F1 Formula 1 Formula 1 - 1987 Formula 1 - 1988 Formula 1 - 1989 Formula 1 - 1990 Formula 1 - 1991 Fotos História

Especial: Coloni – A Marca de um Fracasso

Coloni – A Marca de um Fracasso
Origem da Coloni

Enzo Coloni era um piloto de Formula 3 Italiana por vários anos entre os anos 70 e 80, Enzo Conseguiu um titulo da Categoria em 1982, Coloni era chamado de Lobo pelo meio automobilístico, o Lobo que seria o logotipo da equipe. Em 1982 Coloni encerra sua carreira de piloto e decide gerir sua própria equipe na Formula 3.

Periodo na Formula 3 e 3000

Em 1983 a Coloni entra na Formula 3 Italiana, o Resultados já vieram no segundo ano com o Titulo do Campeonato de 1984. Em 1986 começou a participar do Formula 3000, mas sem muitos resultados. a Partir dai ele vai dar o Passo mais importante dele, a ida para a Formula 1

1987

Em 1987 a FIA anunciou que os motores Turbo seriam banidos da categoria a partir de 1989. Isso fez com que Coloni começasse o seu projeto de entrar na Formula 1. para isso a Coloni Montou o Chassi FC 187 movido pelos motores Ford Cosworth DFZ que tinha 565 Cavalos contra os 870 do Motor Tubro da Honda, com isso na Estréia, no GP da Itália no Treino oficial foram 12 Segundos acima do Tempo do Pole Position que foi o Brasileiro Nelson Piquet, e ficou em 27ºlugar, fora da corrida pois ficou a mais de 1 segundo do 26ºlugar, o Suíço Franco Forini da Osella-Alfa Roméo. A Coloni participou de mais uma corrida nessa temporada, no GP da Espanha em Jerez Larini já teve mais sorte e conseguiu classificação para a corrida: o 26ºlugar na Frente das Duas Osella com o Motor Turbo da Alfa-Roméo. Na Corrida Larini com problemas na suspensão abandonou a corrida na 10ºvolta. Assim terminava a Temporada de 1987 para a Coloni pois o time não iria viajar para as provas finais que seriam no México, Japão e Austrália. A Equipe Italiana a partir dai planejava sua primeira temporada inteira na Maior Categoria do mundo.

1988

Para 1988 a Coloni Faz o Chassi FC 188, Com o mesmo motor Ford-Cosworth DFZ, Larini partiu para a Osella mesmo com o Emprego Garantido na Coloni, a solução foi Contratar o Italiano Gabriele Tarquini para seu Lugar, a expectativa da Equipe era Classificar nas corridas, e se possível tentar marcar algum ponto, Para isso eles teriam de enfrentar a Pré-Classificação para que ele possam passar para o Treino de Classificação. Tarquini e a Coloni começam muito bem largando nas primeiras 5 corridas, Sendo a melhor Classificação para o Grid um 17ºlugar em San Marino, e na Corrida do GP do Canadá Tarquini alcança o melhor Resultado da História da Equipe, um 8ºlugar, na mesma volta de Jonathan Palmer e de Derek Warwick que lutaram pelo 6ºlugar.

Mas a partir dai com a Escassez de Dinheiro a Equipe não consegue ser uma equipe regular em Classificações, tanto é que só conseguiu mais 3 classificações nas corridas, sendo que nessas pistas não eram de Alta Velocidade. Tarquini ainda completou uma corrida em 11ºlugar no GP de Portugal. o Saldo Final da temporada não foi nada bom para a Coloni, com exceção do Canadá o time terminou Zerado na classificação Final do Campeonato. Mas pelo menos de Positivo a Equipe Superou algumas equipes como a Eurobrun, Zakspeed e até mesmo a Ligier na classificação final do campeonato por ter terminado a corrida do Canadá em 8ºlugar. Para 1989 o time esperava uma melhora que talvez colocasse a equipe na luta pelos pontos.

1989

Na Temporada de 1989 os motores Turbo são abolidos da Formula 1, com isso a esperança da Coloni em uma boa temporada aumenta, a Verba da Equipe Cresceu um pouco e com isso deu para alinhar dois carros para o Grid. Os Pilotos Foram escolhidos, o Brasileiro Roberto Pupo Moreno e o Francês Pirrie-Henri Raphanel, o Chassi para as primeiras corridas era o FC 188 com algumas alterações, sendo assim Chamado de FC 188B, começa o Campeonato e a Coloni se mostra muito aquém das outras equipes, e nas duas primeiras corridas a Equipe fica de Fora com os dois carros. Mas em Mônaco Pirrie Henri Raphanel e Moreno conseguem colocar os Coloni entre os 26 que largavam para a Corrida, Raphanel largou em 18º e Moreno em 24º. Mas na Corrida Ambos abandonaram, Raphanel na volta 21 e Moreno na volta 46, ambos com problemas de Transmissão. logo depois dessa corrida a Coloni voltou a Ser a mesma, não classificando para as corridas, até que no GP do Canadá a Coloni Estreia seu novo Chassi, o Coloni C3 já conseguiu com Moreno na 26ºPosição representando um salto de Qualidade na Equipe, na Corrida a Coloni vinha bem até que na Volta 59 de novo a Transmissão acabou traindo Moreno e fazendo o Brasileiro abandonar a corrida. A Coloni também Classificou na Inglaterra, Com Moreno largando na 23ªPosição, mas abandonou de novo com problemas de Transmissão, que alias foi o ponto fraco da Equipe.

Desenvolvimento e Esperança no GP de Portugal, após varias não Qualificações, um bico especial foi montado para a Corrida, esse bico foi feito por Gary Anderson, Roberto Moreno conseguiu a 15ªPosição no Grid, mas no Warm Up, um acidente com Eddie Chevver destrói o carro titular, fazendo com que Moreno Corresse com o Carro Reserva que era muito mais fraco que o carro titular, a Corrida do Brasileiro Durou tão Somente 12 Voltas, o Moto Ford Cosworth explodiu acabando com a Corrida do Brasileiro, Mesmo tendo três pilotos em 1989, Pirrie-Henri Raphanel foi substituído pelo Italiano Enrico Bertaggia, nada ele fez enquanto Moreno conseguia algumas corridas se classificar. o ano terminou com apenas 5 corridas para a Coloni e nenhum Resultado Final Expressivo. Mas para 1990 a Coloni esperava uma coisa melhor, e dai surgiu uma parceria que poderia gerar o Crescimento da Equipe na Formula 1.

1990: A Derrocada da Coloni na Formula 1.

Em 1990 a Coloni finalmente parece encontrar a Estabilidade Financeira na Formula 1, a Gigante companhia Japonesa, a Subaru comprou 51% da Coloni e pagou as dividas da Equipe, A Fábrica japonesa forneceria o motor Boxer de 12 Cilindros para o Time italiano, esses motores seriam preparados pela Motori Moderni que já tinha fornecido motores a Minardi durante 3 anos. a confiança do Time italiano era Grande, pois eles teriam dinheiro para testes finalmente e condições de Desenvolver esse carro, Somente um carro foi feito para a temporada de 1990, o Belga Bertrand Gachot teria a Honra (Seria mesmo Honra?) de Dirigir esse carro. mas quando chegou para o primeiro GP da Temporada a Coloni viu seu entusiasmo virou frustração rapidamente, o motor Boxer Flat 12 da Subaru gerava 500 cavalos apenas, sendo muito lento, e o C3B era um carro pesado, sem airbox, fazendo dele um carro dificílimo de dirigir, nos Estados Unidos o carro teve problemas e nem fez tempo.

No Brasil o Coloni de Bertrand Gachot foi quase 17 segundos da Pole Position de Ayrton Senna e ficou a 13 segundos do último Classificado da Corrida que foi Yannick Dalmas com a Fraquíssima AGS, no decorrer das corridas a Coloni continuava com o desempenho patético. Em San Marino Ganhot já fica a apenas 10 segundos da pole de Senna e quase 5 segundos do 26ºlugar no Grid de largada, Paolo Barilla com a Minardi, Mas em Mônaco a Coloni já leva de novo mais de 15 segundos da pole. e essa seria uma média de quanto seria o massacre do time. Enzo Coloni já via a bobagem que tinha feito em se associar com os Japoneses. as Direção da Equipe que era a Subaru Demitiu Enzo Coloni do cargo de Diretor da equipe, Mas a culpa não era só do diretor da equipe, a Subaru também tinha culpa no Projeto. a última aparição da Subaru na Formula 1 apareceu no GP da Inglaterra com Gachot tomando 12 segundos de Mansell que era o pole position. Depois disso a Coloni desisti da Formula 1 e vende a Equipe de Volta a Enzo Coloni que se via sem motor e sem o Dinheiro da Coloni para projetar o Resto do ano, o Jeito foi redesenhar o Chassi C3 para que ele pudesse receber o Motor Ford-Cosworth DFR que seria o motor para o Restante do ano.

A Diferença de 10 segundos, 15 segundos acima da pole já melhorava para 7 a 9 segundos da pole, e as Classificações para o Grid ficaram mais perto, mas ainda não era o Suficiente para passar para o Grid de largada. o Carro já andava na Frente das Euroburn e da Life que praticamente não existia no Grid e andava perto de AGS, Osella. Mas ainda distante de uma classificação. No Final da Temporada com a Desistência de Onxy e de Eurobrun, a Coloni tinha mais chances de se classificar para a corrida. O Ano terminava para a Coloni de maneira desastrosa demais, com nenhum ponto feito e somente melhor que a Life a Coloni estava sem Credito na Formula 1, mas iria tentar ir para a temporada de 1991.

1991: O Esperado Final

Em 1991 a Coloni estava bem no fundo do Poço endividada com a frustrada parceria com a Subaru, a situação era tão ruim que a Coloni só tinha em sua equipe 6 pessoas, e a solução para tentar ser competitivo foi modificar o Chassi C3C para tentar melhorar (Se isso fosse possível com esse carro) e rebatizaram ele de C4. Uma parte desse projeto foi feito pelos estudantes de Perugia, eles esperavam que Andrea de Cesaris fosse correr na Equipe para trazer os Dólares da Marlboro para que pelo menos diminuísse a Dívida do Time, mas a Jordan acabou contratando De Cesaris (Para a Sorte dele!) e o que restou para a Coloni foi a contratação de Pedro Chaves para correr no Time, ele levou algum dinheiro do Vinho Mateus. Bom, só restava torcer agora para que algo desse certo na temporada, mas desde inicio se via que a Coloni era disparada o Pior time do ano. No GP do Brasil, por Exemplo, Chaves ficou a mais de 7 Segundos acima do tempo do Pole que era o Ayrton Senna. Mas dependendo da Corrida a Diferença entre a Coloni e o pole position chegava a até mais de 10 segundos atrás do Pole. No México a incrível inferioridade da Coloni chegava a ser ridícula, pois a diferença entre Chaves e Patrese era de mais de 20 Segundos, tão ruim quanto aquela parceria com a Subaru. Nas outras pistas o carro continuava sendo 10 segundos mais lento que o Pole, isso durou até o GP de Portugal, quando foi a última corrida de Chaves na Formula 1, a equipe de ausenta do GP da Espanha, e volta para as duas corridas finais, dessa vez com o nipônico Naoki Hattori que andou nesse carro nas corridas finais e a história não foi diferente, em Suzuka Hattori que não tinha experiência nenhuma em carro de Formula 1, conseguiu a proeza de ficar a 26 Segundos da pole position e em Adelaide pra encerrar a História da Coloni com uma Chave de lata Hattori foi 8 Segundos mais lento que Senna que foi o Pole daquela corrida chuvosa demais. 1991 terminavam e a Coloni desistiria da Formula 1 Definitivamente. Com o incrível Cartel de apenas 14 largadas e nenhum ponto marcado, além de varias não classificações para o Grid e dos patéticos desempenhos em varias e Varias situações a Coloni registrou na sua história a Imagem de ser um dos times mais Toscos da História da Formula 1 que mesmo com muito esforço das novas equipes não devera ser repetido.

Fotos:

Currículo da Coloni na Formula 1:

GPs: 82 Corridas (Largou em 14 Corridas)
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 0
Melhor Resultado: Gabriele Tarquini com o 8ºlugar no GP do Canadá de 1988
Pilotos:

Nicola Larini (Itália)
Gabriele Tarquini (Itália)
Pierre-Henri Raphanel (França)
Roberto Pupo Moreno (Brasil)
Enrico Bertaggia (Itália)
Bertrand Gachot (Bélgica)
Pedro Chaves (Portugal)
Naoki Hattori (Japão)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *