Indy Car em Phoenix: A última Chance do deserto teve vitória de Josef Newgarden

Grid de largada:

Pos Piloto Equipe Chassi-Motor Tempo
1 Sebastien Bourdais Dale Coyne Racing Dallara/Honda 39.0285
2 Simon Pagenaud Team Penske Dallara/Chevrolet 39.1096
3 Will Power Team Penske Dallara/Chevrolet 39.3808
4 Alexander Rossi Andretti Autosport Dallara/Honda 39.3869
5 James Hinchcliffe Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda 39.6165
6 Robert Wickens Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda 39.6975
7 Josef Newgarden Team Penske Dallara/Chevrolet 39.7152
8 Ryan Hunter-Reay Andretti Autosport Dallara/Honda 39.8384
9 Tony Kanaan A. J. Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet 39.8624
10 Pietro Fittipaldi Dale Coyne Racing Dallara/Honda 39.8725
11 Ed Jones Chip Ganassi Racing Dallara/Honda 39.9234
12 Graham Rahal Rahal Letterman Lanigan Racing Dallara/Honda 40.0088
13 Takuma Sato Rahal Letterman Lanigan Racing Dallara/Honda 40.2187
14 Kyle Kaiser Juncos Racing Dallara/Chevrolet 40.2409
15 Spencer Pigot Ed Carpenter Racing Dallara/Chevrolet 40.4275
16 Matheus Leist A. J. Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet 40.4715
17 Scott Dixon Chip Ganassi Racing Dallara/Honda 40.4744
18 Ed Carpenter Ed Carpenter Racing Dallara/Chevrolet 40.5995
19 Gabby Chaves Harding Racing Dallara/Chevrolet 40.6695
20 Marco Andretti Andretti Herta Autosport Dallara/Honda 40.8349
21 Max Chilton Carlin Dallara/Chevrolet 41.2324
22 Charlie Kimball Carlin Dallara/Chevrolet 41.4561
23 Zach Veach Andretti Autosport Dallara/Honda 41.8725

Palco de provas chatas e sem qualquer condição para os pilotos fazerem ultrapassagens. O Circuito de Phoenix tinha uma última chance de ter uma grande corrida. Com os carros novos, A Esperança de que poderíamos ter uma corrida com muitas ultrapassagens e bem disputada.

Sebastian Bourdais conseguiu a pole position em uma grande volta, pela ordem do campeonato através do carro ele foi o último a fazer a volta. Com a pista ideal o piloto da Dale Coyne marcou um temporal, Dando mostras de que ele é sim no dos candidatos ao título da Temporada 2018. Ao seu lado larga o Francês Simon Pagenaud com a Penske que parece ter recuperado a boa forma da temporada passada.

Na segunda fila largam o Australiano Will Power e o Norte-Americano Alexander Rossi que mais uma vez faz as honras da equipe Andretti. Na Terceira fila largam os pilotos da Schmidt-Petersen. James Hinchcliffe larga em 5º e Robert Wilkers em 6º. Tony Kannan foi o melhor dos Brasileiros. Começando os trabalhos com a A.J.Foyt ele coloca o carro em 9ºlugar, A Frente de um dos estreantes do dia. Pietro Fittipaldi treinou muito bem, Colocando o carro da Dale Coye para o 10ºlugar no Grid de largada. O outro estreante do dia era o norte-americano Kyle Kaiser da equipe Juncos (Que busca disputa o ano inteiro, Mas só tem garantidas 10 corridas sendo 3 de Kaiser e 7 de Rene Binder, O Norte-americano larga em uma respeitável 14ªposição.

Antes da largada, O Carro Bourdais morre, Porém ao contraio da Formula 1, Na indy você pode recuperar a sua posição de largada. Na largada, Bourdais manteve a liderança com Bourdais em 2º e Rossi passou Power assumindo a 3ªposição. Outro que começou muito bem foi o Norte-americano Ryan Hunter-Reay que superou James Hinchcliffe (que acabou perdendo posição para Newgarden segundos depois ) e assumiu o 6ºlugar.

Após 15 voltas os líderes chegaram no primeiro retardatário, Max Chilton. E dai as esperanças de que teríamos mais facilidades nas ultrapassagens. Porém novamente a dificuldade de ultrapassagem foi vista. Mesmo num carro desajustado como é o carro da Carlin. Bourdais e os outros pilotos tiveram dificuldades para colocar volta no piloto inglês.

O Cenário continuou o mesmo até que na passagem da volta 40 para 41. Pietro Fittipaldi acabou pagando pela sua inexperiência, Ao escapar do traçado ideal, indo para a sujeira dos pneus e batendo no muro. A Corrida do piloto da Dale Coyne terminava ai, E com isso foi acionada a primeira bandeira amarela da prova. Todos os pilotos anteciparam a primeira parada nos boxes. (Que geralmente seria na volta 55 a 60)

Sebastian Bourdais e Alexander Rossi atropelaram mecânico na hora da sua parada, além de perderem tempo acabaram sendo penalizados com uma passagem nos boxes após a Relargada, Quem se deu bem foi Will Power que assumiu a liderança, Com Josef Newgarden na segunda posição colocando a Penske no comando da prova. A seguir vinham Robert Wilkens e James Hinchcliffe representando bem a Schmidt Peterson. Ed Jones levava a Ganassi ao 5ºlugar. Hunter-Reay, Kannan, Rahal, Sato e Scott Dixon que saiu do 17º para o 10ºlugar após as paradas. Quem também não teve uma boa para foi Simon Pagenaud que caiu para o 12ºlugar.

Na 51ªVolta tivemos a relargada, Hunter-Reay foi com tudo para ganhar 2 posições em poucas voltas. Primeiro passando Ed Jones e depois passando Hinchcliffe na Volta 60.  Power abriu 2 segundos e ficou mais tranquilo na liderança ate um dos últimos colocados da corrida voltar a ficar na Alça de mira do líder.

A partir dai novamente se dar a dificuldade de se colocar volta nos pilotos mais lentos. Sobre o Max Chilton, não houve tanta dificuldade, Mas com o Kimball da mesma equipe Carlin a situação foi bem mais difícil. E que ficava pior a medida que a parte de fora ficava mais suja. Nada praticamente aconteceu até chegarem a 2ªrodada de paradas nos boxes. Hunter-Reay foi o primeiro a fazer a parada. Que acabou demorando, Já que a equipe teve problemas nessa parada. Problemas mesmo enfrentou Matheus Leist que foi vitima de um erro da Foyt que não apertou a porca de uma das rodas do seu carro que acabou se soltando de maneira perigosa, O Brasileiro teve de ser empurrado de volta aos boxes para fazerem o trabalho direito para piloto voltar a prova, 9 voltas atrás dos líderes e sem chance nenhuma de um bom resultado.

Os últimos a pararem nos boxes foram Graham Rahal e Takuma Sato da Rahal, O líder Will Power parou na volta 125. Após as paradas o líder passou a ser o Canadense James Hinchcliffe com Robert Wilkers em 2º e por incrível que pareça o Ryan Hunter-Reay que acabou perdendo tempo nos boxes vinha em 3ºlugar.

Wilkens foi para cima de Hinchcliffe, Era impressionante o desempenho desse piloto que vinha na segunda corrida na IndyCar e já pegou a mão desse novo carro da Indy.  Na volta 149, Hinchcliffe perde tempo ao tentar colocar uma volta em Gabby Chaves, O Canadense aproveita isso e ultrapassa seu companheiro de equipe para assumir a liderança. 5 Voltas depois, Will Power acabou encostando no muro e indo lentamente para os boxes, Aonde não saiu mais.

Wilkens abre 1.2 segundos sobre Hinchcliffe que era pressionado pelo Norte-americano Hunter-Reay, Já Ed Jones vinha mais longe no 4ºlugar com o carro da Ganassi que resolver ir para os boxes para fazer a parada antes (mesmo que ele teria de fazer uma parada nos boxes apagar até o final da prova. Foi exatamente o piloto dos EAU que foi o primeiro a fazer a 3ªparada nos boxes. Com mais de 75 voltas pela frente, O piloto muito provavelmente faria um splash go no final da prova. Hinchcliffe foi para os boxes na volta 178, Wilkens parou na volta 178, Hunter-Reay assumiu a liderança por 4 voltas até a sua parada na volta 183. Com 67 voltas para o final, Já começaria a pensar em ir até o final da prova (Poupando combustível)

Simon Pagenaud tomou a liderança até a sua parada na volta 187, Passando a 1ªposição para Graham Rahal que ficou 2 voltas na liderança e depois foi para a sua parada. (Que possivelmente terminaria com esse tanque)Sebastian Bourdais assumiu a liderança levando a sua parada o mais longe possível, Assim como Rossi, Os dois pilotos foram para a parada na volta 206 (Piloto da Andretti) e na Volta 208 (Para o líder do campeonato na Dale Coyne) Se a aposta deles funcionarem, Eles iriam ficar entre os primeiros lugares.

Newgarden assumiu a liderança com Ed Jones subiu do 4º para o 2ºlugar. Wilkers caiu do 1º para o 3ºlugar e Hinchcliffe que caiu do 2º para o 4ºlugar. Scott Dixon completavam os 5 primeiros lugares. Alexander Rossi voltou para a corrida, Vinha em 6ºlugar na mesma volta dos líderes. Hunter-Reay, Kannan, Ed Carpenter e Sato completavam os 10 primeiros lugares. Somente Rossi e Bourdais poderiam andar tudo já que não iria ter mais que poupar combustível ao contraio de todos os outros pilotos.

A 22 voltas do final, Ed Jones que vinha em 2ºlugar acabou batendo, Provocando a 2ªbandeira amarela da prova. Essas bandeiras amarelas podem ter aliviado a situação dos pilotos que teriam de poupar combustível. Durante essa bandeira amarela, Quase todos os pilotos foram para a tática de trocarem os pneus e colocarem o combustível o bastante para terminar a corrida, Com exceção de Robert Wilkers, James Hinchcliffe e Alexander Rossi que decidiram ficar na pista. Mesmo com os pneus mais gastos do que os pneus de Newgarden e companhia.

A Relargada aconteceu a 8 voltas do final. E o que se viu foi uma imensa vantagem dos pilotos com os pneus novos, Newgarden passou Rossi e Hinchcliffe por fora, E logo a seguir partiu pa caça de Wilkers que segurou como pode o piloto da Penske, Porém o campeão de 2017 tinha muito mais pneu e muito mais rendimento que o piloto da Schmidt.

A 5 voltas do final por fora aconteceu a ultrapassagem que decidiu a corrida a favor do piloto da Penske, Foi a 9ªVitória da sua carreira na Indy. Robert Wilkers em uma excelente corrida no oval ficou em 2ºlugar e Alexander Rossi segurou Scott Dixon e completou o pódio. Ryan Hunter-Reay e James Hinchcliffe que foi o piloto que mais sofreu com os pneus desgastados no final. Completaram os 6 primeiros colocados.Tony Kannan terminou a corrida em 8ºlugar e Matheus Leist ficou em 19ºlugar.

Agora, eu espero que essa seja a última prova em Phoenix, Essa pista mostra não ter condições de ter a Formula Indy. Os problemas de falta de ultrapassagem não foram conseguidos e além disso o novo carro acabou fazendo a prova ficar mais lenta. Não é possível que um carro desses piorou de uma corrida para outra. Portanto, o Problema não era apenas o carro em si, Mas é a pista que já deu belas corridas do passado, Porém nos dias de Hoje é uma pista ultrapassada para a categoria hoje.

Resultado final – Formula Indy 2018
2ªEtapa – Phoenix

Pos Piloto Equipe Chassi-Motor Voltas Tempo
1 Josef Newgarden Team Penske Dallara/Chevrolet 250 1h 44:00.3552
2 Robert Wickens Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda 250 29.946
3 Alexander Rossi Andretti Autosport Dallara/Honda 250 34.890
4 Scott Dixon Chip Ganassi Racing Dallara/Honda 250 38.175
5 Ryan Hunter-Reay Andretti Autosport Dallara/Honda 250 40.122
6 James Hinchcliffe Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda 250 a 94.497
7 Ed Carpenter Ed Carpenter Racing Dallara/Chevrolet 250 a 94.731
8 Tony Kanaan A. J. Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet 250 a 98.650
9 Graham Rahal Rahal Letterman Lanigan Racing Dallara/Honda 250 a 101.747
10 Simon Pagenaud Team Penske Dallara/Chevrolet 250 a 103.247
11 Takuma Sato Rahal Letterman Lanigan Racing Dallara/Honda 250 a 109.443
12 Marco Andretti Andretti Herta Autosport Dallara/Honda 249 a 1 Volta
13 Sebastien Bourdais Dale Coyne Racing Dallara/Honda 249 a 1 Volta
14 Spencer Pigot Ed Carpenter Racing Dallara/Chevrolet 249 a 1 Volta
15 Gabby Chaves Harding Racing Dallara/Chevrolet 249 a 1 Volta
16 Zach Veach Andretti Autosport Dallara/Honda 249 a 1 Volta
17 Charlie Kimball Carlin Dallara/Chevrolet 248 a 2 Voltas
18 Max Chilton Carlin Dallara/Chevrolet 247 a 3 Voltas
19 Matheus Leist A. J. Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet 241 a 9 Voltas
20 Ed Jones Chip Ganassi Racing Dallara/Honda 228 Acidente
21 Kyle Kaiser Juncos Racing Dallara/Chevrolet 174 Acidente
22 Will Power Team Penske Dallara/Chevrolet 153 Acidente
23 Pietro Fittipaldi Dale Coyne Racing Dallara/Honda 40 Acidente

Vídeo:

 

Fotos:

 

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: IndyCar

Bourdais vence depois de Empurrada de Rossi em Wickens no final da prova

Em St.Petersburgh, Local que abriu a temporada de 2018 da Formula Indy. O Francês Sebastien Bourdais contou com uma ajuda da sorte para levar a vitória. Tudo graças a uma tentativa mal sucedida de ultrapassagem de Alexander Rossi em cima de Robert Wickens, que liderou grande parte da prova.

Uma corrida bem confusa no começo, Na largada Will Power tentou tomar a ponta de Wickens e acabou rodando na entrada da segunda curva e batendo de traseira, Danificando o seu carro. Também tivemos a Rodada de Tony Kannan que foi atingido quando defendia posição no meio do pelotão. O Norte-Americano Charlie Kimball acaba parando na área de escape da última curva do circuito. Com todos esses incidentes foi dada a bandeira amarela na 3ªVolta.

Sebastian Bourdais e outros pilotos lá de trás (Incluído os envolvidos em acidentes) fizeram uma parada nos boxes. A Relargada aconteceu  na volta 6 e Jordan King por fora ganhou a primeira posição em cima do Wickens. Já Alexander Rossi conseguiu a ultrapassagem em cima de Matheus Leist, Assumindo o 3ºlugar. Logo depois disso tivemos uma bandeira amarela, Graças a Graham Rahal que atingiu o carro do Norte-americano Spencer Pigot. (que não apareceu praticamente o final de semana inteiro)

Na 11ªVolta tivemos nova relargada, Desta vez sem bandeira amarela por um bom tempo. King acaba perdendo a curva e Wickens da Schmidt Petersen volta a liderança. Rossi tenta se aproveitar da bobeada de King, Mas ele não realiza bem a manobra de ultrapassagem, Perde tempo e perde também a posição para Matheus Leist que vinha fazendo um final de semana exemplar. Logo depois disso o Norte-americano da equipe Andretti em duas voltas recuperou a posição que tinha perdido para o piloto Brasileiro e na volta seguinte passou King e assumiu a segunda posição.

Na 15ªVolta o carro de Matheus Leist acaba travando na 3ªMarcha e o piloto Brasileiro que fazia uma bela estreia na Indy foi para os boxes, O problema era muito sério, O que tirava qualquer chance de um bom resultado para o Gaúcho de Novo Hamburgo.

Wickens e Rossi tinha uma bela vantagem para Jordan King que acabou ficando mais para os outros pilotos que vinham lá atrás como o Canadense James Hinchcliffe da Schmidt Petersen.

Aos poucos os pilotos foram para a sua parada, Na volta 24 parou o Norte-americano Alexander Rossi, Na Volta 26 parou o líder Robert Wickens. A Liderança passou para as mãos de Sebastién Bourdais da Dale Coyne que vinha em uma tática diferente das demais.

Até que Matheus Leist acabou voltando para a pista e por razões ainda não explicadas o piloto da A.J.Foyt acabou batendo e abandonando a prova. E provocando uma bandeira amarela na 28ªVolta. Isso fez com que Bourdais perdesse a vantagem que ele tinha por não ter feito a parada, Assim como Pigot, Zach Veach e Claman de Melo que teriam de fazer a parada.

Na relargada Bourdais e Pigot nas duas primeiras posições com Vickers como o primeiro dos pilotos que já tinham feito a primeira parada com a tática convencional.

Mas acabou durando muito pouco essa bandeira verde, Já que Scott Dixon acabou atingindo de forma grotesca o Japonês Takuma Sato (Que vinha bem no começo de prova e depois disso acabou caindo) provocando uma nova bandeira amarela. Dixon foi punido pela manobra caindo para o final da fila enquanto que Pigot foi para a sua parada nos boxes, Deixando Vickens na cola do piloto Francês.

Na volta 38 a corrida recomeça com estreante canadense da Schmidt Petersen passando Bourdais e assumindo a liderança enquanto o piloto da Dale Coyne (Com o desgaste dos pneus mais macios que vinham de quase 40 voltas de uso) vinha sofrendo para manter o segundo lugar dos ataques principalmente de Alexander Rossi. Na volta 40 Rodada de Jack Harley da equipe de Michael Shank acaba na grama. Nova Bandeira amarela (5ªBandeira Amarela antes da metade da prova)

Com essa bandeira amarela Bourdais foi para a parada, Assim como metade do pelotão foi para os boxes para fazer uma parada, Mudando a estratégia dos boxes deles. Josef Newgarden teve um pneu furado, Por sorte ele levou rapidamente aos boxes não comprometendo completamente a sua prova. (Num final de semana bem difícil para o campeão de 2017)

A Relargada aconteceu na volta 46. A Partir dai a corrida realmente se desenvolve normalmente. Com o recorrer da prova a disputa pela vitória vinha se encaminhando para ser entre Robert Wickers da Schmidt Petersen e o Norte-americano Alexander Rossi da Andretti Autosport, Mas o Bourdais vinha bem colocado e com a possibilidade de fazer a parada a menos  funcionar e que ele pudesse entrar na disputa pela vitória.

Wickers parou na 60ºVolta e Rossi parou na 2 Voltas depois. A liderança voltava as mãos de Bourdais, Que precisava pelo menos fazer 15 voltas para fazer a parada e conseguir levar o carro até o final da prova.

Bourdais voltas antes da parada era pressionado pelo piloto da Schmidt que liderava a prova, Wickers não poderia se descuidar com Rossi que vinha tirando a diferença para ele. Quem também vinha na mesma estratégia eram Graham Rahal, Ed Jones, Josef Newgarden e Claman de Melo.

Na volta 78, Bourdais parou e provavelmente iria terminar a prova com um pouco de economia de combustível. Wickers e Rossi assumiram as 2 primeiras posições, Fizeram suas paradas a menos de 30 voltas para o final e partiram para o duelo pela vitória.

Com melhor desempenho, Rossi se aproximou de Wickers e partiu para cima em busca da vitória. Enquanto isso Bourdais vinha Economizando o combustível e se distanciando dos dois primeiros colocados. Hinchcliffe vinha brigando com Graham Rahal pelo 4ºlugar.

Wickers vinha resistindo a pressão de Rossi, Quando eles chegaram em Charlie Kimball e em Claman de Melo acabou Rossi da Andretti Autosport passando reto e quase batendo no muro, Isso foi um respiro que o piloto Canadense precisava na liderança. A vantagem foi para 3 segundos e pelo andar da carruagem estava pintando a vitória de um estreante na Formula Indy.

Até que a 9 voltas, O piloto Austríaco Rene Binder, da estreante Juncos Racing acabou passando reto e indo de leve para o muro. Bandeira amarela em todo o circuito e todo mundo se juntava e que parecia uma vitória tranquila do Canadense agora estava tudo indefinido, Até mesmo Bourdais, Rahal e Hinchcliffe entrarem nessa disputa.

Bandeira verde foi acionada a 5 voltas do final. Wickens segurava a liderança, Enquanto que Rossi escorregava um pouco e deixava o piloto Canadense abrir diferença. A3 voltas no final o Inglês Max Chilton para na pista e aciona a bandeira amarela. E dai se tem um trabalho incrivelmente rápido para religarem o carro do piloto da Carlin. Conseguiram e isso fez com que pudessem acionar a bandeira verde a 2 voltas do final.

Foi ai que Rossi tentou a cartada final assim que foi acionada a bandeira verde, O Norte-Americano foi para cima do Canadense, se posicionou por dentro e mesmo sem estar com o carro de lado acabou entrando na curva com condições de ultrapassar, Mas acabou por escorregar e atingir Wickens que teve o final de sua corrida o muro como destino. Com tudo isso Sebastien Bourdais assumiu a liderança com Rahal em 2º e Rossi ainda mantendo a 3ºposição.

Com isso acionaram a bandeira amarela. Bourdais que largou em 14ºlugar e adotou a tática diferente dos favoritos acabou tendo a sorte ao seu lado e conquistou a sua 36ªvitória de sua Carreira. O piloto da Dale Coyne repete a dose do ano passado aonde ele venceu na abertura do campeonato na Mesma St.Petersburgh.

Graham Rahal também adotando tática diferente após ter atropelado Spencer Pigot ficou em 2º e Alexander Rossi acabou completando o pódio em 3º.(Na minha opinião ele deveria ter levado acréscimo de 20 segundos no tempo final de corrida) Completando os 5 primeiros colocados ficaram: James Hinchcliffe e Ryan Hunter-Reay que começou a corrida com problemas em seu carro e conseguiu uma recuperação muito boa.

Scott Dixon teve um dia para esquecer, Errou no lance aonde ele atropelou Takuma Sato, Sofreu uma punição de Drive Turogh por ter excedido o limite de velocidade. O 6ºlugar do piloto da Chip Ganassi é um grande lucro. Pois não fez corrida para essa posição.

Os 6 primeiros colocados foram todos motores da Chevrolet. Só ai você ver o primeiro Penske e o primeiro Motor Chevrolet em 7ºlugar. Com um sumido Josef Newgarden. O time de Roger Penske ainda teria Will Power que bateu no começo da prova chegando no 10ºlugar, Atrás de Ed Jones que estreou na Chip Ganassi e de Marco Andretti que corre esse ano pela Andretti-Herta.

O Único Brasileiro que terminou a prova foi Tony Kannan, Estreando pela A.J.Foyt acabou tendo uma estreia apenas regular na equipe de uma das lendas do automobilismo Norte-Americano, Ao completar a prova em 11ºlugar. Das equipes novatas acabou a Harding Racing de Gabby Chaves obtendo um desempenho bem melhor, Apesar do 14ºlugar do Colombiano. Ela se mostrou melhor do que a Juncos Racing e do que a Carlin.

Robert Wickens, Que liderou a maior parte da prova acabou apenas em 18ºlugar. Uma judiação para quem merecia vencer a prova de hoje.

Daqui a 3 semanas a IndyCar 2018 volta com o primeiro desafio em circuito oval. O GP de Phoenix, No deserto do Arizona.

Resultado final do GP de St.Petersburg
1ªEtapa da IndyCar 2018

Pos Piloto Equipe Carro/Motor Voltas Tempo/Abandono
1 18 Sebastien Bourdais Dale Coyne Racing Dallara/Honda 110 2h17m48.4954s
2 15 Graham Rahal Rahal Letterman Lanigan Dallara/Honda 110 0.1269s
3 27 Alexander Rossi Andretti Autosport Dallara/Honda 110 0.7109s
4 5 James Hinchcliffe Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda 110 1.5175s
5 28 Ryan Hunter-Reay Andretti Autosport Dallara/Honda 110 1.9907s
6 9 Scott Dixon Chip Ganassi Racing Dallara/Honda 110 2.2716s
7 1 Josef Newgarden Team Penske Dallara/Chevrolet 110 3.3842s
8 10 Ed Jones Chip Ganassi Racing Dallara/Honda 110 4.2992s
9 98 Marco Andretti Andretti Herta Dallara/Honda 110 4.8363s
10 12 Will Power Team Penske Dallara/Chevrolet 110 6.1272s
11 14 Tony Kanaan AJ Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet 110 6.5176s
12 30 Takuma Sato Rahal Letterman Lanigan Dallara/Honda 110 7.4005s
13 22 Simon Pagenaud Team Penske Dallara/Chevrolet 110 7.9903s
14 88 Gabby Chaves Harding Racing Dallara/Chevrolet 110 9.2272s
15 21 Spencer Pigot Ed Carpenter Racing Dallara/Chevrolet 109 1 Volta
16 26 Zach Veach Andretti Autosport Dallara/Honda 109 1 Volta
17 19 Zachary Claman Dale Coyne Racing Dallara/Honda 109 1 Volta
18 6 Robert Wickens Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda 108 Acidente
19 59 Max Chilton Carlin Dallara/Chevrolet 108 2 Voltas
20 23 Charlie Kimball Carlin Dallara/Chevrolet 107 3 Voltas
21 20 Jordan King Ed Carpenter Racing Dallara/Chevrolet 107 3 Voltas
22 32 Rene Binder Juncos Racing Dallara/Chevrolet 100 Acidente
23 60 Jack Harvey Michael Shank Racing Dallara/Honda 38 Abandonou
24 4 Matheus Leist AJ Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet 16 Acidente

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos e Vídeo: IndyCar

Robert Wickens conquista pole na sua estreia na Indy, Leist larga em 3º

Na Primeira classificação do novo carro da Indy, Não tivemos os medalhões brilhando, Mas sim um estreante vindo do Canadá. Robert Wickens marcou sua primeira pole position. Em condições complicadas que se sucederam devido a chuva que aumentava de intensidade a cada parte do Treino que se passava.

No Grupo 1, Zach Veach chegou a liderar o treino acabou ficando de fora, Com o 8ºlugar. O Campeão de 2017 Josef Newgarden acabou ficando de fora por 2 centésimos do tempo de Ryan Hunter-Reay (último dos pilotos que classificaram)

Jordan King, Outro estreante que faz parte da temporada com o carro da equipe Carpenter foi o mais rápido do Grupo, (E o mais rápido juntando os 2 grupos) Também classificaram Alexander Rossi, Robert Wickens, Tony Kannan, Simon Pagenaud e Hunter-Reay.

No Grupo 2, A Chuva começava a dar as caras. Graham Rahal acabou rodando na metade do treinamento. Os dois primeiros lugares no treino quando faltavam 3 minutos para o final acabaram ficando de fora da 2ªFase. No final do treino Will Power marcou o melhor tempo, 3 centésimos a frente do Brasileiro Matheus Leist. Na da pressão, O jovem piloto que faz sua estreia na Indycar parecia um veterano, Acabou conquistando com muita autoridade essa qualificação. Scott Dixon, James Hinchcliffe, Gabby Chaves e Takuma Sato passaram para a segunda fase.

Na segunda fase, A Chuva aperta e deixa o limite entre o melhor tempo e o muro muito próximo. Matheus Leist, Simon Pagenaud, Scott Dixon, Takuma Sato ou perderam a trajetória e quase passaram reto ou rodaram. O Japonês da equipe Rahal rodou, Mas voltou ao treino.

A Segundos do Final, O Francês Simon Pagenaud roda e acaba ficando pelo caminho o que faz acionar a bandeira vermelha em todo o circuito. Tempo encerrado e o Canadense Robert Wickens marcou o melhor tempo com 1:00.54. Will Power ficou com 1:00.59 em 2º e Alexander Rossi com 1:00.63 ficou em 3º. Jordan King, Matheus Leist e Takuma Sato passaram para a fase final. Tony Kannan ficou em 10ºlugar, Posição aonde ele larga amanhã.

Mas Acabou Alexander Rossi sendo punido, Perdendo seu melhor tempo acabou ficando de fora do Q3. Ryan Hunter-Reay passou para a 6ªvaga.

Na Fase final do Treino, A chuva aumentou a intensidade, não o bastante para molhar de vez o circuito, Mas sim melar a pista a tal ponto que deixou a disputa por essa pole mais emocionante do que nunca. Will Power liderava na parte final do Treino, Ryan Hunter-Reay não conseguiu superar o tempo do piloto da Penske.

A pole não ficou com o Australiano, Porque no final o Canadense Wickens marcou 1:01.66 superando o tempo de 1:01.74 de Power e com isso o piloto da Schmidt-Petersen marca a primeira pole do ano e a primeira pole da Carreira.

Destacar o ótimo trabalho do Brasileiro Matheus Leist que marcou um ótimo tempo e vai largar na 3ªposição com o carro da A.J.Foyt que parece esta bem melhor que na temporada passada. Ao lado do piloto Brasileiro que faz sua estreia na Formula Indy, Na segunda fila larga o Inglês Jordan King da Carpenter. Também estreante mostra que pode dar bons resultados para a equipe do piloto Ed Carpenter. (Que corre nos circuitos ovais)

Jordan King e Ryan Hunter-Reay largam na Terceira-fila. O GP que abre a temporada da Formula Indy sera realizada amanhã a partir da 1 da tarde. Horário de Brasília.

Grid de largada do GP de St.Petersburg
1ªEtapa da Temporada 2018 da Formula Indy

Posição Piloto Equipe Chassi/Motor Tempo Fase
1 Robert Wickens Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda 1’01.6643 3
2 Will Power Team Penske Dallara/Chevrolet 1’01.7346 3
3 Matheus Leist A. J. Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet 1’01.7631 3
4 Jordan King Ed Carpenter Racing Dallara/Chevrolet 1’01.7633 3
5 Takuma Sato Rahal Letterman Lanigan Racing Dallara/Honda 1’01.8821 3
6 Ryan Hunter-Reay Andretti Autosport Dallara/Honda 1’02.0385 3
7 James Hinchcliffe Schmidt Peterson Motorsports Dallara/Honda 1’00.9986 2
8 Gabby Chaves Harding Racing Dallara/Chevrolet 1’01.1191 2
9 Scott Dixon Chip Ganassi Racing Dallara/Honda 1’01.6527 2
10 Tony Kanaan A. J. Foyt Enterprises Dallara/Chevrolet 1’01.7213 2
11 Simon Pagenaud Team Penske Dallara/Chevrolet 1’04.6739 2
12 Alexander Rossi Andretti Autosport Dallara/Honda 1’07.0377 2
13 Josef Newgarden Team Penske Dallara/Chevrolet 1’00.4320 1
14 Sebastien Bourdais Dale Coyne Racing Dallara/Honda 1’00.9587 1
15 Zach Veach Andretti Autosport Dallara/Honda 1’00.4585 1
16 Spencer Pigot Ed Carpenter Racing Dallara/Chevrolet 1’00.9668 1
17 Ed Jones Chip Ganassi Racing Dallara/Honda 1’00.5009 1
18 Marco Andretti Andretti Herta Autosport Dallara/Honda 1’01.3013 1
19 Jack Harvey Michael Shank Racing Dallara/Honda 1’01.0270 1
20 Max Chilton Carlin Dallara/Chevrolet 1’01.3360 1
21 Charlie Kimball Carlin Dallara/Chevrolet 1’01.1868 1
22 Zachary Claman Dale Coyne Racing Dallara/Honda 1’01.8567 1
23 Rene Binder Juncos Racing Dallara/Chevrolet 1’01.7003 1
24 Graham Rahal Rahal Letterman Lanigan Racing Dallara/Honda 1’04.0990 1

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: IndyCar

“Geração perdida” – Um ensaio sobre o Egoismo – Coluna de Deivison da Conceição da Silva

Se vocês são falsos e Hipócritas: Por favor não leiam essa coluna. Ela é um verdadeiro tiro na cara que você vai levar na sua vida.

Vocês que são da geração de final dos anos 90 e inicio dos anos 2000. Vocês em sua maioria parecem um caso perdido (Se a geração . Se importam mais por si do que pela a humanidade. Que querem desconstruírem a história da humanidade por causa de algumas teorias que são verdadeiros absurdos. Preconceitos a minorias, Pedem a volta da Ditadura militar e o fim da Liberdade de Expressão. Eles só querem oprimir pessoas boas. Tudo por causa de uma luta contra um Partido apenas, Se tivessem comprometidos em melhorar esse país ficaram indignados com Temer, Bolsonaro, Aécio, entre outros  corruptos no Brasil que estão no poder!

Não tenho nenhuma dúvida de falar que essa é a geração mais mesquinha, Sem coração que já tivemos e se não demos um alerta agora, Teremos no futuro outras gerações mais mesquinhas ainda e mais sem coração ainda. Esse tema não pode ser tratado por puro achismo de alguém que ver os problemas do Brasil se resumirem a Economia e Política. E sim como um problema de toda a sociedade!

Fome e morte – é isso que acaba acontecendo quando você ignora pedidos de ajuda

E a desculpa mais dada para que se não ajude uma pessoa é que a pessoa precisa ter amor próprio. Que ela precisa disso e que esqueça esses problemas, injustiças porque elas acontecem. Bola pra frente, Segue o Baile, Aceita que dói menos … são essas frases não são solução para ninguém e sim um tormento. Não gosto de usar essas frases no meu dia a dia, Prefiro ser otimista. Tem situações que são impossíveis de serem resolvidas apenas com nossas forças, Mas a maioria dos problemas que são deixados de lado eram resolvíveis e poderiam ser resolvidos som a cooperação de todos. A vida não é um jogo como vocês pensam não!!! Não se pode brincar com uma coisa dessas. Aprendam comigo que jogo e jogo e vida é vida. Nada a ver confundir uma coisa com a outra!

Gabriel, Anotem esse nome. Quando teve condição de tirar seu avo de 88 anos, ele foi lá e tirou. “Esse sim é um exemplo para vocês da Geração perdida! E não essa piada de Nando Moura”

Se isso é ter amor próprio??? Então eu não quero! Porque já vi e vivo esse mundo e digo uma coisa… O Mundo do amor próprio é o Mundo das trevas, Um inferno na terra. Não existe a solidariedade com os outros. Ao invés das pessoas ajudarem umas as outras elas preferem ver o amigo se ferrar sozinho. Ou pior, Pisam nos sonhos dessa pessoa e acabam deprimindo esse amigo ou amiga. (Se isso se deve ser chamado de amigo, Para mim isso não é amizade) ou então pior que isso, Mentem ou as escondidas acabaram dando um coice pelas costas sem se esperar esse tipo de atitude. Essas atitude precisam e devem acabar para o bem da sociedade.

“Que tempos são estes em que é preciso defender o óbvio? Essa Frase eu vou colocar para vocês! A invés de fazer isso vocês acabam defendendo essa nova ordem patética. E ao invés de apoiar pessoas boas você apoiam mal caráter… Isso porque ele é foldalhão, Campeão de Tudo, O Top de linha e …

Em 1994 a coisa a ser feita corretamente naquele ano seria retirar o Campeonato do Schumacher e devolver o título ao Hill. Que correu com um carro dentro do regulamento e jogou limpo, Ao Contraio de Schumacher e da Benetton.

Eu prefiro contratar um bom trabalhador. Ainda que não me desse títulos, (Sobre o Automobilismo) Ele poderia ser uma boa imagem para mim e a minha empresa. Do que um piloto multicampeão do mundo, Mas com sua ética questionável e tendo vários e vários, porém sobre a sua conduta dentro e fora da pista. Essa mentalidade poderia ter mudado não só a história do Esporte a Motor e também da Humanidade.

Quando uma regra no jogo ou em uma corrida de carros ou de motos é aplicada de maneira injusta poderia os pilotos fazerem como Gandhi, O líder da revolução que acabou sendo o líder da revolução que resultou na Independência da Índia: Desobedecer pra Pacificar, Como um dia fez a Índia. Com diz 2 versos do samba de enredo da Mocidade Independente de Padre Miguel para o Carnaval de 2018.

Girolami poderia não ser o único exemplo de piloto Estrangeiro no Brasil. poderíamos ter mais pilotos de fora na Stock Car.

Nosso país, Brasil sempre foi egoísta em termos esportivos. Não falo só da falta de investimento no Esporte, Mas também falo na contratação de poucos jogadores estrangeiros, Todos eles praticamente são da América do Sul e praticamente ninguém da Europa é contratado. Se é pela chamada reserva de Mercado eu não sei, Mas tínhamos que ter profissionais de outros países não só nos esportes populares como o Futebol (Tem pouquíssimos jogadores europeus por aqui e técnico nem se fala. Provavelmente não tem nenhum)

No Esporte a Motor a Stock se quer coloca um piloto estrangeiro. O Único que correu uma temporada inteira foi o Argentino Nestór Giorlami. Deveriamos tentar trazer mais pilotos da Europa ou das américas para disputarem uma temporada na Stock (Exemplo: Ex-pilotos de Formula ou pilotos desempregados da Formula Indy, WEC e outras boas categorias do Cenário Mundial) Acho que o Belga Laurens Vanthoor já seria um bom começo que uma equipe da maior categoria de Turismo do Brasil faça um projeto audacioso de 3 anos com ele sendo o cabeça da equipe.

Provavelmente o Brasil vai ter melhores resultados em um médio prazo no Motorcross mundial. Porque não abriu mão de ter pilotos de alto nível mundial.

Estamos tomando um caminho perigoso por uma nacionalização cega do esporte. O nível do Esporte a Motor no Brasil é baixo! E vai ficar mais baixo ainda caso isso não mude. O Arena Cross Brasil teve a ousadia de pegar grandes pilotos do Mundial de Arena Cross para melhorar o patamar do Motocross Brasileiro. O resultado em breve vai ser colhido com pilotos Brasileiros podendo ir para fora e competindo de igual para igual com os pilotos europeus.

Precisamos criar novos heróis do Esporte Brasileiro, mesmo eles sendo do Exterior. Precisamos criar uma cultura que não existe no Brasil: A cultura da Ajuda, da cooperação para o bem das pessoas e da Cultura de Tolerância! Chega de ver gente pobre sofrendo porque quer fugir de um país em guerra ou em situação miserável. Chega de Alimentar um Fascismo disfarçado de leis injustas. Sou a favor de um Brasil Forte, Mas não me importa se isso for ao custo de muitas vidas inocentes e de Xenofobia.

Sou contra o Pseudoamor Próprio que se propaga, (O que tá mais para mim em Egoísmo moderno) e contra qualquer regra velha e Ultrapassada que visa apenas em piorar o Mundo. Mesmo que isso custe seguidores, Média, Dinheiro, Visitantes no meu site… Que o público me xingue, fale coisas absurdas, covardes,  Que me boicotem o meu site, Que me derrubem e rotulem como isso é aquilo.

Menos FODA-SE e mais solidariedade!
Menos morra e mais “Vamos ajudar você!”
Menos Egoismo e mais amizade!
Menos Nando Moura e Mais conhecimento!
Mais amor e menos guerra!

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: cmjornal.pt / jornalggn / bebugirolami.com / Twitter / showradical.com.br

Esporte a Motor no Brasil entregue as Moscas – Coluna de Deivison Conceição

O triste relato do Automobilismo Brasileiro é apenas mais uma clara prova da falência desse país e do rebaixamento político e moral dos dirigentes em todas as áreas da Sociedade.

O Fato é que desde de 1970 temos pilotos na Formula 1 e agora depois de 48 anos não teremos nenhum representante Brasileiro no Grid da maior categoria do Automobilismo Brasileiro. Sem dúvida quem esperou um dia para falar isso vai vender o terror e vai usar disso como sensacionalismo para ganhar audiência. Entanto não se fez nada nos últimos 10 anos para se reverter isso em relação a CBA.

(Confederação Brasileira de Automobilismo) Atitudes como do Felipe Massa em trazer a Formula Futuro (Foi o próprio piloto que custeou os custos com os carros trazidos para o Brasil, Com os mais baixos custos possíveis) Mas a categoria acabou, Não tinha apoio de nada. O Campeão da categoria ganhava 1 ano na Europa em uma categoria mais competitiva.

Formula futuro que ficou sem futuro

A Formula Junior foi muito bem no começo, Mas depois começou a perder a receita e ela também acabou. A Formula RS também perdeu a receita e acabou. A Formula 3 Brasil é uma categoria que esta bem abaixo do nível da Formula 3 da Europa. (Mesmo tendo custos mais baixos)

Então qual seria a direção? Criar novas categorias, Investimento em talentosos pilotos Brasileiros, O governo e a CBA fazerem um programa para temos sempre demanda de piloto no Exterior? Essa seria a atitude certa!, Mas o que vemos é um bando de mentecaptos que não enxergam isso (Incluo Dirigentes, Promotores da Categoria e Jornalistas também ajudam a afundar o automobilismo Brasileiro!!!) Nada fazem. Só fazem a favor da Stock Car e das categorias de turismo. Será que um país com o Brasil só pode viver de categorias de Turismo, Será que não tem espaço para uma categoria de Formula proliferar no Brasil. As Dificuldades já começam no Kart aonde tudo é caro, Até mais caro do que categorias de Formula e de Turismo.

Na Argentina, existe lei para obrigar as Montadoras de Automóveis a investirem no Automobilismo interno. O turismo Carreteira de lá é maravilhoso! Se comparar com a Stock Car, São anos luz a frente da nossa categoria. Mesmo sem uma categoria forte de Formula por lá. As coisas com os vizinhos funciona melhor do que no Brasil.

No Brasil o que poderia se ter é mais apoio a Formula Vee que é uma categoria que pode ser tanto formadora de pilotos como uma diversão para outros pilotos caseiros. E a partir dai criar uma Formula Junior ou uma Formula 4 para o Brasil e para a América Latina. Uma pergunta que eu faço: Com tanta fábrica de Carros, Porque não temos categorias de Formula no Brasil ou até mesmo de Turismo. A Stock Car não tem várias marcas, O carro é tubular com uma bolha e os motores são todos os mesmos motores. Nem é uma categoria multimarca de verdade, Então é uma Fantasia como o campeonato de Marcas é uma Fantasia ser multimarca.

Esse Samba da Beija-Flor tem tudo a ver com tudo que acontece no Brasil:

No Mundo da Fantasia que se vive no Automobilismo com seu viés totalmente elitista, Não se faz nenhuma tentativa de procurar novos. Não convidam estudantes do Ensino Fundamental para verem um dia de corridas regionais. Isso poderia ser feito e sem dúvida o automobilismo iriam ganhar novos corações. Dei várias ideias para isso acontecer no Automobilismo Gaúcho e ninguém pegou essas ideias. Por isso é que você não ver mais do que mil pessoas nas categorias regionais quando se poderia ter 5 mil num dia ruim, (Imagina uns 10 a 15 mil em um bom dia) O Ingresso é muito mais barato do que um bom ingresso de jogo de Futebol.

Exemplo: Se 1000 crianças fossem para os autódromos, poderiam 50 ou 100 dessas crianças se apaixonarem pelo esporte ou até mesmo algumas delas quisessem no futuro participar de corrida de Kart ou de automobilismo Regional. E a Famosa mosquinha azul picando e tornando eles apaixonados por esporte a motor ou até mesmo fanático por esse esporte.

Transmissões por Web Rádio e por Stream de corridas regionais é uma solução para popularizar o esporte, Divulgação nas escolas, Eventos nas cidades, tentativas dos dirigentes para vender melhor o Automobilismo e o Esporte a Motor.

A Band Sports fez um belo trabalho com a prova da Cascavel de Ouro. (Que por sinal foi um evento muito bem feito que tinha uma premiação bem bacana de 100 mil reais em prêmios) Tá certo que era um evento especial, Mas foi uma mostra clara de como você pode fazer um evento e como transmitir um evento como esse evento tradicional que teve no Paraná.

Basta o Esporte sair da Fantasia e se libertar de sua bolha para voltar a ter o prestígio que tinha no passado. Isso é bem mais fácil do que se pensa, Mas quem comanda a Festa precisa querer e ser pressionado para sair dessa Bolha ou todos estaremos perdidos.

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Williams/ newsracer / André Kotoman /Formula Vee / Pintelest / Novac
Vídeos: TV Jornalismo / Leonardo Queiroz