A Trajetória das premiações na Formula Indy

Um dos maiores atrativos da categoria norte-americana eram as premiações que os pilotos ganhavam por corrida. Algo que não era possível em outras categorias. A não ser pela Nascar que fica dando premiações fora do comum, Até ao ponto dos pilotos que disputam regulamente na Nascar ganham mais do que um piloto de equipe média na Formula 1.

Pegamos as premiações de algumas temporadas para analisamos o como as premiações foram aumentando durante os anos, Pelos anos da separação das categorias, Falar o que a crise afetou a categoria e como esta a premiação hoje na IndyCar.

Em 1985, A Formula Indy tinha a sua premiação no total de mais de 9 milhões de Dólares. As 500 milhas davam mais de 3 milhões e 200 mil dólares. O Vencedor de 1985 foi Danny Sullivan que faturou U$ 517.662. O Campeão do ano, Al Unser ganhou 503.011 Dólares. Sendo aproximadamente 320 mil dólares a menos do que a premiação total de Sullivan.

Premiação dos pilotos em 1985:

piloto Premiação U$
   Danny Sullivan 851.532
   Mario Andretti 638.288
   Emerson Fittipaldi 523.543
   Al Unser Jr. 519.322
   Al Unser 503.011
   Bobby Rahal 442.031
   Johnny Rutherford 366.194
   Roberto Guerrero 347.760
   Michael Andretti 325.034
   Geoff Brabham 322.736
   Kevin Cogan 290.436
   Josele Garza 282.222
   Arie Luyendyk 274.793
   Ed Pimm 271.157
   Tom Sneva 269.533
   Pancho Carter 249.563

Premiação total de cada corrida e a premiação do vencedor de cada prova.

Prova Vencedor Total em Prêmiação
Long Beach 92.634 674.462
Indianapolis 517.662 3.252.010
Milwaukee 38.274 328.902
Portland 59.894 497.812
Meadowlands 89.694 664.462
Cleveland 50.094 424.498
Michigan 115.639 611.759
Elkhart Lake 44.640 429.904
Pocono 86.294 471.236
Mid-Ohio 53.484 416.904
Sanair 68.338 521.166
Michigan 41.700 357.100
Laguna Seca 53.484 414.178
Phoenix 37.094 316.142
Miami 57.634 439.994
Total 9.820.529

A dai avançamos para o ano de 1991. Nessa época a categoria estava se projetando mais e começando a se rivalizar com a Formula 1. Era uma disputa dura, Aonde a Formula 1 ainda tinha uma bela vantagem tanto em competição como em Tecnologia do seus carros.

Porém as equipes da Formula Indy eram corriam no mais variáveis tipos de circuito. Desdes dos mais travados circuitos de rua até os mais rápidos circuitos ovais do Mundo.

Nesse ano a premiação do campeonato inteiro foi bem maior. Mais de 20 milhões de Dólares. O Dobro do que era a 6 anos (1985) Sendo que a premiação das 500 milhas era superior aos 7 milhões de Dólares. (7.029.150)

Prova Vencedor Total em Premiação
Austrália 118.625 992.157
Long Beach 133.134 978.381
Phoenix 64.000 595.500
Indy 500 1.219.704 7.029.150
Milwaukee 63.476 583.270
Detroit 147.700 1.411.100
Portland 79.398 688.558
Cleveland 79.154 693.588
Meadowlands 77.922 686.744
Toronto 138.154 984.361
Michigan 173.182 900.514
Denver 135.700 1.005.500
Vancouver 138.920 981.100
Mid-Ohio 83.700 702.500
Road America 78.700 713.150
Nazareth 63.452 599.016
Laguna Seca 83.700 714.700
Total 20.259.289

Os pilotos que mais ganharam premiação naquele ano foram: Rick Mears, com U$ 2.036.856 ganhando mais de 360 mil dólares a mais que o campeão da Formula Indy. Michael Andretti ganhou 1.663.225 Dólares em 17 eventos que foram disputados no ano. Esse dinheiro dava para comprar 4 carros completos ou daria para comprar mais de 25 motores da Formula Indy. (Chevrolet, Cosworth, Judd, Alfa Romeo e Buick)

Al Unser jr., Bobby Rahal e Arie Luyendyk foram os outros 3 pilotos que passavam dos 1 milhão de Dólares. Emerson Fittipaldi ganhou U$ 965.964 nessa temporada.

Piloto Premiação U$
   Rick Mears 2.036.856
   Michael Andretti 1.663.225
   Al Unser. Jr. 1.183.993
   Bobby Rahal 1.165.714
   Arie Luyendyk 1.015.455
   Emerson Fittipaldi 965.964
   Mario Andretti 896.708
   John Andretti 768.271
   Scott Pruett 720.455
   Eddie Cheever. Jr. 686.893
   Danny Sullivan 686.149
   Scott Brayton 685.475
   Jeff Andretti 633.226
   Tony Bettenhausen Jr 605.048
   Scott Goodyear 602.351
   Hiro Matsushita 535.860

A Formula Indy cresceu e se internacionalizou. Nesse meio tempo houve a Cisão entre a CART (Antiga Indy Car) e a IRL (Comandada pelo Tony George, Dono do Autódromo de Indianápolis) Em 1998, a CART continuava fortíssima enquanto que a IRL ainda estava engatinhando. Porém a IRL tinha premiações melhores do que as premiações da CART.

Premiações da IRL em 1998:

Prova Vencedor Total em Prêmiação
Disney 121.250 1.061.100
Phoenix 106.750 1.108.600
Indianapolis 1.433.000 8.709.150
Fort Worth 130.250 1.108.550
Loudon 122.950 1.078.600
Dover 128.550 1.083.600
Charlotte 139.850 1.093.600
Pikes Peak 112.950 1.083.600
Atlanta 160.950 1.143.600
Fort Worth 122.550 1.245.600
Las Vegas 120.200 1.121.100

Já a CART tinha uma premiação que iria do primeiro lugar que ganhava 100 mil dólares até o 20ºlugar que ganhava um pouco mais de 10 mil dólares. Apesar dos melhores carros, dos melhores patrocinadores, e dos melhores pilotos (Não que na IRL não tinha bons pilotos. Exemplo disso: Eddie Cheever, Tony Stewart, Buddy Lazier, Scott Goodyear, Scott Sharp, Kenny Brack) Não dava a grana que a categoria do Tony George dava. As 500 milhas de Indianapolis deu ao vencedor (Eddie Cheever) U$ 1.433.000. E as 500 milhas da Califónia deram ao vencedor (Jimmy Vasser) U$ 1.000.000.

Premiações da CART em 1998 a 2002:

Prova Vencedor Total em Premiação
Homestead 100.000 510.000
Motegi 100.000 510.000
Long Beach 100.000 510.000
Nazareth 100.000 510.000
Jacarepagua 100.000 510.000
Gateway 100.000 510.000
Milwaukee 100.000 510.000
Belle Isle 100.000 510.000
Portland 100.000 510.000
Cleveland 100.000 510.000
Toronto 100.000 510.000
Michigan 100.000 510.000
Mid-Ohio 100.000 510.000
Elkhart Lake 100.000 510.000
Vancouver 100.000 510.000
Laguna Seca 100.000 510.000
Houston 100.000 510.000
Queensland 100.000 510.000
Fontana 1.000.000 1.410.000
Acredite, Muita gente da IRL ganhou mais dinheiro do que o Michael Andretti em 1998.

Porém, a CART tinha a premiação do campeonato para os 10 primeiros lugares, Aonde o campeão levava 1 milhão de Dólares.

CART Final
Posição 1998-2002
1 1.000.000
2 500.000
3 300.000
4 200.000
5 150.000
6 140.000
7 130.000
8 120.000
9 110.000
10 100.000

Visto isso vejamos a IRL dava premiações melhores eram apenas 11 provas. Na CART, eram 19 provas. Vejam a lista dos 20 pilotos que mais ganharam dinheiro juntando a CART com a IRL

Classificação dos mais premiados de 1998
Piloto Premiação Categoria
   Alex Zanardi 2.219.250 CART
   Jimmy Vasser 2.084.250 CART
   Eddie Cheever Jr. 1.811.200 IRL
   Dario Franchitti 1.314.250 CART
   Kenny Brack 1.096.700 IRL
   Billy Boat 1.004.150 IRL
   Tony Stewart 1.002.850 IRL
   Buddy Lazier 984.850 IRL
   Davey Hamilton 856.850 IRL
   Scott Sharp 808.900 IRL
   Adrian Fernandez 805.750 CART
   Jeff Ward 801.650 IRL
   Scott Goodyear 771.750 IRL
   Greg Moore 749.250 CART
   Arie Luyendyk 747.100 IRL
   John Paul Jr. 693.900 IRL
   Stephan Gregoire 686.550 IRL
   Sam Schmidt 662.800 IRL
   Michael Andretti 620.250 CART
   Scott Pruett 617.500 CART

Mesmo com 3 pilotos da CART entre os 4 pilotos mais bem premiados em 1998. Quando se coloca os 20 primeiros pilotos em premiação. Da para ver que os pilotos da IRL com menos corridas que os pilotos da CART tiveram 13 pilotos premiados. Até mesmo pilotos mais modestos como Stephan Gregoire ganharam mais dinheiro do que o consagrado Michael Andretti.

Nos anos 2000 se viu a decadência da CART que acabou se transformando em Champ Car e a ascensão da IRL fez com que a categoria de Tony George desse premiações melhores. Com mais audiência e com mais visibilidade a IRL acabava por reunir os melhores patrocinadores e as melhores premiações.

Em 2007 a IRL premiou os pilotos com o total de 27.550.815 Dólares sendo 10.642.815 nas 500 milhas. (que terminaram 35 voltas antes do final, devido as condições ruins do tempo) Era o auge da IRL que parecia consolidada apesar do precário grid, Que chegou a ter apenas 18 carros no Grid em algumas corridas. A Champ Car não tinha premiação para os pilotos.

Premiação dada no total para os pilotos em 2007:

Prova Vencedor Total em Prêmiação
Homestead 129.800 1.024.000
St. Petersburg 140.400 1.024.000
Motegi 180.400 1.524.000
Kansas 115.000 1.024.000
Indianapolis 1.645.233 10.642.815
Milwaukee 121.400 1.026.000
Fort Worth 110.800 1.026.000
Iowa 115.800 1.026.000
Richmond 135.800 1.026.000
Watkins Glen 131.400 1.026.000
Nashville 141.400 1.026.000
Mid-Ohio 123.400 1.026.000
Michigan 110.800 1.026.000
Kentucky 141.400 1.026.000
Sonoma 131.400 1.026.000
Belle Isle 131.400 1.026.000
Chicago 111.400 1.026.000
Total 27.550.815

Premiação dos Pilotos em 2007 – 18 primeiros colocados.

pos Pilotos Premiação U$
1    Dario Franchitti 3.007.583
2    Scott Dixon 2.152.417
3    Tony Kanaan 1.756.269
4    Dan Wheldon 1.336.855
5    Sam Hornish. Jr. 1.323.789
6    Helio Castroneves 1.659.603
7    Danica Patrick 1.182.055
8    Scott Sharp 1.212.505
9    Buddy Rice 1.010.205
10    Tomas Scheckter 1.059.905
11    Marco Andretti 1.063.051
12    Vitor Meira 1.035.605
13    Darren Manning 988.005
14    A.J. Foyt IV 993.055
15    Ed Carpenter 948.605
16    Kosuke Matsuura 957.005
17    Sarah Fisher 907.505
18    Jeff Simmons 728.447

A Premiação do Escocês Dário Franchitti em 2007 é uma das maiores premiações que um piloto ganhou em uma temporada de Formula Indy. A maior das premiações ficou em 2010 com o mesmo Dario Franchitti (Campeão dessa temporada) ganhando U$ 5.077.055, Desse Prêmio 2.752.055 Dólares foram pelas 500 milhas de Indianápolis e 1 milhão pelo título de Campeão.

Hélio Castroneves em 2009 ganhou U$ 4.191.255 e Scott Dixon em 2008 ganhou U$ 4.278.065. Tudo isso beneficiado pelos melhores prêmios da História das 500 milhas de Indianapolis.

 

A Indy hoje não chega a premiar tão bem seus pilotos como nas suas melhores temporadas na era IRL em premiação. (Entre 2007 a 2010)

Na temporada de 2016, A premiação individual acaba sendo um pouco melhor em igualdade, Porém o piloto que mais ganhou dinheiro na temporada foi o Norte-americano Alexander Rossi com U$ 3.285.413. Praticamente 1 milhão a mais do que a premiação do campeão da temporada, Simon Pagenaud que ganhou U$ 2.367.913.

Prova Vencedor Total em Prêmiação
St. Petersburg 80.000 1.203.000
Phoenix 80.000 1.213.000
Long Beach 80.000 1.191.000
Birmingham 90.000 1.183.000
Indianapolis G.P. 90.000 1.228.000
Indianapolis 2.548.743 13.273.263
Belle Isle 74.667 1.096.007
Belle Isle 79.667 1.096.007
Elkhart Lake 84.667 1.091.007
Iowa 74.667 1.091.007
Toronto 74.667 1.091.007
Mid-Ohio 84.667 1.091.007
Pocono 74.667 1.091.007
Fort Worth 74.667 1.091.007
Watkins Glen 84.667 1.091.007
Sonoma 84.667 1.091.007
Total 30.211.333

Premiação dos pilotos em 2016

pos Pilotos Premiação U$
1    Simon Pagenaud 2.367.913
2    Will Power 1.251.913
3    Helio Castroneves 1.297.913
4    Josef Newgarden 1.389.913
5    Graham Rahal 1.185.163
6    Scott Dixon 1.251.163
7    Tony Kanaan 1.247.413
8    Charlie Kimball 1.194.913
9    Juan Pablo Montoya 1.150.163
10    Carlos Munoz 1.552.413
11    Alexander Rossi 3.285.413
12    Ryan Hunter-Reay 1.204.913
13    James Hinchcliffe 1.285.663
14    Sebastien Bourdais 1.157.413
15    Mikhail Aleshin 1.117.913
16    Marco Andretti 1.075.913
17    Takuma Sato 1.078.913
18    Conor Daly 1.090.913
19    Max Chilton 1.055.413
20    Jack Hawksworth 1.038.913

Se comparamos os prêmios que os pilotos ganhavam em 1985 para os dias de hoje, Percebemos uma enorme melhora. Porém 40% desde dinheiro vai para os Impostos nos Estados Unidos. Sobram 60% dessa premiação para ser dividido com a equipe, Que fica com 30% e dai o piloto fica com o restante do dinheiro.

Se vale a pena ou não entrar na Formula Indy. Depende da situação que você se encontra na Formula 1 ou se você quer fazer carreira nos Estados Unidos. Dá para viver bem como piloto da Indy, Mas é preciso se consolidar primeiro para isso acontecer. E depois, Não acho muito provável que um piloto se aventure a sacrificar seus ganhos para criar sua equipe. Seja ainda correndo ou depois que encerrar sua carreira.

Michael Andretti e Adrian Fernandez tiveram o privilégio de correrem e de montarem suas próprias equipes na Indycar/IRL

Empreitadas como a do Bobby Rahal em 1992, Como da Sarah Fisher a partir de 2008, e Como a de Adrian Fernandez a partir de 2001. Só para não citar A.J.Foyt por mais de 40 anos, Se tornam mais difíceis ao passar do Tempo. Já que os custos da Indy não são tão baratos do que os custos de 20 anos atrás aonde uma equipe como a Pacwest gastava em torno de 12 milhões de Dólares por temporada.

A Indy esta recuperando seu sucesso, Porém ainda falta um longo caminho para isso acontecer. A premiação é algo que poderia ser melhorado com a melhora dos patrocinadores e a melhora do suporte financeiro da categoria quase quarentona que passou por uma cisão, por vários enfraquecimentos e que agora tenta voltar ao rumo do sucesso.

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: IndyCar
Dados das Premiações: http://racing-reference.info

Corridas Histórias: GP de Waltins Glen – IRL 2005 (Formula Indy) – Dixon vence após 2 anos na Seca, Andretti-Green comemora campeonato de Dan Wheldon

Grid de Largada

Pos Pilotos Chassi/Motor Equipe Tempo
1 Helio Castroneves Dallara/Toyota Marlboro Team Penske 1’30.6688
2 Giorgio Pantano Panoz/Toyota Target Chip Ganassi Racing 1’30.6903
3 Patrick Carpentier Dallara/Toyota Cheever Racing 1’30.7889
4 Scott Dixon Panoz/Toyota Target Chip Ganassi Racing 1’30.8783
5 Tony Kanaan Dallara/Honda Andretti Green Racing 1’30.9576
6 Dario Franchitti Dallara/Honda Andretti Green Racing 1’31.2215
7 Vitor Meira Panoz/Honda Rahal Letterman Racing 1’32.5647
8 Buddy Rice Panoz/Honda Rahal Letterman Racing 1’32.8638
9 Dan Wheldon Dallara/Honda Andretti Green Racing 1’32.9704
10 Tomas Scheckter Dallara/Chevrolet Panther Racing 1’33.0504
11 Sam Hornish Jr. Dallara/Toyota Marlboro Team Penske 1’33.3512
12 Tomas Enge Dallara/Chevrolet Panther Racing 1’33.3885
13 Alex Barron Dallara/Toyota Cheever Racing 1’33.4835
14 Bryan Herta Dallara/Honda Andretti Green Racing 1’33.6694
15 Kosuke Matsuura Panoz/Honda Aguri-Fernández Racing 1’33.7564
16 Danica Patrick Panoz/Honda Rahal Letterman Racing 1’33.8566
17 Roger Yasukawa Dallara/Honda Dreyer & Reinbold Racing 1’34.5492
18 Scott Sharp Panoz/Honda Aguri-Fernández Racing 1’34.9094
19 Jeff Bucknum Dallara/Chevrolet A. J. Foyt Enterprises 1’35.4310
20 Ed Carpenter Dallara/Toyota Vision Racing 1’37.9000

Final da temporada de 2005 da Indy Racing League. A primeira com Circuitos mistos. Era dia de decisão, Dan Wheldon com uma diferença enorme na liderança do campeonato, Tudo que bastava para Dan Wheldon era largar para confirmar o título da temporada de 2005. Porém, não foi motivo para essa prova não ter sido importante apenas pelo campeonato do piloto Inglês. A prova teve sua importância. Era a primeira corrida em termos internacional de categorias de Formula, desde do GP de Watkins Glen de 1980 do Mundial de Formula 1.

Hélio Castroneves largava da pole position com Giorgio Pantano da Chip Ganassi ao seu lado, Na segunda fila largavam Partick Carpantier e Scott Dixon, Na terceira Fila largam o Escocês Dario Franchitti e o Brasileiro Tony Kannan (que tinha alguma chance de título). Dan Wheldon larga do 9ºlugar.

Castroneves manteve a liderança da prova, Enquanto que Pantano perdeu terreno e Tony Kannan deu um pulo enorme para o 2ºlugar. Sem incidentes nas primeiras curvas. Após a primeira volta: Castroneves e Kannan lideravam. Depois vinham Dixon, Franchitti, Carpantier e Pantano que não estava acostumado com as largadas lançadas.

Scott Dixon com o carro ruim da Ganassi nesse ano tenta o ataque em cima de Kannan, Mas precisava se cuidar com Franchitti. Um pouco mais atrás, Enge e Scheckter se pegavam pelo 9ºlugar na 3ªVolta.

Helinho estava com uma pequena vantagem para Kannan que vinha Dixon e Franchitti por peto e Carpentier mais atrás no 5ºlugar.

Na 5ªVolta, Tomas Scheckter que prometia uma corrida de recuperação (Sendo a esperança da Chevrolet para a prova) acabou rodando e indo para a caixa de brita devido a uma Suspensão que quebrou, O Sul-africano abandona e foi acionada a primeira bandeira amarela da prova.

Quem estava do meio para trás a bandeira amarela acabou indo para a 1ªparada. Dessas paradas acabou Wheldon saindo na frente, Com a Danica Partick e Sam Hornish jr. logo a seguir. As equipes da Danica e do Ed Carpenter trabalham muito bem e ganharam posições. Já Buddy Rice, Alex Barron e Bryan Herta foram os pilotos que mais perderam.

Relargada na volta 9: Castroneves, Kannan, Dixon, Franchitti, Carpentier, Pantano, Meira e Enge eram os pilotos que não tinham parado nessa. Toyota e Honda dominavam os 7 primeiros colocados. O primeiro piloto da Chevrolet era Enge na 8ªposição. Os pilotos da Penske usavam motores Toyota e os Carros da Andretti usavam motores Honda.

Enge ganhou a 7ªposição do Meira, Enquanto isso o Canadense Partick Carpentier ganhou o 4ºlugar do Franchitti, Aproveitando a relargada. Dessa vez, Pantano largou bem e segurou o 6ºlugar. Castroneves manteve uma pequena vantagem para Kannan e Dixon, ainda não tinha disputa direta entre os 3 pela liderança na 11ªVolta. Carpentier conseguiu se livrar um pouco da pressão de Franchitti. 2 Voltas depois, O virtual campeão Dan Wheldon passou Vitor Meira (Da Rahal que teria um dia infernal) e ganhou o 8ºlugar.

Tirando a largada, A prova ainda não tinha esquentado em termos de disputa. Castroneves, Kannan, Dixon e Carpentier formavam o primeiro grupo da prova, Com Franchitti tentando alcançar a turma e Pantano mais atrás em 6ºlugar, Na Volta 16.

2005 WGI IRL

Dixon na volta 18 fez uma tentativa de ultrapassagem sobre Kannan e começou a ir a caça do piloto Brasileiro que se defende bem dos ataques do piloto da Ganassi. Nessa história, Castroneves disparou na liderança e com essa disputa: Partick Carpentier, Dario Franchitti e Giorgio Pantano se juntaram ao Grupo.

Pantano e Carpantier foram para a primeira parada deles na volta 21, Meira também parou nessa volta. O que já colocariam os 3 na tática de 2 paradas nos boxes. Na volta 22 pararam Castroneves e Scott Dixon. Kannan era o líder com Franchitti na segunda posição. Pantano passou de novo nos boxes, Perdendo tempo com uma punição que ele provavelmente pagou.

Kannan e Franchitti pararam na 23ªVolta. Após as paradas: Castroneves saiu na frente de com Dixon em 2º se aproveitando da falta de aquecimento dos pneus de Kannan que ficou em 3º, Franchitti subiu do 5º para o 4ºlugar dos que pararam. Wheldon estava na liderança com Sam Hornish jr. em 2º e Matsuura em 3º, logo eles iriam fazer a suas paradas nos boxes. O piloto Inglês da Andretti já tinha garantido o campeonato de 2005, Poderia na tática ganhar mais uma prova.

Na 25ªVolta, Hornish jr. da Penske foi para cima de Wheldon, Buscando a liderança mesmo não tendo muita experiência nos ovais. Kosuke Matsuda da equipe Aguri Suzuki Fernandes parou nos boxes na 26ªVolta. Não iria demorar muito para os dois que vinham disputando a liderança fazerem a 2ªparada.

Buddy Rice parou nos boxes na mesma e acabou batendo na saída dos boxes com seu carro (o Histórico dessa Curva após a saída dos boxes não era só da prova de 2017 em Walkins Glen) O piloto da Rahal-Letterman não fazia uma boa corrida como não fazia um bom campeonato. Enquanto Rice se arrastava na pista, Hornish jr. acabava de fazer a sua segunda parada nos boxes (Certamente iria para 3 paradas)

Na mesma volta, O Carro de Danica Patrick fica parado na entrada de uma curva, Não tinha como não da bandeira amarela em um ponto perigoso da pista. O problema pode ter sido ou mecânico ou eletrônico, O Carro tinha parado do nada. Logo depois de uma ajuda do rebocador Danica consegue pegar no tranco e voltar a corrida. O Mesmo não se podia dizer de Buddy Rice que voltou para os boxes e abandonou a prova.

Quem levou a pior nessa foi Wheldon que estava em 1º, Porém era o único que não tinha feito a segunda parada dos pilotos que optaram por outra tática e caindo para os últimos lugares. Na frente Herta, Sharp e outros dois pilotos também tiveram que fazer a segunda parada nos boxes. Para Danica a situação era péssima! Foi para os boxes e quase não conseguiu partir de volta a prova.

Relargada na Volta 31, Com o Brasileiro Hélio Castroneves na liderança, com Dixon, Kannan e Franchitti na perseguição. Tomas Enge fez uma bonita ultrapassagem sobre Matsuda e assumiu o 8ºlugar, Ele era o melhor representante dos motores Chevrolet. Quase ao mesmo tempo Dixon ultrapassou Castroneves e assumiu a liderança.

Franchitti partia para cima de Tony Kannan, Em disputa pelo 3ºlugar. A equipe Andretti já estava colocando o cartaz de campeão para o Britânico que vinha em 12ºlugar. Vitor Meira com problemas em seu carro estava nos boxes. Um dia péssimo para a Rahal Lettermann

Classificação após 33 Voltas: Dixon, Castroneves, Kannan, Franchitti, Carpantier, Enge , Scott Sharp, Kosuke Matsuda e Jeff Bucknum. Em 6ºlugar, O piloto Tcheco da Vision fazia grande corrida assim como Jeff Bucknum da equipe A.J.Foyt. (Que na época era uma das piores equipes da categoria)

Dixon vinha disparado na liderança, Castroneves tinha pequena vantagem para Kannan que estava mantendo o 3ºlugar da ameaça do Escocês Dario Franchitti. Carpentier e Enge mostravam um ótimo trabalho usando a experiência deles em circuitos mistos na formação dos 2. Whekdon vinha um pouco atrás de Matsuda e Bucknum, Em 12ºlugar. O que derrubou a prova dele foi a bandeira amarela que fez ele perder a vantagem que ele tinha na sua tática de corrida que adotou.

Com 36 voltas completadas, Começava a preocupação com a 2ªparada dos líderes. Enquanto isso continuava Dixon a frente, Com Castroneves, Kannan, Franchiti e Carpantier na balada, disputando o 2ºlugar, Mas não tinha disputa praticamente e nem uma real tentativa de ultrapassagem. Prova começava a dar sono e começando a ficar muito nas mãos do Neozelandês.

Alex Barron fez uma troca complicada com o carro da equipe Cheever, Possivelmente a segunda e última nos boxes. Castroneves parou na volta 42 para a derradeira parada nos o Boxes, Assim como Tomas Enge e Kosuke Matsura fizeram a suas paradas.

Dixon foi para a sua última parada de boxes na 43ªVolta. Kannan voltava a liderança com Franchitti na sua cola o tempo inteiro da prova praticamente. Carpantier que tinha feito a parada foi para cima de Castroneves da Penske. Enquanto que Kannan e Franchitti pararam na volta 44º. Novamente a equipe de Kannan trabalhou melhor e voltou a frente do escocês Voador. Dan Wheldon para pela última vez na 44ªvolta.

Na volta seguinte ele foi para a briga com Franchitti e ganhou posição na Marra. Aliás a parada não foi tão boa para Dion que perdeu posições para Kannan e Andretti. Porém, Dixon foi para cima de Kannan e no começo da volta 46, Colocou por dentro no final da reta e ultrapassou. O Neozelandês estava possuído naquele dia.

San Hornish jr. era o líder, Mas teria de fazer a parada. Foi exatamente o que ele fez na entrada da volta 47. A liderança volta para as mãos de Dixon, Com Kannan em 2º, Franchitti em 3º, Jack Bucknum em 4º (Piloto da Foyt ainda teria de fazer a segunda parada) Carpentier em 5º, Castroneves em 6º. O Brasileiro perdeu muito rendimento após a sua parada final. Pantano e Enge vinham logo atrás de Hornish jr. em 8º e 9º.

Agora Dixon tinha nos seus calcanhares Tony Kannan, que se livrou da pressão de mais de 35 voltas de Franchitti. A corrida chegava perto do seu final, Com promessa de disputa pela vitória.

A 10 voltas do final, O Japonês Roger Yasukawa (16ºlugar) levou uma volta assim como Kannan, Começava os líderes a terem retardatários. Os dois postulantes a vitória não tinham problemas em ultrapassar eles. Já Franchitti já teve mais problemas para passar o piloto da Dreyer & Reinbold Racing.

A 7 voltas do final, Alex Barron roda e fica em posição perigosa. Bandeira amarela Acionada pela terceira vez! O final de prova iria ser arrepiar. Dixon, Kannan, Franchitti, Carpenter, Pantano, Castroneves, Wheldon, Hornish jr., Enge e Sharp estavam entre os 10 primeiros colocados a 6 voltas do final.

De maneira até rápida, Tiraram o carro de Barron da pista e limparam o ponto aonde foi a rodada, Tudo para que a bandeira verde fosse dada ao restarem 4 voltas para o final. Dixon dispara na liderança com Kannan e Franchitti tentando alcançar o piloto da Chip Ganassi. Lá atrás teve confusão com os retardatários Roger Yasukawa e Ed Carpenter, Pantano e Wheldon levaram a melhor, Ganharam posições de Castroneves e Carpentier e Faturando o 4º e 5ºlugares respectivamente.

Kannan partia para o ataque em cima de Dixon, Porém o Neozelandês estava muito a frente do Brasileiro que também não via o segundo lugar dele ameaçado, Pois Franchitti vinha 2 segundos atrás do companheiro de equipe na Andretti.

Na volta final, Na parte intermediária tivermos confusão: Enquanto Dixon, Kannan e Franchitti passavam limpos, Tomas Enge e Hélio Castroneves acabaram batendo ao saírem da reta oposta (Os dois se colidiram disputando posição). Final de prova, A vitória ficou com Dixon que quebrava um jejum de quase 2 anos sem vitória. Kannan ficou em 2º e Franchitti em 3º. Wheldon ficou com o 5ºlugar e confirmou o título da temporada de 2005 da Indy Racing League.

Diga-se de passagem, um título merecido para saudoso piloto da Andretti. Depois da prova, A Equipe Andretti foi para a festa na pista, Com os zerinhos de Kannan e a grande festa de Dan Wheldon.

Kosuke Matsura, Sam Hornish jr., Bryan Herta, Scott Sharp e Partick Carpantier completaram os 10 primeiros colocados.

Resultado final do GP de Walkins Glen
16ªEtapa da Indy Racing League – 2005

Pos Pilotos Chassi/Motor Equipe Voltas Tempo
1 Scott Dixon Panoz/Toyota Target Chip Ganassi Racing 60 1h 45:42.3804
2 Tony Kanaan Dallara/Honda Andretti Green Racing 60 a 0.6540
3 Dario Franchitti Dallara/Honda Andretti Green Racing 60 a 1.1457
4 Giorgio Pantano Panoz/Toyota Target Chip Ganassi Racing 60 a 1.8799
5 Dan Wheldon Dallara/Honda Andretti Green Racing 60 a 2.1267
6 Kosuke Matsuura Panoz/Honda Aguri-Fernández Racing 60 a 11.4438
7 Sam Hornish Jr. Dallara/Toyota Marlboro Team Penske 60 a 12.5652
8 Bryan Herta Dallara/Honda Andretti Green Racing 60 a 18.1812
9 Scott Sharp Panoz/Honda Aguri-Fernández Racing 60 a 18.3781
10 Patrick Carpentier Dallara/Toyota Cheever Racing 60 a 39.8163
11 Jeff Bucknum Dallara/Chevrolet A. J. Foyt Enterprises 60 a 41.8182
12 Helio Castroneves Dallara/Toyota Marlboro Team Penske 59 Acidente
13 Tomas Enge Dallara/Chevrolet Panther Racing 59 Acidente
14 Ed Carpenter Dallara/Toyota Vision Racing 59 a 1 Volta
15 Roger Yasukawa Dallara/Honda Dreyer & Reinbold Racing 58 a 2 Voltas
16 Danica Patrick Panoz/Honda Rahal Letterman Racing 58 a 2 Voltas
17 Alex Barron Dallara/Toyota Cheever Racing 58 a 2 Voltas
18 Vitor Meira Panoz/Honda Rahal Letterman Racing 48 Elétrico
19 Buddy Rice Panoz/Honda Rahal Letterman Racing 27 Acidente
20 Tomas Scheckter Dallara/Chevrolet Panther Racing 4 Suspensão

Fotos:

 

Vídeo da Prova:

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos e Vídeo: IndyCar/MotorSport.com

Corridas Históricas – GP da Austrália de 2010

Era a segunda corrida da década de 2010 da Formula 1 em Albert Park na Austrália que pela 2ªVez desde de 1996 a prova não abriu o ano, A disputa do treino de Classificação seria disputada sobre um tempo nublado e frio de 24 Graus o que não é normal em Melborne.

Vitantonio Liuzzi e Adrian Sutil foram os primeiros a entrarem no Q1 o que não seria problemas para o time indiano que tinha começado bem a temporada, Logo todos os pilotos foram para os treinos para garantirem o tempo para passar para o Q2, Teoricamente nessa classificação se nada desse errado seria uma disputa entre Red Bull e Ferrari pela vitória com Mclaren e Mercedes um pouco mais atrás sobrando o 9º e 10º para os outros times disputarem. Lá Atrás com as novas equipes a Lotus que concluiu a corrida com seus dois carros no Bahrein estava na frente da Virgin e da Hispania que estavam mais atrás da Lotus.

Nos primeiros minutos de Treino a Red Bull mostrava a sua Força com Mark Webber fazendo o melhor tempo com 1:25.951 na primeira volta, 20 segundos depois Fernando Alonso (Que ganhou o GP do Bahrein da temporada de 2010) com a Ferrari respondeu com 1:25.522, Felipe Massa a menos de 13 minutos do final fez 1:26.444 tomando 7 décimos do Fernando Alonso (O que seria uma tendência do final de Semana inteiro) .

Rubens Barrichello que tinha feito uma boa exibição no Bahrein colocou o 4ºtempo a 11 minutos e meio do final, Webber a 11 minutos e 10 segundos com 1:25.286 voltando a primeira posição e 15 segundos depois Alonso com 1:25.082 em um confronto direto com o piloto da Red Bull. Jenson Button a 10 minutos do final do Q1 fez o terceiro tempo a quase 4 décimos de Alonso o que mostrava a Mclaren estava 1 a 2 passos atrás mas era perigosa e poderia disputar a vitória.

Dai Vettel resolveu acabar com a Brincadeira fazendo 1:24.774 com o melhor tempo . Eliminados até aquele momento eram: Buemi, Kovalainen, Trulli, Glock, Chandhok, Di Grassi, Senna, De La Rosa na bolha melhorou um pouco seu tempo subindo uma posição para o 16ºlugar. Segundos depois Button e Hamilton subiram para o 2º e 3ºlugares.

Classificação a 7 minutos do final do Q1:

Vettel – Button – Hamilton – Alonso – Webber – Rosberg – Schumacher – Barrichello – Sutil – Hulkenberg – Kubica – Kobayashi – Liuzzi – Massa – Alguersuari – De la Rosa – Petrov são os classificados para o Q2.

Felipe Massa estava em situação complicada na 14ªposição a 7 minutos do final, e foi para a pista para tentar uma volta rápida para melhorar o tempo e garantir lugar na próxima etapa da Classificação, Enquanto isso Barrichello Reclamava da pouca atenção do time quando ele queria entrar na pista para aproveitar quando não tinha transito nenhum.

Massa concluiu sua volta na 7ªposição com 1:25.435, Mas o problema é que Alonso estava com mais de 5 décimos do Alonso que estava em 4ºlugar. Já Bruno Senna estava lutando para fazer o melhor tempo possível conseguindo 1:30.924 a mais de 6 segundos do ponteiro  enquanto que Lucas di Grassi com um carro da Virgin fez 1:30.295 com 5 segundos mais lento que os ponteiros, Já A Lotus com Kovalainen com 1:29.133 e Trulli com 1:28.880 estava em melhor estágio das novas equipes. Ainda assim estavam a 4 segundos dos lideres.

Acabaram eliminados na primeira parte do treino os pilotos da Hispania, da Virgin, da Lotus e Vitaly Petrov que acabou escapando em uma curva no que custou tempo que foi o bastante para não permitir a classificação do Q2

Resultado do Q1:

1. Sebastian Vettel (Red Bull-Renault) 1:24.774
2. Nico Rosberg (Mercedes) 1:24.788
3. Jenson Button (McLaren-Mercedes) 1:24.897
4. Lewis Hamilton (McLaren-Mercedes) 1:25.046
5. Fernando Alonso (Ferrari) 1:25.082
6. Mark Webber (Red Bull-Renault) 1:25.286
7. Michael Schumacher (Mercedes) 1:25.351
8. Adrian Sutil (Force India-Mercedes) 1:25.504
9. Felipe Massa (Ferrari) 1:25.548
10. Robert Kubica (Renault) 1:25.588
11. Rubens Barrichello (Williams-Cosworth) 1:25.702
12. Nico Hulkenberg (Williams-Cosworth) 1:25.866
13. Sebastian Buemi (Toro Rosso-Ferrari) 1:26.061
14. Pedro de la Rosa (Sauber-Ferrari) 1:26.089
15. Jaime Alguersuari (Toro Rosso-Ferrari) 1:26.095
16. Vitantonio Liuzzi (Force India-Mercedes) 1:26.170
17. Kamui Kobayashi (Sauber-Ferrari) 1:26.251
18. Vitaly Petrov (Renault) 1:26.471
19. Heikki Kovalainen (Lotus-Cosworth) 1:28.797
20. Jarno Trulli (Lotus-Cosworth) 1:29.111
21. Timo Glock (Virgin-Cosworth) 1:29.592
22. Lucas di Grassi (Virgin-Cosworth) 1:30.185
23. Bruno Senna (HRT-Cosworth) 1:30.526
24. Karun Chandhok (HRT-Cosworth) 1:30.613

Na Segunda parte do Treino eram 17 pilotos para 10 vagas e nem os times grandes poderiam brincar em 15 minutos ou algum carro ficaria de Fora do Q3, Um dos carros da Force India e Mark Webber foram os primeiros a entrarem para fazerem seus tempos, O piloto da casa estava disposto a fazer a pole position fazendo 1:24.747 na sua primeira volta na segunda fase da Classificação, Segundos depois Alonso tomou a primeira posição com 1:24.459, Rosberg com 1:25.246 fez o 4ºtempo.

Logo os pilotos fizeram uma volta rápida com exceção de Alguersuari e de De la Rosa. A disputa estava frenética principalmente entre Alonso com a Ferrari e Webber com a Red Bull, A 9 minutos do Final Buemi, Kobayashi, Hulkenberg, Hamilton, Sutil, Alguersuari e De La Rosa estavam eliminados se o treino terminasse naquele momento.

Robert Kubica brigava com o carro da Renault para entrar entre os 10 primeiros e garantir um lugar na fase final do Treino, Enquanto que Button estava fazendo o 3ºlugar o Hamilton estava em 17º a 6 minutos do final do Treino e por isso ele foi para a pista buscar o tempo para passar para a fase final do treinamento e parecia conseguir colocando 3 décimos mais rápido na primeira parcial do que o 10ºlugar e 4 décimos na segunda parcial. Terminou a volta com 1:25.251 na 7ªposição o que parecia suficiente para ficar entre os 10.

Mas dai todo mundo foi para melhorar o seu tempo na parte final a 2 minutos do final, Rubens Barrichello andando muito no começo de campeonato com a Williams, Kubica, Sutil e Schumacher tiraram o Hamilton dos 10 primeiros colocados e o pânico acabou aumentando com o tempo de 1:25.184, Em sua volta final Hamilton tirou o pé e ficou de fora do Q3.

Os eliminados além do Hamilton foram Buemi com um bom desempenho com a Toro Rosso, Liuzzi, De la Rosa, Hulkenberg, Kobayashi (Apesar de quase ter perdido o controle do seu carro da Sauber) e Alguersuari.

Resultado do Q2:

1. Sebastian Vettel (Red Bull-Renault) 1:24.096
2. Mark Webber (Red Bull-Renault) 1:24.276
3. Fernando Alonso (Ferrari) 1:24.335
4. Jenson Button (McLaren-Mercedes) 1:24.531
5. Nico Rosberg (Mercedes) 1:24.788
6. Felipe Massa (Ferrari) 1:25.010
7. Michael Schumacher (Mercedes) 1:24.871
8. Adrian Sutil (Force India-Mercedes) 1:25.046
9. Rubens Barrichello (Williams-Cosworth) 1:25.085
10. Robert Kubica (Renault) 1:25.122
11. Lewis Hamilton (McLaren-Mercedes) 1:25.184
12. Sebastian Buemi (Toro Rosso-Ferrari) 1:25.638
13. Vitantonio Liuzzi (Force India-Mercedes) 1:25.743
14. Pedro de la Rosa (Sauber-Ferrari) 1:25.747
15. Nico Hulkenberg (Williams-Cosworth) 1:25.748
16. Kamui Kobayashi (Sauber-Ferrari) 1:25.777
17. Jaime Alguersuari (Toro Rosso-Ferrari) 1:26.089

Nos 10 minutos finais a pole seria decidida e era muito provável que ela seria da Red Bull que tinha o carro do começo da temporada apesar do carro da Ferrari que estava na cola do time dos energéticos. Mclaren apesar de falarem que estariam fortes ainda estavam um pouco atrás dessa disputa como a Mercedes que via Rosberg dando uma Surra em Schumacher que estava fazendo a segunda corrida da sua volta a Formula 1. Com Mark Webber, Fernando Alonso e Michael Schumacher o Q3 começa.

Alonso e Webber disputavam a pole em um duelo direto, Nesse duelo levou a melhor Webber com 1:24.035 contra o Alonso com 1:24.604. Mas veio Sebastian Vettel e colocou o tempo para baixo fazendo 1:23.919 a 6 minutos do final. Alonso melhorou o seu melhor tempo com 1:24.245, Enquanto isso Rosberg ao tentar melhor seu tempo acabou passando por cima da grama e quase rodou na metade da volta. Classificação do Q3 era Vettel – Webber – Alonso – Rosberg – Button – Schumacher – Barrichello – Massa – Kubica – Sutil

Com 4 minutos do final os ponteiros com exceção de Jenson Button (que melhorou seu tempo para 1:24.695) foram para os boxes para uma última tentativa no final. Felipe Massa foi para a pista tentar melhor seu tempo, Fez uma boa primeira parcial, Mas o resto das parciais o Brasileiro fez 1:24.837 virando mais de 6 décimos mais lento que Fernando Alonso o que foi o drama o final de semana inteiro e ele aumento esse drama com a melhora do tempo do Alonso para 1:24.111 enquanto que Webber não consegue melhorar o tempo e com isso Vettel já comemorava a pole position e levando o carro para casa conquistando a segunda pole position. (Ainda vira um último tempo com 1:24.222)

A Red Bull dominava a 1ªfila com Vettel e Webber, Alonso na segunda fila com Jenson Button em 4º com a Melhor Mclaren no grid na frente de Felipe Massa com os seus 7 décimos acima do Fernando Alonso largando em 5º. Completando o Grid Rosberg e Schumacher com as Mercedes seguido de Rubens Barrichello que foi o melhor do segundo Grupo com a Williams e completando os 10 primeiros colocados Robert Kubica e Adrian Sutil.

Frase do Vettel depois de conquistar a pole foi essa:  “Vamos mostrar a Eles!”

Grid de Largada:

1. Sebastian Vettel (Red Bull-Renault) 1:23.919
2. Mark Webber (Red Bull-Renault) 1:24.035
3. Fernando Alonso (Ferrari) 1:24.111
4. Jenson Button (McLaren-Mercedes) 1:24.675
5. Felipe Massa (Ferrari) 1:24.837
6. Nico Rosberg (Mercedes) 1:24.884
7. Michael Schumacher (Mercedes) 1:24.927
8. Rubens Barrichello (Williams-Cosworth) 1:25.217
9. Robert Kubica (Renault) 1:25.372
10. Adrian Sutil (Force India-Mercedes) 1:26.036
11. Lewis Hamilton (McLaren-Mercedes) 1:25.184
12. Sebastian Buemi (Toro Rosso-Ferrari) 1:25.638
13. Vitantonio Liuzzi (Force India-Mercedes) 1:25.743
14. Pedro de la Rosa (Sauber-Ferrari) 1:25.747
15. Nico Hulkenberg (Williams-Cosworth) 1:25.748
16. Kamui Kobayashi (Sauber-Ferrari)1:25.777
17. Jaime Alguersuari (Toro Rosso-Ferrari) 1:26.089
18. Vitaly Petrov (Renault) 1:26.471
19. Heikki Kovalainen (Lotus-Cosworth) 1:28.797
20. Jarno Trulli (Lotus-Cosworth) 1:29.111
21. Timo Glock (Virgin-Cosworth) 1:29.592
22. Lucas di Grassi (Virgin-Cosworth) 1:30.185
23. Bruno Senna (HRT-Cosworth) 1:30.526
24. Karun Chandhok (HRT-Cosworth) 1:30.613

No dia da corrida da Austrália, sobre um tempo encoberto, vento, Chovendo e com pista levemente molhada. Isso era o bastante para os pilotos colocarem os pneus de chuva leve (Intermediários), Isso tornaria a prova imprevisível para todos os pilotos. O Favoritismo dos carros da Red Bull projetados por Adrian Nemey não mais tão garantida do que antes.

Vale falar o hino Nacional Australiano cantado por uma cantora e várias crianças como se fosse um Coral, Uma das coisas mais bonitas que vi em preparativos de corrida nessa última década.

Os pilotos da Virgin iriam largar dos boxes, Trulli com o carro desmontado não iria largar. Já todos os outros pilotos iriam largar do Grid de largada, Por sinal uma largada confusa demais:

Massa larga muitíssimo bem pulando do 5º para o segundo lugar. A Confusão ficou com Button que acabou tocando em Alonso que tocou Schumacher, O espanhol rodou praticamente caindo para o último lugar. Schumacher teve seu bico danificado e Button estava com o carro intacto, Mas não foi por isso que o Safety Car entrou na pista. Ele acabou entrando no acidente na 6ªCurva. Kobayashi perdeu o bico de maneira estranha e acabou sem rumo dando batida no muro interno e atingido quase que em cheio Nico Hulkenberg com a Williams e Sebastian Buemi com a Toro Rosso.

O Safety Car foi acionado, Schumacher aproveitando isso, Foi para os boxes para troca de pneus e troca do bico dianteiro. Vettel continuava na liderança com Massa em 2º, Webber em 3º, Kubica em 4º, Rosberg, Button, Hamilton, Sutil, Barrichello e Petrov (que largou do 18ºlugar para o 10ºlugar, Ganhando 8 posições) eram os 10 primeiros colocados. Bruno Senna com o horrível carro da Hispania ele subiu para o 14ºlugar, Já Alonso vinha em 18ºlugar e Michael Schumacher em 20ºlugar.

Relargada na 5ªVolta, Aproveitando a escapada do Australiano, Kubica foi para cima de Webber em uma ótima relargada, E faltou pouco para conseguir concretizar essa ultrapassagem em cima do Australiano por fora. Enquanto isso Schumacher e Alonso buscavam a recuperação.

Na 6ªVolta, Hamilton colocou por dentro de Button e ganhou o 6ºlugar. Curvas depois Webber recuperou o 2ºlugar de Felipe Massa, Que ficou para Kubica, Rosberg, Hamilton e Button que acabou indo para o boxes. Era o primeiro a arriscar pneus de pista seca, Na curva 3 após a volta ele acaba indo para a zebra. Será que era cedo demais para o inglês??? Parecia que sim!

Enquanto isso Schumacher ganhava o 14ºlugar de Heikki Kovalainen e Alonso já ultrapassava a Adrian Sutil da Force India, Ganhando o 12ºlugar.

Na 9ªVolta: Massa, Kubica, Rosberg, Hamilton, Barrichello e outros pilotos foram para os boxes. Após as paradas, Quem se deu bem foi Robert Kubica e Nico Rosberg que ganharam posição de Felipe Massa. Vettel, Webber, Liuzzi, Alguersuari, Sutil e Glock não fizeram a parada nessa volta.

Button ataca Kubica e acabou conseguindo a ultrapassagen no terço final do circuito, Vettel para na volta 10. Deixando Webber, Sutil nas 2 primeiras posições sem trocarem os pneus. Antes dessas paradas acabou o Russo Vitaly Petrov que vinha em uma posição razoável rodando na curva 3 e deixando a prova.

Finalmente Webber faz a parada na 11ªVolta, Após a saída o Australiano acabou escapando e perdendo posição para Kubica, Rosberg e Massa e caiu para o 6ºlugar logo a frente de Hamilton que ganhou o 7ºlugar de Rubens Barrichellocom o Williams que sobrou na prova. A Classificação após 12 Voltas era: Vettel – Button (1.040) – Kubica (2.894) – Rosberg (3.551) – Massa (7.385) – Webber (10.101) – Hamilton (10.478) – Barrichello (11.546) – De la Rosa (14.443) – Alonso (14.817) – Liuzzi (18.734) – Alguersuari (19.976) – Michael Schumacher (21.029) – Kovalainen (38.528) – Glock (44.834) – Chandhok (53.796) – Di Grassi (1:01.991) Os outros abandonaram.

Alonso vai para cima de De la Rosa, E na volta 13 o Espanhol vai para o 9ºlugar em uma incrível recuperação do Principe das Asturias. Enquanto isso Vettel dava um passeio no Albert Park, Com vantagem boa para Button com a Mclaren que vinha no ataque com Hamilton atacando Webber. Alonso passava Barrichello e subia para o 8ºlugar.

Já o outro piloto da Ferrari, O brasileiro Felipe Massa vinha pressionado pelo Webber que trazia com ele Hamilton, No Começo da 16ª Volta: Webber e Hamilton passam de uma vez Felipe Massa … Porém duas curvas depois Hamilton com muita foi para cima de Webber que acabou se atrapalhando e perdendo a curva, Hamilton acabou tendo que tirar o pé.  Resultado da história foi que o piloto Brasileiro do carro vermelhinho recuperou essas duas posições. E Webber ficou para atrás do Alonso no 8ºlugar.

Vettel já abria 3 segundos e 1 décimo de frente para Button. Enquanto isso, O Indiano Karun Chandhok passa pela brita, Fazia o que era possível para manter uma porcaria como era a HRT na pista. Já Schumacher estava na batalha por posição com o Espanhol Jaime Alguersuari com a Toro Rosso, Valendo o 12ºlugar. Continuava os problemas de Felipe Massa que era pressionado por Lewis Hamilton e estava vindo um pouco mais atrás Alonso. No bloco intermediário vinha Liuzzi buscando ganhar o 10ºlugar que estava nas mãos de Pedro de la Rosa com a Sauber. A corrida vinha chegando no seu segundo terço e não tinha nada definido ainda.

Massa resistia como pode a pressão do campeão do mundo de 2008, Mas na 22ªVolta o piloto da Mclaren que ganharia o 5ºlugar, Alonso tentou atacar Felipe, Porém acabou destracionando na saída da curva 3 e perdendo posição para Mark Webber, Caindo para o 8ºlugar.

Liuzzi na 23ªVolta tira o 10ºlugar do Pedro de la Rosa em uma bela ultrapassagem na retomada da curva 13. Já Hamilton vinha na pressão para cima de Nico Rosberg, O inglês estava dando um show. Já Webber estava pressionando Massa, Não tinha a menor dúvida que o carro de Felipe estava sendo o que menos rendia entre os 8 primeiros colocados.

Na 24ªVolta, Quase ao mesmo tempo que Hamilton conquistava a ultrapassagem em cima de Rosberg, Sebastian Vettel perde os freios e acaba rodando ao encontro da caixa de brita. Dai o Alemão não saia mais e acabava por entregar o favoritismo todo para os carros da Mclaren que poderiam fazer 1-2. Numa corrida que estava desenhada para uma dobradinha da Red Bull. Não é a toa que os mecânicos da Mclaren comemoraram nos boxes, Estavam vendo o principal adversário deles fora de combate.

Rosberg fica mais para Massa, Webber e Alonso na disputa pelo 4ºlugar. Jenson Button era o novo líder, Kubica em segundo e Hamilton em 3º iria buscar o piloto da Renault. Na volta 26 Webber passa Felipe Massa que se posicionou para Alonso não dar uma no contra pé dele. A digibilidade do carro de Felipe Massa estava bem dramática nesse momento da prova.

Hamilton partiu para o ataque em cima do Kubica, A corrida chegava exatamente na sua metade, Na 29ªvolta: Button – Kubica (3.735) – Hamilton (3.953) – Rosberg (6.577) – Webber (7.884) – Massa ( 8.417) – Alonso (9.073) – Barrichello (22.562) – Liuzzi (33.542) – De la Rosa (35.444) – Michael Schumacher (36.233) – Alguersuari (59.972) – Kovalainen (1 volta) – Glock (1 Volta) – Chandhok (2 Voltas) eram os pilotos que continuavam na prova, Di Grassi ainda estava na pista, Mas já muito atrasado devido ao nível bem ruim do VR-01.

Kubica resistia aos ataques de Hamilton. Enquanto isso Schumacher faria a segunda parada nos boxes e acabou na volta depois da parada sendo ultrapassado pelo Alguersuari. Button vinha 6.248 segundos a frente da disputa entre Kubica e Hamilton, Um pouco mais atrás Webber se aproximava de Rosberg buscando subir para o 4ºlugar. Na 32ªVolta, O piloto Inglês faz uma tentativa e acaba perdendo tempo ao passar pela parte molhada da pista, O Polonês agradece e manteve o 2ºposto. Alonso continuava colado em Felipe Massa, que estava se segurando como podia nessa posição.

Mark Webber foi para uma segunda parada na 33ªvolta, Enquanto Hamilton tentava de todo o jeito passar Kubica. Rosberg na volta 34 foi para uma segunda parada, Voltou disputando posição com Webber e acabou perdendo a posição para o piloto da casa.

Hamilton desistiu da briga com Kubica e resolveu fazer a parada na 35ªVolta. O tempo das paradas ainda eram de 4 segundos, Não era tão treinado como é as paradas de hoje. (Que são feitas em menos de 3 segundos) O piloto da Mclaren voltava a frente de Webber.

Button, Kubica, Massa e Alonso ou paravam agora ou seguiam até o final na tática de uma parada apenas. Já Hamilton, Webber e Rosberg iriam nas 25 voltas finais partir para cima os 4 primeiros, Tendo pneus mais novos que os pneus desses líderes. Na volta 36, Hamilton errou a curva e perdeu a posição para Webber. Na curva seguinte, Hamilton recuperou essa posição.

Button vinha aumentando a sua distância para Robert Kubica e os demais, A vitória a não ser que tivesse desgaste demasiado do seus pneus, Erro ou quebra estava muito nas mãos do campeão do Mundo de 2009. Classificação após 39 voltas: Button – Kubica (12.165) – Massa (14.022) – Alonso (15.104) – Hamilton (34.029) – Webber (35.581) – Rosberg (37.602) – Liuzzi (49.498) – de la Rosa ( 52.744) – Barrichello (1:02.149) – Alguersuari (1:10.152) – Schumacher (1:11.224) – Kovalainen (1 volta) – Glock (1 Volta) – Chandhok (3 Voltas)

Só que o problema de Button, Kubica, Massa e Alonso é que Hamilton, Webber e Rosberg estavam virando muito mais rápido do que eles. (Quase 2 segundos com os pneus novos) Kubica começava a ser pressionado pelo Massa e Alonso que estava vindo na mesma tocada de seu companheiro de equipe.

A Cada volta que se passava Webber vinha fazendo a melhor volta da prova assim como Hamilton e Rosberg vinham chegando de forma muito rápida no Grupo formado por Kubica, Massa e Alonso. Faltavam 12 voltas para o final da prova. Possivelmente a tática de 2 paradas pode ter sido a tática acertada para ganhar a prova. Apesar da enorme diferença de Button em cima dos demais. Hamilton vinha a menos de 5 segundos sobre Alonso. Finalmente na volta 50 foi que Hamilton encostou em Alonso e levou com ele Mark Webber, Rosberg acabou ficando um pouco mais para trás.

Agora Hamilton teria 8 voltas pela frente, para passar pelo menos Alonso em primeiro e depois Massa e Kubica que iriam aproveitar essa disputa para fugir do espanhol a maior distância possível. Button vinha 17.446 segundos, Mesmo com o desgaste dos seus pneus, A vitória era dele praticamente. Não havia tempo para Hamilton, Webber e Rosberg passarem Kubica, Massa e Alonso e depois tirar esse tempo em 7 voltas.

Rubens Barrichello passou Pedro de la Rosa e ganha a 9ªposição, O piloto da Williams também fez uma segunda parada e agora tinha o objetivo de tomar o 8ºlugar que estava nas mãos de Vitantonio Liuzzi.

O Ataque de Hamilton era sem trégua nenhum para cima de Alonso que resistia heroicamente esses ataques e se mantendo em 4ºlugar. Massa e Kubica sem se preocuparem com esses ataques vinham tendo algum fôlego sobre Alonso e os demais. Schumacher lá atrás, Consegue se livrar de Alguersuari e ganhar o 11ºlugar após ficar mais de 35 voltas atrás do piloto da Toro Rosso.

Na metade da Volta 56, Hamilton ataca Alonso e tentando por fora ele foi  atingido por Mark Webber que destruiu o seu bico. Hamilton acabou voltando sem maiores consequências a corrida e o Australiano foi para os boxes para trocar os pneus e o Bico danificado e acabou caindo para o 9ºlugar. Quem se beneficiou foi Nico Rosberg que ganhou 2 posições e subiu para o 5ºlugar e com alguma chance de passar Fernando Alonso.

Jenson Button repetindo a vitória no ano de 2009, com uma atuação brilhante, Arriscando ser o primeiro a parar para colocar os pneus secos recebe a Bandeirada da Vitória de John Travolta. Vitória merecida de um piloto cerebral como é o piloto Inglês. Robert Kubica, Com um carro limitadíssimo como era o Renault desse ano conseguiu o 2ºlugar e Felipe Massa com todas as dificuldades que teve acabou indo para o pódio.

Fernando Alonso em 4º também merece todos os elogios possíveis, levou um toque na largada, Caiu dos últimos lugares e voltou a prova, Se recuperou e chegou em 4ºlugar. Com Nico Rosberg em 5º e Lewis Hamilton em 6ºlugar. (Numa corrida aonde Lewis deu um show, Mas seu show não lhe rendeu resultado melhor)

A Decepção foi Mark Webber que acabou terminando em uma patética 9ªposição, Uma prova em que ele errou demais. Ficando atrás até de Vitantonio Liuzzi com a Force India e de Rubens Barrichello com a Williams. Schumacher ainda conseguiu no final da prova passar De la Rosa para fechar a zona de pontuação. Era o começo da temporada de 2010, Uma das temporadas mais disputadas da história da Formula 1 moderna.

Resultado final do GP da Austrália de Formula 1

Fotos:

Classificação do Campeonato depois das 2 primeiras corridas do ano de 2010:

Mundial de Pilotos:

1. Fernando Alonso 37 Pontos
2. Felipe Massa 33 Pontos
3. Jenson Button 31 Pontos
4. Lewis Hamilton 23 Pontos
5. Nico Rosberg 20 Pontos
6. Robert Kubica 18 Pontos
7. Sebastian Vettel 12 Pontos
8. Michael Schumacher 9 Pontos
9. Vitantonio Liuzzi 8 Pontos
10. Mark Webber 6 Pontos
11. Rubens Barrichello 5 Pontos

Mundial de Construtores:

1. Ferrari 70 Pontos
2. McLaren Mercedes 54 Pontos
3. Mercedes 29 Pontos
4. Renault 18 Pontos
5. Red Bull Renault 18 Pontos
6. Force India Mercedes 8 Pontos
7. Williams Cosworth 5 Pontos

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Formel1mic

 

Esporte a Motor no Brasil entregue as Moscas – Coluna de Deivison Conceição

O triste relato do Automobilismo Brasileiro é apenas mais uma clara prova da falência desse país e do rebaixamento político e moral dos dirigentes em todas as áreas da Sociedade.

O Fato é que desde de 1970 temos pilotos na Formula 1 e agora depois de 48 anos não teremos nenhum representante Brasileiro no Grid da maior categoria do Automobilismo Brasileiro. Sem dúvida quem esperou um dia para falar isso vai vender o terror e vai usar disso como sensacionalismo para ganhar audiência. Entanto não se fez nada nos últimos 10 anos para se reverter isso em relação a CBA.

(Confederação Brasileira de Automobilismo) Atitudes como do Felipe Massa em trazer a Formula Futuro (Foi o próprio piloto que custeou os custos com os carros trazidos para o Brasil, Com os mais baixos custos possíveis) Mas a categoria acabou, Não tinha apoio de nada. O Campeão da categoria ganhava 1 ano na Europa em uma categoria mais competitiva.

Formula futuro que ficou sem futuro

A Formula Junior foi muito bem no começo, Mas depois começou a perder a receita e ela também acabou. A Formula RS também perdeu a receita e acabou. A Formula 3 Brasil é uma categoria que esta bem abaixo do nível da Formula 3 da Europa. (Mesmo tendo custos mais baixos)

Então qual seria a direção? Criar novas categorias, Investimento em talentosos pilotos Brasileiros, O governo e a CBA fazerem um programa para temos sempre demanda de piloto no Exterior? Essa seria a atitude certa!, Mas o que vemos é um bando de mentecaptos que não enxergam isso (Incluo Dirigentes, Promotores da Categoria e Jornalistas também ajudam a afundar o automobilismo Brasileiro!!!) Nada fazem. Só fazem a favor da Stock Car e das categorias de turismo. Será que um país com o Brasil só pode viver de categorias de Turismo, Será que não tem espaço para uma categoria de Formula proliferar no Brasil. As Dificuldades já começam no Kart aonde tudo é caro, Até mais caro do que categorias de Formula e de Turismo.

Na Argentina, existe lei para obrigar as Montadoras de Automóveis a investirem no Automobilismo interno. O turismo Carreteira de lá é maravilhoso! Se comparar com a Stock Car, São anos luz a frente da nossa categoria. Mesmo sem uma categoria forte de Formula por lá. As coisas com os vizinhos funciona melhor do que no Brasil.

No Brasil o que poderia se ter é mais apoio a Formula Vee que é uma categoria que pode ser tanto formadora de pilotos como uma diversão para outros pilotos caseiros. E a partir dai criar uma Formula Junior ou uma Formula 4 para o Brasil e para a América Latina. Uma pergunta que eu faço: Com tanta fábrica de Carros, Porque não temos categorias de Formula no Brasil ou até mesmo de Turismo. A Stock Car não tem várias marcas, O carro é tubular com uma bolha e os motores são todos os mesmos motores. Nem é uma categoria multimarca de verdade, Então é uma Fantasia como o campeonato de Marcas é uma Fantasia ser multimarca.

Esse Samba da Beija-Flor tem tudo a ver com tudo que acontece no Brasil:

No Mundo da Fantasia que se vive no Automobilismo com seu viés totalmente elitista, Não se faz nenhuma tentativa de procurar novos. Não convidam estudantes do Ensino Fundamental para verem um dia de corridas regionais. Isso poderia ser feito e sem dúvida o automobilismo iriam ganhar novos corações. Dei várias ideias para isso acontecer no Automobilismo Gaúcho e ninguém pegou essas ideias. Por isso é que você não ver mais do que mil pessoas nas categorias regionais quando se poderia ter 5 mil num dia ruim, (Imagina uns 10 a 15 mil em um bom dia) O Ingresso é muito mais barato do que um bom ingresso de jogo de Futebol.

Exemplo: Se 1000 crianças fossem para os autódromos, poderiam 50 ou 100 dessas crianças se apaixonarem pelo esporte ou até mesmo algumas delas quisessem no futuro participar de corrida de Kart ou de automobilismo Regional. E a Famosa mosquinha azul picando e tornando eles apaixonados por esporte a motor ou até mesmo fanático por esse esporte.

Transmissões por Web Rádio e por Stream de corridas regionais é uma solução para popularizar o esporte, Divulgação nas escolas, Eventos nas cidades, tentativas dos dirigentes para vender melhor o Automobilismo e o Esporte a Motor.

A Band Sports fez um belo trabalho com a prova da Cascavel de Ouro. (Que por sinal foi um evento muito bem feito que tinha uma premiação bem bacana de 100 mil reais em prêmios) Tá certo que era um evento especial, Mas foi uma mostra clara de como você pode fazer um evento e como transmitir um evento como esse evento tradicional que teve no Paraná.

Basta o Esporte sair da Fantasia e se libertar de sua bolha para voltar a ter o prestígio que tinha no passado. Isso é bem mais fácil do que se pensa, Mas quem comanda a Festa precisa querer e ser pressionado para sair dessa Bolha ou todos estaremos perdidos.

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Williams/ newsracer / André Kotoman /Formula Vee / Pintelest / Novac
Vídeos: TV Jornalismo / Leonardo Queiroz