20150424-0016

Formula E promove a FE School Series e uma sugestão de um campeonato para o Brasil

A Formula E criou uma interessante categoria para os jovens de 11 a 16 anos de idade, A Formula E School Series, Em cada uma das 5 etapas desse campeonato essas crianças de escolas locais vão receber um kit para a construção de um mini carro elétrico que vai ser usado para uma corrida de 20 minutos no final de semana de eventos da Formula E, Essa medida ajuda a promover a engenharia e a tecnologia sustentável entre os jovens.

A Categoria FE School Series começou sua trajetória na Etapa de Buenos Aires.

A Categoria FE School Series começou sua trajetória na Etapa de Buenos Aires.

1 Buenos Aires – 10 janeiro de 2015
2. Miami – 14 março, 2015
3. Long Beach – 04 de abril de 2015
4. Berlim – 23 de maio de 2015
5. London – 27 de junho de 2015

Os eventos da Formula E School Series tem 20 minutos de treinos de classificação e mais a corrida de 20 minutos, nessa corrida não é só a velocidade que conta, Mas também a eficiência energética que eles tem durante a corrida. Os 3 primeiros colocados vão para o pódio receber suas premiações.

Nos meses que antecederem o evento as escolas serão convidadas a se inscreverem para o evento, Serão inscritas de acordo com um conjunto de Critérios que são ligados a Ciência e Tecnologia ou de necessidades especificas educativas, Além disso ingressos grátis serão dados para as escolas para que os amigos, Colegas e Famílias dos participantes assistam o evento.

O Objetivo dessa categoria não é a competição, Mas sim o incentivo para os jovens na Engenharia e sustentabilidade, Por isso é que nem existe um campeonato, Somente o evento sem a tal disputa pelo Título.

O Objetivo dessa categoria não é a competição, Mas sim o incentivo para os jovens na Engenharia e sustentabilidade, Por isso é que nem existe um campeonato, Somente o evento sem a tal disputa pelo Título.

Os Kits de carros elétricos deve ter a mesma especificação o que torna eles fáceis de Guiar e de operar. Eles tem um acelerador, freio e Volante e vem com todos os requisitos de segurança necessários para a disputa de uma corrida e usam pneus michelin. Os Fornecedores da Formula E School Séries é a Greenpower que é uma instituição de caridade que promove a engenharia e a sustentabilidade para jovens que fazem projetos para a construção de carros elétricos e de correrem nos mesmos carros. a Greenpower são a única entidade do Reino Unido que é sancionada pela MSA (Associação de esportes a motor) a Gerenciar as corridas da Formula E.

Veja a primeira etapa que foi na Argentina

Segunda Etapa que foi em Miami

e a terceira etapa que foi em Long Beach

Ao se perceber nessas três primeiras corridas os carros da Formula E School Series são parecidos com os carros de Caixas de Sabão que são muito famosos nos Estados Unidos, Mas que no Brasil não tem muito disso, Então com isso tive uma ideia para melhorar o automobilismo Brasileiro nas categorias de acesso.

Uma espécie de uma categoria de Formula para pilotos de 12 até 16 anos com motores elétricos que cheguem até os 100 km/h e que tenha um custo total por temporada para cada piloto de 50 mil Reais

Veja fotos do carro que eu fiz e que pode servir como modelo para essa revolução no Automobilismo Brasileiro:

O Nome do Carro eu ainda não dei o nome dele

De Lado

Por cima

O Carro por trás

Rodas Traseiras

A Parte aonde vai ficar o motor, Transmissão e sistema eletrônico

O Carro tem 2 laterais que vai ser colocada a refrigeração do carro

Esse Carro deve ser rápido, deve fazer com que os pilotos que sai do Kart possam já começar a se aclimatar com um carro de Formula, Deve ser Seguro e deve ser barato tipo custa até 50 mil Reais por uma temporada inteira de 10 Etapas (20 Corridas sendo 2 por etapa) Corridas de 20 minutos, 1 Treino Livre de 30 minutos, Um Treino de Classificação de 30 minutos para definir o Grid de largada. O Campeão vai receber premiação que permita ele continuar sua carreira no Automobilismo o que representa a temporada seguinte em qualquer categoria sendo integralmente paga pelo campeonato.

Premiação do Campeonato:

Campeão: Tem a temporada seguinte integralmente paga pela organização do campeonato
Vice-Campeão: 70% da Temporada seguinte paga pela Organização
3ºLugar: 50% da Temporada seguinte paga pela Organização
4ºLugar: 40% da Temporada seguinte paga pela Organização
5ºLugar: 30% da Temporada seguinte paga pela Organização
6ºLugar: R$ 10.000
7ºLugar: R$ 8.000
8ºLugar: R$ 6.000
9ºLugar: R$ 4.000
10ºLugar: R$ 2.000
Vencedor de cada corrida: R$ 1.000
Pole Position: R$ 500

Agora eu gostaria que vocês respondessem a uma enquete aqui sobre esse assunto:

Você acha que a Formula mini F1 pode dar certo inspirada nos carros da Formula E School Series e nos carros de Caixa de Sabão?Sim, É um projeto inovador que deve dar certo

Sim, Mas sobre uma outra proposta e com um outro objetivo

Não, precisa ter um projeto melhor para isso funcionar

Não, Sem chances de Funcionar

Não tenho uma opinião Formado (Indeciso)




O Resultado final será registrado no dia 31 de Junho

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Vídeos: AutoMotoSport HD

1990fr_capelli-001

Especial Os anos da Verdinha Leyton House na Formula 1

A Equipe March voltou a Formula 1 em 1987 com a Cor Verde e com o patrocínio da Leyton House, Uma empresa imobiliária Japonesa que financiava a equipe inglesa que voltava depois de um Hiato de 5 temporadas aproveitando o regulamento de motores aonde já se preparava para o fim dos motores Turbo e a volta dos aspirados. Depois de 3 temporadas como patrocinador da March sendo que o ano de 1988 foi o melhor deles o Japônes Akira Akari resolve comprar a equipe e renomear o time como Leyton House.

Temporada de 1990:

Leyton House
CG901
Projetistas: Adrian Newey e Gustav Brunner
Câmbio: March – 6 Marcas
Combustível/Lubrificante: BP
Amortecedores: Koni
Freios: Freins à Disco de Carbono – AP Racing/ Carbono Industrial

Começaram a temporada de 1990 muito mal com Gugelmin em 25º e Capelli em 26º no grid de largada com o piloto Italiano tendo a sorte de estar no Grid já que uma das ligier acabou sendo desclassificado do Grid e com isso Capelli entrou para a corrida em que Capelli acabou não indo muito longe deixando a corrida com problemas elétricos, Gugelmin teve muitos problemas na corrida inteira, Mas cruzou a linha de Chegada em 14ºlugar a 6 Voltas do Vencedor.

Mas se em Phoenix as coisas foram bem ruins em São Paulo piorou para a Leyton House, nenhum dos dois pilotos classificaram para a corrida, Um tremendo fracasso para um time que conseguiu pódio em 1988 e 1989.

Indo para a primeira corrida na Europa em San Marino finalmente um desempenho decente com o Brasileiro Maurício Gugelmin com o 12ºlugar no Grid de largada e Ivan Capelli em 18º bem melhor do que nas primeiras corridas na América, Mas nenhum deles viram a bandeirada Capelli sofreu acidente na primeira volta e Gugelmin teve problemas elétricos na 24ªVolta e abandonou, Em Mônaco A Leyton House só se classificou para a corrida com Capelli que ficou em 23ºlugar que acabou deixando a corrida cedo com problemas de Travões em seu carro, Gugelmin acabou fora da corrida.

Indo para a 2ªParte na América no Canadá nova eliminação de Maurício Gugelmin na classificação para a corrida e mais uma vez o time só correu com 1 carro que foi de Ivan Capelli que largou em 24º para completar a prova em 10ºlugar a 2 voltas do Vencedor da prova, Agora no México a Leyton House vive um dos seus piores pesadelos, Ambos os pilotos não conseguiram largar, Nem Capelli e nem Gugelmin que ficava pela 3ªVez Seguida de fora do Grid de largada conseguiram colocar o carro Verde entre os 26 que largavam para a corrida.

Em 6 Corridas era uma enorme decepção o campeonato do time de Akira Akari com 0 ponto e vendo times como a Footwork já tendo 2 pontos e até a Onxy tirando um 7ºlugar em Mônaco, Era uma temporada péssima até agora, O Conceito do carro de Adrian Newey não estava dando resultados…
…Até agora pois a corrida seguinte seria na França no circuito de Paul Ricard, E dai se explicar uma coisa, O Chassi CG901 é um chassi que fica tão no chão que ele acaba sendo um chassi eficiente apenas em circuitos em que a pista é lisa, Em pistas como a do México em que o Asfalto era totalmente irregular o carro não rende de forma nenhuma.

Franca1990_20

Nos treinos oficiais Ivan Capelli ficou em 7ºlugar e Maurício Gugelmin ficou em 10ºlugar, Ambos largavam nas 10 primeiras posições no Grid de largada:
A Corrida no dia seguinte na corrida ambos os pilotos decidiram não fazer nenhuma troca nos seus pneus, Com isso esperavam pular nas primeiras posições quando os lideres pararem nos boxes, Logo depois o primeiro terço de corrida tanto Capelli como Gugelmin subiam de posições até que na volta 33 Ivan Capelli passou ao Italiano Riccardo Patrese da Williams para assumir a liderança da corrida e com Gugelmin na segunda posição e mesmo com a Pressão de ninguem mais que Alain Marie Pascal Prost a equipe manteve a dobradinha durante 19 Voltas seguidas até que o Tricampeão do mundo com sua Ferrari Mostrou sua força e passou Gugelmin que 5 voltas depois deixava uma bela corrida que ele vinha fazendo com problemas de Motor, A Partir da Prost buscou feito um louco Ivan Capelli que só entregou a vitória a Prost por que o Motor Judd poderia estourar se ele continuasse a ter um ritmo forte de corrida, Apesar de não ter conquistado a vitória Capelli deu a Equipe um resultado magnifico para o time de Akira Akari (O que seria o melhor resultado da História da Leyton House) Com Ivan Capelli completando a corrida em 2ºlugar na frente de Ayrton Senna e festejando no Pódio de Paul Ricard que foi o 3º da sua carreira na Formula 1 (Último pódio de Capelli).

Franca1990_17

Com os 6 pontos de Capelli a Leyton House iria aparecer no campeonato na 6ªPosição atrás das 4 grandes (Mclaren, Ferrari, Benetton e Williams) e da Tyrrell que era a melhor das 4 Grandes.

Com o Positivo Resultado a equipe foi embalada para Silverstone para a 8ªEtapa, Gugelmin que pouco tinha feito até a prova da França largou numa ótima 9ºlugar considerando o fraco motor Judd que ele tinha, Capelli já largava mais atrás em 15ºlugar. Capelli fez uma grande corrida e chegou a estar na 3ªposição quando a 17 Voltas do final o piloto Italiano teve problemas na Alimentação de seu carro o que fez ele deixar a corrida, Já Gugelmin nem largou, Teve problemas na bomba de Gasolina de seu carro.

Na Alemanha em mais um circuito de alta Ivan Capelli largou em 10ºlugar e fez uma bela corrida chegando a estar por algumas voltas a estar na 6ªposição, Mas Capelli perdeu essa posição para a Williams de Thierry Boutsen e terminou em 7ºlugar, Já o Brasileiro Maurício Gugelmin largou em 14º abandonou com problemas de Válvula do motor Judd. Partido para o Leste da Europa na Etapa da Hungria cheio de incidentes um grid abaixo do esperado com Capelli em 16º e Gugelmin em 17º, Na corrida Gugelmin levou o carro para a 8ªposição após uma corrida difícil em que o piloto procurou sobreviver na corrida, Capelli fazia o mesmo na frente de Gugelmin até ter problemas de Câmbio a 21 voltas do final da corrida.

Voltando para a parte ocidental da Europa tivemos o Desafiante GP da Bélgica em Spa-Francorchamps aonde o time do carro verdinho acabou se dando bem graças a tática de não fazer paradas nos boxes, O Brasileiro Maurício Gugelmin voltou a marcar pontos ao terminar a corrida em ótima 6ªPosição após largar da 14ªPosição com Ivan Capelli que largou de 12º para chegar na sétima posição.

Após esse bom resultado a equipe Leyton House foi motivada para o GP da Itália em Monza, Apesar do carro tendo um motor de pouca potência como a Judd Gugelmin largou em 10º e Capelli largou em 16º, O brasileiro teve problemas de motor quando estava bem classificado na 25ªVolta e Capelli ficou por algumas voltas em 6ºlugar quando teve problemas de Bomba de Gasolina tendo que deixar a corrida perdendo mais uma possibilidade de marcar pontos na temporada, Em Portugal o time já não arranjou nada demais, Gugelmin mesmo com condições precárias de Saúde (Febre de 39ºGraus) levou seu carro até o 12ºlugar após largar do 14º, Capelli quebrou o motor na 51ªVolta após largar na 12ªPosição.

Em Jerez de la Fronteira a Equipe do Japonês Akira Akari completou sua temporada Europeia Gugelmin teve mais uma boa corrida largando do 12ºlugar e chegando a disputar o 6ºlugar por algumas voltas, Mas não foi capaz de deter o avanço de Suzuki e de Larini e acabou ficando em 8ºlugar pelo menos tendo mais sorte do que Capelli que abandonou a corrida por cãibras a 14 Voltas do final.

 

Na parte final do campeonato não foi das mais felizes para a Leyton House, na luta pelo 6ºlugar no mundial de construtores, Em Suzuka no Japão ela acabou vendo a Larrousse de Aguri Suzuki em 3ºlugar no Pódio fazendo com que o time francês ultrapassasse a Leyton House que tinha 4 pontos de desvantagem para os carros coloridos, Gugelmin que largou em 12º abandonou com problemas de Motor na 6ªVolta e Capelli com muitos problemas e indo duas vezes para os boxes abandonou com problemas elétricos, Em Adelaide Gugelmin e Capelli abandonaram a corrida após terem problemas de travões do carro e de Acerelador do carro respectivamente.

Após um ano de muitos altos e Baixos a Leyton House acabou o campeonato Mundial de Formula 1 em 7ºlugar com 7 pontos, 1 pódio na França com Ivan Capelli e um 6ºlugar na Bélgica com Maurício Gugelmim e com um projetista revelado de vez para o mundo que era o Adrian Newey que logo foi contratado pela Williams para construir o carro para 1991 e começar uma era que o faria ter o título de o Mago na matéria de Chassis.

Gps: 32 (Largou em 26 Gps)
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 1
Pontos: 7
Motor: Judd EV 8 Cilindros
Potência: 640 Cavalos a 12.500 RPM
Chassi: CG901
Pilotos:
Mauricio Gugelmin
Ivan Capelli
Número de Voltas Completadas: 1.046
Voltas Lideradas: 45

Fotos

View post on imgur.com

Temporada de 1991 da Leyton House:

Chassi: Leyton House CG911
Projetista: Chris Murphy / Gustav Brunner
Câmbio: transversal – 6 Marcas
Combustível/Lubrificante: BP
Amortecedores: Koni
Freios: Freins à Disco de Carbono – AP Racing/ Carbono Industrial

Após a temporada de Altos e Baixos da Leyton House em 1990 para 91 o time teve que substituir a nada menos que Adrian Newey que foi para a Williams fazer o FW14, O Substituto para essa missão ardua foi o Chris Murphy que junto com Gustav Brunner teve de fazer o CG911 agora com os motores da Ilmor V10 que estreavam na Formula 1 que tinham a potência de 680 Cavalos, Manteve seus pilotos Tanto o Maurício Gugelmin como o Ivan Capelli e com isso esperava que o time terminasse mais corridas, que o Chassi fosse tão bom como 90 e que o resultado das corridas fosse melhor.

Mas na abertura do campeonato em Phoenix não foi nada boa, Capelli conseguiu o 18ºlugar no Grid de largada e deixou a corrida na metade da corrida e Gugelmin ficou no final do Grid na 23ªposição acabou deixando a corrida algumas voltas antes ambos com problemas de câmbio, Indo para Interlagos o belíssimo 8ºlugar no Grid de largada de Maurício Gugelmin deu esperanças de uma grande corrida para o piloto Brasileiro, Mas problemas físicos ocorridos por causa de queimaduras acabaram fazendo o que o Brasileiro não aguentasse a dor. Capelli largou em 15ºlugar e não durou muito na prova Abandonou na 16ªVolta com problemas de Motor.

brasil91_f1_502 (20)

Na abertura da temporada europeia em San Marino numa corrida chuvosa Gugelmin largava em 15º e Capelli em 22º, Na Corrida Capelli chegou a estar em 5ºlugar mas abandonou a prova com problemas de Furo de pneu, Gugelmin ficou lá atrás até o final da corrida quando acabou abandonando com problemas de Motor, Ainda assim ficou classificado em 12ºlugar, Em Mônaco mais uma corrida de problemas, Gugelmin que largou em 15º com problemas de Acerelador na 44ªVolta, Capelli largando de 18º abandonou logo na 13ªVolta com problemas de Carro Travando.

Em Montreal no Canadá a Leyton House acabou tendo mais uma chance de marcar ponto na temporada, Ivan Capelli conseguiu o 13ºlugar no Grid de largada e estava escalando posições de acordo com as quebras dos pilotos das equipes grandes, Quando estava em 4ºlugar na volta 41 o Motor Ilmor deu problema e deixou Capelli na mão, Gugelmin largando em 23ºlugar foi mais longe, Mas muito atrás na prova acabou com problemas de motor também não terminando a corrida, Continuando na América do Norte no desalinhado circuito do México aonde a equipe deu vexame em 1990 dessa vez ambos os pilotos conseguiram classificação, Capelli e Gugelmin largaram na 11ªFila, Mas na corrida ambos abandonaram a corrida com problemas de Motor.

monaco504f1 (16)

De Volta a Europa a partir da França a equipe conseguiu dar uma grande melhorada em retirar as molas do carro que era um dos erros do carro que foi identificado pelo Brasileiro Maurício Gugelmin e sua incrível capacidade de acertar carros e foi recompensado largando muito bem na 9ªposição e na corrida ficou a uma posição da zona de pontuação, Capelli largou mais atrás na 14ªposição e deixou a prova na 8ªVolta com problema de Rotação Mas com o 7ºlugar de Gugelmin foi a primeira vez que um carro da Leyton House recebeu a bandeirada de chegada, Partindo para Silverstone na metade do campeonato a pista foi modificada no que acabou tendo pior para os pilotos da Leyton House que tinha mais chances de marcar pontos com Silverstone de 1990. Gugelmin repetiu o 9ºlugar no Grid de largada e começou largando muito bem ficando por 5 voltas na 6ªposição, Mas Gugelmin teve caibras e foi obrigado a abandonar a corrida na 24ªVolta, Seu companheiro de equipe não foi brilhante na corrida, Capelli largou em 16ºlugar e chegou a andar em 9ºlugar até ter mais uma vez problemas de rotação na 17ªVolta.

Começando a segunda metade de temporada no GP Alemão em Hockenheim foi um final de semana não foi dos melhores, Capelli largou em 12º e estava entre os 10 primeiros até deixar a corrida com problemas elétricos e o Brasileiro Gugelmin largando do 16ºlugar deixou a corrida com problemas de Câmbio. Na Hungria finalmente a Leyton House conseguiria sucesso, Ivan Capelli que largou em 9ºlugar fez uma corrida primorosa na maior parte do tempo nas 6 primeiras posições até o final das 77 Voltas daquela corrida vencida por Ayrton Senna o piloto Italiano marcaria o primeiro ponto da equipe na temporada (Seria o último ponto da história da Leyton House) Gugelmin teve uma corrida bem difícil, Largando do 13ºlugar acabou ficando muito para trás com problemas, Mas se recuperou e acabou a prova em 11ºlugar.

Já mais tranquilos e confiantes a equipe de Akira Akari para a Bélgica, Mas problemas de Motor acabaram com a corrida de Ambos: Gugelmin que largou em 15º abandonou na 2ªvolta e Capelli que largou em 12º abandonou na 14ªvolta, Depois desse balde de água fria eles iriam para mais um circuito rápido que era o de Monza na Itália, Mas a corrida foi relativamente boa, Capelli largando do 12ºlugar chegou em 8ºlugar após uma boa corrida, Gugelmin com muitos problemas largou em 18º e chegou ao final em 15ºlugar.

Belgica1991 (3)

Em Portugal a equipe teve um bom final de semana, Mas não conseguiu ganhar pontuação, Capelli largou do 9ºlugar e estava fazendo uma belíssima corrida estava na 5ªposição até ter danos no bico do seu carro e com isso acabou comprometendo as chances de marcar pontos, Gugelmin que largou em 7ºlugar acabou deixando os pontos escaparem fazendo uma largada fraca e só conseguindo ficar em 7ºlugar, Apesar da Frustração do GP de Portugal a equipe vai para o Circuito de Catalunha para o GP da Espanha mantendo a boa fase dos treinos, Capelli largou em 8º e estava perto dos pontos mais acabou rodando e deixando a corrida na segunda volta, Gugelmin largando do 13ºlugar ficou perto dos pontos de novo ficando em 7ºlugar.

Nesse final de temporada estourou o escândalo de que o dono da equipe Akira Akari que envolveu o Fuji Bank no que acabou preso com o esquema de lavagem de dinheiro usando a equipe como fachada. Ivan Capelli acabou saindo do cockpit de número 16 e entrou em seu lugar o jovem estreante austríaco Karl Wendlinger para as corridas do Japão e Austrália.

515_91_japan21

O time estava em crise financeira, no Japão a prova foi terrível, Gugelmin largou em 18º, Mas se aproveitou das quebras para ficar num honroso 8ºlugar, Wendlinger acabou envolvido em um acidente e deixou a corrida na 2ªVolta, No Japão a corrida durou pouco apenas 14 Voltas, Gugelmin sofreu um acidente na 14ªVolta e acabou a corrida apenas em 13ºlugar após largar em 14ºlugar, Wendlinger largou em 26º e levou o Leyton House para o 20ºlugar.

Karl Wendlinger

Karl Wendlinger

No final desse campeonato foi que a Leyton House marcou apenas um único ponto que aconteceu no GP da Hungria com Ivan Capelli, 32 corridas e simplesmente várias e várias quebras de equipamento principalmente na primeira parte de campeonato, após esse campeonato a Leyton House foi vendida para um grupo que tinha um consorcio com John Byfield, Tony Birchfield, Gustav Brunner e Henny Vollenberg e voltou a ser March na temporada de 1992.

Números da Leyton House em 1991

Gps: 32
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 0
Pontos: 1
Motor: Ilmor LH10 V10
Potência: 680 Cavalos a 13.000 RPM
Chassi: CG911
Pilotos:

Mauricio Gugelmin
Ivan Capelli
Karl Wendlinger
Número de Voltas Completadas: 1.088 Fotos:

View post on imgur.com

Histórico da Leyton House

GPs: 64 (Largaram em 58 Corridas)
Vitórias: 0
Pole: 0
Pódios: 1
Pontos: 8
Pilotos:

Ivan Capelli (Itália)
Maurício Gugelmin (Brasil)
Karl Wendlinger (Áustria)

Voltas na liderança: 45
Voltas percorridas: 2.133
Melhor Grid de Largada: 7ºlugar Capelli (França/1990) e Gugelmin (Portugal/1991)
Melhor resultado em Corrida: 2ºlugar Capelli (França/1990)

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Bestlap/Formel1mic

515_91_japan10

Corridas Históricas: GP do Japão de 1991

Grid de Largada:

1. Gerhard Berger (Mclaren/Honda) 1:34.700
2. Ayrton Senna (Mclaren/Honda) 1:34.898
3. Nigel Mansell (Williams/Renault) 1:34.922
4. Alain Prost (Ferrari) 1:36.670
5. Ricardo Patrese (Williams) 1:36.882
6. Jean Alesi (Ferrari) 1:37.140
7. Pierluigi Martini (Minardi/Ferrari) 1:38.154
8. Gianni Morbidelli (Minardi/Ferrari) 1:38.248
9. Michael Schumacher (Benetton/Ford) 1:38.363
10. Nelson Piquet (Benetton/Ford) 1:38.614
11. Andrea de Cesaris (Jordan/Ford) 1:38.842
12. Jyrki Jarvi Lehto (Dallara/Judd) 1:38.911
13. Alessandro Zanardi (Jordan/Ford) 1:38.923
14. Stefano Modena (Tyrrell/Honda) 1:28.926
15. Satoru Nakajima (Tyrrell/Honda) 1:39.118
16. Emanuelle Pirro (Dallara/Judd) 1:39.238
17. Thierry Boutsen (Ligier/Lamborghini) 1:39.499
18. Mauricio Gugelmin (Leyton House/Ilmor) 1:39.518
19. Martin Brundle (Brabham/Yamaha) 1:39.697
20. Erik Comas (Ligier/Lamborghini) 1:39.820
21. Mika Hakkinen (Lotus-Judd) 1:40.024
22. Karl Wendlinger (March-Ilmor) 1:40.092
23. Johnny Herbert (Lotus-Hart) 1:40.170
24. Gabriele Tarquini (Fondmetal-Ford) 1:40.184
25. Aguri Suzuki (Lola/Ford) 1:40.255
26. Alex Caffi (Footwork/Ford) 1:40.402

Não Classificaram:

27. Michele Alboreto (Footwork/Ford) 1:40.844
28. Nicola Larini (Lamborghini) 1:42.492
29. Eric Van de Poele (Lamborghini) 1:42.724
Des. Eric Bernard (Lola-Ford)
30. Mark Blundell (Brabham-Yamaha) 1:44.004
31. Naoki Hattori (Coloni-Ford) 2:00.325

Berger Vence na Festa do Tri de Ayrton Senna

Em dia de Festa do Tri-Campeonato de Ayrton Senna, o Austríaco Gerhard Berger da Mclaren conquistou a sua primeira vitória na Mclaren. Na Largada Berger na Pole e Senna na 2ªPosição largaram bem, e deixaram Mansell em 3ºlugar, começava a se desenhar uma tática muito bem feita. Patrese é que ganhou posição da Largada tomando o 4ºLugar de Prost. Antes do Final da Primeira volta Jean Alesi já tem seu motor explodido e teve que abandonar a corrida. Nelson Piquet que iria largar em 10º acabou tendo problemas para sair e assim teve que fechar o Grid, na primeira volta Berger já abria vantagem em relação ao Senna, Mansell tentaria passar Senna para tentar a vitória e ver se conseguia levar a decisão para a Austrália.

Depois Patrese, Prost e Morbidelli. Logo na Segunda Volta um Strike de 4 carros bateram, Lehto, Pirro, De Cesaris e o Estreante Karl Wendlinger, Enquanto isso Berger disparava na Frente e Senna inteligentemente acabava por segurar Mansell e Patrese. Mika Haikkinen na volta 6 abandonava a corrida com problemas de motor; já foram 6 abandonos num período muito curto de corrida, com 8 voltas completadas, com o Tempo passando e as voltas se sucedendo Mansell tinha cada vez menos tempo para passar Senna e tentar vencer de Berger. Berger em 9 Voltas já tinha 9 segundos a frente de Senna, Mansell e um pouco mais atrás do Patrese.

Mansell perseguindo Senna antes de passar Reto

Mansell perseguindo Senna antes de passar Reto

Titulo Decidido na Volta 10, Mansell tentou passar Senna numa maneira equivocada e acabou saindo da pista e ficando na Brita, com isso Senna já era o Campeão do Mundo, Tri-Campeão Mundial e agora poderia lutar pela vitória. a Classificação em 10 Voltas era: Berger, Senna (10.6), Patrese (13.5), Prost (20.9), Martini (28.7) e Schumacher (30.1). Na Volta 11 Senna fez a melhor volta da Corrida. e estava livre para lutar pelo titulo. Nelson Piquet que largou em último já estava em 13ºLugar. e Gugelmin estava em 15º, Enquanto isso Patrese se afastando do Senna em 3º e Mais Afastado ainda de Patrese estava em 4ºlugar, Senna já tirava assustadoramente a vantagem em cima de Berger, com 15 voltas Berger era líder, mas estava apenas 3.9 a frente de Senna, Depois Patrese em 3º, Prost em 4º, e Martini em 5º e Schumacher em 6º, 7º Morbidelli, 8ºModena, 9ºBrundle e em 10ºSatoru Nakajima.

Na Volta 17 Senna já estava colado praticamente em Berger, na volta 18 Senna estava a 7 décimos de Berger. Morbidelli já tinha abandonado a corrida por causa de uma rodada. E Senna antes de Terminar a volta 18 passou Berger, de forma muito fácil e na volta 19 todos os japoneses na arquibancada estavam em delírio com o tri-campeonato de Ayrton Senna. a Mclaren já prepara pit stop para Berger pois os pneus acabaram. Mas demoraram um pouquinho demais para trocar os pneus, mas Berger voltou em 3ºlugar. pressionado por Prost, mas logo o Francês da Ferrari teve que ir para os Pits, Na volta seguinte Senna teve que fazer sua primeira parada e assim voltar na segunda posição. Patrese era o líder na corrida, e viu muitos retardatários na corrida e na mesma volta 22 Patrese foi para os pits e foi o último carro das equipes Grandes a Fazer a sua parada. Berger depois dos pits, voltou com tudo para tirar a primeira posição de Senna, Após 25 Voltas a classificação era: Senna em primeiro, Berger e em terceiro, depois Prost, Schumacher é Modena, os 6 primeiros colocados. Enquanto as posições estavam tranqüilas em relação as primeiras colocações. Enquanto que na 30ªVolta Satoru Nakajima acabava com a corrida dele. Quatro voltas antes, o Herói do GP do Japão de 1990 Aguri Suzuki acabava abandonando a corrida. a luta pela vitória estava polarizada entre Senna e Berger. e também tinha uma briga entre Martini e Schumacher pela 5ªPosição, Schumacher estava bem perto de Martini mas não seria fácil para o Alemãozinho.

Mas na volta Seguinte é a Quebra de Motor de Schumacher, deixando a sua 6ªposição para o Brundle. com 36 Voltas completadas a lista de abandonos era muito grande, 13 carros estavam na corrida, uma marca registrada dessa pista são os vários e vários abandonos dos pilotos. Berger na Volta 37 fazia a Melhor Volta da Corrida. Restando 15 voltas para o Final da corrida Senna e Berger estavam brigando pela vitória e sem serem incomodados por Patrese. Martini que estava numa ótima 5ªPosição na corrida acabava abandonando, Erik Comas uma volta depois também abandonava a corrida. Com isso classificação era Senna, Berger, Patrese, Prost, Brundle e Modena. Isso tudo com 40 Voltas completadas. Berger estava se aproximando de Senna, mas a Mclaren estava pronta para uma eventual segunda parada de Troca de Pneus. Mas Berger não precisou dessa parada, pois os pneus após uma volta ruim. Dos seis primeiros colocados Senna, Berger, Brundle e Modena são empurrados por motores Japoneses, mostrando a força das fabricas japonesas na Formula 1. 45 Voltas Completadas: Senna, Berger (3.3), Patrese (42.8), Prost (1:06.1), Brundle (-1) e Modena (-1). Piquet estava em 7º. Os outros 4 sobreviventes eram Gugelmin em 8º, Boutsen em 9º, Caffi 10º e Tarquini em 11º.

515_91_japan2

Senna administrava a corrida, até que na última volta Senna vem de forma lenta para comemorar o Titulo para quem não imaginava a Mclaren pediu para Senna deixar Berger vencer essa corrida. Senna depois da Chicane acabou deixando Berger passar e vencer a corrida, Senna com o segundo lugar acabou conquistando o Tri-Campeonato mundial, O Fato de Berger passar no Final da Corrida não manchou em nada o brilhante campeonato de Senna, uma Festa dos japoneses que são em Grande Maioria admiradores e Fãs de Ayrton Senna, em 1991, no Japão Berger venceu a corrida e Senna venceu o Campeonato, uma corrida de Dois vencedores. Mansell saia por Baixo e Patrese nada pode fazer com o Domínio das Mclarens. Prost em 4º faria sua última corrida na Ferrari, por dizer a Verdade sobre o Carro da Ferrari em 1991, que o Carro era lento. Brundle Faria 2 pontos com a Brabham-Yamaha (Os Últimos da História da Brabham) e em 6ºficou Stefano Modena, depois vieram os Brasileiros Piquet e Gugelmin, Boutsen, Caffi e Tarquini completaram a Classificação Final da Corrida. 11 pilotos apenas terminaram.

Resultado Final do GP do Japão de 1991

Fotos:

 

View post on imgur.com

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Bestlap/Formel1mic

lotterer

Super Formula – Domínio da Tom’s e vitória de Lotterer em Suzuka

Nos Treinos de classificação que tem o mesmo sistema da Formula 1 praticamente acabou sendo competitivo, Quem se saiu melhor nesses treinos foi o piloto da Team Mugen Naoki Yamamoto que voou baixo no circuito de Suzuka e fez o tempo de 1:38.585 superando em quase 3 décimos o tempo do piloto indiano Narain Karthikeyan que com um motor Honda igual ao motor de Yamamoto.

O Primeiro motor Toyota aparece em 3º com o Piloto Alemão André Lotterer com o carro da Tom’s Petronas a mesma equipe do campeão da Super Formula de 2014 Kazuki Nakajima que vai larga em 5ºlugar atrás de Hiroaki Ishiura da P.Mu/Cerumo, João Paulo de Oliveira largaria na 6ªposição com a Toyota da Team Impul, Kamui Kobayashi acabou eliminado no Q2 do treino oficial e larga em 10º do lado de James Rossiter que ficou na frente do piloto da Kygnus.

Pilotos conhecidos como Takura Izawa que disputou a GP2 Series com algum destaque em 2014 larga em 12º o Piloto Belga Bertrand Baguette da Equipe Nakajima largaria em 17ºlugar a 3 posições de Daisuke Nakajima que larga em 14ºlugar.

Naoki Yamamoto fez a primeira pole da Temporada da Super Formula

Naoki Yamamoto fez a primeira pole da Temporada da Super Formula

Resultado do Treino de Classificação:

1 16 Naoki Yamamoto (TEAM MUGEN SF14 HONDA HR-414E) 1’38.585
2 41 Narain Karthikeyan (DOCOMO DANDELION M41Y SF14 HONDA HR-414E) 1’38.870
3 2 Andre Lotterer (PETRONAS TOM’S SF 14TOYOTA RI4A) 1’39.053
4 38 Hiroaki Ishiura (P.MU/CERUMO · INGING SF 14TOYOTA RI4A) 1’39.060
5 1 Kazuki Nakajima (PETRONAS TOM’S SF14 TOYOTA RI4A) 1’39.080
6 19 J.P.L.de Oliveira (LENOVO TEAM IMPUL SF14 TOYOTA RI4A) 1’39.290
7 40 Tomoki Nojiri (DOCOMO DANDELION M40S SF14 HONDA HR-414E) 1’39.816
8 39 Yuji Kunimoto (P.MU/CERUMO · INGING SF14 TOYOTA RI4A) 1’46.443
9 3 James Rossiter (FUJI×D’station KONDO SF14 TOYOTA RI4A) 1’39.229
10 8 Kamui Kobayashi (Team KYGNUS SUNOCO SF14 TOYOTA RI4A) 1’39.263
11 10 Koudai Tsukakoshi (REAL SF14 HONDA HR-414E) 1’39.325
12 11 Takuya Izawa (REAL SF14 HONDA HR-414E) 1’39.410
13 34 Takashi Kogure (DRAGO CORSE SF14 HONDA HR-414E) 1’39.419
14 64 Daisuke Nakajima (NAKAJIMA RACING SF14 HONDA HR-414E) 1’39.963
15 7 Ryo Hirakawa (ACHIEVEMENT Team KYGNUS SUNOCO SF14 TOYOTA RI4A) 1’39.873
16 20 Andrea Caldarelli (LENOVO TEAM IMPUL SF14 TOYOTA RI4A) 1’40.158
17 65 Bertrand Baguette (NAKAJIMA RACING SF14 HONDA HR-414E) 1’40.304
18 4 William Buller (FUJI×D’station KONDO SF14 TOYOTA RI4A) 1’40.698
19 18 Yuichi Nakayama (KCMG Elyse SF14 TOYOTA RI4A) 1’41.107

Na largada tanto Naoki Yamamoto como Narain Karthikeyan acabaram largando mal e deixando a ponta para Andre Lotterer que saiu do 3ºlugar e de Kazuki Nakajima que saiu do 5º para o 2ºlugar. Yamamoto caiu para o 4ºlugar, Mas logo recuperou posição em cima de Hiroaki Ishiura recuperando o terceiro lugar.

A partir dai os dois pilotos da Tom’s dispararam na Frente com o piloto alemão na frente e Nakajima um pouco mais atrás e o pole position Naoki Yamamoto que tinha o carro que poderia derrotar os dois pilotos da Petronas, Enquanto isso lá atrás Kamui Kobayashi que fazia a sua estreia na Super Formula com uma corrida crítica resolve ser o primeiro a ir aos boxes para trocar seus pneus para tentar mudar sua sorte na corrida, O piloto da Impul Andrea Caldarelli também fez sua parada na volta seguinte, Mas ao invés de trocar os pneus ele apenas reabasteceu seu carro e pagou o preço disso já que o piloto da Kygnus Kamui Kobayashi não teve maiores dificuldades de passar o piloto italiano que não me parece grandes coisas não.

O piloto Indiano Narain Karthikeyan que largou em 2º estava pressionando o piloto da Inging Hiroaki Ishiura na disputa pela quarta posição, Enquanto que Naoki Yamamoto pressionou por algumas voltas a Kazuki Nakajima na disputa pelo segundo lugar, Um pouco mais atrás pilotos como James Rossiter, Daisuke Nakajima, Takura Isawa, Tomoki Noriji, Bertrand Baguette estavam disputando posições.

Mas todos os pilotos precisavam fazer a parada nos boxes. E essas paradas foram entre a volta 25 até a 32. Lotterer, Nakajima e Yamamoto mantiveram as primeiras posições, Quem se deu bem nas paradas foi o Indiano Narain Karthikeyan que passou Ishiura e assumiu o 4ºlugar, O piloto da P.Mu/Cerumo perdeu posições também para João Paulo de Oliveira e para James Rossiter. Já João Paulo de Oliveira travava um belo duelo com o piloto Inglês James Rossiter pelo 5ºlugar, Já a tática de Kamui Kobayashi de parar no começo da corrida até funcionou levando o piloto para o 10ºlugar, Mas acabou sendo alvo fácil para Tomoki Nojiri que pegou essa posição.

A Corrida chegava ao Final e Lotter e Kazuki Nakajima tinham os dois primeiros lugares garantidos, O Mesmo acontecia com o pole position Naoki Yamamoto que vinha para compor o pódio na terceira posição, Mas foi traído pelo motor Honda que explodiu na metade da volta final deixando o piloto a pé e o pódio ficou com o piloto Indiano Narain Karthikeyan que obteve seu melhor resultado na Super Formula. Lotterer com a vitória de ponta a ponta ganhou 4 milhões de Ienes que dão exatos (U$ 33.000), Kazuki Nakajima Ficou com 2.000.000 de Ienes (U$ 16.500) e Karthikeyan ganhou 1.000.000 (U$ 8.250) o que eu achou pouco para uma corrida que dura mais de 200 km de distância.

JPoliveira

O Brasileiro João Paulo de Oliveira acabou em 4ºlugar contando com o abandono de James Rossiter que fez uma grande corrida assim como Yamamoto e ambos não viram a bandeirada de chegada. Hiroaki Ishiura, Daisuke Nakajima, Takura Izawa e Tomoki Nojiri completaram a zona de pontuação que vai até o 8ºlugar, Kamui kobayashi ficou em 9ºlugar na frente de Bertrand Gachot. A Próxima etapa acontece no dia 24 de maio em Okayama.

Vídeo da corrida:

Resultado final da primeira etapa da Super Formula – Temporada 2015 – Suzuka

1 2 Andre Lotterer (PETRONAS TOM’S SF14 TOYOTA RI4A) 1:14’01.371 em 43 Voltas
2 1 Kazuki Nakajima (PETRONAS TOM’S SF14 TOYOTA RI4A) a 9.484
3 41 Narain Karthikeyan (DOCOMO DANDELION M41Y SF14 HONDA HR-414E) a 27.706
4 19 J.P.L.de Oliveira (LENOVO TEAM IMPUL SF14 TOYOTA RI4A) a 38.999
5 38 Hiroaki Ishiura (P.MU/CERUMO · INGING SF14 TOYOTA RI4A) a 40.079
6 64 Daisuke Nakajima (NAKAJIMA RACING SF14 HONDA HR-414E) a 43.908
7 11 Takuya Izawa (REAL SF14 HONDA HR-414E) a 44.775
8 40 Tomoki Nojiri (DOCOMO DANDELION M40S SF14 HONDA HR-414E) a 51.669
9 8 Kamui Kobayashi (Team KYGNUS SUNOCO SF14 TOYOTA RI4A) a 56.433
10 65 Bertrand Baguette (NAKAJIMA RACING SF14 HONDA HR-414E) a 1’09.785
11 20 Andrea Caldarelli (LENOVO TEAM IMPUL SF14 TOYOTA RI4A) a 1’14.518
12 7 Ryo Hirakawa (ACHIEVEMENT Team KYGNUS SUNOCO SF14 TOYOTA RI4A) a 1’14.851
13 18 Yuichi Nakayama (KCMG Elyse SF14 TOYOTA RI4A) a 1’28.584
14 4 William Buller (FUJI×D’station KONDO SF14 TOYOTA RI4A) a 1’36.605
15 16 Naoki Yamamoto (TEAM MUGEN SF14 HONDA HR-414E) a 1 Volta
16 3 James Rossiter (FUJI×D’station KONDO SF14 TOYOTA RI4A) a 1 Volta
17 39 Yuji Kunimoto (P.MU/CERUMO · INGING SF14 TOYOTA RI4A) a 1 Volta

Não Terminaram a corrida:

34 Takashi Kogure (DRAGO CORSE SF14 HONDA HR-414E) a 37 Voltas
10 Koudai Tsukakoshi (REAL SF14 HONDA HR-414E) Não largou

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Tom’s / Impul / twitter
Vídeo: VARIETY VEHICLE

ArgentinaMotoGP_Dong_1 (1)

Rossi faz Marquez dançar tango e conquista a segunda vitória em Duelo épico na Argentina

Um grande duelo de gerações aconteceu nesse domingo em Termas de Rio Hondo entre o mito Valentino Rossi e o Futuro mito da MotoGP Marc Marquez, Numa corrida aonde Rossi largando do 8ºlugar passando a todos que ele via na frente.

Marquez na pole position e depois de uma breve liderança de Andrea Dovizioso que largou melhor que Marquez o piloto da Honda assumiu a liderança da prova e parecia que a Formiga Atômica iria partir para uma vitória tranquila, Mas Rossi que foi com o pneu mais duro que o Marquez foi passando um atrás o outro: Viñales, Lorenzo, Iannone, Dovizioso e Cal Crutchlow e a partir dai no começo do segundo terço de corrida ele começou a andar mais forte do que o Líder Marc Marquez que tinha colocado 4 segundos na frente de todo mundo e acabou tendo sua vantagem a cada volta sendo engolida pelo Rossi indo na balada do Rossi vinha Andrea Dovizioso com a Ducati que esta andando muito bem esse ano.

Também se destacava o piloto Inglês Cal Crutchlow que chegou a estar na segunda posição no começo da corrida e lutava por uma boa posição com sua LCR Honda contra Andrea Iannone com a segunda Moto da Ducati, A Pramac Ducati teve a baixa de Yonny Hernandez que acabou tendo sua moto em Chamas.

ArgentinaMotoGP_Dong_1 (2)

Rossi Tirou toda a diferença para Marquez e nas voltas finais o piloto da Yamaha travou um duelo épico com a Formiga Atômica pela vitória, Ocorreram duas ultrapassagens, A Primeira delas aconteceu no começo da penúltima volta aonde Rossi passou Marquez que na Curva seguinte devolveu a ultrapassagem que o The Doctor colocou nele, No segundo e derradeiro duelo Rossi foi para cima de Marquez e ultrapassou o piloto espanhol que não se entregou e ambos colidiram pela primeira vez e dai houve o Golpe fatal para Marquez que acabou perdendo pela sua inexperiência e pela seu excesso de impeto de querer a vitória a qualquer custo após Tocar com a moto de Rossi Marquez vai para o Chão e abandona a corrida e com isso deixa Rossi tranquilo para cruzar a linha de chegada na Frente e com isso abrir 6 pontos para o segundo colocado na corrida e no campeonato que foi Andrea Dovizioso que pela terceira vez seguida foi para o pódio na segunda posição e se coloca pelo menos no começo da temporada como um dos favoritos ao Título dessa temporada junto de Rossi e de Marquez que apesar dos 30 pontos de prejuízo para Rossi sem dúvida vai disputar o tricampeonato.

A Disputa pelo último lugar pódio ficou entre Crutchlow e Andrea Dovizioso e só foi definida nas curvas finais da corrida a favor do piloto Inglês que fez uma grande corrida sendo a melhor Honda da corrida com Iannone em 4ºlugar mostrando que o investimento da Ducati nele também deu certo.

ArgentinaMotoGP_Dong_1 (3)

Agora Jorge Lorenzo em uma corrida apegadíssima chegou em 5ºlugar e continua sem ir ao pódio desde do GP da Malásia de 2014 no 3ºpelotão o melhor piloto foi Bradley Smith que ficou numa sólida 6ªposição, Aleix Espargaró que levou a Suzuki a primeira Fila mostrando além do talento dele que é incontestável é o Chassi dessa moto que é muito bom, O problema dele na corrida foi a velocidade de Reta que deveu muito as principais motos e só permitiu ao espanhol chegar em 7ºlugar na frente de seu irmão Pol Espargaró com a segunda Tech 3 Yamaha, Scott Redding que se recuperou do erro em Austin levando a Honda Marc VDS em 9ºlugar e Maverick Viñales também começando muito bem a sua trajetória na MotoGP com mais um resultado positivo na corrida chegando em 10ºlugar. Danilo Petrucci com a Pramac, Jack Miller com a CRT da LCR Honda, Hector Barbera da Ducati CRT e os pilotos da Forward Yamaha Loris Baz e Stefan Bradl completaram a zona de pontuação.

Rossi tem duas semanas para comemorar a sua vitória número 110 no Mundial de Motovelocidade até o dia 3 de Maio aonde teremos a primeira etapa da Espanha na Moto GP no Circuito de Jerez de la Fronteira.

Resultado Final do GP da Argentina da MotoGP

1 46 Valentino Rossi (Movistar Yamaha MotoGP Yamaha) 41’35.644 em 24 Voltas
2 4 Andrea Dovizioso (Ducati Team Ducati) a 5.685
3 35 Cal Crutchlow (CWM LCR Honda Honda) a 8.298
4 29 Andrea Iannone (Ducati Team Ducati) a 8.352
5 99 Jorge Lorenzo (Movistar Yamaha MotoGP Yamaha) a 10.192
6 38 Bradley Smith (Monster Yamaha Tech 3 Yamaha) a 19.876
7 41 Aleix Espargaro (Team SUZUKI ECSTAR Suzuki) a 24.333
8 44 Pol Espargaro (Monster Yamaha Tech 3 Yamaha) a 27.670
9 45 Scott Redding (EG 0,0 Marc VDS Honda) a 34.397
10 25 Maverick Viñales (Team SUZUKI ECSTAR Suzuki) a 34.808
11 9 Danilo Petrucci (Pramac Racing Ducati) a 40.206
12 43 Jack Miller (CWM LCR Honda Honda) a 42.654
13 8 Hector Barbera (Avintia Racing Ducati) a 42.729
14 76 Loris Baz (Athinà Forward Racing Yamaha Forward) a 42.853
15 6 Stefan Bradl (Athinà Forward Racing Yamaha Forward) a 43.037
16 69 Nicky Hayden (Aspar MotoGP Team Honda) a 43.252
17 50 Eugene Laverty (Aspar MotoGP Team Honda) a 43.400
18 63 Mike di Meglio (Avintia Racing Ducati) a 43.808
19 19 Alvaro Bautista (Aprilia Racing Team Gresini Aprilia) a 44.878
20 33 Marco Melandri (Aprilia Racing Team Gresini Aprilia) a 56.236
21 17 Karel Abraham (AB Motoracing Honda) a 1’03.371
22 15 Alex de Angelis (Octo IodaRacing Team ART) a 1’08.444

Não Terminaram a corrida:

7 Hiroshi Aoyama (Repsol Honda Team Honda) a 1 Volta
93 Marc Marquez (Repsol Honda Team Honda) a 2 Voltas
68 Yonny Hernandez (Pramac Racing Ducati) a 19 Voltas

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: MotoGP