Mika Häkkinen (McLaren/Mercedes) 1’38.954
4 Damon Hill (Williams/Renault) 1’39.032
5 Gerhard Berger (Ferrari) 1’39.040
6 David Coulthard (Williams/Renault) 1’39.155
7 Eddie Irvine (Jordan/Peugeot) 1’39.621
8 Heinz-Harald Frentzen (Sauber/Ford) 1’40.010
9 Johnny Herbert (Benetton/Renault) 1’40.349
10 Rubens Barrichello (Jordan/Peugeot) 1’40.381
11 Olivier Panis (Ligier/Mugen-Honda) 1’40.838
12 Mika Salo (Tyrrell/Yamaha) 1’41.355
13 Ukyo Katayama (Tyrrell/Yamaha) 1’41.977
14 Gianni Morbidelli (Footwork/Hart) 1’42.059
15 Karl Wendlinger (Sauber/Ford) 1’42.912
16 Pedro Lamy (Minardi/Ford) 1’43.102
17 Luca Badoer (Minardi/Ford) 1’43.542
18 Taki Inoue (Footwork/Hart) 1’44.074
19 Andrea Montermini (Pacific/Ford) 1’46.097
20 Pedro Diniz (Forti/Ford) 1’46.654
21 Roberto Moreno (Forti/Ford) 1’48.267
22 Bertrand Gachot (Pacific/Ford) 1’48.289
23 Mark Blundell (McLaren/Mercedes) 16’42.640

Não Largou:

– Aguri Suzuki (Ligier/Mugen-Honda) 1’41.592

Schumacher vence pela 9ªvez na temporada sob pista molhada em Suzuka

Schumacher após conquistar o título mundial de 1995 em Aida (GP do Pacífico) já tinha confirmado sua ida para a Ferrari em 1996, a Penúltima corrida da temporada era no Japão na pista de Suzuka que mostrava no grid de largada uma pista molhada mais sem chuva.

A Corrida a princípio teria 24 pilotos, mas Aguri Suzuki que tinha tempo para largar em 13ºlugar acabou batendo muito forte e machucou o pescoço, depois disso Suzuki abandonaria a carreira de piloto, Mark Blundell sofreu grave acidente e iria largar da 23ªposição. Schumacher largava na pole com Alesi em segundo, Hakkinen em 3º, Hill em 4º, Berger em 5º e Coulthard em 6º.

Após a volta de apresentação A largada foi dada com Schumacher mantendo a ponta e Alesi em 2º e Hakkinen em terceiro enquanto isso Morbidelli rodando na primeira curva da pista por causa de um toque de Karl Wendlinger. Roberto Pupo Moreno tentou largar dos boxes, entretanto não conseguiu, seu câmbio falhou. Após 1 volta a classificação era: Schumacher – Alesi 1.586 – Hakkinen 3.393 – Hill 4.659 – Irvine 6.303 e Coulthard 6.678; Mas já pela primeira volta já se via que a água já não era tanta na pista e que a pista não iria demorar a secar enquanto isso Schumacher com a Benetton-Renault disparava na Frente, enquanto isso Irvine assumia o 6ºlugar de David Coulthard e logo depois o 5ºlugar por que Berger perdeu posição para Irvine e Coulthard.

Alesi tentava acompanhar ritmo de corrida de Schumacher enquanto isso muito pouco mais atrás Hakkinen e Hill travavam duelo pelo 3ºlugar estando a mais de 5 segundos de Alesi. Herbert, Frentzen e Panis estavam brigando por posição também, Mas isso era por posições abaixo dos seis primeiros colocados. Para a Sorte de Schumacher, Alesi e Berger pularam antes do sinal verde na largada e iriam ter de parar por 10 segundos nos boxes como punição, isso deixava Schumacher com muito mais folga na liderança da corrida já que o segundo seria Hakkinen e Hill seria o Terceiro.

Alesi já iria cumprir sua punição de 10 segundos, o francês voltou na frente de Panis e atrás de Barrichello, Herbert e Frentzen na 9ªposição. Berger também cumpriu a sua punição de 10 segundos nos boxes. Alesi enquanto isso já passava por Frentzen e iria pra cima de Herbert que também partia para o Ataque em cima de Barrichello, e quando Alesi conseguiu ultrapassagem em cima de Herbert ele foi para os boxes para colocar pneus lisos, ele apostava que a pista iria secar e que os pneus de pista seca já estavam consideravelmente bons para serem usados na pista. Apesar da pista que já estava começando a secar achei prematuro de Alesi essa parada. Classificação após Voltas 7 voltas: Schumacher, Hakkinen, Hill, Irvine, Coulthard, Barrichello.

Schumacher passeava na pista com 11 segundos na frente de Mika Hakkinen, Seu companheiro de equipe e Rubens Barrichello foram aos boxes para a primeira parada deles enquanto isso Alesi numa distante 15ªposição rodou após pisar na grama ao tentar passar uma Minardi brigando por posição e perdeu mais tempo na corrida, Na volta 9 Hill também iria aos boxes para sua primeira parada, aos poucos os pilotos iriam trocando seus pneus de chuva por pneus de pista seca enquanto isso Alesi na volta 9 fazia a melhor volta da corrida com 1:54.416, Schumacher que não tinha trocado os pneus ainda estava virando 7 segundos mais lento que Alesi mostrando que os pneus de pista seca já estavam melhores do que os de chuva tanto é que Schumacher na volta 10 fez a troca para os pneus lisos o mesmo fez David Coulthard, com isso Alesi galgava posições fazendo 1:51.404 na volta 10 sendo a volta mais rápida dele 3 segundos mais rápida que a volta mais rápida dele na volta 9. A corrida já tinha em termos de abandonos Moreno que não largou e de Gianni Morbidelli que rodou tinha também Bertrand Gachot com a Pacific que deixou a corrida com problemas com o Semieixo na 7ªvolta.

Alesi numa espetacular ultrapassagem passa Damon Hill numa incrível ultrapassagem e voltava a briga pelos primeiros lugares, Hakkinen e Irvine iriam para os boxes trocarem seus pneus, Mas Alesi já estava em 2ºlugar com penalidade que ele teve e ele caindo para o 15ºlugar e estava mais rápido que Schumacher naquele momento da corrida. Classificação após 12 voltas: Schumacher – Alesi a 6.862 – Hill a 9.760 – Hakkinen a 18.248 – Irvine a 23.655 e Coulthard a 25.737. Alesi faria 1:49.628 na volta 12. O Francês estava possuído mesmo fazendo a 3 volta mais rápida nas 4 últimas voltas. e Alesi virava 3 segundos mais rápido que Schumacher, algo impressionante com a Ferrari. Katayama com sua Tyrrell que vinha em 14ºlugar abandonava a corrida depois rodar e bater na proteção de pneus. O Japonês deixava a corrida na volta 13.

Na Volta 15 Alesi cada vez mais perto de Schumacher e Coulthard passava Irvine que agora teria Rubens Barrichello brigando pelo 6ºlugar. Alesi com 1:48.409 na volta 14 mais uma vez fazia a volta mais rápida da corrida, e na volta 15 fez 1:47.620 num incrível ritmo de corrida que Schumacher não conseguia conter o avanço do Francês. Apos 15 voltas a Classificação era a seguinte: Schumacher, Alesi, Hill, Hakkinen, Coulthard, Irvine, Barrichello, Frentzen, Berger, Herbert, Salo, Panis eram os 12 primeiros colocados.

Barrichello partia para o ataque em cima de Irvine e tentando ultrapassagem acaba rodando na entrada da Chicane e deixando a corrida quando vinha em 7ºlugar, Berger também abandonava a corrida quando iria assumir a 8ªposição. Barrichello inclusive chegou a tocar no carro do Irlandês que por sorte de Eddie Jordan continuou na corrida.

Alesi definitivamente chegava em Schumacher e na volta 17 fazia de novo a volta mais rápida com 1:47.090 e já chegava em Schumacher, ultrapassagem era questão de tempo, Irvine brigava para manter 6ªposição mas sofria pressão forte de Frentzen com a Sauber. Alesi 1:45.858 na volta 18 e com essa volta Alesi finalmente já estava no retrovisor de Schumacher. Ambos já tinham 10 segundos na frente de Hill.
Classificação após 20 voltas: Schumacher – Alesi a 1.971 – Hill a 11.832 – Hakkinen a 25.807 – Coulthard a 31.836 – Irvine a 46.053. Frentzen que estava em 7ºlugar numa tentativa desastrada de ultrapassagem tocou em Irvine e perdeu o bico do carro, já era a segunda vez que o Irlandês tomava de alguém na corrida e ainda assim Irvine manteve a 6ºlugar. Na briga pelo 1ºlugar Schumacher conseguiu equilibrar a disputa conseguindo igualar ao desempenho de Alesi na corrida, Quem fazia a volta mais rápida na volta 21 era David Coulthard que fez 1:44.941 isso ajudou Coulthard a diminuir sua distância que ele tinha para Hakkinen na briga pelo 4ºlugar.

Classificação após 23 voltas: Schumacher, Alesi, Hill, Hakkinen, Coulthard, Irvine, Herbert, Salo, Panis, Frentzen, Blundell, Badoer, Lamy, Wendlinger, Montermini, Inoue e Diniz. Os outros abandonaram a corrida e Montermini também deixaria a corrida após uma rodada de sua fraquíssima Pacific. Enquanto isso Schumacher resolve apertar seu ritmo fazendo 1:43.659 a melhor volta da corrida e ao mesmo tempo uma fumaça no carro de Alesi, a transmissão de sua Ferrari foi para o espaço fazendo o francês deixar a corrida, apesar do rápido carro a Ferrari não teve confiabilidade para vencer nessa corrida. com isso Hill passava a ser o segundo, Hakkinen o 3º e Coulthard o 4ºlugar já se aproximando de Hakkinen com a Mclaren e Schumacher mais tranquilo na ponta da corrida A briga do momento na corrida era de Coulthard vs Hakkinen pelo terceiro lugar na corrida isso já chegando na metade da corrida.
Frentzen quase atrapalhou Schumacher Rodando na corrida mais uma vez, Hakkinen na volta 27 fazia a melhor volta da corrida com 1:43.395 e se aproximava de Damon Hill na luta pelo Segundo lugar da corrida, Hakkinen faz sua segunda parada de reabastecimento de combustível e troca de pneus, sua troca não foi nada boa e ele caiu para o 4ºlugar. A pista nessa altura do campeonato já estava seca praticamente. Panis e Inoue também foram aos boxes para a segunda troca de pneus. Enquanto Schumacher tinha quase 19 segundos na frente de Hill.

Classificação após 29 voltas: Schumacher, Hill, Coulthard, Hakkinen, Herbert, Irvine. 15 pilotos estavam ainda na corrida. Schumacher, Hill e Coulthard não tinham parado ainda para fazer a 2ªtroca de pneus. Coulthard na volta 30 faz 1:43.102 e era o dono da volta mais rápida da corrida, A Benetton estava pronta para a parada de Schumacher que foi para a segunda parada na volta 32, Hill assumiria a ponta da corrida até a sua parada, a parada de Schumacher demorou 12 segundos, uma parada Normal para os padrões da época, Mas Hill teria de também fazer uma parada. Salo e Blundell também faziam suas paradas, todas as paradas demoravam de 12 a 13 segundos com a ideia de terminar a corrida com o terceiro tanque e o terceiro jogo de pneus, na volta 33 Schumacher fazia de novo a melhor volta da corrida com 1:42.976. A Classificação em 33 voltas Mostrava Hill, Schumacher a 9.926, Coulthard a 14.479, Hakkinen a 41.034, Herbert a 1:08.509 e Irvine a 1:16.465. Coulthard na volta 34 foi para os boxes e demorou 11.5 segundos.

Hill foi para os boxes na volta 35 e a equipe Williams fez uma bela troca de 10.5 segundos, Schumacher reassumiu a ponta da corrida Hill em segundo Coulthard em 3º e Hakkinen em 4º. Pedro Paulo Diniz acabou deixando a corrida após ele rodar na pista.
Schumacher tinha mais de 13 segundos na frente de Hill, mas era uma distância boa para administrar, Damon Hill na volta 36 acaba perdendo o seu carro e saindo da pista e perdendo muito tempo caindo para a 4ªposição e dessa forma ele teve de ir aos boxes para uma terceira parada, as chances de Hill na corrida acabaram, pois ele precisava trocar seu bico e dessa forma perdeu muito tempo mesmo, mas de 20 segundos, outro que sai da pista é Mark Blundell no mesmo ponto, já começo a acreditar que tenha caído óleo de algum carro naquela parte da pista ou se não foi isso é por que foi descuido dos pilotos. Hill caiu de 2º para o 5ºlugar, um prejuízo grande na corrida. Classificação após 39 voltas: Schumacher, Coulthard, Hakkinen, Herbert, Hill, Frentzen, Irvine, Panis, Salo, Blundell, Wendlinger, Badoer, Lamy e Inoue eram os 14 pilotos que continuavam na corrida.

Na Volta 40 Coulthard sai da pista no mesmo ponto que Hill e Blundell saíram da pista, voltou para a corrida mas ele acabou rodando quando se encaminhava para a Chicane perto da reta dos boxes, e na volta seguinte para completar o Desastre do time inglês Hill também roda e deixa a corrida, Hill antes disso acabava de ter uma punição por exceder o Limite de velocidade. Com tudo isso Schumacher tinha 34 segundos de folga para Hakkinen que era o segundo com Herbert de Benetton em 3º, Irvine da Jordan em 4º, Panis de Ligier em 5º e Salo com o Tyrrell-Yamaha em 6ºlugar, Nas voltas finais quem poderia na pista mudar o panorama da corrida era o Inglês Mark Blundell que largou de último e estava em 7ºlugar perseguindo ao Finlandês da Tyrrell, de resto somente através de quebras é que a história da corrida poderia mudar.

Por ironia do destino no final da corrida acabou tendo um sol bem fraco, mas mesmo assim tivemos um sol no final da corrida, nas voltas finais pouco se viu de briga a não ser uma ultrapassagem de Wendlinger em cima de Lamy valendo o 10ºlugar na corrida e a tentativa de Blundell em tentar marcar um ponto, que acabou em nenhum sucesso.

Schumacher venceu com tranquilos 19 segundos atrás de Hakkinen numa atuação muito boa do seu Mclaren-Mercedes chegando a 1 minuto na frente de Herbert que pouco apareceu na corrida e herdou posições para chegar ao pódio, Irvine em 4º após ser alvo de Barrichello e Frentzen em erros desses dois pilotos conseguiu sobreviver e terminar numa respeitável posição com Panis da Ligier em 5º e Salo fechando a Zona de pontuação em 6º.

Blundell, Frentzen, Badoer, Wendlinger, Lamy e Inoue terminaram a corrida. Inoue acabou sendo o único dos 3 japoneses a terminar a prova.

Resultado final do GP do Japão de 1995

Fotos:

Fotos: Bestlap/Formel1mic
Texto: Deivison Conceição

Classificação da Formula 1 Se Fosse por melhores voltas de Prova

Essa Classificação seria se contasse a Classificação das Voltas mais rápidas por corrida como o Critério da Zona de Pontuação, veja como ficaria essa Classificação.

Mundial de pilotos – Classificação das Voltas mais rápidas:

1. Nico Rosberg 123 Pontos
2. Lewis Hamilton 91 Pontos
3. Daniel Ricciardo 73 Pontos
4. Fernando Alonso 64 Pontos
5. Sebastian Vettel 55 Pontos
6. Kimi Raikkonen 40 Pontos
7. Felipe Massa 30 Pontos
8. Valtteri Bottas 24 Pontos
9. Kevin Magnussen 24 Pontos
10.Nico Hulkenberg 23 Pontos
11.Danill Kvyat 20 Pontos
12.Sergio Perez 16 Pontos
13.Jenson Button 8 Pontos
14.Esteban Gutierrez 6 Pontos
14.Max Chilton 6 Pontos
16.Romain Grosjean 2 Pontos
17.Marcus Ericsson 1 Ponto

Mundial de Construtores:

1. Mercedes 224 Pontos
2. Red Bull-Renault 128 Pontos
3. Ferrari 104 Pontos
4. Williams-Mercedes 54 Pontos
5. Force India-Mercedes 39 Pontos
6. Mclaren-Mercedes 32 Pontos
7. Toro Rosso-Ferrari 20 Pontos
8. Sauber-Ferrari 6 Pontos
8. Marussia-Ferrari 6 Pontos
10.Lotus-Renault 2 Pontos
11.Caterham-Renault 1 Ponto