Takuma Sato vence a mais disputada 500 milhas da história e leva Japão pela 1ªVez ao topo de Indianapolis

A 101ªEdição das 500 milhas de Indianapolis foi uma das mais disputadas da História e teve como vencedor um piloto que correu na Formula 1, Mas não foi Fernando Alonso. Acabou sendo o Japonês Takuma Sato que chegou a vitória com um carro muito competitivo da Andretti Autosport. Foi a primeira vitória de um piloto Nipônico na Indy 500.

Na largada Dixon manteve a liderança, Quem largou muito bem foi Will Power que pulou do 9º para o segundo lugar e Tony Kannan que subiu de 7º para o 5ºlugar. No começo da prova os principais pilotos da Ganassi tinham um carro competitivo para disputarem a vitória. Kannan subiu posição por posição até passa Scott Dixon na 10ªVolta e assumiu a liderança da prova e ficou por boas 15 voltas na ponta com seu companheiro de equipe em 2ºlugar enquanto isso Fernando Alonso começava a subir e ganhar posição após posição.

Na entrada da 1ªjanela de paradas nos boxes Dixon começou a perder algumas posições indicando que os pneus desgastados o carro do Neozelandês não rendia mesmo. Kannan foi o primeiro a fazer a parada na volta 28 e a partir dai todos os outros pilotos começaram a ir para os boxes entre a 28 até a volta 33. No final da primeira rodada de paradas Fernando Alonso estava em 3ºlugar e acabou crescendo na corrida passando Ed Carpenter e na volta 37 Alonso passou o Vencedor de 2016, Norte-americano Alexander Rossi assumindo a liderança da prova.

O Espanhol que veio da Formula 1 para disputar a Indy 500 acabou por liderar por 6 voltas até tomar ultrapassagem do Rossi que voltou a liderar a corrida. Na volta 53 Jaw Howard que vinha com voltas de atraso devido a uma pane seca que ele sofreu acabou batendo no muro de leve e Scott Dixon sem qualquer possibilidade de reação acabou batendo no carro da Schmidt e sofrendo um dos acidentes mais impressionantes da história das 500 milhas de Indianapolis. Seu carro bateu no muro de dentro e capotou se desmanchando por completo. Dixon saiu de seu carro que ficou quase que destruído por completo apenas mancando a perna. A Bandeira amarela não bastou nesse caso, Tiveram que interromper a prova para a limpeza da pista a reconstrução da cerca de proteção que teve uma parte danificada pela batida.

Hélio Castroneves acabou por muito pouco se envolvendo na batida. O Carro de Dixon no ar ficou em cima do carro da Penske. O Brasileiro teve um prejuízo mínimo de ter perdido uma peça de seu carro. Algo que a equipe decidiu manter do jeito que estava.

A Relargada aconteceu depois de mais de meia hora de atraso com Alonso na liderança da prova. Já Hélio Castroneves da Penske estava lá atrás na mesma volta do Líder. Para falar da Penske deve considerar que em momento nenhum a equipe teve em posição forte de vencer a prova de 2017. Na Volta 65 Conor Daly ao tentar ganhar posição acaba batendo de leve e aciona a segunda bandeira amarela da prova. Jack Harvey também roda e deixa a corrida.

Essa bandeira amarela não foi tão dramática como as outras bandeiras amarelas, Após a limpeza a bandeira verde foi acionada de novo e seguia a disputa com Alonso lutando pelos primeiros lugares, Mas tinha grandes adversários como o Brasileiro Tony Kannan, Ryan-Hunter Reay, Takuma Sato, Ed Carpenter, Alexander Rossi, Will Power e sempre contar com algum piloto que podesse ou mudar a tática de corrida ou que estivesse escondendo o jogo.

Helinho percebeu que com a tática normal não iria levar a Penske a vitória de jeito nenhum e com isso decidiu mudar sua estratégia no que fez o piloto Brasileiro partir para os primeiros lugares da corrida. Essa mudança de tática acabou dando certo para o piloto Brasileiro.

Mais uma bandeira amarela na volta 121 com a batida forte de Buddy Lazier de 49 anos de idade e vencedor das 500 milhas de 1996. Sage Karam com problemas mecânicos nos boxes deixava a corrida também. Ocorreram novas bandeiras amarelas por detritos na pista como na volta 130.

Na Volta 137 um dos favoritos a vitória o Norte-Americano Ryan Hunter-Reay tem seu motor Honda fumando e abandona a prova. Se tínhamos um favorito a deixar a corrida tínhamos 2 outros que apareciam do nada. Eram os pilotos da Ganassi Max Chilton e Charlie Kimball que também arriscaram uma tática diferente de paradas para entrarem na disputa pela vitória.

Hélio Castroneves com essa bandeira amarela conseguiu se alinhar a todos os outros pilotos que estavam em tática. Ed Carpenter que poderia disputar a vitória acabou escorregando e batendo em Mikhall Aleshin. Ambos tiveram que ir aos boxes para consertarem danos em seus respectivos carros.

A Reta final da corrida estava chegando e Chilton, Kimball e James Davison que estava no lugar de Sebastien Bourdais vinham entrando na disputa da corrida já que eles estavam fazendo seus tanques de combustível durarem bastante ajudados pelas bandeiras amarelas que estavam acontecendo em sequência.

Chilton parou nos boxes após completar 41 voltas no seu tanque de combustível. Praticamente ao mesmo tempo Charlie Kimall e Zack Veach tiveram problemas de motor provocando nova bandeira amarela. Nisso todos fizeram suas paradas nos boxes e com isso todos estavam na mesma tática. Com Max Chilton na liderança seguido de Ed Jones, James Davison e Hélio Castroneves e mais atrás tínhamos fortíssimos Tony Kannan, Takuma Sato e Fernando Alonso na disputa pela vitória.

As últimas 30 voltas de corrida o Brasileiro Hélio Castroneves estava lutando contra o batalhão de pilotos com os motores Honda e sendo o único da Penske que estava na disputa pela vitória. Chilton manteve a liderança enquanto Takuma Sato começava a aparecer na corrida para disputar a vitória. A 20 voltas do final o Motor Honda de Fernando Alonso quebra fazendo o piloto espanhol parar. Ao sair do carro Alonso é muito aplaudido por todos o público de Indianapolis. A principal estreia da 101ªEdição das 500 milhas de Indianapolis abandonou a prova.

A menos de 20 voltas do final tudo indefinido com Chilton na liderança seguido de Sato e Castroneves. Na relargada Servia ao tentar passar Davison acaba tocando no piloto inglês que vai para o muro e provoca um acidente com 5 pilotos. Will Power, James Hinchcliffe e Josef Newgarden acabaram sendo envolvidos. Os fiscais de pista tinham que trabalhar rápido para garantir o final em bandeira verde o que acabou acontecendo.

A 11 voltas do final a luta pela vitória ficou resumida em Chilton, Sato, Castroneves e Jones. O Brasileiro da equipe Penske foi para cima de Chilton e depois foi para cima de Sato e a 5 voltas do final o Brasileiro estava na liderança das 500 milhas e parecia que seria o dia da 4ª conquista do piloto da Penske na Indy 500.

Mas Sato também disposto a fazer história e com mais carro que o brasileiro faz a ultrapassagem e volta a liderança, Chilton perdeu posição para Ed Jones que passou para o terceiro lugar e conseguiu acompanhar os dois que disputaram a vitória nas últimas voltas.

Castroneves tentou até o final tirar de Sato a vitória, Mas o dia era do Samurai voador que aos 40 anos e em sua 8ªTemporada na Formula Indy ele leva o Japão a sua maior conquista do automobilismo mundial ao vencer as 500 Milhas de Indianapolis. Uma vitória que coroa uma carreira nos Estados Unidos que teve seus altos e baixos e que premia a Andretti pelo seu desempenho nos treinos e na corrida de hoje.

Hélio Castroneves viu de novo a vitória escapar por pouco, Mas com o carro que ele teve nas mãos que não estava a altura de vencer a corrida acabar em 2ºlugar e liderar o campeonato após o mês de maio de eventos em Indianapolis e algo a se comemorar. O Brasileiro foi o único da Penske que realmente disputou a vitória.

Ed Jones em sua primeira vez nas 500 milhas ficou em 3ºlugar repetindo o feito de Nigel Mansell em 1993. O piloto dos EAU com uma Dale Coyne fez uma brilhante corrida assim como Max Chilton que alcança seu melhor resultado de sua carreira com o 4ºlugar. Tony Kannan andou muito bem a corrida inteira, Mas faltou alguma coisa no carro ou nele para disputar a vitória o que fez o vencedor de 2013 terminar em 5ºlugar.

Juan Palbo Montoya levou o Penske ao 6ºlugar em uma corrida discreta aonde ele apareceu apenas quando liderou a prova no começo durante a primeira rodada de paradas nos boxes. Alexander Rossi ficou em 7ºlugar, Dessa vez não deu para o norte-americano disputar a vitória apesar de ter brigado no começo de prova pelo bicampeonato. Marco Andretti continua a sina da maldição da Andretti nas 500 milhas ficando em 8ºlugar.

Gabby Chaves em uma corrida sem erros levou o modestíssimo carro da Harding ficou em 9ºlugar, Talvez um dos melhores pilotos da corrida mesmo sem qualquer condição de equipamento e fechando os 10 primeiros colocados Carlos Muñoz que até fez mais do que era possível com o carro da Foyt que nem de longe estava a altura do talento do piloto Colombiano.

Sato definitivamente escreve seu nome na história. Mas o campeonato continua e no próximo sábado teremos a etapa dupla em Detroit em Belle Island.

Resultado final das 500 milhas de Indianapolis
Edição 101 – 200 Voltas

pos Piloto Equipe Chassi/Motor Tempo Grid
1 Takuma Sato 26 Andretti Autosport Dallara/Honda 3h 13:03.3584 4
2 Helio Castroneves 3 Team Penske Dallara/Chevrolet 0.2011 19
3 Ed Jones 19 Dale Coyne Racing Dallara/Honda 0.5278 11
4 Max Chilton 8 Chip Ganassi Racing Dallara/Honda 1.1365 15
5 Tony Kanaan 10 Chip Ganassi Racing Dallara/Honda 1.6472 8
6 Juan Pablo Montoya 22 Team Penske Dallara/Chevrolet 1.7154 18
7 Alexander Rossi 98 Andretti Herta Dallara/Honda 2.4222 3
8 Marco Andretti 27 Andretti Autosport Dallara/Honda 2.5410 8
9 Gabby Chaves 88 Harding Racing Dallara/Chevrolet 3.8311 25
10 Carlos Munoz 14 A.J.Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet 4.5319 24
11 Ed Carpenter 20 Ed Carpenter Racing Dallara/Chevrolet 4.6228 2
12 Graham Rahal 15 Rahal Lettermann Dallara/Honda 5.0310 14
13 Mikhail Aleshin 7 Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda 5.6993 13
14 Simon Pagenaud 1 Team Penske Dallara/Chevrolet 6.0513 23
15 Sebastian Saavedra 17 Juncos Racing Dallara/Chevrolet 12.6668 31
16 J.R. Hildebrand 21 Ed Carpenter Racing Dallara/Chevrolet 33.2191 6
17 Pippa Mann 63 Dale Coyne Racing Dallara/Honda a 1 Volta 28
18 Spencer Pigot 11 Juncos Racing Dallara/Chevrolet a 6 Voltas 29
19 Josef Newgarden 2 Team Penske Dallara/Chevrolet a 14 Voltas 22
20 James Davison 18 Dale Coyne Racing Dallara/Honda a 17 Voltas – Acidente 33
21 Oriol Servia 16 Rahal Lettermann Dallara/Honda a 17 Voltas – Acidente 12
22 James Hinchcliffe 5 Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda a 17 Voltas – Acidente 17
23 Will Power 12 Team Penske Dallara/Chevrolet a 17 Voltas – Acidente 9
24 Fernando Alonso 29 Andretti Autosport Dallara/Honda a 21 Voltas – Mecânico 5
25 Charlie Kimball 83 Chip Ganassi Racing Dallara/Honda a 34 Voltas – Mecânico 16
26 Zach Veach 40 A.J.Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet a 45 Voltas – Mecânico 32
27 Ryan Hunter-Reay 28 Andretti Autosport Dallara/Honda a 64 Voltas – Mecânico 10
28 Sage Karam 24 Dreyer & Reinbold Racing Dallara/Chevrolet a 75 Voltas – Mecânico 21
29 Buddy Lazier 44 Lazier Partners Dallara/Chevrolet a 82 Voltas – Acidente 30
30 Conor Daly 4 A.J.Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet a 135 Voltas – Acidente 26
31 Jack Harvey 50 Andretti Autosport Dallara/Honda a 135 Voltas – Acidente 27
32 Scott Dixon 9 Chip Ganassi Racing Dallara/Honda a 148 Voltas – Acidente 1
33 Jay Howard 77 Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda a 155 Voltas – Acidente 20

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: IndyCar
Vídeo: F1 Racers (Youtube)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.