Category Archives: Fotos

F1 Formula 1 Formula 1 - 1990 Fotos História

GP da Bélgica de 1990

Published by:

Grid de largada:

1 Ayrton Senna (McLaren/Honda) 1’50.365
2 Gerhard Berger (McLaren/Honda) 1’50.948
3 Alain Prost (Ferrari) 1’51.043
4 Thierry Boutsen (Williams/Renault) 1’51.902
5 Nigel Mansell (Ferrari) 1’52.267
6 Alessandro Nannini (Benetton/Ford) 1’52.648
7 Riccardo Patrese (Williams/Renault) 1’52.703
8 Nelson Piquet (Benetton/Ford) 1’52.853
9 Jean Alesi (Tyrrell/Ford) 1’52.885
10 Satoru Nakajima (Tyrrell/Ford) 1’53.468
11 Aguri Suzuki (Lola/Lamborghini) 1’53.523
12 Ivan Capelli (Leyton House/Judd) 1’53.783
13 Stefano Modena (Brabham/Judd) 1’53.916
14 Mauricio Gugelmin (Leyton House/Judd) 1’54.120
15 Eric Bernard (Lola/Lamborghini) 1’54.251
16 Pierluigi Martini (Minardi/Ford) 1’54.312
17 Emanuele Pirro (Dallara/Ford) 1’54.595
18 Derek Warwick (Lotus/Lamborghini) 1’55.068
19 Alex Caffi (Arrows/Ford) 1’55.199
20 Andrea de Cesaris (Dallara/Ford) 1’55.261
21 Nicola Larini (Ligier/Ford) 1’55.278
22 Martin Donnelly (Lotus/Lamborghini) 1’55.304
23 Olivier Grouillard (Osella/Ford) 1’55.334
24 David Brabham (Brabham/Judd) 1’55.668
25 Paolo Barilla (Minardi/Ford) 1’55.859
26 Michele Alboreto (Arrows/Ford) 1’56.055

Não Classificaram para a corrida:

27 Philippe Alliot (Ligier/Ford) 1’56.118
28 Gabriele Tarquini (AGS/Ford) 1’57.566
29 Yannick Dalmas (AGS/Ford) 1’57.704
30 Bertrand Gachot (Coloni/Ford) 1’58.520
31 Roberto Moreno (Euro Brun/Judd) 2’00.270
32 Claudio Langes (Euro Brun/Judd) 2’01.405
33 Bruno Giacomelli (Life) 2’19.445 29.080

Senna Conquista Vitória importante em SPA para o Titulo de 1990

a Disputa pelo titulo de 1990 estava acirrada e Senna tinha 10 pontos na Frente de Prost, era um confronto particular entre os Rivais, um com o Melhor motor da Formula 1, o Mclaren Mp4/6 com os Motores Honda de 10 Cilindros contra o Melhor Chassi da Ferrari de Alain Prost. Na Bélgica, Senna vencedor das edições de 85, 88 e 89 saia na pole, com Berger em Segundo e Prost em Terceiro.

Na Largada Senna larga bem e mantém a ponta e Berger protege Senna, e não deixa oportunidade para Prost tentar ultrapassar Senna e Berger, mas um pouco mais atrás Piquet toca em Mansell que vai para a mureta de proteção, as Duas Lotus se chocam, uma delas perde o Bico, uma Dallara fica atravessada no meio da pista, vários pilotos tiveram problemas, e antes de completarem a primeira volta a Largada foi anulada e com isso os pilotos se alinharam para a 2ªlargada.

Na 2ªLargada Senna Larga bem, Mas quem larga muito bem foi o Piloto da Casa, O Belga Thierry Boutsen que passou de 4º para segundo, mas muito devido ao Berger que acabou bloqueando a largada de Prost, que fez o Francês cair para 5ºlugar. Berger foi para a Luta para tentar recuperar a 2ªposição que era do Boutsen. Nannini era o 4ºlugar. Senna Completa a 1ªVolta com Boutsen, Berger e Nannini atrás, Prost continuava em 5º Mansell em 6º, Piquet e Patrese completavam os 8 primeiros colocados. Mas Paolo Barilla bateu muito forte na segunda volta e De Cesaris acabou rodando. Apesar de terem completado a 1ªvolta da corrida, a largada foi anulada mais uma vez, e assim os pilotos iriam para a Terceira largada e que eles esperavam que essa fosse a largada definitiva.
Na 3ªLargada, Senna largou mais uma vez ficou em 1º, Berger em 2º, Prost em 3º e Boutsen em 4º, quem largou bem foi Patrese que Saiu de 7º para 5ºlugar. Mansell foi mal demais, ele caiu de 5º para 8ºlugar e o pior sendo pressionado por Alesi com a Tyrrell-Ford.

Boutsen na 3ªvolta estava começando a chegar perto de Prost para tentar assumir a 3ªPosição que precisava convencer Frank Williams de que seria útil para a Williams em 1991. Nakajima teve problemas e abandonou a corrida na 3ªVolta. Senna estava tranquilo na Liderança com Berger protegendo Senna dos ataques de Prost e perto de Prost vinha Thierry Boutsen, Patrese e Nannini completavam os 6 primeiros, Piquet em 7º já estava longe de Nannini. Na sexta Volta Pirro abandonou a corrida com problemas de Vazamento de Água em sua Dallara-Ford.

A Classificação era após 6 Voltas: Senna (11:59.903), Berger (1.849), Prost (2.503), Boutsen (3.664) Patrese (4.848), Nannini (6.090). Prost começava a se aproximar de Berger para lutar pelo 2ºlugar. Senna na Volta 7 Tinha a melhor volta da Corrida, 1:58.712, Piquet, Alesi, Mansell, Capelli, Bernard e Gugelmin eram colocados de 7º até o 12º. Alias decepção para a corrida de Mansell que estava numa corrida lamentável com a Fortíssima Ferrari. Após 10 voltas a Classificação continuava a mesma: Senna, Berger, Prost, Boutsen, Patrese e Nannini. a briga na frente estava muito fraca, mas a briga de Trás estava interessante, Gugelmin tentando passar Bernard, e Mansell tentando recuperar terreno na corrida.

Na Volta de número 11 Boutsen estava perto de Prost, tentando definir a briga. Mais Prost precisava tentar algo pra se aproximar e passar Berger e partir para buscar Senna. Mansell na Volta 12 para Trocar os pneus. Ele já tá caia para a 10ªPosição. Na Volta 12 Prost Fazia a melhor volta da corrida, 1:58.151 e se aproximava de Berger pelo 2ºlugar. Prost abria fogo pra cima de Berger pela 2ªposição. Lá Atrás Alesi e Capelli lutavam pelo 8ºlugar. Prost na chicane que ficava um pouco antes da Reta dos boxes passou Berger e assumiu a Segunda posição e começou a tentar buscar Ayrton Senna. Boutsen chegou em Berger para lutar pelo 3ºlugar.

Agora a Corrida começava a ficar bastante interessante devido ao confronto Senna, Prost tinha 4 segundos atrás do Prost, Nannini ultrapassou Patrese e assumiu a 5ªPosição, Patrese estava em Ritmo lento e já na Alça de mira de Piquet.

Com 19 Voltas completadas Berger vai para os Boxes, Patrese para e abandona a corrida. Na Volta seguinte Mansell também deixa a corrida, Mansell que já estava mal na corrida. Classificação após 19 Voltas: Senna. Prost, Boutsen, Nannini, Piquet e Berger, com Alesi em 7º, Gugelmin em 8ºe Capelli em 9º Senna e Prost continuavam na luta pela vitória e pelo titulo de 90, e os Retardatários estavam cada vez em número maior, Senna chegou em uma volta a pegar 3 deles na reta.

Na Volta 21 para a Tristeza dos Belgas, Thierry Boutsen abandona a corrida devido a problemas de Transmissão. Com isso Gugelmin já estava nos pontos, ele pensava em não parar nos boxes de maneira nenhuma na corrida, seria essa a forma que ele tinha para poder pontuar na corrida. Na Volta 23 Senna e Prost vão para a parada Juntos, e ambas as equipes trabalham bem, Senna Volta Exatamente na Frente de Nannini e Prost voltava em 3ºlugar. Nannini ainda estava grilado por causa do GP da Hungria, pois ele foi vitima de um acidente que Senna causou. Depois de ataques do Nannini quando o pneu estava frio Senna quando tinha os pneus na temperatura normal assumiu a ponta e abriu de Nannini que teria que segurar Prost na briga pelo 2ºlugar. Após 23 Voltas a Classificação era a Seguinte: Senna (45:49.064), Nannini (0.601), Prost (4.437), Berger (13.127), Piquet (14.361) e Gugelmin (37.232).

Na Volta 24 Prost outra vez faz a melhor volta da corrida e se aproximava de Nannini cada vez mais, Nannini em 2º não foi trocar os pneus devido ao Excelente chassi da Benetton que permitia fazer uma corrida sem trocar os pneus, Piquet foi trocar os pneus e a Benetton demorou na troca que foi de 14 segundos, e Voltou na 6ªposição, Mauricio Gugelmin passou para 5º. Prost na Volta 27 partia de Vez ao ataque em cima de Nannini enquanto essa briga acontecia, Senna aproveitava e faz a melhor volta da corrida, 1:56.104 e tentava abrir o máximo possível para administrar a corrida nas voltas finais.
No Final da Volta 27 na chicane final antes da reta dos boxes Prost passa Nannini de forma arrojada para os padrões de Alain Prost e assume a segunda posição, Nannini sem pneus não resistiu muito tempo, apesar do excelente chassi da Benetton B190 os pneus de Nannini estavam em péssimo estado em relação aos outros pilotos que estavam com pneus normais.

Andrea de Cesaris com problemas de Motor abandonava a corrida na volta 30, Piquet passou Gugelmin e reassumiu a 5ªposição, Mas Gugelmin em 6º não tinha ninguém atrás dele e estava tranquilo em relação de segurar a 6ªposição que daria o primeiro ponto dele no ano.

Com 30 Voltas completadas a classificação era essa: Senna, Prost, Nannini, Berger, Piquet e Gugelmin. Na Volta 32 Alboreto não deixou Prost passar por varias curvas e complicando a vida de Prost que tinha 6 segundos para tirar, mas essa vantagem para a Volta 33 a vantagem já estava em 10 segundos devido a tudo isso.

Restando 11 Voltas para o Final da Corrida Senna virava volta mais rápida em cima de Volta mais rápida restando 11 voltas para o Final do GP da Bélgica, a grande briga que poderia acontecer no final de corrida seria a de Nannini tentando manter o 3ºlugar em cima de Berger que tinha pneus em melhor estado que Nannini. De resto, as outras posições estavam praticamente definidas.

Na Volta 35 Berger chegou de vez em Nannini e iniciou a briga pelo 3ºlugar, a Benetton era um carro em termo de Chassi melhor que o Mclaren, mas o motor da Honda é muito mais potente que o Ford HB da Benetton, na volta seguinte Nannini não passou Caffi e Berger tentou e Acabou lado a lado na Grande reta da pista depois da Eau Rouge e por muito pouco Nannini e Berger não batem e abandonam a corrida pois quase tocaram roda por roda, a 7 Voltas do Final Berger foi de novo, mas já teve mais cauteloso e não foi de uma vez para cima do Nannini, era a Briga da Corrida, agora que Senna e Prost tinham as posições definidas. David Brabham parou a 6 Voltas do final da corrida devido a problemas elétricos mas deixou o carro em posição em parte perigoso.

Restando 6 Voltas do Final a Classificação era essa: Senna, Prost, Nannini, Berger, Piquet, Gugelmin.

Na Volta 41 Senna estava já administrando o seu resultado, e continuava a disputa entre Nannini e Berger pelo 3ºlugar. A Classificação na Volta 40 era: Senna (1:18:42.914), Prost (10.047), Nannini (32.379), Berger (33.621), Piquet (1:19.961) e Gugelmin (1:35.782), Mas a 3 Voltas do Final da corrida Nannini escorrega e perde tempo e Berger toma o 3ºlugar de Nannini e conquista seu lugar no pódio, enquanto Nannini sem ritmo de corrida acaba perdendo de vez ritmo de corrida, Stefano Modena também abandona com Problemas de Motor Judd.

Senna conquistou sua 5ªVitória na temporada de 90, e abriu mais 3 pontos em cima de Prost que terminou em 2º, Senna com 63 pontos e Prost com 50 pontos disputavam o campeonato, Berger em 3º, Nannini em 4º, Piquet em 5º e Gugelmin em 6º conseguiu fazer o primeiro ponto na Temporada 17 carros terminaram a corrida, contando com Modena que atingiu os 90% da corrida completada.

Resultado Final do GP da Bélgica de 1990

Fotos:

 

View post on imgur.com

Fonte das Fotos: Bestlap, Formel1mic

Texto: Deivison da Conceição da Silva

Patrocínio:
planatina_projeto_gif

 

F1 Formula 1 Formula 1 - 1989 Fotos História Rial

Especial: Equipe Rial – Parte 2

Published by:

1989:

A Rial partia para a segunda temporada, Dessa vez teria um campeonato mais igual por que os motores turbo foram proibidos, todos os times teriam motores aspirados o que iria permitir uma igualdade maior, para começar o projetista Stefan Fober corrigiu o problema noi tanque de combustível e fez um estudo sobre o ARC01 fez modificações com o mesmo carro e renomeou ele de ARC02 com 208 litros de combustível e o Motor Ford Cosworth V8 DFR que gerava para a equipe 600 cavalos de potência. Os pilotos são os Alemães Christian Danner e Wolker Weidler que era vindo da Formula 3000, Os Seja uma dupla alemã numa equipe Alemã.

O novo regulamento a Rial com os 3 pontos feitos por De Cesaris em 88 fazia com que o piloto Christian Danner entrasse direto no Treino de Classificação, Já para o novato Wolker Weidler ele terai que disputar com outros 12 pilotos a Pré-Classificação. A terrível Pré-Classificação que somente 4 pilotos passavam para os treinos oficiais.

Em Jacarepaguá a Rial de Wolker Weidler fracassou na pré-classificação, Já Christian Danner classificou a Rial em 17º no Grid de largada, um bom começo para a Rial em 1989, na corrida Danner terminou a prova, Mas longe de um desempenho aceitável, Ficou em 14ºlugar, tendo problemas com o Câmbio do carro ficando a 5 voltas do vencedor. Em San Marino a Rial fica pela primeira vez de Fora da corrida, Weidler não passa de novo do Pré-qualify e Danner não conseguir lugar entre os 26 que garantem vaga na Formula 1. Esse mesmo quadro iria se repetir em Mônaco com Weidler fora dos treinos de Classificação e Danner não conseguindo se classificar para a corrida.

A Rial só volta a correr no GP do México onde Danner largaria em 23ºlugar e completaria a prova em 12ºlugar, O Carro se mostrava pelo menos um carro confiável se ele não era rápido, Isso beneficiou a Christian Danner no GP dos Estados Unidos que estava em uma nova cidade, Em um novo traçado o Alemão Danner largou em 26º e último lugar do que conseguem classificação para a corrida e mesmo com um Carro lento o piloto Alemão completa a prova em 4ºlugar atras somente de Alain Prost, Ricardo Patrese e de Eddie Cheever e acabou na Frente de Johnny Herbert com Benetton e Thierry Boutsen com a Williams. A Rial teria 3 pontos na temporada após 5 corridas o que daria uma esperança de melhora para a equipe.

Danner consegue pela 3ªvez seguida a classificação para a corrida, largando em 23º Danner acabou a prova sob chuva em 8ºlugar, sendo que foi o último colocado, Se estranham que não estamos falando de Wolker Weidler é que ele foi eliminado em todas as ocasiões na Pré-qualificação. Günther Schmidt nem suspeitava, Mas no Canadá a Rial faria sua última corrida na Formula 1, Mesmo com as falhas na Classificação para correrem na França e na Inglaterra a Rial com os seus pontos ganhos na 1ªmetade da temporada acabou garantindo lugar para os dois pilotos na Classificação. Mas o carro estava num estágio tão ruim que na Alemanha nenhum dos dois pilotos se classificou para o Grid de largada, Weidler foi desclassificado do treino por irregularidades na parte técnica, A partir dessa prova a Rial iria se perder totalmente. Mesmo garantida nas classificações a Rial era um fiasco nos treinos, Na Hungria nova desclassificação e Weidler é mandado embora da equipe.

Na Bélgica a maior prova da falta de evolução da Rial com a Estreia de Pierre-Henri Raphanel que estava lá mais por causa de dinheiro do que de talento a Rial fez com Danner 2:00.247. O 26ºcolocado do Grid de largada que foi Olivier Grouillard com 1:57.027, foram 3 segundos mais lento do que o tempo de classificação, isso com o Danner, já com Raphanel foi 2:02.937, a quase 6 segundos de Grouillard.

Na Itália e em Portugal a Rial fez papelão e não largou com nenhum dos dois carros e sempre com tempos muito lentos mesmo, cerca de 2 segundos mais lento que seus adversários mais diretos para a luta por lugares no grid de largada. Para Danner que talvez fosse a única boa peça desse time a paciência se esgotou e ele saiu da equipe. Gregor Foitek substituiu a Danner, e a estadia dele só durou um final de semana, Em Jerez Foitek bateu forte no treino de classificação e acabou sendo mandado embora da Rial, nem precisa dizer que o time não se classificou nessa corrida. Bertrand Gachot foi o substituto de Foitek nas duas corridas finais, Mas de nada aconteceu, Pierre-Henri Raphanel mostrou que não tinha potencial para correr na Formula 1, Mesmo que ele tenha conseguido largar nem Mônaco com uma Coloni. Foram 4 segundos mais lento que o 26ºlugar no Grid de largada do GP do Japão e foram 2 segundos no GP da Austrália entre Raphanel e Gachot e o último lugar no Grid do GP da Austrália.

Ao final do ano com o 4ºlugar em Phoenix de Christian Danner a Rial completou o ano na 13ªposição com 3 pontos ganhos, Mas por causa da Falta de dinheiro, falta de organização, da Arrogância de seu dono acabam por acabar com que a equipe fechasse as Portas, após 2 temporadas na Formula 1. Que pena, poderia ser um time com mais sucesso se não fosse um time tão desorganizado como foi.

Números da Rial em 1989:

Gps: 32 (Largou em 4 Gps)
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 3
Motor: Ford DFR V8
Pilotos:

Christian Danner
Gregor Foitek
Bertrand Gachot
Pirrie-Henri Raphanel
Volker Weidler

Dados sobre o Carro de 1989:

Dados Técnicos:

País : Alemanha
Patrocínio : Rial Marlboro
Chassi: ARC02
Motor: Cosworth Mader V8 90
Potência: 620
Projetista: Gunther Schmidt
Diretor Técnico: Gunther Schmidt
Projetista: Gustav Brunner/Stefan Fober
Pneus: Goodyear

Motor :Ford Cosworth
Pneu :Goodyear
Chassi : monocoque Fibra de Carbono e Kevlar
Peso : 500 kg
Transmissão : Rial (6 marchas mais marcha Ré)
Combustível / Lubrificante : STP
Tanque : 208 Litros
Suspensão :
Amortecedores :Koni
Freios :
Disco de Carbono – Brembo/SEP
Comprimento :
Distância entre eixos : 2800 mm
dianteira : 1800 mm
traseira : 1600 mm

Fotos:

 

View post on imgur.com

Histórico da Rial

Gps: 48 Gps (Largou em 20 GPs)
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 6
Pilotos:
Andrea de Cesaris (Itália)
Christian Danner (Alemanha)
Gregor Foitek (Suiça)
Bertrand Gachot (Bélgica)
Pirrie-Henri Raphanel (França)
Volker Weidler (Alemanha)

Referências: Stats F1, A Mil por Hora

Fonte das Fotos: Bestlap, Formel1mic

Texto: Deivison da Conceição da Silva

Reveja a primeira parte desse especial

Patrocínio:
planatina_projeto_gif

Formula 1 Formula 1 - 1997 Fotos História TV Tyrrell

Especial – Tyrrell 1997

Published by:

Tyrrell Ford 025

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

CHASSIS
A construção moldada em fibra de carbono e honeycomb, estrutura composta para ter o Certificado de que ele possa correr a temporada de 1997 depois de passar pelos testes de impacto.
Suspensão dianteira, unidades de mola e amortecedor combinados operados por hastes e balancins, anti-roll bar Sistema anti-travamento mecânico.
Suspensão traseira unidades de mola e amortecedor combinados operados por hastes e balancins, anti-roll bar Sistema anti-travamento mecânico.
Amortecedores Koni
Rodas:
Dianteira 4 raios, 12,0 de largura
Traseira 5 raios, 13,7 de largura
Pneus Goodyear
Freios AP Racing:
Dianteira 2 x 6 pistões Calibrados
Traseira 2 x 4 pistões Calibrados
Disco de Freio e Pedais de carbono: Hitco
Volante Personalizado, composto de carbono.
Cintos: 6 Pontos (75 mm alças de largura)
Extintor Tyrrell em fibra de carbono moldada tanque para especificação do Regulamento da Formula 1 em 1997 feito pela FIA
Tanque de combustível: ATL, Feito de Kelvar feito baseado nas especificações do Regulamento da Formula 1 em 1997

MOTOR
Ford ED4 3-litros V-8
Cosworth

TRANSMISSÃO
Caixa de velocidades Tyrrell três – eixo longitudinal de 6 unidades de velocidade
A seleção de marchas pneumáticas, sequencial semiautomático.
Veios de transmissão Tyrrell Trilobe
Embreagem: AP Racing Feito de Carbono
Diferencial de Acoplamento Viscoso Tyrrell

DIMENSÕES
Comprimento total 4.430 milímetros
Distância entre eixos 2.990 milímetros
Traseira 1.610 milímetros
A largura total 2.000 milímetros
Altura 950 milímetros

PATROCINADORES E PARCEIROS

PIAA CORPORATION
FORD MOTOR COMPANY
GOODYEAR TYRE & RUBBER CO LTD
ICL
KONI
PARAMETRIC TECHNOLOGY CORPORATION
NRG PRODUCTLINE COMPANY
MOTION SYSTEMS
MITECH
MORSE
TAMIYA INC
EPSON
EUROPEAN AVIATION

EQUIPE TÉCNICA

Bob Tyrrell: Diretor Manager Comercial
Harvey Postlethwaite: Diretor Manager de Engenharia
George Koopman: Diretor de Finanças
Satoru Nakajima: Diretor Esportivo
Manwaring RTupert: Diretor Comercial
Mike Gascoyne: Vice-Diretor Técnico
Steve Nielsen: Manager
Simon Barker: Gerente de Produção

PILOTOS

Mika Salo

Data de Nascimento: 30 de Novembro de 1966
Nacionalidade: Finlândia
Natural: Helsinki
Estado Civil: Solteiro
Cidade aonde mora: Londres
Primeira corrida: 1987 – Formula Ford 1600
Altura: 1.75 m
Peso: 66 kg

Mika começou sua carreira no automobilismo seis anos de idade, dirigindo Kart na Categoria 50cc. Com 9 anos de idade, ele estava conquistando o Campeonato Finlandês na categoria 100cc e se tornou campeão finlandês de 11 anos de idade. Era um título que ganharia por mais quatro vezes. Em 1986, Mika passou 11 meses no exercito não competindo em categoria nenhuma.

Histórico do piloto até hoje:

1987: Na sua primeira temporada de em Monopostos, Mika acaba vice-campeão dos campeonatos finlandês e escandinavo Campeonato de Fórmula Ford 1600.
1988: Tendo atraído patrocínio, ele embarcou em sua primeira temporada completa da Fórmula Ford 1600 Se tornou campeão Escandinavo, e Finlandês e Europeu. Com 10 poles e 14 Vitórias.
1989: Mudou-se para o Reino Unido para disputar a altamente competitiva Fórmula 3 Inglesa Championship na Alan Docking Racing. Em um ano de aprendizagem, Mika conseguiu cinco lugares 5º e um 6º.
1990: Muito bem sucedido da Fórmula 3 em sua segunda temporada, terminando em 2º no Campeonato Britânico, com seis vitórias e cinco 2º lugares. Ele também conseguiu um excelente 2º lugar no GP de Macau, considerada o Campeonato Mundial de F3.
1991: sem orçamento suficiente para garantir uma unidade competitiva no Campeonato Europeu de F3000, Mika começou uma nova carreira no All-Japan F300O campeonato com uma equipe apoiada Yokohama, ficando um 6º lugar.
1992: manteve-se com a equipe de Fórmula 3000 Japonesa – melhor resultado um 4 º e 5 º.
1993: Outra época difícil em um campeonato japonês dominado pelo desenvolvimento dos pneus. Sem equipamentos de última geração, Mika gravou um 6º lugar.
1994: A quarta temporada no Japão começou bem com o 3º lugar no primeiro turno do campeonato Japonês de Formula 3000. Mika fez sua estréia na Fórmula 1 no Grande Prêmio do Japão, levando uma Lotus pouca competitiva a um Magnífico 10ºLugar já na Austrália, Mika apresentou problemas mecânicos no carro.
1995: uma excelente primeira temporada completa na Fórmula 1 com a Tyrrell-Yamaha. Mika marcou 5 pontos e impressionou ao terminar em 12 corridas de 17. Classificado por muitos como o melhor novato do ano de 1995.
1996: Mika continuou com a Tyrrell-Yamaha para sua segunda temporada completa de F1, Marcou 5 pontos na Temporada. Pontuou na Austrália, Brasil e Mônaco.
1997: Mika compete sua terceira temporada completa na F1, com o Ford Tyrrell 025.

Jos Verstappen

Data de Nascimento: 4 de Março de 1972
Nacionalidade: Holanda
Natural: Montfort
Estado Civil: Casado
Cidade aonde mora: Mônaco
Primeira corrida: Formula Opel Lotus
Altura: 1.75 m
Peso: 73 Kg

Tal como muitos dos atuais campeões de Fórmula Um, José começou a sua carreira de piloto cedo – aos 10 anos – dirigindo kart. Um talento emergente, ele logo dominou um pool de talentos altamente competitivo tornando-se campeãs holandesas quatro vezes, assim como o campeão das 125cc Bélgica, campeão da Fórmula K europeu e intercontinental campeão europeu.

Histórico do piloto até hoje:

1992: concluí karting à Fórmula Opel Lotus, vencendo 10 de 19 corridas em vias de se tornar o campeão holandês, o campeão do Benelux, vencedor da Taça Internacional das Nações e condutor holandês do ano.
1993: correu na Fórmula Atlantic na Nova Zelândia durante o inverno, vencendo três das 10 corridas em um carro extremamente ultrapassado e terminando em 4 º lugar no Campeonato Internacional.

Retornou à Europa para ganhar o campeonato alemão de Fórmula 3, vencendo oito das 20 corridas. Jos também mostrou fortemente em dois grandes eventos internacionais de F3 com 3 º lugar no Mônaco e em primeiro lugar em Zandvoort, no Masters Series de Marlboro. Condutor holandês do ano novo. Convidado para testar um carro de Fórmula Um com a Arrows e com a Mclaren.
1994: Assinado como piloto de testes da Benetton, Jos fez sua estréia na Fórmula Um, no Brasil, entrando no lugar do lesionado JJ Lehto. Seus resultados foram impressionantes novato com dois 3 º lugares (Hungria e Bélgica) e um 5 ºlugar (Portugal) para 10 pontos no campeonato de 10 corridas.
1995: A segunda temporada difícil na Fórmula. Transferido da Benetton para a equipe Simtek, Jos correu cinco corridas antes de a equipe ir a falência. e sem equipamentos de última geração, Jos não teve em mãos um carro confiável.
1996: A terceira temporada problemática na Fórmula 1. correu 16 corridas pela equipe Footwork, Jos marcou um 6 ºlugar (Argentina) e um ponto no campeonato com um carro limitado.
1997: Jos começa sua quarta temporada na Fórmula Um e primeiro com a Tyrrell.

Toranosuke Takagi

Data de Nascimento: 12 de Fevereiro de 1974
Nacionalidade: Japão
Natural: Shizuoka
Estado Civil: Solteiro
Cidade aonde mora: Shizuoka
Primeira corrida: Nacional Kart A2
Altura: 1.80 m
Peso: 61 Kg

Toranosuke automobilismo começou sua carreira em 1986 na SL Kart Racing na idade de 12. No ano seguinte, em 8 º no ranking nacional de Japão All Kart Série A2. Dois anos depois ele passou a ganhar o campeonato.

Histórico do piloto até hoje:

1990 e 1991: Toranosuke continuou no Campeonato Japonês de série A2 Kart, onde venceu todas as corridas na temporada de 1990.

Em 1991 continuou a disputar o All Japan Championship série de Kart – 2 ª do ranking.
1992 & 1993: A temporada da série Toyota de Fórmula ele ganhou duas vitórias, antes que ele subiu para a All Japan F3 para 1993, onde ele foi classificado em 10 º.
1994: O 2ºano na F3 lhe permitiram ser classificado 5o. Desta vez, com uma volta mais rápida. Ele fez sua estréia na F3000 Japão na Equipe de Satoru Nakajima na 7ºEtapa.
1995: Sua segunda temporada no Campeonato Japonês de F3000 permitiu-lhe ser classificado com 2º com a equipe de Satoru Nakajima, onde obteve três vitórias, duas pole positions e duas voltas mais rápidas do ano.
1996: Takagi, em seguida, se mudou para a Formula Nippon Japonese terminando em 4ºLugar. na Equipe se Satoru Nakajima. Ele obteve duas vitórias, quatro poles e uma volta mais rápida.
1997: Takagi assume papel de piloto de teste oficial da Tyrrell de Formula 1 da equipe, Continua a Disputar a Formula Nippon.

MOTOR FORD

Tyrrell ira usar motores Ford na temporada de 1997

A Companhia de Motores da Ford esta Fornecendo a Tyrrell uma nova geração do motor Ford V8 para empurrar o Tyrrell-025 o Carro da Equipe para a Temporada de 1997.

A Tyrrell ira se beneficiar da nova versão do mais poderoso Moto Ford V8, segundo o Diretor da Ford Motorsport Martin Whitaker, o Motor Ford esta sendo desenvolvido pela Cosworth, em parceria com a Ford.

“A Cosworth tem um programa de desenvolvimento específico para o motor V8”, disse Whitaker, Ford e Cosworth estão realmente muito satisfeitos de ter a Equipe de Ken Tyrrell usando o Motor Ford para a temporada de 1997.

Brian Dickie, diretor da Cosworth Racing, disse que o motor V8 tem ainda um enorme potencial na Fórmula 1, a Fábrica criou um programa especifico para os motores V10 – para se dedicar exclusivamente a um V8 “, Dickie disse. Essa Parceria entre Tyrrell e a Ford , que inclui tanto os engenheiros de corrida experientes e engenheiros Jovens e Pilotos com alto potencial, já colheu enorme resultados “.

O teste do novo Ford Cosworth V8, no dinamômetro e em pista, tem demonstrado um aumento substancial de potência, de acordo com a Cosworth.

“Estamos muito satisfeitos por ter a Ford e Cosworth trabalhar conosco nesta temporada, disse Harvey Postlethwaite, Manager da Tyrrell têm me impressionado muito o programa de desenvolvimento V8 e as melhorias de desempenho que têm sido alcançados”.

Whitaker disse que o melhor desempenho do motor V8, além de outras melhorias previstas durante a temporada de 1997, destacam o grau de empenho da Ford para o sucesso na Fórmula 1.

Fotos:

tyrrell0255.jpgtyrrell0257.jpg

tyrrell0258.jpgtyrrell0259.jpg

tyrrell02511.jpgtyrrell02512.jpg

tyrrell0252.jpgtyrrell0253.jpg

tyrrell025.jpgtyrrell0256.jpg

tyrrell0254.jpgtyrrell0251.jpg

tyrrell02510.jpg

Classificação Final:

Mika Salo
GPS: 17
País: Finlândia
Número de Voltas: 902
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 2

Jos Verstappen
GPS: 17
País: Holanda
Número de Voltas: 781
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 0

Tyrrell
Gps: 34
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 2
Motor: Ford Cosworth

Vídeos:

Fonte das Fotos: Bestlap, Formel1mic

Texto: Deivison da Conceição da Silva

Patrocínio:
planatina_projeto_gif

F1 Formula 1 Formula 1 - 1988 Fotos História Rial

Especial: Equipe Rial – Parte 1

Published by:

Rial

Criação do time:

O time foi criado pelo Alemão Günther Schmidt que foi o ex proprietário da ATS que correu na Formula 1 entre 1977 a 1984 conseguindo poucos sucessos nesse período. Visando a volta dos motores aspirados a Formula 1 Schmidt cria a Rial que não era nada mais que o nome da sua fabricante de pneus na Alemanha.

A Base da Rial ficava na cidade de Fußgönheim. O Primeiro Chassi da equipe seria criado pelo Competente projetista Gustav Brunner que impulsionado pelo Motor Ford Cosworth DFZ que gerava 550 Cavalos. O ARC1 é concebido e é apelidada de a Ferrari azul pela semelhança que ela tinha em relação ao Ferrari F1/87 da temporada passada, O piloto Seria o Italiano Andrea de Cesaris que com o dinheiro da Marlboro mais com uma mistura de Velocidade e de inconsequência era motivo de Amor e ódio pelas equipes que passava, Sem dúvida era um belo reforço a Rial isso se ele não batesse tanto. Infelizmente um Erro crucial comprometeria o ano todo da equipe Alemã.

Uma Discussão entre Gustav Brunner e Heini Mader acabou fazendo com que o Tanque do carro fosse um tanque pequeno. Isso revelado pelo piloto Andrea de Cesaris em Entrevista ao Site do Tazio:

m 1988, a Rial tinha um carro até eficiente, mas que lhe deixou várias vezes na mão por possuir um tanque de combustível relativamente pequeno, causando algumas panes secas e a perda de bons resultados. Como você e a equipe tentavam lidar com isso?

Eu acho que este ano foi uma das minhas melhores temporadas. Tínhamos uma equipe de dez pessoas. Você consegue imaginar uma equipe de F1 com dez pessoas?

Muitas vezes eu andava entre os cinco primeiros, mas não encerrava a prova porque, quando o carro foi projetado, houve um mal-entendido entre o diretor do projeto [Gustav Brunner] e [o preparador suíço] Heini Mader, que montava nossos motores, sobre o cálculo de consumo de combustível.

Então o carro ficou com um tanque muito pequeno. Hoje eu consigo rir disso, mas perdi muitos pontos por quatro ou cinco litros de gasolina.
Fonte: Tazio

Na estreia no Brasil com um time de 10 mecânicos a Rial consegue superar equipes melhores estruturadas e larga em 14ºlugar, Mas o Motor acabou quebrando a 7 voltas do final. Mas foi uma bela estreia da Rial. Em San Marino o time mantém sua boa forma no Grid com o 16ºlugar, Mas a Suspensão não aguenta nem a primeira volta e De Cesaris tem que deixar a corrida. O Mesmo aconteceu em Mônaco onde de Cesaris largou em 19º e deixou a corrida na 29ªvolta por problemas de Motor e no México largando em 12ºlugar de forma surpreendente deixa a corrida pro problemas de embreagem a 15 voltas do final.

Canada1988 (10)

No Canadá o italiano De Cesaris com a Rial teria a primeira grande atuação do ano, Largando em 12ºlugar De Cesaris tinha tudo para levar uma 5ªposição após grande corrida, Mas a 3 voltas do final o Fantasma do tanque curto aparece e De Cesaris deixa a corrida e a Rial perde 2 pontos certos que iria ajudar muito nos custos da equipe em 1989. Além de um taque pequeno a Rial não tinha o sinalizador de combustível que indicava quanto tinha de combustível, ou seja o piloto teria que confiar nele mesmo para terminar a corrida. Algo bem amador naquela época.

De Cesaris conduziu de forma brilhante a Rial para os pontos.

De Cesaris conduziu de forma brilhante a Rial para os pontos.

Mas nos Estados Unidos De Cesaris teve uma nova chance de fazer uma grande corrida, e largando de 12ºlugar e andando mais da metade da corrida em 4ºlugar o Italiano conseguiu levar o modesto carro da Rial ao 4ºlugar e a equipe Alemã a marcar seus 3 primeiros pontos nas ruas de Detroit somente atrás de Senna e Prost com o Imbatível Mclaren MP4/4 com os motores Honda e o Belga Thierry Boutsen com o bom carro da Benetton-Ford mostrando que o carro era bem competitivo.

Na França de Cesaris repete o 12ºlugar no Grid de largada num circuito de alta velocidade o carro da Rial andava bem, Na Corrida De Cesaris completou em 10ºlugar. Na Inglaterra De Cesaris teve um 14ºlugar no Grid de largada e na corrida acabou com problemas na Embreagem e abandonando na 10ªVolta. Na Alemanha De Cesaris larga em 14º e numa corrida de chuva o carro não corresponde as expectativas de uma condição favorável e De Cesaris leva o equipamento ao 13ºlugar. Depois dessa corrida o Diretor do projeto da Rial Gustav Brunner é mandado embora. E isso faz com que o desempenho da Rial acabe caindo com Grids ruins na Hungria, Bélgica e Itália e abandono por problemas de Transmissão em Hungaroring e dois acidentes seguidos de De Cesaris, um na Bélgica que acabou envolvendo a Rene Arnoux e na Itália.

Em Portugal o time volta a ter um belíssimo Grid de largada, De Cesaris larga em 12ºlugar, Mas a alegria durou pouco, o Semieixo da Rial quebrou na 12ªvolta. Na Espanha a Rial teve o seu pior Grid na Temporada com De Cesaris largando em 23ºlugar se o treino foi ruim, A corrida também foi ruim De Cesaris deixou a corrida na 37ªvolta com problemas de motor.

Japan1988F1 (4)

Nas duas provas finais a Rial esperava mudar sua Sorte, No Japão De Cesaris largou em 14ºlugar e deixou uma corrida em que vinha em uma corrida mediana a 15 voltas do final por causa de Superaquecimento no seu ARC1, Na corrida final na Austrália De Cesaris largaria o Rial na 15ªposição e faz uma grande corrida, sempre avançando na corrida, melhorando de posição conforme os pilotos lá da Frente vinham batendo o Quebrando, Tudo indicava um final Feliz para a Rial. Mas a 5 voltas do final mas uma vez a falta de combustível foi o carrasco da Rial. De Cesaris ainda ficaria em 8ºlugar.

Ao final da temporada a Rial acabou o ano em 9ºlugar no mundial de construtores com 3 pontos. Na frente de Ligier, Lola, Dallara, Zakspeed…

Dados do carro:

Desenhista : Gustav Brunner
Motore : Ford Cosworth DFZ com 565 cavalos
Pneu : Goodyear
Chassi : Chassi monoposto feito de Fibra de Carbono
Peso : 500 kg
Transmissão : Rial Com 6 Marchas
Combustível / Lubrificante : STP
Tanque : – de 150 kg
Suspensão :
Amortecedores : Koni
Freios :
Discos de Carbono – Brembo/SEP
Comprimento :
Distância entre eixos : 2800 mm
dianteira : 1800 mm
Via traseira : 1600 mm

Gps: 16
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 3
Motor: Ford
Pilotos:
Andrea de Cesaris (Itália)
Chassi: ARC01
Potência: 565 Cavalos – 10500 RPM – 3500cc
Número de voltas percorridas: 602 voltas

Fonte das Fotos: Bestlap, Formel1mic
Texto: Deivison da Conceição da Silva

F1 Formula 1 Formula 1 - 1990 Fotos História TV Vídeos

GP de Mônaco de 1990 – Texto de Epson Nakajima

Published by:

Data: Maio 27, 1990
Nome Oficial: XLVIII Grand Prix Automobile de Monaco
Localização: Circuit de Monaco – Monte Carlo
Curso: 3,328 km (2,068 mi)
Distância: 78 voltas, 259,584 km (161,298 milhas)
Tempo: Quente, seco, ensolarado

Grid de Largada:

1 Ayrton Senna (McLaren/Honda) 1’21.314
2 Alain Prost (Ferrari) 1’21.776
3 Jean Alesi (Tyrrell/Ford) 1’21.801
4 Riccardo Patrese (Williams/Renault) 1’22.026
5 Gerhard Berger (McLaren/Honda) 1’22.682
6 Thierry Boutsen (Williams/Renault) 1’22.691
7 Nigel Mansell (Ferrari) 1’22.733
8 Pierluigi Martini (Minardi/Ford) 1’23.149
9 Emanuele Pirro (Dallara/Ford) 1’23.494
10 Nelson Piquet (Benetton/Ford) 1’23.566
11 Martin Donnelly (Lotus/Lamborghini) 1’23.600
12 Andrea de Cesaris (Dallara/Ford) 1’23.613
13 Derek Warwick (Lotus/Lamborghini) 1’23.656
14 Stefano Modena (Brabham/Judd) 1’23.920
15 Aguri Suzuki (Lola/Lamborghini) 1’24.023
16 Alessandro Nannini (Benetton/Ford) 1’24.139
17 Nicola Larini (Ligier/Ford) 1’24.206
18 Philippe Alliot (Ligier/Ford) 1’24.294
19 Paolo Barilla (Minardi/Ford) 1’24.334
20 Gregor Foitek (Onyx/Ford) 1’24.367
21 Satoru Nakajima (Tyrrell/Ford) 1’24.371
22 Alex Caffi (Arrows/Ford) 1’25.000
23 Ivan Capelli (Leyton House/Judd) 1’25.020
24 Eric Bernard (Lola/Lamborghini) 1’25.398
25 David Brabham (Brabham/Judd) 1’25.420
26 J J Lehto (Onyx/Ford) 1’25.508
Não Classificou para a corrida:

27 Michele Alboreto (Arrows/Ford) 1’25.622
28 Olivier Grouillard (Osella/Ford) 1’25.785
29 Mauricio Gugelmin (Leyton House/Judd) 1’26.192
30 Roberto Moreno (Euro Brun/Judd) 1’26.604
31 Gabriele Tarquini (AGS/Ford) 1’28.677
32 Yannick Dalmas (AGS/Ford) 1’30.511
33 Claudio Langes (Euro Brun/Judd) 1’33.195
34 Bertrand Gachot (Coloni/Subaru) 1’39.295
35 Bruno Giacomelli (Life) 1’41.187

A corrida

Como todos sabem a saída de Mônaco é um perigo para os pilotos, pois a passagem é estreita e é difícil passar por lá sem acidente, mas não foi na primeira curva que aconteceu o acidente foi na Mirabeau envolvendo Berger e Prost: Alesi passa Prost na curva e Berger acha que também pode passar ele bate na traseira de Prost.

Como o circuito de Mônaco é estreito, pois é de rua, a passagem ficou bloqueada, Modena também não escapou do acidente e acertou a Ferrari de Prost e também ficou parado.
Nova largada e a ordem era Senna, Prost, Alesi, Berger, Patrese e Boutsen.

Nigel Mansell, que era o oitavo, partiu para cima de Martini com a sua Minardi, conseguiu mas na hora de passar o Boutsen se deu mal e perdeu a asa dianteira caindo lá para trás.
Senna lidera com folga e Prost para com problemas na bateria permitindo o Alesi assumir a segunda posição para a alegria de Ken Tyrrell, que sabe que a equipe começou o ano bem.

Mansell andava com tudo e conseguia chegar às primeiras posições, herdou a bela posição de Derek Warwick que rodou, e depois conseguiu passar Boutsen, mas a bateria da Ferrari deixou na mão ele também.

Nas últimas voltas Senna ouviu um barulho estranho no seu carro e decidiu diminuir o ritmo que permitiu a aproximação de Alesi e Berger, na última volta Alesi encosta bastante, mas Senna consegue segurar a ponta e vence.

Grande resultado para a Arrows que chegou em quinto e a Lola que chegou em sexto, a poucas voltas pro final Foitek da Onxy bateu então Eric Bernard herda a sexta posição.
Um GP que teve seis carros completando mais a Osella de Onxy que bateu, mas completou a corrida mais de 90%.

Resultado Final do GP de Mônaco de 1990

Vídeo da corrida:

Fotos:

 

View post on imgur.com

Fonte das Fotos: Bestlap, Formel1mic

Texto: Epson Araujo

Patrocínio:
planatina_projeto_gif