Renato_braga_Porsche

Porsche Challenge: Renato Braga conquista primeiros pontos no campeonato

Estreante na categoria, o goiano aprovou e já é presença confirmada na próxima etapa

O Autódromo Internacional Ayrton Senna em Goiânia, recebeu pela primeira vez a Porsche GT3 Cup Challenge no último final de semana (31 de julho e 1º de agosto). Renato Braga, piloto da casa, participou da prova pela categoria Porsche Challenge, com o modelo 997 de 450cv de potência, que é subdividida na Challenge e Challenge Sport.

Na sexta-feira (31) aconteceu os treinos livres e também as duas sessões de treinos classificatórios. Renato conquistou a 12º posição de largada para as duas provas.

A primeira prova aconteceu no sábado (1º) pela manhã, partindo da décima segunda posição, conquistou cinco posições na primeira volta e se manteve em sétimo com um bom ritmo de corrida. Faltando quatro voltas para o término da corrida, o goiano ficou sem a terceira marcha e perdeu o rendimento. Renato cruzou a linha de chegada na 13º posição na geral e 6º na categoria Challenge.

Na segunda prova, Renato largou também na décima segunda posição, fez uma largada conservadora e se manteve em boas disputas. O piloto concluiu a segunda prova na 11º colocação na geral e em 6º na categoria Challenge.

“Foi um final de semana de muito aprendizado na categoria, conquistamos um resultado bom por ser a etapa de estréia. A meta é conquistar um pódio na próxima etapa” – comenta Renato.

Renato Braga confirmou sua participação na próxima etapa da Porsche Challenge, que será no dia 20 de setembro, em Goiânia.

Texto: Velocidade Curitiba Assessoria de Imprensa
Foto: Beto Issa

Rea_Sepang

SBK – Chaz Davies consegue impedir campeonato de acabar em Sepang vencendo a 2ªBateria em cima de Rea

O piloto da Ducati Chaz Davies conseguiu pelo menos para o GP da Malásia impedir o título do piloto da Kawasaki Jonatham Rea no circuito de Sepang na Malásia, Mesmo tendo que tirar 144 pontos de 150 possíveis do Inglês Jonathan Rea que conquistou a 12ªVitória em 20 Baterias na Super Bike em 2015 isso na primeira bateria.

Na primeira das baterias o piloto Tom Sykes precisava vencer de forma desesperada e largando da pole faz largada perfeita e assumi a liderança da corrida com Davies e Rea logo atrás. O Italiano Max Biaggi estava disputando o 4ºlugar com os pilotos da Aprilla (Jordi Torres e Leon Haslam) e com Guintoli com sua Honda um pouco mais atrás.

Rea fazia uma corrida tímida na primeira parte de prova, Mas ele partir para o ataque em cima de C.Daviez, Chegou a passar o piloto da Ducati, Mas Davies aproveitando de erro na trajetória da curva de Rea retornou a 2ªposição a 7 voltas do final.

A 5 Voltas do final Sykes perde rendimento e começa a perder posições complicando sua vida no campeonato, Nas últimas voltas enquanto seu companheiro de equipe despencava Rea tomou a liderança de Davies e não perdeu mais ela para vencer pela 12ªVez na temporada e se encaminhar mais um degrau rumo ao título, O pódio foi completado pelos pilotos Chaz Davies e Max Biaggi que fazia seu segundo final de semana na temporada e conseguia um pódio em 3ºlugar em uma bela corrida,  Guintoli campeão de 2014 ficou em 4ºlugar deixando Tom Sykes em 5ºlugar que deveria partir com tudo para tentar vencer a qualquer custo a segunda bateria, Já Rea com a Vitória poderia definir o campeonato ainda já na segunda bateria.

Resultado da 19ªetapa da Super Bike – SBK – GP da Malásia

1 65 Jonatham Rea (Kawasaki Racing Team Kawasaki ZX-10R) 33’33.964 –  158,532 km/h
2 7 Chaz Daviez (Aruba.it Racing-Ducati SBK Team Ducati Panigale R) a 0.121
3 3 Max Biaggi (Aprilia Racing Team Aprilia RSV4 RF) a 10.695
4 1 Sylvain Guintoli (PATA Honda World Superbike Team Honda CBR1000RR SP) a 15.433
5 66 Tom Sykes (Kawasaki Racing Team Kawasaki ZX-10R) a 17.983
6 22 Alex Lowes (VOLTCOM Crescent Suzuki Suzuki GSX-R1000) a 23.758
7 91 Leon Haslam (Aprilia Racing Team – Red Devils Aprilia RSV4 RF) a 24.854
8 15 Matteo Baiocco (Althea Racing Ducati Panigale R) a 28.306
9 59 Nicola Canepa (Althea Racing Ducati Panigale R) a 31.098
10 81 Jordi Torres (Aprilia Racing Team – Red Devils Aprilia RSV4 RF) a 34.105
11 44 David Salom (Team Pedercini Kawasaki ZX-10R) a 37.107
12 14 Randy de Puniet (VOLTCOM Crescent Suzuki Suzuki GSX-R1000) a 37.378
13 2 Leon Camier (MV Agusta Reparto Corse MV Agusta F4 RR) a 39.656
14 40 Román Ramos (Team Go Eleven Kawasaki ZX-10R) a 43.451
15 36 Leandro Mercado (BARNI Racing Team Ducati Panigale R) a 48.476
16 23 Christophe Ponsson (Team Pedercini Kawasaki ZX-10R) a 1’01.166
17 75 Gabor Rizmayer (BMW Team Toth BMW S1000 RR) a 1’24.006
18 48 Alex Phillis (Grillini SBK Team Kawasaki ZX-10R) a 1’31.093
19 10 Imre Toth (BMW Team Toth BMW S1000 RR) a 2’02.124

Não terminaram a corrida:

45 Gianluca Vizziello (Grillini SBK Team Kawasaki ZX-10R) a 7 Voltas
60 Michael van der Mark (PATA Honda World Superbike Team Honda CBR1000RR SP) a 9 Voltas

Na segunda bateria Sykes era o pole position e precisava da vitória para tentar levar a decisão para Jerez. Rea precisava de mais de 11 pontos na frente do seu companheiro de equipe na Kawasaki e chegar na frente de Davies para sacramentar o campeonato.

A Largada começou boa para Sykes que manteve a liderança, Só que não esperava pelo Max Biaggi que chegou a assumir a liderança, Mas o piloto Italiano foi tocado pelo Guintoli e acabou batendo em Sykes e com isso caiu e com isso teve sua moto danificada obrigando o piloto a deixar a corrida, O piloto da Kawasaki caiu para o 16ºlugar, Jonathan Rea passou Guintoli que perdeu posição também para Torres caindo para o 4ºlugar.

Na frente Davies abria vantagem sobre Rea que estava a apenas uma ultrapassagem do título. Na Metade da corrida Sykes estava já em 7ºlugar se aproximando da disputa pelo 4ºlugar com Guintoli, Haslam e Van der Mark até que ele sofre uma nova queda e dessa forma compromete definitivamente a sua corrida.

Lá na Frente Davies se encaminhava para um final tranquilo, Mas nas 2 voltas finais Rea foi para o ataque com mais moto que Davies que tinha os pneus desgastados, Na reta oposta antes da Reta dos Boxes na volta final Rea chegou a passar Davies e com isso ele seria o campeão, Mas Davies acabou arriscando tudo e na curva final ele passou Rea que tentou ainda conquistar a 13ªVitória e o título em Sepang, Mas o piloto da Ducati conquistou a vitória e adiou a decisão para o circuito espanhol de Jerez de la Fronteira, No entanto Rea precisa apenas de um 10ºlugar para conquistar o título de 2015 da Super Bike, O pódio foi completado pelo Jordi Torres que superou de longe a Guintoli, Van der Mark ambos de Honda e ao seu companheiro de equipe Leon Haslam. Tom Sykes com o melancólico 14ºlugar e agora esta sem chances de conquistar o título.

Davies ao menos conseguiu levar a decisão para a Espanha
Davies ao menos conseguiu levar a decisão para a Espanha

Dia 20 de Setembro teremos a 11ªRodada Dupla em Jerez de la Fronteira e certamente o piloto Inglês pelo retrospecto nessa temporada aonde ele foi para o pódio em todas as baterias sacramentara esse campeonato tendo uma remotíssima possibilidade de Davies de conquistar o título.

Resultado da 20ªetapa da Super Bike – SBK – GP da Malásia

1 7 Chaz Davies (Aruba.it Racing-Ducati SBK Team Ducati Panigale R) 33’36.466 – 158,335 km/h
2 65 Jonathan Rea (Kawasaki Racing Team Kawasaki ZX-10R) a 0.091
3 81 Jordi Torres (Aprilia Racing Team – Red Devils Aprilia RSV4 RF) a 5.008
4 1 Sylvain Guintoli (PATA Honda World Superbike Team Honda CBR1000RR SP) a 13.130
5 60 Michael van der Mark (PATA Honda World Superbike Team Honda CBR1000RR SP) a 15.801
6 91 Leon Haslam (Aprilia Racing Team – Red Devils Aprilia RSV4 RF) a 15.970
7 44 David Salom (Team Pedercini Kawasaki ZX-10R) a 24.561
8 22 Alex Lowes (VOLTCOM Crescent Suzuki Suzuki GSX-R1000) a 26.526
9 15 Matteo Baiocco (Althea Racing Ducati Panigale R) a 28.528
10 40 Román Ramos (Team Go Eleven Kawasaki ZX-10R) a 31.598
11 59 Nicola Canepa (Althea Racing Ducati Panigale R) a 33.568
12 2 Leon Camier (MV Agusta Reparto Corse MV Agusta F4 RR) a 34.806
13 14 Randy de Puniet (VOLTCOM Crescent Suzuki Suzuki GSX-R1000) a 46.521
14 66 Tom Sykes (Kawasaki Racing Team Kawasaki ZX-10R) a 48.964
15 36 Leandro Mercado (BARNI Racing Team Ducati Panigale R) a 49.865
16 23 Christophe Ponsson (Team Pedercini Kawasaki ZX-10R) a 1’04.171
17 45 Gianluca Vizziello (Grillini SBK Team Kawasaki ZX-10R) a 1’24.837
18 75 Gabor Rizmayer (BMW Team Toth BMW S1000 RR) a 1’25.068
19 48 Alex Phillis (Grillini SBK Team Kawasaki ZX-10R) a 1’34.051
20 10 Imre Toth (Team Toth BMW S1000 RR) a 2’00.907

Não terminaram a corrida:

3 Max Biaggi (Aprilia Racing Team Aprilia RSV4 RF) a 15 Voltas

Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: WorldSBK

Ligier_1994

Especial Ligier : Temporada de 1994

Após o belíssimo ano de 1993 em que a equipe Ligier ficou em 5ºlugar chegando bem perto da Ferrari no construtores o otimismo era total para a temporada de 1994, Mas não seria tão simples assim, Tanto Martin Brundle como Mark Blundell saíram da equipe e foram para a Mclaren e a Tyrrell respectivamente. A equipe Chamou dois franceses para substituir a dupla titular de 1993, o Jovem Olivier Panis de 27 anos que conquistou o título da Formula 3000 internacional no ano anterior e a volta de Eric Bernard que correu pela Lola em de 1989 até 1991 na Formula 1 e era piloto de testes da Ligier na temporada de 1993.

O time sofria com problemas financeiros e por isso a equipe decidiu fazer uma atualização do seu chassi e renomear ele para JS39B um carro produzido pelos projetistas Gérard Ducarouge (Diretor Técnico), Paul Crooks (Design) e Loic Bigois (Aerodinâmica), Uma aposta que parecia certa já que o carro já era bastante testado, Confiável e que tinha belos resultados em seu currículo e com os motores Renault os mesmo da Williams era sinal de que poderia ser uma bela temporada.

A Primeira etapa aconteceu no Brasil e ficou bem claro pelo que se apresentou no final de semana e que o JS39B ficou para trás e a Ligier acabou indo mal nos treinamentos e na corrida, Panis largou em 19º e completou a corrida em 11ºlugar a 3 Voltas do vencedor e Eric Bernard em sua volta largou em 20ºlugar e abandonou a corrida envolvido em um acidente estupido que foi provocado por Eddie Irvine (Foi suspenso por 2 corridas depois dessa barbeiragem).

Saindo da América do Sul e indo para o pacífico para a corrida em Ainda (GP do Pacífico) o desempenho foi  um pouco melhor, Mas longe de marcar algum ponto, Nos Treinos Eric Bernard foi melhor que Panis largando em 18º contra o 22º de Panis, No Entanto Panis levou a Ligier a 9ªposição e Bernard ficou uma posição atrás em 10º tomando 5 voltas do Vencedor e na mesma volta da modesta Simtek de Roland Ratzemberger, Ao menos o carro era confiável o que pode ser considerado a única boa notícia para a Ligier em 1994.

Na primeira corrida na Europa o Fatídico GP de San Marino que vitimou dois pilotos Roland Ratzemberger e Ayrton Senna o time teve seu melhor desempenho em treinos na temporada com Bernard em 17º e Panis em 19º, Mas na corrida o desempenho foi  pífio de novo com Panis e Bernard chegando em 11º e 12ºlugares sendo os últimos colocados a cruzarem a linha de chegada. As primeiras provas faziam o torcedor do time azul a lembrar as deploráveis temporadas de 1983, 1988, 1990 e 1991 aonde a equipe não marcou nenhum ponto e isso não mudaria pelo andar da carruagem a não ser se tivesse uma evolução esse carro ou motor ou em uma corrida maluca aonde a Ligier se aproveitasse para conseguir pontuar.

Não era um bom carro o JS39B
Não era um bom carro o JS39B

Não seria o caso de Mônaco aonde Panis largou em 20º e repetiu o melhor resultado no ano até aquele momento em 9ºlugar, Bernard em 21º no Grid acabou Rodando na 35ªVolta e deixando a corrida.

Na Espanha em Barcelona em sua 5ªEtapa a Ligier conseguiu ter uma melhora em ritmo de corrida, Panis e Bernard respectivamente dividiram a 10ºfila no Grid de largada. Na corrida ambos resistiram a uma série de quebras que os outros pilotos tiveram e chegaram a final da corrida, Panis bateu na trave e ficou em 7ºlugar a 2 voltas e Bernard acabou em 8ºlugar a 3 voltas do vencedor, Parece mesmo que a confiabilidade era a melhor coisa que o JS39B tinha para oferecer além da confiabilidade dos motores Renault V10 que eram os mesmos da poderosa equipe Williams.

No Canadá outro desempenho Fraco, Panis largando do 19ºlugar acabou em 12º e Bernard largou em 24º e terminou em 13º ambos ficando apenas na frente de David Brabham, Ao final de 6 corridas a Ligier tinha 0 ponto e a próxima corrida era em casa no circuito de Magny-Cours na França.

Bom a corrida em Solo Francês foi um desastre, o Grid foi o melhor da Temporada com Panis em 13º e Bernard em 15º, Mas a corrida ambos não terminaram a corrida, Panis que chegou a estar em 8ºlugar acabou tendo uma colisão com Gianni Morbidelli e ambos deixaram a corrida, Bernard foi até a volta 41 quando deixou a corrida com o Câmbio quebrado. Frustrados com a corrida em casa a prova na Inglaterra onde fica constatada uma melhora em Panis nos Treinamentos colocando o carro em 15ºlugar, Bernard ainda fica lá atrás em 23ºlugar. Na Corrida Panis começou bem, Mas logo decaiu e ficou em 12ºlugar e Bernard ficou na parte de trás o tempo todo e terminou em 13ºlugar. Ao final de 8 corridas a Ligier não tinha marcado ponto em nenhuma corrida e estava junto da tradicional equipe Lotus sem pontuar. Até mesmo Minardi, Larrousse conseguiram marcar pontos.

Berger, Panis e Bernard no pódio, O momento mais feliz da Ligier em 1994.
Berger, Panis e Bernard no pódio, O momento mais feliz da Ligier em 1994.

Dai veio a 9ªEtapa do campeonato na Alemanha no rapidíssimo Circuito de Hockenheim o que poderia favorecer a Ligier devido ao potente motor Renault V10, Na classificação ambos conseguiram um grid razoável: Olivier Panis largou em 12º e Eric Bernard em 14ºlugar no meio do pelotão. Na largada do GP da Alemanha tivemos dois acidentes que eliminaram da corrida 10 pilotos (Frentzen, Herbert, Barrichello, Irvine, Blundell, Hakkinen, Zanardi, Martini, Alboreto, De Cesaris) E Alesi com problemas elétricos e com Hill e Coulthard com as Williams com problemas indo para os boxes as chances, Com tudo isso Panis e Bernard sobreviveram e estavam no final da primeira volta em 4ºlugar com Panis e em 6ºlugar com Bernard, Na segunda volta Bernard passou Verstappen e assumiu o 5ºlugar. Logo Panis ganharia o 3ºlugar por causa do abandono do Katayama. Só estavam na frente das Ligier Gerhard Berger com Ferrari e Michael Schumacher com a Benetton, Na 19ªVolta o motor de Schumacher fuma e deixa o piloto da Benetton na mão deixando Panis e Bernard na 2ª e 3ª Posições, Era bom demais para ser verdade depois de todas as outras corridas ficarem em branco já iriam emplacar um duplo pódio e 10 pontos no campeonato. Panis perdeu o segundo lugar por 2ªvoltas para Bernard e depois voltou a mesma posição. Depois disso nada mais aconteceu na prova. Berger Conquistou a vitória e Panis e Bernard levaram a Ligier a um duplo pódio o que não acontecia desde do GP da Austrália de 1985 aonde Laffite terminou em 2ºlugar e Phillipe Streiff ficou em 3ºlugar. Os 10 pontos colocavam a equipe Francesa na 6ªposição a frente da Sauber.

Corrida maravilhosa para a Ligier em Hockenheim
Corrida maravilhosa para a Ligier em Hockenheim

A Partir desse espetacular resultado a Ligier foi para a Hungria, a expectativa não era das melhores já que o carro se mostrou difícil em todas as outras corridas no ano. Bernard em 18ºlugar meio que confirmou isso, Mas a surpresa foi o desempenho de Panis que colocou a Ligier na 9ªposição no Grid de Largada. A Corrida de Panis foi fantástica, com um grande desempenho o piloto Francês mostrou todo o seu talento e disputou a zona de pontuação até o final e foi recompensado com o 6ºlugar no final da prova a 1 volta do vencedor e com isso marcou mais um ponto no campeonato. Bernard ficou em 10ºlugar a 3 Voltas do vencedor e não parecia evoluir como Panis como piloto.

Em Spa-Francorchamps na Bélgica Eric Bernard (16ªLugar) consegue largar na frente de Panis (17ºlugar) porém Panis em ritmo de corrida era muito superior a Bernard e enquanto o piloto de 27 anos conseguia evoluir na corrida o outro piloto que tinha já 29 anos e que estava na Ligier em 1993 como piloto de testes ficava estagnado. Ao final das contas Panis ficou em 7ºlugar já contando com a desclassificação de Michael Schumacher e Eric Bernard chegou em 10ºlugar.

560_ITA (3)

Na Itália uma nova possibilidade de marcar pontos por causa dos poderosos motores Renault e nos treinos a esperança aumentou com o 6ºlugar de Panis e o 12º de Bernard, Mas dava para perceber que o JS39B deu uma melhorada em seu desempenho o que se pode explicar de uma forma: Depois da morte de Ratzemberger e de Ayrton Senna o regulamento sofreu uma série de mudanças e uma delas diminuiu a potência dos motores, Como a Ligier tinha um motor potente isso acabou prejudicando menos o time Francês, Mas não se pode também falar que o Chassi não evoluiu devido ao seu melhor desempenho na segunda metade de temporada.

Na corrida ambos foram envolvidos em um acidente na primeira largada e com isso ambos largaram lá atrás na segunda largada e isso comprometeu a prova de Ambos, Dessa Vez Bernard se apresentou melhor e ficou a uma posição dos pontos devido a David Coulthard ter abandonado na volta final. Mas como Bernard tinha uma volta atrás o 6ºlugar ficou com o Escocês deixando o Francês em 7ºlugar, já Panis ficou em 10ºlugar.

Em Portugal no circuito de Estoril novamente uma corrida ruim, Panis largou em 15ºlugar e até que chegou ao final da prova numa razoável 9ªposição, mas foi desclassificado por causa de Irregularidades em seu carro, Bernard acabou com isso herdando um 10ºlugar, Mas não foi o bastante para a sobrevivência dele na equipe Ligier, Depois de pelo menos 1 ano e meio o Francês deixou a equipe e para o Lugar dele veio o Inglês Johnny Herbert que chegou a ser anunciado como companheiro de Olivier Panis para 1995 na Ligier o que seria uma belíssima aquisição para o time azul de Magny-Cours.

Em Jerez de la Fronteira no GP da Europa Johnny Herbert Mostra suas qualidades como grande piloto e coloca o Ligier-Renault ao 7ºlugar no Grid de largada 4 posições na frente de Panis que também fez bom treino a ter a 11ªposição no grid de largada, Na corrida ambos não conseguiram desenvolver um grande desempenho em corrida e ficaram fora dos pontos (Herbert em 8ºlugar e Panis em 9º) estranhamente a Herbert sai da Ligier e vai para a Benetton se juntar a Flávio Briatore isso depois dele ter sido anunciado como piloto da Ligier para 1995. Para o lugar de Herbert não voltou Bernard mais veio um outro francês chamado Franck Lagorce que acabou sendo o vice-campeão da Formula 3000 Internacional.

adelaide_1994_f1 (10)

Na chuvosa corrida no Japão Lagorce não teve uma boa estreia largando em 20ºlugar e acabou rodando na 11ªVolta, Panis largou em 19º fazendo a 10ªfila com Lagorce, Mas ao contraio do estreante Panis completou a prova em 11ºlugar. Encerrando a temporada de 1994 em Adelaide no polêmico GP da Austrália aonde Schumacher mostrou a sua verdadeira face do mal em jogar o carro para cima de Hill (Na minha opinião deveria der desclassificado do campeonato e deveriam ter dado o campeonato para o Damon Hill em 1994) Panis que largou em 12ºlugar acabou completando a corrida em 5ºlugar marcando mais 2 pontos para a Ligier, Lagorce terminou em 11º e último lugar após largar do 20ºposto no Grid de largada.

Após 16 etapas foram 2 pódios, 13 pontos marcados e a Ligier foi a equipe que mais completou voltas no campeonato de 1994, foram 1.844 voltas bem longe da segunda colocada em número de voltas (Benetton com 1.571). Mas o ano foi um fracasso para a equipe Francesa que depois dessa temporada iria mudar de mãos apesar do 6ºlugar no mundial de construtores atrás de Williams, Benetton, Ferrari, Mclaren (Até ai dava para considerar ficar atrás dessas equipes) Mas da Jordan isso não estava nos planos do time que queria se juntar ao times das grandes equipes da Categoria de novo e empatada com a Tyrrell (Ganhando no Critério de Desempate tendo um 2ºlugar como melhor resultado com Panis no GP da Alemanha contra um terceiro da Tyrrell com Mark Blundell no GP da Espanha.

O que mudou para 1995 você verá no penúltimo texto sobre a Ligier na temporada de 1995, De uma coisa é Certa, Mudou muitas coisas de 94 para 95 pelos cantos da equipe azul.


 

Gps: 32
Vitórias: 0
Poles: 0
Pódios: 2
Pontos: 13
Motor: Renault RS6 3.5 V10
10 Cilindros a 67º
3493 cm³
Potência: 790 Cavalos a 14.300 RPM
Pilotos:
Olivier Panis
Eric Bernard
Johnny Herbert
Franck Lagorce
Número de voltas completadas: 1.844
Chassi: JS39B
Projetistas: Gérard Ducarouge (Diretor Técnico), Paul Crooks (Design) e Loic Bigois (Aerodinâmica)
Chassis:  Monocoque de Carbono e Kelvar
Peso:  525 kg
Transmissão:  Williams / semi-automática Xtrac T com 6 Marchas
De combustível / óleo:  Elf
Freios:  Freios a disco de carbono
Distância entre eixos:  2995 milímetros
Eixo dianteiro:  1.690 milímetros
Eixo Traseiro:  1.600 milímetros


 

Fotos:

View post on imgur.com


Texto: Deivison da Conceição da Silva
Fotos: Bestlap/Formel1mic

Especial Ligier: 19761977197819791980198119821983 –19841985 –1986 –1987 – 19881989 – 1990 – 1991 – 19921993

Fotos do GP da Inglaterra de Formula 1

Parte 1:

 

View post on imgur.com

Parte 2:

View post on imgur.com

Fotos: Manor/Sauber/Toro Rosso/Lotus/Force India/Mclaren/Red Bull/Williams/Ferrari/Mercedes

Nikilauda_BRM_1973

Gp da Alemanha de 1973 – Epson Nakajima Araujo

O Grande Prêmio de Nurburgring de 1973 foi o décimo primeiro a ser realizado na temporada.

Posições de grid.

1 Jackie Stewart Tyrrell/Ford 7’07.8
2 Ronnie Peterson Lotus/Ford 7’08.3
3 François Cevert Tyrrell/Ford 7’09.3
4 Jacky Ickx McLaren/Ford 7’09.7
5 Niki Lauda BRM 7’09.9
6 Carlos Reutemann Brabham/Ford 7’15.1
7 Peter Revson McLaren/Ford 7’15.9
8 Denny Hulme McLaren/Ford 7’16.5
9 Jean-Pierre Beltoise BRM 7’18.1
10 Clay Regazzoni BRM 7’18.2
11 Carlos Pace Surtees/Ford 7’18.8
12 Henri Pescarolo Iso Marlboro/Ford 7’18.8
13 Wilson Fittipaldi Brabham/Ford 7’19.1
14 Emerson Fittipaldi Lotus/Ford 7’19.7
15 Jochen Mass Surtees/Ford 7’20.4
16 Rolf Stommelen Brabham/Ford 7’22.2
17 Jackie Oliver Shadow/Ford 7’22.3
18 Mike Hailwood Surtees/Ford 7’22.3
19 Mike Beuttler March/Ford 7’26.6
20 Graham Hill Shadow/Ford 7’27.1
21 George Follmer Shadow/Ford 7’28.3
22 David Purley March/Ford 7’54.2
Howden Ganley Iso Marlboro/Ford 7’25.1

Um pouco sobre Nurburgring Nordschleife

Nordschleife foi a maior pista de Fórmula 1 que já existiu, segundo Emerson Fittipaldi, para ele é o melhor circuito que já existiu e hoje ainda abriga outras competições ou exposições, se alguém quiser andar por lá.
O circuito foi construído em 1927, com 22 km de extensão, porém hoje não atende as indicações da FIA em questão de segurança, pois muitos pilotos já morreram por lá e se por acaso acontecer um acidente grave, a demora de atendimento médico seria grande.
Atualmente a formula 1 corre na pista encurtada de Nordschleife, chamada somente por Nurburgring. Além de Nordschleife, existe outra pista ligada a ela, chamada Sudschleife.

A corrida

A largada começou com nenhuma troca de posições entre a primeira fila, o pelotão segue tranquilo sem acidente, porém Ronnie Peterson em Breidschied abandonou a corrida por problema de injeção, facilitando a supremacia da Tyrrell na corrida, Stewart e Cevert andaram a corrida toda na frente, com o Jacky Ickx na terceira posição, foi a figura da corrida do início ao fim…

Stewart_vence_Norde

O único que poderia ameaçar a posição de Ickx era Lauda, porém uma volta depois da largada ele se envolve em um acidente e saí da corrida.
Nas primeiras voltas, Emerson Fittipaldi tem ficado discreto, fazendo uma corrida entre os oitavos e décimos colocados.
François perseguiu Jackie por uma hora e quarenta e dois minutos de corrida, enquanto isso Emerson Fittipaldi disputava o quinto lugar com outros pilotos sendo eles os Brasileiros Carlos Pace e Wilson Fittipaldi.

Carlos Pace faz a melhor corrida de recuperação finalizando em quarto e fazendo a melhor volta da corrida.

Emerson Fittipaldi batalhou e conseguiu ficar em sexto atrás de seu sobrinho Wilson Fittipaldi.
O pódio ficou entre Jackie Stewart, François Cevert e Jacky Ickx.

Resultado final do GP da Alemanha de 1973

Vídeo da corrida:

Fotos:

 

View post on imgur.com

Fonte das Fotos: Bestlap/Formel1mic