Especial: Os anos da Verdinha Leyton House na Formula 1

A Equipe March voltou a Formula 1 em 1987 com a Cor Verde e com o patrocínio da Leyton House, Uma empresa imobiliária Japonesa que financiava a equipe inglesa que voltava depois de um Hiato de 5 temporadas aproveitando o regulamento de motores aonde já se preparava para o fim dos motores Turbo e a volta dos aspirados. Depois de 3 temporadas como patrocinador da March sendo que o ano de 1988 foi o melhor deles o Japonês Akira Akari resolve comprar a equipe e renomear o time como Leyton House.

Temporada de 1990:

Leyton House
CG901
Projetistas: Adrian Newey e Gustav Brunner
Câmbio: March – 6 Marcas
Combustível/Lubrificante: BP
Amortecedores: Koni
Freios: Freios à Disco de Carbono – AP Racing/ Carbono Industrial

Começaram a temporada de 1990 muito mal com Gugelmin em 25º e Capelli em 26º no grid de largada com o piloto Italiano tendo a sorte de estar no Grid já que uma das ligier acabou sendo desclassificado do Grid e com isso Capelli entrou para a corrida em que Capelli acabou não indo muito longe deixando a corrida com problemas elétricos, Gugelmin teve muitos problemas na corrida inteira, Mas cruzou a linha de Chegada em 14ºlugar a 6 Voltas do Vencedor.

Mas se em Phoenix as coisas foram bem ruins em São Paulo piorou para a Leyton House, nenhum dos dois pilotos classificaram para a corrida, Um tremendo fracasso para um time que conseguiu pódio em 1988 e 1989.

Indo para a primeira corrida na Europa em San Marino finalmente um desempenho decente com o Brasileiro Maurício Gugelmin com o 12ºlugar no Grid de largada e Ivan Capelli em 18º bem melhor do que nas primeiras corridas na América, Mas nenhum deles viram a bandeirada Capelli sofreu acidente na primeira volta e Gugelmin teve problemas elétricos na 24ªVolta e abandonou, Em Mônaco A Leyton House só se classificou para a corrida com Capelli que ficou em 23ºlugar que acabou deixando a corrida cedo com problemas de Travões em seu carro, Gugelmin acabou fora da corrida.

Indo para a 2ªParte na América no Canadá nova eliminação de Maurício Gugelmin na classificação para a corrida e mais uma vez o time só correu com 1 carro que foi de Ivan Capelli que largou em 24º para completar a prova em 10ºlugar a 2 voltas do Vencedor da prova, Agora no México a Leyton House vive um dos seus piores pesadelos, Ambos os pilotos não conseguiram largar, Nem Capelli e nem Gugelmin que ficava pela 3ªVez Seguida de fora do Grid de largada conseguiram colocar o carro Verde entre os 26 que largavam para a corrida.

Em 6 Corridas era uma enorme decepção o campeonato do time de Akira Akari com 0 ponto e vendo times como a Footwork já tendo 2 pontos e até a Onxy tirando um 7ºlugar em Mônaco, Era uma temporada péssima até agora, O Conceito do carro de Adrian Newey não estava dando resultados…
…Até agora pois a corrida seguinte seria na França no circuito de Paul Ricard, E dai se explicar uma coisa, O Chassi CG901 é um chassi que fica tão no chão que ele acaba sendo um chassi eficiente apenas em circuitos em que a pista é lisa, Em pistas como a do México em que o Asfalto era totalmente irregular o carro não rende de forma nenhuma.

Franca1990_20

Nos treinos oficiais Ivan Capelli ficou em 7ºlugar e Maurício Gugelmin ficou em 10ºlugar, Ambos largavam nas 10 primeiras posições no Grid de largada:
A Corrida no dia seguinte na corrida ambos os pilotos decidiram não fazer nenhuma troca nos seus pneus, Com isso esperavam pular nas primeiras posições quando os lideres pararem nos boxes.

Logo depois o primeiro terço de corrida tanto Capelli como Gugelmin subiam de posições até que na volta 33, Ivan Capelli passou ao Italiano Riccardo Patrese da Williams para assumir a liderança da corrida e com Gugelmin na segunda posição e mesmo com a Pressão de ninguem mais que Alain Marie Pascal Prost a equipe manteve a dobradinha durante 19 Voltas seguidas até que o Tricampeão do mundo com sua Ferrari Mostrou sua força e passou Gugelmin que 5 voltas depois deixava uma bela corrida que ele vinha fazendo com problemas de Motor.

A Partir da Prost buscou feito um louco Ivan Capelli que só entregou a vitória a Prost por que o Motor Judd poderia estourar se ele continuasse a ter um ritmo forte de corrida, Apesar de não ter conquistado a vitória Capelli deu a Equipe um resultado magnifico para o time de Akira Akari (O que seria o melhor resultado da História da Leyton House) Com Ivan Capelli completando a corrida em 2ºlugar na frente de Ayrton Senna e festejando no Pódio de Paul Ricard que foi o 3º da sua carreira na Formula 1 (Último pódio de Capelli).

Franca1990_17

Com os 6 pontos de Capelli a Leyton House iria aparecer no campeonato na 6ªPosição atrás das 4 grandes (Mclaren, Ferrari, Benetton e Williams) e da Tyrrell que era a melhor das 4 Grandes.

Com o Positivo Resultado a equipe foi embalada para Silverstone para a 8ªEtapa, Gugelmin que pouco tinha feito até a prova da França largou numa ótima 9ºlugar considerando o fraco motor Judd que ele tinha, Capelli já largava mais atrás em 15ºlugar. Capelli fez uma grande corrida e chegou a estar na 3ªposição quando a 17 Voltas do final o piloto Italiano teve problemas na Alimentação de seu carro o que fez ele deixar a corrida, Já Gugelmin nem largou, Teve problemas na bomba de Gasolina de seu carro.

Na Alemanha em mais um circuito de alta Ivan Capelli largou em 10ºlugar e fez uma bela corrida chegando a estar por algumas voltas a estar na 6ªposição, Mas Capelli perdeu essa posição para a Williams de Thierry Boutsen e terminou em 7ºlugar, Já o Brasileiro Maurício Gugelmin largou em 14º abandonou com problemas de Válvula do motor Judd. Partido para o Leste da Europa na Etapa da Hungria cheio de incidentes um grid abaixo do esperado com Capelli em 16º e Gugelmin em 17º, Na corrida Gugelmin levou o carro para a 8ªposição após uma corrida difícil em que o piloto procurou sobreviver na corrida, Capelli fazia o mesmo na frente de Gugelmin até ter problemas de Câmbio a 21 voltas do final da corrida.

Voltando para a parte ocidental da Europa tivemos o Desafiante GP da Bélgica em Spa-Francorchamps aonde o time do carro verdinho acabou se dando bem graças a tática de não fazer paradas nos boxes, O Brasileiro Maurício Gugelmin voltou a marcar pontos ao terminar a corrida em ótima 6ªPosição após largar da 14ªPosição com Ivan Capelli que largou de 12º para chegar na sétima posição.

Após esse bom resultado a equipe Leyton House foi motivada para o GP da Itália em Monza, Apesar do carro tendo um motor de pouca potência como a Judd Gugelmin largou em 10º e Capelli largou em 16º, O brasileiro teve problemas de motor quando estava bem classificado na 25ªVolta e Capelli ficou por algumas voltas em 6ºlugar quando teve problemas de Bomba de Gasolina tendo que deixar a corrida perdendo mais uma possibilidade de marcar pontos na temporada, Em Portugal o time já não arranjou nada demais, Gugelmin mesmo com condições precárias de Saúde (Febre de 39ºGraus) levou seu carro até o 12ºlugar após largar do 14º, Capelli quebrou o motor na 51ªVolta após largar na 12ªPosição.

Em Jerez de la Fronteira a Equipe do Japonês Akira Akari completou sua temporada Europeia Gugelmin teve mais uma boa corrida largando do 12ºlugar e chegando a disputar o 6ºlugar por algumas voltas, Mas não foi capaz de deter o avanço de Suzuki e de Larini e acabou ficando em 8ºlugar pelo menos tendo mais sorte do que Capelli que abandonou a corrida por cãibras a 14 Voltas do final.

Na parte final do campeonato não foi das mais felizes para a Leyton House, na luta pelo 6ºlugar no mundial de construtores, Em Suzuka no Japão ela acabou vendo a Larrousse de Aguri Suzuki em 3ºlugar no Pódio fazendo com que o time francês ultrapassasse a Leyton House que tinha 4 pontos de desvantagem para os carros coloridos, Gugelmin que largou em 12º abandonou com problemas de Motor na 6ªVolta e Capelli com muitos problemas e indo duas vezes para os boxes abandonou com problemas elétricos, Em Adelaide Gugelmin e Capelli abandonaram a corrida após terem problemas de travões do carro e de Acelerador do carro respectivamente.

Após um ano de muitos altos e Baixos a Leyton House acabou o campeonato Mundial de Formula 1 em 7ºlugar com 7 pontos, 1 pódio na França com Ivan Capelli e um 6ºlugar na Bélgica com Maurício Gugelmim e com um projetista revelado de vez para o mundo que era o Adrian Newey que logo foi contratado pela Williams para construir o carro para 1991 e começar uma era que o faria ter o título de o Mago na matéria de Chassis.

Gps: 32 (Largou em 26 Gps)
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 1
Pontos: 7
Motor: Judd EV 8 Cilindros
Potência: 640 Cavalos a 12.500 RPM
Chassi: CG901
Pilotos:
Mauricio Gugelmin
Ivan Capelli
Número de Voltas Completadas: 1.046
Voltas Lideradas: 45

Fotos

View post on imgur.com

Temporada de 1991 da Leyton House:

Chassi: Leyton House CG911
Projetista: Chris Murphy / Gustav Brunner
Câmbio: transversal – 6 Marcas
Combustível/Lubrificante: BP
Amortecedores: Koni
Freios: Freins à Disco de Carbono – AP Racing/ Carbono Industrial

Após a temporada de Altos e Baixos da Leyton House em 1990 para 91 o time teve que substituir a nada menos que Adrian Newey que foi para a Williams fazer o FW14, O Substituto para essa missão ardua foi o Chris Murphy que junto com Gustav Brunner teve de fazer o CG911 agora com os motores da Ilmor V10 que estreavam na Formula 1 que tinham a potência de 680 Cavalos, Manteve seus pilotos Tanto o Maurício Gugelmin como o Ivan Capelli e com isso esperava que o time terminasse mais corridas, que o Chassi fosse tão bom como 90 e que o resultado das corridas fosse melhor.

Mas na abertura do campeonato em Phoenix não foi nada boa, Capelli conseguiu o 18ºlugar no Grid de largada e deixou a corrida na metade da corrida e Gugelmin ficou no final do Grid na 23ªposição acabou deixando a corrida algumas voltas antes ambos com problemas de câmbio, Indo para Interlagos o belíssimo 8ºlugar no Grid de largada de Maurício Gugelmin deu esperanças de uma grande corrida para o piloto Brasileiro, Mas problemas físicos ocorridos por causa de queimaduras acabaram fazendo o que o Brasileiro não aguentasse a dor. Capelli largou em 15ºlugar e não durou muito na prova Abandonou na 16ªVolta com problemas de Motor.

brasil91_f1_502 (20)

Na abertura da temporada europeia em San Marino numa corrida chuvosa Gugelmin largava em 15º e Capelli em 22º, Na Corrida Capelli chegou a estar em 5ºlugar mas abandonou a prova com problemas de Furo de pneu, Gugelmin ficou lá atrás até o final da corrida quando acabou abandonando com problemas de Motor, Ainda assim ficou classificado em 12ºlugar, Em Mônaco mais uma corrida de problemas, Gugelmin que largou em 15º com problemas de Acerelador na 44ªVolta, Capelli largando de 18º abandonou logo na 13ªVolta com problemas de Carro Travando.

Em Montreal no Canadá a Leyton House acabou tendo mais uma chance de marcar ponto na temporada, Ivan Capelli conseguiu o 13ºlugar no Grid de largada e estava escalando posições de acordo com as quebras dos pilotos das equipes grandes, Quando estava em 4ºlugar na volta 41 o Motor Ilmor deu problema e deixou Capelli na mão, Gugelmin largando em 23ºlugar foi mais longe, Mas muito atrás na prova acabou com problemas de motor também não terminando a corrida, Continuando na América do Norte no desalinhado circuito do México aonde a equipe deu vexame em 1990 dessa vez ambos os pilotos conseguiram classificação, Capelli e Gugelmin largaram na 11ªFila, Mas na corrida ambos abandonaram a corrida com problemas de Motor.

monaco504f1 (16)

De Volta a Europa a partir da França a equipe conseguiu dar uma grande melhorada em retirar as molas do carro que era um dos erros do carro que foi identificado pelo Brasileiro Maurício Gugelmin e sua incrível capacidade de acertar carros e foi recompensado largando muito bem na 9ªposição e na corrida ficou a uma posição da zona de pontuação, Capelli largou mais atrás na 14ªposição e deixou a prova na 8ªVolta com problema de Rotação Mas com o 7ºlugar de Gugelmin foi a primeira vez que um carro da Leyton House recebeu a bandeirada de chegada, Partindo para Silverstone na metade do campeonato a pista foi modificada no que acabou tendo pior para os pilotos da Leyton House que tinha mais chances de marcar pontos com Silverstone de 1990. Gugelmin repetiu o 9ºlugar no Grid de largada e começou largando muito bem ficando por 5 voltas na 6ªposição, Mas Gugelmin teve caibras e foi obrigado a abandonar a corrida na 24ªVolta, Seu companheiro de equipe não foi brilhante na corrida, Capelli largou em 16ºlugar e chegou a andar em 9ºlugar até ter mais uma vez problemas de rotação na 17ªVolta.

Começando a segunda metade de temporada no GP Alemão em Hockenheim foi um final de semana não foi dos melhores, Capelli largou em 12º e estava entre os 10 primeiros até deixar a corrida com problemas elétricos e o Brasileiro Gugelmin largando do 16ºlugar deixou a corrida com problemas de Câmbio. Na Hungria finalmente a Leyton House conseguiria sucesso, Ivan Capelli que largou em 9ºlugar fez uma corrida primorosa na maior parte do tempo nas 6 primeiras posições até o final das 77 Voltas daquela corrida vencida por Ayrton Senna. O piloto Italiano marcaria o primeiro ponto da equipe na temporada (Seria o último ponto da história da Leyton House) Gugelmin teve uma corrida bem difícil, Largando do 13ºlugar acabou ficando muito para trás com problemas, Mas se recuperou e acabou a prova em 11ºlugar.

Já mais tranquilos e confiantes a equipe de Akira Akari para a Bélgica, Mas problemas de Motor acabaram com a corrida de Ambos: Gugelmin que largou em 15º abandonou na 2ªvolta e Capelli que largou em 12º abandonou na 14ªvolta, Depois desse balde de água fria eles iriam para mais um circuito rápido que era o de Monza na Itália, Mas a corrida foi relativamente boa, Capelli largando do 12ºlugar chegou em 8ºlugar após uma boa corrida, Gugelmin com muitos problemas largou em 18º e chegou ao final em 15ºlugar.

Belgica1991 (3)

Em Portugal a equipe teve um bom final de semana, Mas não conseguiu ganhar pontuação, Capelli largou do 9ºlugar e estava fazendo uma belíssima corrida estava na 5ªposição até ter danos no bico do seu carro e com isso acabou comprometendo as chances de marcar pontos, Gugelmin que largou em 7ºlugar acabou deixando os pontos escaparem fazendo uma largada fraca e só conseguindo ficar em 7ºlugar, Apesar da Frustração do GP de Portugal a equipe vai para o Circuito de Catalunha para o GP da Espanha mantendo a boa fase dos treinos, Capelli largou em 8º e estava perto dos pontos mais acabou rodando e deixando a corrida na segunda volta, Gugelmin largando do 13ºlugar ficou perto dos pontos de novo ficando em 7ºlugar.

Nesse final de temporada estourou o escândalo de que o dono da equipe Akira Akari que envolveu o Fuji Bank no que acabou preso com o esquema de lavagem de dinheiro usando a equipe como fachada. Ivan Capelli acabou saindo do cockpit de número 16 e entrou em seu lugar o jovem estreante austríaco Karl Wendlinger para as corridas do Japão e Austrália.

515_91_japan21

O time estava em crise financeira, no Japão a prova foi terrível, Gugelmin largou em 18º, Mas se aproveitou das quebras para ficar num honroso 8ºlugar, Wendlinger acabou envolvido em um acidente e deixou a corrida na 2ªVolta, No Japão a corrida durou pouco apenas 14 Voltas, Gugelmin sofreu um acidente na 14ªVolta e acabou a corrida apenas em 13ºlugar após largar em 14ºlugar, Wendlinger largou em 26º e levou o Leyton House para o 20ºlugar.

Karl Wendlinger
Karl Wendlinger

No final desse campeonato foi que a Leyton House marcou apenas um único ponto que aconteceu no GP da Hungria com Ivan Capelli, 32 corridas e simplesmente várias e várias quebras de equipamento principalmente na primeira parte de campeonato, após esse campeonato a Leyton House foi vendida para um grupo que tinha um consorcio com John Byfield, Tony Birchfield, Gustav Brunner e Henny Vollenberg e voltou a ser March na temporada de 1992.

Números da Leyton House em 1991

Gps: 32
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 1
Motor: Ilmor LH10 V10
Potência: 680 Cavalos a 13.000 RPM
Chassi: CG911
Pilotos:

Mauricio Gugelmin
Ivan Capelli
Karl Wendlinger
Número de Voltas Completadas: 1.088 Fotos:

View post on imgur.com

Histórico da Leyton House

GPs: 64 (Largaram em 58 Corridas)
Vitórias: 0
Pole: 0
Pódios: 1
Pontos: 8
Pilotos:

Ivan Capelli (Itália)
Maurício Gugelmin (Brasil)
Karl Wendlinger (Áustria)

Voltas na liderança: 45
Voltas percorridas: 2.133
Melhor Grid de Largada: 7ºlugar Capelli (França/1990) e Gugelmin (Portugal/1991)
Melhor resultado em Corrida: 2ºlugar Capelli (França/1990)

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Bestlap/Formel1mic

Especial Ligier : Temporada de 1986

Após o promissor ano da ligier em 1985 em que o time azul voltou a lutar por pódios. Com bons patrocinadores e com bons pilotos e era esperado que superassem a temporada passada aonde foram 4 pódios e 23 pontos e que o equipamento fosse mais resistente.

A equipe Manteve os motores Turbo da Renault e os pneus Pirelli. De pilotos eles mantiveram o Veterano Jacques Laffite que andou muito bem na temporada passada. E Contrataram o piloto Rene Arnoux que foi demitido logo depois da primeira etapa do campeonato passado por conta de problemas físicos. (que na Verdade não passava de jogada para que a equipe italiana contratasse Stefan Bellof para 1986 que acabaria morrendo em 1985 em um acidente em Spa-Francorchamps)

O Chassi seria o JS27 (construído pelos projetistas Michel Tétu (Diretor Técnico), Claude Gallopin (Design), Henri Durand (Aerodinâmica) e os pneus seriam os Pirelli que eram mais lentos que os pneus da Goodyear porém mais resistentes do que seus adversários na borracharia, Esses componentes  teriam a missão de colocar o time de volta a luta pelas primeiras posições no campeonato.

Arnoux fazendo um belo Trabalho no Brasil

No Brasil a Ligier teve um grid muito animador com Rene Arnoux largando em 4ºlugar atrás apenas de Senna, Mansell e Piquet e Laffite em 5ºlugar. Na Corrida enquanto a maioria dos favoritos foram abandonando a corrida os pilotos da Ligier resistiram ao forte calor de Jacarepaguá. Laffite superou a Arnoux e conquistou um importante 3ºlugar com Arnoux em 4ºlugar. Desde de 1979 a Ligier não saia tão bem em uma estreia de temporada na Formula 1. Com um pódio e a vice-liderança do campeonato atrás somente da Williams e a Frente de Lotus, Ferrari, Mclaren como não se via a muito tempo.

Partindo para a segunda prova em Jerez na Espanha os dois carros da Ligier largam entre os primeiros colocados (Arnoux obtendo o 6ºlugar e Laffite o 8ºlugar) Na Corrida os dois pilotos ficam na frente, Mas ambos são traídos pela transmissão Arnoux na 29ªVolta e Laffite na 40ªVolta deixam a prova. Em San Marino a Ligier outra vez fica zerada, Arnoux que largou em 8ºlugar fazia uma corrida solida e certamente pontuaria se não tivesse quebrado a Roda a 14ªvoltas do final da prova, Laffite largando em 14º acabou de fora da corrida com problemas no Turbo do motor Renault.

Arnoux em Mônaco

Em Mônaco o time sai da mare de azar e consegue pontos com os dois carros novamente, Arnoux que conseguiu no Grid de largada o 12ºlugar chegou em 5º e Jacques Laffite que tinha o 7ªlugar no grid de largada por causa de problemas acabou largando lá atrás e fazendo um corridão de recuperação ,incluindo uma ultrapassagem monstro em cima de Stefan Johansson na Rascasse na 12ªVolta o piloto conseguiu reagir diante do contratempo que teve e conseguiu o 6ºlugar, Com o desempenho que teve poderia sim sonhar com algo a mais do que esse ponto que ele marcou.

Em Spa-Francorchamps na Bélgica com a categoria ainda marcada pela morte de Elio de Angelis nos testes de Paul Ricard na França a Ligier conquistou mais dois pontos com Laffite que largando do 17ºlugar e se aproveitando da largada que foi confusa acabou ganhando posições e subindo na corrida fechou a prova em 5ºlugar, Arnoux também vinha para uma corrida dentro da zona de pontuação largando do 7ºlugar mas acabou tendo problemas no motor e acabou deixando a prova.

Passando para a fase da América do Norte da Temporada o time tem seu melhor momento na temporada, Nem é muito pelo Canadá aonde Arnoux largando em 5º conquista o 6ºlugar após perder um belo duelo com Senna e Laffite largando de 8º para chegar em 7ºlugar, Mas sim pela corrida dos Estados Unidos:

A Prova marcou com a vitória de Senna e a bandeirinha do Brasil que ele pediu para o Torcedor isso em Forma de uma vingança por causa da Derrota do Brasil para a França na Copa do Mundo, Mas essa corrida a Ligier com certeza tem como uma das melhores da sua história. Arnoux largou em 4º e Laffite em 6º, No começo de Prova Arnoux acompanhou os líderes e logo com os problemas de Mansell e de Senna que teve de ir aos boxes fazer uma parada o Francês assumia a liderança da corrida, Laffite subiu rápido na corrida e logo na 14ªVolta os dois carros da Ligier estavam ocupando o primeiro e segundo lugares da prova.

Laffite faz brilhante corrida em Detroit

Dai surgiu uma briga pela primeira posição e isso lembrou o GP da Austrália de 1985 aonde Laffite e Streiff acabaram batendo nas voltas finais e por muito pouco o time não perdia um dos pódios. Mas nada disso aconteceu e na 18ªvolta Laffite de 42 anos de idade assumiu a liderança da prova e ficou como líder até a volta 30 quando ele foi para a sua única parada nos boxes, Depois disso Senna dominou a prova e a Ligier não podia mais vencer, Mas Arnoux tentou feito um louco tirar a diferença para Senna. Só que ele não viu o carro de Piquet que tinha batido voltas antes e acabou batendo e deixando a prova quando vinha na segunda posição. Mas cabeu a Laffite resgatar a honra da Ligier no final da prova ultrapassando a Alain Prost e levando para casa o segundo lugar da prova. No Pódio o Francês nem parecia ter 42 anos pois a disposição para ele comemorar esse resultado era algo impressionante.

No GP de sua Casa em Paul Ricard na França, Arnoux que largou em 4ºlugar fez boa largada e no começo da prova estava em 2ºlugar, Mas depois não teve como concluir a sua tática com perfeição e acabou tendo de fazer 2 trocas ficando em 5ºlugar, Laffite largou em 11ºlugar e chegou em 6ºlugar. Mal sabia que o piloto Francês de 42 anos teria feito seu último ponto na Formula 1.

Laffite em sua última corrida na Formula 1

No GP da Inglaterra em Brands Hatch Arnoux tinha se classificado na 8ºlugar e Laffite em 19ºlugar o que era muito incomum para um carro da Ligier na temporada, Pois bem na largada da corrida Laffite acaba se acidentando e se ferindo gravemente nas duas pernas, Com isso o Veterano piloto Francês deixava a Formula 1. Arnoux ainda assim conseguiu levar o carro a 4ªposição. Eram 3 pontos a mais para o time Azul na temporada. Mas esse fim de carreira prematuro de Laffite acabaria refletindo no desempenho da equipe na temporada.

Na Alemanha a equipe coloca no Lugar de Laffite o questionável Phillipe Alliot que não tinha feito nada de relevante na Formula 1. No Grid de largada Arnoux alcançou o 8ºlugar e na sua estreia Alliot largou em 14ºlugar, Na corrida enquanto Arnoux acabou a prova em 4ºlugar Alliot deixava a prova com problemas de motor na volta 11. Na Hungria um final de semana para se esquecer: Arnoux em 9ºno Grid abandonou a prova e Alliot em 12ºlugar no Grid teve um desempenho fraco chegando ao final na 9ªposição atrás de carros piores do que o Ligier nesse ano.

Na Áustria e na Itália o time Francês teria chances de marcar mais pontos no campeonato, Mas a nuvem do azar continuava em cima da equipe de Guy Ligier. Nos Treinos Alliot superou a Arnoux largando em 11ºlugar contra o 12ºLugar de seu companheiro de equipe. Alliot em 8ºlugar deixou a prova na 16ªVolta com problemas de  Motor. Arnoux vinha bem na corrida ganhando posição por posição e na metade da corrida quando vinha em um solido 3ºlugar atrás somente de Mansell e Prost. Veio problemas com o carro do piloto Francês o que fez ele perder 3 a 4 voltas até voltar a pista para terminar a prova em 10ºlugar. Além disso a Ferrari tinha conquistado pódio com Alboreto e com Johansson e isso fazia com que o 4ºlugar dos construtores que antes parecia estar seguro ficasse ameaçado.

Na Casa da escuderia italiana em Monza Arnoux largou em 11ºlugar fez uma belíssima largada assumindo a 4ªposição e vinha de novo fazendo boa corrida chegando a estar em 2ºlugar até que um problema de Câmbio acabou fazendo ele deixar a corrida, Alliot largou em 14º e abandonando com problemas de motor sem grande destaque enquanto isso Johansson levou a Ferrari ao pódio e a ultrapassar a Ligier na Classificação dos construtores com 30 pontos contra 28 dos Franceses isso em Pleno GP da Itália.

Alliot em nada Ajudou a Ligier no final da temporada a manter o 4ºlugar nos construtores.

Em Portugal Arnoux ficou perto dos pontos largando do 10ºlugar acabou chegando ao final da prova em 7ºlugar, Alliot largando em 11ºlugar abandonou a corrida com problemas de motor de novo sendo que foi a 3ªVez seguida que Alliot tinha problemas de motor.

A Ligier somente no México voltaria a zona de pontuação com Alliot que largou em 10ºlugar e acabou a corrida em 6ºlugar após ver Johansson e Patrese abandonarem a prova quando estavam na sua frente, Era o primeiro ponto de Alliot na Formula 1. Arnoux em 13ºlugar no Grid teve problemas de Motor e ficou somente em 15ºlugar ficando só lembrado por aquela cena dele, de Alliot e de Johansson pegando carona no carro de Nelson Piquet no final do GP do México.

Na Austrália em Adelaide Com 33 pontos da Ferrari e 29 da Ligier se esperava por parte dos franceses em recuperar a 4ºposição no campeonato, Nos treinos oficiais Arnoux largaria em 5ºlugar e Alliot em 8º o que era muito bom se tratando que o Carro casa com tipo de circuito de rua. Mas na corrida nada deu certo, Arnoux teve de ir aos boxes e Alliot não foi bem de novo tanto é que Arnoux acabou a prova em 7ºlugar enquanto Alliot chegou logo atrás em 8ºlugar.

Apesar dos esforços a Ligier acabou sem a 4ªposição no campeonato terminando o ano com 29 pontos, 2 pódios, 1.634 Voltas completadas (A Segunda equipe a completar voltas no campeonato) e 17 Voltas na liderança. Mas depois de tudo a saída de Laffite foi sentida e afetou muito no final do campeonato até porque Alliot não estava a altura nem de Laffite e nem de Arnoux.

Números da Ligier no ano de 1986:

GPs: 32
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 2
Pontos: 29
Motor: Renault EF15 V6 t
Potência: 885 Cavalos
Pilotos:
Jacques Laffite
Renê Arnoux
Phillipe Alliot
Pneus: Pirelli
Número de voltas Completadas: 1.634

Fotos:

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Bestlap/Formel1mic

Especial Ligier: 19761977197819791980198119821983 – 19841985

Corridas Históricas – GP dos Estados Unidos de 1987

Grid de Largada:

1 Nigel Mansell (Williams/Honda) 1’39.264
2 Ayrton Senna (Lotus/Honda) 1’40.607
3 Nelson Piquet (Williams/Honda) 1’40.942
4 Thierry Boutsen (Benetton/Ford) 1’42.050
5 Alain Prost (McLaren/TAG) 1’42.357
6 Eddie Cheever (Arrows/Megatron) 1’42.361
7 Michele Alboreto (Ferrari) 1’42.684
8 Teo Fabi (Benetton/Ford) 1’42.918
9 Riccardo Patrese (Brabham/BMW) 1’43.479
10 Derek Warwick (Arrows/Megatron) 1’43.541
11 Stefan Johansson (McLaren/TAG) 1’43.797
12 Gerhard Berger (Ferrari) 1’43.816
13 Jonathan Palmer (Tyrrell/Ford) 1’44.350
14 Philippe Streiff (Tyrrell/Ford) 1’45.037
15 Martin Brundle (Zakspeed) 1’45.291
16 Christian Danner (Zakspeed) 1’45.740
17 Andrea de Cesaris (Brabham/BMW) 1’46.046
18 Alessandro Nannini (Minardi/Motori Moderni) 1’46.083
19 Alex Caffi (Osella/Alfa Romeo) 1’46.124
20 Philippe Alliot (Lola/Ford) 1’46.194
21 René Arnoux (Ligier/Megatron) 1’46.211
22 Ivan Capelli (March/Ford) 1’46.269
23 Piercarlo Ghinzani (Ligier/Megatron) 1’47.471
24 Satoru Nakajima (Lotus/Honda) 1’48.801
25 Adrián Campos (Minardi/Motori Moderni) 1’50.495
26 Pascal Fabre (AGS/Ford) 1’53.644

Senna conquista segunda vitória nas ruas de Detroit

Após 4 etapas do campeonato mundial de 1987 de Formula 1 o campeonato iria para a Famosa capital da indústria automobilística com Prost líder com 18 pontos e 2 vitórias na liderança com Senna a 3 pontos atrás e vencedor da prova anterior em Mônaco, Johansson que fazia um grande campeonato estava em 3º com 13 pontos, Nelson Piquet estava com 12 pontos em 4º, Nigel Mansell com 10 pontos e uma vitória estava em 5º  e Michele Alboreto em 6ºlugar com 8 pontos.

Nos treinos oficiais o Leão Nigel Mansell voou baixo e com mais de um segundo de vantagem conquistou a pole position com Ayrton Senna com a Lotus-Honda em 2º, Nelson Piquet com a Williams e Thierry Boutsen com a Benetton-Ford TEC V6 formavam a segunda fila e a terceira fila era formada por Alain Prost com a Mclaren e pelo dono da Casa Eddie Cheever que fez um grande treino colocando a mediana Arrows na terceira fila.

Um dia que estava com o tempo nublado era isso que  os 26 pilotos iriam enfrentar 63 voltas nesse circuito de rua traiçoeiro e que exigia a perfeição dos pilotos ou caso contraio a qualquer momento eles encontrariam o Muro como impedimento deles continuarem na prova.

Na Largada a liderança ficando com Mansell com Senna em segundo e Piquet em 3º e Cheever que fez belíssima largada ganhando 2 posições para ir ao 4ºlugar para a Alegria da torcida norte americana, Já Satoru Nakajima acabou batendo de leve em um adversário na segunda curva e acabou curvas depois sendo atingido pelo piloto Espanhol Adrian Campos. Resultado disso é que Nakajima já ficou pela curva aonde ele saiu da corrida, Campos deu uma volta e depois deixou a corrida.

Mansell estava em primeiro com Senna em segundo e ambos estavam abrindo muito de Piquet que estava tendo que se virar para se manter na frente de Cheever que começou muito forte a sua corrida, E ai depois Teo Fabi estava em 5ºlugar levando consigo um grupo bem razoável de pilotos atrás dele.

Na terceira volta de prova Mansell abriu boa vantagem para Senna, Enquanto isso Piquet continuava sendo pressionado por Cheever, e curvas depois o Norte-Americano passou assumindo o terceiro lugar, Enquanto isso Piquet ficava pelo caminho e sentindo que estava com desempenho ruim acabou indo para os boxes para trocar os pneus e dessa volta ele voltou apenas em 21ºlugar.

Alex Caffi acabou passando reto e deixando a corrida, Também deixou a prova o piloto Andrea de Cesaris que antes e acabar no muro acabou tendo seu câmbio quebrado. Enquanto isso Cheever vinha em 3ºlugar com o seu Arrows-Megatron e na frente de Ferrari, Mclaren e Benettons. Mas Teo Fabi, Michele Alboreto, Alain Prost estavam atrás já querendo acabar com a festa do Norte-Americano.

Fabi iria para cima de Cheever na luta pelo terceiro lugar e já bem longe de Mansell e de Senna que já abriam um monte de tempo em cima do piloto da Arrows. No começo da 7ªVolta Teo Fabi tenta ultrapassagem sobre Cheever, Mas Cheever se defende bem e Fabi acaba perdendo o bico de seu carro e estraga a sua corrida, Mas Cheever também tem prejuízos. Para mim Fabi não soube esperar o melhor momento para passar Cheever, Essa pista tinha pelo menos 2 pontos de ultrapassagem claros. Fabi abandonou a corrida com a quebra da parte do Bico do seu carro e Chevver foi para os boxes trocar os pneus e Voltou na 19ºlugar, Piquet já vinha na 15ºlugar e subindo volta a volta.

Classificação após 10 Voltas era a seguinte: 1. Mansell, 2. Senna, 3. Alboreto, 4. Boutsen, 5. Prost, 6. Berger.

Mansell continuava na ponta com um pouco mais de 6 segundos sobre Senna que tinha enorme diferença para Alboreto e Boutsen que se confrontavam pelo 3ºlugar, O Benetton apesar do motor menos potente que a Ferrari estava mostrando que estava se adaptando melhor a esse circuito, Prost estava em 5ºlugar sem dar mostras de que queria atacar agora.

Mansell já encontrava seu primeiro retardatário que era o Pascal Fabre da AGS na volta número 12 tamanha a fragilidade desse carro da equipe francesa e até mesmo do Fabre que andou 14 segundos mais lento que o pole position. (Hoje Fabri não teria autorização para largar por causa dos 107%) Ayrton Senna em 2ºlugar estava com um déficit de diferença para Mansell, Mas se a corrida acabasse naquela volta Senna seria o líder do campeonato com 21 pontos ao lado de Prost que continuava quieto em 5ºlugar, Típico das corridas do Prost aonde ele só atacava na hora certa.

Capelli deixava a corrida com problemas elétricos na volta 10,Derek Warwick também deixou a corrida Mas foi por causa de um toque no muro que danificou sua suspensão traseira e o forçou a abandonar na 13ªvolta. 7 carros já deixavam a prova naquele momento, Nelson Piquet já impressionava em estar em 9ºlugar após furo de pneu nas primeiras voltas e uma parada prematura nos boxes.

Prost parou de esperar e começou o ataque pra cima de Boutsen enquanto isso Piquet partia para cima de Patrese na luta pelo 8ºlugar na corrida, Mesmo com o motor BMW da Brabham Piquet tinha um desempenho melhor do que o desempenho de Patrese, E na metade da 17ªVolta o Brasileiro conseguiu a ultrapassagem sobre o piloto da Brabham como também passou a Johansson que estava lento na pista com problemas mecânicos, Patrese e os outros pilotos atrás recuperaram posições enquanto que Johansson foi para os boxes, Por falar nos boxes a coisa estava explodindo pois o piloto da Zakspeed  Martin Brundle deixou a corrida com problemas do seu turbo que estourou em plenos boxes, Ele ainda tentaram fazer ele voltar a corrida mas o carro já tinha quebrado e Brundle nada pode fazer nessa altura do campeonato.

Johansson voltou para a corrida, Mas muito atrasado nas últimas posições da corrida. Mansell continuava a pegar retardatários enquanto que Boutsen, Prost e Berger faziam uma bela briga pelo 4ºlugar. Prost Acabou conseguindo a ultrapassagem sobre Boutsen na 20ªVolta e assumiu a 4ªposição. Classificação após 20 voltas completadas: 1. Nigel Mansell, 2. Ayrton Senna, 3. Michele Alboreto, 4. Alain Prost, 5. Thierry Boutsen e 6. Gerhard Berger.

EUA1987 (30)

Prost começava a buscar o 3ºlugar de Michele Alboreto enquanto que Berger iria tentar buscar o 5ºlugar de Thierry Boutsen Enquanto isso em 22 voltas Cheever estava em 13ºlugar, mas se recuperando do incidente do começo da corrida. Prost esperou o tempo certo para passar Alboreto e essa ultrapassagem aconteceu na 25ªVolta Prost acabou passando a Alboreto e na hora certa, já que Berger que a 2 voltas antes tinha passado a Boutsen já vinha pressionando a Prost. Alboreto ficou muito lento pela pista por causa de Problemas de Câmbio, tanto é que Prost levou junto a Gerhard Berger, Já Alboreto deixaria a corrida com os mesmos problemas de Câmbio que fizeram a corrida de Alessandro Nannini acabar na 23ªVolta.

Mansell com 26 voltas continuava na ponta da corrida dominando a prova, Com Senna em segundo também com vantagem muito tranquila para Prost que estava em 3ºlugar.

A Corrida estava em sua metade e sua classificação era essa na Volta 26: 1. Nigel Mansell, 2. Ayrton Senna, 3. Alain Prost, 4. Gerhard Berger, 5. Thierry Boutsen, 6. Nelson Piquet, O dono da casa Eddie Cheever já figurava em 10ºlugar.

Mas logo essa classificação iria mudar, Boutsen perdia rendimento e acabou sendo ultrapassado pelo Nelson Piquet e caindo para o 6ºlugar isso na volta 31, O Brasileiro Piquet buscava recuperação na corrida tentando se aproximar de Berger e Prost para pelo menos lutar pelo pódio. Já a se destacar a corrida de Phillipe Streiff que aproveitando o seu motor aspirado que era melhor de toque do que o Turbo no circuito de Detroit com um bom Chassi da Tyrrell estava em 7ºlugar na frente de pilotos com mais motor e mais carro que o piloto da Tyrrell.

Na 34ªVolta Mansell foi para os boxes com 11 segundos de Vantagem para Senna e acabou tendo uma parada desastrosa demorando demais por causa de um dos pneus traseiros e dessa Forma Ayrton Senna que parecia o único que teria condições de lutar contra Mansell assumia a liderança da corrida.

Mansell perderia posição também para Alain Prost e cairia para o terceiro lugar, Mas se Mansell fez uma parada poderia ser que Senna e Prost tinham que também fazer a parada e dai Mansell poderia voltar a liderança da corrida, O Inglês com melhores pneus foi para cima de Prost e conseguiu na 37ªVolta a ultrapassagem que devolveria Mansell para o segundo lugar enquanto isso Piquet já estava em 4ºlugar ao ultrapassar a Berger na 34ªVolta.

Piquet começava a querer tirar o 3ºlugar de Alain Prost, Com um pneu 3 voltas mais novo do que o Francês. Em termos de pneus a situação mais confortável era de Mansell que poderia muito bem voltar a liderança da corrida assim que todos os outros parassem nos boxes ou então recuperar tudo na pista, Pois com os pneus menos desgastados daria para o Leão voar baixo e reduzir a diferença para pó sobre Ayrton Senna. Enquanto isso Phillipe Alliot com a Lola-Larrousse deixava a corrida após um acidente na 39ªVolta, O GP dos Estados Unidos se encaminhava para o terço final com Mansell começando uma tentativa de atropelar Ayrton Senna para buscar a vitória.

Piquet ao completar a 42ªVolta aproveitando de dois retardatários acabou ultrapassando a Alain Prost e assumindo o 3ºlugar após ter caído para 21ªposição após a 3ªVolta de prova, uma linda ultrapassagem desse Genial piloto Brasileiro, O Momento mais bonito da corrida e do campeonato de 1987.

Boutsen também fica para trás na corrida fazendo uma parada muito longa cedendo seu 6ºlugar para o Francês Phillipe Streiff com a Tyrrell-Ford DFZ aspirado que também liderava a corrida dos aspirados. Mas logo depois de uma volta Streiff acabou perdendo a roda Traseira e dessa Forma sendo obrigado a abandonar a corrida, A Roda que soltou do carro de Streiff poderia ocasionar em um incidente mais grave, Mas por sorte nada aconteceu de ruim com ninguém, Uma pena foi pelo Streiff que fazia uma corrida muito boa. Sorte de Eddie Cheever que acabou assumindo o 6ºlugar na prova.

Mansell já não apresentava o mesmo desempenho seja por problema em seu carro ou por causa do desgaste físico e com isso Piquet e Prost chegavam em Mansell para lutarem pelo 2ºlugar, A liderança de Senna estava tranquila com 43 segundos sobre o vice-líder da corrida.
Classificação após 49 Voltas completadas: 1. Ayrton Senna, 2. Nigel Mansell, 3. Nelson Piquet, 4. Alain Prost, 5. Gerhard Berger, 6. Eddie Cheever.

A luta da corrida estava entre um Mansell com desempenho muito abaixo do esperado seja pelo carro ou por causa do desgaste dele contra Piquet que era companheiro de equipe (Ou digamos inimigo do Mansell) e de Prost.

Boutsen ainda buscava forças para tirar o 6ºposto de Cheever, Mas acabou a 11 voltas do final seus freios da sua Benetton dando problema e com isso o Belga deixou a corrida após figurar a maior parte do tempo nos pontos.

Já na volta de número 53 Nelson Piquet passou a Mansell e levou com ele o Francês Alain Prost que assumiu o 3ºlugar. Mansell já não via a hora de terminar a corrida, Mas antes disso na volta 56 Berger tomou a 4ªposição de Mansell, A Sorte do Leão é que Cheever estava bem longe. Pois se não fosse pela distância que estava entre os dois acabaria o Norte-Americano ainda com o 5ºlugar.

Senna só administrou sua enorme vantagem para os demais e dessa Forma levou a Lotus a Segunda vitória na temporada de 1987 com a Lotus-Honda, repetindo a vitória em 1986 quando Senna estava com a Lotus-Renault turbo, e Assumia pela primeira vez a liderança do campeonato de 1987, Nelson Piquet em 2ºlugar obtendo uma grande recuperação na corrida e uma ultrapassagem maravilhosa, Alain Prost em 3º numa corrida onde ele não figurou para lutar pela vitória, Mas Salvou alguns pontinhos para ficar a 2 pontos de Senna, Berger, Mansell que acabou tendo um resultado inapropriado a pilotagem que tele e Cheever que teve problemas de Pane Seca no final acabaram nos pontos.  Johansson que sofreu com problemas também na corrida, Danner, Patrese, Arnoux, Palmer e Fabre completaram a corrida.

Senna e Piquet formavam mais uma dobradinha brasileira na Formula 1. Para a Lotus essa vitória deixava a equipe mais viva do que nunca pela disputa do título. Mal Sabia a Lotus que essa seria a última vitória até o GP de Abu Dhabi de 2012 quando Kimi Raikkonen acabou com esse Hiato de 25 anos sem vitória da Lotus na Formula 1.

Resultado final do GP dos Estados Unidos de 1987

Fotos:

Vídeo da Corrida:

Créditos:
Fotos: Bestlap / Formel1mic
Vídeo: Youtube (Canal: Holger Eckert)
Texto: Deivison da Conceição da Silva

Especial Jordan 1991: O Carro dos Sonhos

A Estréia da Equipe Jordan começou em 1980, um ano após um Jovem piloto irlandês chamado Eddie Jordan ter montado a Jordan Grand Prix, depois de grandes Resultados em 1987 e 1989 culminando com o titulo de Johnny Herbert e Jean Alesi, Eddie Jordan começa a concentrar as suas forças na Formula 1, e para isso conta com o Projetista Gary Anderson, a Jordan Grand Prix ainda correria com seus carros na Formula 3000 durante esse meio tempo.

Com isso o Jordan 191 é pronto para testar. e para isso é chamado um grande amigo de Eddie Jordan, John Watson que estava sem correr a 6 anos na Formula 1 é o grande responsável pelo desenvolvimento do carro na Pré-Temporada para a temporada de 1991.

O Carro estava preto, mas o principal patrocinador foi escolhido, era a marca de Refrigerante 7UP, e os pilotos eram o Experiente e por algumas vezes demolidor de carros, Italiano Andrea de Cesaris e o Belga Bertrand Gachot, que toparam a missão de conduzir o EJ191 para uma digna primeira temporada de Formula 1.

Carro Oficial:

Ficha Técnica do Jordan 191

Construtor: Jordan Grand Prix
Projetista: Gary Anderson
Chassi: Monoposto de Fibra de Carbono
Motor: Ford Cosworth HB4 3.494 Litros (3.5)/ 213.2 com um Ângulo de 90º e Com 8 Válvulas
Transmissão: Longitudinal com 6 Marchas e Manual
Combustível: BP
Pneus: Goodyear Eagle

Estava tudo pronto, a Estréia seria nos Estados Unidos, no Circuito de Phoenix, como a Jordan era um time Estreante, precisava passar das pré-qualificações, algo terrível para as equipes que compuseram esse grupo, mas para a Jordan não seria problema.

Mas em Phoenix a Jordan não esperava pelo ótimo desempenho da Dallara que fez o 1º e 2º Tempo com Pirro e Lehto, A Jordan andavam logo Atrás, mas não esperavam pelo Italiano Nicola Larini que na estréia da Lamborghini fez o 3ºMelhor Tempo, dai só restavam uma vaga, que era disputada por Gachot, De Cesaris e Acredite se quiser: Pedro Chaves com a Nanica Coloni. Bertrand Gachot garantiu a última vaga do Grid, e De Cesaris ficou pelo caminho, para o experiente piloto da Jordan o final de semana acabou na Sexta-feira.

No Sábado Bertrand Gachot era o único Jordan na disputa do Grid de largada, e o Belga não decepcionou, colocou o carro verdinho na 14ªPosição. dividindo a 7ªFila com Mika Hakkinen da Lotus. Pirro e Lehto foram 9º e 10º e Larini em 17º Mostraram que o Nível de pilotagem dos que veio da pré-classificação foi muito alto.

Na Corrida Bertrand Gachot não se destacou na Corrida, e abandonou a corrida quando estava na 9ªPosição com problemas de motor.

Parte 2: Os Resultados Positivos

Passada a Euforia da Estreia a Jordan precisa agora de ter resultados, que em termos de Treinos Classificatórios vieram com facilidade, e o carro sempre largado do meio para Frente, isso ficou provado no GP do Brasil quando Bertrand Gachot e Andrea de Cesaris conseguiram com muita facilidade a Classificação para o Grid de Largada, Gachot em 10º e De Cesaris em 13º. Na Corrida no entanto De Cesaris abandonou a corrida na volta 20 acidentado e Bertrand Gachot chegou em 13º a 8 Voltas do Líder, provavelmente com problemas no seu carro, já que não se acreditava que Gachot tivesse num dia ruim, já que ele andava em 9ºLugar a maior parte do tempo. Em San Marino De Cesaris e Gachot ficaram na 6ºFila com o Italiano na Frente. Numa corrida confusa e com chuva no começo As Jordans quebravam na mesma volta, quando poderia ter chances de pontuar pela primeira vez. No principado de Mônaco, Andrea de Cesaris conseguiu o 10ºLugar no Grid, mas Gachot terminou no sufoco conseguindo um lugar apenas na penúltima fila, 24ªPosição, Na Corrida De Cesaris Fica pelo caminho, e Gachot faz uma otima corrida de recuperação chegando em 8ºLugar, mostrando já todo o potencial do carro.

Após 4 corridas sem pontuar, a Jordan sabia que os pontos viriam mais cedo o mais tarde, dai veio o GP do Canadá, uma corrida de onde acontece sempre corridas muito acidentadas, Mais uma vez os dois Jordans passam pelas pré-qualificações de sexta e no Grid Andrea de Cesaris conquistou o 11ºLugar e Bertrand Gachot o 14ºTempo. na Corrida, vários dos Favoritos Quebravam, Senna, Prost, Alesi, Moreno, Berger, sobravam só de Favoritos Patrese, Mansell e Piquet. a Briga pelos pontos se tornava mais possível. No final da Corrida as Jordans tinham os dois carros nos pontos, De Cesaris em 5º e Gachot em 6º, geralmente a carruagem nesses casos virara abóbora, mas dessa vez a coisa foi diferente, Mansell a curvas do Final teve problemas com o Carro e acabou abandonando, Com isso mais dois pontos para a Jordan, e festa para o Time Irlandes, 4º com De Cesaris e 5º com Gachot, os primeiros pontos do time verde na Formula 1 e muita festa para todos.

A Partir dai a Jordan começou a emplacar uma seqüência de pontuação na Temporada.

No México De Cesaris Larga em 11º e Gachot em 20ºLugar, Na Corrida Gachot abandonou, mas De Cesaris numa ótima Corrida conquistou um 4ºLugar na Corrida, mas 3 pontos para a Jordan Grand Prix. Depois na França Andrea de Cesaris largava de 13ºLugar para terminar de novo nos pontos, com o 6ºLugar, e Gachot largou em 19º para se acidentar logo na primeira volta.

No GP da Inglaterra, outra vez De Cesaris larga melhor que Gachot, o italiano larga em 13º contra o 17º do Belga Gachot, enquanto De Cesaris teve problemas de suspensão na volta 41, o Belga conseguia coletar mais um pontinho para a Jordan com o 6ºLugar numa magnífica corrida de Recuperação. Com 10 pontos ganhou a Jordan já era a 6ªColocada, um ponto atrás da Tyrrell que tinha apoio da Honda.

Na Alemanha a Jordan mostra sua forca nos Treinos com a 7ªposição no Grid de largara para De Cesaris e o 11ºLugar para Gachot. Na Corrida Ambos pontuam: De Cesaris em 5º e Gachot em 6º. na Frente de Senna que teve problemas e de Moreno, dois carros que tinham mais desempenho do que a Jordan. Com esse Resultado, A Jordan passava a ser a 5ªColocada, só atrás das 4 grandes (Mclaren, Williams, Ferrari e Benetton).

Na Hungria a Jordan não vai muito bem a Treino, De Cesaris ficou só em 16º e Gachot em 17º. na Corrida os dois carros fizeram boas corridas, mas não o bastante para manter a seqüência de pontos, De Cesaris ficou em 7º e Gachot em 9ºlugar, mas o Belga faria a melhor volta da corrida, de uma forma inimaginável para uma estreante.

Mas mal sabia Gachot que essa seria sua última corrida pela Jordan, pois ele se envolvia em uma briga com um taxista na Inglaterra, Gachot acabou usando um spray de pimenta nos olhos da vitima, para seu azar o spray era considerado uma arma na Inglaterra, Gachot ficou preso por dois meses. E para seu substituto Jordan chamou alguém de onde vamos contar na parte final do especial sobre a Jordan 1991.

Parte 3: O Surgimento de Schumacher e as corridas Finais

GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps, pista fantástica receberia a 11ºEtapa do Mundial de 91, tudo normal a não ser pela prisão de Gachot e por ele não largar na corrida de Spa, Jordan precisava de alguém para correr com algum dinheiro, já que o Ano estava sendo mais custoso do que o planejado, Eddie Jordan acha um alemão que disputava o campeonato de marcas e pilotos, chamado Michael Schumacher, o Alemão tinha apenas 21 anos, e nunca tinha andado em Spa, com a exceção de duas voltas de bicicleta na pista, Jordan perguntou se Schumacher sabia a pista de Spa, Seu empresário muito habilidoso disse que sim. e assim ele foi contratado para correr no lugar de Gachot.

Nos Treinos, Schumacher assombra o mundo pois em sua primeira experiência ele largava na 7ªPosição, 4 posições na Frente de De Cesaris, na largada Schumacher já pulava para o Quinto lugar, tudo indicava uma estreia triunfal, mas o Câmbio da Jordan não aguentou nem a subia da Eau Rouge e o carro parou, fim de corrida para Schumacher, mas para a Jordan, as coisas seriam pra lá de boas a corrida, Andrea De Cesaris fez brilhante corrida, andou até o fim lutando pela vitória contra Ayrton Senna, a coisa não esta fácil para o Brasileiro, De Cesaris era mais rápido que Senna, mas a 4 Voltas para o Final De Cesaris Quebra, a corrida termina para a Jordan, sem ter conseguido pontuar, mas foi um final de semana muito positivo, com uma revelação na Jordan e uma corridaça de De Cesaris.

Para o GP da Itália o Esperto Flávio Briatore paga 300 mil dólares a Mercedes e Compra o passe de Schumacher que sai da Jordan, no seu lugar aparece o Brasileiro Roberto Pupo Moreno, demitido após fazer melhor corrida na Benetton em 91. Moreno faz o 9ºTempo, contra o 14ºde De Cesaris, mas na Corrida Moreno abandonou com problemas nos Freios e De Cesaris fica em 7ºLugar. Em Portugal, De Cesaris e Moreno tem um treino muito ruim, 14º e 16º. na Corrida, ambos se recuperaram e terminaram em 7º e 9º Respectivamente, Moreno voltava bem na Jordan, mas deixa a Equipe para a Entrada de Alessandro Zanardi.

Definitivamente a Frase da Jordan não era das melhores, e no Treino do GP da Espanha Zanardi largava em 20º e De Cesaris em 17º,em Ritmo de corrida a Jordan estava bem tanto que Zanardi terminava em 9º, De Cesaris na volta 22 abandonou por problemas elétricos, Mas os treinos nas últimas corridas matavam as chances de pontos da equipe. e quando largavam na Frente, acabavam sofrendo quebras, No Japão novamente um bom treino para a Jordan, De Cesaris em 11º e Zanardi em 13º, Mas a Corrida, De Cesaris terminava ela na 2ªVolta num acidente envolvendo Ele, Pirro, lehto e Wendlinger, e na Zanardi abandonou a corrida na 7ªVolta com problemas de Câmbio.

O GP da Austrália a Jordan fazia a última corrida da Temporada, no Grid De Cesaris ficava em 12º e Zanardi em 14º. Os dois pilotos estavam se aproximando dos pontos rapidamente, quando a corrida foi paralisada devido ao temporal que teve em Adelaide, De Cesaris ficou em 8º e Zanardi em 9º

O Ano Fechava com a Jordan numa incrível 5ªPosição, apenas atrás de Mclaren, Williams, Ferrari, Benetton. e na Frente de Tradicionais equipes como Tyrrell, Ligier, Brabham e Minardi.

O Carro foi conhecido com um dos carros mais bonitos da História da Formula 1, mas as consequências foram que Eddie Jordan confessou anos depois que o Carro de 1991 não pagava as dividas da equipe. Revelando que a Equipe ficou com dividas depois dessa temporada. Mas a Inesquecível temporada de 1991 já estava registrada na memória da Formula 1. Desde de 1977 uma estreante não fazia o que fez a Jordan Fez, do Nada para um Grande Campeonato, mas tudo devido a um planejamento que foi recompensado.

Números da Jordan em 1991.

Gps: 32 (Largou em 31 Gps)
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 13
Número de Melhores Voltas: 1
Motor: Ford HB4 V8
Número de Voltas Completadas: 1.354
Pilotos em 1991

Bertrand Gachot
Michael Schumacher
Alessandro Zanardi
Andrea De Cesaris
Roberto Pupo Moreno

Fotos:

 


Fonte: Bestlap / Formel1mic

Corridas Históricas: GP do Japão de 1989

Xkhczmdg

Grid de largada:

1 Ayrton Senna (McLaren/Honda) 1’38.041
2 Alain Prost (McLaren/Honda) 1’39.771
3 Gerhard Berger (Ferrari) 1’40.187
4 Nigel Mansell (Ferrari) 1’40.406
5 Riccardo Patrese (Williams/Renault) 1’40.936
6 Alessandro Nannini (Benetton/Ford) 1’41.103
7 Thierry Boutsen (Williams/Renault) 1’41.324
8 Philippe Alliot (Lola/Lamborghini) 1’41.336
9 Stefano Modena (Brabham/Judd) 1’41.458
10 Nicola Larini (Osella/Ford) 1’41.519
11 Nelson Piquet (Lotus/Judd) 1’41.802
12 Satoru Nakajima (Lotus/Judd) 1’41.988
13 Martin Brundle (Brabham/Judd) 1’42.182
14 Luis Perez-Sala (Minardi/Ford) 1’42.283
15 Alex Caffi (Dallara/Ford) 1’42.488
16 Andrea de Cesaris (Dallara/Ford) 1’42.581
17 Ivan Capelli (March/Judd) 1’42.672
18 Jean Alesi (Tyrrell/Ford) 1’42.709
19 Paolo Barilla (Minardi/Ford) 1’42.780
20 Mauricio Gugelmin (March/Judd) 1’42.880
21 Bernd Schneider (Zakspeed/Yamaha) 1’42.892
22 Emanuele Pirro (Benetton/Ford) 1’43.063
23 Olivier Grouillard (Ligier/Ford) 1’43.379
24 Eddie Cheever (Arrows/Ford) 1’43.511
25 Derek Warwick (Arrows/Ford) 1’43.599
26 Jonathan Palmer (Tyrrell/Ford) 1’43.757

Não Largaram:

René Arnoux (Ligier/Ford) 1’44.030
Michele Alboreto (Lola/Lamborghini) 1’44.063
Pierre-Henri Raphanel (Rial/Ford) 1’47.160
Bertrand Gachot (Rial/Ford) 1’47.295
Piercarlo Ghinzani (Osella/Ford) 1’44.313
Roberto Moreno (Coloni/Ford) 1’44.498
Stefan Johansson (Onyx/Ford) 1’44.582
Aguri Suzuki (Zakspeed/Yamaha) 1’44.780
Oscar Larrauri (Euro Brun/Judd) 1’45.446
J J Lehto (Onyx/Ford) 1’45.787
Gabriele Tarquini (AGS/Ford) 1’46.705
Yannick Dalmas (AGS/Ford) 1’48.306
Enrico Bertaggia (Coloni/Ford)

Em Decisão absurda Senna é Desclassificado, Prost é o Campeão de 1989 e Nannini conquista sua 1ªvitória na Formula 1

Suzuka, Japão. Mais uma vez a decisão do campeonato iria para lá e mais uma vez entre Senna e Prost dessa vez com a vantagem para Alain Prost que tinha 76 pontos, Mas já estava limitado pelos descartes e Ayrton Senna com 60 pontos que só poderia ser o campeão se conseguisse vencer as 2 últimas etapas do ano.

O Script do filme estava armado. Com os melhores carros a Mclaren dominou os treinos com Senna largando na pole position e Prost em 2º depois vindo as Ferrari de Berger e Mansell que tomaram 2 segundos das Mclaren na Classificação.

Bgcgg5lx

As Atenções estavam voltadas aos dois pilotos da Mclaren que acabaram por se desentender durante a temporada de 1989. Tanto que Alain Prost iria deixar a Mclaren e correr na Ferrari para 1990. Ambos estavam concentrados para largarem bem, mas na largada Prost pulou mais rápido que Senna e assumiu a ponta da corrida enquanto Senna se manteve na frente de Berger e assumia o 2ºlugar. Quem largou bem foi Alessandro Nannini que pulou de 6º para a 4º já quem perdeu posições foi Mansell que caiu de 4º para 6ºlugar. A Corrida acabou para as duas Minardi na primeira volta Paolo Barilla nem largou e Luis Perez-Sala se acidentou e abandonou a corrida.

Prost logo de inicio impõe ritmo fortíssimo tentando fazer Senna cair em sua armadilha, Senna já ciente disso não adotou essa estratégia de perseguir Prost no começo da corrida.

A Classificação após a primeira volta era: Prost (1:49.369), Senna (a 1.401), Berger (a 2.793), Nannini (a 3.834), Patrese (a 4.917) e Mansell (a 5.393). Na Segunda volta Bernd Schneider com a Zakspeed-Yamaha acabou fora da corrida com problemas de Câmbio (Seria a última vez que a Zakspeed participaria de um Grande Prêmio).

Prost estava impondo um ritmo de corrida fortíssimo fora da principal característica do Francês que era o rei da estratégia. O piloto que mais poupa o carro, Já Senna Andava no ritmo normal. Mansell passou Patrese antes de acabar a 2ªvolta da corrida e assumia o 5ºlugar e agora Mansell partiria pra cima de Nannini na briga pelo 4ºlugar.

Genhcyhu

Prost continuava seu ritmo fortíssimo, Mas Senna não se preocupava em ter o mesmo ritmo de Prost no começo da corrida, procurando poupar o seu carro e atacar na hora certa. Classificação após 5 voltas: Prost (8:55.296), Senna (a 3.815), Berger (a 6.219), Nannini (a 9.635), Mansell (a 12.831) e Patrese (16.242).

Senna já abria 2 segundos na frente de Berger sem ter problemas de se poupar no começo ao contraio de Prost que continuava seu ritmo forte. Lá atrás Nakajima tentava recuperar terreno após ter tido uma largada ruim. Prost fazia a melhor volta da corrida na volta 7 com 1:45.827 – Média de 199.310 km/h (123.845 Mph) Prost tinha 4.5 segundo na frente de Senna, Mas já começava a sentir o maior desgaste de pneus e logo Senna começaria a andar melhor do que Prost.

Na Volta 9 a Classificação era : Prost, Senna, Berger, Nannini, Mansell, Patrese, Boutsen, Alliot, Modena e Piquet.

Na Volta 9 Senna é finalmente mais rápido que Alain Prost. Era a partir daí que Senna começava a sua luta pela vitória. Alesi e Pirro acabaram por se enroscar no grampo e Nakajima ganhou as posições dos dois.

Na Volta 11 Prost e Senna fizeram 1:45.7 mas foi Prost que fez a volta mais rápida com 1:45.722 – Média: 199.508 km/h (123.968 Mph) a Vantagem de Prost era de 5 segundos sobre Senna, Berger estava longe já de Senna. Na volta 12 Senna fazia a melhor volta da corrida 1:45.359 passando dos 200 km de média horária (200.195 km/h).

Senna tentava se aproximar de Prost mas só conseguia tirar 1 décimo por volta. Mas Prost na volta 14 respondia fazendo a melhor volta da corrida 1:45.200 – Média de 200.498 Km/h (124.583 Mph) com isso a diferença deles era de 5 segundos, Berger estava a 12 segundos de Senna e consequentemente a 17 de Prost depois vinha Nannini e Mansell brigando pelo 4ºlugar. Na Volta 15 Senna deu o troco pra cima de Prost. 1:44.960 (200.956 km/h).

Logo Começaria a rodada de paradas para os boxes, Alliot passou reto depois da Degner. Senna na volta 17 tirava 6 décimos de Prost fazendo a diferença cair para 3.8 segundos. Na Volta 18 Mansell fazia sua troca de pneus.

Depois de 17 voltas completadas a classificação era: Prost (30:03.892), Senna (a 3.878), Berger (a 20.332), Nannini (a 24.766), Mansell (a 27.428) e Patrese (a 37.099)

As Mclaren começariam a ter tráfego de retardatários e Prost na volta 18 foi 7 décimos mais rápido do que Senna fazendo a vantagem voltar a casa dos 4 segundos. Prost começava a pegar os retardatários e eram logo três: Alesi, Chevver e Grouillard, E Prost acabou se complicou na ultrapassagem e com isso Senna diminuiu a diferença de 4.6 para 3.1 ao termino da volta 19. Senna também não deu sorte para passar os retardatários. Com isso na volta 20 Senna estava 4.3 segundos atrás de Prost. Na 20ªVolta Alessandro Nannini faz sua parada nos boxes.

Na volta 21 Alain Prost iria para os boxes para fazer a sua primeira troca, Um pit muito rápido que durou 7 segundos e 86 Centésimos. Senna assumia a liderança que era até esperado sendo que Senna não gastou tanto os pneus do que Prost que continuava a passar os retardatários como as duas Dallaras de Caffi e De Cesaris.

Boutsen e Alliot na volta 23 pararam para tocar os seus pneus, ao Final da volta 23 Senna foi para os boxes trocar seus pneus a Mclaren não trabalhou tão bem assim, o tempo foi 9.89 segundos perderam 2 segundos e 3 centésimos. A Classificação da corrida era após 24 voltas: Prost (42:47.274), Senna (4.673) , Berger (24.705), Nannini (28.542) , Mansell (29.617) e Patrese (32.490) . Piquet era o 7ºlugar e ainda não fez a sua primeira parada nos boxes.

Lzi8jvdq

Jonathan Palmer com a Tyrrell e Nicola Larini com a Osella abandonaram a corrida com 20 e 21 voltas respectivamente. (Palmer por problemas na Bomba de combustível e Larini com problemas nos freios)

Senna começava a se aproximar de Prost, sentindo que a hora de atacar Prost era agora. Patrese Trocou os pneus e com isso Nelson Piquet estava em 6ºlugar. Já estávamos na metade da corrida. A volta 25 de Ayrton Senna era a melhor volta da corrida com 1:43.904(202.998 km/h) chegando a 126 mph.

Prost e Senna negociam ultrapassagens sobre os retardatários. Senna fazia a volta mais rápida de novo com 1:43.496 (203.799 km/h) e Diminuía a distância para 3 segundos atrás de Alain Prost e acabou se livrando mais rápido de Warwick e Gugelmin que estavam tomando uma volta de Prost e Senna. Era a primeira vez que Senna começava a se aproximar de vez de Prost para a batalha.

Já Brundle não facilitou para nenhum dos dois (nem Prost, nem Senna tiveram facilidades para passar o Inglês) Na volta 29 Senna virava 2 décimos mais rápido que Prost e continuava a cair a diferença de Prost para Senna. Capelli com a sua March acabou sendo o 6ºpiloto a deixar a corrida com problemas de Suspensão. Na 30 voltas Modena foi o retardatário para ser passado, Ddessa vez nenhum dos dois teve problema e Senna virava 7 décimos mais rápido que Prost e a diferença caia para 2 segundos. Alesi era o retardatário na volta 31, Dessa vez Alesi atrapalha Senna, Mas assim mesmo Senna foi mais rápido que Prost e a diferença dele estava em 1.7 segundos.

Qxolcnaf

Motor de Grouillard na volta 31 pediu Água (quebrou) e abandonou a corrida. Piquet finalmente faz sua troca de pneus, foi o último dos pilotos a parar nos boxes para uma primeira troca. Classificação após 31 voltas: Prost (55:00.179), Senna (a 1.758), Berger (a 28.641), Nannini (a 36.006), Mansell (a 41.877) e Patrese (a 1:07.293).

Prost na volta 32 Consegue ser mais rápido nos centésimos do que Senna. Na Volta 33 Senna comete um erro e acabou e perdeu meio segundo e com isso a vantagem subiu para 2.2 segundos. Nelson Piquet na volta 34 começava a ser alvo de Prost e Senna para ser ultrapassado para levar uma volta dos dois pilotos da Mclaren.

Piquet abriu para Prost passar, Mas Senna teve dificuldade e com isso perdeu tempo e a diferença voltou a estar a casa dos 3 segundos a favor de Prost. Berger com problemas de câmbio abandonou a corrida e com isso Nannini assumiu o 3ºlugar da corrida com Mansell em 4º e Patrese e Boutsen em 5º e 6ºlugar. E Pirro e De Cesaris acabaram se chocando no hairpin e tudo foi culpa do Pirro que se chocou com De Cesaris que defendia sua posição de forma correta.

Senna tentava buscar de novo Prost e precisava ser rápido, O tempo estava acabando ou melhor as voltas estavam acabando (faltavam 16 voltas para o final), para Senna era agora ou nunca, para Prost era só se manter na frente que o Título era dele. Classificação após 36 Voltas: Prost (1:03.40.057), Senna (a 3.337), Nannini (a 46.947), Mansell (a 51.025), Patrese (a 1:17.159) e Boutsen (a 1:23.574).

Na Volta 37 Senna faz a volta mais rápida com 1:43.300 – Média de 204.185 km/h (126.875 Mph), Alliot quebra o motor Lamborghini na volta 36 e deixa a corrida após boa corrida. Jean Alesi também deixa a corrida com problemas de Câmbio. E a briga entre Prost e Senna. Nannini em Terceiro lugar estava a mais de 30 segundos atrás de Senna, mas com o Terceiro lugar administrável. 1:43.025 Senna faz a melhor volta da corrida na volta 38 e baixa a diferença para 2 segundos.

Na Volta 39 Senna baixa a diferença para 1.7 segundos. Enquanto isso Mansell fuma na Pista e com isso Mansell deveria abandonar a corrida, Mas o leão continuava na corrida achando que ainda dava para prosseguir.

No final da volta 40 Prost perde muito tempo atrás da Arrows e acaba Senna se aproximando definitivamente pra cima de Alain Prost e ambos iriam travar a batalha final em Suzuka. O Francês para matar o campeonato a favor dele enquanto Senna tenta levar o título para Adelaide. Nakajima na volta 39 deixou a corrida. (Seu motor Judd não aguentou o tranco da corrida) Mansell depois de muitas voltas fumando acabou parando com problemas com Problemas de Motor o V12 da Ferrari também não aguentou até o final, nisso Nannini se firmava em 3ºlugar que era o máximo que ele poderia conseguir com Prost e Senna na pista.

Yl8gi3mr

Senna buscava a Ultrapassagem, Mas Prost acabava Saindo mais forte na aceleração do que Senna. Nisso dava pra ver que Na reta não iria acontecer a ultrapassagem e que teria que ser numa curva e foi justamente na volta 45 em que Senna subindo a grande reta foi com ação em cima de Prost e quando Senna buscou a ultrapassagem pra cima de Prost na chicane o francês Alain Marie Pascal Prost Teve seu momento mais negro da sua carreira na Formula 1. O francês jogou o carro pra cima de Ayrton Senna, os dois batem, e ficam parados.

Z6ysjybe

Com isso o título era de Prost que estava satisfeito e deixava o carro por aí abandonando a corrida. Já Senna queria voltar e pediu para ser empurrado, com a ajuda necessária dos fiscais de pista acabou voltando ele foi conduzido para fora da Chicane e voltou a corrida com a Asa dianteira quebrada.

5pjuvhhf

Senna ele precisava ir aos boxes para trocar a Asa, mas sem ir rápido Senna acaba quebrando o bico e na Curva Degner passa reto. consegue voltar a pista e vai para os boxes. Nannini que tinha um terceiro lugar garantido e satisfeito por subir ao pódio acabou vendo a chance de vencer pela primeira vez na Formula 1. Nannini Passa depois de Senna ter de ir aos boxes tocar o bico dianteiro. Senna volta longe de Nannini e com 5 voltas para o final.

Nannini tinha uma boa distância sobre Senna e parecia que mesmo com Prost fora o Título ficaria com o Francês, Mas o problema de Prost e de Nannini era que tinha ainda Ayrton Senna na corrida.

Senna foi nas ultimas 5 voltas alucinado em cima de Nannini e mesmo com a suspensão danificada Senna tirava diferença sobre Nannini, na volta 49 a diferença era de 4.6 segundos e na volta 50 Senna se aproximava do jovem Italiano de uma forma impressionante, enquanto isso os comissários e os fiscais e homens da FIA estavam na Torre para avaliar se tinha ou não punição para Senna.

A 3 Voltas para o final da corrida Nannini na frente com Senna na sua cola, Nannini lutava pela primeira vitória na carreira e Senna lutava para vencer a corrida e levar o título para a Austrália. E a menos de 2 voltas para o final Senna passa Nannini na chicane, dessa vez sem incidente restando 2 voltas para o final Senna tinha passado Nannini de forma dramática e emocionante. E Nessas horas é que só mesmo Senna para conseguir isso.

Fplxcoit

Na pista Senna completou as duas últimas voltas na liderança e acabou cruzando na frente, numa das corridas mais emocionantes da história da Formula 1, Senna fez uma das maiores corridas em que um piloto poderia fazer na história de 39 anos de Formula 1 (67 nos dias de Hoje).

Com isso Senna levava a Disputa do título para a Austrália, Mas minutos depois os comissários de prova desclassificam Senna e deram a vitória a Alessandro Nannini. Com isso Prost conquistava o Tricampeonato. Balestre depois de um tempo ele confessava que acabou mandando punir Senna para dar o título para Prost.

Senna e a Mclaren criticaram de forma muito forte a Balestre. Com isso Balestre chegou a dar uma punição de 6 meses sem correr e de 100 mil dólares. E ainda ameaçou Tirar a Mclaren da Formula e de cassar a Superlicença de Senna caso Ron Dennis e Senna não se retratassem das palavras que eles falaram ao presidente da FISA (FIA).

O Caso é que Prost em seu momento mais sujo de sua carreira fantástica chegava ao seu tricampeonato e levava o número 1 para a Ferrari. Mas essa manobra teria uma consequência no ano seguinte. Senna não esqueceria jamais essa derrota política e iria querer a vingança. Nannini comemorava a sua primeira vitória da Carreira (Que acabaria sendo a única da carreira) Junto de Patrese e de Boutsen. Piquet que fez grande corrida com a Carroça da lotus-Judd em 4º, Brundle em 5º e Warwick em 6º Completaram a zona de pontuação.

Resultado final do GP do Japão de 1989

Fotos:

Vídeo da corrida: Motor Sports

Fonte das Fotos: Bestlap, Formel1mic

Texto: Deivison da Conceição da Silva

Corridas Históricas: GP da Austrália de 1988

Grid de Largada:

1 Ayrton Senna (McLaren/Honda) 1’17.748
2 Alain Prost (McLaren/Honda) 1’17.880
3 Nigel Mansell (Williams/Judd) 1’19.427
4 Gerhard Berger (Ferrari) 1’19.517
5 Nelson Piquet (Lotus/Honda) 1’19.535
6 Riccardo Patrese (Williams/Judd) 1’19.925
7 Derek Warwick (Arrows/Megatron) 1’20.086
8 Alessandro Nannini (Benetton/Ford) 1’20.182
9 Ivan Capelli (March/Judd) 1’20.459
10 Thierry Boutsen (Benetton/Ford) 1’20.486
11 Alex Caffi (Dallara/Ford) 1’20.781
12 Michele Alboreto (Ferrari) 1’20.844
13 Satoru Nakajima (Lotus/Honda) 1’20.852
14 Pierluigi Martini (Minardi/Ford) 1’21.133
15 Andrea de Cesaris (Rial/Ford) 1’21.164
16 Philippe Streiff (AGS/Ford) 1’21.262
17 Jonathan Palmer (Tyrrell/Ford) 1’21.307
18 Eddie Cheever (Arrows/Megatron) 1’21.393
19 Mauricio Gugelmin (March/Judd) 1’21.554
20 Stefano Modena (Euro Brun/Ford) 1’21.856
21 Luis Perez-Sala (Minardi/Ford) 1’21.893
22 Stefan Johansson (Ligier/Judd) 1’21.988
23 René Arnoux (Ligier/Judd) 1’22.028
24 Philippe Alliot (Lola/Ford) 1’22.211
25 Oscar Larrauri (Euro Brun/Ford) 1’22.213
26 Piercarlo Ghinzani (Zakspeed) 1’22.348

Não Se Classificaram para o GP da Austrália de 1988

27 Gabriele Tarquini (Coloni/Ford) 1’22.393
28 Julian Bailey (Tyrrell/Ford) 1’22.529
29 Pierre-Henri Raphanel (Lola/Ford) 1’22.733
30 Bernd Schneider (Zakspeed) 1’23.025
31 Nicola Larini (Osella) 1’28.440

Prost vence corrida de despedida dos motores Turbo na Formula 1

Em 13 de Novembro de 1988 a Formula 1 Encerrava uma época de 11 anos com o Motor Turbo, Adelaide seria o palco final onde os motores Turbo seriam descontinuados da categoria o que iria aproximar mais competidores para a temporada de 1989.

A prova de Fechamento da temporada fechava um ano de domínio total da Mclaren que estava em Busca da sua 15ªVitória na temporada de 1988, O MP4-4, Chassi que a Mclaren tinha, Mais os poderosos motores Honda V6 Turbo somados a incrível capacidade de Ayrton Senna e de Alain Prost transformaram a temporada de 1988 numa disputa mano a mano entre dois pilotos de uma única equipe, Seria comparado ao Domínio da Red Bull, só que nesse caso a Red Bull não tinha dois gênios na mesma equipe, coisa que a Mclaren tinha, dois dos melhores pilotos se não os 2 melhores pilotos daquele grid.

Senna e Prost faziam a primeira fila do Grid com o Brasileiro colocando 1 segundo e 6 décimos em cima de Nigel Mansell que com a Williams-Judd largava em 3ºlugar, Berger com a Ferrari, Nelson Piquet com a Lotus-Honda e Riccardo Patrese Fechavam os 6 primeiros colocados. Tarquini, Bailey, Pierre-Henri Raphanel, Schneider e Larini foram eliminados e não largariam para a corrida.

Na Volta de Apresentação, Stefano Modena com a EuroBrun que vinha em 20ºlugar acabou tendo problemas e saiu para a volta de apresentação atrasado, perdendo essa posição que ele tinha no Grid para largar do último lugar.

Na Largada que pulou melhor foi Prost que assumiu a liderança da corrida com Berger logo atrás e depois Mansell, Piquet e Patrese, Já para Alboreto a prova durou alguns metros, pois ele bateu na primeira volta de corrida e se encerrou a história dele com a Ferrari já que ele não iria continuar para 1989. Prost começava a abrir de Senna estava sendo ameaçado por Berger que era o único que poderia enfrentar de alguma forma os dois pilotos da Ferrari, Piquet conseguiu se livrar de Mansell e assumiu o 4ºlugar da corrida.

Berger na 3ªVolta começava a atacar de vez Ayrton Senna que já via Prost ficar distante na ponta da corrida, Berger foi para cima de Senna que não vendeu cara a posição, depois da Reta oposta ambos se tocaram e Berger se deu bem e assumiu o 2ºlugar e acabou sumindo da visão de Senna que estava com desempenho aquém do que se esperava de um piloto que acabava de ser Campeão Mundial numa corrida sensacional como foi a dele no Japão. Classificação após 3 Voltas completadas: 1. Prost (4:15.596), 2. Berger (a 5.557), 3. Senna (a 6.755), 4. Piquet (8.495), 5. Patrese (a 10.036), 6. Mansell (a 11.076).

Só que Berger vinha mais rápido que Prost, fazendo a volta mais rápida da corrida com 1:23.087 – Média de 163.780 Km/h (101.768 Mph), Algo que era inimaginável, Mas tinha algo explicável que eu irei falar para vocês no momento Certo da corrida do por que desse desempenho tão sensacional. Porém, Porque Senna estava andando tão abaixo do Rendimento?? Simples, ele acabou se machucando em uma modalidade muito perigosa chamada Futebol que fez ele machucar a mão, por isso Senna não estava botando pra quebrar como ele deveria fazer. Classificação após 5 Voltas completadas: 1. Prost (7:03.332), 2. Berger (a 4.169), 3. Senna (a 7.648), 4. Piquet (10.152), 5. Patrese (a 11.385), 6. Mansell (a 12.496), depois vinham Capelli, Nannini, Warwick e Caffi completando as 10 primeiras posições.

Prost continuava em primeiro mas já começava a ver Berger no Retrovisor que fazia de novo a melhor volta da corrida com 1:23.048 – média de 163.857 Km/h (101.816 mph) deixando a diferença para 3.585 Segundos. Volta mais rápida que ele baixou na volta seguinte para 1:22.656 passando dos 164 km/h.

Berger na 8ªVolta imprimia o ritmo mais forte e já vinha com uma volta de 1:22.012 Média de 165.927 Km/h – 103.102 Mph) impressionante o ritmo da Ferrari naquele momento de corrida, Ou acharam algo para ganhar da Mclaren ou o Carro estava com alguma coisa estranha demais. Berger em 4 voltas conseguiu baixar 1 segundo sua melhor volta de prova. Senna vinha bem atrás, Mas controlando bem a Piquet que vinha na Frente de Patrese e Mansell na Williams que já começava a Ficar para Capelli com a sua March-Judd, Tanto Patrese, Mansell e Capelli tinham motores aspirados.

Berger chegava mais e mais em Prost que só tinha 1.857 de diferença para Berger e do jeito que tava uma ultrapassagem seria questão de pouco tempo. Classificação após 10 voltas Completadas: 1. Prost (13:57.971), 2. Berger (a 1.857), 3. Senna (a 9.290), 4. Piquet (13.179), 5. Patrese (a 14.413), 6. Mansell (a 16.734).

Berger chegou em Prost definitivamente na volta 13 ao mesmo tempo que o Argentino Oscar Larrauri deixava a prova com problemas de Semi-Eixo da sua EuroBrun o que acabou fazendo com que o piloto Argentino Rodasse no começo da Reta Oposta, Berger chegou em cima de Prost e conseguiu a ultrapassagem na 14ªVolta assumindo a liderança da corrida, Prost ao contraio de Senna não lutou pela posição, deixou Berger ir embora, Como caracteriza o Francês, sempre sendo conservador só sendo rápido na hora certa.

Berger abria de Prost indicando um melhor ritmo de corrida, enquanto isso Boutsen rodava no mesmo ponto de Larrauri, Mas por sorte ele não bateu e não teve problemas em seu carro e pode continuar na volta, mesmo que perdendo algumas posições, para Streiff e para De Cesaris voltando em 13ºlugar. Classificação após 15 Voltas: 1. Berger (20:53.618), 2.Prost (a 1.350), 3. Senna (a 7.741) 4. Piquet (a 15.526), 5. Patrese (a 16.482), 6. Mansell (a 20.542).

Outro que deixava a corrida com problemas de Transmissão era Jonathan Palmer na 16ªVolta enquanto Piquet tentava manter o 4ºlugar em cima de Riccardo Patrese. Já Nannini também rodou no mesmo ponto de Larrauri e de Boutsen, dessa vez a perda foi bem maior de posições para o Italiano do que foi para o Belga Thierry Boutsen, Já Piquet conseguia se livrar um pouco de Patrese que tinha agora Mansell também por perto, Com Ghinzani carregando o lixo da Zakspeed os lideres começavam a passar os primeiros retardatários.

Senna começava a impor um ritmo mais forte de corrida e começava a tirar a vantagem sobre Prost que já tinha sido de 7 segundos já estaria em 4 segundos sobre Prost, não estaria descartada uma possibilidade de uma 9ªvitória do Brasileiro na Temporada, Mas na volta seguinte Prost aumentava em 2 décimos a diferença entre os dois para 4.5 segundos isso na volta 21 para a 22, Berger na volta 21 faria a melhor volta da prova com 1:21.900 – Média de 166.154 Km/h (103.243 mph), Alias a FOCA Longines estava testando um novo Gráfico de TV para a sua transmissão, Já Ghinzani rodava na pista, por sorte ele conseguiu voltar pois só encostou duas rodas na Grama ao invés da 4 que para uma Zakspeed era uma vitória.

Enquanto isso Piquet ficava segurando a Patrese e Mansell que vinham perseguindo ao Brasileiro desde do começo da corrida, Para a Williams e Lotus era uma corrida para marcar um bom resultado a ambos, pois ambas as equipes tiveram os seus piores anos depois de muito tempo no Topo, Fruto de carros mal nascidos, No Caso da Williams o motor pesou muito, Mas no Caso da Lotus de Piquet foi um erro Grosseiro de projeto que causou a demissão de Gerard Ducarouge com uma certa complacência de Piquet que não teve muita vontade de tentar mudar de Chassi ou de então tentar de alguma forma consertar o projeto mal nascido, Pois estava ganhando muito dinheiro para pagar o Iate que ele tinha comprado naquela Época. Classificação após 24 Voltas Completadas: 1. Berger (33:15.735), 2. Prost (a 3.046), 3. Senna (10.168), 4. Piquet (a 26.735), 5. Patrese (a 27.727), 6. Mansell (a 28.619).

Berger vinha na frente, Só que na 26ªVolta durante uma ultrapassagem sobre o Francês Rene Arnoux que sofria com o Terrível carro da Ligier-Judd e com a bagunça que era o time francês naquela época o Austríaco Berger bateu em Arnoux provocando o final de corrida a ambos. Uma pena pois o desempenho de Berger era espetacular na frente, Achei a ultrapassagem meia precipitada, Mas diziam que Berger largou na corrida com um combustível que seria só a metade do combustível que era necessário para terminar a corrida, Com isso justificaria o Espetacular desempenho da Ferrari, Caso isso não seja verdade a Ferrari poderia apontar uma segunda derrota do MP4-4, Mas sem Berger o Caminho para a 15ªVitória estava totalmente livre, Prost retomava a pronta da corrida com Senna em Segundo e Piquet em 3º.
Era bem temerário esse trabalho de fiscal de pista naquela época que tirava os carros quanto a corrida corria solta em alta velocidade sem a ideia do Safety Car entrar na pista. Classificação após 26 Voltas: 1. Prost (36:07.601), 2. Senna (a 4.691), 3. Piquet (a 23.254), 4. Patrese (a 25.090), 5.Mansell (25.498), 6. Capelli (a 38.699).

Prost agora tinha certa vantagem para Senna que tentaria buscar a Prost mesmo com a dor na mão que ele tinha, 4.544 era a diferença entre eles na 28ªVolta de prova, até aquele momento poucos carros tinham tomado volta o que era uma surpresa, mas para Ghinzani os problemas não terminavam, pela segunda vez na prova o experiente Italiano que pegou quase todos os anos carroças, Mas conseguiu voltar a corrida certamente em último lugar que era o 21ªposição.

Piquet continuava resistindo em 3ºlugar com Patrese e Mansell na cola sempre e sem deixar o Brasileiro da Lotus respirar, Enquanto Capelli fazia bela corrida com a March na 6ªposição. E lá na Frente Prost continuava na ponta inabalável e impondo seu ritmo de prova e colocando 6.313 segundos em cima de Senna que não conseguia se aproximar de Prost até aquele momento de prova. Prost já colocaria volta em uma Benetton e uma Arrows naquela altura da corrida, tanto Nannini como Cheever deixaram Prost passar sem problemas, Caffi que vinha em uma corrida muito boa abandonava a corrida por causa da Embreagem da Dallara 36 que completava o primeiro ano dela na Formula 1 sem sucesso grande na 33ªvolta de prova.

Mansell tentava passar de todo o jeito a Patrese na luta pelo 4ºlugar, por duas vezes na mesma volta Mansell se segurou para não bater em Patrese, não poderia se jogar 5 pontos para a Williams que teve um ano tão difícil em 88 e já estava pensando em 89 com os novos motores Renault que iriam voltar a categoria com a equipe Inglesa, Já Piquet continuava a manter um pouco de diferença sobre ambos os pilotos da Williams, a prova já começava a chegar na sua metade de prova, e nem sinal de que alguém iria para uma parada nos boxes.
Em 35 voltas a prova era pouco emotiva e pouco disputada como foi por grande parte da temporada de 1988.

Na 38ªVolta Prost coloca o tempo para baixo e marca 1:21.767 fazendo a melhor volta da corrida, Média de 166.424 km/h (103.411 Mph), o que representaria que os pneus ainda tinham um desempenho aceitável para que os pilotos pudessem fazer boas voltas, ou seja uma parada nos boxes poderia não acontecer.

Chegávamos quase na metade da corrida e Prost já estava com a Corrida praticamente sob-controle sobre Senna que tinha por volta de 8 a 9 segundos atrás de Prost, Mas na volta 39 Senna deu o troco e fez a melhor volta da prova com 1:21.669 – Média de 166.626 km/h (106.537 Mph), Faltava ainda um pouco de tempo para a média chegar a 170 km/h de média.

Classificação após 40 voltas de prova: 1. Prost (55:22.414), 2.Senna (a 6.968), 3. Piquet (a 37.589), 4. Patrese (a 38.776), 5. Mansell (a 41.066), 6. Capelli (a 56.787). Pintava o sol em Adelaide, em uma corrida que começou com tempo fechado tínhamos sol para alegrar uma corrida que estava chata demais. Prost Voltava a estabelecer a melhor volta da corrida com 1:21.618 – Média de 166.727 Km/h (103.6 Mph) na 42ªVolta. Os pneus continuavam a aguenta a corrida, Não podemos dizer o mesmo do Motor Ford DFZ de Luiz Perez Sala que acabou deixando o piloto da Minardi na mão e deixando a corrida com 19 pilotos com 38 Voltas para o final, A única Briga mesmo por posição era entre Piquet e Patrese pelo 3ºlugar da prova que fechava a temporada de 88.

Já De Cesaris fazia uma linda manobra sobre Capelli e tomava o 6ºlugar do piloto da March, De Cesaris com o Bom carro da Rial tinham um adversário que era mais difícil do que ter o desempenho bom do carro que era a capacidade do Tanque de combustível que era insuficiente para terminar boa parte das corrida o que impossibilitou a Rial de marcar mais pontos no campeonato, Já Nakajima foi para os boxes trocar os pneus, só que na volta seguinte um acidente envolvendo o Japonês e o Brasileiro Maurício Gugelmin com a March número 15 acabaria por tirar ambos da prova.

Alain Prost na volta 47 baixava a melhor volta da prova para 1:21.559 – média de 166.849 Km/h (103.675 Mph) Apesar de Nakajima ter batido em Gugelmin eu não ponho a maior culpa nele não, A Minardi rodou na frente de Gugelmin que diminuiu para não se envolver em acidente, Não deu tempo para Nakajima fazer isso, Mesmo assim o Japonês tentou desviar, Mas já estava muito em cima e o Choque foi inevitável. Piquet continuava na sua luta contra as Williams na luta pelo pódio em 3ºlugar, algo que Piquet estava a 13 corridas sem conseguir no ano de 1988, desde da prova de San Marino aonde foi seu último pódio é que não pintava Piquet entre os 3 primeiros colocados. Classificação após 49 Voltas: 1.Prost (1:07:40.622), 2. Senna (a 10.502), 3. Piquet (a 46.500), 4. Patrese (a 47.886) 5. Mansell (a 48.327), 6. De Cesaris (a 1:03.961)

A 32 Voltas para o final a briga da corrida era entre os dois pilotos da Williams pelo 4ºlugar, Mansell estava disposto a tomar o 4ºlugar de Patrese que queria se manter na frente de Mansell que se despedia da Williams após 4 anos no time Inglês, pois ele iria correr na Ferrari na próxima temporada, Piquet se mantinha na frente por que negociava bem as ultrapassagens com os retardatários. Mansell tentava, fazia tentativas, Mas Mansell conseguiu ganhar a posição de Patrese após ele Rodar, por sorte ele continuou na corrida perdendo só a posição de Mansell e voltando em 5º, Agora era o inglês que iria ter a missão de partir para cima de Piquet. Cheever e Warwick tiveram problemas em seu motor e ambos deixaram a corrida, Cheever na volta 51 e Warwick na volta 52.

Prost estava na ponta desde do começo da prova com 10 segundos de vantagem para Senna que tinha grande Vantagem sobre Piquet que agora tinha que segurar a Mansell que vinha a apenas 885 milésimos sobre o Brasileiro, Apesar de Piquet ter o motor e o Talento dele, Mansell poderia levar essa posição do Brasileiro.

A Prova chegava as 20 Voltas finais, tudo poderia acontecer, Mas a corrida sem muitas disputas só havendo a luta de Piquet e de Mansell pelo pódio, A chance de mudança de posições era por quebras ou falhas humanas, fora isso seria surpresa ganhar posição na pista.
Na 57ªVolta Prost estabelece mais uma melhor volta da corrida com 1:21.379 – Média de 167.218 km/h (103.904 mph), Prost colocava 1 volta em Capelli que estava em 7ºlugar deixando somente os 6 primeiros colocados na mesma volta do Líder. Mansell partia para cima de Piquet de forma definitiva para conquistar o pódio, e parecia ter mais carro o Leão do que Piquet com a Lotus, Mas o Brasileiro tinha a vantagem do Motor que acabava por salvar a 3ªposição dele. Classificação após 59 Voltas: 1. Prost (1:21:21.162), 2. Senna (a 13.781), 3.Piquet (a 54.240), 4. Mansell (55.229), 5. Patrese (a 1:08.819), 6. De Cesaris (a 1:15.154).

Prost já estava por colocar 1 volta em cima de De Cesaris com a Sua Rial em 6ºlugar, Já Ghinzani continuava com o seu inferno com a Patética Zakspeed que disputava pau a pau com a Ligier como a pior equipe do ano. Capelli iria para uma parada nos boxes para uma tentativa de tentar recuperar um lugar na zona de pontuação, Mas a parada foi bem ruim com 12.77 e a saída dele dos boxes foi meio lenta, parecia que as chances dele conseguir isso estavam aniquiladas.

Phillipe Alliot foi com muito pote para cima de todo mundo e acabou indo por cima da Zebra danificando seu carro que já não é lá essas coisas dai ele vai isso, e ai, complica de vez. Já para , Nannini uma Rodada terminava a sua corrida por ai mesmo na volta 64. Na mesma volta 64 Stefano Modena tem o mesmo problema de Larrauri e acabou deixando a corrida. Duas voltas depois Mansell acabou por bater no muro e dessa forma deixar a Williams depois de 4 anos de convivência sem um bom resultado que se esperava por lá. O que deixou Piquet garantido em 3º, Patrese em 4º, De Cesaris com um 5ºlugar com a Rial e Thierry Boutsen que apesar de discreto estava conseguindo marcar 1 ponto para a Benetton. Classificação após 67 Voltas: 1. Prost (1:32.18.886), 2. Senna (a 30.468), 3. Piquet (a 54.420), 4. Patrese (a 1:15.152), 5. De Cesaris (a 1 Volta) 6. Boutsen (a 1 Volta).

Com a corrida por terminar Prost já não tinha como perder a corrida, estava na cara que o Francês tinha um melhor desempenho que Senna que já buscava ficar com o segundo lugar, Piquet começava a tirar a diferença que tinha entre ele e Senna, enquanto Patrese em 4º não queria tomar volta e De Cesaris e Boutsen completavam as 6 primeiras posições. Só que Boutsen estava tirando a diferença para De Cesaris e tentaria brigar pelo 5ºlugar na prova que se via vazia de emoção para as voltas finais, com quase tudo já definido.
Para Ghinzani o Martilho acabaria para ele na volta 70 quando a Porcaria da Injeção do seu carro quebraria deixando o italiano na Mão, terminando mais um ano de frustações da Zakspeed e mais um ano sem sucesso de Ghinzani na Formula 1.

Restando 8 voltas para o Final Prost caminhava sossegado para a 7ªVitória do ano enquanto Boutsen estava indo para cima de De Cesaris para lutar pelo 5ºlugar com o piloto Italiano que fazia grande papel na corrida, Boutsen teria tempo para passar o piloto da Rial e assumir o 5ºlugar, Mas isso não seria tão fácil assim como se imaginava pois a Rial tinha um bom carro nas mãos. Classificação após 77 Voltas completadas: 1. Prost (1:46:10.717), 2. Senna (a 32.629), 3. Piquet (a 53.148), 4. Patrese (a 1:16.699), 5. De Cesaris (a 1 Volta), 6. Boutsen (a 1 Volta).

Phillipe Streiff com problemas Elétricos deixaria a prova, Assim como o Martilho do Ghinzani tinha acabado com a sua injeção pedindo jogando a toalha de vez. E Infelizmente a 5 Voltas do final a Rial mais uma vez é derrotada pelo seu maior adversário em 1988, a Falta de um tanque que aguentasse a corrida inteira, Com Pane Seca De Cesaris deixava a corrida após belíssima corrida, Aliás o Italiano fez seu melhor ano ou o segundo melhor ano na Formula 1 em 88. Outros dois pilotos ficaram na pane seca nas voltas finais, foram Phillipe Alliot e Stefan Johansson que ficaram sem combustível antes do Final da corrida. Isso possibilitou a Boutsen subir para o 5ºlugar e para Capelli chegar em 6ºlugar e ainda a Martini conseguir a 7ªposição.

Patrese rodou e deixou Piquet com o pódio (O último da Lotus até o Pódio de Raikkonen e de Grosjean no Barhein em 2012), nem preciso dizer quais os dois primeiros colocados e suas equipes, Os dois Mclarens sendo que Prost de ponta a ponta conquistou sua 7ªVitória na Temporada e a 15ªVitória da Mclaren de 16 corridas em 1988, um Recorde jamais alcançado na história da Formula 1 até hoje, O MP4-4 era um carro que ficava na história do Automobilismo mundial como uma das obras-primas da história.

A Formula 1 se despedia da Era do Motor Turbo onde no ano de 1989 até o final de 2013 foram usados motores aspirados. Os Turbos voltam a Formula 1 após 26 anos de Ausência e Prost que foi o último vencedor com os motores turbo até hoje deve passar o Bastão para o vencedor do GP da Austrália de 2014, Curiosamente no país que sediou a última prova com motores Turbo da Formula 1. Espero que a FIA faça menção a esse momento e lembre relevante mente de alguma forma esse acontecimento.

Resultado Final do GP da Austrália de 1988

Fotos:

View post on imgur.com

Fonte das Fotos: Bestlap, Formel1mic

Texto: Deivison da Conceição da Silva

Corridas Históricas: GP da Inglaterra de 1988

Grid de Largada:

1 Gerhard Berger Ferrari 1’10.133
2 Michele Alboreto Ferrari 1’10.332
3 Ayrton Senna McLaren/Honda 1’10.616
4 Alain Prost McLaren/Honda 1’10.736
5 Mauricio Gugelmin March/Judd 1’11.745
6 Ivan Capelli March/Judd 1’12.006
7 Nelson Piquet Lotus/Honda 1’12.040
8 Alessandro Nannini Benetton/Ford 1’12.737
9 Derek Warwick Arrows/Megatron 1’12.843
10 Satoru Nakajima Lotus/Honda 1’12.862
11 Nigel Mansell Williams/Judd 1’12.885
12 Thierry Boutsen Benetton/Ford 1’12.960
13 Eddie Cheever Arrows/Megatron 1’12.984
14 Andrea de Cesaris Rial/Ford 1’13.438
15 Riccardo Patrese Williams/Judd 1’13.677
16 Philippe Streiff AGS/Ford 1’14.260
17 Jonathan Palmer Tyrrell/Ford 1’14.451
18 Luis Perez-Sala Minardi/Ford 1’14.643
19 Pierluigi Martini Minardi/Ford 1’14.732
20 Stefano Modena Euro Brun/Ford 1’14.888
21 Alex Caffi Dallara/Ford 1’14.924
22 Philippe Alliot Lola/Ford 1’14.992
23 Yannick Dalmas Lola/Ford 1’15.004
24 Julian Bailey Tyrrell/Ford 1’15.135
25 René Arnoux Ligier/Judd 1’15.374
26 Nicola Larini Osella 1’15.527

Não Se Classificaram para a corrida:

Oscar Larrauri Euro Brun/Ford 1’16.026
Piercarlo Ghinzani Zakspeed 1’16.043
Stefan Johansson Ligier/Judd 1’16.110
Bernd Schneider Zakspeed 1’18.010
Gabriele Tarquini Coloni/Ford 1’17.028

Na Chuva de Silverstone Senna ganha e chega as mesmas 4 vitórias de Prost em 1988

Silverstone marcava o final da primeira metade do campeonato, Prost liderava o campeonato com 4 vitórias e 3 segundos lugares totalizando 54 pontos e Senna com 3 Vitórias e 2 segundos estava em 2ºlugar com 39 pontos e a Mclaren sobrando na Turma com o incrível MP4-4 com o motor Turbo da Honda. Mas A pista inglesa guardava uma surpresa para a Mclaren que tinha feito todas as poles até aquele momento.

A Ferrari Marcou uma dobradinha com Berger fazendo a pole position e com Alboreto em 2ºlugar, Com Ayrton Senna em 3º e Alain Prost em 4º com as Mclarens, Mas isso se deve a potência da Ferrari que tinha um carro ruim, Mas um fortíssimo motor que contava muito numa pista como Silverstone. Depois vinham em 5ºMauricio Gugelmin que era o primeiro dos motores aspirados com a March-Judd que andava muito bem em Silverstone e Ivan Capelli em 6º companheiro de equipe de Gugelmin.

No dia da corrida chovia e a pista estava muito molhada, para Prost era um pesadelo a chuva e isso logo se confirmou na largada, Prost caiu muito enquanto Berger manteve o primeiro lugar, Alboreto manteve o segundo lugar e Senna manteve o terceiro lugar, Senna já na segunda para a terceira curva passou a Michele Alboreto e assumiu a 2ªposição e começou a buscar a Gerhard Berger. Enquanto Jonathan Palmer tinha problemas com a Tyrrell e nem largou direito. Enquanto isso Gugelmin estava em 4ºlugar e Capelli em 5º com a March-Judd.

Enquanto Senna Pressionava a Berger lutando pela ponta na corrida, Prost estava caindo para 11º e sem demostrar reação nenhuma. Palmer já ficava com retardatário para Berger e Senna na 2ªvolta. Classificação após 2 Voltas: 1. Berger (3:03.002) 2. Senna (a 1.050), 3. Alboreto (a 6.211), 4. Gugelmin (a 9.720), 5. Capelli (a 11.174), 6. Nannini (a 11.491).

Mas quem crescia na corrida eram a Benetton de Nannini e a Williams-Judd de Nigel Mansell o dono da casa, Prost estava já em 14ºlugar. Luis Perez Sala acabou abandonado na primeira volta por problemas na sua suspensão.

Berger na 4ªvolta conseguia abrir uma pequena diferença para Senna e Alboreto estava 11 segundos atrás de Senna, Nannini começava a buscar o 4ºlugar de Mauricio Gugelmin. Berger fez a melhor volta da corrida na volta 5 com 1:25.011 – Média 202.342 km/h – Mph 125.730

Alboreto estava em 3º mas perdendo terreno para Gugelmin e Nannini que tiravam a diferença de Alboreto que não parecia se entender com a Chuva, Enquanto isso Nannini pressionava a Gugelmin evidentemente com bem mais carro que o carro de Gugelmin. Classificação após 6 voltas: 1. Berger (8:45.055), 2. Senna (a 1.705), 3. Alboreto (a 19.289), 4. Gugelmin (a 23.367), 5. Nannini (a 23.571), 6. Mansell (a 25.797) com 7.Capelli, Piquet em 9º e Prost em 15ºlugar sem dúvida um dia bem ruim de Prost.
Mansell começava a chegar em Gugelmin e Nannini na luta pelo 4ºlugar e com Alboreto vendo mais e mais os 3 pilotos no seu retrovisor na luta pelo 3ºlugar que começava a se formar, Classificação após 8 voltas: 1. Berger (11:36.008), 2. Senna (a 1.559) 3. Alboreto (a 23.489), 4. Gugelmin (a 27.806), 5. Nannini (a 28.135), 6. Mansell (a 29.497).

Gugelmin continuava a manter de forma correta a 4ªposição. Enquanto Phillipe Streiff teve seu aerofólio quebrado, era final de batalha para o Francês da AGS. E Berger e Senna já pegavam os primeiros retardatários, De Cesaris com a Rial deixava a corrida com problema de Embreagem. Berger na 10ªvolta tinha uma vantagem de 1.885 segundos para Senna no meio dessa chuva toda.

Piquet e Boutsen passaram por Warwick e assumiram a 8ª e 9ªposições. Senna tentava a aproximação para Berger, Alboreto conseguia manter o 3ºlugar com Gugelmin perto dele com Nannini na cola do Brasileiro e um pouco mais atrás de Mansell.

Na 12ªVolta Senna colou de vez em Berger para tentar assumir a ponta da corrida o que era o que precisava para tirar 9 pontos de desvantagem sobre Alain Prost Mas Berger dava a resposta com 1:24.242 – Média de 204,189 – 126.877 Mph.

Mansell começava a abrir fogo para cima de Nannini que acabou tentando passar a Gugelmin tentou meter por dentro, mas sem espaço recuou. E na mesma 13ªVolta Senna passou Berger e assumiu a ponta da corrida, a corrida começava a pegar fogo, Com Gugelmin, Nannini e Mansell chegando em Alboreto na luta pelo 3ºlugar e Prost tomava 1 volta de Ayrton Senna mostrando que além de sua péssima capacidade na chuva um péssimo desempenho da sua Mclaren-Honda.

Senna começava a abrir uma distância se não confortável era pelo menos sustentável para liderar a corrida. Enquanto isso Gugelmin acabou perdendo posições para Nannini e Mansell, Jonathan Palmer acabou lento, lento com problemas de Motor Deixava a corrida com 14 voltas completadas. Senna conseguia manter a pequena vantagem sobre Berger na liderança da prova e já partia ele e Berger ir para colocar volta em Patrese.

Enquanto isso Prost estava bem longe de ser competitivo, apenas em 16ºlugar. Agora Alboreto estava sendo ameaçado por Nannini e Mansell na luta pelo 3ºlugar, lá na Frente Senna estava com pouca diferença na frente, Berger estava colado no Brasileiro, Gugelmin estava em 6ºlugar já poupando o equipamento, já que a March possuía o frágil motor Judd EV V8, Mesmo motor da Williams e da Ligier. Alboreto estava a absurdos 41.249 segundos atrás de Berger.
Classificação após 19 Voltas completadas: 1. Senna (27:17.424), 2. Berger (a 1.423), 3. Alboreto (a 42.672), 4. Nannini (a 43.132), 5. Mansell (a 43.751), 6. Gugelmin (a 48.155).

Na Volta 20 Triwhite entre Mansell, Alboreto e Nannini que acabou de dando mal nessa e rodando e perdendo a posição para Mansell e Gugelmin. Alboreto conseguiu se manter em 3º. Senna abria na volta 22 2.7 segundos para Berger que tentava tirar a invencibilidade da Mclaren de 7 corridas com o maravilhoso motor Honda e o Chassi MP4-4. Classificação após 21 Voltas: 1. Senna (30.07.468), 2. Berger (a 2.977), 3. Alboreto (a 46.556), 4. Mansell (a 47.425), 5. Nannini (a 53.111) e 6. Gugelmin (a 53.601) Nannini conseguiu recuperar a 5ªposição.

Na Volta 22 Mansell conseguiu passar Alboreto e assumir o 3ºlugar, fato louvável com a Williams-Judd de 1988 que não era um carro nada formidável, tão fraco que o Lotus-Honda T100 que era um desastre, mesmo com o motor Turbo. A pista começava a secar e já se formava um trilho e Senna começava a despachar vantagem sobre Berger, Diferença de 4.689 segundos , Mansell começava a abrir de Alboreto que tinha problemas em andar na chuva.

Classificação após 25 Voltas: 1. Senna (34.22.049), 2. Berger (a 4.689), 3. Mansell (a 52.280), 4. Alboreto (a 54.762), Nannini (a 55.358) e Gugelmin (a 1:00.875) com Capelli em 7º e Piquet em 8º.
Na Volta 25,Prost iria para os boxes, em 16ºlugar e com problemas de estabilidade em seu carro além da sua incapacidade em andar na chuva o Francês resolveu deixar o carro e abandonar a corrida, Deixando caminho livre para Senna tirar pontos de diferença no campeonato já que ele estava com 15 pontos na frente do Brasil. Foi o primeiro abandono de Prost na temporada.

Nannini assumiu o 4ºlugar de Alboreto e iria para cima de Mansell lutando pelo 3ºlugar, Mansell, Nannini e outros pilotos estavam pegando a parte de Fora para pegarem água, Nannini tinha um carro que rendia bem mais que o Mansell. A ultrapassagem foi inevitável na volta 28 Nannini assumia o 3ºlugar deixando Mansell o dono da casa em 4ºlugar. Nannini tinha os motores Ford Aspirado contra os Judd da Williams de Nigel Mansell. Senna e Berger estavam a mais de meia volta na frente de Nannini e Mansell.

Nelson Piquet conseguiu passar Capelli e assumiu o 7ºlugar e a classificação após 28 voltas era essa: 1. Senna (40:04.663), 2. Berger (a 7.406), 3. Nannini (a 54.672), 4. Mansell (a 55.182), 5. Alboreto (a 1:01.056), 6. Gugelmin (a 1:05.175), 7. Piquet, 8. Capelli, 9. Boutsen, 10. Warwick.

Nannini na volta 29 era o piloto com a volta mais rápida da prova com 1:24.176 – Média de 204.349 Km/h – 126.977 mph. Mas ao mesmo tempo que ele era bem rápido Nannini ainda pela inexperiência Nannini roda e perdeu posição para Mansell perdendo o 3ºlugar, Ainda conseguindo voltar na frente de Alboreto e de Gugelmin e na verdade Nannini deu muita sorte pois se desse algo errado ele iria ficar fora da corrida atolado na brita molhada. Gugelmin colava definitivamente em Alboreto na luta pelo 5ºlugar, evidente que Alboreto estava muito mal na corrida. Classificação após 31 Voltas: 1. Senna (44:20.496), 2. Berger (a 12.230), 3. Mansell (a 57.637), 4. Nannini (a 1:03.589), 5. Alboreto (a 1:06.436), 6. Gugelmin (a 1:07.252).

Os dois primeiros lugares pareciam consolidadas praticamente para Senna e Berger, Mas a corrida estava apenas em sua metade e a pista continuava a seca. Senna estava colocando uma volta em Boutsen e Piquet que disputavam a 7ªposição.

Gugelmin conseguiu ultrapassar Alboreto e assumir o 5ºlugar, O carro de Capelli, companheiro de Gugelmin estava com problemas no Alternador e tentou consertar isso com uma parada nos boxes. Boutsen tentava passar a Piquet na luta pelo 7ºlugar. Classificação após 34 Voltas completadas: 1. Senna (48:36.523), 2. Berger (a 15.819), 3. Mansell (a 57.754), 4. Nannini (a 1:06.888), 5. Gugelmin (a 1:09.790) e 6. Alboreto (1:13.625), 7. Piquet (a 1 Volta), 8. Boutsen (a 1 Volta).

Capelli na volta seguinte vai para os boxes e de lá não saiu mais e deixou a corrida. Senna continuava na frente mantendo uma boa vantagem sobre Berger que andando muito bem, e com grande vantagem para Mansell. Enquanto isso Alboreto tomava 1 volta sobre Senna, Sem ritmo de corrida e sendo vitima muito fácil de Piquet e Boutsen. Mas Boutsen estava com o seu motor parecendo apitar, fumaçando consideravelmente. Classificação após 37 Voltas: 1. Senna (a 52:52.228), 2. Berger (a 18.109), 3. Mansell (a 1:00.384), 4. Nannini (a 1:07.293), 5. Gugelmin (a 1:11.779), 6. Alboreto (a 1:23.715).

Mansell na volta 38 faria 1:24.072 a melhor volta da corrida – Média de 204.602 km/h – 127.134 Mph. Já estávamos chegando no terço final de corrida. Boutsen confirmou os sinais de motor fumando e deixou a corrida. A chuva começava a voltar na pista, E a expectativa mesmo com a chuva voltando poderia rolar uma parada nos boxes isso faria os boxes trabalharem nessa parte final, Mas a dúvida era colocar um pneu de pista seca ou de chuva?

Piquet conseguiu a ultrapassagem em cima de Alboreto e assumia a 6ªposição mesmo com as dificuldades da sua Lotus. Enquanto isso Nakajima e Warwick brigavam por lugares entre os 10 primeiros colocados. Berger tinha 32 segundos sobre Mansell , Só que Mansell começava a tirar muita vantagem sobre o Austriaco Gerhard Berger que estava tomando 3 segundos por volta de Mansell, e com isso a diferença caiu para 29 segundos restando 20 voltas para o final da corrida.

Berger começava a virar lento enquanto isso Mansell virava 1:23.815 na volta 44 estabelecendo a melhor volta da corrida passando dos 205 km/h (Média 205.230 Km/h – 127.524 mph) a diferença caia muito enquanto Senna estava jpa poupando o carro virando a 1:25, enquanto Mansell virava 1:24 e Berger 1:30.

A Ferrari estava se armando para os boxes quando Mansell baixava sua melhor volta para 1:23.736 (205.423 km/h – 127.644 Mph) e a vantagem sobre o Berger despencava muito mesmo. Os tempos de todos os pilotos iriam baixando, menos Berger que iria perdendo rendimento, Alboreto tenta uma cartada, ir para os boxes e voltar com os pneus de pista seca numa pista ainda em tese bastante molhada.

Berger tinha 8 segundos sobre Mansell, Em 10 voltas Berger perdeu mais ou menos 30 segundos de diferença. Senna era pressionado por Piquet que queria recuperar a volta sobre o Brasileiro na Mclaren e ao seu rival.

Berger era mais lento que a Osella de Nicola Larini e Mansell com 1:23.308 baixava a melhor volta da corrida 1:23.308 – Média de 206.479 Km/h – 128.300 Mph. Era questão de tempo para Mansell tomar o segundo lugar numa temporada em que o Leão estava sem se quer marcar pontos.

Na Volta 50 Mansell foi para cima de Berger foi bem para o lado quase indo para a grama e assumindo o 2ºlugar e já abrindo sobre Berger que agora precisa se preocupar com Nannini e Gugelmin que estavam perto para lutar por posições. Alboreto que tinha arriscado um pneu de chuva, Mas se deu muito mal pois a chuva voltou forte na corrida.

Classificação após 50 voltas completadas:
1. Senna (1:11.10,793), 2. Mansell (a 1:03.415), 3. Berger (a 1:05.728), 4. Nannini (a 1:11.798), 5. Gugelmin (a 1:16.265), 6. Piquet (a 1 Volta).

Senna tinha 1 minuto sobre Mansell, era só administrar que mesmo Mansell sendo o mais rápido da pista Senna tinha uma enorme distância para administrar nas voltas finais, já para Berger era enorme o sofrimento, ele perdia o 3ºlugar para Nannini, e com o desempenho pífio de Berger na parte final de prova ele poderia ficar bem para trás, E logo iria Gugelmin Chegar em Berger e a ultrapassagem era inevitável. Alboreto voltava para os boxes para colocar de novo os pneus de pista molhada. A ultrapassagem aconteceu na volta seguinte na volta 54 e Gugelmin estava em 4ºlugar, Berger era mais lento que todos os pilotos na pista. Senna permite a ultrapassagem de Piquet para recuperar a volta e logo Piquet iria passar a Berger, não tinha nada mais a fazer a Berger se não rezar para o carro melhorar, Mas os problemas são além dos pneus, Era problemas no motor do seu carro.

Senna começava a andar bem lento em 1:29. Mas assim mesmo Senna poderia virar esse tempo e levar a Mclaren a 8ªvitória seguida. Classificação após 55 voltas: 1. Senna (1:18.23.417), 2. Mansell (a 55.926), 3. Nannini (a 1:08.335), 4. Gugelmin (a 1:15.941), 5. Berger (a 1:23.027), 6. Piquet (a 1:26.182).

A voltas do final Piquet conseguiu a ultrapassagem sobre Berger que estava se arrastando na pista com a sua Ferrari, Mansell tentava de tudo para chegar em Senna, Mas mesmo assim nem era pelo forte desempenho do Leão, Mas pela enorme vantagem de Senna é que o Inglês não poderia fazer muita coisa a não ser ficar numa formidável 2ªposição com a Williams-Judd.

Classificação após 59 Voltas: 1. Senna (1:24.16.046), 2. Mansell (a 48.611), 3. Nannini (a 1:02.371), 4. Gugelmin (a 1:12.447), 5. Piquet (a 1:24.742), 6. Berger (a 1:26.490).

Senna ainda teve um susto no final da corrida, Era a briga pelo ponto final da corrida em que Berger, Warwick, Cheever e Patrese estavam disputando a posição e que acabou Warwick ganhando o último ponto e Berger acabou bem lento em 9ºlugar tomando passagem de Cheever e de Patrese. Enquanto Senna comemorava a sua 4ªvitória na temporada e se igualava as 4 vitórias de Prost no campeonato, Ficava 54 para Prost e 48 de Senna, Mansell depois de 3 vitórias seguidas na Inglaterra (Brands Hatch em 1985 e 1986 e Silverstone em 1987 conquistaria um resultado acima das expectativas pelo equipamento que ele tinha, com o 2ºlugar fez a festa da torcida, Corrida que marcou por uma corrida de chuva depois de quase 3 anos sem nenhuma chuva se quer, O primeiro pódio do Jovem Alessandro Nannini na formula 1 e os primeiros pontos da carreira de Mauricio Gugelmin, Piquet e Warwick completaram a zona de pontuação.

Resultado Final do GP da Inglaterra de 1988

Fotos:

 

View post on imgur.com

Fonte das Fotos: Bestlap, Formel1mic

Texto: Deivison da Conceição da Silva

Patrocínio:
planatina_projeto_gif

Corridas Históricas: GP dos Estados Unidos de 1988

Grid de Largada:

1 Ayrton Senna (McLaren/Honda) 1’40.606
2 Gerhard Berger (Ferrari) 1’41.464
3 Michele Alboreto (Ferrari) 1’41.700
4 Alain Prost (McLaren/Honda) 1’42.019
5 Thierry Boutsen (Benetton/Ford) 1’42.690
6 Nigel Mansell (Williams/Judd) 1’42.897
7 Alessandro Nannini (Benetton/Ford) 1’43.117
8 Nelson Piquet (Lotus/Honda) 1’43.314
9 Derek Warwick (Arrows/Megatron) 1’43.799
10 Riccardo Patrese (Williams/Judd) 1’43.810
11 Philippe Streiff (AGS/Ford) 1’44.204
12 Andrea de Cesaris (Rial/Ford) 1’44.216
13 Mauricio Gugelmin (March/Judd) 1’44.474
14 Philippe Alliot (Lola/Ford) 1’44.590
15 Eddie Cheever (Arrows/Megatron) 1’44.948
16 Pierluigi Martini (Minardi/Ford) 1’45.048
17 Jonathan Palmer (Tyrrell/Ford) 1’45.268
18 Stefan Johansson (Ligier/Judd) 1’45.275
19 Stefano Modena (Euro Brun/Ford) 1’45.304
20 René Arnoux (Ligier/Judd) 1’45.437
21 Alex Caffi (Dallara/Ford) 1’45.750
22 Julian Bailey (Tyrrell/Ford) 1’46.286
23 Oscar Larrauri (Euro Brun/Ford) 1’46.390
24 Yannick Dalmas (Lola/Ford) 1’46.422
25 Luis Perez-Sala (Minardi/Ford) 1’46.593
26 Nicola Larini (Osella) 1’46.623

Não Classificou:

27 Satoru Nakajima (Lotus/Honda) 1’47.243
28 Bernd Schneider (Zakspeed) 1’48.249
29 Piercarlo Ghinzani (Zakspeed) 1’48.925
30 Gabriele Tarquini (Coloni/Ford) 1’47.312
31 Ivan Capelli (March/Judd) 1’45.544

Senna Conquista 3ªVitória consecutiva nas Ruas de Detroit

A 6ªEtapa do Mundial de 1988 seria no sol quente dos Estados Unidos, nas Ruas de Detroit, num belíssimo cenário, perto do Rio Michigan, Definitivamente não era uma pista muito boa para Capelli que sofreu um acidente forte e não pode correr, apesar de que tinha sobras para estar no Grid de largada. Incrivelmente Satoru Nakajima não largou para essa corrida com a Lotus-Honda.

Senna mais uma vez na pole, tendo ao seu lado Gerhard Berger com a Ferrari, depois na Segunda fila Alboreto com a Outra Ferrari e Prost com o Maravilhoso Mclaren MP4/4 projetado por Gordon Murray que estava até naquele momento invicto com 5 Vitórias na Temporada, 3 de Prost (Brasil, Mônaco e México) e 2 de Senna (San Marino e Canadá). Na largada Berger largou bem, mas Senna segura a ponta, Prost é que não largou bem, Boutsen passou para o 4ºlugar, ultrapassando nas Primeiras curvas. nas primeiras curvas Berger estava perto de Senna, Logo depois da primeira volta Prost voltava a ser o 4ºLugar, usando a Força do Motor Turbo da Honda contra o Ford DFR aspirado da Benetton. Jonathan Palmer logo na Segunda volta teve de ir aos Boxes complicando a corrida desde já. Prost estava agora na 3ªVolta perseguindo as Ferraris de Alboreto e Berger. As Benetton de Boutsen e de Nannini ocupavam 5ª e 6ª posições.

Nas primeiras voltas Senna abria uma importante vantagem para Berger e Alboreto que começavam a Sofrer pressão de Alain Prost, na briga pelo 2ºlugar. Prost sabia que deveria se livrar logo das Duas Ferraris, pois quanto mais tempo atrás delas, mas Senna iria se distanciar devido ao maior desempenho das Mclaren MP4/4. No Final da 5ªVolta Prost passava Alboreto e assumia a 3ªPosição. Agora Prost iria à caça de Berger. A Classificação após 5 Voltas era a Seguinte: Senna (8:52.932), Berger (a 3.878), Prost (a 5.449), Alboreto (a 5.989), Boutsen (a 6.838), Nannini (a 10.789).

Prost iria ao Ataque pra cima de Berger, Mais Berger perde rendimento e Prost passa a 2ªPosição, Berger sofre pressão de Alboreto e de Boutsen. E que logo Berger mostra problemas em seu carro e abandonava a corrida com problemas de Pneu. Alboreto sofria pressão de Boutsen que mostrava um desempenho melhor dos motores aspirados nesse tipo de Pista. Na 8ªVolta Boutsen passa Alboreto e assume a 3ªPosição. Nannini logo estava atrás de Alboreto em 5ºe Nigel Mansell em 6º. Nicola Larini com a patética Osella abandonaria a corrida, a pista era curta, por isso as bandeiras amarelas eram agitadas quando tinha perigo na pista ou alguém parado na pista. Nannini na Volta 9 Forçou ultrapassagem em cima de Alboreto que acabou rodando e perdendo muito tempo, Nannini assumia a 4ªPosição. Mansell e Patrese completavam os 6 primeiros, depois Warwick e De Cesaris em 7º e 8º lugares. Alboreto voltou uma volta atrás de Senna que era o Líder da corrida.

Depois de 10 Voltas a Classificação era a Seguinte: 12 Senna (17:40.307), 11 Prost (a 6.135), 20 Boutsen (a 17.038), 19 Nannini (a 22.291), 5 Mansell (23.259), 6. Patrese (28.284). Na 11ªVolta Senna passava já os primeiros retardatários e já tinha distância bastante confortável pra cima de Prost, tirando os Mclarens, do 3º ao 6º todos com motores Aspirados os Benettons de Ford DFR e os Williams de Judd CV V8. Mauricio Gugelmin era a única March na Corrida era o 11ºColocado, logo Atrás tinha Rene Arnoux, Pierluigi Martini, Alex Caffi em 12º, 13º e 14º respectivamente.

O Forte calor começava a fazer de vitimas os pilotos da Frente, Eddie Cheever da Arrows abandonava a corrida com problemas elétricos, na Mesma volta 15, Alessandro Nannini teve que ir aos boxes e abandonou a corrida com seu motor Ford Quebrado e abandonava a corrida quando estava em 4ºlugar. Na Volta Seguinte Phillipe Streiff que estava nos primeiros lugares perto da zona de pontuação também abandonava a corrida. Depois de 15 Voltas a Classificação era essa: Senna (26:35.398), Prost (8.158), Boutsen (18.032), Mansell (28.332), Patrese (36.037) e De Cesaris (1:01.039). Depois Warwick em 7º, Piquet em 8º, Gugelmin em 9º. Mas Gugelmin passou Piquet e assumiu a 8ªPosição, Piquet acabou perdendo rendimento e perdeu posições para Martini e Caffi e caindo para a 11ªposição. Enquanto isso Senna continuava liderando a corrida com tranquilidade e sem ser ameaçado com quase 6 segundos na frente de Prost que estava quase 15 segundos na frente de Boutsen. Na 18ªVolta Mansell abandonaria a corrida com problemas de motor. Deixando Gugelmin já nos pontos, Já que Warwick foi para os boxes 2 voltas anteriores. 1/3 de corrida e 19 pilotos estavam na corrida, a expectativa era de que poucos carros viriam a bandeira de Chegada nessa corrida. Na volta 21 Senna já dava volta em cima do 9ºlugar que era Nelson Piquet com a Lotus-Honda. Logo a Frente tinha Martini em 7º e Caffi em 8º.

Passadas 20 Voltas a Classificação era essa: Senna (35:28.711), Prost (a 9.641), Boutsen (a 26.056), Patrese (a 52.727), de Cesaris (a 1:23.612) e Gugelmin (a 1:43.560) o Posicionamento dos primeiros colocados estavam com espaços muito grandes um do outro, nenhum deles muito perto do outro. Na Volta 22 Senna daria volta em Mauricio Gugelmin, o 6ºcolocado da corrida, era incrível a superioridade da Mclaren em cima dos outros carros. Senna estava com 8 Segundos a frente de Prost e com uma vantagem, Prost teria que encarar como retardatários como Caffi, Martini e Gugelmin. e Senna tinha pista livre pela frente. Na Volta 23 a classificação era a seguinte: Senna, Prost, Boutsen, Patrese, De Cesaris, Gugelmin, Martini, Caffi, Piquet e Arnoux nas 10 primeiras posições.

Na Volta 24 Warwick estava lento e abandonando a corrida. Enquanto isso Senna e Prost estavam brigando volta a volta, Senna faz a ultrapassagem em cima de De Cesaris com a Rial-Ford DFZ, Piquet parava para os boxes e ficava mais atrás na corrida. Gugelmin estava em 6º, mas Martini perseguia de forma feroz para buscar o lugar nos pontos. Carro de Gugelmin estava sem a tampa do motor para que o motor não superaquecesse, Patrese abandonaria a corrida na volta 28, Piquet na mesma volta roda e também abandonaria a corrida. Na volta 28 a Classificação era a Seguinte: Senna, Prost, Boutsen, De Cesaris, Gugelmin e Martini. Na Mesma Volta do líder. Oscar Larrauri com a Nanica Eurobrun abandonou a corrida com problemas de Câmbio. Chegando na metade da corrida dos 26 que largavam, somente 15 pilotos estavam na corrida. Isso tudo com 29 Voltas completadas. Senna estava mantendo a vantagem de 10 segundos em cima de Prost, tinha hora que Prost conseguia baixar a diferença e hora que era um pouco maior a vantagem do Ayrton, Boutsen em 3ºEsperava que algo acontecesse, um dos Mclaren tivessem problemas ou as duas Mclaren tivessem problemas pois carro ele não tinha.

Depois de 30 Voltas a Classificação da Corrida era essa: Senna (53:17.198), Prost (12.6), Boutsen (1:00.625), De Cesaris (1 Volta), Gugelmin (1 Volta), Martini (1 Volta), Caffi (1 Volta). Michele Alboreto continuava na corrida também, mas estava longe dos primeiros lugares, e teria que remar para terminar nos pontos, Jonathan Palmer rodou em posição perigosa na Volta 32, mas voltou para a pista.

Warwick que voltava a corrida depois de um tempo parado na corrida Bateu e abandonou definitivamente a corrida. Senna passava o último colocado da corrida Stefano Modena com a outra Eurobrun. Senna estava dando 3 voltas em Modena. Após 35 Voltas a classificação era: Senna, Prost, Boutsen, De Cesaris, Gugelmin e Martini, com Caffi, Arnoux, Dalmas, e Alboreto completando as 10 primeiras posições. Na Volta seguinte Gugelmin teve problemas com o seu motor Judd e abandona a corrida. a Mclaren perigava a parada de pits para Senna ou Prost. Na Volta 37 Prost sinalizou para que fosse ele a parar nos boxes.

Depois de 36 Voltas a Classificação era essa: Senna (1:03.36.113), Prost (17.406), Boutsen (1:31.705), de Cesaris (1 Volta), Martini (1 Volta), Caffi (1 Volta), Arnoux (1 Volta), Gugelmin (2 Voltas), Dalmas (2 Voltas), Alboreto (2 Voltas), Palmer (2 Voltas), Bailey (2 Voltas), Sala (2 Voltas), Alliot (2 Voltas), Modena (3 Voltas), a Melhor Volta da Corrida era de Alain Prost com 1:44.836 na volta 4.

Tanto Senna, tanto Prost estavam com os pneus em péssimo estado, Prost com 21 segundos atrás de Senna para ele só restava a parada para a troca de pneus para ver se mudava alguma coisa na corrida. Impressionante Recuperação de Alboreto que assumiu até aquele momento a 8ªposição depois de rodar nas primeiras voltas da corrida. Caffi e Arnoux Brigavam pelo 6ºlugar na corrida, para os dois era a chance de pontuar na temporada, e que poderia ser a única no ano. Prost foi para a troca de pneus, mas a troca foi demorada e fez o Francês perder muito tempo, mas volta ainda na 2ªposição devido a enorme vantagem de Prost para Boutsen.

Na Volta 40 Senna foi para os Boxes para a sua parada, e a Mclaren fez uma boa troca, 10,71 segundos. Uma parada que sem duvida colocava Senna na Frente com mais vantagem para Prost. a Classificação em 40 Voltas era essa: Senna (1:13:11.821), Prost(a 31.920), Boutsen (a 1:28.871), De Cesaris (1 Volta), Martini (1 Volta), Caffi (2 Voltas), Arnoux (2 Voltas) e Alboreto (2 Voltas).

Nas Voltas Seguintes Prost não estava virando bem na corrida, enquanto isso Senna rodava bem e só aumentava a vantagem para Prost. Naquele momento só se Senna tivesse problemas ou Batesse para Prost almejar a vitória, pois a diferença já estava chegando aos 40 segundos. no Terço final de corrida entre os 4 primeiros colocados, não havia emoção nenhuma Senna, Prost, Boutsen e De Cesaris estavam garantidos nas suas posições. a Briga lá atrás pelos 2 últimos lugares dos pontos estava acirrada A Classificação após 45 Voltas: Senna, Prost, Boutsen, De Cesaris, Martini, Caffi, Arnoux, Alboreto, Palmer.

Na volta 45 Alboreto depois de se recuperar na corrida e de chegar perto, abandonou a corrida depois de Sofrer um acidente, Na Mesma volta Rene Arnoux com a Sua Ligier-Judd abandonava a corrida após excelente corrida com um equipamento tão ineficiente. No Momento em que Senna na Volta 49 Chegava aos 40 segundos de vantagem para Prost. Se Senna estava virando 1:50 e Prost 1:52 a 1:53, os outros mais lentos estavam entre 1:54, 1:55 e 1:56. Alliot com sua Lola-Ford também abandona a corrida. Outro que deixou a corrida foi Modena da Eurobrun que rodou. Restando menos de 15 voltas para o Final da corrida seria até piada dizer que 26 largaram, só tinha 11 carros na prova. e Prost estava aparentando problemas em seu motor, será que teria problemas, será que ele abandonaria a corrida e deixaria Senna encostar nele na classificação do campeonato. já que Prost estava com 39 e Senna com 24 pontos. a Classificação após 52 Voltas Era: Senna, Prost, Boutsen, De Cesaris, Martini, Palmer, Caffi e Dalmas. Palmer que depois de Rodar e de ir aos boxes no começo da corrida estava nos pontos, impressionante também a recuperação do piloto da Tyrrell-Ford. Na Volta 54 Palmer passa Martini e assume a 5ªPosição deixando Martini em 6º. Caffi roda, mas consegue voltar a corrida.

Restando apenas 9 voltas na corrida Senna virava 1:53 e Prost 1:55. não parecia só problemas no carro ou nos pneus, já poderia ser mais problemas do excessivo calor que estava fazendo em Detroit. chegava a ser até desumano eles correrem nessa pista. Com 54 Voltas: Senna (1:37.10.176), Prost (a 52.255), Boutsen (1 Volta), De Cesaris (1 Volta), Palmer (2 Voltas), Martini (2 Voltas), Dalmas (2 Voltas), Caffi (2 Voltas), Bailey (3 Voltas), Sala (3 Voltas) a Melhor volta era ainda de Alain Prost que na 4ºVolta fez um tempo em 1:44.836, na Volta 56 1:55 a 1:57. Mostrando que o calor estava afetando os pilotos, De Cesaris fez 1:51 e era o melhor de todos, mas a 7 Segundos do tempo de Prost. Sala com o Câmbio Quebrado abandona a corrida e dessa forma só tinha 9 Carros na corrida. de 26 pilotos. Caffi estava lento na pista. Poderia parar a qualquer momento. Após 58 Voltas Senna tinha 1 minuto na Frente de Prost, um enorme domínio do Brasileiro que quando o desgaste foi maior Senna abriu cada vez mais a vantagem, nas últimas voltas da corrida Senna reduziu drasticamente seu rendimento na corrida, só administrando e sem querer correr risco nenhum de perder os 9 pontos, e Comemorar a 3ªVitória no ano de 88. e encostar em Prost no campeonato. Na Volta Final Julian Bailey bateu e abandonou a corrida, mas ele foi computado com se tivesse terminado a corrida. O Mesmo pódio do Canadá foi estabelecido em Detroit: Senna, Prost e Boutsen. De Cesaris da Rial-Ford conquistava os primeiros pontos da história do Time Alemão, Palmer com o Tyrrell fazia mais 2 pontos para a equipe de Ken Tyrrell e Martini levava a Minardi ao seu primeiro ponto da sua história da Formula 1. Em Detroit foi marcado o domínio de Senna, mas essa corrida seria a última em Detroit, pois em 89 o GP dos Estados Unidos seria em Pheonix. Pois 9 pilotos terminarem a corrida e provavelmente todos com condições físicas lamentáveis.

GP dos Estados Unidos de 1988 – Resultado Final

Fotos:

 

View post on imgur.com

Fonte das Fotos: Bestlap, Formel1mic

Texto: Deivison da Conceição da Silva

Patrocínio:
planatina_projeto_gif

Especial – Midland

Midland F1 Racing

GPs Disputados: 36
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 0
Melhor Grid de largada: 14ºlugar com Crhistjian Albers no GP dos Estados Unidos
Melhor Resultado de Corrida: 9ºlugar com Tiago Monteiro no GP da Hungria
Voltas Completadas: 1.729 voltas completadas
Dono da Equipe: Alex Schneider
Projetista: Mike Gayscoyne
Motor: Toyota RVX-06

Como foi a temporada de 2006 da Midland

Após 15 anos de sucessos e de vários momentos importantes a Jordan deixava o circo da Formula para a entrada da Midland que adquiriu a Jordan através do empresário Russo Alex Schneider. A Midland para 2005 ainda correu com o nome de Jordan, mas o time já estava comandada por Alex Schneider que para 2006 manteve os motores Toyota, Manteve Tiago Monteiro que fez bela temporada com a Jordan em 2005 inclusive com o pódio naquela corrida da Vergonha nos Estados Unidos. Ainda a Jordan teria o 4ºlugar de Narain Karthikeyan na mesma corrida da Vergonha e um 8ºlugar na Corrida da Bélgica sob Chuva com o Português Tiago Monteiro fechando o ano com 12 pontos e terminando em 9ºlugar na classificação do mundial de construtores.

Para 2006 a Jordan contrata para o lugar de Narain Karthikeyan o Holandês Christjian Albers, Trás Mike Gayscoyne, Projetista que teve experiência nas equipes Tyrrell, Jordan, Renault e Toyota. O time tinha o orçamento de 80 milhões de Dólares aproximadamente.
Desde da corrida de Estreia a Midland mostrava esta na frente somente da Super Aguri que faria sua estreia na Formula 1 com uma estrutura bem mais desarrumada que a Midland que teria de lutar com a Toro Rosso (Ex-Minardi) por posições para estar no Q2.

No Bahrein a Midland não passou do Q1 nos treinos e na corrida Apenas Tiago Monteiro terminou a corrida em um Desanimador 17ºlugar a duas voltas do Vencedor da Corrida o Espanhol Fernando Alonso, Na Semana seguinte na Malásia a Midland largou em posições melhores do que no Barhein, Mas se explica isso por causa de punições a vários pilotos que frequentam as posições da Frente, Na Corrida ambos os carros terminaram a corrida Mas bem longe da Zona de Pontuação, Albers ficou em 12ºlugar e Monteiro ficou em 13º com 2 voltas atrás do Vencedor da corrida.

Na Austrália numa corrida confusa demais e cheia de acidentes Albers fez um trabalho razoavelmente bom e levou seu carro ao final completando a prova em 10ºlugar enquanto Monteiro teria problemas mecânicos na volta 39 e abandonou a prova. Mas o que marca a Midland no começo da temporada foi em San Marino, dia 23 de Abril quando o Christijan Albers teve seu carro atingido pelo Patético piloto Yuji Ide fazendo sua Midland capotar na primeira volta logo após a corrida ter tido a sua largada. Com isso Ide saiu da Formula 1 com esse incidente, Monteiro acabou em 16º e último lugar nessa corrida, Longe da Toro Rosso.

Na Europa a Midland tem uma classificação de Grid razoável com Albers em 16º e Monteiro em 18º, Na Corrida apesar de completarem nas últimas posições com Monteiro em 12º e Albers em 13º Ambos tomaram apenas uma volta para o Vencedor da prova mostrando alguma evolução da equipe Russa, Mas na Espanha não foi tão bom assim, a Midland largou na 9ªfila com Monteiro na Frente de Albers, Mas na prova Albers teve seu aerofólio com problemas e Monteiro chegou em 16º a 3 Voltas de Alonso que foi o vencedor da corrida.

Mas viria Mônaco a seguir, prova onde as surpresas aparecem sempre, Para a Midland não foi muita coisa que aconteceu, Mas Albers teve uma boa prova chegando em um honroso 12ºlugar, Já Monteiro ficou em 15º, Não foi fantástico, Mas pelo menos melhor do que muita corrida que a Midland disputou, Na Inglaterra a Midland consegui uma pequena melhora, no Grid Monteiro em 16º e Albers em 18º, Já na corrida Albers superou Monteiro e chegou em 15º a 1 Volta do Vencedor e Monteiro ficou em 16º a 2 Voltas do vencedor, Ambos terminaram a corrida na Frente da Super Aguri. Outra corrida que poderia ser boa para a Midland era o Canadá que marcava a metade do campeonato, só que a corrida não foi boa, Albers bateu na primeira volta e Monteiro acabou em 14º a 4 Voltas do Vencedor.

Nos Estados Unidos na 10ªEtapa do mundial a Midland parecia que iria começar uma Virada, nos Treinos ela conseguiu o melhor grid do ano até aquele Momento, Christijan Albers largaria na 7ªFila em 14º e Monteiro largaria em 15º, A Expectativa era de fazer a Melhor corrida do Ano, Mas nada disso aconteceu. Monteiro acabou sofrendo um acidente na 9ªVolta e com isso abandonando a corrida e Christijan Albers acabou abandonando na volta 37 com problemas de Transmissão e o pior disso é que a Midland viu a Toro Rosso pontuar pela primeira vez na temporada e com isso assumindo de vez o 9ºlugar nos construtores e dessa Forma a Midland teria que ir atrás de fazer pelo menos 1 ponto para igualar essa disputa mas sabendo que seria difícil.

Nos Treinos Albers consegue largar em 15ºlugar, Mas acaba na mesma posição a 2 voltas do Vencedor, longe de marcar algum ponto, Monteiro teve problemas mecânicos. Mas é na Alemanha que a Midland teria seu pior momento no ano. Na prova os seus dois pilotos completaram a corrida, Mas foram desclassificados da prova por usarem Asas Flexíveis o que era proibido pelo regulamento da FIA em 2006.

Após 12 corridas a Midland continuava zerada nos pontos, Mas na Hungria a Midland conseguiu um respeitável 16ºlugar no Grid com Tiago Monteiro, A Corrida foi sobre Chuva e com vários incidentes que tiraram da prova pilotos como Alonso, Raikkonen, Fisichella. A Midland completou com os dois carros a prova com Monteiro em 10º e Albers em 11º, Mas com a Desclassificação de Kubica ambos pularam uma posição e dessa Forma Monteiro completou a corrida em 9º a uma posição de marcar pontos e Albers ficou em 10º fazendo com que os Midland completassem a corrida nas 10 primeiras posições, Mas a Busca para marcar algum ponto continuava assim mesmo já que ainda buscavam a Toro Rosso na luta pelo 9ºlugar nos mundial de construtores.

No GP da Turquia a Midland não completou a prova com nenhum dos dois pilotos, Albers e Monteiro tiveram acidentes que obrigaram ambos a deixarem a corrida. Mas foi nessa corrida em que a equipe foi vendida para a Spyder que era uma marca de Carros Holandesa Com isso a Midland teria seu final de trajetória marcado para o GP de Interlagos. A equipe nas ultimas corridas iria se chamar Spyker MF1 Racing.

No final da temporada a Midland pouco pode fazer e pior ainda ela começava a ser superada pela equipe Super Aguri que estava com um novo carro e com isso a Midland começou a ficar na rabeira definitivamente, Na Itália Albers chegou em 17º e atrás de Takuma Sato com a Super Aguri, Na China Albers conseguiu somente o 15ºlugar no final da corrida e acabou chegando na frente de Yamamoto com a Super Aguri.

No Japão Albers teve problemas mecânicos e Monteiro ficou em 16º e atrás de Takuma Sato com a Super Aguri, Já na corrida final em 2006 a Midland se despediu da Formula 1 como começou, Muda, calada e sem resultados expressivos, Albers Terminou em 14º e Monteiro em 15º. Dessa maneira acabava a história da Midland que pouco acrescentou na história da Formula 1, em 36 corridas o time terminava sua história com 0 ponto e com a Certeza de que não fará falta nenhuma para a Formula 1.

Estatísticas de Cada piloto da Midland em 2006:

Christjian Albers
País: Holanda
Equipe: Midland
Gps: 18
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 0
Voltas Completadas : 846

Tiago Monteiro
País: Portugal
Equipe: Midland
Gps: 18
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 0
Voltas Completadas : 883

Equipe em 2006:

Gps: 36
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 0
Motor: Toyota
Corridas completadas: 23
Pneus: Bridgestone
Número de voltas : 1739

Fotos:

Fotos Pré-Temporada:

 

View post on imgur.com


Fotos da Temporada da Midland:  

View post on imgur.com

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Olivier F1/Midland

Corridas Histórica: GP da Bélgica de 1987

Grid de Largada:

1 Nigel Mansell (Williams/Honda) 1’52.026
2 Nelson Piquet (Williams/Honda) 1’53.416
3 Ayrton Senna (Lotus/Honda) 1’53.426
4 Gerhard Berger (Ferrari) 1’53.451
5 Michele Alboreto (Ferrari) 1’53.511
6 Alain Prost (McLaren/TAG) 1’54.186
7 Thierry Boutsen (Benetton/Ford) 1’54.300
8 Riccardo Patrese (Brabham/BMW) 1’55.064
9 Teo Fabi (Benetton/Ford) 1’55.339
10 Stefan Johansson (McLaren/TAG) 1’55.781
11 Eddie Cheever (Arrows/Megatron) 1’55.899
12 Derek Warwick (Arrows/Megatron) 1’56.359
13 Andrea de Cesaris (Brabham/BMW) 1’57.101
14 Alessandro Nannini (Minardi/Motori Moderni) 1’58.132
15 Satoru Nakajima (Lotus/Honda) 1’58.649
16 René Arnoux (Ligier/Megatron) 1’59.117
17 Piercarlo Ghinzani (Ligier/Megatron) 1’59.291
18 Martin Brundle (Zakspeed) 2’00.433
19 Adrián Campos (Minardi/Motori Moderni) 2’00.763
20 Christian Danner (Zakspeed) 2’01.072
21 Ivan Capelli (March/Ford) 2’02.036
22 Philippe Alliot (Lola/Ford) 2’02.347
23 Philippe Streiff (Tyrrell/Ford) 2’03.098
24 Jonathan Palmer (Tyrrell/Ford) 2’04.677
25 Pascal Fabre (AGS/Ford) 2’07.361
26 Alex Caffi (Osella/Alfa Romeo) 2’12.086

Prost leva GP da Bélgica e se iguala a Jackie Stewart com 27 vitórias na carreira

Alain Prost, o Professor realizou mais um feito em sua carreira na formula 1, se igualou a Jackie Stewart, com 27 vitórias na Categoria com a vitória no GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps.

Após chuva durante os Treinos, A pole era de Mansell, com Piquet ao lado dele. Depois Senna e Berger na segunda fila e Alboreto e Prost na terceira Fila. Antes de alinhar para o Grid de largada, Capelli acabou tendo problemas em seu carro e teve que voltar aos boxes para Buscar o carro reserva. Depois da Volta de Apresentação os carros foram para a Largada.

Na largada quem foi melhor foi Mansell que se manteve na ponta, mas foi Senna que ganhou mais na Largada, ganhando a posição de Nelson Piquet e assumindo o 2ºlugar. Piquet no começo da corrida estava pressionado pelas duas Ferraris de Berger e de Alboreto, Arnoux não consegue largar. Os pilotos completaram a primeira volta, mas a confusão começou a partir que Berger parou no final da primeira volta, Boutsen acabou se chocando com o Austríaco da Ferrari, Mas o mais grave para o Desespero de Ken Tyrrell, Philippe Streiff e Jonathan Palmer acabaram se envolvendo em um acidente em que deu perda total para um dos carros e o outro teve muitos Danos. Resultado disso, Bandeira vermelha, a corrida iria começar de novo.

Na Relargada é Senna que pula na ponta da corrida numa largada brilhante de Senna com Mansell em Segundo, Berger em 3º e Piquet em 4º que acabou recuperando a 3ªPosição antes da Segunda Curva. Logo na parte de curvas na primeira volta Mansell tentou passar Senna só que Mansell mais uma vez avaliou errado uma ultrapassagem, Resultado: tanto Senna, tanto Mansell saíram da pista, Senna abandonou a corrida e Mansell voltou a corrida, mas muito longe dos lideres e em último lugar naquele momento da corrida. O Líder era o Piquet a partir da Segunda volta da corrida com Berger em 2º e Prost em 3º.

Berger no final da Segunda volta teve o seu motor Ferrari Turbo estourado. Classificação após 2 voltas: Piquet, Alboreto, Prost, Boutsen, Fabi e Patrese.

Alboreto iria começar a sentir a pressão de Alain Prost. Seria um alivio para Piquet que poderia ter duas opções, ou abrir vantagem para Alboreto ou segurar para poupar seu carro. Alboreto tenta seguir

Johansson fez uma grande ultrapassagem em cima de Teo Fabi e assumiu o 5ºluigar. Mansell era só o 18ºlugar.

Patrese acabou fora da corrida. Enquanto isso Alboreto estava segurando é muito bem as ameaças de Prost pelo Segundo lugar. Isso tudo tendo 8 voltas Classificação após 8 Voltas: Piquet, Alboreto, Prost, Fabi, Johansson, Boutsen.

Prost acabou tentando passar Alboreto, tentou a ultrapassagem, mas isso não foi o Suficiente para conseguir a ultrapassagem, Na volta seguinte teríamos uma demonstração da sorte de Alain Prost tinha na corrida. Alboreto Quebra e abandona a corrida, e segundos depois Piquet também teve problemas com o escapamento e Prost assumia a ponta da corrida. Com Fabi em Segundo e Johansson em 3º.

Depois de muito tempo Piquet foi para os Boxes, Mansell vinha junto para a parada de box, Piquet parou numa posição diferente do Mansell, o problema dele é mais sério. Com tudo isso em 11 Voltas tínhamos 15 carros na corrida apenas. Campos, Senna, Palmer, Nannini, Berger, Patrese, Warwick, Danner, Alboreto, Caffi estavam fora da corrida e Piquet praticamente fora da corrida. (Chegou a volta a prova, mas ficou mais uma volta na corrida e depois abandonou de vez).

Classificação após 13 Voltas: Prost, Fabi, Johansson e Boutsen eram os 4 primeiros colocados na corrida, Mclaren e Benetton dominando a corrida, Depois disso De Cesaris em 5º e Cheever em 6º.

Prost ira apertando o da direita para tentar abrir vantagem para fazer a parada e voltar ainda em primeiro lugar. Enquanto isso a March de Ivan Capelli com problemas de motor deixa a corrida. Isso com 16 voltas completadas E Fabi e Johansson Brigavam pelo 2ºlugar, e Johansson passou e assumiu a segunda posição. Começando a desenhar a Dobradinha da Mclaren, Prost em 1º e Johansson em 2º.

Classificação após 16 Voltas: Prost, Johansson, Fabi, Boutsen, De Cesaris e Chevver. Os seis primeiros colocados. Mas na volta seguinte Boutsen acabou tendo problemas em seu carro e abandonando a corrida. Prost na volta 18 iria para a sua parada, Prost acabou ainda assim voltando na frente de Johansson, e depois disso com Fabi em 3ºlugar. Um Ótimo trabalho da Mclaren nos boxes.

Com 19 Voltas completadas. Só tínhamos 13 carros na corrida, com um pouco menos da metade da corrida. 12 com o Abandono de Nigel Mansell. Caffi que estava a voltas e voltas dos lideres finalmente parou.

Johansson faz sua parada de boxes, Fabi reassume o segundo lugar, Johansson em 3º. Brundle foi mais um a abandonar com seu motor Zakspeed (Motorzinho Ruim esse hein) , e dai, só tínhamos 11 carros na corrida, com 21 voltas completadas.

Classificação: Prost, Fabi, Johansson , De Cesaris, Chevver, Arnoux, Ghinzani, Nakajima, Alliot, Streiff e Fabre. E só isso, exatamente 11 pilotos na corrida.

Os pilotos aos poucos faziam suas paradas nos boxes e as posições estavam sendo aos poucos moldadas, pois poucas disputas na pista por causa dos pouquíssimos carros ainda na corrida. E continuava o passeio de Alain Prost na liderança com 25 Voltas completadas. Com um Eficiente Johansson que largou em 10ºlugar em 2ºlugar, que estava 22 segundos atrás de Prost. Fabi em Terceiro e De Cesaris em 4º com a Brabham, mostrando que em dia que ele não resolve quebrar carros, Consegue resultados positivos para o time que ele defende. Cheever em 5º, já com uma volta atrás de Prost e Nakajima assumindo o 6ºlugar.

De Cesaris começava a buscar Teo Fabi para briga pelo Terceiro lugar na corrida, que Fabi também já não tinha mais desempenho para segurar De Cesaris, e nem tinha desempenho como o desempenho do inicio da temporada. E De Cesaris passava para o terceiro lugar no final da volta 30.

Na Volta 31 a Classificação era essa: Prost, Johansson, de Cesaris, Fabi, Cheever, Nakajima, Arnoux, Ghinzani, Alliot, Streiff e Fabre. Continuam 11 carros na pista.

4 Voltas depois Fabi acabou parando com problemas de motor, o Ford TEC V6 turbo não agüentou a corrida inteira em SPA. Com isso a corrida passava a ter essa classificação: Prost, Johansson, de Cesaris, Cheever, Nakajima, Arnoux, Ghinzani, Alliot, Streiff e Fabre.

Prost estava tranquilo para conquistar a 27ªVitória da carreira, e por quando viu Alliot com a Lola-Ford rodando e quase atingindo a Alain Prost na 39ªVolta. por Sorte o Francês estava com seu coelho da sorte em dia e nada aconteceu com ele.

No Final da corrida Fabre estava com problemas em seu carro e acabou parando no final da corrida, Streiff também tinha problemas no seu carro. Prost com apenas um susto em toda a sua corrida conquistou a vitória de número 27, empatando em número de vitórias com o Escocês Jackie Stewart. Johansson completou a dobradinha da Mclaren na Bélgica. De Cesaris parou no final da corrida com problemas de Combustível. Por sorte ninguém atrás dele estava na mesma volta que ele e portanto ficou em 3ºlugar num merecidíssmo pódio do Italiano da Brabham.

Cheever com a Arrows, Nakajima com a Lotus e Arnoux com a ligier completaram nos pontos, Ghinzani, Alliot, Streiff completaram a corrida, ou melhor, foram os sobreviventes que chegaram ao final. Fabre também completou a corrida, por que conseguiu completar os 90% da corrida e ficou em 10ºlugar.

Resultado final do GP da Bélgica de 1987

Fotos:

View post on imgur.com

Fonte das Fotos: Bestlap, Formel1mic

Texto: Deivison da Conceição da Silva