O Dia 31 que durou 21 anos – Parte 2

Governo de Humberto de Alencar Castelo Branco

Nascido no ano de 1897, Ele foi o primeiro presidente da Ditadura Militar de fato, Antes da Posse ele hesitou a assumir o poder, Até porque ele não era o único candidato. Os outros candidatos eram Dutra, Kruel, Mourão Filho e Magalhães Pinto. O General Costa e Silva era favorável ao comando supremo da revolução continuassem no poder.

No dia 9 de Abril, A junta Militar liderada por Costa e Silva baixou o AI-1. Foi o primeiro dos Atos Institucionais da Ditadura Militar. Esse ato cassou os direitos políticos de 102 Brasileiros. Entre eles de João Goulart, Leonel Brizola, Jânio Quadros, Miguel Arraes e Luis Carlos Prestes, Porém o Ato marcaria as eleições para Outubro de 1965 e a volta da Normalidade para 31 de Janeiro de 1966. (Porém, Essa Normalidade esta longe de ser uma realidade, Durante a Ditadura Militar ela seria adiada várias vezes)

No dia 11, Castelo Branco foi eleito Presidente como presidente provisório com 361 votos de um Congresso que já estava Expurgado. Foi formado um novo ministério com Costa e Silva (Ministro da Guerra), Roberto Campos (Ministro do Planejamento) e Gouveia Bulhões (Ministro da Fazenda) No dia 13 de Junho, Castelo Branco Cria o Serviço Nacional de Informações e coloca na Chefia da Entidade Golbery. 4 dias depois ele tem o seu mandado prorrogado até o dia 15 de Março de 1967. (A Normalidade Política no Brasil era pela primeira vez adiada)

Isso não foi suficiente para satisfazer as necessidades da Linha Dura. As eleições de 1965 dois aliados de JK foram eleitos Governadores: Israel Pinheiro (Minas Gerais) e Negrão de Lima (Rio de Janeiro). A Partir dai o Regime endurece, No dia 17 de Outubro de 1965 Castelo Branco cede a pressão e assina o AI-2 que acabou com a constituição de 46 e ampliou os poderes do presidente, Fazendo com que o as Eleições continuassem indiretas assim como a eleição que elegeu o General. Além disso deixava o Brasil nas mãos da Justiça Militar e acabaria com o Multipartidarismo, Criou-se assim a Arena (Partido do Governo e ligado a UDN) e o MDB (O Partido de oposição que era composto por políticos do PTB e PSD. No dia 12 de Fevereiro de 1966 foi assinado o AI-3, Que estabeleceu eleições indiretas para os governos estaduais.

Em Janeiro de 1967, Castelo Branco aprova a constituição que institucional a ditadura. Em Fevereiro surge a lei de imprensa que cerceou a liberdade de pensamento e informação.

Castelo Branco deixava o poder depois de ter Cassado os direitos políticos de mais de 2.000 Pessoas, Assina mais de 700 lei, 11 Emendas, 312 Decretos leis e 19.259 decretos e baixou a constituição de 1967.

Seu sucessor seria o “Linha dura” Artur de Costa e Silva da ARENA, Ele foi eleito com abstenção do MDB. O novo presidente teria de enfrentar uma maior oposição e mais ousada linha dura, Cada vez mais radical.

Artur de Costa e Silva foi eleito com o plano de estabelecer a Democracia no País. Mas a partir da efetivação de Delfin Neto como Ministro da Fazenda, O presidente começou a ser visto pela linha dura como inimigo. Costa e Silva era pressionado por todos os lados.

Isso fez com que ele endurecesse o seu governo. Após a morte do Estudante Edson Luiz em Março de 1968, Da Passeata dos 100 mil no Rio de Janeiro no dia 26 de Junho de 1968 e com o discurso do Deputado Márcio Moreira em Setembro o General decretou o mais terrível dos atos institucionais do Regime: O AI-5.

Em Agosto de 1969, Costa e Silva sofre um derrame, Uma junta militar assume o comando do Brasil. No dia 17 de Dezembro de 1969 o Ex-presidente falece. Na luta da sucessão, O General Garrastazu Médici vence com Facilidade. A partir dai começaria o pior e mais radical governo da História da República Federativa do Brasil.

Emílio Garrastazu Médici – O Presidente das Trevas

No dia 30 de Outubro de 1969, Assumia o poder o mais terrível e o mais sanguinários dos presidentes, Médici consolidou o poder da “Comunidade de Informações” e para combater a esquerda ele utilizou as táticas de “Guerra Suja” Que supostamente começou a ser usado pelo lado dos “Terroristas”.

Seu governo era bizarro. Para a população o que se chegava de informação é que o Brasil vinha as mil maravilhas, Que o Brasil era um “Pais Grande”, “Pais que vai para Frente”. Ajudado pela conquista da seleção Brasileira na Copa do Mundo no México em 1970, Foi nessa época que o Governo usava o Bordão: “Brasil, Ame-o ou Deixe-o!” Já nos porões, Tudo que acontecia era apenas sangue jorrando, Tortura, Humilhação, Repressão e Morte. Tudo por debaixo dos panos, Já que a imprensa era censurada.

Médici foi o único presidente da Ditadura militar a retroceder aos tempos do Estado Novo. Médici fez propaganda maciça a favor do regime e com o legislativo reduzido à condição de mero homologador das decisões de um executivo ultra centralizador.

O Governo Medici nunca teve tanta censura, Tanto cerceamento das liberdades individuais e de pensamento. Nunca houve tão pouca crítica ao Governo. (Até porque se tinha censura a imprensa naquela época) A não ser pelos tiros devido a Guerrilha Urbana ou Rural. (Por de baixo dos planos, Existia muita repressão, Muita incompetência e muita corrupção existente nessa época triste da história do Brasil)

Em 1972, Médici enterra outra vez a esperança da redemocratização do país, Modificando a Emenda constitucional nº2, Que modificou a Carta outorgada pela junta militar que previa eleições diretas para 1974. Isso seria a gota D’Agua da Repressão. O grupo dos Generais “Castelistas” Começou a adotar a ideia de que deveriam reconduzir o país para o mínimo de normalidade Constitucional para o Brasil. Os Castelistas lançam Ernesto Geisel como candidato a presidente.

Os Ufanismos de Médici:

Construção da Transamazônica que se revelou um Fracasso.
Delírio das 200 milhas Náuticas quanto só se reconhecia apenas 12 Milhas

Mas a pior dos delírios foi o chamado “Milagre Econômico” Entre 1969 até 1973 o PIB do País cresceu em média 11% ao ano (Sendo 13% no ano de 1973). Porém o Crescimento acabou com a crise do petróleo em 1974. As empresas internacionais retraíram seus investimentos. Isso fez com que tivéssemos uma Brutal concentração de renda e o crescimento desmedido da Dívida Externa. Isso teve consequências para o Brasil nos anos 80, Que ficou sendo considerada pelos economistas como a “Década perdida”

Em uma Entrevista, Médici falou a seguinte Frase: “O Brasil vai bem, Mas o povo vai mal” essa frase resumia muito bem o que era o seu governo.

As Guerrilhas Urbanas

A Medida que o Regime endurecia, Começava a surgir a resistência Armada por parte da esquerda que queria acabar com o Regime. O PCB era contra a luta armada, Mas integrantes do partido (Que foi Cassado pelo AI-2) acabaram entrando nessa luta armada. Um dos Principais militantes dessas revoltas era o Antigo Militante Carlos Marighella, Em 1967 ele cria a Aliança Libertadora Nacional – ALN. Foi responsável pelo assalto a bancos para financiar as Guerrilhas (Tanto urbanas como as Guerrilhas Rurais) Em Agosto de 1969, de forma espetacular acabaram tomando uma estação da Rádio Nacional e acabou lendo um “Manifesto Revolucionário”.

Inspirados pelo Marighella, Pela revolução Cubana e pelos Slogans revolucionários pelo mundo “Criar um, Criar dois, Criar Três, Mil Vietnãs”. Centenas de Estudantes de Classe média aderiram a Guerrilha em 1968 e 1969. Para o Governo, A Morte de Marighella era questão de honra. Essa morte ficou ao Cargo de Sergio Paranhos Fleury e seus homens. No dia 4 de Novembro de 1969, Marighella foi surpreendido e abatido pelos homens do Delegado Fleury.

Isso não enfraqueceu a Guerrilha, Com o endurecimento cada vez maior, Surge várias outras organizações além da ALN. (VPR, MR-8 e VAR-Palmares) Isso fez com que o Governo Médici radicalizasse ainda mais a repressão. Em Julho de 1969 por meio de empresários foi criado a Operação Bandeirante (Oban), DOI-Codis (Centros de operações de defesa Interna) e o CIE. (Centro de Informações do Exército)

As Casas de Tortura era uma instituição que desafiava até o próprio governo. O líder dos torturadores era Carlos Alberto Brilhante Ustra ele era conhecido como “Doutor Tibiriçá”. ele foi acusado pelo desaparecimento e morte de pelo menos 60 pessoas. Durante sua gestão, pelo menos 500 casos de tortura teriam sido cometidos nas dependências do DOI-Codi.

Entre as pessoas torturadas pelo Torturador Ustra estavam: Amelinha Teles e Gilberto Natalini (Atualmente vereador pela cidade de São Paulo)

“Sempre fui a favor da mobilização das consciências contra qualquer tirania. Nunca fui a favor de ações violentas. Acolhíamos perseguidos políticos, prestando atendimento médico quando necessário”, “Mas todo mundo que se opunha ao governo militar era visto como terrorista”, Falou Gilberto Natalini em uma entrevista a BBC Brasil.

“Eu estava sentada em uma cadeira do dragão, nua, amarrada, levando choque no corpo inteiro, ânus, vagina. Enquanto isso, o Gaeta, que era um torturador, estava se masturbando e jogando esperma em cima de mim” – Falou Amelinha Teles em uma entrevista ao Opera Mundi.

Ustra é o primeiro militar reconhecido como Torturador, “Uma conquista inédita na Justiça Brasileira”

A Guerrilha Rural era financiada por meio dos assaltos que as Guerrilhas Urbanas faziam. O primeiro foco de Guerrilha na zona rural aconteceu em 1966, na Serra do Caparaó, Fronteira entre Minas Gerais e Espirito Santo, Com apenas 14 Guerrilheiros do Movimento Nacional Revolucionário foi logo desbaratado pelo exercito em Janeiro de 1967. O MNR deu origem à vanguarda popular Revolucionária. Sobre a Liderança do Capitão Carlos Lamarca.

Lamarca era um desertor do exercito Brasileiro. Em Janeiro de 1969 ele fugiu do Quartel de Quintaúna, Em Osasco (SP). Levando 63 Fuzis RAL, 10 Metralhadoras INA e 3  Bazucas. Lamarca era um Nacionalista de Esquerda e depois de 1957 também um Marxista. Desde de 1967 fazia parte da VPR. Lamarca e sua companheira Iara Lavalberg escaparam do Vale da Ribeira. Ambos eram Filiados ao MR-8. Sua companheira ficou em Salvador, Foi presa e morta (Na Versão oficial dizia que ela se suicidou) em Agosto de 1971.

No dia 17 de Setembro, Lamarca e o Metalúrgico José Barreto foram surpreendidos e assassinados quando dormiram. O PC do B criou um novo foco de resistência, com 70 Homens que resistiram até o ano de 1973, Quando a Guerrilha acabou sem apoio dos camponeses. Na Zona Rural a Guerrilha acabava definitivamente sufocada no País.

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fontes: História do Brasil – Zero Hora / RBS Jornal – BBC Brasil e Opera Mundi
Vídeo: Opera Mundi / Comissão Nacional da Verdade

Resultado dos Treinos Livres – GP do Brasil

1ºTreino Livre

Pos Piloto Equipe Chassis Motor Tempo Voltas
1 33 Max Verstappen Red Bull Racing RB14 TAG Heuer 1:09.011 16
2 5 Sebastian Vettel Ferrari SF71H Ferrari 062 EVO 1:09.060 20
3 44 Lewis Hamilton Mercedes F1 W09 EQ Power+ Mercedes M09 EQ Power+ 1:09.107 28
4 3 Daniel Ricciardo Red Bull Racing RB14 TAG Heuer 1:09.395 23
5 7 Kimi Räikkönen Ferrari SF71H Ferrari 062 EVO 1:09.573 28
6 77 Valtteri Bottas Mercedes F1 W09 EQ Power+ Mercedes M09 EQ Power+ 1:09.679 23
7 8 Romain Grosjean Haas VF-18 Ferrari 062 EVO 1:09.922 28
8 20 Kevin Magnussen Haas VF-18 Ferrari 062 EVO 1:10.236 15
9 16 Charles Leclerc Sauber C37 Ferrari 062 EVO 1:10.346 28
10 31 Esteban Ocon Force India VJM11 Mercedes M09 EQ Power+ 1:10.361 34
11 55 Carlos Sainz Renault R.S.18 Renault R.E.18 1:10.662 34
12 27 Nico Hulkenberg Renault R.S.18 Renault R.E.18 1:10.679 34
13 36 Antonio Giovinazzi Sauber C37 Ferrari 062 EVO 1:10.685 29
14 18 Lance Stroll Williams FW41 Mercedes M09 EQ Power+ 1:10.799 30
15 10 Pierre Gasly Scuderia Toro Rosso STR13 Honda RA618H 1:10.934 30
16 47 Lando Norris McLaren MCL33 Renault R.E.18 1:11.013 28
17 35 Sergey Sirotkin Williams FW41 Mercedes M09 EQ Power+ 1:11.037 30
18 28 Brendon Hartley Scuderia Toro Rosso STR13 Honda RA618H 1:11.176 32
19 2 Stoffel Vandoorne McLaren MCL33 Renault R.E.18 1:11.452 23
20 34 Nicholas Latifi Force India VJM11 Mercedes M09 EQ Power+ 1:11.493 34

2ºTreino Livre

Pos Piloto Equipe Chassis Motor Tempo Voltas
1 77 Valtteri Bottas Mercedes F1 W09 EQ Power+ Mercedes M09 EQ Power+ 1:08.846 48
2 44 Lewis Hamilton Mercedes F1 W09 EQ Power+ Mercedes M09 EQ Power+ 1:08.849 43
3 5 Sebastian Vettel Ferrari SF71H Ferrari 062 EVO 1:08.919 42
4 3 Daniel Ricciardo Red Bull Racing RB14 TAG Heuer 1:09.164 44
5 33 Max Verstappen Red Bull Racing RB14 TAG Heuer 1:09.339 28
6 7 Kimi Räikkönen Ferrari SF71H Ferrari 062 EVO 1:09.412 42
7 8 Romain Grosjean Haas VF-18 Ferrari 062 EVO 1:09.769 44
8 16 Charles Leclerc Sauber C37 Ferrari 062 EVO 1:09.943 44
9 20 Kevin Magnussen Haas VF-18 Ferrari 062 EVO 1:10.007 39
10 31 Esteban Ocon Force India VJM11 Mercedes M09 EQ Power+ 1:10.159 45
11 11 Sergio Perez Force India VJM11 Mercedes M09 EQ Power+ 1:10.320 23
12 10 Pierre Gasly Scuderia Toro Rosso STR13 Honda RA618H 1:10.330 44
13 14 Fernando Alonso McLaren MCL33 Renault R.E.18 1:10.332 36
14 55 Carlos Sainz Renault R.S.18 Renault R.E.18 1:10.458 48
15 9 Marcus Ericsson Sauber C37 Ferrari 062 EVO 1:10.532 44
16 35 Sergey Sirotkin Williams FW41 Mercedes M09 EQ Power+ 1:10.569 46
17 2 Stoffel Vandoorne McLaren MCL33 Renault R.E.18 1:10.596 26
18 18 Lance Stroll Williams FW41 Mercedes M09 EQ Power+ 1:10.662 44
19 28 Brendon Hartley Scuderia Toro Rosso STR13 Honda RA618H 1:10.734 46
20 27 Nico Hulkenberg Renault R.S.18 Renault R.E.18 1:11.674 6

3ºTreino Livre

Pos Piloto Equipe Chassis Motor Tempo Voltas
1 5 Sebastian Vettel Ferrari SF71H Ferrari 062 EVO 1:07.948 17
2 44 Lewis Hamilton Mercedes F1 W09 EQ Power+ Mercedes M09 EQ Power+ 1:08.165 15
3 77 Valtteri Bottas Mercedes F1 W09 EQ Power+ Mercedes M09 EQ Power+ 1:08.465 23
4 7 Kimi Räikkönen Ferrari SF71H Ferrari 062 EVO 1:08.490 17
5 33 Max Verstappen Red Bull Racing RB14 TAG Heuer 1:08.733 12
6 3 Daniel Ricciardo Red Bull Racing RB14 TAG Heuer 1:08.788 12
7 20 Kevin Magnussen Haas VF-18 Ferrari 062 EVO 1:09.146 14
8 8 Romain Grosjean Haas VF-18 Ferrari 062 EVO 1:09.257 16
9 10 Pierre Gasly Scuderia Toro Rosso STR13 Honda RA618H 1:09.402 22
10 16 Charles Leclerc Sauber C37 Ferrari 062 EVO 1:09.448 21
11 27 Nico Hulkenberg Renault R.S.18 Renault R.E.18 1:09.461 19
12 31 Esteban Ocon Force India VJM11 Mercedes M09 EQ Power+ 1:09.588 18
13 9 Marcus Ericsson Sauber C37 Ferrari 062 EVO 1:09.808 23
14 55 Carlos Sainz Renault R.S.18 Renault R.E.18 1:09.864 17
15 35 Sergey Sirotkin Williams FW41 Mercedes M09 EQ Power+ 1:09.885 14
16 28 Brendon Hartley Scuderia Toro Rosso STR13 Honda RA618H 1:09.985 18
17 18 Lance Stroll Williams FW41 Mercedes M09 EQ Power+ 1:10.001 17
18 14 Fernando Alonso McLaren MCL33 Renault R.E.18 1:10.020 15
19 11 Sergio Perez Force India VJM11 Mercedes M09 EQ Power+ 1:10.116 18
20 2 Stoffel Vandoorne McLaren MCL33 Renault R.E.18 1:10.289 16

Mercado de Pilotos da Formula Indy em 2019

Vamos analisar o Mercado de pilotos para a temporada de 2019 do Mundial de Formula Indy.

Pelo menos temos já no Grid de largada 22 pilotos de forma permanente que vão fazer a temporada completa. E com a expectativa de esse quadro aumentar para 24 até 26 pilotos fixos.

Na A.J. Foyt, Os brasileiros Tony Kannan e Matheus Leist foram mantidos para a temporada de 2019. Garantindo a participação Brasileira na Formula Indy.

Na Andretti, Zach Veach, Alexander Rossi, Ryan Hunter-Reay e Marco Andretti continuam na equipe para a próxima temporada, Com os Motores Honda. Enquanto os 3 primeiros pilotos estão na Andretti Autosport, O filho de Michael Andretti vai correr pela Andretti Herta. Como um 4ºcarro da Andretti. (Um braço direito da Andretti Autosport)

A Equipe Carlin pode colocar 3 carros para o Grid em 2019. Apesar disso só confirmaram a permanência do Inglês Max Chilton que vai para a sua 4ªTemporada na categoria norte-americana. As outras duas vagas ainda estão disponíveis para o ano que vem.

Na Chip Ganassi, O Campeão Scott Dixon vai para o seu 17ºano seguido na Ganassi. O Pentacampeão da Indy terá como companheiro de equipe o Sueco Felix Rosenqvist no carro 10, Será a estreia do piloto que acabou com o Campeonato Europeu de Formula 3 em 2015, 3ºlugar na Formula E de 2016/17 e 3ºlugar da Super Formula do ano de 2017 e que vai substituir a Ed Jones.

Sebastien Bourdais que fez uma grande temporada em 2018, continua na Dale Coyne. O Francês vai ter um companheiro fixo para 2019. Vai ser o Norte-Americano Santino Ferrucci. Fazendo 4 corridas em 2017 após se envolver em Polêmica na Formula 2 o piloto de 20 anos vai fazer seu primeiro ano completo na Formula Indy.

A Carpenter contratou Ed Jones para disputar 13 das 17 corridas do campeonato. Nas 500 milhas de Indianapolis ele corre com o carro 64 em parceria com a Scuderia Corsa. Ed Carpenter vai correr nas 5 corridas em circuito oval. No carro 21 vai correr o Norte-Americano Spencer Pigot que vai para a sua segunda temporada na equipe.

A Harding após um primeiro ano de algumas boas corridas, mas sem resultados expressivos parte para o segundo ano unido forças com a equipe Steinbrenner Racing. Terá dois pilotos que estrearam pela Indy na prova de Sonoma em 2018. Destaque para o Mexicano Pato O’Ward que foi muito bem na sua única participação. O Filho de Bryan Herta, O Norte-americano Colton Herta será o outro piloto para 2019.

A Rahal Letterman Lanigan vai manter Graham Rahal e Takuma Sato. O Filho de Bobby Rahal vai fazer sua 7ªTemporada seguida no time de seu pai Bobby Rahal. Já o Samurai voador vai correr pela Rahal pelo 3ºano. (2ºSeguido, Sua primeira participação foi em 2012)

A Schmidt Peterson mantem o carro 6 para o Canadense Robert Wickens que sofreu o terrível acidente nas 500 milhas de Pocono. Porém Wickens revelou a 2 semanas atrás que ficou paraplégico e que precisa recuperar os movimentos das pernas. Como respeito ao piloto acidentado, O carro 6 esta sendo guardado para a volta do Canadense.

James Hinchcliffe vai ser o líder da Schmidt para 2019 e terá como companheiro de equipe no carro 7, O Sueco Marcos Ericsson que após 5 anos na Formula 1 vai mudar de ares para correr nos circuitos dos Estados Unidos. Se Alonso não estiver no Grid, Passa a ser Ericsson a maior atração da IndyCar para 2019.

A Penske vai com seus 3 carros para a temporada de 2019. Disposta a recuperar o título os pilotos continuam sendo os mesmos: Josef Newgarden, Will Power e Simon Pagenaud. O Brasileiro Hélio Castroneves vai correr apenas as 500 milhas de Indianapolis em busca da sua 4ªVitória.

A Meyer Shank em parceria com a Schmidt vai continuar com o jovem Jack Harvey, A expectativa é que o piloto inglês possa fazer até 10 corridas na temporada de 2019.

Ainda tem vagas na Carlin, Na Juncos que não sabe se vai correr a temporada toda com seus dois carros. E Ainda esta muito longe de saber quem vai disputar as 500 milhas de Indianapolis, Vagas que só serão definidos mais para a frente, Até o Mês de Abril de 2019.

Veja o quadro dos pilotos e equipes para a temporada de 2019 da Formula Indy.

A.J.Foyt Enterprises Chevrolet
4. Matheus Leist Brasil
14. Tony Kannan Brasil
Andretti Autosport Honda
26. Zach Veach Estados Unidos
27. Alexander Rossi Estados Unidos
28. Ryan Hunter-Reay Estados Unidos
Andretti Herta Honda
98. Marco Andretti Estados Unidos
Carlin Chevrolet
59. Max Chilton Inglaterra
Vago
Vago
Chip Ganassi Racing Honda
9. Scott Dixon Nova Zelândia
10. Felix Rosenqvist Suécia
Dale Coyne Racing Honda
19. Santino Ferrucci Estados Unidos
18. Sebastien Bourdais França
Ed Carpenter Racing
20. Ed Carpenter Estados Unidos
20/64. Ed Jones EAU
21. Spencer Pigot Estados Unidos
Harding Steinbrenner Racing Indefinido
8. Patricio O’Ward México
88. Colton Herta Estados Unidos
Juncos Racing Indefinido
Vago
Vago
Meyer Shank Honda
60. Jack Harvey Inglaterra
Rahal Lettermann Lanigan Racing Honda
15. Graham Rahal Estados Unidos
30. Takuma Sato Japão
Schmidt Peterson Motorsports Honda
5. James Hinchcliffe Canadá
6. Robert Wickens Canadá
7. Marcus Ericsson Suécia
Team Penske Chevrolet
2. Josef Newgarden Estados Unidos
3. Hélio Castroneves Brasil
12. Will Power Austrália
22. Simon Pagenaud França

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: IndyCar/Sauber

Especial: O dia 31 que durou 21 anos – Parte 1

Devido aos lamentáveis acontecimentos das eleições de 2018, O Portal Sportszone resolveu fazer um especial com 3 Partes que serão colocadas no nosso site nesses 3 dias de evento do GP do Brasil de Formula 1. Esse especial vai falar sobre a Ditadura Militar. Desde da Origem do Golpe até a derrubada do Golpe com a implantação do Regime Democrático que nós vivemos hoje e que esta ameaçado com o novo governo que foi eleito.

Se vocês observarem e lerem direitinho, Poderão observar que muitas características do que aconteceu no período do Golpe acabaram acontecendo nas eleições de 2018 no Brasil.

A matéria do GP do Brasil só vai ser postada na Terça-Feira. É uma forma de protesto que fazemos pela vitória do fascismo nas eleições desse ano.

Então vamos para o primeiro Capitulo desse especial:

O Dia 31 que durou 21 anos – Parte 1

O Golpe Militar de 1964 foi dado no dia primeiro de Abril de 1964. Porém, ele começou a 10 anos atrás, Os golpistas quiseram tirar Getúlio Vargas do Poder. Com o suicídio de Vargas acabou por colocar por terra por um tempo a tentativa de Golpe.

Nos anos 60, Com a entrada de Jango o fantasma do Golpe Ressurge, Sobre o motivo do “Espectro do Comunismo” que nunca chegou de existir de verdade. Por esse motivo, Os Militares golpistas tiraram Jango do poder. Começaria a partir dai 21 anos de um regime que se caracterizou por cercear liberdades, Perseguição aos opositores, Tortura aos presos políticos que lutavam para libertar o país da Ditadura Militar, Censura previa nos veículos de comunicação. Economicamente esse regime cobrou o preço no seu final: Com uma mega infração de mais de 200% ao ano. (O que fez dos anos 80 a “Década Perdida” segundos os economistas)

No dia 19 de Março de 1964 ocorreu em São Paulo a Marcha para Família com deus pela Liberdade. Organizado pela União Cívica Feminina e pela campanha da Mulher pela Democracia. Foram patrocinados pelo Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais – O IPES foi fundado por empresários Cariocas e Paulistas. Em um espaço de 2 anos, O Instituto investiu 500 mil dólares, obtidos através de colaboração de 300 empresas Norte-Americanas, Ocupava 13 salas do 27ºandar do edifício Av.Central na cidade do Rio de Janeiro. Isso possibilitou que se grampeasse a mais de 3.000 telefonemas  de colaboradores e simpatizantes de Jango.

A Marcha pela Família reuniu 500.000 pessoas que clamavam pela derrubada o presidente João Goulart. Em uma das  faixas dizia o seguinte: “Nossa Senhora Aparecida, Iluminai os Reacionários

O Golpe teve o apoio dos governadores Ney Braga (Paraná), Ildo Meneghetti (Rio Grande do Sul), Ademar de Barros (São Paulo) e Magalhães Pinto (Minas Gerais) O Jornalista Carlos Lacerda foi um conspirador Civil que teve um Grande papel para o sucesso do Golpe. Ele conspirou para impedir a posso de Juscelino Kubitschek em 1955. Em 1960 ele acabou sendo eleito Governador da Guanabara. A Partir dai, Lacerda conspira de todas as formas para derrubar João Goulart. Inclusive com notícias falsas (Era a Fake News da época) e censura dos jornais. O Clero conservador também ajudou no Golpe, Liderado pelo Cardeal D. Jaime Barros e pelo Padre Americano Partick Peyton.

Na parte Militar, Os três Ministros Militares: General Odílio Denys (Guerra), Brigadeiro Grün Moss (Aeronáutica) e Almirante Sílvio Heck (Marinha) eram contra o retorno de Goulart ao Brasil por razões de “Segurança Nacional” Jango voltou de uma viagem da China para a sua posse, A partir dai começou a trama do Golpe que tinha sido abortado depois do Suicídio de Getúlio Vargas.

Essa guerra contra Jango começou quando ainda como ministro do trabalho de Getúlio Vargas, Propôs um aumento de 100% do Salário Mínimo. Com isso foi lançado “O Manifesto dos Coronéis” Que contou com a assinatura de 42 Coronéis. Amauri Kruel, Antônio Carlos Murici, Os Tenentes-coronéis Sílvio Frota, Eduardo Melo e Golbery de Couto e Silva foram os que assinaram esse Manifesto. Liderados por Odílio Denys e o General Cordeiro de Farias (O revolucionário de 30) Essa propaganda reacendeu e se junto ao líder do Exercito de Minas Gerais, O General Olímpio Mourão que lutava contra o herdeiro de Getúlio Vargas. (Jango)

O Grupo dos modernizadores não compartilhava com as ideias de Jango, Que eram considerados como ideias Sindicalistas ou Comunistas e estavam se articulando com o empresariado (Através do IPES) que defendia o Binômio “Segurança e Desenvolvimento” Que na verdade era uma defesa a concentração de Renda e arrocho Salarial. Para os empresários, Essa era a forma mais ajustada para as necessidades desenvolvimentistas da nação. Já o Grupo dos linhas Duras queria defender a nação a qualquer custo do Chamado “Espectro Comunista”.

O Grupo dos Modernizadores que era compostos por Ernesto Orlando Geisel, Antônio Carlos Murici e Cordeiro de Farias e Golbery tinham mais representação nos veículos de Comunicação e da Sociedade Civil.

O Grupo dos tradicionalistas que era composto por Artur da Costa e Silva, Olímpio Mourão, Odílio Denys e Muniz de Aragão tinha o poder das armas e da estratégia Militar. Desde do final de 1963 eles articularam o plano formal para tomar o poder, Esse plano foi concebido pelo General Ulhoa Cintra. Esse plano seria executado no dia 31 de Março de 1964.

Para que o Golpe tivesse êxito, Era necessário encontrar um personagem que unisse os dois seguimentos. Essa figura acabou sendo o General Castelo Branco, que era um legalista e hesitou a se unir aos golpistas. Em Janeiro de 1963 Castelo Branco se reuniu com o Cordeiro de Farias. A partir dai começava a aproximação com os Golpistas, Em Março de 1963, Surge o Documento que diminuiu dentro da Lei o poder de Obediência dos militares ao presidente em Nome da “Lealdade ao Exercito”.

Um ano depois, Devido a presença de João Goulart ao encontro dos Sargentos. E pelos acontecimentos do comício das Reformas e a Revolta dos Marinheiros, O General Castelo Branco aderiu fortemente ao Golpe. Ainda havia seguimentos leais ao presidente Jango: Os Generais Assis Brasil, Ladário Telles e Morais Âncora. Já o General Amaury Kruel (Amigo de Jango) tinha uma posição desconhecida até o dia 31 de Agosto quando ele aderiu ao Golpe.

A Trama do Golpe foi desenlaçada no dia 31 de Março de 1964. As 3 da manhã, Olímpio Mourão partiu para o Rio de Janeiro com as tropas saindo da cidade de Juiz de Fora (Cerca de 6 mil homens). Castelo Branco acabou telefonando para o Governador Magalhães Pinto pedindo para que as Tropas voltassem para os Quarteis. O Governador disse que era tarde demais, Uma vez que as tropas estavam na fronteira com o Rio de Janeiro.

Esses momentos poderiam ter levado o Brasil a ter até uma guerra civil, Caso Jango tivesse articulado com os seguimentos do Exercito que ainda eram leais o presidente. A Marcha Golpista teve momentos de tensão. Os 3 mil homens chefiados pelo General Médici poderiam ter tido um confronto com o poderosos destacamento Sampaio, No Vale do Paraíba.

Só que esse confronto não ocorreu, Pelo contraio. Os Oficiais cariocas acabaram aderindo ao movimento Golpista. As 17 horas do dia 31, O Golpe estava a um passo para o seu êxito. Amauri Kruel, depois de um telefonema a Jango que recusou acabar com a CGT acabou aderindo ao Golpe junto com as tropas Paulistas, que partiram para a Via Dutra e se juntaram aos cadetes da Academia das Agulhas negras (Que eram Chefiadas por Médici) Em Resende (Rio de Janeiro) O legalista Morais Âncora acabou não se opondo ao Golpe após uma reunião com Kruel.

No Nordeste, Os Golpistas ainda precisavam executar a prisão dos Governadores Miguel Arraes (Pernambuco) e João Seixas Dória (Sergipe). Com isso, O General Justino Bastos já tinha o controle da situação.

Só existia um possível problema, Que poderia vim do Sul do País. João Goulart buscou refuljo no Rio Grande do Sul, Deixou a missão de comunicar a sua permanência do Brasil com o Chefe de Gabinete Darcy Ribeiro. O Comunicado acabou sendo ignorado pelo presidente do congresso, O senador Auro de Moura Andrade, As 3 horas e 45 minutos da madrugada do dia 2 de Abril, O Congressista declarou vaga a presidência da República. De uma Forma apressada, Empossaram o Deputado Raineiri Mazzili como novo presidente do Brasil. Estava consolidado o Golpe. Jango teve de fugir para o Uruguai no dia 4 de Abril. As ruas de Porto Alegre já estavam tomadas pelas tropas do novo regime.

A Operação Brother Sam

O Governo Norte-Americano ajudou os militares a tomar o poder, Além de reconhecer o novo governo. Eles chegaram a colocar em prática “A Operação Brother Sam” O Embaixador Lincoln Gordon tinha contrato com os Golpistas e acabou solicitando apoio logístico de Washington para os Militares. No dia 31 de Março, Os Norte-Americanos enviaram 6 Destroieres, 1 porta-Aviões, 1 navio para transporte de Helicópteros, Uma esquadrilha de aviões, 4 Petroleiros para abastecimento de tropas e 100 Toneladas de  Armas de Munições, Mas essa operação se mostrou desnecessária e foi suspensa já que não teve resistência.

O Brasil se alinhou aos Estados Unidos no ano de 1946 após o encontro entre o presidente dos Estados Unidos Harry Truman e o presidente do Brasil Eurico Gaspar Dutra. (O Presidente Dutra fundou a escola superior de Guerra, aonde a elite Militar brasileira passou a estudar)

Com a entrada do presidente Juscelino Kubitschek em 1956, Começou a se ensaiar uma independência externa política do país. Isso começou a desagradar os norte-americanos.

Depois da Revolução Cubana, JK e Jango homenagearam Fidel Castro e Che Guevara. Em Janeiro de 1962, O Brasil acabou recusando a adotar as sanções a Cuba. Enquanto isso Leonel Brizola estatizou a Companhia Telefônica do Rio Grande do Sul que pertencia a ITT Americana. Em Setembro do mesmo ano, O Congresso aprovou a Lei de Remessa de Lucros. Isso era prejudicial para os Estados Unidos  que eram Donos de U$ 1,17 Bilhões. (33% do investimento no país) e com 31 das 55 maiores empresas de operação no Brasil)

O Embaixador norte-Americano, O Democrata Lincoln Gordon chegou ao Brasil em Setembro de 1961. No começo ele tratou com diplomacia e se recusou a se aliar aos Golpistas, Mas depois dos acontecimentos do ano seguinte, Gordon mudou sua postura e não só passou a financiar os golpistas como colocou o Coronel Vernon Walters como o adido Militar da embaixada Norte-Americana. Walters era amigo pessoal de Castelo Branco e Cordeiro de Farias. Além de também trabalhar posteriormente para os presidentes Nixon e Reagan.

O Coronel Norte-Americano pediu para o assessor militar Dan Mitrione para ajudar o Governador Magalhães Pinto no treinamento de 10 mil homens da PM. Após a morte de John Kennedy e a posse de Lyndon Johnson, Foi dado o sinal verde para a preparação ao Golpe.

No dia 17 de Janeiro de 1964, João Goulart sancionou a Lei de Remessa de Lucros. A Partir dai se deu o marco para que o Governo de Jango acabasse. No dia 3 de Março, Em um editorial do “The New York Times” Anunciava que os Estados Unidos não puniria mais Juntas Militares que Derrubassem Governos Democráticos. Era tudo que se precisava para o Golpe Militar.

A Partir dai ocorreu num espaço de 1 mês, A Marcha da Família até o dia 31 de Março quando tudo se desenrolou no Brasil com o movimento dos Golpistas até darem o Golpe em Jango para se colocarem no poder. O Governo de Raineiri Mazzili (Governou pela segunda vez o Brasil de forma provisória) durou 13 dias, Até que no dia 15 de Abril foi empossado Castelo Branco como o primeiro presidente Militar da Ditadura Militar.

Amanhã você terá a segunda parte do Texto: O Dia 31 que durou 21 anos

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fonte: História do Brasil – Zero Hora/RBS Jornal

Marquez aproveita queda de Rossi para conquistar 9ªVitória do ano em Sepang

Marquez já campeão, Venceu o GP da Malásia no quentíssimo circuito de Sepang. Em uma disputa com Valentino Rossi que não aconteceu. O piloto Italiano a 4 voltas do final acabou caindo da sua moto na curva 1 e deixando a vitória para a Formiga Atômica. As provas foram antecipadas em 2 horas para que se evitasse a situação da classificação da categoria principal, Que acabou bem chuvosa.

Zarco que largou na pole não foi bem na largada, Rossi é que assumiu a liderança, Zarco ainda se colocou em segundo lugar e Miller passou para o 3ºlugar. Depois vieram Iannone, Dovizioso e Marquez subindo para o 6ºlugar. A partir dai, O campeão de 2018 começou sua recuperação, Passando ainda na primeira volta Dovizioso e Iannone. No última curva da 1ªVolta, Iannone cai e abandona a prova em sua penúltima corrida pela Suzuki.

O Malaio Hafizh Syarhin que largou em último lugar ganhou 12 posições e estava na segunda volta em excelente 11ªposição. Marquez passou Miller na segunda volta chegando ao 3ºlugar, Fazendo a melhor volta.

Lá atrás, Viñales em recuperação disputou posição  contra Bautista e acabou ganhando a parada com seu melhor equipamento, Ganhando o 9ºlugar.

Rossi vinha a 7 décimos a frente de Zarco. Marquez vinha se aproximando do piloto Francês da Tech 3. Dovizioso tentou aprontar para cima da Formiga Atômica, chegando a passar Marquez, Mas isso não durou muito e o piloto da Honda pode retornar a posição.

Viñales continuava a subir, Já vinha em 8ºlugar após ganhar a posição em cima de Petrucci.  No final da 5ªVolta, Marquez arriscou tudo para cima de Zarco e conseguiu a 2ªposição e agora era somente Rossi na frente dele. Miller que começou bem a corrida estava perdendo posições, Já vinha em 7ºlugar após ser ultrapassado pelo Daniel Pedrosa.

Pedrosa não iria parar por aqui, Ele superou a Rins e Dovizioso e assumiu o 4ºlugar. Enquanto Honda e Suzuki subiam na classificação, Quem não vinha muito bem era os pilotos da Ducati. Dovizioso segurava Rins e Miller mais atrás, Sua moto não estava rendendo bem. Ao final da volta, Rins passa Dovi e chega ao 5ºlugar. Michele Pirro acabou caindo e sua moto começou a pegar fogo na curva 15.

Marc Marquez estava a 7 décimos de Rossi, Tentando chegar no Doutor para brigar pela vitória. Enquanto isso, Viñales foi para cima de Miller e subiu para o 7ºlugar na 9ªVolta. Um pouco mais atrás, Bautista com a Ducati de 2017 e em grande fase supera Petrucci com a Ducati 2018 da Pramac e ganha o 9ºlugar, Shayhin vinha em 11ºlugar e se aproximando da disputa.

Rossi estava disposto a vencer, Na metade da prova o piloto da Yamaha estava 1.1 segundo a frente de Marquez. Nesse meio tempo, Viñales passou Dovizioso e assumiu o 6ºlugar. Ótima corrida de recuperação do vencedor do GP da Austrália na semana anterior.

Na 12ªVolta, Rins foi para cima de Pedrosa e acabou superando o piloto da Honda Repsol ganhando o 4ºlugar. Lá atrás, Os irmãos Espargaró disputavam o 12ºlugar. A 8 voltas do final, Sharyin superou Petrucci, Mas em pouco tempo o italiano acabou voltando ao 10ºlugar.

Marquez tentava a aproximação pra cima de Rossi, Chegou a ficar na cola do piloto da Yamaha. Porém não conseguia a hora certa para ganhar a ponta, Zarco em 3º, Já estava longe dos dois primeiros colocados. Enquanto que Viñales começava a partir para cima de Dani Pedrosa.

Rossi estava disposto a não perder a corrida e continuava resistindo a Marquez. Até que a 4 Voltas do final, Na curva 1 o veterano de 39 anos vai para o chão e deixava a liderança nas mãos da Formiga Atômica. 5 segundos depois vinha Zarco que parecia estar com o segundo lugar na suas mãos.

Porém, O Francês perdeu muito rendimento no final e foi pressionador pelo Alex Rins. Na última volta, O piloto da Suzuki supera Zarco e ganha o segundo lugar. Marquez conquista  a sua 9ªVitória na temporada e sua 70ªVitória no Mundial de Motovelocidade. A enorme capacidade de Marquez faz dele o grande dominador da categoria mesmo sem ter a melhor moto do Grid.

Alex Rins comemorou junto da sua equipe o excelente 2ºlugar, É seu segundo pódio seguido na MotoGP. O piloto da Suzuki vem em excelente fase. O pódio foi completado por Zarco, com sua velha Moto Yamaha de 2016. Evidente que a Moto do Francês esta com o Desenvolvimento encerrado, já não tem mais como melhorar ela. Final de semana incrível.

Marevick Viñales acabou em uma boa 4ªposição após largar em 12ºlugar. Dani Pedrosa fechou sua penúltima corrida da carreira. Andrea Dovizioso teve um dia complicado, Apesar disso com 6ºlugar, Com 25 pontos a frente de Rossi o piloto da Ducati pela segunda vez seguida conquista o vice-campeonato do Mundial.

Alvaro Bautista em uma bela exibição acabou em 7ºlugar na sua volta a equipe Angel Nieto, Superando ao Australiano Jack Miller que chegou a ficar em 3ºlugar no começo da corrida, Mas acabou caindo com o decorrer da prova devido as limitações da sua Moto. Danilo Petrucci a cada dia mais contestável a sua ida a equipe oficial da Ducati em 9ºlugar.

Hafizh Sharyin fez uma bela corrida de recuperação, O 10ºlugar compensou o esforço do piloto da casa para os mais de 100 mil pessoas que viram o bom desempenho do piloto Malaio.

Aleix Espargaró, Franco Morbidelli, Stefan Bradl (Substituindo a Cal Crutchlow), Takaaki Nakagami e Bradley Smith completaram a zona de pontuação. Daqui a duas semanas teremos a última etapa do campeonato. Com as três categorias definidas a prova será um amistoso, Mas será uma corrida de festa e com as 3 corridas animadas já que nenhum dos pilotos tem mais nada a perder.

Fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Resultado final do GP da Malásia
Moto GP – Mundial de Motovelocidade

pos piloto Equipe Moto Tempo
1 93 Marc Marquez Repsol Honda Team Honda 40’32.372
2 42 Alex Rins Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 1.898
3 5 Johann Zarco Monster Yamaha Tech 3 Yamaha a 2.474
4 25 Maverick Vinales Movistar Yamaha MotoGP Yamaha a 4.667
5 26 Dani Pedrosa Repsol Honda Team Honda a 6.190
6 4 Andrea Dovizioso Ducati Team Ducati a 11.248
7 19 Alvaro Bautista Angel Nieto Team Ducati a 15.611
8 43 Jack Miller Alma Pramac Racing Ducati a 19.009
9 9 Danilo Petrucci Alma Pramac Racing Ducati a 22.921
10 55 Hafizh Syahrin Monster Yamaha Tech 3 Yamaha a 26.919
11 41 Aleix Espargaro Aprilia Racing Team Gresini Aprilia a 29.503
12 21 Franco Morbidelli EG 0,0 Marc VDS Honda a 30.933
13 6 Stefan Bradl LCR Honda CASTROL Honda a 35.322
14 30 Takaaki Nakagami LCR Honda IDEMITSU Honda a 37.912
15 38 Bradley Smith Red Bull KTM Factory Racing KTM a 39.675
16 12 Thomas Luthi EG 0,0 Marc VDS Honda a 41.820
17 10 Xavier Simeon Reale Avintia Racing Ducati a 43.978
18 46 Valentino Rossi Movistar Yamaha MotoGP Yamaha a 58.288
19 45 Scott Redding Aprilia Racing Team Gresini Aprilia a 1’00.191
44 Pol Espargaro Red Bull KTM Factory Racing KTM a 4 Voltas
51 Michele Pirro Ducati Team Ducati a 15 Voltas
17 Karel Abraham Angel Nieto Team Ducati a 17 Voltas
29 Andrea Iannone Team SUZUKI ECSTAR Suzuki a 20 Voltas

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP